A história

Escândalo da cúpula do bule de chá - História

Escândalo da cúpula do bule de chá - História



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O uso indevido de poder para ganho privado havia sido excessivo no governo Harding. A extensão dessas infrações só ficou clara com a divulgação pública do "Escândalo da Cúpula do Bule". Uma reserva de petróleo naval foi arrendada a particulares pelo Secretário do Interior. Ele foi condenado e sentenciado a um ano de prisão.


À medida que a Marinha dos Estados Unidos converteu seus navios da queima de carvão em queima de óleo, ela adquiriu uma reserva estratégica de petróleo no Wyoming e na Califórnia. O campo de Wyoming era conhecido como campo Tea Pot Dome. Em 1921, o presidente Harding emitiu uma ordem executiva transferindo o controle dos campos da Marinha para o Departamento do Interior. Em 1922, quando a transferência foi realmente implementada, o Secretário do Interior Albert Fall alugou os campos sem licitação a uma taxa abaixo do mercado. Tea Pot Dome ele alugou para Harry F. Sinclair da Mammoth Oil, uma subsidiária da Sinclair Oil Corporation e os campos da Califórnia para Edward L. Doheny da Pan American Petroleum and Transport Company. Arrendar os campos sem licitação era legal, o problema era que Fall recebia subornos em troca do que fazia. Fall recebeu um empréstimo sem juros de $ 100.000 e outro presente avaliado em $ 400.000.

O escândalo começou a vir à tona quando uma empresa concorrente escreveu uma carta ao senador John B. Kendrick. Kendrick então apresentou uma resolução no Senado para investigar o assunto. A Comissão de Terras Públicas do Senado. Em 1924, o esboço básico do que acontecera havia se tornado claro. Fall foi acusado de aceitar subornos e acabou sendo considerado culpado e cumpriu pena na prisão. Aqueles que praticavam o suborno foram absolvidos. Nesse ínterim, o Supremo Tribunal Federal invalidou os arrendamentos e os devolveu à Marinha afirmando que a Harding não poderia transferir os arrendamentos da Marinha.

O escândalo do Teapot Dome fazia parte de um padrão mais amplo de má conduta que ocorrera durante a administração Harding. No início de 1923, o coronel Charles Forbes foi considerado culpado de roubo do governo. Estimou-se que ele e seus cúmplices roubaram dezenas de milhões de dólares em conexão com a construção de um hospital de veteranos.


Escândalo da cúpula do bule

No início da administração Harding, o Secretário da Marinha Edwin Denby persuadiu o presidente a transferir a responsabilidade de algumas das reservas de petróleo do Departamento da Marinha para o Departamento do Interior. Os campos de petróleo em Elk Hills, Califórnia, e Teapot Dome perto de Casper, Wyoming, estavam envolvidos. O secretário do Interior Albert B. Fall, ex-senador do Novo México, alugou secretamente a reserva do Wyoming ao petroleiro Harry F. Sinclair em abril de 1922, alguns meses depois, as terras da Califórnia foram igualmente arrendadas a Edward L. Doheny. Nenhuma dessas transações foi aberta a licitações. Em 1923, uma investigação do Senado foi aberta por Thomas J. Walsh, de Montana. Foi descoberto que o secretário Fall havia recebido mais de $ 400.000 em & # 34empréstimos & # 34 por ajudar Sinclair e Doheny. Os arrendamentos associados ao Teapot Dome Scandal foram cancelados em 1927, uma medida que foi contestada pelas empresas de petróleo. O Tribunal do Distrito Federal de Wyoming considerou o arrendamento válido, mas a decisão foi revertida pelo Circuit COurt e a reversão foi confirmada pela Suprema Corte no final daquele ano, em 27 de outubro. Em 1929, Fall foi condenado por aceitar suborno, multado em $ 100.000 e condenado a um ano de prisão. Sua queda em desgraça lhe valeu a distinção de se tornar o primeiro oficial de gabinete a ser preso por crimes cometidos no cargo. Doheny e Sinclair usaram seus bens para contratar advogados especializados e foram absolvidos em seus próprios julgamentos. No entanto, Sinclair foi posteriormente condenado por uma acusação menor de desacato por se recusar a prestar testemunho a um comitê do Senado. Não havia nenhuma sugestão razoável de que Harding soubesse desse caso ou tivesse lucrado com ele. Seu fracasso não foi ganância, mas sim fazer algumas escolhas erradas para cargos no gabinete e não monitorá-los. O escândalo do Teapot Dome foi uma mancha permanente nos registros de sua administração.

Veja outros eventos domésticos durante a administração Harding.


Warren Harding & # 39s Surprise Nomination

Warren Harding prosperou como editor de jornal em Marion, Ohio. Ele era conhecido como uma personalidade extrovertida que ingressava em clubes com entusiasmo e adorava falar em público.

Depois de entrar na política em 1899, ocupou vários cargos em Ohio. Em 1914, foi eleito para o Senado dos Estados Unidos. No Capitólio, ele era muito querido por seus colegas, mas fez pouco de real importância.

No final de 1919, Harding, encorajado por outros, começou a pensar em concorrer à presidência. Os Estados Unidos estavam passando por um período de turbulência após o fim da Primeira Guerra Mundial, e muitos eleitores estavam cansados ​​das idéias de internacionalismo de Woodrow Wilson. Os defensores políticos de Harding acreditavam que seus valores de cidade pequena, incluindo peculiaridades como a fundação de uma banda de música local, restaurariam a América para uma época mais plácida.

As chances de Harding de ganhar a indicação presidencial de seu partido não eram grandes: sua única vantagem era que ninguém no Partido Republicano não gostava dele. Na Convenção Nacional Republicana em junho de 1920, ele começou a parecer um candidato de compromisso viável.

Há fortes suspeitas de que lobistas da indústria do petróleo, sentindo que enormes lucros poderiam ser obtidos controlando um presidente fraco e flexível, influenciaram a votação na convenção. O presidente do Comitê Nacional Republicano, Will Hays, era um advogado de destaque que representava empresas petrolíferas e também atuou no conselho de administração de uma empresa petrolífera. Um livro de 2008, O escândalo da cúpula do bule pelo veterano jornalista de negócios Laton McCartney, forneceu evidências de que Harry Ford Sinclair, da Sinclair Consolidated Oil Company, canalizou US $ 3 milhões para financiar a convenção, que foi realizada em Chicago.

Em um incidente que mais tarde ficaria famoso, Harding foi questionado, tarde da noite em uma reunião política nos bastidores da convenção, se havia algo em sua vida pessoal que o desqualificaria para servir como presidente.

Harding teve, de fato, uma série de escândalos em sua vida pessoal, incluindo amantes e pelo menos um filho ilegítimo. Mas depois de pensar por alguns minutos, Harding afirmou que nada em seu passado o impedia de ser presidente.


Escândalo da cúpula do bule

Em 1920, o Ohioan Warren Gamaliel Harding ganhou a eleição como Presidente dos Estados Unidos. O legado do presidente Harding ainda está em grande parte ligado ao escândalo do Teapot Dome. O escândalo recebeu o nome dos campos de petróleo do governo em Teapot Dome, Wyoming. Terras petrolíferas em Elk Hills, Califórnia, também foram incluídas sob o guarda-chuva Teapot Dome.

O resultado do escândalo do Teapot Dome foi a acusação de que o secretário do Interior de Harding, Albert Fall, havia contornado o processo de licitação aberta ao conceder arrendamentos de terras do governo a empresas petrolíferas privadas. A prática de arrendar terras petrolíferas do governo era comum devido à aprovação da Lei Geral de Arrendamento sob o presidente Wilson.

Fall, que havia sido um senador muito respeitado do Novo México antes de sua passagem de dois anos no Interior, supostamente distribuiu os arrendamentos para duas empresas de petróleo em troca de um presente de US $ 100.000. No final de uma longa investigação do Senado e do julgamento que se seguiu, ele foi condenado por aceitar o suborno, sentenciado a um ano de prisão e multado em US $ 100.000. Um petroleiro passou seis meses na prisão por perjúrio e o outro foi absolvido de dar suborno a Fall.


Secretário Fall renuncia no escândalo do Teapot Dome

Albert Fall, secretário do Departamento do Interior dos Estados Unidos, renuncia em resposta à indignação pública com o escândalo Teapot Dome. A renúncia do outono & # x2019 iluminou um relacionamento profundamente corrupto entre os desenvolvedores ocidentais e o governo federal.

Nascido no Kentucky em 1861, Albert Fall mudou-se para o Novo México em 1887 porque os médicos lhe disseram que o ar seco do deserto melhoraria sua saúde. Fall prosperou em sua nova casa, construindo rapidamente uma grande fazenda perto de Las Cruces e investindo na mineração de prata e outros empreendimentos. Na virada do século, Fall era um homem de negócios ocidental muito respeitado e poderoso e usou seus consideráveis ​​recursos para ganhar uma cadeira no Senado dos EUA quando o Novo México se tornou um estado em 1912.

Em Washington, D.C., Fall descobriu rapidamente as agradáveis ​​prerrogativas do poder. Ele fez vários aliados poderosos, incluindo o presidente Warren G. Harding, que o nomeou secretário do Departamento do Interior dos EUA em 1921. Como secretário do interior, Fall era responsável por administrar as vastas propriedades de terras ocidentais do governo no interesse público. Infelizmente, os laços estreitos do outono com os desenvolvedores ocidentais o tentaram a abusar de sua posição. Agindo ostensivamente para garantir suprimentos adequados de petróleo para a marinha em caso de guerra, Fall reservou um grande depósito de petróleo em Wyoming conhecido como Teapot Dome. Secretamente, ele começou a assinar contratos de arrendamento com grandes petroleiros ocidentais, permitindo-lhes explorar a suposta reserva.

Quando a notícia dos arrendamentos secretos vazou, Fall afirmou que os assinou tendo os melhores interesses do público em mente. As investigações subsequentes, no entanto, colocaram a integridade de Fall & # x2019 em questão quando revelaram que muitos de seus investimentos no Novo México haviam entrado em colapso recentemente e ele estava à beira da falência. Desesperado por dinheiro, Fall aceitou & # x201Cloans & # x201D de cerca de US $ 400.000 dos mesmos petroleiros a quem ele concedeu acesso ao Teapot Dome, dois dos quais eram velhos amigos de seus dias de mineração no Novo México. Fall insistiu que os empréstimos não tinham relação com a concessão dos arrendamentos de petróleo do Teapot Dome, mas conservacionistas e reformadores do governo ficaram indignados. Esses conflitos de interesse eram inevitáveis, eles argumentaram, quando os desenvolvedores ocidentais receberam o controle sobre as agências federais responsáveis ​​pelo gerenciamento dos recursos naturais ocidentais.


O escândalo da cúpula do bule

O escândalo Teapot Dome da década de 1920 envolveu a segurança nacional, grandes empresas de petróleo e suborno e corrupção nos mais altos escalões do governo dos Estados Unidos. Foi o escândalo mais sério da história do país antes do caso Watergate do governo Nixon na década de 1970.

E essa controvérsia foi nomeada para uma reserva de petróleo perto de uma formação rochosa ao norte de Casper, Wyoming, que parecia um bule de chá.

Os eventos que levaram ao escândalo começaram décadas antes, quando o governo e oficiais da Marinha dos Estados Unidos, contemplando uma nova presença global, perceberam que precisavam de um suprimento de combustível mais confiável e portátil do que o carvão.

Durante a presidência de Theodore Roosevelt no início do século 20, os oficiais do Departamento da Marinha aspiravam a uma marinha americana que pudesse navegar todos os oceanos do mundo, demonstrando os poderes imperiais recém-descobertos do país. A Marinha dos Estados Unidos, limitada por limitações de peso com navios movidos a carvão, recorreu à construção de postos de abastecimento de carvão em todo o mundo.

Eles observaram cuidadosamente enquanto outras nações começavam o desenvolvimento de navios movidos a petróleo. A partir de 1909, durante o governo Taft, os administradores da Marinha decidiram converter a frota para o petróleo mais eficiente. Os navios não teriam necessidade de estações de carvão. Depois de abastecidos, os navios movidos a petróleo tinham um alcance muito maior.

o USS Wyoming, um navio de guerra inicialmente lançado em 1900, tornou-se o primeiro navio da frota a ser convertido para a potência do petróleo em 1909. (O navio foi posteriormente rebatizado de USS Cheyenne quando o novo navio de guerra USS Wyoming foi lançado em 1910.), À medida que mais navios eram convertidos do carvão, os oficiais da Marinha ficavam mais preocupados com a disponibilidade de petróleo a longo prazo. O que aconteceria se o petróleo acabasse? A Marinha ficaria paralisada.

Consequentemente, os administradores da Marinha pediram ao Congresso que reservasse terras de propriedade federal em lugares onde provavelmente existiam depósitos de petróleo conhecidos. Essas “reservas navais de petróleo” não seriam perfuradas, a menos que uma emergência nacional tornasse isso necessário. Uma das três reservas de petróleo reservadas estava perto de Salt Creek, no norte do condado de Natrona, em um lugar que recebeu o nome de uma formação rochosa incomum nas proximidades - Teapot Dome. Uma cúpula é uma formação geológica que retém petróleo no subsolo entre camadas impermeáveis ​​de rocha, com a camada superior dobrada para cima para formar uma cúpula.

Os petroleiros de todo o oeste cobiçavam a oportunidade de perfurar dentro dessas reservas federais. Logo depois que o republicano Warren G. Harding foi eleito presidente em 1920, ele nomeou seu amigo jogador de pôquer, o senador americano Albert Fall, para ser seu secretário do Interior.

Fall, um fazendeiro e primeiro senador dos EUA pelo Novo México, aceitou o cargo de gabinete. Em poucas semanas, ele convenceu o presidente Harding a permitir a transferência das reservas de petróleo naval da Marinha para o Departamento do Interior, argumentando que o departamento era "mais capaz" de supervisionar a proteção dessas áreas onde o petróleo não seria produzido , mas mantido em caso de emergência.

O resultado ficou conhecido como o escândalo Teapot Dome, mas embora o escândalo tenha ganhado seu nome em um lugar do Wyoming, os criminosos eram de outro lugar.

O secretário Fall, uma vez que o campo de petróleo Teapot Dome estava sob seu controle, fez acordos secretos com dois proeminentes petroleiros, Edward Doheny e Harry Sinclair. Os dois homens, amigos íntimos de Fall, pagaram-lhe propinas para autorizá-los a perfurar as três reservas de petróleo naval - contrariando a letra e o espírito da lei.

De volta ao Wyoming, o petroleiro independente e, mais tarde, o governador democrata do Wyoming, Leslie Miller, ficou desconfiado quando viu caminhões com o logotipo da empresa Sinclair transportando equipamentos de perfuração para a reserva de petróleo naval Teapot Dome. Ele pediu ao senador norte-americano John B. Kendrick, também democrata, que examinasse o assunto. Kendrick, sentindo uma transgressão, entregou a questão a um comitê especial de investigação do Senado.

Enquanto isso, o Presidente Harding fez uma viagem de verão para o oeste, parando em Wyoming, desfrutando de Yellowstone e continuando para o Alasca e, por fim, para São Francisco. Enquanto estava lá, o presidente morreu repentinamente. Alguns historiadores acreditam que Harding escapou do impeachment por seu papel em Teapot Dome por ter a “boa sorte” de morrer enquanto o escândalo se desenrolava. Claro, tal conclusão não pode ser provada.

O outono não teve tanta sorte. Após uma longa investigação do Senado, ele foi julgado por aceitar subornos. Ele foi condenado e enviado para a prisão federal, o primeiro oficial de gabinete na história americana a ir para a prisão por crimes cometidos enquanto servia no cargo.

Tanto Sinclair quanto Doheny foram exonerados da acusação principal - dar suborno a Fall. Como um repórter de jornal observou quando os dois ricos petroleiros foram considerados inocentes: “Você não pode condenar um milhão de dólares”. Sinclair foi condenado a nove meses de prisão não por suborno, mas por desacato ao Congresso e por acusações relacionadas à contratação de detetives para rastrear os membros do júri no julgamento de suborno original.


Teapot Dome, os fuzileiros navais dos EUA e a reputação de um presidente

Em 1922, Wyoming foi invadido pelos fuzileiros navais dos EUA. Quatro fuzileiros navais, para ser exato. Eles foram despachados pelo secretário adjunto da Marinha, Theodore Roosevelt, Jr., e acompanhados por alguns funcionários do Departamento do Interior e alguns jornalistas de Denver para remover - sob a mira de uma arma, se necessário - a tripulação de um prospector de petróleo da Reserva de Petróleo Naval dos EUA No. 3, mais conhecido então e agora como Teapot Dome.

O campo petrolífero Teapot Dome fica no norte do condado de Natrona, Wyoming, cerca de 40 quilômetros ao norte de Casper. O campo fica a seis milhas a leste de Teapot Rock, uma formação de arenito erodida que antes parecia um bule de chá. A rocha ainda é facilmente visível da Wyoming Highway 259, cerca de 19 quilômetros ao sul da cidade de Midwest. Tornados e tempestades de vento na década de 1920 quebraram o que parecia o cabo e o bico de um bule de chá.

Primeiros habitantes

Antes que qualquer garimpeiro buscasse fortuna nas infiltrações de óleo, rochas, sálvia e leitos de riachos secos ao redor do Teapot Dome, os nativos americanos viveram e caçaram na área por milênios, e há evidências de seu uso e ocupação (por exemplo, abrigos de pedra, marcos e lareiras ) dentro e ao redor do campo petrolífero Teapot Dome. Em meados de 1800, os conflitos com os brancos se transformaram em guerras esporádicas. A trilha Bozeman, um atalho da trilha do Oregon ao longo do North Platte River ao norte até os campos de ouro em Montana, tornou-se um ponto focal de conflito em 1865.

Essa trilha cortava o noroeste, cruzando o centro da Bacia do Rio Powder, no que agora é o nordeste do Wyoming - e ao longo do canto nordeste do campo petrolífero Teapot Dome. A rota foi usada apenas por alguns anos, no entanto. A maior parte da viagem foi feita no leito do riacho seco de Teapot Creek, sem vestígios da trilha no campo petrolífero Teapot Dome.

As petroleiras iniciam a produção

O primeiro relatório sobre o potencial de petróleo na área foi nas proximidades de Salt Creek em 1886, o que acabou levando ao desenvolvimento do campo petrolífero Salt Creek adjacente e ao norte do campo petrolífero Teapot Dome.

A cidade de Casper foi fundada em 1888 com a conclusão de uma ramificação de uma subsidiária da Chicago and Northwestern Railroad. A cidade estava localizada na antiga Trilha do Oregon, perto de onde o Exército havia mantido um posto em uma ponte sobre o rio North Platte décadas antes. O condado de Natrona foi formado em 1890 com Casper como sua sede de condado. Depois que os campos de petróleo foram descobertos, Casper se tornou o maior centro de refino de petróleo do Wyoming.

Depois de 1900, o petróleo começou a substituir o carvão como fonte de combustível para locomotivas ferroviárias, bem como para os motores que moviam plataformas de perfuração de petróleo e bombas. A Marinha e a Marinha Mercante começaram a converter os navios de carvão em óleo combustível e a instalar postos de reabastecimento em bases navais.

Com base nas descobertas de petróleo no campo petrolífero de Salt Creek e nas preocupações com a obtenção de petróleo para a Marinha dos Estados Unidos, o Departamento do Interior dos Estados Unidos declarou em 1909 que todas as terras não reclamadas ao redor de Salt Creek seriam retiradas, ou seja, nenhuma nova terra do governo seria disponível para reclamações de ocupação e / ou minerais.

Ao contrário do Leste dos EUA, no Oeste, o governo federal detinha a maioria das terras. As leis de reivindicações de terras e minerais que existiam para a agricultura e para a mineração de ouro, prata e cobre foram estendidas para cobrir a exploração de petróleo e perfuração. As disputas legais sobre a retirada do governo das terras ao redor de Salt Creek levaram, em 1920, à aprovação de novas leis sobre o petróleo. As companhias de petróleo foram autorizadas a arrendar terras federais para exploração de petróleo, enquanto o governo manteve os direitos de superfície.

Ainda assim, houve superprodução, desperdício e falta de armazenamento. O governo tentou promulgar medidas de conservação, mas as empresas de petróleo eram autorreguladas. Como resultado, essas medidas foram amplamente ineficazes até 1931, quando o presidente Hoover exigiu que as empresas petrolíferas coordenassem atividades para reduzir o desperdício e o esgotamento rápido.

Enquanto isso, as empresas maiores estavam superando as menores. Em 1910, duas empresas principais, a Wyoming Oil Fields Company e a Midwest Oil Company, estavam bem estabelecidas no campo petrolífero de Salt Creek. Em 1912, cada empresa construiu uma refinaria em Casper e instalou tubos dos poços em Salt Creek até as novas refinarias.

No final de 1913, a Midwest Refining Company comprou, trocou ou absorveu o suficiente das outras participações para se tornar a maior empresa de Salt Creek. O Centro-Oeste possuía reivindicações minerais, produzindo poços, estações de bombeamento, dutos, tanques de armazenamento e refinarias. A maioria de seus trabalhadores morava ao longo de Salt Creek, no maior dos acampamentos - uma cidade que se tornaria o meio-oeste, Wyo.

A Marinha intervém

Ao mesmo tempo, a Marinha dos Estados Unidos estava se convertendo rapidamente de navios de carvão para navios que queimam petróleo, e surgiu a preocupação sobre a necessidade da nação de um abastecimento doméstico seguro de petróleo em caso de guerra ou emergência nacional. Em resposta a essa preocupação, a Lei Pickett de 1910 autorizou o presidente dos EUA a retirar grandes áreas de terras potencialmente petrolíferas na Califórnia e Wyoming - então os estados mais ativos para a exploração de petróleo em terras federais - como fontes de combustível para a Marinha.

Em 2 de julho de 1910, o presidente William Howard Taft separou terras federais que se acreditava conter petróleo como uma reserva de emergência para a Marinha dos EUA. Isso acabou levando a uma Ordem Executiva do presidente Woodrow Wilson em 1915 designando a área de Teapot Dome como Naval Petroleum Reserve No. 3. NPR-1 e NPR-2 estavam em Elk Hills e Buena Vista Hills, Califórnia, respectivamente.

Todos, exceto 400 dos 9481 acres do campo petrolífero Teapot Dome estavam repletos de reivindicações privadas, no entanto, muitas reivindicações eram inválidas.

Em 23 de maio de 1921, o presidente Warren Harding, por ordem executiva, com a anuência do secretário da Marinha, transferiu a administração de todas as reservas navais do Departamento da Marinha para o Departamento do Interior.

Em 1921, Harding nomeou o senador americano Albert B. Fall do Novo México, conhecido como oponente dos programas de conservação federais, o novo secretário do Interior. Logo após assumir o cargo, Fall anunciou que as reservas navais seriam alugadas para produção, a fim de evitar que perfuradores privados em reivindicações próximas escoassem o petróleo sob as terras reservadas para a Marinha. Fall também argumentou que isso permitiria à Marinha melhor acesso ao combustível quando necessário, e que a Marinha poderia negociar o óleo cru por óleo combustível refinado, se necessário.

Fall arrenda o petróleo em um contrato sem licitação

Em abril de 1922, o secretário Fall anunciou que haviam sido concedidos arrendamentos para a produção de NPR -1 em Elk Hills, na Califórnia. Ele não anunciou, entretanto, que em 7 de abril, ele, junto com o secretário da Marinha Edwin Denby, também havia concedido os direitos de arrendamento do NPR-3 em Teapot Dome para a Mammoth Oil Company - sem licitação.

A Mammoth Oil Company era controlada por Harry Ford Sinclair, proprietário da grande Sinclair Oil Company. O arrendamento permitiu que o governo ficasse com 12,5% a 50% do petróleo produzido em cada poço. Mammoth iria construir tanques de armazenamento de petróleo nas costas do Atlântico e do Golfo, e construir um oleoduto do campo petrolífero Teapot Dome para oleodutos mais a leste.

Os termos do arrendamento visavam garantir o óleo combustível e seu armazenamento para a Marinha, com um subtexto de apoio à Marinha em resposta às ameaças recentes do Japão, para evitar a perda de óleo por drenagem para poços adjacentes e para criar um mercado mais competitivo , garantindo assim royalties governamentais mais elevados do campo petrolífero de Salt Creek.

O secretário Fall evitou o problema do governo de ter de limpar os direitos dos reclamantes privados duvidosos, exigindo que a Mammoth Oil o fizesse antes de o contrato ser assinado. Enquanto isso, uma subsidiária da Midwest Oil Company havia assumido o controle de todas as reivindicações nebulosas e cobrou de Sinclair e Mammoth US $ 1 milhão para liberar o arrendamento.

Theodore Roosevelt, Jr., envia os fuzileiros navais

Um velho amigo e apoiador político do presidente Harding, James G. Darden, tinha reivindicações sobre parte do campo petrolífero Teapot Dome que antecedia o arrendamento da Mammoth Oil Company por Harry Sinclair. Darden havia fechado o negócio por meio do gabinete do procurador-geral dos Estados Unidos e, em junho de 1922, ele começou a perfurar em um terreno que o secretário Fall já havia alugado para Mammoth.

Quando Fall, que desprezava Darden, descobriu isso, ele exigiu que os fuzileiros navais fossem enviados imediatamente ao Bule para ejetar os "ocupantes" de Darden. O presidente Harding vacilou, mas Fall pressionou, e então falou diretamente com o secretário adjunto da Marinha, Theodore Roosevelt, Jr. e pediu que os fuzileiros navais fossem despachados. Fall citou um precedente legal inexistente para esta ação.

Roosevelt concordou e, em 29 de julho de 1922, o capitão George Shuler, quatro fuzileiros navais e um geólogo deixaram Washington, D.C. por Casper. Lá, eles se juntaram a alguns funcionários do Departamento do Interior e repórteres do Denver Post. Eles seguiram para o norte até o trecho 30 do campo petrolífero, trecho em disputa, onde chegaram na manhã de 1º de agosto.

Os fuzileiros navais, armados com carabinas, pistolas e munição suficiente para enfrentar um pequeno exército de petroleiros, encontraram um capataz que, junto com seu supervisor, capitulou prontamente.

Depois de instalar as placas de “Proibição de invasão” em toda a plataforma, os fuzileiros navais almoçaram com o capataz e o supervisor, e foi isso. Foi, diz o historiador Laton McCartney, a única vez em que um estado dos EUA foi "invadido" pelos fuzileiros navais dos EUA.

O contrato chega à imprensa

A invasão não foi, entretanto, o fim do drama de Teapot Dome.

Em abril de 1922, antes do conhecimento público do contrato de arrendamento com a Mammoth Oil, Leslie Miller, um homem do petróleo de Wyoming, futuro governador do Wyoming e um democrata, pediu ao senador dos EUA John B. Kendrick, também um democrata, para descobrir se os arrendamentos eram disponível para o campo petrolífero Teapot Dome.

Em 14 de abril, o Wall Street Journal relatou sobre o arrendamento da Mammoth Oil Company, observando oficiais do governo citando suas vantagens, mas também revelando que era um acordo não competitivo. O jornal percebeu a falta de licitações e deu a entender que uma conspiração estava em andamento entre o Departamento do Interior e os petroleiros.

O senador Kendrick e o congressista do Wyoming Frank Mondell, um republicano, pediram ao presidente Harding que o contrato fosse anulado. Harding recusou. Alguns produtores de petróleo foram a favor do acordo, presumindo que o oleoduto em desenvolvimento seria benéfico. À medida que os argumentos contra o arrendamento continuavam, a Mammoth Oil avançou com a exploração e o desenvolvimento do campo petrolífero Teapot.

Mammoth desenvolve o campo

Harry Sinclair formou a Mammoth Oil Company com o único propósito de desenvolver e operar o campo petrolífero Teapot Dome. O desenvolvimento veio rapidamente, com vários contratos para várias empresas de perfuração para a primeira rodada de poços. A empresa previa uma produção de mais de 20.000 barris por dia. Os empreiteiros da Sinclair construíram mais de 600 milhas de oleodutos para apoiar a produção prevista em Wyoming - incluindo seus interesses em Salt Creek Oilfield - e para entregar o petróleo às linhas troncais do meio-continente das empresas Sinclair Pipe Line e Prairie Pipe Line perto de Kansas City .

Em meados de maio de 1922, o engenheiro-chefe da Sinclair Oil chegou a Casper e imediatamente começou a pedir suprimentos para o campo de petróleo e madeira de torre para 20 unidades de perfuração. No final do mês, ele havia fechado contratos para 20 guindastes, os equipamentos de perfuração foram enviados e a construção de um grande acampamento de tendas havia começado, frotas de caminhões abasteciam o campo de Casper “e o local geralmente representava um formigueiro em ponto de atividade ”, escreve o historiador Contra-Almirante CA Trexel. Começar a perfurar 20 novos poços de uma só vez em uma reserva de petróleo não comprovada “elevou o interesse do público a um nível alto”, acrescenta Trexel.

A maior parte do campo petrolífero foi desenvolvida entre maio de 1922 e março de 1924, e em maio de 1923 a Mammoth Oil Company trouxe um jorro. Durante o desenvolvimento do campo, as equipes estabeleceram oito acampamentos de residência / operação, estabeleceram linhas de telefone e água, construíram estradas e pontes, perfuraram poços de petróleo e gás natural e instalaram tanques e dutos em todo o campo. Quando totalmente desenvolvido, o campo incluiu aproximadamente 84 poços produtores. A produção atingiu o pico em outubro de 1923 com 4.460 barris por dia.

No verão de 1922, os trabalhadores viviam em 15 grandes tendas com piso de madeira de pinho, mesas de pinho e camas com estrutura de ferro. Os acampamentos permanentes foram concluídos em 1923.

Mammoth acabou desenvolvendo quatro acampamentos. Eles abrigavam estações de bombeamento, dormitórios, chalés com vários cômodos, refeitórios, salas de aula e outras estruturas de apoio, incluindo tanques para óleo. As empresas Sinclair, Houston, Chanute e Hardendorf também ergueram pequenos acampamentos no campo. A maioria dos campos Mammoth e Sinclair tinha água, gás, eletricidade e telefones, e o principal campo Mammoth tinha sistema de esgoto. Os acampamentos das outras empresas tinham apenas conexões de gás, com água disponível apenas de bombas externas.

O número de estruturas sugere que Mammoth poderia abrigar cerca de 125 trabalhadores, fornecendo moradia familiar para 12 deles. A Sinclair Pipe Line Company poderia abrigar aproximadamente 25 trabalhadores a mais, assumindo quatro quartos por chalé.

Congresso e os tribunais intervêm

Enquanto isso, de volta ao Senado dos Estados Unidos, o senador Tom Walsh, de Montana, um democrata, liderava uma investigação sobre o arrendamento Sinclair-Mammoth. Walsh suspeitava da falta de concorrência, da origem do arrendamento no escritório do secretário Fall e dos gastos pessoais acelerados de Fall. Walsh também estava preocupado com o fato de a política anterior da Marinha de conservação de reservas de petróleo ter sido revertida tão rapidamente.

Em 13 de março de 1924, os administradores nomeados pelo tribunal federal assumiram o controle do campo petrolífero Teapot Dome e interromperam as operações de perfuração, mas mantiveram a produção dos poços existentes. As plataformas de perfuração foram transferidas para o armazenamento em Casper e muitos funcionários foram demitidos. No momento em que os receptores assumiram as operações, 82 poços haviam sido perfurados e 60 estavam produzindo óleo, gás ou água.

Anos de discussão nos tribunais e na opinião pública continuaram. Em outubro de 1927, a Suprema Corte dos EUA manteve uma decisão do Tribunal de Circuito dos EUA de que o aluguel do Teapot Dome havia sido obtido de forma fraudulenta. O campo petrolífero foi oficialmente devolvido à Marinha em 7 de janeiro de 1928. A produção havia caído para 730 barris por dia, e a Marinha voltou à sua estratégia de conservação de armazenar o petróleo no solo.

A Marinha tomou medidas para fechar os poços restantes e retornar todo o campo petrolífero Teapot Dome ao estado de conservação. Isso resultou na lama e no abandono de quase todos os poços de petróleo e gás no campo petrolífero e na venda e remoção da infraestrutura e campos. A paralisação e as vendas encerraram o desenvolvimento inicial do campo petrolífero Teapot Dome.

Em outubro de 1929, Fall foi considerado culpado de conspiração criminosa, multado em US $ 100.000 e condenado a um ano de prisão. Sinclair também foi julgado. Estranhamente, ele foi considerado inocente de subornar Fall, mas foi sentenciado a 6 meses e meio por se recusar a testemunhar e por desacato ao tribunal. Edward Doheny, outro homem do petróleo, foi julgado por dar US $ 100.000 em empréstimos para Fall, mas ainda mais estranhamente, foi absolvido. Todo esse episódio prejudicou permanentemente a reputação de Harding e contribuiu para a reputação de seu governo como repleto de controvérsias e negócios duvidosos.


Escândalo da cúpula do bule

Em 1920, o Ohioan Warren Gamaliel Harding ganhou a eleição como Presidente dos Estados Unidos. O legado do presidente Harding em grande parte ainda está ligado ao escândalo do Teapot Dome. O escândalo recebeu o nome dos campos de petróleo do governo em Teapot Dome, Wyoming. Terras petrolíferas em Elk Hills, Califórnia, também foram incluídas sob o guarda-chuva Teapot Dome.

O resultado do escândalo do Teapot Dome foi a acusação de que o secretário do Interior de Harding, Albert Fall, havia contornado o processo de licitação aberta ao conceder arrendamentos de terras do governo a empresas petrolíferas privadas. A prática de arrendar terras petrolíferas do governo era comum devido à aprovação da Lei Geral de Arrendamento sob o presidente Wilson.

Fall, que havia sido um senador muito respeitado do Novo México antes de sua passagem de dois anos no Interior, supostamente distribuiu os arrendamentos para duas empresas de petróleo em troca de um presente de US $ 100.000. No final de uma longa investigação do Senado e do julgamento que se seguiu, ele foi condenado por aceitar o suborno, sentenciado a um ano de prisão e multado em US $ 100.000. Um petroleiro passou seis meses na prisão por perjúrio e o outro foi absolvido de dar suborno a Fall.


Escândalo da cúpula do bule de chá - História

Within a few days after arrival of the ship at Pensacola, Doheny, Sr. arrived and visited the ship and a conversation with Captain John Taylor Robinson, its Skipper. By Robinson, what he thought of the Navy's handling of its oil reserves Doheny said "well it is being handled very well for the people you have for neighbors, but you were not going to have any property there in a very few years. Robinson later said that conversation from such a practical expert as Doheny had opened his eyes to the danger to the Navy from drainage by adjacent wells. In that conversation, something else must have been said for Doheny was detached within days from the ship on June 13, 1917 and assigned to duty in the Judge Advocates office in Washington, D.C. although he was not a lawyer. He spent the duration there.
Upon entry of the United States into the war, Doheny his family and his various companies did the patriotic thing, the Pan American Petroleum and Transport Co. and his Mexican Petroleum Company, bought two million dollars in Liberty Bonds, while Doheny Sr. and his family bought another 1.5 million dollars individually. More bonds were bought by Doheny and his businesses in subsequent Liberty Loan Drives. Doheny's companies also contributed one hundred thousand dollars to the war work of the Young Mens Christian Association while Doheny and his family contributed an equal amount. This patriotic generosity did not go unnoticed in Washington.
The war ended on November 11, 1918 and on November 17 Doheny was detached from the Judge Advocate's Office and sent to the submarine base in San Pedro, California to rejoin his family. He was released from active duty on January 14, 1919, but continued to participate in the Naval Reserve with the Lieutenant's commission until his murder on February 16, 1929. Civilian Life Upon release from active duty, Doheny joined his father's petroleum empire as a Senior Executive being a Vice President on the staff of the Petroleum Securities Corporation. He entered into the social life of Los Angeles becoming the President of the University of Southern California Alumni Association and was a great benefactor of the University and other causes, while his wife watched after a growing family. He enjoyed significant social contacts with the Los Angeles Athletic Club, the Los Angeles Country Club and membership on the boards of leading civic organizations. He became a trustee of the University of Southern California and was a generous contributor giving a two hundred thousand dollar endowment. The Washington Scene In 1920, there was a change in the administration in Washington. President Harding assumed the office and appointed various department officials. Edward Edwin Denby of Michigan and a former congressman was appointed by Harding to the Office of Secretary of the Navy. Denby, in turn, appointed Captain Robinson to head the Navy's Bureau of Engineering raising him to the temporary rank of Rear Admiral and placing him in charge of the Navy's Petroleum Reserve.
In the meantime, Albert Bacon Fall had become Secretary of the Department of the Interior and knowing Doheny's interests in acquiring additional domestic reserves began a scheme to have the petroleum transferred from the Navy Department to the Department of Interior under his control. Fall was pressured with financial obligations.
Earlier, President William Howard Taft had withdrawn the Public Lands for the use of the Navy in 1910 and by executive order created the Naval Petroleum Reserve consisting of 69,310 acres in the Elk Hills, Kern County, California and an additional 29,341 acres in the Tea Pot Dome area of Natoma County, Wyoming.
The Navy had converted from coal to oil burning ships by 1912 and the government wanted to be sure that petroleum reserves will be available if the commercial sources became scarce. Additionally, the availability of cheap government oil would act as a cap to extortionate prices charged by the commercial producers.
The fear of drainage from adjacent wells to Naval properties was a common fear and Secretary Josephus Daniels felt that under certain circumstances it may be necessary to lease parts of the Reserve. At his urging on June 4, 1920, Congress passed a law giving the Secretary of the Navy power to develop operate or lease parts of the Naval Reserve and giving him the power to sell or exchange petroleum products for the Navy, a small budget of half a million dollars was also appropriated for the project. By May 31, 1921, President Harding signed an executive order giving the Secretary of Interior, Fall, complete control of the Naval Reserves and a few weeks later Fall wrote to Doheny, "there shall be no further conflict with Navy officials" as he had told Denby, he would take complete charge, "he understands the situation and that I shall handle matters exactly as I think best and will not consult with any officials of any bureau of this department, but only with himself and such a consultation shall be confined strictly and entirely to matters of general policy".


Transfer of the petroleum reserves embittered powerful figures in the Navy Department. Fall decided to pacify he Navy brass by helping them deal with an old problem for many years the Navy had wanted to build petroleum storage depots at Pearl Harbor, Hawaii and along the Atlantic Coast, but with the downsizing of the Military Congress had denied these funds.
The Navy thought that it could fund the construction work with royalties from some small oil leases it had granted. Although that Congress demanded these royalties be deposited in the Treasury's General Fund, but in any event the storage depot project would cost two hundred million dollars which was more than the Navy's oil income.
Fall found a way around this suggestion that Navy take its royalties and certificates from the Oil Companies which could be used to pay for the construction of the depots, that is if more of the Naval Reserves were leased there would be enough money and certificates to pay for the construction of oil storage depots by the oil companies.
On November 28, 1921, Doheny signed a proposal to build the oil storage depot at Pearl Harbor in exchange for the Navy's crude oil. The very next day, Fall called Doheny and told him to go ahead and said the "loan" they had talked about was due.
Doheny then dispatched his son, Edward L. Doheny, Jr. and Doheny, Jr.'s employee and friend, Hugh Theodore Plunkett, to deliver the loan. The two men went to the brokerage house of Blair and Company withdrew one hundred thousand dollars in cash from Ned's account wrapped the money in paper and put it in a little black bag and took it to Fall in his apartment at the Wardman Park Hotel in Washington. Later Ned Doheny claimed that Fall had given him a receipt for the "loan".
On April 17, 1922, the government accepted Doheny's bid to build the Pearl Harbor storage facilities in exchange for its choice of any lease on the Elk Hills Reserve in exchange for building a storage capacity of 1.5 million barrels of fuel oil, he would receive 6 million barrels of crude oil. Later, another agreement was made by which Doheny agreed to build oil storage tanks and build a refinery in San Pedro, California (the Port of Los Angeles) and build a separate pipeline from the Elk Hills in Kern County, California southward to San Pedro in exchange for which Doheny got the right to lease the entire Elk Hills Reserve for 15 years.
The oil in the ground at Elk Hills was estimated at between 75 and 250 million barrels being worth at least one hundred million dollars. Fall signed the contract on December 11, 1922. This undoubtedly a sweetheart deal and within a matter of months indictments were issued. Congressional hearings were held and indictments were issued against Albert Fall, Doheny and Harry Sinclair (Standard Oil of Indiana and a beneficiary of the Tea Pot Dome lease hold).
The first civil case, to rescind the Doheny oil lease contracts came to trial on October 21, 1924. This was Admiral John Keeler Robinson, Ned's former Commanding Officer who portrayed the whole thing as a patriotic project to ensure that there was fuel for the Pacific Fleet. He said that Doheny had told him that his company would bid on the construction of the storage facilities and "what is more, I will tell you admiral", said Doheny, "If you get a bid from me or my company it will be one that won't involve one cent of profit to me".
One of Doheny's lawyers laid it on thick, "America can sleep tonight secure from danger of being overrun by a Mongol country because the patriotism of such men as E. L. Doheny, Edwin Denby and Admiral John K. Robinson and their work in establishing a great Naval base in Hawaii. These men have been humiliated and vilified because they endeavored to save you and me and our country".
The civil trials were followed by criminal trials against Doheny and Fall. Fall was convicted of accepting a bribe.
Doheny was represented by lawyer Frank Hogan, a successful criminal attorney, who once remarked the ideal client is a rich man who was scared. Doheny paid Hogan $1,000,000 for his work on the case and he succeeded in having Doheny acquitted, although Fall went to jail.
Summation: The close of the case was a masterpiece of forensic showmanship. He made an emotional appeal to the jury portraying his client as a pioneer or prospector or patriot and pointing to Ned Doheny, he declared, "That old man offered that young man's life upon the alter of patriotism. He went on the ships of war over the turbulent and submarine infested oceans in his country's service." He reminded the jury that Ned was an only son, "and you are asked to believe that when Edward L. Doheny near the end of his life corruptly intended to bribe Albert B. Fall, a Secretary in the Cabinet of Warren G. Harding, he deliberately and purposely used as an instrument, therefore his son, the pride of his youth, the hope of his maturity, the solace of his old age!! And yet, unless you believe that, you cannot believe there was a bribe. You cannot believe that there was a criminal mind and a corrupt heart motivating this thing you cannot believe in all the labored argument of our opponents. Do you believe that man is a crook? If he's a crook, convict him. But can you believe that his mind was so corrupt that he conceived bribery and that he had fallen so low that he selected his own son, whom a few years before he had given to the Navy, as an instrument of his bribery. Now Doheny says to you from the grave that which in life he said from this very witness stand. This indictment charges that young Doheny was a briber. Can you believe that? Can you believe that a man who a few years before had offered his only son to his country and fallen so low that he took him, the expected solace of his old age, and made him an instrument of his bribery? It isn't human to believe it!"


Doheny was acquitted in less than one hour after the jury was charged.
The United States Supreme Court handed its decision on October 11, 1927 declaring that the leases had involved fraud and were therefore rescinded as void. However, Sinclair and Doheny had to return to the government the Navy's Reserves at Tea Pot Dome in Elk Hills along with over 24 million dollars from Doheny's Pan American Petroleum Company and 500,000 dollars from Sinclairs Mammoth Oil Company. That ended the civil suits. Plunkett's Role Theodore Plunkett was born in Kansas and worked at a job changing tires in service stations. When World War I broke out, he served as a machinist on a submarine chaser. Returning from the War he went to work for the Doheny's and became a "secretary" of Ned Doheny. He was involved in many of the family's financial affairs and was a trusted gopher. He was given to nervous breakdowns and had been hospitalized at the Doheny expense.
At the time of the trial, Doheny, Sr. was still facing a trial in the criminal court for bribing Fall. Doheny knew that if Fall, who would be tried first were found guilty, he would have to convince the jury that he had not given the bribe that Fall had already been convicted of accepting. The case could be expected to hinge on the testimony of Ned Doheny and Hugh Plunkett who had actually delivered the money in the black bag. Obviously if Plunkett was diagnosed as psychotic and residing in sanatorium, Plunkett could not be called to testify about the bribe to Fall. Even if he were out of the institution, the testimony of a man with mental problems would lack credibility. Doheny, Sr. brought his friend and physician, Dr. Fishbaugh, who attempted to convince Plunkett to enter a sanatorium. That same day Mr. and Mrs. Doheny visited Plunkett at his apartment at Greystone in an attempt to convince him to enter the sanatorium and there was an argument. Later that evening when Plunkett showed up at the Doheny mansion. Ned decided the time had come to put him in a mental institution. The Los Angeles Times account said it was because of Ned's inability to quiet the mad man and his belief that a showdown on the plan to have Plunkett placed in a sanatorium for rest should be had then that caused Doheny to put in a hurried telephone call for Dr. Fishbaugh who later received the message at a Hollywood Theater.
On the evening of February 18, 1929, something happened. Plunkett apparently shot Ned to death and turned the gun on himself. There was apparently cover ups by the family physician and a delaying in reporting the events to the police department, with contrary reports of what really transpired.
Both Ned and Plunkett were the apparent victims of Old Man Doheny's ambition. It is with a bit of irony that the Teapot Dome Scandal caused Fall to be convicted of accepting a bribe and that Doheny Sr. was found innocent of offering to bribe. Search our Site!


Escândalo da cúpula do bule

The presidential administration of warren g. harding, from 1921 to 1923, was characterized by scandal and corruption, the most controversial of which was the Teapot Dome oil scandal.

Conservation was a popular cause throughout the first quarter of the twentieth century and was encouraged by various presidents. As a result, several oil reserves for the exclusive use of the U.S. Navy were established in Wyoming and California. The oil was kept in storage places called domes, one of which, located near Casper, Wyoming, was christened Teapot Dome due to a rock formation in the area that resembled a teapot.

Although many politicians favored the establishment of the oil reserves, others believed they were superfluous. One opponent of the oil policy was Senator Albert B. Fall of New Mexico, who sought to make the reserves accessible to private industry.

In 1921, Senator Fall was selected as secretary of the interior in the Harding cabinet. Authority over the oil fields was transferred from the Department of the Navy to the interior department, with the consent of Edwin Denby, Secretary of the Navy. Fall was in a position to lease the oil reserves, without public bidding, to private parties. In 1922, Harry F. Sinclair, president of the Mammoth Oil Company, received rights to Teapot Dome, and Edward L. Doheny, a friend of Fall and prominent in the Pan-American Petroleum and Transport Company, leased the Elk Hills fields in California. Fall received approximately four hundred thousand dollars in exchange for his favoritism.

Senator Thomas J. Walsh of Montana initiated a Senate investigation of the oil reserve lands at the recommendation of Senator robert m. lafollette of Wisconsin. Eventually, the U.S. Supreme Court declared the leases inoperative, and the oil fields at Teapot Dome and Elk Hills were returned to the U.S. government.

Sinclair served nine months in prison for contempt of court, but both he and Doheny were found not guilty of bribery. Fall, who had left the cabinet in 1923, was found guilty in 1929 of accepting bribes his punishment was one year in prison and a fine of $100,000. President Harding died in office in 1923, never aware of the notoriety of his administration.


Assista o vídeo: Ciro Gomes, Argentina empobrecendo, japanização, fertilizantes, crise de 1929, China e Taiwan (Agosto 2022).