A história

11 de agosto de 1942


11 de agosto de 1942

Agosto

1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Mediterrâneo

O comboio de pedestal para Malta sofre forte ataque. O portador HMS Águia está afundado



Conteúdo

O sexto porta-aviões construído para a Marinha dos Estados Unidos e o segundo dos Yorktown-classe, [6] Empreendimento foi lançado em 3 de outubro de 1936 na Newport News Shipbuilding, patrocinado por Lulie Swanson, esposa do Secretário da Marinha Claude A. Swanson, e comissionado em 12 de maio de 1938 com o Capitão Newton H. White, Jr. no comando. Empreendimento navegou para o sul em um cruzeiro shakedown que a levou ao Rio de Janeiro. O capitão Charles A. Pownall substituiu White em 21 de dezembro. Após seu retorno, ela operou ao longo da Costa Leste e no Caribe até abril de 1939, quando foi condenada a trabalhar no Pacífico. [7]

Empreendimento foi um dos quatorze navios a receber o primeiro radar RCA CXAM-1. [2] O capitão George D. Murray assumiu o comando do porta-aviões em 21 de março de 1941. Baseado primeiro em San Diego (onde ela foi usada nas filmagens de Dive Bomber, estrelado por Errol Flynn e Fred MacMurray) e depois em Pearl Harbor, na ilha havaiana de Oahu, depois que o presidente Roosevelt ordenou que a frota fosse "baseada na vanguarda", a transportadora e seu Grupo Aéreo treinaram intensivamente e transportaram aeronaves para bases em ilhas americanas no Pacífico . Empreendimento e os outros navios da Força-Tarefa 8 (TF 8) partiram de Pearl Harbor em 28 de novembro de 1941 para levar o Esquadrão de Caça 211 (VMF-211) da Marinha para a Ilha Wake a cerca de 2.500 milhas (4.000 km) a oeste. Ela estava programada para retornar ao Havaí em 6 de dezembro de 1941, mas foi atrasada pelo tempo, e ela ainda estava no mar a cerca de 215 milhas náuticas (398 km) a oeste de Oahu na madrugada de 7 de dezembro de 1941. [7] [8] [ 9]

Edição da Segunda Guerra Mundial

Edição de Pearl Harbor

Empreendimento lançou dezoito de seus SBDs - a aeronave do CAG, 13 aeronaves do Esquadrão de Escotismo Seis (VS-6) e quatro aeronaves do Esquadrão de Bombardeio Seis (VB-6) - na madrugada de 7 de dezembro para observar um arco que se estende de nordeste a sudeste de o navio, e para pousar em Ford Island em Pearl Harbor depois de completar suas rotas de busca. [10] [11] Quando essas aeronaves chegaram aos pares em Pearl Harbor, foram apanhadas entre o ataque a aeronaves japonesas e o fogo antiaéreo defensivo dos navios e das instalações em terra abaixo. Sete SBDs foram abatidos, seja por ação inimiga ou fogo amigo, com a perda de oito aviadores mortos e dois feridos. [11]

Empreendimento recebeu mensagens de rádio de Pearl Harbor informando que a base estava sob ataque e mais tarde ela foi instruída a lançar um ataque aéreo com base em um relatório impreciso de um porta-aviões japonês a sudoeste de sua localização. O ataque foi lançado por volta das 17:00, consistindo em seis caças Grumman F4F Wildcat do Esquadrão de Combate Seis (VF-6), 18 torpedeiros Douglas TBD Devastator do Esquadrão Seis Torpedo (VT-6) e seis SBDs de VB-6. [12]

Incapaz de localizar quaisquer alvos, o torpedo e os bombardeiros de mergulho voltaram para Empreendimento, mas os seis caças foram orientados a desviar para o campo de Hickam em Oahu. Embora a notícia da chegada esperada dos aviões tenha sido transmitida a todos os navios e unidades antiaéreas da área, o aparecimento dos Wildcats no céu noturno de Oahu desencadeou disparos de pânico, que derrubaram três deles, matando seus pilotos, enquanto uma quarta aeronave ficou sem combustível, forçando o piloto a saltar para fora. [12]

Empreendimento puxado para Pearl Harbor para combustível e suprimentos na noite de 8 de dezembro. O vice-almirante William Halsey Jr., comandante da Divisão 2 de Carrier, ordenou que todos os homens aptos a bordo ajudassem a rearmar e reabastecer Empreendimento esse processo normalmente levava 24 horas para ser concluído, mas dessa vez foi concluído em sete horas. [8] Ela e os outros navios do TF 8 partiram na manhã seguinte para patrulhar possíveis ataques adicionais nas ilhas havaianas. Embora o grupo não tenha encontrado navios de superfície japoneses, Empreendimento aeronave afundou submarino japonês I-70 a 23 ° 45′N 155 ° 35′W / 23,750 ° N 155,583 ° W / 23,750 -155,583 (afundamentos USS Enterprise I-70) em 10 de dezembro de 1941. [10]

Durante as últimas duas semanas de dezembro de 1941, Empreendimento e sua escolta navegou a oeste do Havaí para cobrir as ilhas enquanto dois outros grupos de transportadores faziam uma tentativa tardia de socorrer a Ilha Wake. Depois de uma breve parada em Pearl Harbor, Empreendimento e seu grupo partiu em 11 de janeiro de 1942, protegendo comboios reforçando Samoa. [7]

Em 16 de janeiro de 1942, um TBD de VT-6, pilotado pelo Chefe do Maquinista da Aviação e alistou o Piloto de Aviação Naval Harold F. Dixon, se perdeu na patrulha, ficou sem combustível e aterrisou. [13] Dixon e seus dois companheiros de tripulação, o bombardeiro Anthony J. Pastula e o artilheiro Gene Aldrich, sobreviveram por 34 dias em uma pequena jangada de borracha depois que sua comida e água foram levadas ao mar, antes de chegarem à costa do atol de Pukapuka, onde os nativos se alimentavam eles e autoridades aliadas notificadas. Os três homens foram então apanhados pela USS Cisne. Dixon foi premiado com a Cruz da Marinha por "heroísmo extraordinário, determinação excepcional, engenhosidade, habilidade náutica, julgamento excelente e liderança da mais alta qualidade". [14] [15]

Em 1 de fevereiro de 1942, Empreendimento A Força-Tarefa 8 invadiu Kwajalein, Wotje e Maloelap nas Ilhas Marshall, afundando três navios japoneses, danificando oito e destruindo vários aviões e instalações terrestres. Empreendimento recebeu apenas danos menores no contra-ataque japonês, quando o TF 8 se retirou para Pearl Harbor.

O próximo mês, Empreendimento, agora parte da Força-Tarefa 16, varreu o Pacífico central, atacando instalações inimigas nas Ilhas Wake e Marcus.

Doolittle Raid, abril de 1942. Editar

Após pequenas alterações e reparos em Pearl Harbor, Empreendimento e o TF 16 partiu em 8 de abril de 1942 para se encontrar com seu navio irmão Hornet e navegou para o oeste, escoltando Hornet na missão de lançar 16 Mitchells do Exército B-25 no "Doolittle Raid" em Tóquio. Enquanto lutadores de Empreendimento voou em patrulha aérea de combate, os B-25s lançados em 18 de abril, e voou sem ser detectado as 600 milhas (1.000 km) restantes até o alvo. A força-tarefa, cuja presença era conhecida do inimigo depois que um piquete japonês emitiu um aviso por rádio, mudou de curso e voltou a Pearl Harbor em 25 de abril. [7]

Batalha de Midway, junho de 1942 Editar

Cinco dias depois, Empreendimento sorteada em direção ao Pacífico Sul para reforçar as transportadoras americanas que operam no Mar de Coral. No entanto, a Batalha do Mar de Coral acabou antes Empreendimento chegado. Com Hornet, ela executou uma finta em direção às ilhas Nauru e Banaba (oceano), o que fez com que os japoneses atrasassem a Operação RY para tomar as duas ilhas, Empreendimento voltou a Pearl Harbor em 26 de maio de 1942, e começou a preparação intensiva para enfrentar o esperado ataque japonês na Ilha Midway.

Em 28 de maio, Empreendimento partiu de Pearl Harbor como a nau capitânia do contra-almirante Raymond A. Spruance com ordens de "manter Midway e infligir o máximo de dano ao inimigo por meio de fortes táticas de atrito". Com Empreendimento em TF 16 eram Hornet, seis cruzadores, dez contratorpedeiros e quatro lubrificadores. Em 30 de maio, a Força-Tarefa 17 (TF 17), com o Contra-Almirante Frank J. Fletcher em Yorktown, deixou Pearl com dois cruzadores e seis destróieres e se encontrou com o TF 16 como oficial superior presente, o contra-almirante Fletcher tornou-se "Oficial em Comando Tático". [7] O vice-almirante Halsey, o comandante usual do TF 16 e sênior tanto de Fletcher quanto de Spruance, foi medicamente condenado a permanecer em um hospital naval em Pearl Harbor devido à severa perda de peso induzida por estresse e psoríase severa.

Cada lado lançou ataques aéreos durante o dia em uma batalha decisiva. Embora as forças estivessem em contato até 7 de junho, às 10h45 do dia 4 de junho o resultado já havia sido decidido. Três porta-aviões japoneses estavam em chamas e era apenas uma questão de tempo até que um quarto fosse capturado e nocauteado. A Batalha de Midway começou na manhã de 4 de junho de 1942, quando quatro porta-aviões japoneses, sem saber da presença das forças navais dos EUA, lançaram ataques à Ilha de Midway. Pouco depois da primeira bomba cair em Midway, a primeira onda de aviões (4 B-26B Marauders, 6 TBF-1 Avengers, 11 SB2U-3s, 16 SBDs e 15 B-17s) da Ilha de Midway atacou sem sucesso. Vários outros grupos atacaram, novamente sem causar danos a seus alvos. Aviões das operadoras americanas atacaram em seguida. Empreendimento os torpedeiros atacaram primeiro, sem pontuar e sofrendo pesadas perdas. Logo depois, Empreendimento bombardeiros de mergulho atacaram e desativaram os porta-aviões japoneses Kaga e Akagi, deixando-os em chamas, enquanto Yorktown aeronave também bombardeou o porta-aviões japonês Sōryū, deixando-a queimando e morta na água.

Dentro de uma hora, a transportadora japonesa restante, Hiryu, lançou ataques aéreos que paralisaram Yorktown com três bombas e dois torpedos atingindo a casa durante dois ataques separados. No final da tarde, um esquadrão misto de Empreendimento e Yorktown bombardeiros, voando de Empreendimento, Desativado Hiryu, deixando-a em chamas. O dia seguinte Empreendimento bombardeiros de mergulho afundaram cruiser Mikuma. Enquanto Yorktown e Hammann foram os únicos navios americanos afundados, o TF 16 e o ​​TF 17 perderam um total de 113 aviões, 61 deles em combate. As perdas japonesas foram muito maiores: quatro porta-aviões (todos afundados), um cruzador e 272 porta-aviões com muitas de suas tripulações altamente experientes. [16] Apesar das perdas para seus esquadrões de aeronaves, Empreendimento passou sem danos e voltou a Pearl Harbor em 13 de junho de 1942. [7]

Editar Pacífico Sul

O capitão Arthur C. Davis substituiu Murray em 30 de junho de 1942. Após um mês de descanso e revisão, Empreendimento partiu em 15 de julho de 1942 para o Pacífico Sul, onde se juntou à TF 61 para apoiar os desembarques anfíbios nas Ilhas Salomão em 8 de agosto. Pelas próximas duas semanas, o porta-aviões e seus aviões protegeram as linhas de comunicação marítima a sudoeste das Ilhas Salomão. Em 24 de agosto, uma forte força japonesa foi descoberta cerca de 200 milhas (300 km) ao norte de Guadalcanal, e o TF 61 enviou aviões para o ataque. [7] Na Batalha que se seguiu das Salomões Orientais, o portador de luz Ryūjō foi afundado, e as tropas japonesas destinadas a Guadalcanal foram forçadas a recuar. Empreendimento Os navios americanos mais sofreram três ataques diretos com bombas e quatro quase-acidentes, matando 74, ferindo 95 e causando sérios danos ao porta-aviões. O trabalho rápido e árduo dos grupos de controle de danos a remendou para que ela pudesse retornar ao Havaí por conta própria. [7]

Reparado em Pearl Harbor de 10 de setembro a 16 de outubro de 1942, Empreendimento embarcou no Air Group 10 no início de outubro. Esta foi a primeira vez que os Grim Reapers de VF-10 foram implantados a partir de Empreendimento sob o comando do oficial James H. Flatley, que ficou conhecido como "Líder Reaper". [17] [18] Ela partiu mais uma vez para o Pacífico Sul, onde com Hornet ela formou a TF 61, embora o capitão Osborne Hardison tenha substituído Davis em 21 de outubro. Cinco dias depois, Empreendimento aviões de reconhecimento localizaram uma força de porta-aviões japonesa e a Batalha das Ilhas de Santa Cruz estava em andamento. Empreendimento aeronaves atingiram porta-aviões e cruzadores durante a luta, enquanto o próprio navio sofreu ataques intensos. Atingido duas vezes por bombas, Empreendimento perdeu 44 homens e teve 75 feridos. Apesar dos graves danos, ela continuou em ação e embarcou em um grande número de aviões e tripulantes de Hornet quando essa transportadora foi afundada. Embora as perdas americanas de um porta-aviões e um contratorpedeiro tenham sido mais severas do que a perda japonesa de um cruzador leve, a batalha ganhou tempo para reforçar Guadalcanal contra o próximo ataque inimigo, [7] e o próximo Campo de Henderson estava, portanto, protegido do bombardeio japonês. A perda de Hornet significou Empreendimento era agora a única operadora americana em funcionamento (embora danificada) no Pacific Theatre. [nota 1] Em um dos conveses, a tripulação postou uma placa: "Empreendimento vs Japão. "[19] [20] [21] [22] [nota 2]

Empreendimento chegou a Nouméa, na Nova Caledônia, em 30 de outubro, para reparos, mas um novo impulso japonês nas Ilhas Salomão exigiu sua presença e ela partiu em 11 de novembro, com equipes de reparos de Vestal ainda trabalhando a bordo. Parte da equipe de reparos eram 75 Seabees da Companhia B do 3º Batalhão de Construção. Isso ocorreu devido à falta de recursos de reparo da frota. [23] [nota 3] Em andamento com ordens para enfrentar o inimigo, os Seabees se concentraram em efetuar reparos mesmo durante a batalha que se aproximava. O trabalho estava sob a supervisão 24 horas por dia de Empreendimento oficial de controle de danos, Tenente Comandante. Herschel Albert Smith. [24] [25]

O oficial comandante da Empreendimento, O Capitão Osborne Bennett "Ozzie B" "Oby" Hardison [26] notificou o Departamento da Marinha que "os reparos de emergência realizados por esta força habilidosa, bem treinada e entusiasticamente enérgica colocaram esta embarcação em condições de novas ações contra o inimigo. " [27] [nota 4] Este trabalho notável ganhou mais tarde o elogio do vice-almirante William Halsey, Jr., Comandante da Área do Pacífico Sul e da Força do Pacífico Sul, que enviou um despacho ao OIC do destacamento Seabee declarando: "Seu comandante deseja para expressar a você e aos homens do Batalhão de Construção que servem sob seu comando seus agradecimentos pelos serviços prestados por vocês na realização de reparos de emergência durante a ação contra o inimigo. Os reparos foram concluídos por esses homens com rapidez e eficiência. disposição, zelo e capacidade. " [28]

Em 13 de novembro, aviadores de Empreendimento ajudou a afundar o Hiei, o primeiro navio de guerra japonês perdido durante a guerra. Quando a Batalha Naval de Guadalcanal terminou em 15 de novembro de 1942, Empreendimento participaram do afundamento de dezesseis navios e da danificação de outros oito. A transportadora voltou a Nouméa em 16 de novembro para concluir seus reparos.

Navegando novamente em 4 de dezembro, Empreendimento treinou fora de Espiritu Santo, Novas Hébridas, até 28 de janeiro de 1943, quando partiu para a região das Salomões. Em 30 de janeiro, seus caças voaram em patrulha aérea de combate para um grupo de destruidores de cruzeiros durante a Batalha da Ilha Rennell. Apesar da destruição da maioria dos bombardeiros japoneses atacantes por Empreendimento aviões, o cruzador pesado Chicago foi afundado por torpedos aéreos.

Destacado após a batalha, o porta-aviões chegou a Espiritu Santo no dia 1º de fevereiro e, durante os três meses seguintes, operou a partir dessa base, cobrindo as forças de superfície dos EUA até as Ilhas Salomão. O capitão Samuel Ginder assumiu o comando do navio em 16 de abril. Empreendimento então navegou para Pearl Harbor onde, em 27 de maio de 1943, o almirante Chester Nimitz presenteou o navio com a primeira citação de Unidade Presidencial concedida a um porta-aviões.

No verão de 1943, com o novo Essex-classe e Independência- transportadoras de classe se juntando à Frota Americana do Pacífico, Empreendimento foi temporariamente dispensada do serviço e, em 20 de julho, ela entrou no estaleiro naval de Puget Sound para uma reforma muito necessária. [7] Ao longo de vários meses, Empreendimento recebeu uma extensa reforma, que incluiu, entre outras atualizações, novas armas antiaéreas e uma bolha antitorpedo que melhorou significativamente sua proteção subaquática. [nota 5] Esta reforma do meio da guerra é onde ela receberia seus dois icônicos "6" em seus conveses de vôo. [29]

Voltar ao trabalho Editar

O capitão Matthias Gardner substituiu Ginder em 7 de novembro. De volta a Pearl Harbor em 6 de novembro, Empreendimento partiu quatro dias depois para fornecer apoio aéreo aproximado à 27ª Divisão de Infantaria que pousou no Atol de Makin, durante a Batalha de Makin, de 19 a 21 de novembro de 1943. Na noite de 26 de novembro, Empreendimento introduziu caças noturnos baseados em porta-aviões no Pacífico quando uma equipe de três aviões do navio desmantelou um grande grupo de bombardeiros terrestres que atacavam o TG 50.2. Dois dos três aviões voltaram ao navio, com LCDR Edward "Butch" O'Hare a única vítima. Após um forte ataque de aeronaves do TF 50 contra Kwajalein em 4 de dezembro, Empreendimento voltou a Pearl Harbor cinco dias depois.

A próxima operação do porta-aviões foi com a Fast Carrier Task Force para amenizar as Ilhas Marshall e apoiar os desembarques em Kwajalein, de 29 de janeiro a 3 de fevereiro de 1944. Então, Empreendimento partiu, ainda com o TF 58, para atacar a base naval japonesa na Lagoa Truk, nas Ilhas Carolinas, em 17 de fevereiro. Novamente Empreendimento fez história na aviação, quando lançou o primeiro ataque noturno de bombardeio por radar de um porta-aviões dos EUA. Os doze torpedeiros neste ataque alcançaram excelentes resultados, respondendo por quase um terço das 200.000 toneladas de navios destruídos por aeronaves.

Separado do TF 58 com escoltas, Empreendimento lançou ataques contra o Atol de Jaluit em 20 de fevereiro, depois foi para Majuro e Espiritu Santo. Navegando em 15 de março no TG 36.1, ela forneceu cobertura aérea e apoio próximo para os desembarques na Ilha do Emirau (19–25 de março). O porta-aviões voltou ao TF 58 em 26 de março e, durante os 12 dias seguintes, participou de uma série de ataques contra as ilhas de Yap, Ulithi, Woleai e Palau. Depois de uma semana de descanso e reposição em Majuro, Empreendimento navegou em 14 de abril para apoiar desembarques na área de Hollandia (atualmente conhecida como Jayapura) da Nova Guiné e, em seguida, atingiu Truk novamente de 29 a 30 de abril.

Em 6 de junho de 1944, ela e seus companheiros do TG 58.3 saíram de Majuro para se juntar ao resto do TF 58 no ataque às Ilhas Marianas. Golpeando Saipan, Rota e Guam de 11 a 14 de junho, Empreendimento os pilotos deram apoio direto aos pousos em Saipan em 15 de junho e cobriram as tropas em terra pelos dois dias seguintes.

Ciente de uma grande tentativa japonesa de interromper a invasão de Saipan, o Almirante Spruance, agora Comandante da 5ª Frota, posicionou o TF 58 para enfrentar a ameaça. [7]

Batalha do Mar das Filipinas Editar

Em 19 de junho de 1944, Empreendimento foi um dos quatro porta-aviões do Grupo de Tarefa 58.3 sob o comando do Contra-Almirante John W. Reeves durante a maior batalha de porta-aviões da história: a Batalha do Mar das Filipinas. Por mais de oito horas, aviadores dos Estados Unidos e da marinha imperial japonesa lutaram nos céus pelo TF 58 e pelas Marianas. Ao longo de dois dias, um total de seis navios americanos foram danificados e 130 aviões e um total de 76 pilotos e tripulantes foram perdidos. Em nítido contraste, o porta-aviões americano, com uma grande ajuda de submarinos dos EUA, afundou três porta-aviões japoneses (Hiyō, Shōkaku, e Taiho), e destruiu 426 aviões porta-aviões, perdas das quais a aviação naval japonesa nunca se recuperaria.

Empreendimento participou tanto na defesa da frota quanto no subsequente ataque noturno contra as forças-tarefa japonesas. Durante a recuperação caótica do ataque aéreo após o anoitecer, um caça e um bombardeiro subiram a bordo simultaneamente, mas felizmente não causaram um acidente. Um ataque noturno planejado contra a frota japonesa em voos noturnos Empreendimento os pilotos foram cancelados devido às operações de recuperação e resgate necessárias após o ataque ao anoitecer. Depois da batalha, Empreendimento e seu Grupo de Trabalho continuou a fornecer apoio aéreo para a invasão de Saipan até 5 de julho. Ela então navegou para Pearl Harbor e um mês de descanso e revisão, durante o qual ela foi pintada na camuflagem Dazzle Medida 33 / 4Ab. [30] [31] Durante este tempo, Gardner foi substituído pelo comandante Thomas Hamilton em 10 de julho, antes de ser substituído pelo capitão Cato Glover em 29 de julho. De volta à ação em 24 de agosto, o porta-aviões partiu com o TF 38 no ataque aéreo daquela força às Ilhas Vulcão e Bonin de 31 de agosto a 2 de setembro, e Yap, Ulithi e o Palaus de 6 a 8 de setembro. [7]

Batalha do Golfo de Leyte Editar

Depois de operar a oeste das Ilhas Palau, Empreendimento juntou-se a outras unidades da TF 38 em 7 de outubro e rumou para o norte. De 10 a 20 de outubro, seus aviadores sobrevoaram Okinawa, Formosa e as Filipinas, explodindo em campos de aviação, instalações em terra e navios inimigos em preparação para o ataque a Leyte. Depois de apoiar os desembarques de Leyte em 20 de outubro, Empreendimento dirigiu-se a Ulithi para reabastecer, mas a aproximação da frota japonesa em 23 de outubro a chamou de volta à ação.

Na Batalha do Golfo de Leyte (23-26 de outubro), Empreendimento aviões atacaram todos os três grupos de forças inimigas, atacando navios de guerra e destróieres antes que a ação terminasse. O porta-aviões permaneceu em patrulha a leste de Samar e Leyte até o final de outubro, depois retirou-se para Ulithi para obter suprimentos. Em novembro, sua aeronave atingiu alvos na área de Manila e na ilha de Yap. Ela voltou a Pearl Harbor em 6 de dezembro de 1944 e Glover foi substituído pelo capitão Grover B. H. Hall em 14 de dezembro.

Luzon e Tokyo Edit

Partindo em 24 de dezembro para as Filipinas, Empreendimento transportando um grupo aéreo especialmente treinado em operações noturnas como o único portador capaz de operações noturnas, ela deixou Oahu com seu código de casco alterado de CV para CV (N), o "N" representando "Noite". [32] [33] Ela se juntou ao TG 38.5 e varreu as águas ao norte de Luzon e do Mar da China Meridional durante janeiro de 1945, atingindo alvos em terra e embarcando de Formosa para a Indochina, incluindo um ataque a Macau. [34] Após uma breve visita a Ulithi, Empreendimento juntou-se ao TG 58.5 em 10 de fevereiro de 1945, e forneceu patrulha aérea de combate diurna e noturna para o TF 58 quando ele atingiu Tóquio em 16-17 de fevereiro.

Iwo Jima Editar

Ela então apoiou os fuzileiros navais na Batalha de Iwo Jima de 19 de fevereiro a 9 de março, quando navegou para Ulithi. Durante uma parte desse período, Empreendimento manteve a aeronave no ar continuamente sobre Iwo Jima por 174 horas.

Okinawa Edit

Saindo de Ulithi em 15 de março, a transportadora continuou seu trabalho noturno em ataques contra Kyūshū, Honshū e na navegação no Mar Interior do Japão. Danificado levemente por uma bomba inimiga em 18 de março, Empreendimento entrou em Ulithi seis dias depois para reparos. De volta à ação em 5 de abril, ela apoiou a operação de Okinawa até ser prejudicada em 11 de abril - desta vez por um Kamikaze- e foi forçado a voltar para Ulithi. [35] Fora de Okinawa, mais uma vez em 6 de maio, Empreendimento voou patrulhas ao redor do relógio como Kamikaze ataques aumentaram. Em 14 de maio de 1945, ela sofreu seu último ferimento da Segunda Guerra Mundial, quando um Kamikaze Zero, pilotado pelo Tenente J.G. Shunsuke Tomiyasu destruiu seu elevador frontal, matando 13 e ferindo 68.

O porta-aviões partiu e foi totalmente reparado no Puget Sound Navy Yard. Quase pronto, com todos os aviões a bordo na faixa de desmagnetização / desmagnetização do Estreito de Juan de Fuca quando o bombardeio de Nagasaki encerrou a guerra em 9 de agosto de 1945. [7]

Complemento de aviação Editar

O seguinte elogio da aviação foi desembarcado de Empreendimento em 7 de setembro de 1945 em NAS Barber's Point [36]

Editar pós-guerra

Operação Magic Carpet Editar

Restaurado para a condição de pico, Empreendimento viajou para Pearl Harbor, retornando aos Estados Unidos com cerca de 1.141 militares com alta, incluindo pacientes de hospitais e ex-prisioneiros de guerra, e então navegou para Nova York em 25 de setembro de 1945 via Canal do Panamá chegando em 17 de outubro de 1945. Duas semanas depois, ela prosseguiu para Boston para a instalação de instalações adicionais de atracação, então começou uma série de três viagens da Operação Tapete Mágico para a Europa, trazendo para casa mais de 10.000 veteranos em seu serviço final em seu país. [7]

A primeira viagem europeia retornou 4.668 militares de Southampton, Inglaterra, em novembro de 1945. [37] Na segunda viagem à Europa, ela foi abordada pelo Primeiro Lorde do Almirantado britânico, Sir Albert Alexander em Southampton, que apresentou Empreendimento com uma flâmula do Almirantado Britânico que foi içada quando a maioria dos membros do Conselho do Almirantado estavam presentes. O galhardete foi dado a Empreendimento como um símbolo de respeito de vários oficiais de alto escalão de um aliado. Ela voltou a Nova York em 25 de dezembro de 1945 com 4.413 militares. [37] Nesta viagem de nove dias, ela encontrou quatro tempestades, algumas com ventos de 80 milhas por hora (130 km / h) que causaram ondas de 75 pés (23 m) que inundaram o convés do castelo de proa em água de até 10 pés (3,0 m) de profundidade. De acordo com o oficial de controle de danos John U. Monro, as tempestades destruíram seções de passagens e grades e varreram objetos soltos para fora do barco. [38] Sua última viagem foi para os Açores, e retornou 3.557 pessoas, incluindo 212 WACs para Nova York em 17 de janeiro de 1946. [37]

O fim para Empreendimento Editar

Com o comissionamento de mais de duas dúzias de porta-aviões maiores e mais avançados até o final de 1945, Empreendimento foi considerado excedente para as necessidades pós-guerra da marinha americana. Ela entrou no Estaleiro Naval de Nova York em 18 de janeiro de 1946 para desativação e foi desativada em 17 de fevereiro de 1947. Em 1946, havia sido programado para ser entregue ao estado de Nova York como um memorial permanente, mas este plano foi suspenso em 1949 . [39] Tentativas subsequentes foram feitas para preservar o navio como um museu ou memorial, mas os esforços de arrecadação de fundos não conseguiram levantar dinheiro suficiente para comprar o navio da Marinha, e Empreendimento foi vendido em 1 de julho de 1958 para a Lipsett Corporation da cidade de Nova York para sucateamento em Kearny, Nova Jersey.

Foi feita uma promessa de guardar o distinto mastro do tripé para inclusão no novo estádio de futebol da Escola Naval, mas nunca foi cumprida em vez disso, uma placa memorial foi instalada na base do que ainda é chamado de "Empreendimento Torre. "O desmantelamento foi concluído em maio de 1960. Em 1984, uma permanente"Empreendimento A exposição "foi dedicada no Naval Aviation Museum, Naval Air Station Pensacola, Flórida, para abrigar artefatos, fotos e outros itens de interesse histórico.

Sobrevivendo Empreendimento artefatos incluem o sino do navio, que reside na Academia Naval dos EUA, [40] onde é tradicionalmente tocado apenas após as vitórias dos aspirantes a West Point e a placa de identificação de uma tonelada e dezesseis pés (4,9 m) da popa do navio, que fica perto de um parque da Little League em River Vale, New Jersey. [41] Sua placa de comissionamento e uma de suas âncoras estão em exibição no Washington Navy Yard em Washington, D.C.

Sucessores de Empreendimento Editar

O nome foi revivido em fevereiro de 1958, quando o primeiro porta-aviões nuclear do mundo foi considerado o oitavo Empreendimento este navio foi comissionado em novembro de 1961. Também apelidado de "Big E", vários artefatos e lembranças foram mantidos a bordo de seu antecessor. Os orifícios de bombordo na cabine de bombordo do capitão e na sala de conferências são apenas um exemplo. Ela foi desativada e retirada de serviço em 1 de dezembro de 2012, após estar na frota por 51 anos. Devido a considerações decorrentes da remoção do reator, ela não pode ser transformada em um memorial. Em sua inativação, foi anunciado que o nono navio a levar o nome Empreendimento seria o planejado Gerald R. Fordporta-aviões de classe, CVN-80. [42] Não foi confirmado quais, se houver, artefatos do USS Empreendimento (CV-6) será incorporado a este porta-aviões de próxima geração, embora uma cápsula do tempo contendo lembranças de ambos CV-6 e CVN-65 seja apresentada ao primeiro capitão do novo Empreendimento. Os orifícios de bombordo mencionados acima a bordo do CVN-65 serão removidos e devolvidos ao Boston Navy Yard Museum.


Hoje na história da Suprema Corte: 11 de agosto de 1942

11/08/1942: General John DeWitt, Comandante do Comando de Defesa Ocidental, emite ordem de exclusão. A Suprema Corte considerou que essa ordem era constitucional no caso Korematsu v. Estados Unidos.

Josh Blackman é professor de direito constitucional no South Texas College of Law Houston, acadêmico adjunto do Cato Institute e presidente do Harlan Institute. Siga-o @JoshMBlackman.

Nota do editor: Solicitamos comentários e solicitamos que sejam educados e diretos. Não moderamos ou assumimos qualquer responsabilidade por comentários, que são propriedade dos leitores que os publicam. Os comentários não representam as opiniões de Reason.com ou Reason Foundation. Nós nos reservamos o direito de excluir qualquer comentário por qualquer motivo, a qualquer momento. Denunciar abusos.

75 anos depois, seria interessante para um estudioso, fluente em japonês, examinar os arquivos japoneses e descobrir o quanto eles estavam espionando ou não estavam fazendo.

Quando a União Soviética implodiu na década de 1990 e o lançamento dos jornais de Verona em 1995, soubemos que gente como Alger Hiss era realmente culpada. E isso pareceria sob uma luz diferente se realmente houvesse uma rede de espionagem japonesa significativa na Califórnia.

Ninguém duvida que houve alguma espionagem japonesa.

Mas, assim como a (real) espionagem soviética não justificou medidas punitivas insanas que privaram os esquerdistas de seu sustento, isso não justificou jogar todos os japoneses e nipo-americanos do oeste dos Estados Unidos nas prisões.

Na verdade, também havia germano-americanos e ítalo-americanos envolvidos em espionagem. E esses foram tratados caso a caso, não por prisão em massa.


Primeiro dia de batalha: 20 de novembro de 1943

O plano de batalha altamente coordenado dos EUA em Betio contou com o tempo preciso de vários elementos-chave para ter sucesso, mas quase desde o início houve problemas. A forte turbulência do mar retardou as operações de transferência dos fuzileiros navais dos EUA para as embarcações de desembarque do lado do navio. Um ataque aéreo pré-invasão foi adiado, alterando o cronograma de outras partes do ataque. Aguardando os ataques aéreos, os navios de apoio prontos para lançar massivos bombardeios pré-invasão permaneceram em posição por mais tempo do que o esperado. Eles foram forçados a desviar do fogo cada vez mais preciso da ilha onde os defensores japoneses estavam enterrados.

Para agravar esses problemas, estava o nível da maré mais baixo do que o previsto ao redor da ilha naquela manhã. A maioria dos anftracs na primeira onda de assalto foi capaz de alcançar a praia conforme planejado, mas quase todas as embarcações de desembarque maiores e mais pesadas atrás deles se prenderam em recifes de coral expostos pela maré rasa. Os fuzileiros navais foram forçados a abandonar suas embarcações de desembarque e atravessar a água até o peito em meio ao fogo inimigo. Equipamentos preciosos, especialmente rádios, ficaram encharcados e inúteis. Muitos fuzileiros navais foram atingidos em mar aberto e os que conseguiram chegar à costa chegaram exaustos ou feridos, mal equipados e incapazes de se comunicar com as forças de apoio.

Para piorar a situação, o caminho de assalto da lagoa até a costa ficou congestionado com embarcações de desembarque desativadas e corpos ensanguentados, o que dificultou o envio de reforços. Os fuzileiros navais na praia rastejavam para frente, centímetro a centímetro, sabendo que ficar de pé ou mesmo subir ligeiramente os tornava alvos fáceis. Ao final do primeiro dia, 5.000 fuzileiros navais desembarcaram em Betio, enquanto pelo menos outros 1.500 morreram no processo.


O Exército Russo repele as Forças de Hitler: agosto de 1942 a janeiro de 1943

Em 8 de novembro de 1942, a França de Vichy rompeu relações diplomáticas com os Estados Unidos. Saiba mais sobre este e outros eventos importantes da Segunda Guerra Mundial que ocorreram durante o mês de novembro de 1942 abaixo.

Cronograma da Segunda Guerra Mundial: 5 de novembro a 11 de novembro

5 de novembro: O general Dwight Eisenhower abre o quartel-general operacional para a invasão aliada do Norte da África na ilha britânica de Gibraltar.

6 de novembro: Buscando mais uma vez uma segunda Frente Européia, Joseph Stalin reclama que os soviéticos estão lidando com uma força muito maior do Eixo, enquanto os britânicos e americanos se concentram na frente relativamente tranquila do Norte da África.

O General Douglas MacArthur chega a Port Moresby, capital da Papua Nova Guiné, para supervisionar as operações nessa esfera do Pacific Theatre.

8 de novembro: As forças aliadas pousam em seus alvos no norte da África, com Argel capitulando quase imediatamente. Os EUA e a Grã-Bretanha planejam usar o norte da África ocupado como base para o lançamento de operações contra o sul da Europa.

A França de Vichy anuncia o rompimento dos laços diplomáticos com os Estados Unidos após a invasão do norte da África francesa.

9 de novembro: Unidades dos exércitos alemão e italiano ocupam a Tunísia sem oposição dos colonialistas franceses.

10 de novembro: Em um discurso na Mansion House cobrindo a vitória da Grã-Bretanha sobre Erwin Rommel, Winston Churchill disse: “Este não é o fim. Não é nem o começo do fim. Mas talvez seja o fim do começo. & Quot

Todo o tráfego de entrada e saída de um dos portos mais movimentados do mundo cessa por dois dias, quando se descobre que os alemães nazistas minaram as águas do porto de Nova York.

11 de novembro: Adolf Hitler termina o armistício entre a França Livre e a França de Vichy, ocupando todo o país ao norte da Riviera.

A cidade marroquina de Casablanca cai nas mãos dos Aliados.

Manchetes da Segunda Guerra Mundial

Abaixo estão mais detalhes que descrevem os eventos da Segunda Guerra Mundial, incluindo a Batalha das Ilhas de Santa Cruz.

Lutas de casa em casa acontecem entre alemães nazistas e soviéticos: A tática soviética de & quothugging & quot - manter seus soldados perto ou mesmo misturados com o inimigo - anulou a superioridade aérea e de artilharia nazista. Isso reduziu a guerra a combates de casa em casa, que os alemães nazistas chamavam Rattenkrieg (guerra de ratos). In October 1942, a Nazi German officer wrote, "We have fought for fifteen days for a single house with mortars, grenades, machine guns and bayonets." He added that the battlefront had become "a corridor between burnt-out rooms" or "a thin ceiling between two floors."

Battle of the Santa Cruz Islands: Above, a Japanese torpedo plane approaches the battleship USS Dakota do Sul during the Battle of the Santa Cruz Islands. The battle on October 25, 1942, stemmed from a Japanese plan to use carrier aircraft to support a ground attack on Henderson Field on Guadalcanal (which, along with the Santa Cruz Islands, was part of the Solomon Islands).

The Santa Cruz engagement pitted two U.S. carriers and support ships against four Japanese carriers and their support. U.S. pilots damaged two enemy carriers and a cruiser, but the carrier USS Hornet and a destroyer were sunk in the exchange.

The Japanese claimed a tactical victory, but their failure to crush U.S. naval forces in the Solomons left the strategic advantage with the Americans. Indeed, Japanese losses in precious first-line aircrews made the battle a far greater Japanese defeat than Midway.

The dependable Curtiss P-40s fly with Allied forces: The Curtiss P-40 won international fame in late 1941 when the "Flying Tigers," American-

manned versions painted with shark teeth, fought the Japanese in China. P-40 fighters were built in the United States and flew with virtually every Allied air force. They proved valuable in France and with the RAF over the North African desert, and they shot down Japanese aircraft at Pearl Harbor in December 1941. Though not especially fast, they were stable and tough. More than 14,000 were built, and numerous versions and designations existed, including Hawk, Mohawk, Tomahawk, Kittyhawk, and, most commonly, Warhawk.

Lewis Burwell Pullerbecomes most decorated Marine: Lieutenant General Lewis Burwell Puller was the most decorated Marine in U.S. history. He received five Navy Crosses, a decoration second only to the Medal of Honor. Nicknamed "Chesty" on account of his barrel chest, Puller was a gruff, no-nonsense warrior. Shown a new-model flamethrower, he is said to have growled, "Where do you put the bayonet?" Puller earned his third Navy Cross when his outnumbered battalion fought off a Japanese attempt to seize Henderson Field on the night of October 24-25, 1942, and he earned a fourth for the Cape Gloucester campaign. Puller earned his fifth Navy Cross for heroism during the Korean War. He retired in 1955.

The Persian Corridor opens up supply line to Soviets: The Soviet Union and the British government became allies following the Nazi German invasion of the USSR. The Soviets were in desperate need of supplies, but a secure supply line had to be opened. They chose the newly completed Trans-Iranian Railway as the Persian Corridor to open the supply line from the Persian Gulf to the Soviet Union. Necessary permissions were secured from Iraq and Iran to use the corridor. Once the United States entered the war, it sent troops to guard and maintain the railway.

Find out about the other key World War II events of November 1942 on the next page.


Outbreak of World War II (1939)

In late August 1939, Hitler and Soviet leader Joseph Stalin signed the German-Soviet Nonaggression Pact, which incited a frenzy of worry in London and Paris. Hitler had long planned an invasion of Poland, a nation to which Great Britain and France had guaranteed military support if it were attacked by Germany. The pact with Stalin meant that Hitler would not face a war on two fronts once he invaded Poland, and would have Soviet assistance in conquering and dividing the nation itself. On September 1, 1939, Hitler invaded Poland from the west two days later, France and Britain declared war on Germany, beginning World War II.

Em 17 de setembro, as tropas soviéticas invadiram a Polônia pelo leste. Under attack from both sides, Poland fell quickly, and by early 1940 Germany and the Soviet Union had divided control over the nation, according to a secret protocol appended to the Nonaggression Pact. Stalin’s forces then moved to occupy the Baltic States (Estonia, Latvia and Lithuania) and defeated a resistant Finland in the Russo-Finish War. During the six months following the invasion of Poland, the lack of action on the part of Germany and the Allies in the west led to talk in the news media of a “phony war.” At sea, however, the British and German navies faced off in heated battle, and lethal German U-boat submarines struck at merchant shipping bound for Britain, sinking more than 100 vessels in the first four months of World War II.


Descubra mais

Unauthorised Action: Mountbatten and the Dieppe Raid by Brian Loring Villa (Oxford University Press, 1989)

Canada at Dieppe by T Murray Hunter (Canadian War Museum, Ottawa, 1982)

Official History of the Canadian Army in the Second World War: Vol 1, Six Years of War by CP Stacey (Ottawa, 1966)

The Commandos 1940-1946 by Charles Messenger (William Kimber, 1985)

March Past by Lovat, the Lord (Weidenfeld & Nicolson, 1978)

The Green Beret: The Story of the Commandos 1940-1945 by Hilary St George Saunders (Michael Joseph, 1949)

Comando by Peter Young (Macdonald, 1970)


1. Germany Repelled on Two Fronts

WATCH: The Lasting Impact of War

After storming across Europe in the first three years of the war, overextended Axis forces were put on the defensive after the Soviet Red Army rebuffed them in the brutal Battle of Stalingrad, which lasted from August 1942 to February 1943. The fierce battle for the city named after Soviet dictator Joseph Stalin resulted in nearly two million casualties, including the deaths of tens of thousands of Stalingrad residents.

As Soviet troops began to advance on the Eastern Front, the Western Allies invaded Sicily and southern Italy, causing the fall of Italian dictator Benito Mussolini’s government in July 1943. The Allies then opened a Western Front with the amphibious D-Day invasion of Normandy on June 6, 1944. After gaining a foothold in northern France, Allied troops liberated Paris on August 25 followed by Brussels less than two weeks later.


11 August 1942 - History

BRITISH and OTHER NAVIES DAY-BY-DAY

Main contents by Month, with Warship Summaries (right)

Admiralty War Diaries (links to separate War Diaries section)

these outlines can be expanded in part from the following War Diaries:




Reading Notes

1. Royal Navy (above) includes Dominion and Indian Navy ships

2. Ships lost are in BOLD

3 Whenever possible in the loss of a warship or a merchant ship, the ship responsible for the rescue of survivors of the crew is shown. However, when no rescue ship is shown, this does not infer that there were no survivors, but merely that no information is available.

4 When fully edited, naval events and their locations are listed in the approximate order - Western and mid-Atlantic, Arctic, British Home Waters, NW Europe, Mediterranean, Central and South Atlantic, Indian Ocean, Pacific Ocean .

5. In the case of the positions of attacked and sunken ships, frequently you will find a discrepancy between the reported location radioed in haste by the attacked vessel and the location given by the attacking submarine. This variation could be many miles. We have attempted to resolve this issue, as much as possible, by giving geographic location as well as latitude and longitude.

6 All warships and convoys are British and Dominion unless otherwise identified.

7. Times given in the text are Greenwich Mean Time.

8. Ships are listed in the order given in the original source documents.

9. Royal and Dominion Navy officers lost in action are in order of seniority by rank as listed in the Navy List but with regular Royal Navy first, then RNR, followed by RNVR. In this manner a Commander RNVR was technically junior to a Sub Lieutenant RN

10 . German destroyer names and longer Italian ship names are generally given in full when first listed in an operation, but abbreviated afterwards with the last name only e.g. LEBERECHT MAAS will appear as MAAS , etc.

11. Merchant ship tonnages are British Registered Tons per Lloyds Register, abbreviated to grt.

12. British east coast convoys between Southend and Methil and later only the Tyne were FN and FS convoys, respectively. On 20 February 1940, Commander-in-Chief Rosyth ordered that the hundreds be omitted in the numbering of future convoys. To avoid confusion, the convoys are shown by their actual number: ie FS.3 is listed as FS.203. The actual "centuries" for the period 1940-42 are as follows:

Comboio

FN sailed

FS sailed

101

23 Feb 40

20 Feb 40

201

21 Jun 40

21 Jun 40

301

6 Oct 40

5 Oct 40

401

5 Feb 41

31 Jan 41

501

3 Aug 41

28 May 41

601

10 Jan 42

21 Sep 41

701

6 May 42

16 Jan 42

13. Equivalent ranks in British & Dominion, French, German and United States Navies:

britânico

francês

alemão

Estados Unidos

Capitão

(Capt)

Capitaine de Vaisseau (CV)

Kapitan zur See

(KptzS)

Capitão

(CAPT)

Comandante

(Cdr)

Capitaine de Fregate

(CF)

Fregatten Kapitan

(FKpt)

Comandante

(CDR)

Lieutenant Commander (Lt Cdr)

Capitaine de Corvette

(CC)

Korvetten Kapitan

(KKpt)

Tenente Comandante (LCDR)

Tenente

(Lt)

Lieutenant de Vaisseau

( LV )

Kapitainleutnant

(Kptlt)

Tenente

(LT)

Sub Lieutenant

(Sub Lt)

Ensigne

(ENS)

Oberleutnat zur See

(OzS)

Lieutenant Junior Grade (LT/JG)



Fundo

by Don Kindell, Sydney, Ohio, USA

In the past, a reader would have to read dozens of books to get even a small amount of data on the early operations of the Royal Navy. This volume is a compilation of thousands of sources, official and unofficial, published and unpublished. These include, to name just a few: Navy Lists, Pink Lists, Red Lists, Admiralty Officer and Rating Death Ledgers, War Diaries, including the Admiralty War diary, as well ships logs and reports of proceedings etc, of the Home Fleet, Rosyth, Destroyers, Submarines, Northern Patrol, South Atlantic, Indian Ocean, Far East.

It is not that every activity, every ship is included. However, a thorough outline of early war activities is presented and will give the reader an idea of just how sweeping and continuous the Royal Navy's activities were. It will also give the serious student a base and hopefully clues for further research.

Some errors will exist. After extensive research, gaps and discrepancies persist despite considerable lengths to resolve them. The years past and destruction or loss of a great many official records and logs make some points impossible to resolve.

The real credit goes to the late Commander W. Edward May, R.N. (retired), Janice Kay, Mary Z. Pain, Allen Cooper, the late Commander Charles M. Stuart, R.N. (retired), CDR Arnold Hague, RNR (retired), and Ken Thomas who gave me innumerable hours at the Public Record Office in Richmond, the late John Burgess and Ken MacPherson for their work on the Canadian Navy and their help and friendship, J. David Brown, Christopher Page, Arnold Hague, Kate Tildersley, Jenny Wraight, and Robert M. Coppock who gave assistance beyond numeration, George Ransome of Old Traffod with his splendid collection of scrapbooks and papers, Pat Best of the Flesh Public Library of Piqua, Ohio, where it all started, and countless others who I hope will not be offended by my not naming them specifically their assistance invaluable but space prohibits inclusion of them all.

This is the first of two volumes of work (and eventual book), the culmination of a project begun in the 1970s and covering some 4000 pages of text. It started because of my interest in the Royal Navy and its operations in the Second World War. I was always dismayed to find so many sources would mention an operation and a movement describing the forces as cruisers and destroyers or three destroyers. It was always important to me to find which ships were specifically involved.

In this research work, you will find a very continuous flow of operations, many times giving ships day to day activity. My love was always the destroyers and I have tried to include everything of note, and frequently not of note, that involved them. Of course, the main thrust you will find is the Home Fleet and the Mediterranean Fleet, but every theatre is covered to the extent it could be researched.

The Fleet lists for August 1939, September 1939 and 10 June 1940 give Commanding Officers of the respective commands and ships, organizations, and locations of the ships for not only British forces, but German, Italian, and USN.

Lost or damaged ships are given with Officers killed named and the ratings shown as number killed or missing. Flight crews of Fleet Air Arm aircraft killed or missing are also named.

Looking back, I have said that years ago I would have given anything to have a fraction of information. Here it is for you to study and enjoy.

This work is dedicated to those who have done so much and have gone ahead:


Assista o vídeo: El Diario de Ana Frank - Agosto de 1942 (Dezembro 2021).