A história

Linha do tempo do livro de Amos

Linha do tempo do livro de Amos


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Resumo do Livro de Amos

Autor: Amós 1: 1 identifica o autor do Livro de Amós como o Profeta Amós.

Data da Escrita: O Livro de Amós provavelmente foi escrito entre 760 e 753 a.C.

Objetivo da Escrita: Amos é um pastor e apanhador de frutas da aldeia de Tekoa, na Judéia, quando Deus o chama, embora não tenha educação ou formação sacerdotal. A missão de Amos é dirigida a seu vizinho ao norte, Israel. Suas mensagens de condenação iminente e cativeiro para a nação por causa de seus pecados são em grande parte impopulares e ignoradas, no entanto, porque desde os dias de Salomão os tempos não foram tão bons em Israel. O ministério de Amós ocorre enquanto Jeroboão II reina sobre Israel e Uzias reina sobre Judá.

Amós 2: 4, "Isto é o que o Senhor diz: 'Por três pecados de Judá, sim, por quatro, eu não voltarei [a minha ira]. Porque eles rejeitaram a lei do Senhor e não guardaram os seus decretos, porque foram desencaminhados por falsos deuses, os deuses que seus ancestrais seguiram. "

Amós 3: 7, "Certamente o Soberano SENHOR nada faz sem revelar o Seu plano aos Seus servos, os profetas."

Amós 9:14, "Eu trarei de volta o meu povo exilado Israel, eles reconstruirão as cidades arruinadas e viverão nelas. Eles plantarão vinhas e beberão seu vinho, farão jardins e comerão seus frutos."

Sumário breve: Amos pode ver que por baixo da prosperidade e do poder externos de Israel, internamente a nação é corrupta até o âmago. Os pecados pelos quais Amós castiga o povo são extensos: negligência da Palavra de Deus, idolatria, adoração pagã, ganância, liderança corrompida e opressão dos pobres. Amós começa pronunciando um julgamento sobre todas as nações vizinhas, depois sobre sua própria nação de Judá e, finalmente, o julgamento mais severo é dado a Israel. Suas visões de Deus revelam a mesma mensagem enfática: o julgamento está próximo. O livro termina com a promessa de Deus a Amós de restauração futura do remanescente.

Prenúncios: O livro de Amós termina com uma promessa gloriosa para o futuro. “'Plantarei Israel na sua própria terra, para nunca mais ser arrancado da terra que lhes dei', diz o Senhor vosso Deus” (9:15). O cumprimento final da promessa de terra de Deus a Abraão (Gênesis 12: 7 15: 7 17: 8) ocorrerá durante o reinado milenar de Cristo na terra (ver Joel 2: 26,27). Apocalipse 20 descreve o reinado de mil anos de Cristo na terra, um tempo de paz e alegria sob o governo perfeito do próprio Salvador. Naquela época, o crente Israel e os cristãos gentios serão combinados na Igreja e viverão e reinarão com Cristo.

Aplicação prática: Às vezes pensamos que somos "apenas um"! Somos apenas um vendedor, um fazendeiro ou uma dona de casa. Amos seria considerado um "justo". Ele não era um profeta ou sacerdote ou filho de nenhum dos dois. Ele era apenas um pastor, um pequeno empresário em Judá. Quem o ouviria? Mas, em vez de dar desculpas, Amós obedeceu e se tornou a voz poderosa de Deus para a mudança.

Deus usou pessoas comuns como pastores, carpinteiros e pescadores em toda a Bíblia. O que quer que você seja nesta vida, Deus pode usar você. Amos não era muito. Ele era um "justo". Servo "justo" de Deus. É bom ser o "justo" de Deus.


Trei Assar (Doze Profetas): Livro de Amos

Capítulo 1

1: 1 Palavras de Amós, que estava entre os pastores de Tecoa, as quais viu a respeito de Israel nos dias de Uzias, rei de Judá, e nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel, dois anos antes do terremoto.

1: 2 E ele disse: O Senhor rugirá de Sião, e fará ouvir a sua voz de Jerusalém, e as moradas dos pastores prantearão, e o cume do Carmelo secará.

1: 3 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Damasco, sim, por quatro, não retirarei o castigo, porque debulharam Gileade com debulhador de ferro. 1: 4 Mas enviarei fogo à casa de Hazael , que deve devorar os palácios de Benhadad.

1: 5 Também quebrarei o travessão de Damasco, e exterminarei o habitante da planície de Áven, e o que tem o cetro desde a casa do Éden; e o povo da Síria irá para o cativeiro a Quir, diz o Senhor .

1: 6 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Gaza, sim, não retirarei o castigo, porque levaram cativo todo o cativeiro, para os entregar a Edom: 1: 7 Mas enviarei um fogo sobre o muro de Gaza, que devorará os seus palácios. 1: 8 E arrancarei de Asdode o habitante, e de Asquelom aquele que segura o cetro, e voltarei a minha mão contra Ecrom, e o resto dos filisteus perecerá, diz o Senhor DEUS.

1: 9 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Tiro e por quatro, não retirarei o castigo, porque entregaram todo o cativeiro a Edom, e não se lembraram do pacto fraternal: 1:10 Mas enviarei um fogo na parede de Tyrus, que devorará os palácios dela.

1:11 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Edom, sim, por quatro: não retirarei o castigo, porque perseguiu a seu irmão à espada, e rejeitou toda a piedade, e a sua ira se dilacerou perpetuamente, e guardou para sempre a sua ira: 1:12 Mas enviarei um fogo sobre Teman, que devorará os palácios de Bozra.

1:13 Assim diz o Senhor: Por três transgressões dos filhos de Amom, sim, por quatro, não retirarei o castigo, porque rasgaram as mulheres com os filhos de Gileade, para dilatarem os seus termos: 1:14 Mas eu acenderei um fogo no muro de Rabá, e ele devorará os seus palácios, com alarido no dia da batalha, com tempestade no dia do redemoinho: 1:15 E o seu rei irá para o cativeiro, ele e os seus príncipes juntamente, diz o Senhor.

Capítulo 2

2: 1 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Moabe, sim, por quatro, não retirarei o castigo, porque ele queimou os ossos do rei de Edom. 2: 2 Mas enviarei um fogo sobre Moabe, e devorará os palácios de Quiriot; e Moabe morrerá com alvoroço, com alarido e com som de trombeta. 2: 3 E arrancarei o juiz do meio dela, e matarei todos os seus príncipes com ele, diz o Senhor.

2: 4 Assim diz o Senhor Por três transgressões de Judá, e por quatro, não retirarei o castigo, porque desprezaram a lei do Senhor e não guardaram os seus mandamentos, e as suas mentiras os fizeram errar. segundo as quais seus pais caminharam: 2: 5 Mas enviarei um fogo sobre Judá, e ele devorará os palácios de Jerusalém.

2: 6 Assim diz o Senhor Por três transgressões de Israel, sim, por quatro, não retirarei o castigo, porque venderam os justos por prata, e os pobres por um par de sapatos. 2: 7 Os que ofegam o pó de a terra sobre a cabeça dos pobres, e desvie o caminho dos mansos; e um homem e seu pai entrarão na mesma moça, para profanar o meu santo nome; 2: 8 e deitar-se-ão sobre vestes postas a penhorem por cada altar, e eles bebem o vinho dos condenados na casa de seu deus.

2: 9 Ainda assim, destruí o amorreu diante deles, cuja altura era como a altura dos cedros, e ele era forte como os carvalhos, mas destruí seu fruto de cima, e suas raízes de baixo.

2:10 Também vos fiz subir da terra do Egito e quarenta anos vos guiei no deserto, para que possuísseis a terra dos amorreus.

2:11 E dentre vossos filhos suscitei profetas, e dentre os vossos jovens nazireus. Não é assim mesmo, ó filhos de Israel? diz o Senhor.

2:12 Mas vós aos nazireus destes vinho a beber, e ordenastes aos profetas, dizendo: Não profetizes.

2:13 Eis que estou pressionado debaixo de vocês como um carro movido a ferro cheio de feixes.

2:14 Portanto o vôo perecerá desde o ligeiro, e o forte não fortalecerá a sua força, nem o poderoso se livrará: 2:15 Tampouco suportará o que maneja o arco, e o que é de pé ligeiro não se livrará : nem o que monta no cavalo se livrará.

2:16 E o que é corajoso entre os valentes fugirá nu naquele dia, diz o Senhor.

Capítulo 3

3: 1 Ouvi esta palavra que o Senhor falou contra vós, ó filhos de Israel, contra toda a família que fiz subir da terra do Egito, dizendo: 3: 2 Só vós conhecestes de todas as famílias da terra : portanto, vou puni-lo por todas as suas iniqüidades.

3: 3 Podem dois andar juntos, a menos que estejam de acordo? 3: 4 Rugirá o leão no bosque, sem ter presa? gritará um leãozinho da sua cova, se nada tiver levado? 3: 5 Cairá o pássaro no laço em terra, se não lhe trouxer gim? Será que alguém pegará um laço da terra e nada terá apanhado? 3: 6 Porventura tocará a trombeta na cidade, sem que o povo tenha medo? Haverá mal na cidade, sem que o Senhor o tenha feito? 3: 7 Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, mas ele revela o seu segredo aos seus servos, os profetas.

3: 8 Rugiu o leão; quem não temerá? o Senhor DEUS falou, quem pode senão profetizar? 3: 9 Publicai nos palácios de Asdode, e nos palácios da terra do Egito, e dizei: Reuni-vos sobre os montes de Samaria, e vede os grandes tumultos no meio deles, e os oprimidos no meio deles.

3:10 Porque não sabem fazer o que é justo, diz o Senhor, os que acumulam violência e roubo nos seus palácios.

3:11 Portanto assim diz o Senhor DEUS. Um adversário rodeará a terra, derrubará de ti a tua força, e os teus palácios serão destruídos.

3:12 Assim diz o Senhor, como o pastor tira da boca do leão duas pernas, ou um pedaço de uma orelha, assim serão tirados os filhos de Israel que habitam em Samaria, no canto da cama, e em Damasco em um sofá.

3:13 Ouvi, e testificai na casa de Jacó, diz o Senhor DEUS, o Deus dos exércitos, 3:14 Que no dia em que visitarei as transgressões de Israel sobre ele, também visitarei os altares de Betel. e as pontas do altar serão cortadas e cairão por terra.

3:15 E ferirei a casa de inverno com a casa de verão e as casas de marfim perecerão, e as grandes casas terão fim, diz o Senhor.

Capítulo 4

4: 1 Ouvi esta palavra, vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, que oprimem os pobres, que oprimem os necessitados, e que dizem a seus senhores: Trazei e bebamos.

4: 2 O Senhor Deus jurou pela sua santidade que, eis que dias virão sobre ti em que ele te levará com anzóis, e a tua posteridade com anzóis.

4: 3 E saireis pelas brechas, cada vaca que estiver diante dela, e as lançareis no palácio, diz o Senhor.

4: 4 Vem a Betel, e transgridem em Gilgal, multiplicai as transgressões e trazeis os vossos sacrifícios todas as manhãs, e os vossos dízimos depois de três anos: 4: 5 E oferecei um sacrifício de ação de graças com fermento, e proclamai e publicamos as ofertas gratuitas: por este exemplo vós, ó filhos de Israel, diz o Senhor DEUS.

4: 6 Também vos dei limpeza de dentes em todas as vossas cidades, e falta de pão em todos os vossos lugares; contudo não vos convertestes a mim, diz o Senhor.

4: 7 E também retive de vós a chuva, quando faltavam ainda três meses para a ceifa; e fiz chover sobre uma cidade, e não fiz chover sobre outra cidade; choveu um pedaço, e a peça sobre a qual choveu não murcha.

4: 8 E erraram duas ou três cidades na mesma cidade, para beber água, mas não se fartaram; contudo não tornastes a mim, diz o Senhor.

4: 9 feri-vos com ferrugem e ferrugem; quando os vossos jardins, as vossas vinhas, as vossas figueiras e as vossas oliveiras aumentaram, a lagarta os devorou; contudo não vos tornastes a mim, diz o Senhor.

4:10 Mandei entre vós a peste, segundo o costume do Egito; vossos mancebos matei à espada, e tirei os vossos cavalos, e fiz subir até as vossas narinas o fedor dos vossos acampamentos; não voltastes a mim, diz o Senhor.

4:11 Eu derrubei alguns de vós, como Deus destruiu Sodoma e Gomorra, e fostes como um incendiário tirado do fogo; contudo não tornastes a mim, diz o Senhor.

4:12 Portanto assim te hei de fazer, ó Israel; e porque isso te hei de fazer, prepara-te para encontrar o teu Deus, ó Israel.

4:13 Pois eis que aquele que forma os montes, e cria o vento, e anuncia ao homem qual é o seu pensamento, que faz as trevas da manhã, e anda sobre as alturas da terra, o Senhor, o Deus dos exércitos , é o nome dele.

Capítulo 5

5: 1 Ouvi esta palavra que levanto contra vós, a saber, uma lamentação, ó casa de Israel.

5: 2 Caiu a virgem de Israel, não se levantará mais; foi abandonada na sua terra; não há quem a ressuscite.

5: 3 Pois assim diz o Senhor DEUS: A cidade da qual saem mil terá uma margem de cem, e aquela da qual saem cem deixará dez, para a casa de Israel.

5: 4 Pois assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me, e vivereis. 5: 5 Mas não busqueis Betel, nem entres em Gilgal, e não passes a Berseba; porque Gilgal certamente irá para o cativeiro, e Betel virá a nada.

5: 6 Buscai ao Senhor, e vivereis, para que ele não irrompa como fogo na casa de José, e a devore, e não haverá quem a apague em Betel.

5: 7 Vós que transformais o juízo em absinto, e deixais a justiça na terra, 5: 8 Buscai aquele que faz as sete estrelas e Órion, e converte a sombra da morte na manhã, e escurece o dia com a noite; clama pelas águas do mar, e as derrama sobre a face da terra. O SENHOR é o seu nome: 5: 9 que fortalece o despojado contra o forte, de modo que o despojado contra a fortaleza.

5:10 Aborrecem o que repreende na porta, e abominam o que fala com retidão.

5:11 Portanto, visto que pisais o pobre, e dele tomais fardos de trigo; edificastes casas de pedra lavrada, mas não habitareis nelas, plantastes vinhas agradáveis, mas não bebereis o vinho de eles.

5:12 Pois eu conheço as tuas múltiplas transgressões e os teus grandes pecados: eles afligem os justos, aceitam suborno e desviam os pobres da sua direita na porta.

5:13 Portanto o prudente guardará silêncio naquele tempo, porque o tempo é mau.

5:14 Buscai o bem, e não o mal, para que vivais; e assim o Senhor, o Deus dos exércitos, estará convosco, como dizeis.

5:15 Odeie o mal, ame o bem, e estabeleça a justiça na porta; pode ser que o Senhor Deus dos exércitos tenha misericórdia do resto de José.

5:16 Portanto o Senhor, o Deus dos exércitos, o Senhor, diz assim Choro por todas as ruas, e eles dirão por todos os caminhos: Ai! ai de mim! e chamarão ao lavrador para lamentar, e os que são hábeis em lamentação para lamentar.

5:17 E em todas as vinhas haverá pranto; porque passarei pelo meio de ti, diz o Senhor.

5:18 Ai de vós que desejam o dia do Senhor! para que fim é para você? o dia do Senhor são trevas e não luz.

5:19 Como se um homem fugisse de um leão, e uma ursa lhe saísse ao encontro, ou entrasse em sua casa, e apoiasse sua mão na parede, e uma serpente o mordesse.

5:20 Não será o dia do Senhor trevas e não luz? mesmo muito escuro, e sem brilho nele? 5:21 Odeio, desprezo as vossas festas e não sentirei o cheiro nas vossas assembleias solenes.

5:22 Ainda que me ofereçais holocaustos e as vossas ofertas de cereais, não os aceitarei; nem considerarei as ofertas pacíficas dos vossos animais gordos.

5:23 Afasta de mim o ruído das tuas canções, porque não ouvirei a melodia das tuas violas.

5:24 Corra, porém, o juízo como as águas, e a justiça como um ribeiro poderoso.

5:25 Oferecestes-me sacrifícios e ofertas no deserto quarenta anos, ó casa de Israel? 5:26 Mas vós levastes o tabernáculo de vosso Moloch e Chiun, vossas imagens, a estrela de vosso deus, que fizestes para vós.

5:27 Portanto vos farei ir em cativeiro para além de Damasco, diz o Senhor, cujo nome é o Deus dos exércitos.

Capítulo 6

6: 1 Ai dos que estão sossegados em Sião, e confiam no monte de Samaria, que são considerados chefes das nações, aos quais veio a casa de Israel! 6: 2 Passai a Calne, e vede, e dali ide à grande Hamate; depois descei a Gate dos filisteus; serão eles melhores do que estes reinos? ou a fronteira deles é maior do que a sua? 6: 3 Vós que afastais o dia mau, e fazeis que se aproxime o assento da violência 6: 4 que se deitam sobre camas de marfim, e se estendem sobre os seus leitos, e comem os cordeiros do rebanho e os bezerros do meio do estábulo 6: 5 que cantam ao som da viola, e inventam para si instrumentos musicais, como Davi 6: 6 que bebem vinho em taças, e se ungem com os principais ungüentos; entristecido pela aflição de Joseph.

6: 7 Portanto agora irão cativos com os primeiros que forem cativos, e o banquete dos que se estendem será removido.

6: 8 O Senhor Deus jurou por si mesmo, diz o Senhor Deus dos exércitos: Eu abomino a excelência de Jacó, e odeio os seus palácios; por isso entregarei a cidade com tudo o que nela há.

6: 9 E acontecerá que, se houver dez homens em uma casa, eles morrerão.

6:10 E o tio de um homem o levará, e aquele que o queimar, para tirar os ossos da casa, e dirá ao que está pelas paredes da casa: Ainda há alguém contigo? e ele dirá: Não. Então dirá: Cala-te, porque não podemos fazer menção do nome do Senhor.

6:11 Pois eis que o Senhor ordena, e ferirá a grande casa com brechas, e a casinha com fendas.

6:12 Devem os cavalos correr sobre a rocha? lavrar-se-á ali com bois? porque convertestes o juízo em fel, e o fruto da justiça em cicuta. 6:13 Vós que vos alegrais com o nada, que dizeis: Não nos tomamos nós chifres por nossa própria força? 6:14 Mas eis que levantarei contra vós uma nação, ó casa de Israel, diz o Senhor Deus dos exércitos, e eles vos afligirão desde a entrada de Hemat até o rio do deserto.

Capítulo 7

7: 1 Assim me mostrou o Senhor Deus e eis que formava gafanhotos no princípio do rebentar da erva serôdia e, eis que era a erva serôdia depois da segada do rei.

7: 2 E aconteceu que, acabando de comer a erva da terra, disse eu: Senhor Deus, perdoa-te, peço-te; por quem se levantará Jacó? pois ele é pequeno.

7: 3 O Senhor se arrependeu disso; não acontecerá, diz o Senhor.

7: 4 Assim me fez o Senhor DEUS: e eis que o Senhor DEUS convocou a contender com fogo, que devorou ​​o grande abismo, e comeu uma parte.

7: 5 Então disse eu: Senhor Deus, cessa, eu te peço; por quem se levantará Jacó? pois ele é pequeno.

7: 6 O Senhor se arrependeu disso; também isto não acontecerá, diz o Senhor DEUS.

7: 7 Assim me fez ver: e eis que o Senhor estava sobre uma parede feita com prumo, com o prumo na mão.

7: 8 E o Senhor me disse: Que vês tu, Amós? E eu disse: Um fio de prumo. Então disse o Senhor: Eis que porei um prumo no meio do meu povo Israel; não tornarei a passar por eles: 7: 9 E os altos de Isaque ficarão desolados, e os santuários de Israel ficarão devastado e eu me levantarei contra a casa de Jeroboão com a espada.

7:10 Então Amazias, o sacerdote de Betel, enviou a Jeroboão, rei de Israel, dizendo: Amós conspirou contra ti no meio da casa de Israel; a terra não pode suportar todas as suas palavras.

7:11 Pois assim diz Amós: Jeroboão morrerá espada, e Israel certamente será levado cativo para fora da sua terra.

7:12 Também disse Amazias a Amós: Vês, vai, foge para a terra de Judá, e ali come pão, e ali profetiza; 7:13 mas nunca mais profetizes em Betel, porque é do rei capela, e é a corte do rei.

7:14 Então respondeu Amós e disse a Amazias: Eu não era profeta, nem filho de profeta, mas era pastor e colhedor de sicômoros; 7:15 E o Senhor me tomou enquanto eu seguia o rebanho, e disse-me o Senhor: Vai, profetiza ao meu povo Israel.

7:16 Agora, pois, ouve a palavra do Senhor: Tu dizes: Não profetizes contra Israel, nem fales contra a casa de Isaque.

7:17 Portanto assim diz o Senhor. Tua mulher se prostituirá na cidade, e teus filhos e tuas filhas cairão à espada, e a tua terra será repartida a cordel e tu morrerás numa terra contaminada; e Israel deve certamente irá para o cativeiro para fora de sua terra.

Capítulo 8

8: 1 Assim me fez o Senhor DEUS: e eis um cesto de frutas do verão.

8: 2 E ele disse: Que vês tu, Amós? E eu disse: Uma cesta de frutas de verão. Disse-me então o Senhor: É chegado o fim sobre o meu povo de Israel. Não tornarei a passar por ele.

8: 3 E os cânticos do templo serão uivos naquele dia, diz o Senhor DEUS; muitos haverá muitos cadáveres em todo lugar, eles os lançarão fora com silêncio.

8: 4 Ouvi isto, ó vós que devorais os necessitados, a fim de fazer cair os pobres da terra, 8: 5 dizendo: Quando passará a lua nova para vendermos o trigo? e o sábado, para que plantemos o trigo, diminuindo o efa, e aumentando o siclo, e falsificando as balanças com engano? 8: 6 para que possamos comprar o pobre por prata, e o necessitado por um par de sapatos, e vender o refugo do trigo? 8: 7 O Senhor jurou pela excelência de Jacó: Certamente nunca me esquecerei de nenhuma de suas obras.

8: 8 Não estremecerá a terra por causa disso, e não pranteará todo aquele que nela habita? e ela se levantará inteiramente como um dilúvio e será lançada fora e se afogará, como pelo dilúvio do Egito.

8: 9 E acontecerá naquele dia, diz o Senhor DEUS, que farei o sol se pôr ao meio-dia, e escurecerei a terra em dia claro: 8:10 E mudarei as vossas festas em luto, e todos os seus cânticos em lamentação, e trarei pano de saco sobre todos os lombos, e calvície sobre todas as cabeças, e farei isso como o luto de um filho único, e o fim dele como um dia amargo.

8:11 Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. 8:12 E eles Andarão errantes de mar a mar, e do norte até o oriente; correrão de um lado para outro, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão.

8:13 Naquele dia as virgens formosas e os jovens desmaiarão de sede.

8:14 Os que juram pelo pecado de Samaria, e dizem: Vive o teu deus, ó Dã, e: Vive a maneira de Berseba, mesmo eles cairão e nunca mais se levantarão.

Capítulo 9

9: 1 Vi o Senhor em pé sobre o altar; e disse: Fere a verga da porta, para que estremecem os umbrais; e corta-os na cabeça, todos eles, e matarei os últimos à espada : quem foge deles não fugirá, e quem escapar deles não será entregue.

9: 2 Ainda que cavem no inferno, de lá a minha mão os levará, ainda que subam ao céu, dali os derrubarei: 9: 3 E ainda que se escondam no topo do Carmelo, vou procurá-los e tirá-los dali, e ainda que se escondam da minha vista no fundo do mar, dali darei ordem à serpente, e ela os morderá: 9: 4 E ainda que eles vão para o cativeiro diante de seus inimigos, dali darei ordem à espada, e ela os matará; e porei os meus olhos sobre eles para o mal, e não para o bem.

9: 5 E o Senhor Deus dos exércitos é o que toca a terra, e ela se derrete, e todos os que nela habitam prantearão; e se levantará inteiramente como um dilúvio e se afogará como no dilúvio do Egito.

9: 6 É ele que edifica as suas histórias no céu, e funda as suas tropas na terra; ele é o que clama pelas águas do mar e as derrama sobre a face da terra. O Senhor é o seu nome.

9: 7 Não sois vós como filhos dos etíopes, ó filhos de Israel? diz o Senhor. Não tirei eu Israel da terra do Egito? e os filisteus de Caftor e os sírios de Quir? 9: 8 Eis que os olhos do Senhor DEUS estão sobre o reino pecaminoso, e eu o destruirei de sobre a face da terra, mas não destruirei totalmente a casa de Jacó, diz o Senhor.

9: 9 Pois, eis que darei ordem e peneirarei a casa de Israel entre todas as nações, como o grão é peneirado na peneira; todavia, nem o menor grão cairá sobre a terra.

9:10 Todos os pecadores do meu povo morrerão à espada, os quais dizem: O mal não nos alcançará nem nos impedirá.

9:11 Naquele dia levantarei o tabernáculo de Davi, que está caído, e fecharei as suas brechas, e levantarei as suas ruínas, e reedificarei como nos dias da antiguidade; 9:12 para que possam possui o resto de Edom e de todas as nações que são chamadas pelo meu nome, diz o Senhor que faz isto.

9:13 Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que o lavrador alcançará o segador, e o pisador de uvas aquele que semeia, e os montes destilarão mosto, e todos os outeiros se derreterão.

9:14 E trarei novamente o cativeiro do meu povo de Israel, e eles edificarão as cidades desertas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho; também farão jardins e comerão o fruto delas .

9:15 E os plantarei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei, diz o Senhor teu Deus.

Fontes: Direitos autorais e cópia de partes de 1997 de Benyamin Pilant, todos os direitos reservados
JPS Electronic Edition Copyright & copy 1998 por Larry Nelson, Todos os direitos reservados
Bíblia judaica

Baixe nosso aplicativo móvel para acesso móvel à Biblioteca Virtual Judaica


O que Amos significa para nós?

Pessoalmente, vejo Amos em todos os lugares. Eu acho que é um livro imensamente aplicável e realista. O que vai, volta. Causa e efeito. Mostra-nos com bastante clareza, especialmente em retrospectiva, o que a desigualdade e a injustiça têm o poder de fazer. Este não é um livro bíblico místico. Eu não falei muito sobre Deus em Amos porque você meio que não precisa. O papel de Deus nisso foi colocar Amós na posição em que ele se encontrava e abrir seus olhos. Se você leu atentamente, Deus não promete realmente ação & # 8211 Deus promete falta de ação. Israel, e mais tarde Judá, claramente dormiu na cama que eles fizeram. Deus não interveio porque em qualquer momento que Deus teve no passado, Israel levou o crédito. E não era o crédito com o qual Deus estava preocupado & # 8211 eram as ações do ego inflado que eram o problema. Se Israel assumisse o crédito pela obra de Deus, eles se consideravam mais poderosos do que eram e se tornavam gananciosos. E Amos diz claramente que se não cuidarmos de todos, no final das contas todos se machucarão. Mesmo que a elite fique feliz por um curto período de tempo. Amos é surpreendentemente descomplicado. Este não é um problema que desapareceu. É tão aplicável hoje como era então.


O CONTEXTO DO SÉCULO VIII a.C. PROFECIA: O PROFETA AMOS.

O Contexto Religioso
Sob Jeroboão II e Uzias, o templo de Jerusalém em Judá e o santuário de Betel em Israel eram centros religiosos proeminentes, locais para sacrifícios e outras ofertas. Parte da riqueza acumulada, como ouro e marfim, forneceu esses santuários. Para os profetas, no entanto, a justiça era mais importante do que os sacrifícios de culto.
Sob a vassalagem assíria, a política assíria em relação aos cultos religiosos locais era ambígua (Joseph Blenkinsopp, A History of Prophecy in Israel. p. 83). Às vezes, o culto assírio era imposto e apoiado pelo tributo anual de vassalos. Os cultos locais foram destruídos e / ou restaurados, como em 2 reis 17: 24-28. E as campanhas militares assírias foram conduzidas em nome de Ashur & # 8211deus assírio e os tratados de vassalagem, chamados de & # 8220yoke de Ashur & # 8221, foram assinados em nome de Ashur, o & # 8220 senhor de todas as terras & # 8221.
Para Israel, no entanto, a queda de Samaria não foi apenas um desastre humano, mas também um desafio teológico. Já que a guerra entre as nações humanas envolvia guerra entre suas respectivas divindades, poderia Yahweh ser derrotado por Ashur? Além disso, a perda da terra questionou a relevância da aliança com Yahweh. Para os profetas Amós e Oséias, a queda de Samaria foi uma consequência lógica das discrepâncias religiosas e sociais de Jeroboão II. Oséias, em particular, denunciou o sincretismo religioso que os negócios internacionais trouxeram para Israel, defendendo a pureza da fé. Esse sincretismo também foi observado depois de 722 AEC, quando novas pessoas foram trazidas para Samaria e misturadas com os remanescentes israelitas. Na época de Jesus, os judeus censuravam os samaritanos pela religião sincrética.
Em Judá, a queda de Samaria teve impactos religiosos e teológicos. Não devemos esquecer que o rei Ezequias iniciou uma série de reformas religiosas que Josias terminaria após descobrir o Livro da Lei do reino do norte. Ele fortificou as paredes de Jerusalém, garantiu o abastecimento de água construindo o túnel de Siloé e conduziu a purificação do Templo (Isaías 22: 9-11). Essas reformas não apenas aumentaram a importância do templo, mas também se tornaram a razão da libertação milagrosa de Jerusalém do cerco de Senaqueribe (2 reis 19: 35-37). Essa confiança no templo e na cidade seria desafiada pela invasão babilônica em 597 e 586 AEC.

O Profeta Amos e seu livro

O livro de amós
De acordo com Ceresko (Anthony R. Ceresko, Introdução ao Antigo Testamento, p.198-199), o livro de Amós pode ter sido editado em três etapas. A parte principal foi coletada por Amós ou seus discípulos da pregação de Amós em Israel por volta de 760 aC. Depois de 722 AEC, um retrabalho expandiu o livro para atender ao contexto de Judá de meados do século 7 aC (2: 4-5). A credibilidade do profeta foi justificada pela queda de Samaria. Nesse estágio, podemos identificar alguns elementos deutoronômicos (2: 4c). Um editor final no século 6 AEC, exílico tardio ou pós-exílico, revisou o livro a fim de abordar os exilados ou os recém-retornados do exílio e introduziu uma perspectiva messiânica (9: 8c-15).
Além disso, o livro de Amós pode ser dividido em três partes. Após o prólogo (1: 1), Amós começa proclamando os pecados e os julgamentos conseqüentes de cada uma das nações siro-palestinas (1: 2-2: 16). A segunda parte contém desgraças contra Israel (3: 1-6: 14). E a terceira parte do livro relata visões sobre Israel (7: 1-9: 8b) e uma nota autobiográfica do confronto com o sacerdote Amazias (7: 10-17). O livro termina com um epílogo messiânico (9: 8c-15).
Para as nações gentílicas, Amós reprova seus inúmeros crimes & # 8211 & # 8220 por três crimes de & # 8230 e por quatro & # 8221- contra a humanidade. The justice of God is universal, and not limited to Israel only. Concerning Israel, the crimes are not only humanistic, but also touch the covenant with Yahweh that requires justice and righteousness. But scholars discuss if the covenant was already codified like the actual book of Deuteronomy or was still kept as a collection of traditions (Collins, p.290).
Also, Amos criticized the religious cult of Bethel and the way exodus was understood in Israel. For him, the celebration of the experience of exodus should call forth responsibility instead of overconfidence and indifference to justice. Amos does question the real significance of the election of Israel. Yahweh is the savior of Israel as well as of all nations. In that sense, Amos continues in denouncing the social injustice, and particularly the luxury and extravagant consumerism of the ruling class (4:1-3 6:4-7). To disregard the covenant can bring only disaster, a punishment from God who is the master of history and acts in history. Therefore, according to Collins, Amos may be a “strict monotheist” who cannot resist prophesying when Yahweh speaks (Collins, p.291)
Concerning the religious cult in Bethel, Amos has nothing to say. For Amos the true religion consists in practicing justice. Religion is not about a sophisticated liturgy, nor about expensive offerings. Amos rejects liturgical music as well as animal sacrifices. “The service of God is about justice.” (Collins, p.293) Amos, hence, does not ask for a liturgical renewal, but a moral renewal. The commitment to God has to be practiced not in the sanctuary, but rather in the marketplace, where the rich cheat and exploit the poor.
Therefore, Amos sees the advent of the Lord as a day of judgment. His visions culminate in the total destruction of Israel (9:1-8b). The kingdom will be destroyed, along with its population. While, the visions are pronounced against the rich, the poor also will perish as well. Even the sanctuary of Bethel cannot not stand, since its cult is not worthy. For the postexilic editor, however, the last word of God is hope for his people. Observing the return from the Babylonian exile, the prophet projects a messianic ending and the restoration of Davidic kingship.


Haggai, Zechariah & Malachi

The last group within the Twelve Prophets is Haggai, Zechariah (especially chapters 1-8), and Malachi, all of whom prophesy after the Babylonian exile. (The history of this period, when the second Temple was being rebuilt,is described in the biblical books of Ezra and Nehemiah.) Each of the three was preoccupied with a different issue. Haggai encouraged the people to rebuild the Temple, despite their grinding poverty. Zechariah (in chapters 1-8) focused on the theme of God choosing and desiring Israel: &ldquoSing and rejoice, O daughter of Zion, behold I come and I will dwell within you, says the Lord&rdquo (Zechariah 2:14). Malachi spoke about the social and religious problems of the return to Zion: neglect of sacrifices (Malachi 1:6-14) and intermarriage (Malachi 2:11-12).

The historical setting of several passages in the Twelve Prophets are debated: Scholars argue about the dating of Habakkuk 3 and Zechariah 9-14, and it is quite probable that Zechariah 9-14 were written earlier than the time of Zechariah.

The dating of the entire book of Joel is also uncertain. Joel chapters 1-2 prophesy about a plague of locusts that would come upon the land, and urge the people to pray and repent. It is not clear if this refers to an actual plague or is a metaphor for an anticipated invasion of Judah.

Jonah

One of the Twelve Prophets stands out as unconnected to any historical event. This is the book of Jonah, also the only one to deal solely with universal themes, rather than with Israel&rsquos particular relationship with God. In chapters 1-2, Jonah attempts to escape from God&rsquos Presence through his interactions with the sailors in chapter 1, he comes to see God as the source of life, and to long for God. In chapters 3-4, Jonah confronts God&rsquos policy of reward and punishment, and is forced to undergo the experience of losing something he needs. Through this lesson, God teaches Jonah that His love for humans is overarching and that God is therefore inclined to be merciful and to prefer repentance to punishment.


Israelite Prophets Date Chart

This chart includes only the major prophetic figures of the Old Testament period. The period following 750 BC, beginning with Hosea and Amos, is often referred to as the clássico period of prophecy and those prophets as escrita profetas. Both names are somewhat inaccurate. There is not nearly as radical a break between prophets before the beginning of the "classical" period and those after as the name might imply. Also, not all of the prophets were necessarily writers. In some cases the books are a combination of the prophet's words along with later stories about the prophet as well as much later application of the prophetic message to new historical contexts. Amos is a good example of such a composite book. On the other hand, some prophetic books, such as Ezekiel, are relatively coherent indicating a great deal of unity of composition. Yet in other cases, such as the Book of Jonah, the prophet whose name appears as the title of a book had little to do with the authorship of the book, since it is a writing cerca de the prophet, his life, and message.

The dates reflect the active ministry of the prophets as determined from datable portions of the biblical accounts. Except for the Isaiah traditions, there is no attempt here to sort out the different time periods that are reflected in the prophetic books themselves (see The Unity and Authorship of Isaiah). For example, it is clear that the collection of sermons and stories from Amos underwent editing (redaction) in the Southern Kingdom after the destruction of Jerusalem in 587 BC, some 150 years after the ministry of Amos in the Northern Kingdom (Amos 9:11-15).

This simply reminds us that there is a difference between the immediate historical context of prophetic figures of the Old Testament and the historical context of the books that bear their name. The books are the products of the community of faith sometimes over many centuries as they collected, reflected upon, and used the messages brought by the prophets themselves (for a graphic of the different time frames of biblical material, see The Three Triads of Biblical Interpretation and the accompanying article, Guidelines for Interpreting Biblical Narrative). The books often bear clear evidence of this dynamic use of the prophetic traditions over a period of time, which also speaks of the ongoing vitality of the writings as God's living word to the people.

Daniel is not included here because the book is not normally considered a prophetic book, but rather part of The Writings, the reflective and devotional literature of Israel. There is little historical evidence to date the book of Joel, and it could fall anywhere between 500 BC to as late as 300 BC. o historical setting do Jonah is the Assyrian era of the 8th century BC, but many scholars place the actual writing of the book in the middle fifth century BC, shortly after Nehemiah's reforms. This suggests that the book uses much older traditions from the Assyrian era as a means to address a different set of problems in the post-exilic community.


Fact-checking the Book of Amos: There Was a Huge Quake in Eighth Century B.C.E.

It is rare to find evidence supporting the biblical narrative. Thousands of years after the event, the causes of destruction can be hard to pinpoint. War or quake are just two possibilities that spring to mind when evidence of heavy destruction is found.

While earthquakes in the Middle East and Levant are as common as flies, the ancient annals did not tend to mention them – with one glaring exception. The books of Amos, Zechariah and Ezekiel explicitly note an earthquake, which scholars agree would have been in roughly 760 B.C.E. Much later, the Roman-Jewish historian Josephus wrote in his typical hair-raising style about the same temblor and its supposed origin in the prideful King Uzziah.

Indeed, support for the biblical narrative had been found in archaeological discoveries of catastrophic destruction throughout ancient northern Israel, dating to the eighth century B.C.E. (these discoveries were made over decades by a host of researchers).

No question about it, much damage was caused by the Assyrians conquering the land and quashing fractious locals. But Israeli scientists report detecting paleo-geological signals clearly supporting the archaeological evidence.

Their conclusion is that the descriptions of earthquake in Amos and Zechariah, and elsewhere in the Bible, were true. Geology, however, had a surprise in store.

Amos speaks

& quotThe words of Amos, who was among the herdmen of Tekoa, which he saw concerning Israel in the days of Uzziah king of Judah, and in the days of Jeroboam the son of Joash king of Israel, two years before the earthquake” (Amos 1:1).

The book of Amos, which is believed to have been written in the eighth century B.C.E. with some later additions, begins with God delivering a mighty blast from Jerusalem that would wither the top of Mount Carmel 100 kilometers (62 miles) to the east and continue onto Syria, whose unhappy people “shall go into captivity unto Kir.”

Gaza was also wrecked by the deity’s wrath, said the herdsman-prophet. So was everyone else in the vicinity, including the Moabites, the Philistines, not least in Gath, and the Kingdom of Judah, punished for its usual faithlessness:

“Because they have despised the law of the Lord, and have not kept his commandments, and their lies caused them to err, after which their fathers have walked: But I will send a fire upon Judah, and it shall devour the palaces of Jerusalem” (Amos 2:4-5).

And Israel fared no better: “You only have I known of all the families of the earth: Therefore I will punish you for all your iniquities” (Amos 3:2).

Thus the wrath of the Lord was felt up and down the land, and to its left and right too – which in and of itself supports the postulation that if some hell befell the region, it was a major earthquake. Or, in fact, two.

Ancient Gath Philippe Bohstrom

King Uzziah waxes proud

The Bible isn’t taken literally by most people anymore, certainly not in the case of far-out tales like Jonah being swallowed whole by a sea-creature and surviving the trauma.

But parts of the biblical narrative seem to be based on memories of traumatic events. Amos was written contemporarily with the events. Zechariah was written later, somewhere between the sixth to fourth centuries B.C.E. He also mentions a temblor in the time of King Uzziah, who is thought to have ruled from 787 to 736 B.C.E.

While Amos and Zechariah focused on aspects of evil, as usual Josephus delved into startling detail, starting with Uzziah waxing extremely successful, which made him cocky. One day the king went to the Temple – the first one, Solomon’s Temple – and insisted on offering incense to God himself, rather than via the priests, who begged him to desist. He threatened to kill them, and then:

a great earthquake shook the ground, and a rent was made in the temple, and the bright rays of the sun shone through it and fell upon the King’s face insomuch that the leprosy seized upon him immediately. And before the city, at a place called Eroge, half the mountain broke off from the rest on the west” – Josephus, “Antiquities of the Jews, Book IX 10:4

OK. Prof. Wolfgang Zwickel of the University of Mainz helpfully points out a key archaeological clue to quake versus enemy action. In the case of war, Zwickel says, destruction layers wouldn’t necessarily be everywhere. Cities that submissively opened their gates to the marauder would be spared. But if all the cities in a large area evince destruction levels, the likelihood is quake.

Evidence of catastrophe in eighth-century B.C.E. northern Israel is legion. A destruction layer at Hazor was dated by Israel Finkelstein and Yigal Yadin to 760 B.C.E., the right time frame for Amos. At Lachish, David Ussishkin found a destruction level from the same time. Acre also has a similar layer dating to the mid-eighth century B.C.E. that, Zwickel points out, could have been courtesy of the Assyrians or quake.

Relevo assírio representando guerreiros montados em cavalos, século VIII a.C. Do palácio de Assurbanipal em Nineveh De Agostini / Getty Images

Moving onto Megiddo (which the Christians call Armageddon), the archaeologists describe “tilted walls and pillars, bent and warped walls, fractured building stones, dipping floors, liquefied sand, mudbrick collapse and burnt remains” (Shmuel Marco and Israel Finkelstein of Tel Aviv University, with Amotz Agnon of Hebrew University and Ussishkin).

Tel Abu Hawam, in Haifa Bay, had been settled from the Bronze Age, if not earlier, and a powerful town had arisen there some 3,000 years ago. But it was destroyed after the quake and not rebuilt. Damage found at Tel Dan also fits the timeline of the biblical quake.

What about the Assyrians? Hebrew University’s Agnon explains that some of the damage the archaeologists found could not possibly have been achieved with the primitive tools of the Bronze Age or even the early Iron Age.

Tel Shafi, for instance (formerly the Philistine city of Gath), had a 4-meter-thick (13-foot) wall that fell onto its side in the eighth century B.C.E. It would have taken a hand of god, not a donkey with headgear, to push that thing over. “That damage couldn’t have been man-made,” Agnon says.

Haifa Bay, a center of industry and residence too, which could be vulnerable to soil liquefaction during a major earthquake Rami Shllush

In fact, geological analyses of archaeological evidence by Kate Raphael and Agnon, constrained by Agnon's revision of student work on Dead Sea sediments, found 11 quakes in the Bronze and Iron ages in Israel.

The fact that geologists found two quakes in the eighth century B.C.E., not one, doesn’t seem to bother today’s scientists. Zwickel for one suggests that memories can get foggy after centuries, or that Amos was referring to the stronger quake.

At the bottom of the Dead Sea

Where the quakes originated, we do not know. Israel is riddled with faults, but there’s one major one – the Dead Sea Transform – which is the source of catastrophic quakes. The seabed is like a tape recorder of geological events in the land: Deposits falling to the floor of the Dead Sea lie in flat layers, unless disrupted and deformed by quakes.

By radio-carbon dating organic matter in the layers, science can roughly time the disturbances to the layers. To validate the method, geologists identified known major quakes, like in 1927 and 1834/7, by deformations in the Dead Sea cores.

Publishing in Tectonophysics, Marco and Agnon,, and Elisa Kagan, present paleoseismic evidence from the Dead Sea area: Cores taken at Ein Gedi and evidence from layered sediment at Ein Feshkha and Nahal Tze’elim (next to Masada).

Using carbon-14 dating of organic matter in the deformed layers, Kagan dated one quake to 861-705 B.C.E. and the second to 824-667 B.C.E.

Agnon explains why the margin of error seems so enormous. “The organic material [Kagan] dated using C14 didn’t die in the quake. It came from plants that stopped living before the quake and reached the site through flooding,” Agnon says. That widened the margin.

At the end of the day, what we have is evidence of two strong quakes in the eighth century B.C.E., which support the biblical account in Amos, and Zechariah too. Not that he knew of what he spake, writing so long after the event, but still.

One final thing. Some scholars believe they can locate the epicenter of the “Amos quake” to Lebanon and estimate that its magnitude was a hellish 8. Agnon shrugs: There just isn’t enough evidence to reach any such determinations, he says.

In any case, despite the evidence of divine displeasure, the locals seem to have set about briskly rebuilding, Zwickel says: “Even more interesting than destroyed sites are sites evidently built up directly after the earthquake/s. Evidently, King Jeroboam II used the troubles in the destroyed area to establish new trade connections to the north and to strengthen the infrastructure for trade connections in Israel.”


What does the Bible teach us in the book of Amos?

The book of Amos is named after the prophet whose words are collected in this book. He was a shepherd and farmer, but had the special commission to proclaim God’s message to the people of Israel – more precisely, to the northern kingdom of Israel, since the people of Israel had split into two kingdoms some 150 years before Amos’ days. The book dates about 750 BC.

Amos lived during the reign of Jeroboam II, who was a successful king economically and politically. But instead of fearing God, he worshiped idols and tolerated social injustice.

Judgment of neighboring countries

In a series of short poems, Israel’s neighbors are accused of violence and injustice. God announces that He will judge them. See for example Amos 1:6-7:

For three transgressions of Gaza,
and for four, I will not revoke the punishment,
because they carried into exile a whole people
to deliver them up to Edom.
So I will send a fire upon the wall of Gaza,
and it shall devour her strongholds.

Amos is addressing people groups around Israel – and his audience probably did fully agree that these nations needed judgment.

Judgment of Israel

But Amos goes on. In a poem three times as long as the others, he accuses Israel itself of social injustice and idolatry:

because they sell the righteous for silver,
and the needy for a pair of sandals –
those who trample the head of the poor into the dust of the earth
and turn aside the way of the afflicted

a man and his father go in to the same girl,
so that My holy name is profaned
(Amos 2:6-7).

God takes this all the more seriously because He has treated Israel so well, and because they are fully aware of God’s law.

You only have I known
of all the families of the earth
therefore I will punish you
for all your iniquities
(Amos 3:2).

Since Israel had a great calling and a great responsibility, the consequences of their rebellion were also tremendous.

Poems and visions

In the rest of Amos’ books, there are many poems about Israel’s religious hypocrisy. God doesn’t like their sacrifices and their religious gatherings, because they are accompanied by great injustice. A real relationship with God should lead to righteous relationships with other people as well.

Moreover, the Israelites worshiped idols and tried to serve God on their own terms, which God clearly condemns. In vivid imagery, Amos describes how He will destroy the kingdom of Israel.

The day of the Lord

The Israelites were hoping for “the day of the Lord”, a moment when God would intercede in world history. They thought that God would then judge the nations, and make Israel rule over the world. They expected a glorious future. But Amos radically corrects this view (Amos 5:18):

Woe to you who desire the day of the Lord!
Why would you have the day of the Lord?
It is darkness, and not light

It is true that “the day of the Lord” is a day of judgment over the nations (see for example Isaiah 13:6-9, Jeremiah 46:10, Obadiah 1:15). But Israel is just as sinful, and will therefore be judged like the other nations. This happened indeed – some 40 years after Amos’ prophecies, Israel was captured and led into exile by the Assyrian army.

God remains gracious

And yet, God does not fully destroy his people. When Amos intercedes for the people, God promises that their total destruction, depicted as a scorching fire and a locust swarm, “shall not be” (Amos 7:1-6). Even though the Israelites had not taken Amos’ warnings to heart and thus were indeed led into exile, God promises their restoration.

In that day I will raise up
the booth of David that is fallen
and repair its breaches,
and raise up its ruins
and rebuild it as in the days of old,
that they may possess the remnant of Edom
and all the nations who are called by My name,
declares the Lord Who does this
(Amos 9:11-12).

Lessons for us

The main themes of Amos and lessons that we learn from this book are:

  • A real relationship with God should show in social justice and righteousness. The Lord is not pleased with hypocritical worship.
  • The Israelites had a unique and privileged relationship with God. Their great calling was accompanied by a great responsibility. Think about your position and the responsibility this brings!
  • God is just. He has judged sinful neighboring countries. He has sent the Israelites into exile. He will also judge us, if we are neglecting his will.
  • God is gracious. Even for the unjust and idolatrous Israelites, He provided a glimmer of hope for the future. His goal with humanity is not to destroy it, but to offer a way of salvation.

Want to know more?

If you are interested in learning more about the book of Amos, the best thing to do, of course, is to read it for yourself. Moreover, you could watch an introductory video of The Bible Project:

In our five Read Scripture courses, we offer introductions on every single Bible book. The courses are totally free, and after completing a course you will receive a certificate. Feel free to sign up and try for yourself!

How does this Bible teaching speak to you? Please share your thoughts down below!

Get a good introduction about the Bible in What is the Bible?

Grietje Commelin

Grietje studied theology and mastered in Bible Translation. Next to being a mother, she supports GlobalRize by writing bible reflections and other content for GlobalRize.


What Makes a “Great” History Novel?

Many criteria go into determining if or not a history book is good. Some of them include:

Accuracy: One of the most crucial things that you need to look for when assessing a background book is whether it is true. Did the writer perform adequate research on the topic to deliver details, not only their remarks, during the writing?

Cites information: Likewise, you need to search for publications that have footnotes and a comprehensive collection of these resources used when writing the book. Start looking for the post mentioning these resources across the text to reveal how they can tie the data from several resources to help you realize the concepts or ideas introduced in the book.

Well-Written and Engaging: Great books also need to be engaging. The writer should be able to gather the parts of this narrative’ in a distinct and straightforward to comprehend format. As the reader, you ought to be the book and want to continue reading to understand the events that the writer is talking about. One way that lots of writers can produce a history engaging is via using primary sources. Primary sources may consist of photos, artifacts at the moment, and letters, journals, papers, speeches, and other written reports.

Why should I read history books?

Reading the best history books and learning history, in general, are significant for several distinct reasons. Whenever you’ve got a fantastic comprehension of the last, you can realize the gift. Seeing the link between the way things once were and how they’re now can permit you to see how we got where we are and what we can do to continue to proceed.

Studying history may also highlight mistakes that different people, leaders, or even groups of individuals made. Learning about these errors and their effects can keep them from occurring again and producing precisely the same negative impacts. Without history, we would not understand that, and we, as a people, will be prone to repeat the same mistakes repeatedly.

Learning the background of your ethnic group, town, or nation may also help you know more about who you are as an individual and how you came to be. You’ll have the ability to find out about your ancestors and the various events that influenced their everyday lives.

Besides learning about ourselves and our legacy, history is also an essential bit of understanding about other cultures and heritages. This might help us create a feeling of empathy, knowledge, and appreciation for people who are different from us.

Which kind of history book when I read?

The reply to this query will indeed differ for everybody. There are many distinct sorts of history books, so you are going to wish to consider your interests, needs, and preferences when picking a book. If you’re seeking to learn about a particular motion or time interval, decide on a novel centered around that.

Are historical novels intriguing?

When a background novel is well-written and factual, it can be extremely intriguing. Just because it occurred before, it does not imply that history is dull. Many historical writers are specialists at joining different occasions with each other to make an extremely engaging ” narrative,” which may have you on the edge of your chair.

Each of those historical world history books does a fantastic job providing an exceptional outlook towards the depths of the world and human history. There’s so much to pay, but the extraordinary thing about history is always a different perspective to check at.

History did not just happen from 1 standpoint, there were countless occasions offering thousands of unique viewpoints, and that’s an important issue to bear in mind when studying one of these novels.


Assista o vídeo: QUEM FOI AMÓS?RESUMO (Pode 2022).