A história

Chernenko se torna secretário-geral do Partido Comunista Soviético


Após a morte de Yuri Andropov quatro dias antes, Konstantin Chernenko assumiu o cargo de secretário-geral do Partido Comunista Soviético, a posição dominante na União Soviética. Chernenko foi o último dos "linha-duras" comunistas russos antes da ascensão ao poder do reformista Mikhail Gorbachev em 1985.

Antes de se tornar secretário-geral, Chernenko era pouco conhecido fora da União Soviética. Nascido em 1911, ele se tornou ativo em organizações comunistas na Rússia no final da década de 1920. Em 1931, ele ingressou formalmente no Partido Comunista Soviético. Ele se tornou uma espécie de especialista na área de propaganda e ocupou vários cargos de nível inferior no governo durante a década de 1940. Sua sorte mudou drasticamente depois que ele conheceu Leonid Brezhnev na década de 1950. Brezhnev colocou Chernenko sob sua proteção e, à medida que Brezhnev subia na hierarquia do partido durante as décadas de 1950 e 1960, Chernenko subia a níveis mais altos na burocracia soviética. Brezhnev tornou-se secretário-geral em 1964 e serviu até sua morte em 1982. Chernenko parecia uma escolha natural para suceder seu antigo mentor, mas os reformistas do governo soviético se voltaram para Andropov. Quando Andropov adoeceu e morreu apenas 15 meses depois, os apoiadores de Chernenko passaram por cima dos reformistas e ele assumiu o cargo de secretário-geral.

O breve governo de Chernenko foi caracterizado por um retorno às políticas de linha dura de Brezhnev. Ele parou de apoiar as poucas reformas econômicas e políticas instituídas por Andropov. A política externa russa assumiu um tom mais severo e os soviéticos retaliaram o boicote dos EUA aos Jogos Olímpicos de 1980 em Moscou, recusando-se a comparecer aos jogos de verão de 1984 em Los Angeles. O declínio da saúde durante os últimos meses de seu governo, no entanto, impediu que Chernenko causasse grande impressão tanto no mercado interno quanto no internacional. Quando morreu, em 10 de março de 1985, Mikhail Gorbachev assumiu o poder e iniciou seu programa de reformas econômicas dramáticas e seus esforços para melhorar as relações com os Estados Unidos, o que levou à eventual dissolução da União Soviética em 1991.

LEIA MAIS: Colapso da União Soviética


Russos proeminentes: Konstantin Chernenko

O caminho de Chernenko ao poder foi uma série de sucessos de tirar o fôlego que o levou de uma obscura vila siberiana ao auge do poder soviético. Ele nasceu em uma família grande e pobre na aldeia de Bolshaya Tes '(um assentamento cossaco situado no território de Krasnoyarsk) em 24 de setembro (11 de setembro de acordo com o antigo calendário ortodoxo) de 1911.

Embora seu nome seja ucraniano, seus biógrafos oficiais o descrevem como um russo étnico, cuja família migrou da Ucrânia para o sul da Sibéria, onde passaram a se considerar russos. Seu pai, Ustin Demidovich, trabalhou na mineração de cobre e ouro enquanto sua mãe cuidava da fazenda. Konstantin perdeu sua mãe quando ainda era um menino e aos 12 anos foi enviado para trabalhar na fazenda de um senhor rico para ganhar a vida.


Leitura Adicional

Um estudo interessante de Valerie Bunce, Os novos líderes fazem a diferença? (1981) explora os problemas gerais de sucessão de executivos e políticas públicas sob o socialismo de forma comparativa e fornece algumas pistas para a natureza apática da administração de Chernenko. George Breslauer, Khrushchev e Brezhnev como líderes (1982) discute a administração de Brezhnev em detalhes. É uma excelente introdução ao meio político de Chernenko, bem como um bom indicador de seu próprio estilo político. Veja também Seweryn Bialer, Sucessores de Stalin (1980).


Morte e legado [editar | editar fonte]

Chernenko começou a fumar aos nove anos de idade & # 915 & # 93 e sempre foi conhecido por ser um fumante inveterado quando adulto. & # 916 & # 93 Muito antes de sua eleição como presidente da União Soviética, ele desenvolveu enfisema, doença pulmonar obstrutiva crônica e insuficiência cardíaca direita. Em 1983 esteve três meses ausente das funções devido a bronquite, pleurisia e pneumonia.

Na primavera de 1984, Chernenko ficou hospitalizado por mais de um mês, mas continuou trabalhando enviando notas e cartas ao Politburo. Durante o verão, seus médicos o enviaram a Kislovodsk para os spas minerais, mas no dia de sua chegada ao resort, a saúde de Chernenko piorou e ele contraiu uma pneumonia. Chernenko não voltou ao Kremlin até o final do outono de 1984. Ele deu ordens a cosmonautas e escritores em seu escritório, mas não conseguia andar pelos corredores de seu escritório e era conduzido em uma cadeira de rodas.

No final de 1984, Chernenko mal podia deixar o Hospital Clínico Central, uma instalação fortemente vigiada no oeste de Moscou, e o Politburo estava afixando um fac-símile de sua assinatura em todas as cartas, como Chernenko fizera com a de Andropov quando ele estava morrendo. A doença de Chernenko foi reconhecida publicamente pela primeira vez em 22 de fevereiro de 1985, durante um comício eleitoral transmitido pela televisão no distrito de Kuibyshev, no nordeste de Moscou, onde o Secretário-Geral se candidatou ao Soviete Supremo da SFSR da Rússia, quando o membro do Politburo, Viktor Grishin, revelou que o Secretário-Geral estava ausente de acordo com o conselho dos médicos. & # 917 & # 93 Dois dias depois, em uma cena televisionada que chocou a nação, & # 918 & # 93 Grishin arrastou o doente terminal Chernenko de sua cama de hospital para uma urna eleitoral para votar. & # 919 & # 93 Em 28 de fevereiro de 1985, Chernenko apareceu mais uma vez na televisão para receber credenciais parlamentares e leu uma breve declaração sobre sua vitória eleitoral: a campanha eleitoral acabou e agora é hora de cumprir as tarefas que nos foram atribuídas pelos eleitores e pelos comunistas que se manifestaram. Ε]

O enfisema e os danos pulmonares e cardíacos associados pioraram significativamente para Chernenko nas últimas três semanas de fevereiro de 1985. De acordo com o médico-chefe do Kremlin, Dr. Yevgeny I. Chazov, Chernenko também havia desenvolvido hepatite crônica e cirrose. & # 914 & # 93 Em 10 de março às 3h00 e # 160h, ele entrou em coma e morreu às 19h20. A autópsia revelou enfisema crônico, coração dilatado e danificado, insuficiência cardíaca congestiva e cirrose hepática.

Chernenko se tornou o terceiro líder soviético a morrer em menos de três anos e, ao ser informado no meio da noite de sua morte, o presidente dos EUA Ronald Reagan, que era sete meses mais velho que Chernenko e pouco mais de três anos mais velho que seu antecessor Andropov comentou: "Como é que eu vou chegar a algum lugar com os russos se eles continuam morrendo de medo de mim?" & # 9110 & # 93

Ele foi homenageado com um funeral de estado e foi enterrado na necrópole do Kremlin - a última pessoa a ser enterrada lá.

O impacto de Chernenko - ou a falta dele - ficou evidente na forma como sua morte foi relatada na imprensa soviética. Os jornais soviéticos publicaram histórias sobre a morte de Chernenko e a escolha de Gorbachev no mesmo dia. Os jornais tinham o mesmo formato: a página 1 informava a sessão do Comitê Central do partido em 11 de março que elegeu Gorbachev e imprimiu a biografia do novo líder e uma grande fotografia dele na página 2 anunciava a morte de Chernenko e imprimia seu obituário.

Após a morte de um líder soviético, era costume seus sucessores abrirem seu cofre e olhar dentro dele. Quando Gorbachev abriu o cofre de Chernenko, descobriu-se que continha uma pequena pasta de papéis pessoais e vários pacotes grandes de dinheiro, uma grande quantia também foi encontrada em sua mesa. & # 9111 & # 93


Konstantin Chernenko

(1911–85). O último da velha geração de líderes soviéticos nascidos antes da Revolução Russa, Konstantin Chernenko manteve o poder apenas por um breve período, entre fevereiro de 1984 e sua morte em março seguinte. Quando assumiu o poder aos 72 anos, ele se tornou o terceiro líder soviético em menos de dois anos e meio, após as mortes de Leonid Brezhnev e Yuri Andropov. Chernenko era amigo e protegido de Brejnev.

Chernenko nasceu na vila siberiana de Bolshaya Tes em 24 de setembro de 1911. Não se sabe muito sobre sua infância porque ele cresceu durante os anos da Revolução Russa e da guerra civil que se seguiu. Ele aderiu prontamente ao novo regime leninista-estalinista e juntou-se ao Komsomol, ou Liga Jovem Comunista, em 1926. Quatro anos depois, tornou-se membro da Guarda de Fronteira e passou vários anos lutando contra guerrilheiros anticomunistas ao longo da fronteira Sibéria-China. Tornou-se membro titular do Partido Comunista em 1931 e, em 1941, tornou-se secretário do comitê do partido territorial de Krasnoyarsk. Ao contrário de alguns outros líderes soviéticos, ele não serviu nas forças armadas na Segunda Guerra Mundial.

Chernenko conheceu Brezhnev enquanto trabalhava para o Partido Comunista na república da Moldávia de 1948 a 1956. Por influência de Brezhnev, Chernenko veio a Moscou por volta de 1956. Ele foi nomeado chefe de gabinete do Presidium em 1960 e chefe do Comitê Central em 1965. Associados como estava com a estagnação e a corrupção do final dos anos 1970, Chernenko não seguiu Brezhnev como líder do partido depois que Brezhnev morreu em 1982. A morte prematura do sucessor de Brezhnev, Andropov, deu a Chernenko outra chance, e ele se tornou secretário-geral do Partido Comunista em 1984. Sua saúde logo piorou, porém, e ele morreu em 10 de março de 1985. Ele foi sucedido por Mikhail Gorbachev, um homem muito mais jovem.


Linha do tempo: 1985

Deng Xiaoping. Ele era contra se tornar outra personalidade exaltada e contra a distribuição de sua fotografia.

2 de janeiro O líder do Partido Comunista da China, Deng Xiaoping, fala de uma nova política de "portas abertas" para o Ocidente como a única maneira de superar o legado de "pobreza, atraso e ignorância" que havia sido produzido por centenas de anos de isolamento.

6 de janeiro Um congresso de oito dias da Associação de Escritores Chineses é concluído com uma declaração de seu direito à '' democracia e liberdade ''.

26 de janeiro O presidente da África do Sul, Pieter Botha, promete aos negros uma voz política maior. Ele é acusado por direitistas de vender os princípios do Apartheid.

3 de fevereiro Uma pesquisa do Gallup mostra o índice de aprovação do presidente Reagan e rsquos em 62%.

11 de fevereiro Nelson Mandela, ex-líder guerrilheiro, na prisão desde 1962, recusa a oferta do presidente Botha de libertação sob a condição de que ele renuncie à violência. Mandela diz que a violência não seria necessária com a democracia. Mandela permanecerá na prisão mais cinco anos.

28 de fevereiro Na Irlanda do Norte, o IRA continua sua guerra contra a Inglaterra com um ataque de morteiro contra o Royal Ulster Constabulary.

11 de março Na União Soviética, Konstantin Chernenko morre. Mikhail Gorbachev torna-se secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética.

16 de março No Líbano, uma guerra civil ainda continua. Desde 1982, militantes xiitas sequestram e mantêm ocidentais como reféns. Hoje, o jornalista da Associated Press Terry Anderson, de Ohio, é sequestrado.

8 de abril Gorbachev anuncia sua primeira iniciativa unilateral: um congelamento temporário na implantação de mísseis de alcance intermediário na Europa. Ele pede que os EUA respondam com um congelamento semelhante.

15 de abril A África do Sul termina sua proibição de casamentos inter-raciais.

3 de junho Em Beirute, o agente da CIA William Francis Buckley está mantido em cativeiro desde março de 1984. Nesse dia ou por volta dessa data, ele morre por negligência médica. Sua morte não foi anunciada.

6 de junho O primeiro-ministro israelense, Shimon Peres, ordena a retirada da maioria das tropas israelenses do Líbano. Uma pequena força deve permanecer em uma área de 15 quilômetros de extensão para proteger os ataques contra Israel das forças hostis no Líbano.

6 de junho O Senado dos EUA autoriza uma ajuda não militar de US $ 38 milhões para os & quotContras & quot & quot & quot; ndash um grupo guerrilheiro em guerra contra o governo da Nicarágua.

9 de junho Em Beirute, Thomas Sutherland, o Reitor de Agricultura da Universidade Americana de Beirute, é feito refém.

14 de junho Em Atenas, Grécia, dois libaneses xiitas, supostamente membros do Hezbollah, contrabandearam pistolas e uma granada a bordo do vôo 847 da TWA. Um terceiro homem do grupo de sequestro, Ali Atwa, foi retirado do vôo. O piloto é forçado a pousar em Beirute. A maioria dos passageiros é dos Estados Unidos. Um deles, um jovem da Marinha dos Estados Unidos, Robert Stethem, é isolado, espancado e seu cadáver jogado na pista. O líder da operação é Imad Mughniyeh, do Hezbollah.

17 de junho Todos, exceto 40 dos passageiros da companhia aérea sequestrada são libertados. Um dos quarenta, que tem problemas cardíacos, logo será libertado.

25 de junho A polícia irlandesa prende 13 terroristas do IRA suspeitos de planejar atentados a bomba.

30 de junho Ali Atwa, cúmplice do sequestro do vôo 847 da TWA, foi preso pelas autoridades gregas. Os trinta e nove reféns a bordo do avião no Líbano são libertados em troca de Ali Atwa. Nas próximas semanas, Israel libertará mais de 700 prisioneiros xiitas, alegando que a libertação não está relacionada ao sequestro.

10 de julho O navio Greenpeace Guerreiro do Arco-íris é bombardeado e afundado em Auckland, Nova Zelândia, por membros da agência de inteligência estrangeira da França, DGSE (Direção G & eacuten & eacuterale de la S & eacutecurit & eacute Ext & eacuterieure).

18 de julho O presidente Reagan aprova o plano do assessor de segurança nacional William McFarlane para melhorar as relações com o Irã. MacFarlane quer ajudar o Irã em sua guerra contra o Iraque. Reagan está interessado em que o Irã use sua influência sobre os outros xiitas que mantêm reféns em Beirute.

18 de julho O secretário de Defesa Weinberger, o chefe da CIA William Casey e outros linha-dura permanecem, em princípio, contra uma reunião de cúpula com líderes da União Soviética e, se houvesse uma, eles preferem que Gorbachev venha a Washington em uma demonstração de subordinação. Incentivado pelo Secretário de Estado George Schultz, Reagan aceita uma reunião de cúpula em Genebra, na Suíça.

25 de julho Representantes israelenses se reúnem com o ministro das Relações Exteriores iraniano, Ghorbanifar. Israel venderá armas ao Irã e os EUA compensarão Israel enviando-lhe armas.

23 de setembro A história de capa para Revista Time descreve movimentos no mundo comunista para longe do socialismo, incluindo a Bulgária tendo permitido & quotthe o estabelecimento de uma série de empresas amplamente autônomas que oferecem bônus ou outros incentivos & quot, Hungria consertando mecanismos de mercado, e Polônia tendo 75 por cento de sua agricultura em mãos privadas e pequenas restaurantes e lojas. O foco do artigo é a China, onde as indústrias estabelecem seus próprios preços, trabalham com fins lucrativos, são livres para demitir funcionários e podem criar joint ventures com capitalistas estrangeiros.

25 de setembro Terroristas pertencentes à Força 17, um grupo associado à OLP, assassinam três cidadãos israelenses em seu iate em Larnaca, Chipre.

1º de outubro Em retaliação pelos assassinatos em Chipre, Israel envia aeronaves militares contra o quartel-general da OLP em Túnis, matando 65 pessoas e ferindo transeuntes.

2 de outubro Rock Hudson morre de síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), produto de um vírus identificado pela primeira vez em 1983, que agora recebe mais atenção.

8 de outubro Abdul Abbas, membro do Comitê Executivo da OLP, planejou o sequestro de um navio de cruzeiro italiano que Achille Lauro. Os comandos palestinos atiram em um idoso judeu-americano, Leon Klinghoffer, e o empurram para o mar em sua cadeira de rodas.

10 de novembro O Conselheiro de Segurança Nacional do presidente Reagan, Robert McFarland, tem se preocupado com a confiança do presidente em generalidades sobre a União Soviética, incluindo o uso de "Nikolai Lenin" em vez do "Vladimir Lenin" correto. Durante semanas Reagan estudou documentos que lhe foram dados pelo Estado Departamento, 24 jornais de dez páginas, um ou dois por semana, no que aids chama de "União Soviética 101". Reagan também tem assistido a filmes produzidos na União Soviética para aprimorar sua compreensão da humanidade do povo russo. (Ver Summits por David Reynolds, p. 357-58.)

15 de novembro no Washington Post sugere-se uma fenda entre "moderados" e "intransigentes" na administração Reagan. O jornal publica uma carta do secretário de Defesa, Caspar Weinberger, instando o presidente Reagan a não comprometer a SDI na próxima Cúpula de Genebra com Gorbachev.

19 de novembro Reagan e o líder soviético Mikhail Gorbachev realizam uma cúpula "à beira do fogo" em Genebra. Reagan tenta assegurar a Gorbachev que a Iniciativa de Defesa Estratégica (SDI), chamada Guerra nas Estrelas, não seria usada para lançar um primeiro ataque contra a URSS.R.

20 de novembro A Microsoft Corporation lança o Windows 1.0.

21 de novembro Gorbachev decidiu interromper as negociações porque não estava tendo sucesso em persuadir Reagan a abandonar a SDI. Gorbachev e Reagan prometem se encontrar novamente e buscar um corte de 50 por cento nas armas nucleares.

23 de novembro Três membros do grupo de Abu Nidal sequestram um avião egípcio em Atenas, Grécia, e forçam o avião a seguir para a Líbia. Um segurança egípcio mata um dos sequestradores e é morto. O avião é forçado a pousar em Malta e recusado o reabastecimento.

25 de novembro Os sequestradores soltaram duas aeromoças feridas e começaram a atirar em passageiros, a primeira uma mulher israelense. Comandos egípcios invadem o avião. Cinquenta e seis dos oitenta e oito a bordo do avião, incluindo os sequestradores, morreram.

7 de dezembro Três membros do governo Reagan, George Shultz, Casper Weinberger e Donald Regan, aconselharam Reagan a interromper as vendas de armas ao Irã.

27 de dezembro Terroristas de Abu Nidal atacam viajantes de férias nos aeroportos de Roma e Viena. Dezoito veranistas morrem e 120 ficam feridos.

31 de dezembro Por volta de agora, supostamente em meados da década de 1980, na região de Darfur, no Sudão, as mudanças climáticas e uma tendência gradual à desertificação estão tornando mais difícil para a terra sustentar pastores e agricultores. Há agricultores em Darfur que não permitem mais que pastores nômades migrem por suas terras. Um conflito está se formando entre os agricultores e os nômades de língua árabe, cuja milícia, a cavalo e camelo, será conhecida como Janjaweed.


Guerra Fria

Antes de se tornar secretário-geral, Chernenko era pouco conhecido fora da União Soviética. Nascido em 1911, ele se tornou ativo em organizações comunistas na Rússia no final da década de 1920. Em 1931, ele ingressou formalmente no Partido Comunista Soviético. Ele se tornou uma espécie de especialista na área de propaganda e ocupou vários cargos de nível inferior no governo durante a década de 1940. Sua sorte mudou drasticamente depois que ele conheceu Leonid Brezhnev na década de 1950. Brezhnev colocou Chernenko sob sua proteção e, à medida que Brezhnev subia na hierarquia do partido durante as décadas de 1950 e 1960, Chernenko subia a níveis mais altos na burocracia soviética. Brezhnev tornou-se secretário-geral em 1964 e serviu até sua morte em 1982. Chernenko parecia uma escolha natural para suceder seu antigo mentor, mas os reformistas do governo soviético se voltaram para Andropov. Quando Andropov adoeceu e morreu apenas 15 meses depois, os apoiadores de Chernenko passaram por cima dos reformistas e ele assumiu o cargo de secretário-geral.

Havel era filho de um rico restaurateur cuja propriedade foi confiscada pelo governo comunista da Tchecoslováquia em 1948. Como filho de pais burgueses, Havel não teve acesso fácil à educação, mas conseguiu terminar o ensino médio e estudar em nível universitário. Ele encontrou trabalho como ajudante de palco em uma companhia teatral de Praga em 1959 e logo começou a escrever peças com Ivan Vyskočil. Em 1968, Havel havia progredido para a posição de dramaturgo residente da companhia Theatre of the Balustrade. Ele foi um participante proeminente nas reformas liberais de 1968 (conhecidas como a Primavera de Praga) e, após a repressão soviética à Tchecoslováquia naquele ano, suas peças foram proibidas e seu passaporte confiscado. Durante as décadas de 1970 e 1980, ele foi repetidamente preso e cumpriu quatro anos de prisão (1979-83) por suas atividades em prol dos direitos humanos na Tchecoslováquia. Após sua libertação da prisão, Havel permaneceu em sua terra natal.

A primeira peça solo de Havel, Zahradní slavnost (1963 The Garden Party), tipificou seu trabalho em seu absurdo e satírico exame das rotinas burocráticas e seus efeitos desumanizadores. Em sua peça mais conhecida, Vyrozumění (1965 O Memorando), uma incompreensível linguagem artificial é imposta a um grande empreendimento burocrático, causando o rompimento das relações humanas e sua substituição por lutas inescrupulosas pelo poder. Nessas e nas obras subsequentes, Havel explorou as racionalizações autoiludidas e os compromissos morais que caracterizam a vida sob um sistema político totalitário. Havel continuou a escrever peças de forma constante até o final da década de 1980, essas obras incluem Ztížená možnost soustředění (1968 The Aumented Difficulty of Concentration) Spiklenci (1971 The Conspirators) as três peças de um ato Audience (1975), Vernisáž (1975 Private View) e Protest (1978) Largo Desolato (1985) e Zítra para Spustíme (1988 Amanhã).

Quando as manifestações antigovernamentais massivas eclodiram em Praga em novembro de 1989, Havel tornou-se a figura principal do Fórum Cívico, uma nova coalizão de grupos de oposição não comunistas que pressionam por reformas democráticas. No início de dezembro, o Partido Comunista capitulou e formou um governo de coalizão com o Fórum Cívico. Como resultado de um acordo entre os parceiros nesta incruenta & quot Revolução de Velvet & quot, Havel foi eleito para o cargo de presidente interino da Tchecoslováquia em 29 de dezembro de 1989 e foi reeleito para a presidência em julho de 1990, tornando-se o primeiro líder não comunista do país desde 1948. Enquanto a união da Tchecoslováquia enfrentava a dissolução em 1992, Havel, que se opôs à divisão, renunciou ao cargo. No ano seguinte, foi eleito presidente da nova República Tcheca. Seu papel político, entretanto, foi limitado, pois o primeiro-ministro Václav Klaus (1993-97) comandou grande parte do poder. Em 1998, Havel foi reeleito por uma margem estreita e, sob sua presidência, a República Tcheca aderiu à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) em 1999. Constitucionalmente impedido de buscar um terceiro mandato, ele deixou o cargo de presidente em 2003.


Konstantin Chernenko

Konstantin Chernenko (1911-1985) foi o líder da União Soviética por um breve período em meados da década de 1980.

Chernenko nasceu na pobreza no oeste da Sibéria, filho de um mineiro. Ele trabalhou na fazenda da família quando menino, enquanto completava seus estudos. Chernenko ingressou na Liga da Juventude Comunista aos 17 anos e no Partido Comunista dois anos depois. Ele serviu no Exército Vermelho Soviético no início dos anos 1930 e depois se tornou um propagandista do partido.

Na década de 1950, Chernenko era um funcionário de alto escalão do partido e um protegido de Leonid Brezhnev. Quando Brezhnev substituiu Nikita Khrushchev como líder soviético em 1964, Chernenko foi destacado para o governo. Em 1971, ele foi elevado ao Comitê Central e, em seguida, ao Politburo em 1978.

Quando o secretário-geral Yuri Andropov morreu em fevereiro de 1984, Chernenko foi eleito para substituí-lo. Foi uma mudança surpreendente, dada a própria idade, carreira e problemas de saúde de Chernenko. O homem de 73 anos era um administrador capaz nos bastidores & # 8211, mas não era um especialista em políticas, um estadista ou um líder natural. Chernenko também estava com uma doença terminal, crivado de enfisema e problemas cardíacos por ter fumado uma vida inteira, portanto, não era uma perspectiva de liderança de longo prazo. Muitos acreditam que ele foi eleito pelos conservadores para evitar que Mikhail Gorbachev (sucessor nomeado de Andropov & # 8217s) se tornasse líder.

Durante seu breve mandato, Chernenko procurou restaurar as relações comerciais e diplomáticas de Moscou com a China. Ele fez pouco para facilitar as relações entre os Estados Unidos e a União Soviética, às vezes igualando-se aos comentários públicos belicosos de Ronald Reagan. Em maio de 1984, Chernenko determinou que os atletas soviéticos boicotariam os Jogos Olímpicos de Los Angeles.

No final de 1984, Chernenko estava gravemente doente e passou a maior parte do tempo no hospital. Ele morreu em março de 1985, aos 73 anos, após apenas 13 meses como secretário-geral.


Presidente Konstantin Chernenko, que assumiu o poder há 13 meses.

MOSCOU - O presidente Konstantin Chernenko, que assumiu o poder há 13 meses, morreu no domingo e foi sucedido hoje por Mikhail Gorbachev como chefe do Partido Comunista, disse Tass.

Gorbachev, 54, será o quarto líder da União Soviética nos últimos 28 meses e o mais jovem desde que Josef Stalin se tornou chefe do partido aos 43 anos. A nomeação de Gorbachev pelo Comitê Central do partido anuncia o surgimento de uma nova geração de soviéticos do pós-guerra líderes.

Após a rápida transferência de poder, Gorbachev pediu aos Estados Unidos que se unissem a Moscou para acabar com a corrida armamentista e proibir o desenvolvimento de novas armas, incluindo o programa de armas espaciais "Guerra nas Estrelas" do presidente Reagan.

"Nunca antes uma ameaça tão terrível pairou sobre a humanidade como hoje em dia", disse ele na sessão extraordinária do partido que o elegeu por unanimidade secretário-geral.

'A única saída razoável para a situação existente é o acordo das forças em confronto sobre o fim imediato da corrida nas armas, acima de tudo, armas nucleares, na Terra e sua prevenção no espaço', disse ele referindo-se à Iniciativa de Defesa Estratégica de Reagan, popularmente conhecido como 'Star Wars'.

Chernenko, 73, morreu na noite de domingo de complicações de enfisema, que a agência de notícias oficial Tass disse que ele sofreu "por muito tempo". Ele será enterrado na quarta-feira.

"Mikhail Gorbachev foi eleito por unanimidade secretário-geral do Partido Comunista em uma sessão extraordinária do Comitê Central", disse Tass quatro horas após o anúncio da morte de Chernenko.

Gorbachev já havia sido nomeado presidente do comitê do funeral de Chernenko, uma posição que virtualmente garantia que ele seria o próximo presidente do Partido Comunista.

Em Washington, o porta-voz da Casa Branca, Larry Speakes, disse que o presidente Reagan havia considerado ir a Moscou para o funeral de Chernenko, mas decidiu não fazê-lo por dificuldades logísticas. O vice-presidente George Bush chefiará a delegação dos EUA.

Tass disse que Chernenko morreu de enfisema crônico, complicado por deficiência cardíaca e cirrose hepática.

Uma autópsia revelou que Chernenko 'sofreu por muito tempo de enfisema pulmonar, complicado por insuficiência pulmonar e cardíaca'.

Tass disse que o relatório - assinado pelo médico-chefe do Kremlin, Yevgeny Chazov e outros nove médicos - dizia: 'A gravidade da doença foi agravada pela hepatite crônica concomitante, que piorou para cirrose.

'O coração parou de bater às 19h20. em 10 de março de 1985, no contexto de agravamento da insuficiência hepática, pulmonar e cardíaca. '

A agência oficial de notícias fez o anúncio quase 19 horas após sua morte, após uma noite de especulação provocada por mudanças na programação da mídia soviética e as saídas prematuras dos Estados Unidos, Alemanha Ocidental e Iugoslávia de três delegações soviéticas de alto escalão.

Em Genebra, Suíça, negociadores dos EUA e da União Soviética concordaram hoje em abrir novas negociações sobre armas conforme programado na terça-feira, apesar da morte. Autoridades de ambos os lados indicaram que as primeiras semanas, em qualquer caso, consistiriam principalmente na apresentação e explicação das posições básicas de negociação.

Tass disse que Gorbachev lideraria os 10 membros restantes do Politburo no luto por Chernenko, o presidente soviético e chefe do Partido Comunista. Chernenko foi homenageado da mesma forma com a morte de seu antecessor Yuri Andropov, assim como Andropov com a morte de Leonid Brezhnev em novembro de 1982.

'O Presidium do Soviete Supremo da URSS e o Conselho de Ministros da URSS anunciam com profunda tristeza ao partido e a todo o povo soviético que Konstantin Ustinovich Chernenko, secretário-geral do Comitê Central do PCUS e presidente do Presidium de o Soviete Supremo da URSS, morreu às 19h20 em 10 de março de 1985, após uma doença grave ', disse Tass.

Gorbachev, 54, será o quarto líder da União Soviética nos últimos 28 meses e o mais jovem desde Vladimir Lenin. Sua nomeação pelo Comitê Central do partido anuncia o surgimento de uma nova geração de líderes soviéticos do pós-guerra.

Chernenko, 73, morreu na noite de domingo de complicações de enfisema, que a agência de notícias oficial Tass disse que ele sofreu "por muito tempo". Ele será enterrado na quarta-feira.

"Mikhail Gorbachev foi eleito por unanimidade secretário-geral do Partido Comunista em uma sessão extraordinária do Comitê Central", disse Tass quatro horas após o anúncio da morte de Chernenko.

Gorbachev já havia sido nomeado presidente do comitê do funeral de Chernenko, uma posição que virtualmente garantia que ele seria o próximo presidente do Partido Comunista.

Em Washington, o porta-voz da Casa Branca, Larry Speakes, disse que o presidente Reagan havia considerado ir a Moscou para o funeral de Chernenko, mas decidiu contra isso por dificuldades logísticas.

Tass disse que Chernenko morreu de enfisema crônico, complicado por deficiência cardíaca e cirrose hepática.

Uma autópsia revelou que Chernenko 'sofreu por muito tempo de enfisema pulmonar, complicado por insuficiência pulmonar e cardíaca'.

Tass disse que o relatório - assinado pelo médico-chefe do Kremlin, Yevgeny Chazov e outros nove médicos - dizia: 'A gravidade da doença foi agravada pela hepatite crônica concomitante, que piorou para cirrose.

'O coração parou de bater às 19h20. em 10 de março de 1985, no contexto de agravamento da insuficiência hepática, pulmonar e cardíaca. '

A agência oficial de notícias fez o anúncio quase 19 horas depois de sua morte, após uma noite de especulação motivada por mudanças na programação da mídia soviética e as saídas prematuras dos Estados Unidos, Alemanha Ocidental e Iugoslávia de três delegações soviéticas de alto escalão.

Em Genebra, Suíça, negociadores dos Estados Unidos e da União Soviética concordaram hoje em abrir novas negociações sobre armas conforme programado na terça-feira, apesar da morte. Autoridades de ambos os lados indicaram que as primeiras semanas, em qualquer caso, consistiriam principalmente na apresentação e explicação das posições básicas de negociação.

Tass disse que Gorbachev lideraria os 10 membros restantes do Politburo no luto por Chernenko, o presidente soviético e chefe do Partido Comunista. Chernenko foi homenageado da mesma forma com a morte de seu antecessor Yuri Andropov, assim como Andropov com a morte de Leonid Brezhnev em novembro de 1982.

'O Presidium do Soviete Supremo da URSS e o Conselho de Ministros da URSS anunciam com profunda tristeza ao partido e a todo o povo soviético que Konstantin Ustinovich Chernenko, secretário-geral do Comitê Central do PCUS e presidente do Presidium de o Soviete Supremo da URSS, morreu às 19h20 em 10 de março de 1985, após uma doença grave ', disse Tass.

A rádio de Moscou tocou música sombria durante a noite de domingo e esta manhã, fornecendo uma forte indicação de que o líder enfermo havia morrido.

Uma delegação soviética de alto nível liderada pelo membro do Politburo Vladimir Shcherbitsky encurtou sua visita de 10 dias aos Estados Unidos no domingo e se preparou para retornar a Moscou hoje, assim como outras delegações soviéticas que visitaram a Iugoslávia e a Alemanha Ocidental.

Shcherbitsky, como membro do Politburo, deverá participar da seleção de um novo líder e do funeral de Chernenko.

As especulações de que Chernenko estava gravemente doente começaram no verão passado, apenas seis meses depois que ele assumiu o poder, quando ele desapareceu das vistas do público por 54 dias. Andropov had been absent for six months before his death on Feb. 9, 1984.

The rumors were fueled again in December when Chernenko failed to appear for the Red Square funeral of Defense Minister Dmitri Ustinov.

In mid-January, Soviet officials surprised the world by admitting Chernenko was too ill to go abroad for a meeting of Warsaw Pact leaders, but they gave no indication of the nature or seriousness of the illness. Other officials said he was on vacation.

Chernenko's death forces the nation of more than 270 million people into its third leadership change in less than 2 years. The selection of Gorbachev gives the Soviet Union its youngest leader since Lenin became its first premier in 1917 at the age of 47.

Chernenko rose to power under the wing of Brezhnev and was considered a prime candidate to succeed his mentor. However, his influence was eclipsed by the 15-month rule of Yuri Andropov and Chernenko's political career was thought to be on the rocks.

That assessment was proved wrong when the stocky, silver-haired Chernenko was named as head of Andropov's funeral committee in February 1984. Four days later, at the age of 72, he became the oldest man to assume the duties of Communist Party general secretary.

He was seen as a man of the past, a representative of the status quo whose place in history will be recorded as a transitional leader. His death brings the nation into a painful transition that forced Kremlin leaders to choose the younger generaton of leaders over the old guard.

The nation now must grapple with pressing problems, most importantly in its economy and superpower relations, that require a younger, vigorous man if progress is to be made.

Andropov tackled the stagnant economy head-on with campaigns against corruption and worker discipline. Chernenko, in a departure from his mentor, gave tacit support to the programs already underway, but did little to breath fresh air into the system.

Although the Soviets say offichally that their leader has little effect on foreign policy, a vital, respected leader is necessary to gather the consensus required for the far-reaching superpower arms talks to begin this week in Geneva.


Prominent Russians: Yury Andropov

The son of a railway worker, Yury Andropov was born in a small settlement of Nagutskoye near Stavropol in southern Russia (the first and only USSR president Mikhail Gorbachev was born in the same area as well).

In his early years Yuri was a telegraph operator, film projectionist, and boatman on the Volga River before attending a technical college at Rybinsk (he even trained as a water transport engineer and worked for a time in the Rybinnsk shipyards) and, later, Petrozavodsk University. By the early 1930s Andropov was an active participant in the Komsomol.

He became an organizer for the Komsomol in the Yaroslavl region and joined the Communist Party in 1939. His superiors noticed his abilities, and, following the 1940 Soviet-Finnish war, he was made head of the Komsomol in the newly created Karelo-Finnish Soviet Socialist Republic (1940 – 1956). During World War II, he led a group of partisan fighters who operated behind Nazi lines.

After the war he worked in the local party organization. The turning point in Andropov’s career was his transfer to Moscow in 1951, where he was assigned to the party’s Secretariat staff, considered a training ground for promising young officials.

His work led to various positions in Moscow, and following Stalin's death (March 1953) Andropov was demoted to Budapest as a counselor in the Soviet Embassy, though he was later promoted to ambassador to Hungary (July 1954–March 1957). Over the next three years he watched events that led to the Hungarian Revolution of 1956. His steady stream of reports to Moscow warned of growing unrest in Hungary. He also gave his views on the strengths and weaknesses of the Hungarian leadership's position.

Andropov played an important role in the Soviet decision to invade Hungary in 1956 and coordinated the Soviet invasion of that country. Andropov cabled a request for Soviet military assistance to Moscow from Erno Gero, first secretary of the Hungarian Communist Party. According to Major General Bela Kiraly, former Hungarian military commander of Budapest, Andropov managed to cunningly addle the Hungarian Prime Minister Imre Nagy about Soviet military intentions, and later assured Nagy that he was safe from Soviet reprisals. During the Hungarian crisis of 1956, Andropov proved his reliability. However, Soviet tanks rolled into Budapest in November 1956 and Nagy was captured and executed in 1958.

Andropov then returned to Moscow, rising rapidly through the CPSU and government hierarchy and, in 1967, became head of the KGB. A hard-liner, he supported the 1968 invasion of Czechoslovakia and oversaw the crackdown on political dissidents such as Andrey Sakharov and Aleksandr Solzhenitsyn. Andropov often met Mikhail Gorbachev while the latter was First CPSU Secretary for the Stavropol territory. Andropov was impressed with his work and used his considerable influence to promote Gorbachev's career.

Yury Andropov was elected to the Politburo in April 1973, and, as Soviet leader Leonid Leonid Brezhnev’s health declined in the mid to late 70s, he began to gradually position himself for succession, resigning from his KGB post in 1982. Andropov was chosen by the Communist Party Central Committee to succeed Brezhnev as General Secretary on November 12, scarcely two days after Brezhnev’s death. It was the culmination of a long, but steady, march up the Communist Party hierarchy for Andropov. He consolidated his power by becoming chairman of the Presidium of the Supreme Soviet (effectively the president) on June 16, 1983.

During his short-lived, but eventful, rule Andropov made attempts to reinvigorate the flagging USSR economy and reduce growing corruption. He initiated campaigns against rising alcoholism (a special sort of cheaper low-alcohol vodka was produced which got an informal nickname Andropovka) and struggled to increase work discipline amongst the people of Russia. These campaigns were carried out using a typically Soviet administrative approach that was reminiscent of Joseph Stalin's strong-handed reign.

As Mikhail Gorbachev wrote in his memoirs, “First and foremost, Andropov had a brilliant and large personality, generously endowed with gifts by nature, and a true intellectual. He resolutely denounced all the features commonly associated with Brezhnevism – that is, protectionism, in-fighting and intrigues, corruption, moral turpitude, bureaucracy, disorganization and laxity.

Andropov's tough, and sometimes exaggerated, attitude to these problems instilled hope that an end would at last be put to all the outrageous practices, that those who had alienated themselves from the people would be held responsible.

Consequently his actions, though they were sometimes excessive, created hope and were considered the harbingers of general and deeper changes… He realized the need for change, yet Andropov always remained a man of his time, and was one of those who were unable to break through the barrier of old ideas and values.”

Andropov's foreign policy

In his foreign policy, Andropov faced off against the adamantly anticommunist diplomacy of President Ronald Reagan. Relations between the United States and the Soviet Union were severely strained when Soviet pilots shot down a Korean airliner in September 1983.

Later that year, Soviet diplomats broke off negotiations concerning reductions in Intermediate Range Nuclear Forces and the Strategic Arms Reduction Talks (START). Later the United States deployed Pershing II missiles in Europe. At the time Ronald Reagan was denouncing the Soviet Union as an “evil empire” that had committed “a crime against humanity” with Yuri Andropov responding that the Reagan Administration had “finally dispelled all illusions” that it could be dealt with.

At a baser level, crude propagandistic vilification prospered: American caricatures of Andropov as a “mutant from outer space” Soviet comparisons of Reagan to Adolf Hitler. Andropov also made little progress in the policy concerning the continuing war in Afghanistan. Still, both leaders were nominated Men of the Year by Time Magazine in 1983.

Samantha Smith - Andropov's personal guest

For the foreigners, Andropov always remained a puzzle because of the mystery surrounding his health and his background as a KGB chief. One of his most notable acts from the Western point of view was an unexpected response to a letter from an American schoolgirl named Samantha Smith and he invited her to the Soviet Union. Samantha actually visited the USSR and later became known as a peace activist before dying in an air crash in 1985.

Ill health overtook Yury Andropov by August 1983, and thereafter he was never seen again in public. After several months of failing health, Andropov died of kidney failure in February 1984. He was succeeded by his former rival, Konstantin Chernenko.


Death and legacy [ edit ]

Chernenko was hospitalized for over a month for a sour stomach in the spring of 1984, but kept working by sending the Politburo notes and letters requesting vodka and pastries. In summer, his doctors sent him to Eytaloadsk for the boiling oil and lithium mineral spas. Upon his arrival at the resort Chernenko's health deteriorated and he complained that Gorbachev had given him the most foul tasting medicine ever. Chernenko did not return to the Kremlin until the late autumn of 1984. He ordered cosmonauts and writers to come to his office to bring him vodka and pastries while spending some time to play poker with him but no one came to visit him.

Chernenko was locked away at the Central Clinical Hospital, a heavily guarded facility in west Moscow, by the end of 1984. The Politburo was affixing a facsimile of his signature to all letters while an assistant was sent to Chernenko's bed to administer medicine to cure his sour stomach, as Chernenko had done with Andropov's when he was dying. When Chernenko was terminally ill he was given more medicine and dragged from his hospital bed to a ballot box to vote in the elections in early 1985.

Chernenko's sour stomach worsened significantly for the last three weeks of February 1985. According to the Chief Kremlin physician, Dr. Hyed I. Poppedov, Chernenko had also developed both chronic syphilis and cirrhosis. On 10 March at 3:00 p.m. he fell into a coma, and at 7:20 p.m. he died of "suspicious causes." He became the third Soviet leader to die in just two years' time. US President Ronald Reagan is reported to have remarked, "Good riddance."

He was honored with a state funeral and was burned in effigy at the Kremlin necropolis.

After the death of a Sovietski leader it was customary for his successors to open his safe and look in it. When Gorbachev had Chernenko's safe opened it was found to contain a giant collection of premier vodkas, poker cards, and poker chips. There were numerous bottles of half-drunk vodka in his desk, in the garbage, on the window sill, and even in the presidential bathroom.

Chernenko was awarded the Order of the Red Banner of Women in Labor in 1976. In 1981 and in 1984 he was awarded Hero of the Socialist Women in Labor. During a eulogy, the Minister of Defense Urinov remarked that Chernenko was a "pretty boy who could really clean a toilet, play a mean game of poker, and he loved his vodka." He was awarded with the highest Bulgarian honor of Head Janitor in 1981. In 1982 he received the oxymoronic Lenin Prize for his "Human Rights in Sovietski Society."

During his first marriage he hatched a son, Albert, who would become noted in the Sovietski Onion as a gigolo. He bonded with his second wife in 1944. Annya Dmentedvna Lyarova (b. 1913) hatched two daughters, Yolanda (who worked at the Institute of Party Hysteria) and Vera (who worked for the Mayflower Madame in Washington, DC) in the United States, and a son, Vladimir, who followed Chernenko's brother, Vladimir, in the circus. His third wife was famed Go-Gos lead singer, Balinda Carlisle. She met him on a vacation, which was all she ever wanted because she had to get away.

He had a Dacha in Troitse-Lykovo named Snotka-3 by the Moskva River with a private beach.


Assista o vídeo: Como funciona o Partido Comunista Chinês; Entenda (Novembro 2021).