A história

Hawker Hunter Mark 12


Hawker Hunter Mark 12

O Hawker Hunter Mark 12 foi a designação dada a um único treinador de dois lugares que foi produzido como um instrutor de instrumentos para o TSR-2, mas como aquela aeronave nunca entrou em produção. Foi também o único grande motor de dois lugares da Avon a ter serviço com o RAF, e foi convertido de um F.Mark 6 padrão. Além da cabine de dois lugares, foi fornecida uma grande câmera de pesquisa vertical para uso em um terreno sistema seguinte e um display head-up. Foi entregue à R.A.E. em Farnborough em 8 de março de 1963 e permaneceu em uso até cair na decolagem em Farnborough em 17 de março de 1982. Embora o TSR-2 nunca tenha aparecido, o Hunter Mark 12 forneceu informações úteis que foram usadas no Hawker Siddeley Harrier.


Hawker Hunter Mark 12 - História

Encontro:17-MAR-1982
Tempo:14:00 LT
Modelo:
Hawker Hunter T.12
Operador próprio:RAE Farnborough
Cadastro: XE531
MSN: 41H / 679906
Fatalidades:Mortes: 0 / Ocupantes: 2
Outras fatalidades:0
Danos na aeronave: Baixado (danificado além do reparo)
Localização:Farnborough Airfield, Farnborough, Hampshire - Reino Unido
Estágio: Decolar
Natureza:Militares
Aeroporto de partida:Farnborough Airfield, Farnborough, Hampshire (EGLF)
Narrativa:
O XE531 foi o "único" Hawker Hunter T.12. Este único foi um Hunter F.Mk.6 convertido por Hawker em dois assentos. Inicialmente equipado com Head-Up Display para testes de TSR2, mas posteriormente usado para pesquisas por RAE Farnborough e RRE Bedford para testes de aviônicos Harrier

Anulado em 17/03/1982: Caiu na decolagem de Farnborough, Hants depois que o motor explodiu devido à desintegração do disco do compressor de 11º estágio. A tripulação - Flt. Tenente Rod Sears e Sr. John Leng - ejetados, mas sofreram ferimentos graves

"Eu era supervisor do ATC em Farnborough na manhã do acidente. John Leng telefonou de Brough perguntando sobre o tempo como o Green Hunter, sendo equipado com um sistema de controle 'fly by wire' (e não ligou para Kermit até eu estou ciente) não estava autorizado a voar se houvesse relâmpagos. Eu disse a ele que havia previsão de atividade do CB, mas não relâmpagos.

Eu estava saindo do serviço por volta das 14h quando taxiaram, o que era incomum e mantido no galpão 'A' perto da torre, e não na área oeste ou sul, mas já tinha visto a decolagem de Hunter antes (e experimentei uma no XF321 com Terry Adcock) Não me incomodei em ficar e assistir. O controlador da torre comentou depois que ele achou que era incomum ver a chama do reaquecimento em um Hunter, (a torre então estando em uma extremidade da pista) então percebeu que o reaquecimento não foi instalado!

Eu só descobri isso quando vi o 'South Today' da BBC naquela noite.

O COEF nos deu um resumo na instrução da manhã sobre o incidente. Aparentemente, Rod Sears detectou falta de energia logo depois de girar e, sem saber que havia ocorrido uma falha catastrófica no disco da turbina, quase cortando a fuselagem, tentou reacender pelo menos 3 vezes antes de dar a ordem de ejetar. Os dois pilotos caíram na piscina de combustível em chamas atrás dos destroços e ambos tiveram um caso de 'queimadura solar' em seus rostos, que eram as únicas áreas de pele expostas, mas certamente nenhum foi morto "

Rod Sears foi premiado com o Endosso Verde por sua condução do evento, que ocorreu no pior momento possível, mas com os dois caras saindo vivos.

Nota de rodapé: O que não é amplamente conhecido é que Hunter XE531 também fez uma aparição no filme "Modesty Blaise" de 1966, estrelado por Monica Vitti (Modesty Blaise) Terence Stamp (Willie Garvin) Dirk Bogarde (Gabriel) e Harry Andrews (Tarrant) (ver links # 9 e # 10)


Hawker Hunter Mark 12 - História

Encontro:07-JUN-1957
Tempo:dia
Modelo:
Hawker Hunter F.Mk 6
Operador próprio:111 (Treble One) Esquadrão Royal Air Force (111 (Treble One) Sqn RAF)
Cadastro: XF525
MSN: S4 / U / 3371
Fatalidades:Fatalidades: 1 / Ocupantes: 1
Outras fatalidades:0
Danos na aeronave: Baixado (danificado além do reparo)
Localização:Epping-Ongar Railway Line, North Weald, Essex - Reino Unido
Estágio: Manobra (show aéreo, combate a incêndios, ag.ops.)
Natureza:Demonstração / Airshow / Display
Aeroporto de partida:RAF North Weald, Essex
RAF North Weald, Essex
Narrativa:
Colisão no ar entre dois 111 Squadron Hunters durante um ensaio de exibição acrobática perto de RAF North Weald, Essex. Um dos Hunters envolvidos mancou até Stansted, onde conseguiu pousar com sucesso na longa pista, o outro colidiu com a ferrovia Epping-Ongar em North Weald. (A extremidade leste da Linha Central do Metrô de Londres, que fechou em 1994). O piloto Flying Officer David Campbell Garrett (número de serviço 4034662, de 27 anos) foi morto.

A via foi seriamente danificada por destroços e um trem a vapor descarrilou. Três dos 20 passageiros ficaram levemente feridos e o motorista, Arthur Green, que operava no depósito de Stratford, foi elogiado por suas ações. Os destroços do jato puderam ser vistos na área por muitos anos depois.

Quanto ao outro Caçador envolvido (XE621) - ele sobreviveu, mas finalmente caiu em um incidente separado em 30/1/62

A queda do Hunter XF525 foi um dos três Hawker Hunters (XF525, WN969 e WT700) que caíram no mesmo dia (7 de junho de 1957). Um jornal local contemporâneo combinou os três acidentes em um artigo: (Birmingham Daily Post - sábado, 8 de junho de 1957)

"TRÊS CAÇADORES EM ACIDENTES
Trem de descarrilamento de caça a jato explodindo
Um trem descarrilou em linhas empenadas pela explosão de um caça a jato Hunter explodindo quando caiu a 400 metros de distância após uma colisão no ar com outro Hunter em R.A.F. North Weald, Essex, ontem.

O piloto foi morto. Nenhum dos passageiros ficou ferido. A aeronave fazia parte da famosa equipe acrobática de cinco Hunters of No. 111 Squadron que se apresentou no Paris Air Show na semana passada. Ele colidiu com outro membro da equipe enquanto eles praticavam manobras de ponta de asa em alta velocidade. O outro Hunter pousou com o resto da formação em R.A.F. Stansted. Essex. O piloto saiu ileso.

Quando o Hunter bateu, o maquinista freou e quase parou quando o treinador da frente descarrilou. Ele permaneceu em pé. Três passageiros foram tratados no hospital por choque. Os destroços foram espalhados por uma vasta área. Alguns danificaram um bangalô.

Foi a terceira de três quedas do Hunter ontem.

O primeiro foi em Downe, Kent, logo depois que a aeronave decolou de Biggin Hill. As chamas saíram da traseira da aeronave quando ela saiu da pista e, três minutos depois, o piloto, um sul-africano, puxou sua máquina em chamas no nível do telhado acima de casas de fazenda antes de usar seu assento ejetor a 800 pés. Ele pousou de pára-quedas ileso. O Caçador bateu em um campo, matando um cavalo que explodiu.

O segundo foi em planícies de areia perto de R.A.F. Chivenor, North Devon. Uma asa foi arrancada quando a aeronave fez um pouso forçado, mas o piloto caminhou várias centenas de metros até o aeródromo. A aeronave foi posteriormente coberta pela maré. "

De acordo com o relatório de uma testemunha ocular de Andrew M. Ockenden, um dos tripulantes de solo da RAF do 111 Squadron's Black Arrows, que conhecia e trabalhava com o oficial voador Dave Garratt:

"Conheci o oficial voador Dave Garratt quando era membro da equipe de solo da equipe de acrobacias do Black Arrows de 1956 a 1959. Muitas vezes eu o amarrei em sua aeronave antes de ele decolar com a equipe para uma exibição ou para praticar. Ele era um piloto muito popular entre nós erks e sua carreira na RAF também teria inspirado muitos jovens a perseguir seu sonho de se tornarem pilotos de caça. Ele começou sua carreira após o treinamento, como piloto de sargento, e se tornou encomendado alguns anos depois.

Acredito que também possa ter conhecido Roy Bell. Como você deve saber, aqueles com o nome de Bell sempre foram apelidados de Dinger! O Dinger que conheci em North Weald todos aqueles anos atrás foi, acredito, o que chamávamos de trabalhador de segurança e superfície. Alguns trabalharam em equipamentos de segurança, enquanto outros, e eu acho que Roy foi um, que pintou a aeronave, e certamente seu tempo mais ocupado era quando os Hunters eram pintados de preto (tinta Cellon Docker), em vez de seu esquema de pintura de camuflagem anterior.

O acidente que tirou a vida de Dave Garratt foi o resultado de duas aeronaves tocando as asas. A aeronave estava saindo de um loop em formação em V e foi o par à esquerda da formação que colidiu. A aeronave de Dave Garratt era a aeronave mais externa daquele lado, e ele não teve chance de se recuperar, considerando a direção em que estavam indo em direção à estrada principal para Epping de North Weald. É um milagre que a aeronave não tenha colidido com o hangar mais próximo daquela estrada, caso em que pode ter havido muitas vítimas. Naquela época era o hangar do ASF (Aircraft Servicing Flight), hangar em que as aeronaves normalmente eram pintadas com seu esquema de cores.

A aeronave que colidiu com a aeronave de Dave pousou em Stansted. Com 3 outros membros da equipe de solo, fui enviado pela Land Rover a Stansted para examinar a aeronave em busca de danos e trazer de volta o piloto que estava em estado de choque. O pobre homem mal conseguia falar e nunca mais voou. Mais tarde, eu o conheci quando ele se tornou um comandante de ala em funções administrativas.

Fui membro da Guarda de Honra no funeral na Igreja de St. Andrew em North Weald e com outro membro, que é um bom amigo, visitamos quando podemos nos reunir para prestar nossos respeitos a ele. "


Dois 111 Squadron Hawker Hunter F.6s (no esquema de cores Black Arrows) sendo reabastecidos na RAF North Weald, Essex em 1957 A FORÇA AÉREA REAL, 1950-1969 IWM (RAF-T 232)

Hawker Hunter Mark 12 - História

O recém-concluído Hawker Tempest Mk. Eu em Langley.

O Hawker Tempest I era um caça monomotor de construção toda em metal com um layout de cauda de reboque convencional. A fuselagem era composta de quatro seções: motor e montagem do motor, fuselagem central, fuselagem traseira e cauda. A fuselagem central consistia na cabina do piloto e na fuselagem dianteira e era composta por uma estrutura tubular coberta com painéis de alumínio. A fuselagem traseira era de construção monocoque. A seção da cauda do Tempest I, que incluía os estabilizadores verticais e horizontais, era basicamente a mesma usada nos Typhoons de produção. O anexo da cauda foi reforçado com "pratos de peixe", assim como aqueles nos tufões do meio da guerra. Uma diferença do Typhoon era que a roda traseira do Tempest I era totalmente retrátil e oculta por portas de engrenagem. A fuselagem do Tempest I era 533 mm (21 pol.) Mais longa do que a do Typhoon porque o motor foi movido para a frente para acomodar um tanque de combustível de 91 US gal (76 Imp gal / 345 L) instalado na fuselagem à frente da cabine do piloto. A cabine era acessível por uma porta de entrada lateral e o piloto sentou-se sob uma cobertura emoldurada.

A nova asa semi-elíptica do Tempest I foi montada na estrutura tubular da fuselagem central. A asa tinha duas longarinas principais e consistia em uma seção interna e outra externa. A seção interna não tinha diedro e abrigava o trem de pouso principal retrátil, redesenhado a partir do Typhoon. O trem de pouso tinha uma ampla faixa de 14 pés 11 pol. (4,53 m). Um tanque de combustível de 34 US gal (28 Imp gal / 127 L) foi localizado em cada asa entre o poço da perna da engrenagem principal e a longarina traseira. Os radiadores do líquido de arrefecimento do motor e o arrefecedor de óleo foram instalados na borda dianteira da seção central da asa. Os flaps ajustáveis ​​na parte inferior da asa logo atrás dos trocadores de calor regulavam as temperaturas do fluido de arrefecimento e do óleo. Cada seção externa da asa tinha um diedro de 5,5 graus e abrigava dois canhões Hispano Mk II de 20 mm com 150 rpg. Cada asa tinha um flap dividido de duas seções, acionado hidraulicamente, e apresentava um grande aileron. A asa do Tempest I era aproximadamente 5 pol (127 mm) mais fina na raiz e 7 pol (178 mm) mais curta do que a do Typhoon e não podia abrigar todo o combustível necessário, razão pela qual o tanque da fuselagem foi adicionado. As provisões foram incluídas para a instalação de um tanque de queda de 54 US gal (45 Imp gal / 205 L) sob cada asa. Exceto pelo leme coberto por tecido, todas as superfícies de controle eram cobertas por metal.

Foto à esquerda: O Tempest I com sua cobertura original emoldurada e porta de entrada da cabine na lateral da aeronave.

O motor H-24 Napier Saber IV da válvula de manga Tempest I foi montado na parte dianteira da estrutura da fuselagem tubular. O motor produzia 2.240 cv (1.670 kW) a 4.000 rpm a 8.000 pés (2.438 m) com 9 psi (0,62 bar) de aumento. Isso era cerca de 200 hp (149 kW) a mais do que o Sabre II usado no Typhoon. Uma pequena concha sob o motor alimentou o carburador com ar. O Sabre IV transformou uma hélice de Havilland de metal, quatro pás e velocidade constante com 14 pés (4,27 m) de diâmetro. Omitir o radiador de queixo do Typhoon e realocar o sistema de resfriamento nas asas deu ao Tempest I uma aparência muito mais refinada e aerodinâmica em comparação com a aeronave anterior.

Vista traseira do Tempest I com sua cobertura original. Embora o Tempest I compartilhe muitos componentes com o Tempest V, ele se parece com uma aeronave diferente.

A Hawker Tempest I tinha uma envergadura de 41 pés (12,40 m), 33 pés 7 pol. (10,24 m) de comprimento e 15 pés 10 pol. (4,83 m) de altura. A velocidade máxima da aeronave era 466 mph (750 km / h) a 24.500 pés (7.468 m) e 441 mph (710 km / h) a 13.600 pés (4.145 m). Ele podia subir a 15.000 pés (4.572 m) em 4 minutos e 15 segundos e tinha um teto de 37.000 pés (11.278 m). O Tempest I pesava 8.950 lb (4.060 kg) vazio e 11.300 lb (5.126 kg) carregado. O alcance da aeronave era de 500 milhas (805 km) com combustível interno e 800 milhas (1.287 km) com tanques de queda.

A construção do protótipo Tempest I nas novas instalações da Hawker em Langley, Inglaterra, foi atrasada por outros trabalhos de guerra e pelos radiadores laterais. Como mencionado anteriormente, a entrega do Sabre IV foi atrasada por Napier. O Tempest V com motor Sabre II foi pilotado pela primeira vez em 2 de setembro de 1942 por Lucas e deu algumas indicações do que esperar do Tempest I. O motor Sabre IV foi entregue em novembro de 1942, e o Tempest I passou por testes em solo em fevereiro de 1943. O Tempest I HM599 foi voado pela primeira vez em 24 de fevereiro de 1943, pilotado por Lucas. Lucas descobriu que o Tempest I melhorou a estabilidade em relação ao Tempest V, embora a autoridade de inclinação tenha se tornado inexistente abaixo de 177 km / h.

Foto à direita: The Tempest I em vôo com Bill Humble nos controles. A aeronave agora tem a cobertura em forma de bolha de uma peça e seu armamento foi removido.

Um novo motor foi instalado no início de março de 1943, e a aeronave voltou ao ar em 26 de março. Dois dias depois, Bill Humble fez seu primeiro vôo no Tempest I. No final de abril e até maio, um motor Sabre IV mais desenvolvido foi instalado, e o Tempest I foi modificado com um velame convencional em uma única peça e deslizante para trás. . Parece também que os canhões foram removidos, pelo menos temporariamente, neste momento. O Tempest atualizado voei em 4 de junho, pilotado pela Humble. Alguns testes de desempenho foram feitos durante o restante de junho. O motor Sabre IV exibiu um aumento drástico no consumo de óleo em velocidades acima de 3.750 rpm, e os motores feitos à mão raramente alcançavam 50 horas antes de precisar ser substituídos. Apesar das dificuldades do motor, o Tempest I foi elogiado por seu desempenho e manuseio, principalmente em altitudes mais elevadas.

Outro motor Sabre IV foi instalado no final de julho de 1943, e um estabilizador horizontal mais fino pode ter sido instalado neste momento. O Tempest I retomou os testes de vôo em agosto, no qual as velocidades de tempo de 460 mph (740 km / h) a 25.300 pés (7.711 m) e 443 mph (713 km / h) a 13.300 pés (4.054 m) foram registradas. A Humble alcançou velocidades mais altas em setembro, que incluíam a aeronave oficial de 466 mph (750 km / h) a 24.500 pés (7.468 m) e 441 mph (710 km / h) a 13.600 pés (4.145 m). O nível de velocidade mais alto registrado foi 472 mph (760 km / h) a 18.000 pés (5.486 m). Os testes continuaram, mas problemas de desenvolvimento com o motor Sabre IV levaram a mais trabalhos no projeto Tempest I, não sendo coberto por contrato governamental após dezembro de 1943. O Tempest V com seu motor Sabre II exigiu menos desenvolvimento, e o tipo assumiu o pedido original para o Tempest I.

Ainda havia vida para o Tempest I. A aeronave estava equipada com um motor Sabre V de 2.420 hp (1.805 kW), e a combinação foi pilotada pela primeira vez em 8 de fevereiro de 1944 pela Humble. Em 12 de fevereiro, um pedido de 700 Sabre V-motorizado Tempest Is foi recebido. Em 9 de março, o Tempest I foi danificado em um acidente de solo envolvendo um furacão Hawker. O Tempest I foi rapidamente reparado e voltou a voar em 28 de março. O pedido do Tempest I foi reduzido para 300 aeronaves em abril e depois convertido para o Tempest VI com motor Sabre V em maio.

O Tempest I continuou a servir como um teste do motor Sabre V até pelo menos março de 1945. Com o Sabre V, o Tempest I registrou uma velocidade de 462 mph (743 km / h) a 17.600 pés (5.364 m) e 444 mph (715 km / h) a 7.200 pés (2.195 m). O último vôo do Tempest I parece ter sido feito em 31 de agosto de 1945. Em 11 de setembro de 1947, o Tempest I foi derrubado, e a aeronave foi descartada em ou logo após 27 de outubro de 1947. Pelo menos seis pilotos fizeram pelo menos 91 vôos no Tempest I, mas um relato completo de seu tempo de voo não foi encontrado.

Outra imagem de Humble in the Tempest I. A abertura de saída de ar na popa do radiador de asa é um pouco visíveis, assim como os pratos de peixe para reforçar a cauda.

Agradecimentos a William Pearce da Old Machine Press pela permissão para usar seu texto e imagens nesta página.

Clique no banner acima para ler o artigo original!

Fontes:
Hawker Tempest I Fighter por William Pearce
Hawker Tempest (publicação 4+)


Comentários bíblicos

o SENHOR está aqui ensinando em parábolas. Os fariseus e herodianos tentam pegar JESUS em suas palavras. o SENHOR abençoadamente discursa sobre a ressurreição, e com um escriba: ele adverte contra os escribas. O capítulo termina com o Do Senhor Elogio da oferta da viúva ao tesouro.

E ele começou a falar-lhes por parábolas. UMA certo homem plantou um vinhedo e colocou uma cerca viva isto, e cavou um lugar para a gordura do vinho, e construiu uma torre, e alugou-a aos lavradores, e foi para um país distante. (2) E no tempo certo enviou aos lavradores um servo, para que recebesse dos lavradores o fruto da vinha. (3) E eles pegaram dele, e vencê-lo, e mandou dele vazio. (4) E tornou a enviar-lhes outro servo, e nele atiraram pedras e feriram dele na cabeça, e enviado dele longe vergonhosamente manipulado. (5) E novamente ele enviou outro e eles mataram, e muitos outros espancando alguns e matando alguns. (6) Tendo ainda um filho, seu bem-amado, enviou-lhes também por último, dizendo: Eles reverenciarão meu filho. (7) Mas aqueles lavradores disseram entre si: Venha este herdeiro, vamos matá-lo, e a herança será nossa. (8) E eles o levaram, e. matou dele, e elenco dele fora da vinha. (9) O que fará, pois, o senhor da vinha? ele virá e destruirá os lavradores e dará a vinha a outros. (10) E não lestes esta escritura. A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular: (11) Isso foi obra do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos? (12) E procuravam prendê-lo, mas temiam o povo, porque sabiam que ele havia falado aquela parábola contra eles; e, deixando-o, foram.

Tivemos esta parábola, Mateus 21:33, à qual me refiro. Mas, além do que foi observado, pode não ser impróprio observar brevemente, que nesta, assim como em algumas outras parábolas de CRISTO, devemos manter a lembrança à medida que passamos pelas várias partes dela, que como é uma parábola, não devemos forçar as expressões além da figura pretendida, nem fazer mais na aplicação do todo do que evidentemente o Senhor pretendia de uma maneira geral. Que o objetivo principal disso é mostrar os maus-tratos do Senhor por parte da nação judaica é certo e os vários personagens representados na parábola como, claramente marcam isso. O certo homem de que se fala aqui é DEUS, o PAI, a vinha, como é descrito em outro lugar, é a casa de Israel, e os homens de Judá sua planta agradável. Isaías 5: 7. Os servos em diferentes momentos ditos enviados, são os Profetas, e fiéis mensageiros preparatórios para a vinda de CRISTO e de seu FILHO, o SENHOR JESUS ​​CRISTO. Mas quando é dito que isso certo homem foi para um país distante que este certo homem, coloque um talvez após a recepção, seu FILHO pode recebê-lo pode ser, eles vão reverenciar meu FILHO. Estas são expressões parabólicas e não devem ser interpretadas em seu sentido literal exato e significado. O SENHOR está em todo lugar e sempre presente e, portanto, não se pode dizer que se retira, nem sai. Nem poderia o Senhor dizer que havia uma probabilidade de CRISTO ser reverenciado pela nação, os judeus, a quem foi enviado: pois provisão foi feita apenas para aqueles que reverenciavam a CRISTO, de quem ele mesmo falou, e todos os outro: o próprio JESUS ​​atribuiu a causa, pelo que não o aceitaram. Ver João 6:37 João 8:43. Mas a parábola tem como objetivo mostrar à nação os judeus, em seu caráter nacional. E o evento, na destruição da nação judaica, correspondeu exatamente às predições que CRISTO fez aqui. A nação inteira foi derrubada e o povo que sobreviveu à destruição de Jerusalém foi espalhado pela face da terra.

Versículos 13-17

(13) Se e eles mandarem a ele alguns dos fariseus e dos herodianos para pegá-lo em seu palavras. (14) E, quando eles chegaram, disseram-lhe: Mestre, sabemos que és verdadeiro e não te preocupas com ninguém; porque não consideras a pessoa dos homens; mas ensinas o caminho de Deus em verdade: lícito homenagear César, ou não? (15) Devemos dar ou não devemos dar? mas ele, conhecendo a hipocrisia deles, disse-lhes: Por que me tentais? traga-me um centavo, para que eu possa ver isto. (16) E eles trouxeram isto e ele disse-lhes: Cujo é esta imagem e inscrição? e disseram-lhe: De César. (17) E Jesus, respondendo, disse-lhes: Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E eles ficaram maravilhados com ele.

Foi dito do SENHOR JESUS, sob o espírito de profecia, que com os zombadores hipócritas estavam aqueles que rangiam os dentes sobre ele. Salmos 35:16. E aqui nós os vemos em profundo desenho. Se à questão da legalidade prestar homenagem a César, JESUS ​​havia dito, não o Herodianos o teria apreendido como um inimigo do governo. E se o Senhor tivesse justificado De césar afirmam, toda a nação dos judeus teria estado contra ele, visto que todos ansiavam pela libertação do jugo, e os próprios coletores de impostos eram chamados publicanos e classificados apenas como pecadores. Rogo ao Leitor que não apenas observe quanta sabedoria JESUS ​​demonstrou ao evitar a armadilha que lhe haviam preparado, mas quão abençoadamente aproveitou a ocasião para lembrá-los do que deviam a DEUS. Quem pode realmente pagar ao Senhor o que lhe é devido?

Versos 18-27

(18) Então vieram a ele os saduceus, que dizem que não há ressurreição, e perguntaram-lhe, dizendo: (19) Mestre, Moisés nos escreveu: Se o irmão de um homem morrer, e partir seu esposa atrás dele, e não deixe filhos, para que seu irmão tome sua esposa e suscite descendência para seu irmão. (26) AGORA havia sete irmãos e o primeiro casou-se e morreu sem deixar descendência. (21) E o segundo a tomou e morreu, sem deixar descendência; e da mesma forma o terceiro. (22) E os sete a tiveram, e não deixaram descendência; no final de todas a mulher também morreu. (23) Portanto, na ressurreição, quando eles se levantarem, de quem será ela esposa deles? pois os sete a tiveram por esposa. (24) E Jesus, respondendo, disse-lhes: Não errais, pois, por não conhecerdes as Escrituras nem o poder de Deus? (25) Porque, ao ressuscitarem dentre os mortos, não se casam nem se dão em casamento, mas são como os anjos que estão nos céus. (26) E quanto aos mortos, que eles ressuscitem, não lestes no livro de Moisés, como na sarça Deus lhe falou, dizendo: eu sou Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó? (27) Ele não é o Deus dos mortos, mas o Deus dos vivos. Vocês, portanto, erram muito.

Detenho o Leitor, na entrada, sobre este belíssimo discurso do SENHOR JESUS, para lhe dizer como graciosamente o SENHOR fez com que cada ocasião ministrasse à sua glória e ao bem-estar do seu povo. Aqui estavam os capciosos Saduceus, os livres-pensadores da geração de nosso Senhor, que vieram a ele sem propósito, mas para enredar Jesus em sua conversa. E observe que bendita oportunidade o SENHOR fez disso, para falar sobre aquele assunto interessante, a respeito da ressurreição. Torna-se uma confirmação daquela escritura preciosa Certamente, a cólera do homem te louvará, o restante da cólera tu deves conter. O SENHOR usará tanto da ira do homem, como ministrará ao propósito do SENHOR, na promoção de sua glória e tudo o que está além e acima, como o ribeiro violento de um moinho, será transformado em outro canal. Salmos 76:10.

A junção dessas diferentes seitas de homens, Saduceus com o Herodianos, foi simplesmente com o objetivo de agredir a CRISTO. Todos se juntarão na tentativa de esmagar CRISTO da maneira que quiserem Herodes e Pôncio Pilatos, em outras questões, eles estão em inimizade entre si. Lucas 23:12. Assim era então, assim é agora e assim será, durante todo o mundo presente, é uma bênção saber disso e uma bênção em prová-lo. Os mais violentos inimigos contra CRISTO, enquanto o Senhor estava na terra, eram os fariseus hipócritas e os maiores opositores de suas verdades mais puras agora, são os mesmos personagens.

A pergunta feita por aqueles homens, foi fundada na ignorância consumada e como nosso Senhor lhes disse, porque eles não sabiam as escrituras isto é, eles não sabiam nada da escritura, mas a mera letra e nunca sentiram o poder de DEUS neles, pelo ensino do SENHOR. Sete irmãos se casando com a mesma mulher, ou teria sido setenta vezes sete se possível, teria sido a mesma coisa para todas as conexões da natureza nesta vida, são totalmente para os propósitos desta vida e são dissolvidas na morte.

Nosso Senhor, portanto, ao declarar os filhos da ressurreição como os anjos, deu uma resposta completa e decisiva a esta e a todas as outras questões da mesma natureza. Mas a ocasião era justa demais para entorpecê-la para passar despercebida, pois o assunto poderia ser feito para servir ao conforto de seu povo e, portanto, o SENHOR JESUS ​​não só procedeu nele, por meio de estabelecer a certeza da própria doutrina, mas de lançar alguma luz divina sobre ele, que tem provado desde então, e sempre será, até que toda a cônica seja realizada na glória, da mais bendita e indescritível alegria para sua Igreja.

O SENHOR, toma apenas uma única circunstância da escritura do Antigo Testamento, na confirmação da doutrina do refrigério da alma, como em si mais do que suficiente para este propósito, ou seja, o chamado de DEUS para Moisés no mato. Sem dúvida foi o próprio JESUS, que em sua relação de aliança como Mediador Deus-Homem, antes de sua revelação mais aberta de si mesmo naquele personagem, que falou a Moisés no mato. Então Stephen acreditava. Atos 7:30. onde ele o chama de anjo (ou Messenger) do SENHOR. E assim, de fato, o próprio SENHOR JESUS ​​deu a entender, quando em sua conferência com os judeus, ele declarou que sua existência existia antes de Abraão, e se intitulou EU SOU. Compare João 8:58 com Êxodo 3:14. Mas, passando por isso, por ora se considerarmos o que o SENHOR JESUS ​​aqui diz aos saduceus, descobriremos que nada pode ser mais decisivo na confirmação da ressurreição. O SENHOR cita as expressões utilizadas pelo SENHOR para Moisés no mato. Eu sou o DEUS de Abraão e a DEUS de Isaac e o DEUS de Jacob. Agora, na época em que essas benditas verdades foram transmitidas, esses Patriarcas já haviam morrido há muito tempo e seus corpos transformados em pó. E, no entanto, DEUS o declara, sendo tanto o DEUS deles como sempre. O SENHOR não diz eu era seu DEUS, quando vivia em seus corpos, mas eu sou agora. Uma coisa em si mesma impossível, se Abraham, embora morto no corpo, não vivia então no espírito. Por isso o SENHOR acrescenta, DEUS não é o DEUS dos mortos, mas o DEUS dos vivos: e como Lucas tem as palavras em seu Evangelho, é adicionado, porque todos vivem para ele. Lucas 20:38. E Paulo, sob a autoridade do ESPÍRITO SANTO, foi dirigido a ensinar a Igreja que quer os crentes vivessem ou morressem, eles eram do Senhor. Para (disse ele) para este fim, CRISTO ambos morreram, ressuscitaram e reviveram, para que ele pudesse ser SENHOR tanto dos mortos quanto dos vivos. Romanos 14: 8-9. A propósito, rogo ao leitor que junte esta passagem abençoada com as duas mencionadas antes. João 8:58. com Êxodo 3:14, na confirmação de que foi nosso SENHOR CRISTO, quem falou ao Moisés na sarça e que o Senhor dê a dica um entendimento correto em todas as coisas.

Agora, então, de toda esta passagem abençoada e altamente interessante, atrevo-me a acreditar que as seguintes conclusões são inegáveis. Primeiro, que os Patriarcas, Abraão, Isaac, e Jacob, estavam em seus espíritos, vivendo em um estado de existência separada de seus corpos, na época em que o Senhor falou a Moisés do mato, quando ele se autodenominava seu DEUS. Em segundo lugar, que o Senhor nesta chamada para Moisés, declarando-se como o fez em sua relação de aliança com aqueles Patriarcas, mais plena e claramente implicava seus compromissos com as pessoas inteiras de cada um, tanto a alma quanto o corpo e, portanto, o Senhor não poderia ser entendido, como reconhecendo solenemente esta relação, que foi feito em um tempo em que ambos existiam juntos, se uma parte do ser daquelas pessoas fosse aniquilada, para nunca mais existir. Em terceiro lugar, o próprio reconhecimento deste glorioso título do DEUS do Patriarca na aliança, numa época em que suas cinzas estavam no pó, solenemente confirmou a certeza de sua ressurreição. E, em quarto lugar, o cumprimento da aliança de DEUS feita com aqueles Patriarcas, dependia da alma e do corpo de cada ser novamente unido Desde a não apenas sem ela, as promessas da aliança de DEUS só poderiam ser com uma parte de suas pessoas, mas também a felicidade de cada um só poderia ser em parte, se o corpo permanecesse para sempre separado da alma. Leitor! pondere bem essas coisas: dê-se inteiramente a elas. Em JESUS, contempla a ressurreição e a vida, e ó pela graça de DEUS, o ESPÍRITO SANTO, para ter parte na primeira ressurreição em tal a segunda morte não tem poder! Apocalipse 20: 6 Ver Marcos 16: 9 1 Coríntios 15:20.

Versículos 28-34

(28) Chegou um dos escribas e, ouvindo-os discutirem entre si, e percebendo que lhes havia respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? (29) E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é, Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor: (30) E amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de toda a tua mente e de todas as tuas forças. Esse é o primeiro mandamento. (31) E o segundo é gostar, nomeadamente isto, tu deverás amar o teu próximo como a ti mesmo. Não há nenhum outro mandamento maior do que estes. (32) E o escriba disse-lhe: Pois bem, Mestre, disseste a verdade; porque há um só Deus e não há outro senão ele; (33) E amá-lo de todo o coração e de todo o entendimento , e com toda a alma, e com todas as forças, e amar seu vizinho como ele mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios inteiros. (34) And when Jesus saw that he answered discreetly, he said unto him, Thou art not far from the kingdom of God, and no man after that durst ask him any question.

If we were not well acquainted with the general character of the Scribes, we might be led to hope, that this man's question was with a better design than the Sadducees. But there is nothing neutral in the holy war. JESUS himself hath decided he that is not with me is against me: Matthew 12:30 . But whether a friend or foe, our LORD hath blessedly taught the divine unity existing in a threefold character of persons, and followed it up with all its blessed consequences. The precious passage from one of the books of Moses, which the LORD refers to in proof, is in itself more than half confirmation of the glorious truth of the whole Bible, that the LORD JEHOVAH, the one Eternal and true GOD exists in a threefold character of persons for otherwise, wherefore is Israel called upon to hear that the LORD thy GOD (that is, GOD in covenant) is one LORD! It never could have entered the apprehension of the human mind untaught of GOD, Or anything beside. But when the LORD was pleased to reveal himself, as in a great variety of parts in scripture he hath done, in his persons and in the covenant engagements between the persons of the GODHEAD, it formed in the LORD's grace great mercy to his people, to remind them at the same time of the unity of the Divine Essence. Reader! the LORD grant that you and I may so hear, and so love each and every person of the GODHEAD, and know them in all their office-characters and relations, that it may become a proof of our true regeneration of heart since by nature there is no love, but enmity in us towards the Almighty Author of our being, till GOD who commandeth the light to shine out of darkness, hath shined in our hearts, to give us the light of the knowledge of the glory of GOD, in the face of JESUS CHRIST. 2 Corinthians 4:6 .

Verses 35-40

(35) And Jesus answered and said, while he taught in the temple, How say the scribes that Christ is the son of David? (36) For David himself said by the Holy Ghost, The LORD said to my Lord, Sit thou on my right hand, till I make thine enemies thy footstool. (37) David therefore himself calleth him Lord and whence is he then his son? And the common people heard him gladly. (38) And he said unto them in his doctrine Beware of the scribes, which love to go in long clothing, and love salutations in the market-places, (39) And the chief seats in the synagogues, and the uppermost rooms at feasts: (40) Which devour widows houses, and for a pretence make long prayers: these shall receive greater damnation.

These observations of the LORD JESUS, masked, and, as it should seem unexpected, because he had put all his enemies to silence, so as to presume to ask him no more questions, come in very sweetly after the former. Having there established the glorious mystery of One Eternal and Divine JEHOVAH existing in a threefold character of persons the LORD JESUS here goes on to preach the second wonderful mystery of GOD manifest in the flesh. And in the question concerning CHRIST, at once David's LORD and David's Son, he confirms the doctrine most completely. Luke 1:32 1 Timothy 3:16 John 1:14 Revelation 22:16 . Matthew hath more largely given the LORD's discourse upon this occasion, in his condemnation of the Scribes and Pharisees. I therefore refer to it. Matthew 23:0 . throughout. (41) And Jesus sat over against the treasury, and beheld how the people cast money into the treasury and many that were rich cast in much. (42) And there came a certain poor widow, and she threw in two mites, which make a farthing. (43) And he called unto him his disciples, and saith unto them, Verily I say unto you, That this poor widow hath cast more in, than all they which have cast into the treasury: (44) For all they did cast in of their abundance but she of her want, did cast in all that she had, even all her living.

It is likely that when the LORD had caused all his foes to quit the field, he sat down with his disciples near the treasury door. Those who have described the Temple, speak of several chests which were placed there to receive the voluntary offerings of the people. This poor widow attracted the special notice of JESUS. How little was she conscious whose eye was upon her! How little did she think that this private retired act would be published to the very end of time in the Church of CHRIST, and be had in everlasting remembrance. Reader! what have we to cast into the LORD's treasury? Indeed, and in truth, nothing but what we have first received. We have too mites soul and body: and these are both the LORD's. Oh! for grace to give both these and JESUS looking on JESUS disposing to the act, and JESUS accepting all to his glory. 1 Corinthians 6:19-20 .

Verse 40

PAUSE my soul over the many precious contents in this blessed chapter! Both the Jewish nation, and the Jewish church, have been as the LORD's vineyard. Oh! the boundless grace of JEHOVAH in setting apart that people with whom he deposited his Ordinances whose are the fathers, and of whom as concerning the flesh CHRIST came, who is over all GOD blessed forever, Amen. But oh! the wonderful provocations of Israel, in slighting the LORD's servants rising early and speaking, but regarding them not till at length they killed the LORD of life and glory! But, Reader! are we then by nature or by practice better than they? Oh! no, in no wise. The LORD hath concluded all under sin, that the righteousness of GOD, which is by faith of Jesus CHRIST, might be given to them that believe. Oh! the depth of the riches, both of the wisdom and knowledge of GOD!

My soul! behold thy LORD attacked in every way, by men calling him Rabbi and professing great regard to his person, for his teaching the way of GOD in truth and by Pharisee e Sadducee, por Herodians and by Scribes, aiming to catch him in his words! Oh! thou divine and Almighty Teacher, cause thy blessed truths in this chapter to sink deep into my heart! LORD! be thou everlastingly blessed for thy gracious discoveries concerning the glorious truths of thy resurrection. LORD! be thou my resurrection, and my life Give me to know Israel's GOD in covenant as one LORD! And oh! give me grace to love Him in his threefold character of Person, FATHER, SON, and HOLY GHOST, with all my heart, with all my soul, with all my mind, and with all my strength. And in the love of GOD may my affections find sweet directions, to the love of my neighbour. So will David's LORD be my LORD, and his CHRIST my CHRIST. And like the poor widow, the LORD's treasury will have my whole living since all I have, and all I am, are the LORD'S, and of His own only do I give him,


Bible Commentaries


Robert Hawker

Robert Hawker (1753-1827) was a Devonian vicar of the Anglican Church and the most prominent of the vicars of Charles Church, Plymouth, Devon. His grandson was Cornish poet Robert Stephen Hawker.

Hawker, deemed "Star of the West" for his superlative preaching that drew thousands to Charles to hear him speak for over an hour at a time, was known as a bold evangelical, caring father, active in education and compassionate for the poor and needy of the parish, a scholar and author of many books and deeply beloved of his parishioners.

He was a man of great frame, burly, strong and with blue eyes that sparkled and a fresh complexion. His humour was deep and razor sharp and his wit popular although he had a solemn exterior and in conversation would resort to silence while contemplating a difficult retort. He played the violin well and was an excellent scholar. Almost as soon as he arrived as curate he started writing and poured out over the year a long list of books, volumes of sermons, a theological treatise, a popular commentary, a guide to communion and also books of lessons in reading and writing for the schools. For a work of his on the divinity of Christ (combating the rise of Unitarianism) the University of Edinburgh conferred upon him a degree of Doctor of Divinity in 1792. He also produced the "Poor Man's Morning and Evening Portions" that were used long after his death.


Hawker Hunter Mark 12 - History

The Tempest Mk VI was basically a Tempest V airframe modified to accept the 2,340hp Sabre V engine. Externally similar to the Tempest V, the Mk VI featured wing root air intakes similar to those installed on the Tempest II. The use of wing air intakes, for the oil cooler and carburetor, left the nose area free to house a larger engine coolant radiator.
The Sabre V´s higher power output made it necessary to have this extra cooling which was especially important since the Tempest VI had been selected to be the standard RAF fighter for service in the Middle East.

The Tempest VI prototype (HM595, which had earlier served as the Mk V prototype) was initially tested during February of 1945.

Wing span: 41ft 0in
Wing area: 302 sq ft
Length: 33ft 10,5in
Height (tail down): 16ft 1in
Weight (empty): 9,150lb
Weight (loaded): 11,560lb
Maximum speed: 438 mph at 17,800ft
Time to height: 4,75 mins to 15,000ft
Powerplant: Napier Sabre Mk V
Max power: 2,340hp
Propeller diameter: 4-blade 14ft 0in
Numbers built: 142

Sources:
Hawker Tempest (4+ Publication)
Typhoon/Tempest in action (Squadron/Signal Publications No 102)
The Typhoon & Tempest Story (Chris Thomas & Christopher Shores)


After 33 Years, Bonnie’s Country Kitchen Closes Soul Food Sensations to Open

Ever since Black Monday plagued the stock market and Bon Jovi fans started “Livin’ on a Prayer,” Bonnie Hawker has been serving up food in Lovettsville. That changed two weeks ago—and now, there’s going to be a new kind of food served in the same spot.

Hawker opened Bonnie’s Country Kitchen in June 1987 after years of wanting to open her own restaurant. Since then, she’s served hundreds of thousands of meals to town residents, visitors and commuters on their ways to and from the city. But it was in the past few months that she decided to step back to focus solely on her Keedysville, MD, restaurant, Bonnie’s At the Red Byrd. She closed up shop in Lovettsville on Nov. 22. Now, Soul Food Sensations is slated to open in the same location.

Hawker started working in the restaurant industry at the age of 13 as a waitress at a Jefferson, MD diner. When she walked through the door for her first day of work, the cook was walking out the door on his last day. The diner’s owner taught Hawker how to cook.

“It was something I took to,” she said. “I just loved it. It got in my blood.”

Hawker worked at that diner on and off for a decade, then worked different odd jobs in the restaurant industry until she landed a position working at McClain’s Grocery in Lovettsville. And that’s how she met her landlord, Fred George, who also owns the building where Hawker runs her Keedysville restaurant.

When George bought the 1950s building at the northeast corner of Berlin Turnpike and Town Square in 1986, he asked Hawker if she’d like to open her own restaurant in the road-facing portion of the building.

“Of course, I did,” Hawker said of the opportunity.

Eleven months later, Hawker was all moved in. At the time, there were only two restaurants in town. Now, there are close to a dozen. But Hawker said the influx of new restaurants opening through the years never hurt her business, since her customers were so loyal.

And it wasn’t the COVID-19 pandemic and its subsequent restrictions on businesses and social gatherings that led Hawker to close her doors last month. In fact, she said her last three months were some of the best she has ever experienced in Lovettsville.

“Lovettsville people are some of the best customers in a pinch. They’re right behind you in a hard time,” she said.

Hawker, who turns 65 this month, said she just wanted to “back away from it a little bit” and focus on her Keedysville restaurant, which she opened in 2011 next door to her home.

“I just knew it was just time, I want to get a break from it,” she said. “It’s time for someone else to get a chance.”

Soul Food Sensations

And that chance is going to the husband-and-wife duo of Mark and Sybil Terry, a former wine distributor and the assistant principal of Rachel Carson Middle School in Herndon, respectively. The couple is planning a Dec. 19 grand opening of Soul Food Sensations.

The couple has been selling food at the Farmers Market at One Loudounsince March and has seen success there.

“People were angry if we took the day off,” Mark said.

In early October, when they heard Hawker was moving out of Lovettsville, the couple decided to “give it a whirl,” Sybil said.

Throughout the past two months, George has been working to clean the space and support the Terrys.

“He [and his wife, Anne, have] been behind us 100%,” Mark said.

The Terrys advertise “fine southern cuisine,” like fried chicken, macaroni and cheese, collard greens, candied yams, chicken and waffles, biscuits and gravy and much more.

“We’ve just taken what we were taught [by our families] and tried to incorporate that into the restaurant,” Sybil said.

As for Lovettsville residents still wanting a taste of Hawker’s food, Bonnie’s At the Red Byrd is only about 20 miles out of town.

“Whenever you’re missing my food, I have the same food there,” Hawker said.


What is the Witches Mark?

There’s a growing trend in the witchcraft community where women are looking for their witches mark. There are photos circulating online that show the witches mark as a very specific mole on the right lower arm. There are also claims that witches marks are found all over the body on various parts of the skin and can be red, dark brown, or even an extra nipple. So what is the truth? What exactly is the witches mark?

Witch Hunters Look for the Witches Mark

The concept of a witches mark historically dates to the Medieval and Early Modern period and has a much darker history than the witches mark of today. During the Witch Trials in Europe, witch hunters scoured the countryside in search of witches to burn, hang, and torture. One way a witch hunter “confirmed” a witch was a witch was to locate the witches mark on her body. This could be a mole, birthmark, scar, or even a third nipple. Some claimed the witches mark was given to the witch by the devil and was a “teet” from which the witch’s familiar would suckle blood. Others claimed scars or scratches on the body were a sign the devil had marked his territory.

The Witches Mark Today

The Witches mark in modern times is viewed in a different light. Modern witches believe birthmarks, moles, and the like are actually indicators of their magical abilities or signs of their past witch lives. For example, a birthmark that repeats itself on family members may indicate a line of witches depending on the shape and location.

Patterns, Symbols and Shapes

No one can determine what your birthmarks and moles mean or if they are the witches’ mark or not. Only you can determine that. I know that’s vague, so here’s a few ways to look for witches marks on your skin:

  • By pattern: a cluster of moles may form a pattern with a magical meaning. For instance, 3 moles side by side might look like the triple moon symbol for the goddess.
  • By symbol: birthmarks and moles can form patterns that look similar to symbols. For instance, a red birthmark that takes the shape of a rune or some other magical symbol
  • By shape: a witches mark on the skin might also take the shape of a country, the shape of a heart, etc.

But what do these birthmarks and moles mean?

If you’ve found you have a strange birthmark or mole, maybe you’re wondering what it actually means. Some birthmarks may indicate your past life or lives as a witch – showing how a witch was tortured or even died. For example, an elongated birthmark in the back may indicate a stab wound or a line around the neck may indicate being hung in a past life.

Other birthmarks or moles might be symbols you carry with you as sacred dedication to a specific god or goddess OR to witchcraft in general (like a triple moon, rune, etc.) They also indicate past lives in specific countries, for example a birthmark that resembles Australia or South America.


Explore the latest news and features by our world-class aviation journalists. Stay up to date on the latest military aviation developments, commercial airline news, historic plane restoration projects, flight simulation releases and much more.

Quiz: How well do you know your Soviet and Russian airliners?

Can you identify these Russian and Soviet-built airliners? Let us know what score you get!

BA 787 damaged in nose gear incident on stand at Heathrow

Images of the damaged Dreamliner began surfacing online earlier today

WATCH: Restoring an F-111 infested by wasps!

When Darren Priday joined the RAF Museum, his first job was to restore an F-111. But it wasn’t completely straightforward…

Which US military aircraft supported the President's recent UK visit?

We examine the logistics required for the success of Joe Biden's first visit to the UK as the US President for the G7 Summit, which - as expected - required a lot of airlift support

US Navy takes delivery of first TH-73A

The first operational TH-73A training helicopter was formally handed over to the US Navy on June 10 during a ceremony, held at the AgustaWestland Philadelphia Corporation (Leonardo) facility in Philadelphia, Pennsylvania

UK Discovery Tour, Part 2

Picking up from where we left off in our previous issue, the second leg of our United Kingdom discovery tour starts at Shoreham on England’s south coast and zig-zags up the home counties, through the capital of London to the River Humber in the northeast, before cutting across the Peak District to the city of Manchester.

Australian F-35As participate in Arnhem Thunder 21

Royal Australian Air Force-operated Lockheed Martin F-35A Lightning IIs have been deployed to RAAF Base Darwin, Northern Territory, to participate in Exercise Arnhem Thunder for the first time

Microsoft Flight Simulator World Update V: Nordics Released

The virtual world in Microsoft’s Flight Simulator latest major update focuses on Europe’s Nordic countries of Denmark, Finland, Iceland, Norway, and Sweden.

FlyPast Podcast Episode 26

Flypast talks to author Robert Forsyth about his latest book, Luftwaffe Special Weapons 1942-45.

Challenging Airports: Toronto City Airport (CYTZ)

Some airports are conveniently located in city centres and provide measurable savings for those who value time as a commodity. In this issue, we take a look at a popular near-city airfield that serves the bustling Canadian metropolis of Toronto: Billy Bishop Toronto City Airport.

Fabio Merlo’s Flight Control Replay

In flight simulation, most of the in-built replay functions are limited in the features they provide. Flight Control Replay is a way of bridging that gap. What’s more, it offers many other advanced features, particularly when compared with replay functions natively provided by some of the other platforms.

FlyingIron Simulations’ Spitfire L.F Mk.IXC

The Supermarine Spitfire has been represented in flight simulation since the very beginning of the hobby. In this review, we will be examining the FlyingIron Simulations’ Supermarine Spitfire Mk.IX for Microsoft Flight Simulator.

EXCLUSIVE: Lawyer in Ryanair vs government case reveals details

Tony Payne tells Key.Aero that claim will be settled on June 24 – and explains what Ryanair’s involvement really is

CONFIRMED: Ryanair and MAG to sue government

The UK's biggest airport operator and Europe's largest low-cost carrier have launched legal action against the government over the 'traffic light' travel rules

Manufacture of first two B-21 Raiders completed

Significant progress has been made with the new Northrop Grumman B-21 Raider long-range strategic stealth bomber, following the revelation that the first two prototypes have now been completed at Air Force Plant 42 in Palmdale, California

Carenado’s WACO YMF5

The 1930s inspired general aviation biplane from Carenado

Aerosoft’s CRJ 550/700

Almost seven months to the day after the launch of Microsoft Flight Simulator, the long wait for a complex, airline category add-on came to an end in March when Aerosoft released its CRJ 550/700. Let’s take a look at this exciting release.

Microsoft’s France/Benelux World Update

The Microsoft/Asobo team has presented us with yet another World Update, this time featuring France and Benelux.

Building a 737 Home Cockpit

Joe Lavery explains how he made the centre pedestal and highlights some of the challenges, such as fitting the radio equipment and the emergency engine fire handles.

Just Flight’s PA-28R Arrow III

We take a look at the first GA aircraft from the Just Flight team designed for Microsoft Flight Simulator.

List of site sources >>>


Assista o vídeo: Hawker Hunter Misdemeanour at Duxford Autumn Airshow 2012 (Janeiro 2022).