A história

Flashback: O que fazer e o que não fazer em namoros de adolescentes

Flashback: O que fazer e o que não fazer em namoros de adolescentes


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Faça & # 8217s e não & # 8217ts de dar uma mesada aos seus filhos

Quais são as coisas mais importantes que devemos e não devemos fazer quando se trata de dar uma mesada aos seus filhos?

Comunicar expectativas claras de gastos, economias e doações

É importante comunicar expectativas claras sobre o que seus filhos devem fazer com a mesada. Os especialistas concordam que, se você quiser ensinar seus filhos sobre o valor do dinheiro e também incentivá-los a se tornarem seres humanos atenciosos, peça que dividam a mesada em três partes: gastar, economizar e doar. “Esta é uma excelente maneira de expô-los às três coisas mais importantes que eles podem fazer com seu dinheiro”, diz o especialista em finanças pessoais Brad Munson, “E é uma lição que pode durar a vida toda.”

Chegue a um acordo mútuo sobre quanto dinheiro eles podem gastar, quanto devem economizar e encontre uma instituição de caridade com a qual realmente se importem. Como Susan Borowski, afirma o autor de “Money Crashers”, fazer com que os filhos “escolham a instituição de caridade de sua escolha os tornará mais propensos a reservar o dinheiro. Assim como fazemos doações para instituições de caridade que são importantes para nós, as crianças também precisam doar para uma instituição de caridade que seja importante para elas, ou não serão motivadas a fazê-lo. ”

Use a mesada para inspirar conversas regulares sobre gerenciamento de dinheiro

Pense na mesada não principalmente como um meio de disponibilizar dinheiro para seus filhos, mas sim como uma maneira de inspirar conversas regulares com eles sobre a gestão do dinheiro. Kimberly Palmer, o autor de “Smart Mom, Rich Mom”, diz para “preocupar-se menos com o quanto você dá do que usar a mesada como uma chance de falar com seus filhos sobre dinheiro”. “A questão toda”, diz a Sra. Palmer, “é fazê-los se acostumarem a lidar e falar sobre dinheiro, para que não seja tanto a quantia quanto a conversa sobre isso” que importa ”. Especialista em finanças pessoais Neale Godfrey, autor de mais de duas dezenas de livros sobre literatura financeira, coloca bem: “Falar com seus filhos sobre mesada e dinheiro é tão importante quanto dá-lo.” Godfrey está certo: a pesquisa mostra que quanto mais os filhos discutem sobre gestão de dinheiro com os pais à medida que crescem, melhor eles se tornam em administrar suas próprias finanças quando adultos.

Seja consistente - mas revise regularmente suas políticas de mesada

No entanto, você decide que seus filhos devem alocar sua mesada, ser consistente com suas políticas de mesada e apenas alterá-las se tiver boas razões para fazê-lo, como se você simplesmente não pode pagar o valor atual ou seus filhos não estão gastando as formas acordadas. Como psicóloga infantil Dra. Mary Kelly Blakeslee diz: “nada incomoda mais as crianças do que a injustiça. Se você mudar as regras sem um bom motivo, você está renegando um contrato. Embora as crianças precisem aprender que a vida nem sempre é justa, você ainda pode respeitar os sentimentos de seus filhos explicando por que você tem que diminuir a mesada ou adiar o pagamento e deixá-los saber que você pode entender seu aborrecimento ou decepção ”Sr. Munson concorda: Consistência “Constrói confiança, reduz a negociação e incentiva o planejamento para o futuro.”

Não use a mesada como punição ou recompensa

Uma mesada deve ser usada para ensinar as crianças a administrar o dinheiro e não como punição ou recompensa. Uma mesada, diz o Sr. Munson, “deve desenvolver maior confiança e melhor comunicação e cooperação, portanto, usá-la como uma ferramenta disciplinar inesperada só fará com que você pareça cruel e arbitrário aos olhos de seus filhos (não importa o quanto eles possam parecem merecer). Encontre outra maneira de fazer seu ponto de vista enquanto cumpre o acordo original. ” Consultor financeiro Nevin Martell concorda: Usar dinheiro “como um ioiô - 'Não gosto disso ou não gosto daquilo, então vou cortar sua mesada' - não vai ajudá-los a ter uma relação saudável com o dinheiro. ”

Da mesma forma, não use a mesada para recompensar seus filhos por realizações não relacionadas. “Dar dinheiro a seus filhos como recompensa”, diz o planejador financeiro certificado Joseph Hogue, “estabelece a mentalidade de que você só precisa fazer as coisas se estiver sendo pago”. Em vez disso, sugere o Sr. Hogue, “deixe-os escolher o passeio em família durante a semana ou apenas diga a eles como você está orgulhoso de suas realizações”.

Não vincule a mesada ao desempenho de tarefas domésticas regulares

Finalmente, não vincule o subsídio às tarefas domésticas regulares. Fazer isso é errado por vários motivos: 1) anula a própria ideia de que ser parte de uma família implica que se tenha certas responsabilidades, 2) incentiva seus filhos a barganhar cada vez que você pede que façam algo em casa, e 3) ) seus filhos podem até parar de fazer suas tarefas quando sentirem que têm dinheiro suficiente.

Os especialistas dizem que você só deve oferecer a seus filhos dinheiro extra para tarefas que você, de outra forma, pagaria a outra pessoa para fazer, como, por exemplo, cortar a grama ou pintar a casa. O Sr. Godfrey sugere que os pais distingam cuidadosamente entre o que ele chama de “” tarefas do cidadão da casa ”, pelas quais eles não deveriam ser pagos, e“ tarefas de trabalho por pagamento ”, para as quais faz sentido dar eles algum dinheiro extra.

Nota do editor: Clique aqui para uma introspecção sobre por que uma mesada pode ajudar seus filhos a aprender como administrar seu dinheiro e obter conhecimentos financeiros.


Faça & # 8217s e não & # 8217ts para namorar um não-católico

Quando eu estava no último ano do ensino médio, namorei uma garota protestante. Um efeito colateral infeliz disso era o medo ocasional de que namorar com ela fosse contra as regras por algum motivo. As pessoas fariam declarações abrangentes como "nunca namore um não-católico!" Portanto, sempre que clicava em um blog ou vídeo sobre isso, ficava imediatamente preocupado, achando que estava prestes a descobrir que estava fazendo algo errado.

Portanto, não tenha medo. Este não é um desses artigos.

Namorar um não católico não é, de fato, contra as regras. Dito isso, existem algumas armadilhas que você precisa evitar. Então, eu gostaria de lhe dar uma lista de coisas práticas que você deve e não deve fazer com o que aprendi quando namorando um não católico.


Conselhos de meninas para rapazes

Disque os dígitos. Se você gosta de uma garota em sua classe, provavelmente já descobriu se tem uma chance com ela. Isso geralmente é feito por meio de sua amiga que conversou com a amiga dela que conversou com ela, etc. Se parecer que ela está interessada, não a deixe esperando. Ligue para ela e convide-a para sair. Infelizmente, geralmente depende de você dar o primeiro passo. Se a garota for muito legal e te chamar para sair primeiro, você teve sorte. Mas se ela não fizer isso, você tem duas opções: convidá-la para sair ou passar o ano inteiro olhando para ela como uma idiota e indo ao cinema sozinho.

Mantenha os interesses dela em mente. Faça algo que ambos fiquem à vontade e interessados ​​em fazer. Por exemplo, se você decidir ir ao cinema, pergunte o que ela está interessada em ver, não escolha o filme sozinho. Tem que haver um meio-termo entre um romance piegas de Freddie Prinze Jr. e um banho de sangue de Steven Seagal.

Não a despreze. Então você se divertiu e realmente curtiu essa garota, então não finja que ela não existe quando você está com seus amigos ou a ignore na escola. Se você é maduro o suficiente para namorar, você é maduro o suficiente para ter uma conversa com ela em público. Mesmo se as coisas não saírem como planejado, e você decidir que essa garota não é para você, não a despreze na frente de seus amigos. Ela tem amigos também e você não pode conseguir outro encontro com ninguém até a faculdade.


O que fazer e o que não fazer no namoro

Com uma conta UCG.org, você poderá salvar itens para ler e estudar mais tarde!

Neste capítulo, veremos a maneira piedosa de encontrar um marido ou esposa. Vamos contrastar a cultura moderna de namoro com práticas de namoro piedosas. Compartilharemos com você algumas respostas francas sobre as consequências do sexo antes do casamento e os mitos populares sobre sexo. E, por fim, compartilharemos alguns conselhos dados por pessoas que dedicaram suas vidas a encontros santos.

Deus disse: "Não é bom que o homem esteja só" (Gênesis 2:18 Gênesis 2:18 E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; farei dele uma ajudadora idônea para ele.
American King James Version×) e que encontrar uma esposa é "uma coisa boa" (Provérbios 18:22 Provérbios 18:22 Quem encontra uma esposa encontra uma coisa boa e alcança o favor do Senhor.
American King James Version×). O mesmo princípio se aplica às mulheres que encontram maridos amorosos e responsáveis. Casamento é Boa para nós!

Os casamentos não são apenas uma base para a felicidade, eles nos oferecem uma vida mais longa e com melhor qualidade. Eles também são os blocos de construção de comunidades, sociedades e, em última análise, civilizações. Uma sociedade é tão forte quanto seus casamentos e famílias.

A base para um bom casamento é lançada muito antes da cerimônia de casamento. É estabelecido quando duas pessoas começam a namorar.

Namoro: preparação para o casamento

À medida que crescemos, "Quando posso começar a namorar?" é uma pergunta que comumente fazemos aos nossos pais. Embora a Bíblia não indique a idade em que o namoro é apropriado, os pais sábios ensinam aos filhos que estão amadurecendo princípios bíblicos sólidos que os ajudarão a seguir os padrões de comportamento de Deus.

Os pais devem determinar quando seus filhos estão prontos para namorar com base em sua maturidade e prontidão para aceitar a responsabilidade por suas ações. Antes que os pais permitam o namoro, eles devem ensinar e encorajar seus filhos a seguir os padrões bíblicos, em vez de deixá-los livres para fazer o que quer que seja natural.

Quando começamos a namorar, deve ser com o propósito de desenvolvimento social - isto é, aprender sobre o sexo oposto e as muitas diferenças na personalidade, valores e temperamento humanos. Quando temos nossa educação e uma carreira estabelecida, estamos prontos para namorar mais seriamente em relação ao casamento.

Claro, até mesmo o namoro para o casamento geralmente começa em uma base social para conhecer outra pessoa. Em seguida, ele pode prosseguir para o próximo nível se ambos os indivíduos estiverem preparados e dispostos. Vamos começar com os jovens que estão prontos para começar a namorar socialmente.

Ensinar os padrões de Deus aos jovens antes de permitir que eles namorem pode parecer terrivelmente antiquado e restritivo. Mas veja desta forma: a maioria dos governos não permite que as pessoas dirijam automóveis até que demonstrem o conhecimento e a capacidade de fazê-lo de maneira segura. Nenhum pai responsável colocaria seu filho adolescente em um automóvel no meio de uma estrada movimentada sem ter dado a ele instruções sobre como dirigir.

Namorar em nosso mundo também tem seus perigos. Sem a instrução adequada, muitos jovens se tornam promíscuos, contraem doenças sexualmente transmissíveis, passam por uma gravidez indesejada e escolhem caminhos errados que parecem agradáveis ​​e aceitáveis ​​na época, mas levam a uma angústia indescritível (Provérbios 14:12 Provérbios 14:12 Há um caminho que parece certo ao homem, mas o fim dele são os caminhos da morte.
American King James Version× Provérbios 16:25 Provérbios 16:25 Há um caminho que parece certo ao homem, mas o fim dele são os caminhos da morte.
American King James Version×). Os jovens precisam ser instruídos desde cedo sobre por que e como os valores bíblicos podem protegê-los de tal sofrimento.

Sem essa instrução, muitos jovens cometem erros que prejudicam seu potencial de ter um casamento feliz. Pais amorosos nunca desejariam sofrimento para seus filhos, mas deixá-los ignorantes é um caminho certo para a dor no coração. Um entendimento completo dos padrões de Deus para namoro e casamento é uma das maiores bênçãos que os filhos podem receber de seus pais.

Algumas pessoas, porém, já ultrapassaram esse ponto, já atingindo a idade adulta, casadas e divorciadas. Ensinar aos jovens o comportamento adequado para namorar é obviamente ideal. Mas e quanto aos adultos? Os princípios mudam? Porque os adultos são mais velhos, isso lhes dá licença para mais liberdades do que os adolescentes podem tomar? Todas as coisas são apropriadas para adultos conscientes?

A Bíblia ensina que os padrões de Deus para namoro se aplicam a pessoas de todas as idades. Ele não tem dois conjuntos de diretrizes, um para adultos e outro para jovens. Seguir as leis bíblicas é importante independentemente da idade. E quebrar as leis de Deus é desastroso para pessoas de todas as idades.

Padrões modernos de namoro

Para entender a diferença entre o caminho de Deus e o do mundo, considere as práticas de namoro comuns nos países ocidentais.

Muitos presumem que, quando as pessoas estão namorando, a relação sexual é uma demonstração apropriada de afeto e uma forma de determinar se são compatíveis. Eles acreditam que o sexo é simplesmente uma expressão natural de amor entre duas pessoas e, portanto, a coisa normal a se fazer quando os indivíduos estão "indo juntos" ou vivendo juntos em um relacionamento exclusivo. Se o casal se separar e os dois começarem a namorar, a suposição comum é que eles estarão livres para ter relações sexuais com seus novos parceiros.

Essa prática de monogamia serial - ser sexualmente ativo com apenas uma pessoa por vez - é amplamente considerada uma forma adequada de namorar e encontrar um futuro cônjuge.

Nos Estados Unidos, em meados da década de 1990, cerca de dois terços das mulheres casadas na faixa dos 20 anos moraram com seus futuros cônjuges antes de se casarem (Robert Moeller, "America's Morality Report Card", Leitor cristão, Novembro-dezembro de 1995, pp. 97-100). Essa prática duvidosa é seguida por muitos jovens adultos no mundo ocidental. Infelizmente, a maioria não sabe o preço que pagará por tal conduta.

Uma das primeiras penalidades da monogamia em série é o sofrimento emocional. O ato sexual cria um vínculo emocional entre um homem e uma mulher. Quando um casal se separa após ter tido relações sexuais, a dor é inevitável devido ao rompimento desse vínculo. Para aliviar essa dor, o rapaz e a moça normalmente agem rapidamente para estabelecer um relacionamento semelhante com um novo parceiro - repetindo o mesmo erro.

À medida que as pessoas passam para um relacionamento sexual após o outro, não apenas têm que lidar com a dor desses laços rompidos, mas também estabelecem o hábito de relacionamentos sexuais de curto prazo - uma forma de pensar que é mais frequentemente transportada para casado. Não é de admirar que aqueles que fazem sexo antes do casamento divorciem-se mais do que aqueles que não o fazem.

É claro que a maioria das pessoas que fazem sexo antes do casamento diz que seus parceiros devem revelar quaisquer doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) antes da relação sexual, para que a proteção adequada possa ser empregada. Ao usar anticoncepcionais para ajudar a evitar doenças e gravidez indesejada (algo que nem sempre funciona), os casais acreditam que estão praticando "sexo seguro". Essas práticas são tão amplamente aceitas que muitos sistemas educacionais, desde o ensino médio até o nível universitário, fornecem anticoncepcionais gratuitos para os alunos, sem fazer perguntas.

Embora esta abordagem possa parecer lógica, ela não está à altura dos padrões de Deus - que quando praticados são sempre seguro. A verdade é que essas práticas ditas de "sexo seguro" não estão funcionando muito bem.

Embora os jovens estejam recebendo muita educação sobre sexo, essa educação não está produzindo "sexo seguro". Em vez disso, muitos jovens estão contraído DSTs, algumas das quais permanecerão com eles pelo resto de suas vidas. A epidemia é tão forte que, nos Estados Unidos, um em cada quatro adolescentes sexualmente ativos contrai uma DST todos os anos (Stenzel, p. 67).

Pagando o preço pela paixão

Quando deixamos de seguir as leis de Deus em relação à atividade sexual, sempre pagamos uma penalidade. As penalidades físicas estão bem documentadas.

Hoje, mais de 25 doenças sexualmente transmissíveis afligem pessoas em todo o mundo, um número que está crescendo continuamente. Algumas DSTs são causadas por bactérias e podem ser tratadas com antibióticos-E se eles são detectados. Outros, como a AIDS, são causados ​​por vírus, o que significa que não há cura para a doença.

Aqueles que contraem uma DST viral, como o papilomavírus humano (HPV), comumente conhecido como verrugas genitais, terão a doença pelo resto da vida. Esta é a DST mais comum na América. Sobre um terceiro de todas as pessoas solteiras sexualmente ativas estão infectadas com ele, muitas delas não sabem que são portadoras do vírus.

Infelizmente, a maioria dos americanos não leva a sério a ameaça das DSTs. O Centro de Controle de Doenças relata: "Apesar do fato de que um grande progresso foi feito na prevenção de DST nas últimas quatro décadas, os Estados Unidos têm as taxas mais altas de DST no mundo industrializado. As taxas de DST são de 50- 100 vezes mais alta nos Estados Unidos do que em outras nações industrializadas, embora as taxas de gonorréia e sífilis tenham recentemente atingido níveis históricos.

"Só nos Estados Unidos, estima-se que 15,3 milhões de novos casos de DSTs sejam relatados a cada ano. Apesar do fato de que as DSTs são extremamente disseminadas e adicionam bilhões de dólares aos custos de saúde do país a cada ano, a maioria das pessoas nos Estados Unidos permanece inconsciente. o risco e as consequências de todos, exceto o mais proeminente DST-HIV, o vírus que causa a AIDS "(Rede Nacional de Informação de Prevenção do CDC).

Para ajudar as pessoas a entenderem a probabilidade de contrair uma DST nos Estados Unidos, Pam Stenzel escreve: "Você já ouviu falar da Roleta Russa? É um 'jogo' em que uma bala é carregada em uma arma com várias câmaras. a arma na cabeça, puxa o gatilho e espera sair com vida.

"Compare jogar Roleta Russa com um atirador de seis tiros a fazer sexo. É mais provável que você contraia uma DST por contato sexual do que se matasse com uma arma. Se alguém lhe dissesse: 'Ei, que tal se juntar a nós para uma rodada de roleta russa? Aposto que você diria: 'Você está louco !? Nem mesmo um idiota faria uma coisa tão estúpida.' E ainda assim os adolescentes continuam a fazer sexo, pensando que se puderem evitar a gravidez e a AIDS, eles ficarão bem ”(Stenzel, p. 68).

Más decisões não limitadas a adolescentes

Claro, não são apenas os adolescentes que estão tomando decisões estúpidas. Os adultos também.

Embora alguns superem as probabilidades no sentido de que fazem sexo fora do casamento e não contraem uma DST, essas pessoas ainda podem sofrer dor emocional por isso. Pessoas que tiveram relações sexuais pré-matrimoniais ou extraconjugais relatam uma série de consequências, incluindo a preocupação de que serão apanhadas, a preocupação de contrair uma DST, a preocupação com o resultado de uma gravidez e a culpa.

Além dessas coisas, sempre há aquela primeira experiência sexual quando a pessoa deixa de ser virgem. Quem melhor para ter essa primeira experiência do que o marido ou a esposa para o resto da vida?

A virgindade de uma pessoa só pode ser doada uma vez. Uma vez dado, não pode ser retirado. Depois do casamento, limitar toda a atividade sexual ao cônjuge também ajuda o marido e a mulher a terem carinho um pelo outro. Sexo fora do casamento destrói ou fere gravemente o relacionamento.

Essas consequências são o cumprimento moderno da escritura que diz: "Evite a imoralidade. Todos os outros pecados que uma pessoa comete estão fora do corpo, mas a pessoa imoral peca contra seu próprio corpo " (1 Coríntios 6:18 1 Coríntios 6:18 Fuja da fornicação. Todo pecado que o homem comete é sem o corpo, mas aquele que comete fornicação peca contra o seu próprio corpo.
American King James Version×, Nova Bíblia Americana).

O que as pessoas parecem esquecer é que ninguém precisa passar por essas consequências! A maneira pela qual podemos estar absolutamente garantidos de não contrair uma DST ou sofrer angústia emocional é os cônjuges evitarem todas as relações sexuais antes do casamento e, uma vez casados, fazerem sexo apenas um com o outro - com mais ninguém. Esta fórmula funciona perfeitamente - sempre!

A história se repete

Os registros históricos da antiga cidade de Corinto revelam que no coração do Império Romano, a civilização mais avançada tecnologicamente de sua época, os valores sexuais do primeiro século eram semelhantes aos conceitos modernos de namoro hoje. Os padrões eram tão distorcidos que as relações sexuais com as prostitutas do templo não eram consideradas escandalosas, mas sim uma forma apropriada de adoração.

Por meio do apóstolo Paulo, Deus ensinou aos coríntios uma maneira muito melhor. Depois de dizer que a imoralidade sexual é um pecado contra o nosso próprio corpo, Paulo disse: "Ou não sabes que o teu corpo é santuário do Espírito Santo ... e não és de ti mesmo? Porque foste comprado por um preço, portanto glorifique a Deus em seu corpo e em seu espírito, que são de Deus ”(1 Coríntios 6: 19-20 1 Coríntios 6: 19-20 [19] O quê? Não sabes que o teu corpo é o templo do Espírito Santo que está em ti, que tens de Deus e que não te pertences? [20] Porque por bom preço fostes comprados; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, que são de Deus.
American King James Version× ).

Como Paulo poderia ousar abordar o comportamento privado de outras pessoas? Ele foi ousado porque entendeu que Deus aprova as relações sexuais apenas dentro do relacionamento do casamento (Gênesis 2:24 Gênesis 2:24 Portanto, o homem deixará seu pai e sua mãe, e se unirá à sua mulher; e eles serão uma só carne.
American King James Version× Hebreus 13: 4 Hebreus 13: 4 O casamento é honroso para todos, e a cama sem mácula; mas Deus julgará os fornicadores e adúlteros.
American King James Version×). As relações sexuais em qualquer outra situação eram e são imorais.

Escrevendo aos membros da Igreja em Tessalônica, Paulo abordou os relacionamentos entre membros do sexo oposto de forma ainda mais direta. Exortando os irmãos a viverem suas vidas de uma forma que agrade a Deus (1 Tessalonicenses 4: 1 1 Tessalonicenses 4: 1 Além disso, então, imploramos a vocês, irmãos, e os exortamos pelo Senhor Jesus, que como vocês receberam de nós como deveriam andar e agradar a Deus, assim vocês abundariam mais e mais.
American King James Version×), ele escreveu: "Esta é a vontade de Deus, que vocês sejam santos: vocês devem se abster da fornicação, cada um de vocês deve aprender a ganhar domínio sobre seu corpo, para santificá-lo e honrá-lo, não cedendo à luxúria como os pagãos que nada sabem de Deus, ninguém deve fazer mal a seus companheiros cristãos neste assunto, ou infringir seus direitos.

"Como já imprimimos em você antes, o Senhor pune todas essas ofensas. Porque Deus nos chamou para a santidade, não para a impureza. Portanto, qualquer um que despreza essas regras está zombando não do homem, mas de Deus que dá a você o seu Espírito Santo" (1 Tessalonicenses 4: 3-8 1 Tessalonicenses 4: 3-8 [3] Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação, que vos abstenham de fornicação: [4] Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra [5] Não na concupiscência , assim como os gentios que não conhecem a Deus: [6] para que ninguém vá além e defraude a seu irmão em coisa alguma; porque o Senhor é o vingador de todos os tais, como também nós vos avisamos e testemunhamos. [7] Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade. [8] Portanto, quem despreza, não despreza o homem, mas a Deus, que também nos deu o seu Espírito Santo.
American King James Version×, Bíblia em inglês revisada).

O costume e a prática do namoro - que leva ao casamento - devem ser conduzidos com honra. Não deve ser desvalorizado como uma desculpa para a gratificação sexual. Deus espera que nos casemos como virgens. Essa abordagem mostra respeito por Deus, por nosso corpo, por nosso futuro cônjuge e pela instituição divina do casamento.

O caminho de Deus é o melhor para fazer o casamento funcionar. Os sociólogos descobriram que o padrão de Deus para o namoro é aquele que produz casamentos duradouros.

De acordo com Diário do casamento e da família: "Depois de analisar os padrões de coabitação e casamento entre cerca de 13.000 adultos, ... sociólogos concluíram que os casais que vivem juntos antes do casamento experimentam níveis mais elevados de conflito conjugal e não se comunicam tão bem. Esses casais eram menos comprometidos com o casamento e viam o divórcio como mais mais provável do que aqueles que não coabitaram antes do casamento "(Vol. 54, 1992).

Namoro para sociabilidade

Como os pais preocupados podem neutralizar a pressão sobre os filhos para que participem de práticas imorais de namoro?

O primeiro passo, conforme observado anteriormente, é ensinar-lhes princípios piedosos de namoro e amizade. Quando os adolescentes estão prontos, muitas famílias descobrem que o namoro em grupo (três ou mais pessoas participando de uma atividade juntas) é uma boa maneira de os jovens entrarem nessa fase da vida.

Como os adolescentes geralmente não estão prontos para o casamento - devido à imaturidade e à necessidade de treinamento educacional e ocupacional - algumas das pressões e tentações do namoro individual podem ser evitadas por meio de encontros em grupo. O desenvolvimento social e aprender a se divertir na companhia do sexo oposto em um ambiente seguro podem ser experiências saudáveis ​​para os adolescentes.

Namoro para casamento

Quando duas pessoas maduras começam a namorar com um olhar voltado para o casamento, elas devem levar em consideração muitas coisas. Que valores a outra pessoa possui? Ele acredita em Deus? Ela obedece a Deus? Qual é a formação, padrões e valores pessoais dessa pessoa? Quais são suas preferências, desgostos, caráter e personalidade? Essa pessoa será uma combinação complementar? Posso amá-la e respeitá-la?

Freqüentemente, no namoro moderno, pouca atenção é dada a um parceiro em potencial para toda a vida - a não ser se os dois gostam de sua atividade sexual. No entanto, quando duas pessoas se abstêm da arena emocionalmente carregada das relações sexuais conforme as instruções de Deus, elas podem considerar muito mais racionalmente os valores e características de um parceiro em potencial.

Encontrar um companheiro com valores religiosos semelhantes é uma consideração especialmente importante. A antiga nação de Israel perdeu repetidamente suas amarras espirituais quando seus cidadãos se casaram com pessoas com diferentes convicções e práticas religiosas (Números 25: 1-3 Números 25: 1-3 [1] E Israel ficou em Shittim, e o povo começou a se prostituir com as filhas de Moabe. [2] E chamaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu e curvou-se aos seus deuses. [3] E Israel se uniu a Baalpeor; e a ira do Senhor se acendeu contra Israel.
American King James Version× Neemias 13: 23-26 Neemias 13: 23-26 [23] Naqueles dias também vi eu judeus que haviam se casado com as mulheres de Asdode, de Amom e de Moabe: [24] E seus filhos falavam meio na língua de Asdode, e não podiam falar na língua dos judeus, mas conforme para a linguagem de cada povo. [25] E contendi com eles, e os amaldiçoei, e feri alguns deles, e arranquei-lhes os cabelos, e os fiz jurar por Deus, dizendo: Não darás tuas filhas a seus filhos, nem tomarás suas filhas a teus filhos, ou para vocês. [26] Não pecou Salomão, rei de Israel, com essas coisas? todavia, entre muitas nações não havia rei como ele, que era amado de seu Deus, e Deus o fez rei sobre todo o Israel; no entanto, até mesmo ele mulheres estranhas causaram o pecado.
American King James Version×). Casar-se dentro da fé ainda é tão importante.

O ideal é que as crianças tenham dois pais que acreditam, praticam e ensinam os mesmos princípios religiosos. Quando os filhos têm pais com valores diferentes, eles ficam confusos. Mesmo que as crianças não estejam envolvidas, os confrontos entre dois sistemas de valores concorrentes podem ser dolorosos.

Por meio de experiências amargas, muitos desejam que, quando estavam namorando, tivessem seguido o conselho do apóstolo Paulo contra serem "unidos de forma desigual" com um incrédulo ou alguém de crenças religiosas diferentes (2 Coríntios 6:14 2 Coríntios 6:14 Não sejais unidos desigualmente com os incrédulos: pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? e que comunhão tem a luz com as trevas?
American King James Version× compare 1 Coríntios 7:39 1 Coríntios 7:39 A esposa está obrigada a cumprir a lei enquanto seu marido viver, mas se seu marido estiver morto, ela tem a liberdade de se casar com quem ela quiser somente no Senhor.
American King James Version×). Há sabedoria em selecionar um companheiro compatível nas dimensões religiosa, filosófica e étnica, entre outras. Claro, Deus sempre tem prazer em nos dar a sabedoria de que precisamos quando pedimos (Tiago 1: 5 Tiago 1: 5 Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e não repreenda, e ser-lhe-á dada.
American King James Version× ).

Quando duas pessoas estão pensando em se casar, se forem sábias, também buscarão aconselhamento pré-marital. Esse conselho pode ajudar os casais a compreender seus pontos fortes, fracos e diferenças antes casado. Além de uma revisão objetiva, eles podem aprender habilidades de comunicação e relacionamento que os ajudarão no futuro.

Embora a decisão de casar seja pessoal, esse tipo de informação pode ajudar os casais a fazerem escolhas mais sábias sobre com quem se casarão. Para aqueles que optam por prosseguir com o casamento, as percepções obtidas por meio do aconselhamento pré-marital podem estabelecer a base para um relacionamento duradouro.

Contato físico antes do casamento

Biologicamente, Deus nos criou para responder ao contato pele a pele com alguém por quem somos atraídos. Segurar as mãos, abraçar, beijar ou outro contato semelhante pode ser emocionante.

Mas esse contato é bom, correto e moral? É de nosso interesse praticar essas práticas antes do casamento?

Como se decide? Para aqueles que adotaram os padrões de comportamento endossados ​​por grande parte da cultura popular de hoje, essas são perguntas estúpidas. Na verdade, não são perguntas - o que significa que simplesmente não são feitas. Quando as pessoas acreditam que está tudo bem ter qualquer tipo de sexo com qualquer outra pessoa antes ou fora do casamento, um pouco (ou muito) toque realmente não significa nada.

Considere o filme blockbuster Titânico. Neste filme, dois jovens se encontram, se apaixonam e depois fogem para um lugar privado para fazer sexo - ignorando o fato incômodo de que um deles está noivo de outra pessoa.

Embora as estatísticas atuais do Center for Disease Control mostrem que a maioria dos estudantes do ensino médio nos Estados Unidos não faz sexo, muitos filmes apresentam cenas como essa como a norma para os jovens. A maneira como isso se desenrola é verdadeira. Tudo começa com contato físico - toques, abraços e beijos. E então vem a relação sexual plena. Mas isso vai contra o que a Bíblia ensina.

Como já vimos em Gênesis 2:24 Gênesis 2:24 Portanto o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão uma só carne.
American King James Version×, Deus explica como e quando uma união sexual entre um homem e uma mulher deve ocorrer: "Portanto, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne."

"Uma só carne" significa ter relações sexuais (ver 1 Coríntios 6:16 1 Coríntios 6:16 O que? não sabes que aquele que se une à prostituta é um só corpo? porque dois, disse ele, serão uma só carne.
American King James Version×) e, de acordo com as instruções de Deus, isso deve acontecer depois que um homem e uma mulher se uniram em casamento. Fazer sexo antes do casamento é imoral e, de acordo com a Palavra de Deus, devemos "fugir da imoralidade sexual" (1 Coríntios 6:18 1 Coríntios 6:18 Fuja da fornicação. Todo pecado que o homem comete é sem o corpo, mas aquele que comete fornicação peca contra o seu próprio corpo.
American King James Version× ). Fugir significa fugir ou evitar. Portanto, devemos fugir do sexo antes do casamento e de coisas que podem nos levar à imoralidade.

Um ponto importante a se notar na instrução de Deus é que a abstinência não precisa durar para sempre. Simplesmente devemos esperar até nos casarmos. Então, Deus diz, sexo é bom (Hebreus 13: 4 Hebreus 13: 4 O casamento é honroso para todos, e a cama sem mácula; mas Deus julgará os fornicadores e adúlteros.
American King James Version×). Como a abstinência foi descrita em termos tão negativos, alguns educadores agora estão escolhendo usar a palavra adiamento para descrever o processo de adiar o sexo até o casamento.

Como decidir

Muitos de vocês que estão lendo isto já decidiram esperar para fazer sexo até se casarem. Alguns também decidiram que vão parar de fazer sexo antes do casamento. Isso é ótimo! Essas são boas decisões. Mas e quanto ao toque? Are you going to hug, kiss, hold hands or more?

While the Bible doesn't specifically address these areas, it does clearly say that we aren't to have sex before marriage (1 Corinthians 6:18 1 Corinthians 6:18 Flee fornication. Every sin that a man does is without the body but he that commits fornication sins against his own body.
American King James Version× ) or to even lust after another person (Matthew 5:28 Matthew 5:28 But I say to you, That whoever looks on a woman to lust after her has committed adultery with her already in his heart.
American King James Version×). Love should not be stirred up or awakened until the appropriate time (Song Of Solomon 2:7 Song Of Solomon 2:7 I charge you, O you daughters of Jerusalem, by the roes, and by the hinds of the field, that you stir not up, nor awake my love, till he please.
American King James Version× , New Revised Standard Version).

Years of human experience show that these types of touch often lead to lustful desire and sex. Regrettably, many young people have engaged in these forms of physical contact and then lost their virginity because their emotions overwhelmed their sense of judgment. They just couldn't stop because it felt too good. Of course, adults are similarly affected by physical contact.

So how can we decide what we will do? Some have asked, "Just how far can a Christian go without sinning?" The time to make decisions about physical contact is before we get in a touchy situation. Making a decision on the fly with no forethought is a recipe for going too far.

Planning for sexual happiness

As individuals, we choose whether we will live sexually pure lives or whether we will ignore the instructions that lead to happiness and satisfaction. Making a commitment to parents, friends and God to be sexually pure in word, thought and deed is an important first step in living a full, complete, sexually happy life.

We can determine that we will not use filthy language of any kind-including the type that degrades sex. We can also determine that we will not watch movies with inappropriate sexual content or listen to songs with sexually explicit lyrics (because they can and do influence us).

We can determine that we won't bow to peer pressure to go along with those who disrespect sex. We can determine that we are willing to be mocked for our beliefs and that we won't succumb. We can choose to associate primarily with friends who share our convictions. And we can make it our daily practice to pray to God for strength to honor Him in the way we live our lives. All of these things will help us live an abundant life (John 10:10 John 10:10 The thief comes not, but for to steal, and to kill, and to destroy: I am come that they might have life, and that they might have it more abundantly.
American King James Version× ).

As we've seen, God intends for dating and marriage to be high-class, honorable experiences. Treat sex as God's honorable gift to be awakened only in marriage, and you can reap the sweet reward of a happy, godly life.


Teen Dating: The Dos and Don’ts

Navigating the dating world can be intimidating and scary for both parents and teens. Many questions come to mind on how parents can best support their child and foster open communication.

How do we keep our teens safe? Understanding some of the “dos” and “don’ts” for parents will help make the dating process smoother and safer.

Aqui estão alguns dos “DOs”:

  • Talk to your child about what a healthy relationship looks like. Your teen is more likely to make safer and smarter decisions when choosing a partner and maintaining a relationship when the expectations and definition of a healthy relationship are clear. Keep in mind, dating information for many teens comes from what is portrayed in the media, which is meant for entertainment purposes and may not be realistic.
  • Have a two-way conversation with your teen about dating. When teens feel they have a voice and are heard, they are more likely to abide by the guidelines everyone has agreed upon. Some good topics to discuss are curfew, group dating, private dating, meeting their date, and how to keep parents informed on their whereabouts and well-being.
  • Talk about safe sex. This includes the choice of remaining abstinent, using birth control, and understanding the dangers of sexually transmitted diseases. This is also a good time to speak with your teen about sexting. Establishing ground rules for using smart phones and social media is another way to keep your child safe and protected.
  • Discuss what to do when they are feeling unsafe. You and your child need to have a plan in place to help when they are feeling unsafe or uncomfortable. Have a texting code between you and your teen to help them get out of the situation they are in if needed. Your teen should never meet up with anyone they’ve only met online and have not physically met in person.
  • Keep a watchful eye out for danger signs in your dating teenager. It is important to recognize the signs of an unhealthy or abusive relationship. Some key signs to look for are jealousy, possessiveness, anxiety, bruising, low self-esteem, and depression.

Aqui estão alguns “DON’Ts”:

  • Don’t stop talking to your teen about their relationships after dating starts. Continue to be invested in your teen’s dating life. Not all relationships are the same and they will need to have continued support.
  • Don’t be overprotective or too “hands off.” Being too overprotective can be harmful to your relationship and your teen may no longer feel comfortable confiding in you. Being too “hands off” allows your teen to be less monitored and can lead to poor decision making. Try to find a healthy balance between the two.
  • Don’t be too afraid to “VETO.” Sometimes interfering and vetoing a toxic or dangerous relationship is necessary. Your teen may be upset with you at the time, but their safety and wellbeing is the utmost priority.

Dating should be a fun time in your teen’s life, but it is also a learning process. Like any life experience, your teen will make mistakes and hopefully learn from them. Your support and involvement in your teenager’s dating life will help your child make smarter and safer decisions.


Don’t: Give all your Attention to Grades

    • A single grade will not make or break you.
    • My last year in Algebra I received an F on two tests in a row. However, I ended the semester with a B. If you get an F, remember that you still have an entire semester to raise your GPA.
    • As for GPA, you don’t want to not give any effort – but a 3.5 never hurt anyone. Dedication to extracurriculars like clubs and teams is also an important factor.

    Do: Manage your Time and Workload

      • I am working towards graduation next year, so I can officially say I now know how to manage my time.
      • This year’s plate includes joining clubs, playing tennis, begin volunteering, trying to find a job.
      • Some additional tips: Do all assignments as soon as you receive them whiteboard calendars are better than planners and Saturdays and Sundays are perfect for balancing physical things, social life, and fun.

      Lunch Do’s and Don’ts

        • Last school year I sat with the same group of people everyday. However, this year I usually sit by myself. If this sounds like you, I have some tips.
        • Eat outside or with talkative people.
          • Eating in the corner may get attention off of you but it can also make you feel lonely.
          • Reading is a good way to secure your space while keeping you entertained.
          • Eating with a teacher might sound embarrassing, but there is no shame in it! The best teachers are those who develop friendships with their students. Think of it as your own personal mentor.

          Do: Make Friends

            • Joining clubs is how I made a lot of my friends.
            • Speak up in class even if you don’t talk to anyone in particular. Speaking up could spark a conversation and lead to a great friendship!
            • Partner projects seem terrifying, but it’s a great way to meet someone new.

            Don’t: Ignore your Physical and Mental Health

              • Get Physical. Although it is tempting to lie down and do nothing, a simply moving for an hour everyday has many great benefits – for school and life in general!
              • Take a Break: It is unnecessary to miss out on sleep to cram for a test or rush to complete an assignment. If you need extra time, just talk to your teacher about it. A simple day off can do wonders for your mind.
              • Cut the Crap. From candy and soda to bad friends, cut out anything in life that isn’t positive.

              My Top 2 Tips

              Do: Not Stress

                • If you’re spending four years in high school, you have 1,460 days to improve! Single grades mean nothing compared to the bigger picture and your memories mean more than a letter.

                Don’t Procrastinate

                  • Getting it over with makes life so much easier. If you have a week to do an essay, doing a rough draft in three days then editing the other 2 days, will save you plenty of stress and long nights.

                  Liana Mozee

                  I am currently a sophomore, but plan to graduate early. Ihave been vegan currently for 1 year! When i graduate high school I either want to go to college to be an interior designer or a veterinarian. A fun fact about me is that I love horror movies!


                  Sugestões para Leitura Adicional

                  Rachel Biale's Women and Jewish Law (Paperback) (Kindle) contains many sections dealing with sexual issues, focusing on the woman's perspective. It addresses the laws of marital relations, sexuality outside of marriage, procreation and contraception, abortion and rape.

                  Rabbi Shmuley Boteach (known for his Shalom in the Home reality TV series) has a book coincidentally named Kosher Sex (Paperback) (and let me just say in my own defense: I was using that page title years before his book came out!). The book talks about sex in the context of a committed, loving relationship, trying to find a proper balance between deep friendship and passionate lovemaking, within the context of Jewish Law.

                  © Copyright 5756-5780 (1995-2020), Tracey R Rich
                  If you appreciate the many years of work I have put into this site, show your appreciation by ligando to this page, not copying it to your site. I can't correct my mistakes or add new material if it's on your site. Click Here for more details.


                  Center for Adolescent Health Blog

                  What is the first thing you think of when you hear teen dating violence? You may think of physical and/or psychological manipulation and exploitation. You might think of the statistics and information that you were told in high school. Like that 1 in 3 of young adults were in an abusive relationship by the age of 24. Or that roughly 58% of college students have been in an abusive relationship. You might have been surprised that the amount of boys who are victims of dating abuse is almost as high as the amount of girls. However, most of us know that facts, but are not quite sure how to help. For anyone who knows someone who was or is being abused, you have to be there for them. You have to be a no judgment zone, and you have to make them feel safe. Here are a few suggestions on how to help a young person who may be in an abusive or unhealthy relationship.

                  I think my friend is in an unhealthy relationship. What should I do?

                  If you find out that one your friends’ is in an abusive relationship, what are you going to do? Tell them that you have too and it is a normal part of teenage relationships? NÃO! You want to be able to help them while in the relationship, and hopefully out of the relationship. Consider this list of Dos and Don’ts when trying to help your friend:

                  • FAZ help your friend to recognize the abuse
                  • NÃO let them blame themselves
                  • FAZ connect them with resources
                  • NÃO focus on the abuser, focus on your friend
                  • FAZ help them develop a safety plan
                  • FAZ be supportive and caring, even if it does not feel like much
                  • NÃO directly accuse the abuser face-to-face or online, this can affect your friend negatively as the abuser may take it out on them
                  • FAZ continue to support them after the relationship, this is very important
                  • FAZ thank them for their trust (because it can take a lot to tell/talk to people about abuse)

                  My child just told me that they are in an unhealthy relationship. How can I help them?

                  Parents will likely have a much harder time dealing with dating violence involving their child. While over 82% of parents are positive that they could spot abuse, over half (58%) were unable to notice it. In fact, roughly 81% of parents did not see dating abuse as a problem, or did not know that it is a problem for teenagers. That fact within itself is a problem. However, if you see that your child is being abused, here are a few dos and don’ts to follow:

                  • FAZ show acceptance
                  • FAZ show concern
                  • NÃO directly talk about the person, but DO talk about their actions
                  • NÃO give ultimatums to your child
                  • FAZ give them support
                  • FAZ be prepared
                  • FAZ make decisions with your child, NÃO for them
                  • NÃO be judgmental of your child
                  • FAZ be there for them when they need you

                  What should I do if eu may be a perpetrator?

                  The first thing that you can do is to be aware of what you are doing and know why it is wrong. Next you should focus on altering your brain from that way of thinking. Sometimes perpetrators of abuse do not know that what they are doing is wrong. They might not know because of many reasons. One could be the normalization of unhealthy relationships in society today. Another could be due to their upbringing or the relationships that they have been in before. It could also be because the perpetrator is abusing drugs or alcohol, which can impair their thinking. Sadly, another reason may be because they like doing it or they like the control that it gives them. This, however, does not forgive those actions, but it does mean that the abuser can know when they are being abusive and modify their behavior to exclude those abusive actions. Here is what perpetrators of abuse can do: get more specific info:

                  • FAZ recognize what you are doing
                  • FAZ do research on abuse and what exactly it means
                  • FAZ get help, whether from a therapist or a family member
                  • VOCÊ PODE talk to your partner about the abuse in a safe setting for both of you
                  • VOCÊ PODE go to the websites below to get professional help from people specially trained to help perpetrators of violence
                  • NÃO refuse to get help and continue to harm your current and/or future partners

                  You can go to these websites for more external help:

                  Here are some additional resources that anyone can use to get more information on dating violence and ways to get external help:

                  Ellen Nikirk attends Garrison Forest High School. As a participant in the Women in Science and Engineering (WISE) Program, she is working with and learning from researchers at the Johns Hopkins Center for Adolescent Health.


                  Look, we know that you've been investigating this guy online since you learned his last name. (We don't blame you, and chances are he's done the same to you.) But if you start in on his alma mater, favorite bands and how his hair looked in 2004 (that was found thanks to your mad skills at image searching), you are going to creep him out. Big-time.—Daniel Holloway and Dorothy Robinson, authors of Dating Makes You Want to Die (But You Have to Do It Anyway)

                  One glass of wine is fine. Two or more could lead to sudden, instant and otherwise immediate death of a potential relationship. My friend Katherine is a smart and beautiful girl, but whenever she has a few drinks, she starts swearing like a sailor. If she were not a little tipsy, she would never talk so trashy. Guys are instantly turned off by her behavior, and she often wonders why first dates never turn into seconds.*—Jess McCann, author of You Lost Him at Hello *