A história

O primeiro site do mundo


Filho de cientistas da computação, Berners-Lee nasceu em Londres em 1955 (o mesmo ano que Steve Jobs e Bill Gates) e estudou física em Oxford. Enquanto trabalhava no CERN na década de 1980, Berners-Lee observou como era difícil manter o controle dos projetos e sistemas de computador dos milhares de pesquisadores da organização, que estavam espalhados pelo mundo. Como ele declarou mais tarde: “Naquela época, havia informações diferentes em computadores diferentes, mas você tinha que fazer logon em computadores diferentes para acessá-las. Além disso, às vezes você tinha que aprender um programa diferente em cada computador. ”

Em março de 1989, Berners-Lee deu aos gerentes do CERN uma proposta para um sistema de gerenciamento de informações que usava hipertexto para vincular documentos em diferentes computadores conectados à Internet. (Hipertexto, um termo cunhado em 1963, permite que uma pessoa obtenha um documento ou parte do conteúdo clicando em uma palavra ou frase codificada.) Rotulada como "vaga, mas emocionante" por seu chefe, a proposta a princípio não foi aceita. Berners-Lee se juntou a Robert Cailliau, um engenheiro belga do CERN, para refinar a proposta e, em 1990, o chefe do inglês deu-lhe tempo para trabalhar no projeto. Depois de ligar para o projeto Information Management, Berners-Lee experimentou nomes como Mine of Information e Information Mesh antes de escolher o WorldWideWeb.

No final de 1990, Berners-Lee, usando um computador NeXT projetado por Steve Jobs, desenvolveu as tecnologias-chave que são a base da Web, incluindo Hypertext Markup Language (HTML), para a criação de páginas da Web; Protocolo de Transferência de Hipertexto (HTTP), um conjunto de regras para transferência de dados pela Web; e Uniform Resource Locators (URLs) ou endereços da Web para localizar um documento ou página. Ele também desenvolveu um navegador básico e um software de servidor da Web.

O início da Web como um serviço disponível publicamente na Internet chegou em 6 de agosto de 1991, quando Berners-Lee publicou o primeiro site da história. Apropriadamente, o site era sobre o projeto World Wide Web, descrevendo a Web e como usá-la. Hospedado no CERN no computador NeXT de Berners-Lee, o URL do site era http://info.cern.ch.

Berners-Lee não tentou lucrar com sua invenção e rejeitou o pedido do CERN para patentear sua tecnologia da web. Ele queria que a Web fosse aberta e gratuita para que pudesse se expandir e evoluir o mais rápido possível. Como ele disse mais tarde, “Se a tecnologia fosse proprietária e em meu controle total, provavelmente não teria decolado. Você não pode propor que algo seja um espaço universal e ao mesmo tempo manter o controle dele. ”

Em 1993, uma equipe do Centro Nacional de Aplicativos de Supercomputação da Universidade de Illinois lançou o Mosaic, o primeiro navegador da Web a se tornar popular entre o público em geral. Os anos seguintes viram o lançamento de sites como Yahoo (1994), Amazon (1995), eBay (1995) e Google (1998). Quando o Facebook foi lançado em 2004, havia mais de 51 milhões de sites, de acordo com o Internet Live Stats.

Enquanto isso, em 1994, Berners-Lee trocou o CERN pelo Massachusetts Institute of Technology, onde fundou o World Wide Web Consortium (W3C), uma organização que mantém padrões para a web. O visionário de baixo perfil passou a ser nomeado uma das 100 pessoas mais importantes do século 20 pela Time Magazine e, em 2004, foi nomeado cavaleiro pela Rainha Elizabeth II. Em 2009, Berners-Lee fundou a World Wide Web Foundation, uma organização focada em garantir que a Web beneficie a humanidade. Durante a cerimônia de abertura nos Jogos Olímpicos de Verão de 2012 em Londres, ele foi homenageado por inventar a Web e tweetou: “Isso é para todos”.


A história das redes sociais: como tudo começou!

Hoje em dia, não se pode mais imaginar como encontrar amigos e contatos sem redes sociais. As redes sociais nos ajudaram a ficar mais próximos de nossos amigos, mesmo quando eles estão a mil quilômetros de distância. Por meio da World Wide Web, podemos nos conectar com pessoas de todo o mundo, tornando mais fácil manter contato com amigos e familiares. As redes sociais agora são uma indústria de bilhões de dólares, mas mal podemos nos lembrar de quando ela não existia.

Você também pode gostar de ler sobre a história do Adobe Photoshop, Apple, Web Forms, Google Doodles ou Compras Online.

Vamos fazer uma viagem no tempo e descobrir a história das redes sociais e como elas cresceram, passo a passo. Mais adiante neste artigo, você também verá a história da internet e como as redes sociais podem ajudá-lo a ter sucesso.

Índice:


O primeiro site do mundo - HISTÓRIA

A primeira máquina a executar um servidor Web

Hoje descobri qual foi o primeiro site já feito. Simplificando, era um site feito pelo criador da World Wide Web & # 8217s Tim Berners-Lee, que trabalhava para o CERN (Organização Europeia para Pesquisa Nuclear).

O primeiro site da história foi publicado em 6 de agosto de 1991 e exibia uma página explicando o projeto da World Wide Web e dando informações sobre como os usuários poderiam configurar um servidor web e como criar seus próprios sites e páginas da web, bem como como poderiam pesquise informações na web. O URL da primeira página da web colocada no primeiro site da história foi http://info.cern.ch/hypertext/WWW/TheProject.html

Este link não está mais ativo e, infelizmente, ninguém se preocupou em fazer uma cópia desta página original, que costumava ser atualizada diariamente. A versão mais antiga que foi gravada foi em 1992 e uma cópia dessa página pode ser encontrada aqui.

O primeiro navegador da web, chamado WorldWideWeb, também foi criado por Tim Berners-Lee. Este navegador tinha uma interface gráfica de usuário agradável, permitia várias fontes e tamanhos de fonte permitidos para download e exibição de imagens, sons, animações, filmes, etc. e tinha a capacidade de permitir que os usuários editassem as páginas da web visualizadas para promover a colaboração de informações . No entanto, este navegador só rodava no sistema operacional NeXT Step & # 8217s, que a maioria das pessoas não tinha devido ao alto custo desses sistemas (esta empresa era de propriedade de Steve Jobs, então você pode imaginar o aumento de custos -)).

Para fornecer um navegador que qualquer pessoa pudesse usar, o próximo navegador que ele desenvolveu era muito mais simples e, portanto, as versões dele podiam ser desenvolvidas rapidamente para rodar em praticamente qualquer computador, praticamente independentemente do poder de processamento ou do sistema operacional. Era um navegador embutido básico (linha de comando / texto apenas), que não tinha a maioria dos recursos de seu navegador original, mas pelo menos podia ser usado em praticamente qualquer computador na época e permitia que as pessoas acessar as informações na web.

O primeiro servidor da web também foi escrito por Tim Berners-Lee, chamado CERN HTTPd, a última parte representando & # 8220Hypertext Transfer Protocol daemon & # 8221. Para quem não está familiarizado, um daemon é simplesmente um programa que roda mais ou menos em segundo plano em um sistema, fazendo tudo o que está programado para fazer neste caso, ouvindo e respondendo a solicitações de páginas da web que existem na máquina que está executando assim, este daemon seria chamado de & # 8220server & # 8221.

Se você gostou deste artigo e dos Fatos bônus abaixo, você também pode gostar:


World Wide Web Foundation

Sir Tim Berners-Lee inventou a World Wide Web em 1989.

Sir Tim Berners-Lee inventou a World Wide Web em 1989.

Sir Tim Berners-Lee é um cientista da computação britânico. Ele nasceu em Londres e seus pais foram os primeiros cientistas da computação, trabalhando em um dos primeiros computadores.

Enquanto crescia, Sir Tim se interessava por trens e tinha um modelo de ferrovia em seu quarto. Ele lembra:

“Fiz alguns aparelhos eletrônicos para controlar os trens. Depois, acabei ficando mais interessado em eletrônica do que em trens. Mais tarde, quando eu estava na faculdade, fiz um cálculor de um aparelho de televisão antigo. ”

Depois de se formar na Universidade de Oxford, Berners-Lee tornou-se engenheiro de software no CERN, o laboratório de física de grandes partículas perto de Genebra, na Suíça. Cientistas vêm de todo o mundo para usar seus aceleradores, mas Sir Tim percebeu que eles estavam tendo dificuldade em compartilhar informações.

“Naquela época, havia informações diferentes em computadores diferentes, mas era preciso fazer logon em computadores diferentes para acessá-las. Além disso, às vezes você tinha que aprender um programa diferente em cada computador. Muitas vezes era apenas mais fácil perguntar às pessoas quando elas estavam tomando café & # 8230 ”, Tim diz.

Tim pensou ter visto uma maneira de resolver esse problema - uma maneira que ele pudesse ver também poderia ter aplicações muito mais amplas. Já milhões de computadores estavam sendo conectados através da Internet em rápido desenvolvimento e Berners-Lee percebeu que eles poderiam compartilhar informações explorando uma tecnologia emergente chamada hipertexto.

Em março de 1989, Tim expôs sua visão do que viria a ser a web em um documento denominado “Gestão da Informação: Uma Proposta”. Acredite ou não, a proposta inicial de Tim não foi aceita imediatamente. Na verdade, seu chefe na época, Mike Sendall, anotou as palavras “Vago, mas emocionante” na capa. A web nunca foi um projeto oficial do CERN, mas Mike deu tempo para Tim trabalhar nisso em setembro de 1990. Ele começou a trabalhar usando um computador NeXT, um dos primeiros produtos de Steve Jobs.

Proposta original de Tim & # 8217s. Imagem: CERN

Em outubro de 1990, Tim havia escrito as três tecnologias fundamentais que permanecem a base da web de hoje (e que você deve ter visto em partes do seu navegador):

  • HTML: linguagem de marcação de hipertexto. A linguagem de marcação (formatação) da web.
  • URI: Identificador Uniforme de Recursos. Uma espécie de “endereço” único e utilizado para identificar cada recurso na web. Também é comumente chamado de URL.
  • HTTP: Protocolo de transferência de hipertexto. Permite a recuperação de recursos vinculados de toda a web.

Tim também escreveu o primeiro editor / navegador da página da web (“WorldWideWeb.app”) e o primeiro servidor da web (“httpd“). No final de 1990, a primeira página da Web foi veiculada na Internet aberta e, em 1991, pessoas de fora do CERN foram convidadas a ingressar nessa nova comunidade da Web.

À medida que a web começou a crescer, Tim percebeu que seu verdadeiro potencial só seria liberado se alguém, em qualquer lugar, pudesse usá-la sem pagar uma taxa ou ter que pedir permissão.

Ele explica: “Se a tecnologia fosse proprietária, e em meu controle total, provavelmente não teria decolado. Você não pode propor que algo seja um espaço universal e ao mesmo tempo manter o controle dele. ”

Portanto, Tim e outros defenderam que o CERN concordasse em disponibilizar o código subjacente sem royalties, para sempre. Esta decisão foi anunciada em abril de 1993 e desencadeou uma onda global de criatividade, colaboração e inovação nunca vista antes. Em 2003, as empresas que desenvolviam novos padrões da web se comprometeram com uma Política de Royalty Free para seu trabalho. Em 2014, ano em que comemoramos o 25º aniversário da web, quase duas em cada cinco pessoas ao redor do mundo a usavam.

Tim mudou do CERN para o Instituto de Tecnologia de Massachusetts em 1994 para fundar o World Wide Web Consortium (W3C), uma comunidade internacional dedicada ao desenvolvimento de padrões abertos da web. Ele continua sendo o Diretor do W3C até hoje.

A comunidade da web inicial produziu algumas ideias revolucionárias que agora estão se espalhando muito além do setor de tecnologia:

  • Descentralização: Nenhuma permissão é necessária de uma autoridade central para postar qualquer coisa na web, não há nenhum nó de controle central e, portanto, nenhum ponto único de falha ... e nenhum “interruptor de eliminação”! Isso também implica liberdade de censura e vigilância indiscriminadas.
  • Não discriminação: Se eu pagar para me conectar à internet com uma determinada qualidade de serviço, e você pagar para se conectar com essa ou com uma qualidade de serviço maior, então podemos nos comunicar no mesmo nível. Este princípio de equidade também é conhecido como Neutralidade Líquida.
  • Design de baixo para cima: em vez de o código ser escrito e controlado por um pequeno grupo de especialistas, ele foi desenvolvido à vista de todos, incentivando a máxima participação e experimentação.
  • Universalidade: para que qualquer pessoa possa publicar qualquer coisa na web, todos os computadores envolvidos têm que falar as mesmas línguas uns com os outros, não importa quais hardwares diferentes as pessoas estejam usando onde moram ou que crenças culturais e políticas tenham. Dessa forma, a teia quebra os silos enquanto permite que a diversidade floresça.
  • Consenso: para que os padrões universais funcionem, todos devem concordar em usá-los. Tim e outros alcançaram esse consenso dando a todos uma palavra a dizer na criação dos padrões, por meio de um processo transparente e participativo no W3C.

Novas permutações dessas idéias estão dando origem a novas abordagens interessantes em campos tão diversos como informação (Dados Abertos), política (Governo Aberto), pesquisa científica (Acesso Aberto), educação e cultura (Cultura Livre). Mas, até o momento, apenas arranhamos a superfície de como esses princípios podem mudar a sociedade e a política para melhor.

Em 2009, Sir Tim co-fundou a World Wide Web Foundation com Rosemary Leith. A Web Foundation está lutando pela web que queremos: uma web segura, capacitadora e para todos.

Por favor, explore nosso site e nosso trabalho. Esperamos que você se inspire em nossa visão e decida agir. Lembre-se, como Tim tuitou durante a Cerimônia de Abertura das Olimpíadas em 2012, “Isso é para todos”.

Nota importante: este texto pretende ser uma breve introdução à história da web. Para uma conta mais detalhada, você pode querer considerar a leitura:


A virada do século

A web avançou muito nos anos que se seguiram à crise tecnológica de 2000 e ndash2001. Durante esse tempo, o governo começou a desempenhar um papel cada vez mais influente na web, enquanto, ao mesmo tempo, fortes empresas de tecnologia emergiam das cinzas do grande colapso para definir o novo rumo para o comércio e a cultura digital. E, à medida que essa base mais nova e sólida foi lançada, a internet se tornou cada vez mais o principal canal de telecomunicações na era moderna.

À medida que as melhorias de hardware cultivaram redes mais amplas e maior largura de banda, o desenvolvimento da web respondeu, permitindo aos designers uma gama de multimídia para incorporar na arte crescente e diversificada da apresentação na web. As folhas de estilo em cascata proporcionaram ao web design novas maneiras de organizar e exibir o conteúdo. O vídeo em Flash forjou um estilo novo e totalmente único de arte e animação na web, e o streaming de vídeo mudou a maneira como as pessoas consomem filmes para sempre. Ainda assim, com todas essas revoluções e progressões no desenvolvimento da web & ndash, a interface e a estrutura básicas da página da web mantiveram sua integridade e equilíbrio de forma e função. (Para obter mais informações sobre desenvolvimento da Web moderno, consulte 10 coisas que todo desenvolvedor da Web moderno deve saber.)


A História das Compras Online

Começou pela primeira vez em 1979 quando Michael Aldrich usou o teletexto (também conhecido como VideoTex) - um serviço de mensagem bidirecional que revolucionou os negócios.

No 1981 vimos a primeira transação business to business com a Thomson Holidays do Reino Unido.

1982, Mintel (um serviço online acessível por linhas telefônicas), foi usado para fazer compras online, reservar passagens de trem, chat, verificar preços de ações etc.

1984 - o primeiro comprador online em uma loja Tescos.

Avançar para 1990 e Tim Berners-Lee criou o primeiro navegador e servidor da web.

No 1991 a Internet tornou-se comercializada e viu nascer o e-commerce. A Amazon começou a vender livros online e Pierre Omidyar fundou o eBay. Ambas as empresas são agora os locais favoritos para tudo à venda online em todo o mundo.

Nos anos seguintes, depois de testemunhar o potencial de algumas lojas online, muitos concorrentes e alternativas foram criados.

1997 viu o surgimento de sites de comparação e pouco depois, em 1998, o Paypal foi fundado.

Nos anos subsequentes, o comércio e as compras online se tornaram a norma e não podemos compreender como seria o mundo sem eles.

Embora o número de vendas, produtos e serviços online tenha explodido, nada de fundamental mudou muito.

Para o agora…. trazer a criptomoeda e o blockchain.

Agora estamos vendo a criptomoeda sendo adotada de forma mais ampla. Até agora principalmente para fins de investimento, mas em breve poderemos gastar criptomoeda em vez de fiduciário (dólar / libras etc).

Um dos maiores desafios da criptomoeda é a capacidade de transformá-la em uma moeda passível de compra. Taxas de câmbio, encargos e impostos tornam isso caro e desafiador, muitas vezes tornando-o inviável economicamente.

A grande maioria dos detentores de criptomoedas está segurando sua moeda à espera do dia em que poderá usá-la para comprar bens e serviços diretamente, sem a necessidade de troca por fiat.

A boa notícia é que estamos vendo mais e mais empresas oferecendo seus produtos aos detentores de criptomoedas.

Um exemplo disso são os agentes de viagens aos vendedores de vouchers de oferta.

Dois jogadores importantes neste campo são TravelBlock e Zeex.

TravelBlock oferecerá a possibilidade de comprar feriados e viagens usando criptomoeda. Devido à natureza do blockchain em que sua plataforma residirá, eles são capazes de oferecer descontos incríveis, mesmo quando comparados ao agente on-line atual mais barato, Expedia. A economia varia de 25% a 60% e você pode ter certeza de que a experiência de férias será exatamente a mesma e usará exatamente os mesmos hotéis, resorts e agências de viagens.

Zeex oferecerá a capacidade de comprar vales-presente com criptomoeda e, em seguida, trocá-los por produtos e serviços de grandes parceiros, como Amazon, Tescos, Sainbury's, Xbox, Nike e Adidas, para citar apenas alguns.

Tendo em mente a grande quantidade de itens disponíveis nesses estabelecimentos, é quase certo que você possa usar sua criptomoeda para comprar quase tudo o que precisa na vida.

Ambos TravelBlock e Zeex estão na ICO no momento, procurando viver muito em breve.

Essas empresas apresentam uma grande oportunidade de investimento e são apoiadas por grandes equipes e parceiros.

Se desejar obter mais detalhes sobre qualquer uma das empresas, visite seus webistes ou Grupos de telegramas conforme listado abaixo:


Histórico do navegador da web

Dezenas de sites inovadores navegadores foram criados por várias pessoas e equipes ao longo dos anos.

O primeiro navegador amplamente usado foi NCSA Mosaic. A equipe de programação do Mosaic criou então o primeiro navegador comercial da Web, chamado Netscape Navigator, mais tarde renomeado como Communicator e, em seguida, renomeado apenas para Netscape. O navegador Netscape liderou em compartilhamento de usuário até que o Microsoft Internet Explorer assumiu a liderança em 1999 devido à sua vantagem de distribuição. Uma versão de software livre de código aberto do Netscape foi então desenvolvida chamada Mozilla, que era o nome interno do antigo navegador Netscape, e lançado em 2002. Mozilla desde então ganhou em participação de mercado, especialmente em plataformas não Windows, em grande parte devido ao seu e à medida que a Internet se tornou mais amplamente disponível nos Estados Unidos e em todo o mundo, foi lançado em 2004 como a versão rapidamente popular do FireFox.

Uma lista cronológica de alguns dos primeiros navegadores influentes que desenvolveram o estado da arte é fornecida abaixo:

  • Rede mundial de computadores. Tim Berners-Lee escreveu o primeiro navegador da web em um computador NeXT, chamado WorldWideWeb, terminando a primeira versão no dia de Natal de 1990. Ele lançou o programa para várias pessoas no CERN em março de 1991, apresentando a web à comunidade de física de alta energia, e começando sua propagação.
  • libwww. Berners-Lee e um aluno do CERN chamado Jean-Francois Groff portaram o aplicativo WorldWideWeb do ambiente NeXT para a linguagem C mais comum em 1991 e 1992, chamando o novo navegador de libwww. Mais tarde, Groff fundou a primeira empresa de web design, a InfoDesign.ch.
  • Modo de linha. Nicola Pellow, uma estudante de matemática estagiando no CERN, escreveu um navegador de modo de linha que funcionava em qualquer dispositivo, até mesmo um teletipo. Em 1991, Nicola e a equipe portaram o navegador para uma série de computadores, de Unix para o Microsoft DOS, para que qualquer pessoa pudesse acessar a web, naquele ponto consistindo principalmente na lista telefônica do CERN.
  • Erwise. Depois de uma visita de Robert Cailliau, um grupo de alunos da Universidade de Tecnologia de Helsinque se juntou para escrever um navegador da web como um projeto mestre & # 8217s. Como a sigla do departamento era & # 8220OTH & # 8221, eles chamaram o navegador de & # 8220erwise & # 8221, como uma piada da palavra & # 8220otherwise & # 8221. A versão final foi lançada em abril de 1992 e incluía vários recursos avançados, mas não foi mais desenvolvida depois que os alunos se formaram e seguiram para outros empregos.
  • ViolaWWW. Pei Wei, um estudante da Universidade da Califórnia em Berkeley, lançou o segundo navegador para Unix, chamado ViolaWWW, em maio de 1992. Esse navegador foi construído na poderosa linguagem interpretativa chamada Viola que Wei havia desenvolvido para computadores Unix. ViolaWWW tinha uma gama de recursos avançados, incluindo a capacidade de exibir gráficos e fazer download miniaplicativos.
  • Midas. Durante o verão de 1992, Tony Johnson em SLAC desenvolveu um terceiro navegador para sistemas Unix, chamado Midas, para ajudar a distribuir informações aos colegas sobre suas pesquisas em física.
  • Samba. Robert Cailliau iniciou o desenvolvimento do primeiro navegador web para Macintosh, chamado Samba. O desenvolvimento foi escolhido por Nicola Pellow, e o navegador estava funcional no final de 1992.
    . Marc Andreessen e Eric Bina do NCSA lançaram a primeira versão do Mosaic para X-Windows em computadores Unix em fevereiro de 1993. Uma versão para Macintosh foi desenvolvida por Aleks Totic e lançada alguns meses depois, tornando o Mosaic o primeiro navegador com cross -suporte de plataforma. O Mosaic introduziu suporte para som, videoclipes, suporte a formulários, favoritos e arquivos de histórico e rapidamente se tornou o navegador não comercial mais popular. Em agosto de 1994, a NCSA atribuiu os direitos comerciais da Mosaic à Spyglass, Inc., que posteriormente licenciou a tecnologia para várias outras empresas, incluindo a Microsoft para uso no Internet Explorer. O NCSA parou de desenvolver o Mosaic em janeiro de 1997.
  • Arena. Em 1993, Dave Raggett da Hewlett-Packard em Bristol, Inglaterra, desenvolveu um navegador chamado Arena, com recursos poderosos para posicionar tabelas e gráficos.
    Lince. A Universidade de Kansas havia desenvolvido um navegador de hipertexto independente da web, chamado Lynx, usado para distribuir informações do campus. Um aluno chamado Lou Montulli adicionou um Internet interface para o programa, e lançou o navegador da web Lynx 2.0 em março de 1993. O Lynx rapidamente se tornou o navegador preferido para terminais de modo de caractere sem gráficos e continua em uso hoje. Os recursos incluem a página Browser.org Lynx.
    Violoncelo. Tom Bruce, cofundador do Legal Information Institute, percebeu que a maioria dos advogados usava o Microsoft PC & # 8217s e, por isso, desenvolveu um navegador da web para essa plataforma chamado Cello, concluído no verão de 1993.
    . Em 1994, o navegador Opera foi desenvolvido por uma equipe de pesquisadores em uma empresa de telecomunicações chamada Telenor em Oslo, Noruega. No ano seguinte, dois membros da equipe & # 8212 Jon Stephenson von Tetzchner e Geir Ivars? Y & # 8212 deixaram a Telenor para estabelecer a Opera Software para desenvolver o navegador comercialmente. O Opera 2.1 foi disponibilizado pela primeira vez na Internet no verão de 1996.
  • Internet em uma caixa. Em janeiro de 1994, O & # 8217Reilly and Associates anunciaram um produto chamado Internet In A Box que coletava todos os softwares necessários para acessar a web juntos, de forma que você só tinha que instalar um aplicativo, em vez de baixar e instalar vários programas. Embora não seja um navegador único por si só, este produto foi uma inovação porque distribuiu outros navegadores e tornou a web muito mais acessível para o usuário doméstico.
  • Navipress. Em fevereiro de 1994, a Navisoft lançou um navegador para PC e Macintosh chamado Navipress. Este foi o primeiro navegador desde Berners-Lee e # 8217s WorldWideWeb que incorporou um editor, para que você pudesse navegar e editar conteúdo ao mesmo tempo. O Navipress mais tarde se tornou AOLPress e ainda está disponível em alguns locais de download na Internet, mas não foi mantido desde 1997.
    . Em outubro de 1994, a Netscape lançou a primeira versão beta de seu navegador, Mozilla 0.96b, pela Internet. Em 15 de dezembro, a versão final foi lançada, Mozilla 1.0, tornando-se o primeiro navegador comercial da web. Uma versão de código aberto do navegador Netscape foi lançada em 2002 também foi chamada de Mozilla em homenagem a esta versão inicial, e então lançada como o rapidamente popular FireFox em novembro de 2004.
  • Internet Explorer. Em 23 de agosto de 1995, a Microsoft lançou seu sistema operacional Windows 95, incluindo um navegador da Web chamado Internet Explorer. No outono de 1996, o Explorer tinha um terço da participação de mercado e ultrapassou o Netscape para se tornar o navegador da web líder em 1999.

À medida que a velocidade da Internet e o hardware continuavam a melhorar, muitos outros navegadores também foram desenvolvidos na década de 1990 e na década de 8217 para atender a requisitos de nicho, vários dos quais estão listados abaixo:


O primeiro site do mundo entrou no ar há 25 anos hoje

Hoje o primeiro site do mundo completa 25 anos. Criado pelo cientista da computação britânico Tim Berners-Lee em 1990, quando ele era pesquisador da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (CERN), o site existe até hoje.

O endereço do site é info.cern.ch e fornece informações sobre a world wide web - a plataforma que fica no topo da Internet, onde documentos e páginas da Internet podem ser acessados ​​por URLs e conectados entre si por meio de hiperlinks, assim.

"Quando vinculamos informações na web, nos capacitamos a descobrir fatos, criar ideias, comprar e vender coisas e forjar novos relacionamentos em uma velocidade e escala inimagináveis ​​na era analógica", escreveu Sir Berners-Lee.

Essa ideia simples - o vínculo - transformou a política, derrubou governos, levou à invenção dos negócios globais mais conhecidos de hoje e mudou irrevogavelmente nossas interações sociais com o mundo.

Quando Berners-Lee criou o primeiro site, a “internet” era um grupo de documentos estáticos, usados ​​quase exclusivamente por organizações de defesa e instituições acadêmicas.

Sua proposta deveria permitir que documentos eletrônicos na internet fossem facilmente pesquisados ​​e compartilhados.

"Achei frustrante que, naquela época, havia informações diferentes em computadores diferentes, mas era necessário fazer logon em computadores diferentes para acessá-las.

"Além disso, às vezes você tinha que aprender um programa diferente em cada computador. Então descobrir como as coisas funcionavam era realmente difícil. Muitas vezes era apenas mais fácil perguntar às pessoas quando elas estavam tomando café.

“Como as pessoas do CERN vieram de universidades de todo o mundo, eles trouxeram com eles todos os tipos de computadores. Não apenas Unix, Mac e PC: havia todos os tipos de computadores de grande porte e médios executando todos os tipos de software.

"Na verdade, escrevi alguns programas para pegar informações de um sistema e convertê-las para que pudessem ser inseridas em outro sistema. Mais de uma vez. E quando você é um programador e resolve um problema e depois resolve outro muito semelhante, você muitas vezes pensam: 'Não existe uma maneira melhor? Não podemos simplesmente resolver este problema para sempre?'

“Isso se tornou 'Não podemos converter todos os sistemas de informação para que pareçam parte de algum sistema de informação imaginário que todos possam ler?' E isso se tornou a World Wide Web. "

Hoje, ele é um defensor apaixonado da web aberta e da neutralidade da rede - o princípio de que todas as informações na Internet devem ser igualmente acessíveis aos usuários, independentemente de sua fonte.

Em particular, ele fez campanha publicamente contra a censura da web por parte dos governos.

Ele também pediu um novo modelo de privacidade na web, em que as pessoas sejam legalmente proprietárias de todos os seus dados na web, de forma que não possam ser usados ​​sem sua permissão.

Enquanto isso, o CERN evoluiu de uma organização que estuda computação e redes para um laboratório de física de partículas de ponta. Em 2013, os cientistas ganharam o Prêmio Nobel de Física pela descoberta do Bóson de Higgs no CERN, que "marca o culminar de décadas de esforço intelectual de muitas pessoas em todo o mundo", disse o Diretor-Geral do CERN, Rolf Heuer.

Se você visitar o CERN hoje, poderá ver o computador NeXT original no qual Sir Berners-Lee construiu o primeiro site da Web, com o rótulo escrito à mão em tinta vermelha: "Esta máquina é um servidor. NÃO DESLIGUE !!"


História do comércio eletrônico

Uma das atividades mais populares na Web são as compras. É muito atraente e você pode fazer compras quando quiser, a qualquer hora e de pijama. Literalmente, qualquer pessoa pode ter suas páginas criadas para exibir seus produtos e serviços específicos.

A história do comércio eletrônico remonta à invenção da noção muito antiga de & quotsell e compre & quot, eletricidade, cabos, computadores, modems e Internet. O comércio eletrônico se tornou possível em 1991, quando a Internet foi aberta para uso comercial. Desde aquela data, milhares de empresas fixaram residência em websites.

A princípio, o termo comércio eletrônico significava o processo de execução de transações comerciais eletronicamente com a ajuda das tecnologias líderes, como Electronic Data Interchange (EDI) e Electronic Funds Transfer (EFT), que dava aos usuários a oportunidade de trocar informações de negócios e fazer transações eletrônicas transações. A capacidade de usar essas tecnologias surgiu no final dos anos 1970 e permitiu que empresas e organizações enviassem documentação comercial eletronicamente.

Embora a popularidade da Internet tenha começado a crescer entre o público em geral em 1994, demorou aproximadamente quatro anos para desenvolver os protocolos de segurança (por exemplo, HTTP) e DSL que permitiam um acesso rápido e uma conexão persistente à Internet. Em 2000, um grande número de empresas nos Estados Unidos e na Europa Ocidental representaram seus serviços na World Wide Web. Nesse momento, o significado da palavra comércio eletrônico foi alterado. As pessoas começaram a definir o termo comércio eletrônico como o processo de compra de bens e serviços disponíveis pela Internet usando conexões seguras e serviços de pagamento eletrônico. Embora o colapso das pontocom em 2000 tenha levado a resultados infelizes e o desaparecimento de muitas empresas de comércio eletrônico, os varejistas de "tijolos e argamassa" reconheceram as vantagens do comércio eletrônico e começaram a adicionar esses recursos a seus sites (por exemplo, após o surgimento da loja online Webvan para arruinar, duas redes de supermercados, Albertsons e Safeway, começaram a usar o comércio eletrônico para permitir que seus clientes comprassem mantimentos online). No final de 2001, a maior forma de comércio eletrônico, o modelo Business-to-Business (B2B), tinha cerca de US $ 700 bilhões em transações.

De acordo com todos os dados disponíveis, as vendas de comércio eletrônico continuaram a crescer nos próximos anos e, no final de 2007, as vendas de comércio eletrônico representavam 3,4 por cento das vendas totais.

O comércio eletrônico tem muitas vantagens sobre as lojas físicas e os catálogos de pedidos pelo correio. Os consumidores podem pesquisar facilmente em um grande banco de dados de produtos e serviços. Eles podem ver os preços reais, criar um pedido ao longo de vários dias e enviá-lo por e-mail como uma & quotlista de desejos & quot, esperando que alguém pague pelos produtos selecionados. Customers can compare prices with a click of the mouse and buy the selected product at best prices.

Online vendors, in their turn, also get distinct advantages. The web and its search engines provide a way to be found by customers without expensive advertising campaign. Even small online shops can reach global markets. Web technology also allows to track customer preferences and to deliver individually-tailored marketing.

History of ecommerce is unthinkable without Amazon and Ebay which were among the first Internet companies to allow electronic transactions. Thanks to their founders we now have a handsome ecommerce sector and enjoy the buying and selling advantages of the Internet. Currently there are 5 largest and most famous worldwide Internet retailers: Amazon, Dell, Staples, Office Depot and Hewlett Packard. According to statistics, the most popular categories of products sold in the World Wide Web are music, books, computers, office supplies and other consumer electronics.

Amazon.com, Inc. is one of the most famous ecommerce companies and is located in Seattle, Washington (USA). It was founded in 1994 by Jeff Bezos and was one of the first American ecommerce companies to sell products over the Internet. After the dot-com collapse Amazon lost its position as a successful business model, however, in 2003 the company made its first annual profit which was the first step to the further development.

At the outset Amazon.com was considered as an online bookstore, but in time it extended a variety of goods by adding electronics, software, DVDs, video games, music CDs, MP3s, apparel, footwear, health products, etc. The original name of the company was Cadabra.com, but shortly after it become popular in the Internet Bezos decided to rename his business "Amazon" after the world's most voluminous river. In 1999 Jeff Bezos was entitled as the Person of the Year by Time Magazine in recognition of the company's success. Although the company's main headquarters is located in the USA, WA, Amazon has set up separate websites in other economically developed countries such as the United Kingdom, Canada, France, Germany, Japan, and China. The company supports and operates retail web sites for many famous businesses, including Marks & Spencer, Lacoste, the NBA, Bebe Stores, Target, etc.

Amazon is one of the first ecommerce businesses to establish an affiliate marketing program, and nowadays the company gets about 40% of its sales from affiliates and third party sellers who list and sell goods on the web site. In 2008 Amazon penetrated into the cinema and is currently sponsoring the film "The Stolen Child" with 20th Century Fox.

According to the research conducted in 2008, the domain Amazon.com attracted about 615 million customers every year. The most popular feature of the web site is the review system, i.e. the ability for visitors to submit their reviews and rate any product on a rating scale from one to five stars. Amazon.com is also well-known for its clear and user-friendly advanced search facility which enables visitors to search for keywords in the full text of many books in the database.

One more company which has contributed much to the process of ecommerce development is Dell Inc., an American company located in Texas, which stands third in computer sales within the industry behind Hewlett-Packard and Acer.

Launched in 1994 as a static page, Dell.com has made rapid strides, and by the end of 1997 was the first company to record a million dollars in online sales. The company's unique strategy of selling goods over the World Wide Web with no retail outlets and no middlemen has been admired by a lot of customers and imitated by a great number of ecommerce businesses. The key factor of Dell's success is that Dell.com enables customers to choose and to control, i.e. visitors can browse the site and assemble PCs piece by piece choosing each single component based on their budget and requirements. According to statistics, approximately half of the company's profit comes from the web site.

In 2007, Fortune magazine ranked Dell as the 34th-largest company in the Fortune 500 list and 8th on its annual Top 20 list of the most successful and admired companies in the USA in recognition of the company's business model.

History of ecommerce is a history of a new, virtual world which is evolving according to the customer advantage. It is a world which we are all building together brick by brick, laying a secure foundation for the future generations.


Before Netscape: The forgotten Web browsers of the early 1990s

Comentários do leitor

Compartilhe esta história

When Tim Berners-Lee arrived at CERN, Geneva's celebrated European Particle Physics Laboratory in 1980, the enterprise had hired him to upgrade the control systems for several of the lab's particle accelerators. But almost immediately, the inventor of the modern webpage noticed a problem: thousands of people were floating in and out of the famous research institute, many of them temporary hires.

"The big challenge for contract programmers was to try to understand the systems, both human and computer, that ran this fantastic playground," Berners-Lee later wrote. "Much of the crucial information existed only in people's heads."

So in his spare time, he wrote up some software to address this shortfall: a little program he named Enquire. It allowed users to create "nodes"—information-packed index card-style pages that linked to other pages. Unfortunately, the PASCAL application ran on CERN's proprietary operating system. "The few people who saw it thought it was a nice idea, but no one used it. Eventually, the disk was lost, and with it, the original Enquire."

Some years later Berners-Lee returned to CERN. This time he relaunched his "World Wide Web" project in a way that would more likely secure its success. On August 6, 1991, he published an explanation of WWW on the alt.hypertext usegroup. He also released a code library, libWWW, which he wrote with his assistant Jean-François Groff. The library allowed participants to create their own Web browsers.

"Their efforts—over half a dozen browsers within 18 months—saved the poorly funded Web project and kicked off the Web development community," notes a commemoration of this project by the Computer History Museum in Mountain View, California. The best known early browser was Mosaic, produced by Marc Andreesen and Eric Bina at the National Center for Supercomputing Applications (NCSA).

Mosaic was soon spun into Netscape, but it was not the first browser. A map assembled by the Museum offers a sense of the global scope of the early project. What's striking about these early applications is that they had already worked out many of the features we associate with later browsers. Here is a tour of World Wide Web viewing applications, before they became famous.

The CERN browsers

Tim Berners-Lee's original 1990 WorldWideWeb browser was both a browser and an editor. That was the direction he hoped future browser projects would go. CERN has put together a reproduction of its formative content. As you can see in the screenshot below, by 1993 it offered many of the characteristics of modern browsers.

The software's biggest limitation was that it ran on the NeXTStep operating system. But shortly after WorldWideWeb, CERN mathematics intern Nicola Pellow wrote a line mode browser that could function elsewhere, including on UNIX and MS-DOS networks. Thus "anyone could access the web," explains Internet historian Bill Stewart, "at that point consisting primarily of the CERN phone book."

Erwise

Erwise came next. It was written by four Finnish college students in 1991 and released in 1992. Erwise is credited as the first browser that offered a graphical interface. It could also search for words on pages.

Berners-Lee wrote a review of Erwise in 1992. He noted its ability to handle various fonts, underline hyperlinks, let users double-click them to jump to other pages, and to host multiple windows.

"Erwise looks very smart," he declared, albeit puzzling over a "strange box which is around one word in the document, a little like a selection box or a button. It is neither of these—perhaps a handle for something to come."

So why didn't the application take off? In a later interview, one of Erwise's creators noted that Finland was mired in a deep recession at the time. The country was devoid of angel investors.

"We could not have created a business around Erwise in Finland then," he explained. "The only way we could have made money would have been to continue our developing it so that Netscape might have finally bought us. Still, the big thing is, we could have reached the initial Mosaic level with relatively small extra work. We should have just finalized Erwise and published it on several platforms."

ViolaWWW

ViolaWWW was released in April of 1992. Developer Pei-Yuan Wei wrote it at the University of California at Berkeley via his UNIX-based Viola programming/scripting language. No, Pei Wei didn't play the viola, "it just happened to make a snappy abbreviation" of Visually Interactive Object-oriented Language and Application, write James Gillies and Robert Cailliau in their history of the World Wide Web.

Wei appears to have gotten his inspiration from the early Mac program HyperCard, which allowed users to build matrices of formatted hyper-linked documents. "HyperCard was very compelling back then, you know graphically, this hyperlink thing," he later recalled. But the program was "not very global and it only worked on Mac. And I didn't even have a Mac."

But he did have access to UNIX X-terminals at UC Berkeley's Experimental Computing Facility. "I got a HyperCard manual and looked at it and just basically took the concepts and implemented them in X-windows." Except, most impressively, he created them via his Viola language.

One of the most significant and innovative features of ViolaWWW was that it allowed a developer to embed scripts and "applets" in the browser page. This anticipated the huge wave of Java-based applet features that appeared on websites in the later 1990s.

In his documentation, Wei also noted various "misfeatures" of ViolaWWW, most notably its inaccessibility to PCs.

  • Not ported to PC platform.
  • HTML Printing is not supported.
  • HTTP is not interruptable, and not multi-threaded.
  • Proxy is still not supported.
  • Language interpreter is not multi-threaded.

"The author is working on these problems. etc," Wei acknowledged at the time. Still, "a very neat browser useable by anyone: very intuitive and straightforward," Berners-Lee concluded in his review of ViolaWWW. "The extra features are probably more than 90% of 'real' users will actually use, but just the things which an experienced user will want."

List of site sources >>>