A história

Igreja dos Santos Cosma e Damiano em Carsulae, Itália

Igreja dos Santos Cosma e Damiano em Carsulae, Itália


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Carsulae, uma viagem ao longo da Via Flaminia

A Via Flaminia era a estrada que, partindo de Roma, costumava cruzar a ponte Milvian e sair da cidade atravessando o campo e subindo pelo vale do Tibre para entrar na Úmbria e seguir em direção ao norte da Itália. Ao longo desta estrada também encontramos Carsulae. Hoje em dia, os visitantes chegam ao sítio arqueológico principalmente de carro & # 8211 não mais caminhando ou andando a cavalo & # 8211, mas eles ainda podem experimentar as mesmas sensações: entrar na cidade caminhando ao longo do cardo maximus e olhando os grandes edifícios antigos, sentados nas arquibancadas do teatro ou passeando em direção ao Arco de Damiano na Via Flaminia, como os antigos romanos faziam, sobre essas mesmas pedras.

  • Uma vista de Carsulae / Foto: Silvia Demetri

Carsulae e a Via Flaminia

Com o objetivo de conectar Roma ao sul da Gália, a Via Flaminia foi traçada entre 220 e 2019 aC a mando do censor Gaio Flaminio Nepote. Por muito tempo foi a única via terrestre, criada por motivos militares e estratégicos, mas logo se tornou uma animada rota de comércio ao longo da qual numerosos centros habitados surgiram e prosperaram. Entre eles havia também Carsulae, provavelmente nascido como encenação. Foi o resultado da agregação de populações oriundas do interior do entorno, que ali se estabeleceram para participar das atividades de intercâmbio e comércio.

Vamos tentar imaginar Carsulae: barulhento, caótico, vivo e cheio de residentes, mercadores e errantes que se misturavam ao longo das ruas pavimentadas. Esta cidade atingiu seu máximo esplendor na época de Augusto. De fato, durante este período, importantes intervenções urbanas também foram feitas e Carsulae permaneceu por muito tempo um centro próspero. No entanto, a perda progressiva de importância da Via Flaminia em favor de outras vias de comunicação levou a um declínio progressivo e a consequente deserção da cidade. A partir do século III, quase nada se sabe sobre Carsulae. Temos apenas vestígios de algumas tentativas de ataque de tribos bárbaras e de um importante evento sísmico, após o qual foi definitivamente abandonado, presumivelmente por volta do século V.

  • Uma visão de Carsulae / Foto: Silvia Demetri

Caminhando por Carsulae

Após o terremoto e a deserção, a cidade foi sendo gradualmente engolida pela vegetação. É graças a este processo que agora podemos caminhar entre aqueles prados, com a relva enrugada pelo sol de verão, experimentando durante algumas horas a sensação de estar noutro tempo e noutro mundo.

O sítio arqueológico é acessado pelo sul, onde a Via Flaminia entra na cidade como cardo maximus *. A estrada pavimentada faz fronteira com crepidinas (calçadas elevadas) e atravessa o centro até encontrar o decumano no auge do fórum. Em seguida, seguindo em direção ao norte e passando a porta da cidade, mergulha no campo em direção às cidades vizinhas.

* A cidade romana desenvolveu-se em dois eixos principais: o cardo, normalmente orientado NS, e o decumano, portanto orientado EW. Em seu ponto de encontro estava a praça principal com o fórum. Cardo e decuman dividiram a área em quatro partes chamadas quartos.

Aventurando-se por esta estrada o visitante encontra de imediato a Igreja dos Santos Cosma e Damião que é a única construção medieval. Foi construído em um canteiro de obras pré-existente que faz uso extensivo de materiais de outros edifícios em Carsulae e as paredes internas são decoradas com afrescos coloridos que representam cenas sagradas.

  • Os afrescos dentro do chirch dos Santos Cosma e Damião / Foto: Silvia Demetri

Ao deixar a igreja, os visitantes tropeçam nos restos do que poderiam ser edifícios de residências ou atividades comerciais. Neles ainda são visíveis seções da parede ou as soleiras das portas. Na frente delas, três salas abobadadas atraem a atenção, o tabernae. Acima da tabernae fica o fórum que era o centro político, religioso, administrativo e comercial da cidade. Ainda se vê uma praça trapezoidal, dominada pelos principais edifícios públicos: os palácios da cúria a norte, dois templos gémeos em pedra rosa a sul e um grande pórtico com dois arcos quadriláteros a nascente, que marcavam o acesso à área. Do outro lado da estrada, em frente à colunata, os visitantes podem admirar os restos da Basílica, datados do início do período do Império Romano e originalmente acessíveis através de uma escadaria que conduzia ao grande salão das três naves, como mostra as bases dos pilares que ainda desenham o espaço.

Ao longo do decumano, na área atrás da basílica, é possível ver os edifícios dedicados ao espetáculo: o anfiteatro e o teatro. O primeiro, construído em uma depressão oca natural, é caracterizado por um maciço imponente e uma estrutura de tijolo vermelho que se destaca contra a vegetação e por cujas aberturas em arco os visitantes podem entrar na arena e experimentar a sensação de estar no centro da ação. . Logo atrás está o teatro, inteiramente construído em pedra e acima do solo. Os espectadores ainda podem sentar em suas arquibancadas quando os shows são realizados durante as noites de verão. Voltando em direção à estrada principal, os visitantes encontram um edifício do qual apenas algumas partes das paredes do perímetro e algumas colunas permanecem. Esta estrutura pode ter sido um Collegium Iuvenes, dedicado à educação e formação de jovens.

  • A estrutura da tabernae / Foto: Silvia Demetri
  • A entrada em arco do anfiteatro / Foto: Silvia Demetri
  • A arena dentro do anfiteatro / Foto: Silvia Demetri

De volta à Via Flaminia e depois de percorrer um pequeno trecho de caminho pavimentado coberto por árvores, o visitante se depara com uma grande área que emoldura um impressionante arco com três abóbadas de canhão: o Arco de São Damião. O grande arco teve que ser visto da paisagem circundante e indicava a fronteira de Carsulae. Na verdade, ela dividia simbólica e fisicamente a cidade dos vivos da cidade dos mortos. Um pouco mais adiante, os visitantes podem se aventurar na floresta e explorar a área de monumentos funerários, onde há um mausoléu em forma solene, uma tumba de torre ricamente decorada e a & # 8220tumba da jovem & # 8221.

  • O “túmulo da menina” / Foto: Silvia Demetri
  • Arco de São Damião / Foto: Silvia Demetri
  • A Via Flaminia em Carsulae / Foto: Silvia Demetri

Sítio arqueológico de Carsulae

O que podemos ver hoje do sítio arqueológico de Carsulae é o resultado de décadas & # 8211 ou talvez séculos & # 8211 de escavação, estudo e pesquisa. As primeiras campanhas datam do século XVI, prosseguindo até o século XVII a mando do Papa Pio VI e nos séculos seguintes, ainda que de forma desordenada. No entanto, é no período entre 1951 e 1972 que se realizam as primeiras campanhas metódicas e rigorosas. Essas campanhas possibilitaram trazer à luz alguns dos prédios mais importantes do local, principalmente na área do fórum e do teatro. Na década de 2000, após uma longa pausa, novas campanhas arqueológicas foram iniciadas, envolvendo universidades e equipes internacionais, e continuarão por anos porque ainda existem muitos segredos escondidos sob a vegetação de Carsulae.

Para caminhar pela Via Flaminia e imaginar como deve ter sido uma cidade romana, você só tem uma coisa a fazer: partir para Umbria e fazer uma parada para visitar Carsulae!

  • Uma vista de Carsulae / Foto: Silvia Demetri

Depois de postar as fotos, ontem, da Festa de SS Medici, de 1942, que foi localizada no bloco 400 da East 117th St. em East Harlem, comecei a pensar sobre esses santos e o que eles significavam para todos eles pessoas que se reuniram para venerá-los. Eu os pesquisei e encontrei muitas informações interessantes.! Aqui está o furo:

Primeiro, eles nasceram no que hoje é conhecido como Síria, em 260 DC, e morreram na Síria, como mártires por volta de 303 DC. Eram excelentes médicos, que nunca aceitavam pagamento em dinheiro por seus serviços. Sua festa acontecia no dia 27 de setembro, nessa época. Além disso, como eles morreram é inacreditável! (É pior do que assistir a um episódio de & # 8220A lista negra. & # 8221) Eu encontrei alguns fatos interessantes, em um site italiano, que descreve como eles foram torturados em 5 ocasiões diferentes. Na 5ª tentativa, eles foram decapitados e finalmente morreram. Aqui está o trecho, que não é para os fracos de coração. Lol:

& # 8230Após a prisão e o julgamento, os santos foram submetidos a uma série de torturas cruéis, na vã esperança de afastá-los de sua firme resolução. Como primeira punição, o açoite foi imposto a eles. Como os algozes não puderam apostatá-los, com as mãos e os pés amarrados foram lançados ao mar por uma ravina alta com uma grande pedra pendurada no pescoço, para facilitar o seu naufrágio. Milagrosamente, no entanto, os laços se derreteram e os santos irmãos emergiram à superfície com segurança, recebidos na costa por uma multidão de fiéis festivos, agradecendo a Deus pelo extraordinário acontecimento. Presos novamente, eles foram submetidos a outras dolorosas provações. Levados diante de uma fornalha em chamas, eles foram imersos no fogo amarrados com correntes resistentes. As chamas, porém, não consumiram aqueles membros sagrados, que saíram mais uma vez ilesos e o medo dos soldados sob custódia foi tal que os obrigou a fugir precipitadamente. O livro da & # 8220Martirologia & # 8221 nos informa que & # 8220 Os Santos Cosma e Damiano foram martirizados cinco vezes & # 8221. Na verdade, eles passaram pelas provas de afogamento, de fornalha de queima, de apedrejamento, de flagelação, para terminar seus dias terrestres com o martírio no ano 303. http://www.brattiro.net/SS%20COSMA%20E%20DAMIANO/la_vita_dei_santi_medici_cosma_e.htm

Aqui está outro trecho interessante de Revista italia:

Eles podem ser dois dos santos menos conhecidos da Igreja Católica Romana, mas “I Santi Medici,” os Doctor Saints Cosma e Damiano são dois dos mais celebrados dentro de Bel Paese. Em 26 de setembro, lugares como Gaeta (ao sul de Roma), Taranto (Puglia) e Sferracavallo (fora de Palermo) realizam várias celebrações para esses santos padroeiros de médicos, farmacêuticos e cirurgiões.

Os irmãos gêmeos nasceram na Síria atual e rapidamente se tornaram conhecidos por seus métodos de cura, pelos quais não aceitaram nenhum pagamento por essa recusa. Eles são frequentemente chamados de "Sem prata" ou "Sem dinheiro". Enquanto praticavam medicina, eles também compartilharam sua fé católica com os pacientes e ganharam um grande número de seguidores.

Assim como San Gennaro de Nápoles, os Santos. Cosmas e Damião tornaram-se mártires durante a perseguição de Diocleciano aos cristãos por volta de 300 d.C. Os gêmeos, embora submetidos à tortura com fogo e água e até mesmo colocados em cruzes, não renegaram sua fé. Quando os dois permaneceram milagrosamente ilesos durante as provações, Diocleciano ordenou sua decapitação.

Seus restos mortais foram enterrados na Síria, e igrejas em sua homenagem foram construídas em seu país de origem, bem como em Jerusalém, Egito, Mesopotâmia e em Roma pelo Papa Félix IV. A Basílica dei Santi Cosma e Damiano do século VI contém vários mosaicos valiosos, e os santos médicos gêmeos ainda são reverenciados em toda a Itália e no mundo. https://www.italymagazine.com/featured-story/celebrating-patron-saints-physicians

Isso não é fascinante? Eu & # 8217m muito grato a Michael, um de meus leitores, que tão graciosamente compartilhou essas maravilhosas fotos vintage comigo e com o resto de meus leitores! Como diz o velho ditado, & # 8220 cada imagem conta uma história & # 8221. Bem, na minha opinião, as fotos dos santos gêmeos têm muito a contar! Por exemplo, eu me pergunto se as pessoas que viviam na East 117th Street eram principalmente da região de Puglia? Estou curioso porque li que esses santos são venerados naquela região da Itália. Existem santuários para esses santos em Madrid, Roma e Bari, Itália. Então, talvez, houvesse uma grande população da Rua 117 Leste, que imigrou de Bitonto, Bari, Puglia, Itália. Além disso, agora eu sei a data provável das fotos da festa do East Harlem. Sabemos o ano de 1942, mas agora também sabemos a data. Era o domingo, 27 de setembro, data oficial da festa, segundo o Calendário Geral Romano, anterior a 1970. Alguma ideia?

  • Domingo, 27 de setembro de 1942. Bloco 400 da East 117th St., East Harlem.
  • https://www.primopiano.info/2018/10/21/la-festa-dei-santi-medici-un-classico-della-devozione-popolare/

Uma visita ao Parque Arqueológico de Carsulae

Uma visita ao Parque Arqueológico de Carsulae significa que você pode desfrutar de um dia que inclui cultura e, ao mesmo tempo, aprecia a beleza da natureza.

Ancestral Carsulaefica em um lindo planalto cercado por planícies férteis. Isso, junto com as nascentes de água mineral próximas, fora de San Gemini, garantiu a sua fama desde a antiguidade, juntamente com o desenvolvimento de uma economia florescente.

Se você estiver vindo do sul da Umbria ou descendo pelo nordeste, chegará à área ao longo do Via Flaminia, que já ligava essas duas áreas na era romana e era a principal estrada entre os mares Tirreno e Adriático. nbsp nbsp

Uma parte muito bem preservada da antiga estrada pode ser vista aqui, o cardo maximus (rua principal) ao longo da qual foram construídos os edifícios públicos mais importantes da época, do fórum ao teatro, ordenados e monumentais, eram vitais para o comércio e o comércio. Ao caminhar por este trecho de estrada, você pode imaginar a agitação, as barracas do mercado, as lojas no tabernae sob os arcos, homens em togas fazendo justiça no fórum.

Caminhe por entre essas paredes e olhe cada espaço com a curiosidade de um explorador em busca de detalhes escondidos. Você verá os vestígios do antigo anfiteatro, muito maior do que você esperaria para uma cidade deste tamanho. Foi construído para receber espectadores de todas as áreas circundantes e viajantes de longe, e cada show foi uma ocasião fascinante para os habitantes de toda a região se divertirem e relaxarem. E imagine o impacto do chamado Templos gêmeos teve em transeuntes. Localizados em um ponto chave ao longo da Via Flaminia, eles eram um objeto de curiosidade e reverência, um lugar para parar e descansar. Um pouco mais acima está o Igreja dos Santos Cosma e Damiano, construída no século XI, muito depois do abandono da cidade romana, grande parte dela com materiais retirados da cidade velha. Daqui você pode ver o lindo Arco de São Damião, que marca a fronteira norte da cidade velha e o fim desta jornada particular. Passe pelo Arco e você perceberá que acabou de viver um momento da vida nos tempos antigos. nbsp


Basílica dos Santos Cosmas e Damião

A Basílica dos Santos Cosme e Damião está localizada no coração da Roma antiga e moderna. Faz parte de um imponente complexo arqueológico em meio a um extenso parque natural que lembra tantos acontecimentos históricos e memórias.

O edifício era originalmente uma estrutura romana - sua finalidade não é certa, mas pertencia ao Fórum da Paz de Vespasiano e pode ter sido uma das bibliotecas desse fórum.

Foi reconstruída e consagrada como igreja no século VI, provavelmente pelo Papa São Félix IV em 527.

Este cenário fascinante relembra eventos e personagens dos últimos 2.500 anos, não apenas aqueles relativos a Roma, mas de todo o Império Romano, ou seja, todo o mundo antigo.

Para assegurar um serviço digno, digno de uma Basílica-Santuário, os Frades Franciscanos T.O.R. foram nomeados para assumir o cargo em 1503. Em 1512, essa nomeação foi tornada permanente por um decreto do cardeal Alessandro Farnese, mais tarde Papa Paulo III.

Durante séculos, a Basílica e o Convento foram o local da Cúria Geral da Ordem Terceira Regular de São Francisco. Atualmente, existem vários T.O.R. Frades de várias nações aqui residentes, dedicados à administração da Ordem, à pastoral e aos estudos.


o Templo de Romulus foi dedicado pelo imperador Maxentius a seu filho Valerius Romulus, que morreu em 309 e recebeu honras divinas. É possível que o templo tenha sido originalmente o templo do "Estator de Júpiter" ou o dedicado a Penates, e que Maxêncio o restaurou antes da rededicação.

O antigo tecido romano foi cristianizado e dedicado a Sancti Cosma et Damianus em 527, quando Teodorico, o Grande, rei dos ostrogodos, e sua filha Amalasuntha doaram a biblioteca do Fórum da Paz (Bibliotheca Pacis) e uma parte do Templo de Rômulo ao Papa Félix IV. O papa uniu os dois edifícios para criar uma basílica dedicada a dois irmãos e santos gregos, Cosmas e Damião, em contraste com o antigo culto pagão dos dois irmãos Castor e Pólux, que eram adorados no vizinho Templo de Castor e Pólux. A abside foi decorada com um mosaico romano-bizantino, representando um parusia, a Segunda Vinda de Cristo no fim dos tempos. Os corpos dos Santos Marcos e Marceliano foram traduzidos, talvez no século IX, para esta igreja, onde foram redescobertos em 1583 durante o reinado do Papa Gregório XIII.

Em 1632, o Papa Urbano VIII ordenou a restauração da basílica. As obras, projetadas por Orazio Torriani e dirigidas por Luigi Arrigucci, elevaram o nível do piso em sete metros, igualando-o ao Campo vaccino, evitando assim a infiltração de água. Além disso, um claustro foi adicionado. O antigo piso da basílica ainda é visível na igreja inferior, que na verdade é a parte inferior da primeira igreja.

Em 1947, as restaurações dos Fóruns Imperiais deram uma nova estrutura à igreja. A antiga entrada, através do Templo de Romulus, foi fechado e o templo restaurado às suas formas originais com o Panteão, o Templo de Romulus é o templo pagão mais bem preservado de Roma. Uma nova entrada foi aberta no lado oposto (em via dei Fori Imperiali), cujo arco dá acesso ao claustro, e por este ao lado da basílica.


Umbria: Carsulae

Demorou um pouco para encontrar as ruínas de Carsulae, um dos sítios arqueológicos mais interessantes de toda a Umbria. Este é um lugar onde a história se torna tangível e as pessoas do século XXI podem seguir os passos dos viajantes, soldados e comerciantes romanos. Carsulae já foi um povoado pequeno, mas próspero na Via Flaminia. Tinha banhos, lojas, um fórum repleto de atividade, templos, uma basílica, um teatro e um grande anfiteatro que deve ter atraído multidões também da área mais ampla. Hoje a cidade é composta principalmente de entulho e poeira, mas isso não a torna menos interessante: gosto de explorar entulho e poeira.

Nenhuma data precisa para a fundação de Carsulae é conhecida, mas sua história está intimamente ligada à da Via Flaminia. A construção dessa estrada, que ligava Roma à sua importante colônia de Ariminum, no mar Adriático, começou em 220 aC sob o censor Gaius Flaminius. Na colônia latina de Nárnia (atual Narni), a estrada se dividia em dois ramos. O ramal oriental ia para Spoletium (moderno Spoleto), antes de se juntar à pista principal no Forum Flaminii (moderno Foligno) novamente e balançando mais ao norte. Carsulae ficava no ramal oeste da estrada, o ramal que conectava Nárnia a Mevania (a moderna Bevagna) e depois ao Fórum Flaminii. Parece plausível concluir que Carsulae foi fundada precisamente porque este era um local ideal na Via Flaminia. Isso provavelmente ocorreu no final do século III AEC. A cidade se desenvolveu em um mansio, uma parada na estrada onde as pessoas poderiam comer, beber, dormir e se divertir.

Leão de pedra de um monumento funerário (século 1 a.C.).

No primeiro século AEC, Carsulae recebeu o status de municipium. Os habitantes receberam cidadania romana e foram matriculados no tribus Clustumina. Muitas cidades italianas - por exemplo Aquileia, Asisium, Praeneste e Spoletium - tornaram-se Municipia em 90 ou 89 aC, mas no caso de Carsulae, o status parece ter sido concedido até a era de agosto (27 aC-14 dC). O imperador Augusto lançou um programa de restauração de estradas em toda a Itália e supervisionou pessoalmente a restauração da Via Flaminia. Este foi o início de uma Idade de Ouro para Carsulae. Romanos ricos construíram suas vilas nas proximidades, entre elas Pompeia Celerina, sogra do escritor Plínio, o Jovem (ca. 61-113). [1] A cidade cresceu em tamanho e muitos edifícios e monumentos esplêndidos foram erguidos. São os restos dessas estruturas da era imperial que ainda podemos admirar hoje.

Uma série de fatores contribuíram para o declínio de Carsulae no quarto século EC. O mais importante provavelmente foi o fato de que o ramal ocidental da Via Flaminia foi abandonado em favor do ramal oriental. A Via Flaminia sempre foi a tábua de salvação da cidade e agora foi cortada. Carsulae parece nunca ter tido quaisquer fortificações, de modo que a cidade não podia ser bem defendida em uma época em que nem mesmo a Itália estava a salvo de invasões "bárbaras". Um terremoto também pode ter contribuído para o abandono de Carsulae em um momento não especificado no final do quarto século ou início do quinto século. As pessoas mudaram-se para lugares mais altos e mais defensáveis. Curiosamente, uma pequena igreja foi construída no local no século XI, a igreja de São Damião, que será discutida a seguir.

Em 1600, Federico Cesi (1585-1630) da vizinha Acquasparta lançou as primeiras escavações. Embora fosse um homem culto e fundador da Accademia dei Lincei científica (ver Roma: Galleria Corsini), seu principal objetivo parece ter sido encontrar tesouros para adornar seus próprios palácios. Outras escavações foram realizadas em 1783 por ordem do Papa Pio VI (1775-1799), mas as primeiras escavações modernas tiveram que esperar até 1951-1972. O que temos hoje é um esplêndido parque arqueológico onde os visitantes têm a oportunidade de caminhar ao longo da original Via Flaminia por algumas centenas de metros. Podemos ver claramente como a estrada serviu como o cardo maximus da cidade, a estrada que corria de norte a sul e cruzava o decumanus perto do fórum da cidade.

O pequeno museu do parque exibe alguns itens interessantes. Vemos, entre outras coisas, um leão de pedra que uma vez adornou uma tumba (veja a imagem acima), parte de um piso de mosaico com uma suástica (na verdade uma cruz gammadion veja a imagem acima) e a cabeça de uma estátua que os pesquisadores acreditam representar o imperador Cláudio (41-54). Mas os verdadeiros tesouros de Carsulae estão lá fora, na exuberante área verde sob a sombra das montanhas Martani.

Como os banhos de Carsulae não eram abertos ao público quando visitamos, primeiro demos uma olhada na curiosa igreja de São Damião. Como foi dito acima, foi construído no século XI, quando ninguém mais morava na cidade. A igreja consiste basicamente em um edifício romano convertido do primeiro ou segundo século. Um dos meus guias de viagem afirma que este edifício era um templo, mas a verdade é que não sabemos qual era a sua função. A este edifício antigo foi adicionado um pórtico, e tenho uma forte suspeita de que as colunas e arquitraves que foram usadas foram espolia saqueada de outros edifícios romanos. O resultado é a igreja mais desorganizada que eu já vi. Nem uma única parte do edifício parece estar alinhada corretamente. Basta dar uma olhada na nave: a abside parece estar no centro, mas algum tipo de corredor tosco foi criado à esquerda usando colunas e arcadas. Vestígios de afrescos podem ser encontrados na abside. Não está claro quais santos são retratados, mas um deles deve ser São Damião (ver Roma: Santi Cosma e Damiano), a quem a igreja é dedicada.

Em frente à igreja estão os restos mortais de tabernae ou lojas. Eles certamente lucraram com sua localização diretamente na Via Flaminia. Este deve ter sido o centro comercial de Carsulae, com o centro político e judicial um pouco mais ao norte. Lá, um arco reconstruído (originalmente havia dois) dava acesso ao fórum, que ficava a oeste da estrada. O fórum é principalmente uma pilha de entulho hoje, mas ainda podemos identificar os pódios de dois pequenos templos que ficavam lado a lado e são, portanto, conhecidos como Tempietti Gemelli ("templos gêmeos"). Mais ao norte ficava um edifício que foi identificado como Curia, o Senado de Carsulae. Como um municipium, a cidade tinha seu próprio Senado, bem como seus próprios magistrados (primeiro duoviri, mais tarde Quattuorviri).

Restos da tabernae. À direita está o arco que dava acesso ao fórum.

A leste da estrada e em frente ao fórum ficava uma basílica onde foram realizados os julgamentos. Era um edifício bastante grande, com quase 25 metros de largura e mais de 40 metros de profundidade. Fileiras de colunas dividiam a basílica em uma nave e dois corredores. Na parte de trás havia uma abside onde o magistrado presidente tomou assento durante os julgamentos. Infelizmente, apenas os contornos do edifício ainda são visíveis.

Anfiteatro e teatro, visto das ruínas da basílica. Ao fundo estão as montanhas Martani.

Ruínas do anfiteatro.

Do fórum, o decumanus levou à área onde ficava o anfiteatro e o teatro de Carsulae. Ambas as estruturas foram provavelmente erguidas durante a era imperial, primeiro o teatro, depois o anfiteatro. O anfiteatro tem um diâmetro de mais de 80 metros e um piso de arena que mede cerca de 55 por 35 metros. Isso é bastante grande para um assentamento de tamanho modesto e sugere que os espectadores eram uma mistura de habitantes locais, viajantes e pessoas de toda a região. Hoje em dia, os visitantes podem caminhar pelos escassos vestígios do anfiteatro, cujo oval central está coberto de flores silvestres. Não resta muito do teatro também, mas os visitantes têm uma boa ideia de como ele era na Antiguidade.

Se sairmos do teatro e voltarmos ao fórum, podemos continuar pela Via Flaminia até chegar ao Arco de São Damião. Esse era o portão ornamental pelo qual os viajantes entravam e saíam de Carsulae. Ele marcava o limite norte da cidade. Originalmente, o portão tinha três arcos, mas os dois nas laterais desabaram e sumiram. Observe que o portão nunca fez parte dos muros de Carsulae, pois a cidade nunca teve muros. Claramente, nunca foi planejado para ser defendido.

Um pequeno trecho da Via Flaminia fora do Arco de San Damiano ainda faz parte do parque arqueológico. Aqui encontramos os restos de duas tumbas interessantes que foram construídas no primeiro século AEC ou no primeiro século dC. Um túmulo é circular e parece uma versão menor do Castel Sant'Angelo em Roma, o outro é cilíndrico, com um telhado cônico. Se passarmos pela tumba, a Via Flaminia repentinamente faz uma curva acentuada à esquerda antes de continuar seu caminho até Acquasparta.

As fontes para esta postagem incluem meus guias de viagem Dorling Kindersley e Royal Dutch Touring Club (ANWB), vários painéis de informações e brochuras da própria Carsulae e do site Key to Umbria.

[1] Em uma carta a Pompeia, ele escreve: “Que tesouros vocês têm em suas vilas em Ocriculum, em Nárnia, em Carsulae e Perusia!”.


ExecutedToday.com


O Martírio dos Santos Cosmas e Damião, de Fra Angelico.

27 de setembro é a data tradicional * da festa dos primeiros santos cristãos Cosmas e Damião.

Martirizados na Síria durante a perseguição de Diocleciano, esses irmãos árabes eram supostamente médicos que não cobravam de seus pacientes, nem mesmo por serviços premium, como o transplante de uma perna inteira.

Isso os tornou santos padroeiros para médicos, cirurgiões, farmacêuticos e dentistas, mas decididamente não para as seguradoras.

Eles já foram muito mais amplamente conhecidos e reverenciados do que hoje, quando os mistérios da medicina e da fé se entrelaçaram. Os dois são nomeados no Cânon da Missa, e várias igrejas na Europa, duvidosamente, reivindicam a honra dos antigos médicos & # 8217 relíquias de seus crânios residem simultaneamente em Bremen, Viena e Madrid, enquanto uma igreja em Veneza supostamente mantém seus não cranianos restos. Os visitantes do Fórum Romano verão o lindamente preservado Templo pagão de Rômulo, que foi rededicado em 527 como a basílica de Santi Cosma de Damiano e ainda hospeda casamentos sob seu impressionante mosaico de Cosmas e Damião.

O dia dos santos é comemorado no Brasil, onde as crianças no dia 27 de setembro recebem doces (Cosmas e Damião também contam com confeiteiros e crianças entre seus devotos). St. Anthony & # 8217s Church em Utica, Nova York, também hospeda uma peregrinação anual Cosmas e Damian atraindo milhares de pessoas de toda a América do Norte.

Como dois homens íntimos que viajaram e ministraram juntos, eles às vezes são aventurados especulativamente como primeiros exemplos gays. (Eles são tradicionalmente considerados irmãos.)

* A revisão do calendário do Vaticano em 1969 mudou a festa para 26 de setembro, deixando o dia 27 de setembro para São Vicente de Paulo.


O que ver

Trullo sovrano

Trullo sovrano

O único exemplo de trullo de dois andares está na lista de bens do Patrimônio Mundial da UNESCO e contém móveis e objetos autênticos. Na zona norte de Alberobello, atrás da Igreja dos Santos Medici Cosma e Damiano, o Trullo Sovrano é o único exemplar de um trullo de dois andares. Foi construído na primeira metade de 1700 por ordem da família do padre Cataldo Perta, que a usava como sua casa, enquanto os trulli ao redor eram habitados por seus empregados. O grande trullo foi definido como "Soberano" pelo historiador Notarnicola, para destacar sua majestade em comparação com os outros trulli.

Igreja de sant'antonio

Igreja de Sant'Antonio

Esta esplêndida igreja trullo do início do século XX fica no topo do Rione Monti

Depois de admirar a sugestiva floresta de trulli, quase coroando a área histórica chamada Rione Monte, fica a Igreja de Sant'Antonio.

O lugar sagrado, construído em catorze meses entre 1926 e 1927, mostra os sinais da forte devoção popular dos habitantes de Alberobello. Construído graças à ação convicta de Dom Antonio Lippolis, para contrariar a propagação do protestantismo, foi projetado o edifício de culto do engenheiro Signorile Bianchi e construída pelo mestre da arte Martino De Leonardis, seguindo as indicações fornecidas por uma comissão especial constituída para salvaguardar a integridade da área monumental.

Em pedra calcária e construída com a típica técnica trulli (da qual reproduz a abóbada cónica), esta igreja é proposta como ponto de ligação e mediação entre o passado e o presente, o antigo e o moderno.

A imponente fachada tripartida é dominada por uma rosácea e três tímpanos com arcos suspensos, que recordam as decorações das igrejas românicas da Apúlia. Do lado direito ergue-se um alto campanário (18,90 metros) e do lado esquerdo o seminário, inicialmente residência de verão dos jovens clérigos da Diocese, foi posteriormente transformado em alojamento turístico. O interior é constituído por um único hall, com um Planta em cruz grega encimada por uma cúpula com cerca de 20 metros de altura. The main apse was entirely frescoed in the twentieth century with the representation of the Tree of life, enriched by the majestic Crucifix by the master Adolfo Rollo.

Sanctuary of the Medici Saints

Sanctuary of the Medici Saints

The elegant minor basilica of Alberobello stands out in the center of the city with the spiers of the bell towers that stand out among the domes of the trulli.Near the Trullo Sovrano, at the end of the central Corso Vittorio Emanuele, the Sanctuary of Santi Cosma e Damiano stands majestically in the place where there was a rural church dedicated to the Madonna delle Grazie. The splendid minor basilica is a beautiful example of neoclassical style.Built in the eighteenth century with refined forms conceived by the architect Antonio Curri, the sanctuary is accessible through a staircase, a prelude to the facade marked by pilasters and Corinthian columns and embellished by the bronze portal with the representation of the beauties, from which the two bell towers rise.

The interior is a sumptuous treasure chest of works of art, including the painting of the Madonna of Loreto on the main altar, the frescoes in the apse with the martyrdom of the Saints and the ascent to Paradise of the local painter Francesco De Biase, and the Deposition. The acquisition of the precious relics, the arm of San Cosma and the skull of San Damiano dates back to the nineteenth century.


Basilica Santi Cosma e Damiano, Rome

Interior of Santi Cosma e Damiano, with 6th-century apse mosaic.

View into the Temple of Jupiter Stator from the church.

Entrance from Via dei Fori Imperiali and the hall leading to the church.

Byzantine apse mosaic depicting the Second Coming with saints.

Detail of Christ in the center of the apse mosaic.

Pope Felix IV (526-30) and St. Paul with Cosmas or Damian.

St. Peter with Cosmas or Damian and St Theodore carrying crowns.

Detail of St. Peter with Cosmas or Damian.

The Lamb of God with 12 sheep (apostles) and dedicatory inscription.

Triumphal arch mosaic with Revelation scenes and 17th-century ceiling.

Imagery ©2012 , Map data ©2012 - Terms of Use

Mapa
Satélite
Híbrido
Location map and aerial view of Santi Cosma e Damiano. For a larger interactive view, see our Rome Map.

Built in the early 6th century AD, the Basilica dei Santi Cosma e Damiano (Basilica of Saints Cosmas and Damian) is the oldest church in the Imperial Forum in Rome. It adjoins an ancient Roman temple (which can be viewed through a glass wall in the back) and features original early Christian mosaics in the apse.
História

Santi Cosma e Damiano was the first church to be founded in the Forum. In 527 , Pope Felix IV (526-30) converted a rectangular apsed hall in the Forum of Peace into a church by the simple addition of an apse mosaic (which survives) and some church furnishings.
Although Christianity had been the official religion of the empire since the late 4th century, the placement of a church in the Imperial Forum marked a turning point: the power and wealth of the Church had finally reached a point that it was able to take over what had been the center of pagan worship in ancient Rome.
The rectangular hall that became the church dates from the 4th century. The original function of the hall is unclear it is thought to have been either an important library or the audience hall of the city prefect. The hall was attached to a round temple that has been identified as the Temple of Jupiter Stator , which has been dated to the 3rd century BC.
The new church was dedicated to the saints Cosmas and Damian , two 3rd-century eastern martyrs who were twin brothers and physicians.
Their cult spread rapidly from the 5th century onwards, and it came to be believed that if a sick person slept in the church they would receive a dream that would lead to a cure (much like an Asklepeion in classical Greek religion).
In the late 8th century , Pope Hadrian I restored Santi Cosma e Damiano and added a diaconia (charitable foundation) to it. He provided land, vineyards and serfs "to provide food and frequent baths for the poor and pilgrims."
In 1512, the church was given to the Franciscan Tertiaries images of Franciscan saints were added in the 17th century. Today, the church is served by Friars of the Regular Third Order of St. Francis.
In 1632 , major rebuilding works took place under Pope Urban VII. The floor had to be raised seven meters because water was seeping in from the surrounding soil, which meant that the far ends of the mosaics in the original apse were lost. This created an upper church and lower church the latter is now the crypt.
What to See

The church is entered through an adjacent convent on Via dei Fori Imperiali, a major road running alongside the Imperial Forum and ending at the Colosseum. The side walls of the basilica are original from the 4th-century Roman hall, but they are not visible due to the convent buildings that surround them.
From the Forum, you can see the round Temple of Jupiter Stator (3rd-century BC) with its original bronze doors (early 300s AD). The original key still turns in the door, but visitors may not enter the temple. Its excavated interior can, however, be clearly viewed from a full-length glass wall in the church above.
The 6th century apse mosaic in the Byzantine style is original and justly famous. It is illuminated by a coin-operated light in the left aisle. It provided inspiration for many later mosaics. It depicts the Parousia or Second Coming of Christ "on the clouds of Heaven with power and great glory" (Matthew 24:30). The manner in which Christ is depicted is Roman rather than Byzantine, despite the obvious Byzantine style of the work as a whole.
The mosaic features Christ standing on red clouds (representing the dawn), dressed in golden robes labeled with the monogram I . He holds the scroll of the Law in his left hand.
On Christ&aposs right (our left), St. Paul introduces the other twin brother, who is holding a martyr&aposs crown. On the far left is Pope Felix IV (526-30), who offers Christ a model of the church he founded. Pope Gregory XIII (1572-85) later painted over Felix the image of Gregory the Great (590-604), but the original Felix was reconstructed in the 17th century.
On Christ&aposs left (our right) is St. Peter , who is introducing Cosmas or Damian (the two are depicted identical after the tradition that they were twins). The latter is holding a martyr&aposs crown and has a red surgeon&aposs box over his arm. On the far right is St. Theodore , also carrying a martyr&aposs crown.
The figures stand on golden water flowers, symbolizing the River Jordan (which is labeled with the inscription IORDANES). On each side is a palm tree, and on the left side there is also a phoenix, a symbol of resurrection.
Below this is the Lamb of God with a silver halo, surrounded by 12 sheep symbolizing the apostles. The Lamb stands on a hill with Bethlehem on the right and Jerusalem on the left, and the four rivers of Paradise (labeled GION, PISON, TIGRIS, EVFRATA) flow down from it.
Below the sheep is the dedicatory inscription :
AULE DEI CLARIS RADIAT SPECIOSA METALLIS
IN QUA PLUS FIDEI LUX PRETIOSA MICAT
MARTYRIBUS MEDICIS POPULO SPES CERTA SALUTIS
VENIT ET EX SACRO CREVIT HONORE LOCUS
OBTULIT HOC DOMINO FELIX ANTISTITE DIGNUM
MINUS UT AETHERIA VIVAT IN ARCE POLI

"This hall of God shines in its adornment with enamels, a hall where the precious light of faith gleams even more brightly. To the people a sure hope of salvation comes from the martyrs who heal their ills, and the temple before named as sacred has increased in honor. Felix has made to the Lord this offering, worthy of the Lord&aposs servant that he may be granted life in the airy vault of heaven."
The triumphal arch mosaic is also 6th century, but may have been completed in the time of Pope Sergius I (692-701). Its symbolic images are based on chapters 4 and 5 of the Book of Revelation and cover two of the original windows of the 4th-century Roman hall. In the center, the Lamb of God lies on a jewelled throne, beneath a cross and above a scroll with seven seals.
The Lamb is flanked by seven jewelled candlesticks (representing the seven spirits of God) and four angels. On the left is the winged man symbolising Matthew and on the right is the eagle of John the Evangelist. On the bottom sides of the arch are the arms of some of the 24 Elders carrying crowns the full-length figures and other two evangelists were lost during the 17th-century renovation.
Below the mosaic is a series of Franciscan saints , men on the left and women on the right. They were added c. 1635 after the major renovation. A curiosity is St Bridget of Sweden, who is depicted as a Franciscan. This was caused by a misunderstanding in which her widow&aposs costume was taken for a Franciscan habit. There are a number of paintings decorating the rest of the church, including a fine 13th-century fresco. The ceiling was painted in 1632 by Marco Montagna.
The high altar by Domenico Castelli, from c.1637, is a good example of Baroque art. It enshrines a 12th-century Byzantine icon of the Madonna. The relics of Cosmas and Damian are preserved in the crypt downstairs. The sacristy contains the reliquary of St. Matthew and a precious chalice. In a room in the adjacent convent is the famous Neopolitan Crib , a beautiful 18th-century nativity scene with exquisitely carved statuettes.
Fatos rápidos
Site Information
Names:
Santi Cosma e Damiano Chiesa dei Santi Cosma e Damiano SS Cosma e Damiano Basilica of Saints Cosmas and Damian
Localização:
Rome, Lazio, Italy
Faith:
cristandade
Denomination:
católico
Pedido:
Franciscan
Dedication:
St. Cosmas St. Damian
Category:
Churches World Heritage Sites
Architecture:
bizantino
Encontro:
Built 527 restored 8th century renovations in 1632
Features:
Byzantine Mosaics
Status:
ativo
Photo gallery:
Santi Cosma e Damiano Photo Gallery
Visitor Information
Endereço:
Via dei Fori Imperiali, Rome, Italy
Coordinates:
41.892051° N, 12.487464° E (view on Google Maps)
Lodging:
View hotels near this location
Telefone:
+39 6 699 1540
Public transport:
Metro: Colosseo. Turn right as you emerge from the station (away from the Colosseum) down Via dei Fori Imperiali the entrance to the basilica is on the left after a short distance.


Assista o vídeo: foro romano Brescia (Pode 2022).