A história

10 coisas que você pode não saber sobre Winston Churchill


1. A mãe de Winston Churchill era americana.

No final do século 19, era bastante comum que aristocratas britânicos se casassem com herdeiras dos EUA. Um desses relacionamentos combinou Lord Randolph Churchill, o terceiro filho do sétimo duque de Marlborough, com Jennie Jerome, filha nascida no Brooklyn de um rico financista. O casal teve dois filhos juntos: Winston em 1874 e Jack em 1880. No entanto, o relacionamento supostamente azedou e Jennie estava frequentemente ausente. Ela permaneceu na Inglaterra após a morte de Lord Randolph em 1895 e se casaria mais duas vezes, em ambos os casos com homens duas décadas mais jovens.

LEIA MAIS: Conheça a mulher por trás de Winston Churchill

2. Churchill quase não conseguiu entrar na escola militar.

Como estudante, Churchill teve um desempenho ruim em praticamente todas as matérias, exceto história e redação em inglês. Ele era particularmente inepto em línguas estrangeiras. Em um livro de memórias, ele descreveu uma prova de latim de duas horas que deixou completamente em branco, exceto pelo nome e o número da primeira pergunta, junto com "um borrão e várias manchas". Seu plano de frequentar o Royal Military College em Sandhurst sofreu um revés quando ele falhou duas vezes nos exames de admissão. Com a ajuda de um tutor militar, ele finalmente se classificou pela terceira vez, mas apenas para a classe de cavalaria, que tinha padrões inferiores aos da infantaria.

3. Uma fuga ousada do campo de prisioneiros rendeu-lhe fama instantânea.

Depois de se formar em Sandhurst, Churchill pediu licença do exército e viajou para Cuba, onde relatou um levante para um jornal de Londres. Posteriormente, ele serviu como correspondente de guerra e oficial militar, um papel duplo então permitido, na Índia, Sudão e África do Sul. Ao chegar à África do Sul em 1899, seu trem blindado foi emboscado por bôeres, descendentes de colonos holandeses que lutavam contra os britânicos na época. Churchill foi capturado e levado para um campo de prisioneiros, do qual ele logo escapou escalando um muro à noite, mesmo quando dois de seus companheiros reclusos voltaram. Sem um plano preciso, Churchill felizmente tropeçou na casa de um gerente de mina de carvão britânico, que o escondeu em uma mina por três dias e depois o mandou em um caminhão de lã para Moçambique. De lá, Churchill pegou um navio de volta à África do Sul e correu para o front como um herói recém-descoberto.

4. Ele organizou um ataque maciço na Primeira Guerra Mundial que falhou espetacularmente.

A carreira política de Churchill começou em 1900, quando ele foi eleito para o Parlamento, cargo que ocupou por mais de 60 anos. Ele garantiu seu primeiro cargo no gabinete em 1908 e, em 1911, havia avançado para se tornar o primeiro lorde do Almirantado (o equivalente britânico do secretário da Marinha dos Estados Unidos). Nessa posição, ele preparou um ataque anfíbio durante a Primeira Guerra Mundial contra o desmoronado Império Otomano. Churchill acreditava que tal ação permitiria aos britânicos se unirem a seus aliados russos, aumentar a pressão sobre a frente oriental da Alemanha e possivelmente até fazer pender a balança de todo o conflito. Mas quando os navios de guerra Aliados entraram no estreito de Dardanelos, localizado perto da atual Istambul, em março de 1915, o fogo otomano afundou três deles, danificou gravemente três outros e mandou os restantes em retirada. As tropas aliadas também não conseguiram ganhar terreno durante os meses de combate na adjacente Península de Gallipoli, sofrendo mais de 250.000 baixas no processo. Embora Churchill tenha perdido seu posto no almirantado como resultado do fracasso, ele finalmente conseguiu reabilitar sua reputação.

LEIA MAIS: Desastre da Guerra Mundial de Winston Churchill

5. Churchill não era fã de Gandhi.

Durante grande parte de sua vida, Churchill se opôs a qualquer forma de autonomia para a Índia. Ele reservou uma antipatia particular para o líder não violento da independência Mohandas Gandhi, a certa altura o chamando de "um advogado sedicioso do Templo Médio agora se passando por um faquir de um tipo bem conhecido no Oriente", e ele até favoreceu deixar Gandhi morrer durante uma greve de fome. A atitude imperialista de Churchill também se manifestou em relação a outras colônias britânicas. Certa vez, ele afirmou, por exemplo, que zulus, afegãos e dervixes eram "povos selvagens e bárbaros".

6. A maioria de seus famosos discursos veio com alguns meses de intervalo.

Churchill assumiu o cargo de primeiro-ministro em maio de 1940, após um início desastroso da Segunda Guerra Mundial, na qual a Alemanha nazista conquistou grande parte da Europa. Um mestre orador, ele fez o melhor para reunir a nação em face de um ataque quase certo, fazendo seis discursos importantes em quatro meses. Durante o primeiro deles, ele disse ao Parlamento que não tinha "nada a oferecer além de sangue, trabalho árduo, lágrimas e suor". Em 4 de junho, ele declarou da mesma forma: “Devemos defender nossa ilha, custe o que custar. Devemos lutar nas praias, devemos lutar nos campos de desembarque, devemos lutar nos campos e nas ruas, devemos lutar nas colinas. Jamais nos renderemos. ” E em 18 de junho, enquanto a França se preparava para se submeter aos nazistas, ele disse a seus compatriotas para "nos apoiarmos em nossos deveres e, portanto, assumirmos que se o Império Britânico e sua Comunidade durarem mil anos, os homens ainda dirão:" Este foi seu melhor momento. '”

7. Churchill foi eleito destituído do cargo antes do final da Segunda Guerra Mundial.

Em julho de 1945, depois que a Alemanha se rendeu, mas não o Japão, a Grã-Bretanha realizou sua primeira eleição geral em uma década. Para a surpresa de muitos, o Partido Conservador de Churchill perdeu em um deslizamento de terra, tendo sido retratado com sucesso pelo Partido Trabalhista como anti-trabalhador e anti-bem-estar. “Eles têm todo o direito de nos expulsar”, disse ele ao ouvir a notícia. “Isso é democracia. É por isso que temos lutado ”. Ele voltou ao cargo de primeiro-ministro em 1951, permanecendo lá até que problemas de saúde o induziram a renunciar três anos e meio depois.

8. Churchill popularizou o termo "cortina de ferro".

Apesar de suas dúvidas sobre o comunismo, Churchill aliou-se de bom grado à União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial. Depois, no entanto, ele começou a nutrir sérias dúvidas sobre os objetivos da União Soviética. Em um discurso de março de 1946, ele falou de "uma cortina de ferro [que] desceu sobre o continente". “Atrás dessa linha”, disse ele, os países estão sujeitos “a um controle muito alto e, em muitos casos, crescente de Moscou”. Desse ponto em diante, as autoridades ocidentais continuamente mencionaram a “cortina de ferro” ao falar sobre a URSS.

ASSISTIR AGORA: Discurso da Cortina de Ferro de Winston Churchill

9. Ele foi um autor premiado.

Churchill escreveu muitos livros ao longo de sua vida, o primeiro dos quais detalhou suas experiências no exército na Índia, Sudão e África do Sul. Mais tarde, ele escreveu uma biografia de seu pai, uma biografia do primeiro duque de Marlborough, vários volumes sobre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, uma história de povos de língua inglesa e um romance que ele pediu a seus amigos que não lessem. Em 1953, enquanto cumpria seu segundo mandato como primeiro-ministro, ele recebeu o Prêmio Nobel de Literatura por “seu domínio da descrição histórica e biográfica, bem como por sua oratória brilhante na defesa de valores humanos exaltados”.

10. Churchill era extremamente sujeito a acidentes.

Quando jovem, Churchill sofreu uma concussão e rompeu um rim enquanto se jogava de uma ponte, de brincadeira. Mais tarde, ele quase se afogou em um lago suíço, caiu várias vezes de cavalos, deslocou o ombro ao desembarcar de um navio na Índia, bateu um avião enquanto aprendia a voar e foi atropelado por um carro quando olhou para o lado errado para atravessar New Quinta Avenida de York. Nenhum desses incidentes o deixou debilitado. Ele viveu até os 90 anos antes de finalmente sucumbir a um derrame.

Assistir episódios completos de Segunda Guerra Mundial: corrida para a vitória.


10 coisas que você não sabia sobre Winston Churchill

O primeiro-ministro britânico da 2ª Guerra Mundial Winston Churchill é, sem dúvida, um dos líderes mais respeitados do século 20 [o que é uma façanha, considerando todas as figuras políticas que este século teve] e, por causa disso, não faltam historiadores dedicados a contar tudo sobre a vida do PM britânico da 2ª Guerra Mundial. Mesmo assim, a OMS fez uma lista de 10 coisas que você pode não saber sobre o PM britânico da 2ª Guerra Mundial.

Se você os conhece, tudo bem, mas se não conhecer, pelo menos terá algo para se gabar da próxima vez que encontrar seus amigos entusiastas de história!

1. O PM britânico da 2ª Guerra Mundial e seu amor por Silk Undies

Todos nós nos importamos com o que está debaixo de nossas calças [e saias para as mulheres] e gastamos muito com roupas íntimas que não estão à venda de vez em quando. O primeiro-ministro britânico da segunda guerra mundial, Winston Churchill, não foi diferente.

No entanto, seu amor por roupas íntimas confortáveis ​​vai mais do que isso & # 8212 ele preferia que fossem feitas de & # 8220 seda tecida muito fina [diz-se ser na cor rosa pálido] & # 8221 das lojas do Exército e da Marinha. Durante a Segunda Guerra Mundial, a seda deve ter sido uma mercadoria altamente restrita, pois a Sra. Churchill divulgou que a roupa de baixo de seu marido & # 8217 & # 8220 custou os olhos da cabeça & # 8221.

Portanto, pode-se dizer que o PM britânico da 2ª Guerra Mundial reuniu todo o Reino Unido para vencer a Segunda Guerra Mundial com um charuto, uma taça de uísque e uma calcinha de seda rosa claro.

2. O PM britânico da segunda guerra mundial, seu amor pelo uísque e pela Índia

O amor de Churchill por algo com álcool é um conhecimento comum. Diz-se até que uma vez ele comentou que havia estabelecido uma regra em sua vida de nunca beber bebidas não alcoólicas entre as refeições.

Mas você sabia que o primeiro-ministro britânico da segunda guerra mundial odiava uísque? Mas uma viagem à Índia mudou isso.

Foi no subcontinente que aprendeu a beber da maneira certa e, assim, desenvolveu um & # 8220 gosto adquirido & # 8221 por ele. Logo, ele desviou para Johnny Walker, que bebeu com refrigerante.

3. O PM britânico da 2ª Guerra Mundial e sua predileção por gatos [ou animais para essa matéria]

Embora a maioria dos fãs de história vejam o primeiro-ministro britânico da 2ª Guerra Mundial como parecido com o bulldog britânico por razões muito óbvias, Churchill na vida real gostava muito de gatos.

Na verdade, havia um gato que ele realmente amava & # 8212, seu amigo felino em tons de marmelada com babador branco e meias, Jock. O gato recebeu o nome de seu secretário particular, Sir John & # 8220Jock & # 8221 Colville, e deixou um legado que, mesmo após a morte do PM britânico da 2ª Guerra Mundial, foi escrito que um gato marmelada chamado Jock deveria ser Chartwell & # 8217s [ agora administrado pelo National Trust] felino residente.

E isso continua até hoje.

4. O PM britânico da 2ª Guerra Mundial & # 8220Flashing & # 8221 o Presidente Americano da 2ª Guerra Mundial

Winston Churchill não dava a mínima para o que os outros pensavam dele. Uma vez, ele mostrou o presidente americano da 2ª Guerra Mundial, Franklin D.Roosevelt. Ele tirou uma toalha de banho o tempo todo, declarando que ele & # 8220 não tinha nada a esconder & # 8221.

5. O PM britânico da 2ª Guerra Mundial e sua predileção por gatos [ou animais para esse assunto] Parte II

O PM britânico da 2ª Guerra Mundial não era conhecido apenas por sua determinação inabalável durante a guerra. Ele também era conhecido por aceitar vários animais como animais de estimação. Se isso não convencê-lo de que Churchill era um amante dos animais, então esta anedota o fará.

Uma vez, o PM britânico da 2ª Guerra Mundial pediu à sua esposa, Clementine, para cortar o ganso que eles estavam tendo para o jantar.

& # 8220Você & # 8217 terá que esculpi-lo, Clemmie. Ele era meu amigo, & # 8221 ele disse.

6. Subornando o PM britânico da 2ª Guerra Mundial para Parar de Fumar

Imagine Winston Churchill sem seu charuto de assinatura? Bem, isso seria difícil, pois Churchill e os charutos parecem andar de mãos dadas.

Mas houve uma vez que a mãe do líder político britânico tentou suborná-lo para parar de fumar e conseguiu. . . bem, quase.

Quando o futuro PM britânico da 2ª Guerra Mundial tinha apenas 15 anos, sua mãe o convenceu a adiar o charuto por seis meses em troca de um pônei e uma arma. Churchill fez exatamente isso!

Ele pegou seu pônei e sua arma e voltou a fumar depois de seis meses.

7. Sopa Clara ou Cremosa?

O PM britânico da 2ª Guerra Mundial preferiu a sopa transparente como uma entrada de refeição em comparação com a sopa cremosa. Ele detestava o último. E por falar em refeições, Churchill também gostava de fazer piqueniques.

8. O PM britânico da 2ª Guerra Mundial e seu amor por musicais

Sim, o poderoso Winston Churchill adorava musicais. Bem, esse fato está realmente implícito com base no que os historiadores encontraram em sua caixa de discos & # 8212 Gilbert e Sullivan [uma parceria teatral na era vitoriana], bem como Marie Lloyd e Harry Lauder, veteranos do Music Hall.

9. Winston Churchill & # 8217s Love for Movies

Além dele implícita amor por musicais, o PM britânico da 2ª Guerra Mundial também gostava de filmes. Ele era conhecido por observá-los com sua família, funcionários e até convidados regularmente em sua casa. Além disso, como seu amor por tudo que é bom [incluindo roupas íntimas], ele tinha um gosto excepcional na escolha do filme.

Por um lado, seu filme favorito era Aquela mulher hamilton estrelado por Vivien Leigh e Sir Lawrence Olivier.

10. O PM britânico da 2ª Guerra Mundial e seu valor para o tempo

Winston Churchill acredita que o tempo é uma mercadoria preciosa, pois ele nunca usou sapatos com atacadores. Seu motivo era que ele & # 8220 gostava de entrar e sair das coisas & # 8221.


Dez coisas sobre Churchill que você pode não saber

Winston Churchill foi um dos maiores líderes do século XX. Ele era uma figura pitoresca e controversa. Por vezes, durante sua vida, foi político, jornalista, escritor e soldado. Churchill foi um verdadeiro homem da Renascença e levou uma vida de aventura e drama, mesmo antes de se tornar um político importante. Hoje, ele é uma das figuras mais veneradas e queridas da história britânica e admirado em todo o mundo. Ele é um símbolo de liberdade e vontade de lutar pelo que é certo. Churchill é corretamente visto como o campeão da democracia

Seu ancestral foi o famoso duque de Marlborough, um dos maiores diplomatas e generais da Inglaterra. Churchill foi muito inspirado por seu grande ancestral e reverenciou sua memória.

Seu pai foi um dos principais políticos de seu tempo. Em determinado momento, parecia que ele se tornaria primeiro-ministro. A mãe de Winston & rsquos era americana e era uma beldade renomada. O fato de sua mãe ser americana significava que ele também se interessava por todas as coisas americanas e tinha um carinho especial pelo país.

Churchill visitando uma catedral bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial

Ele esteve envolvido na coleta de informações durante a Guerra dos Bôeres. Churchill teve muita sorte de escapar com vida durante a guerra e mostrou bravura notável durante o conflito.

Durante a Primeira Guerra Mundial, Churchill estava encarregado da Marinha Britânica. Ele foi um dos principais instigadores da campanha de Gallipoli. A invasão foi um fracasso caro e resultou na perda de muitas vidas. Churchill foi forçado a renunciar ao cargo e na época parecia que sua carreira política estava encerrada.

Churchill depois de renunciar ao Gabinete de Guerra britânico, ofereceu-se como oficial e serviu com distinção na linha de frente na França.

Winston costumava ter pouco dinheiro e dependia de seu jornalismo e de seus escritos. Ele era um escritor muito popular e fez uma grande fortuna com seus escritos. No entanto, ele também era um grande perdulário!

Churchill foi um dos primeiros a ver os perigos do nazismo e do fascismo na década de 1930. Ele acreditava que essas ideologias ameaçavam a paz mundial e especialmente a Grã-Bretanha. Em discursos na Câmara dos Comuns e em seu jornalismo, ele denunciou Hitler e condenou todos os políticos britânicos que queriam apaziguar Hitler para evitar outra guerra.

Winston Churchill tinha um apetite enorme, consumia regularmente grandes quantidades de comida e tinha um gosto especial por chocolate.

Winston Churchill é reconhecido como um mestre da língua inglesa e recebeu o Prêmio Nobel de Literatura por seus escritos históricos, especialmente sua história dos povos de língua inglesa.

Churchill amava o sul da França e costumava passar férias lá. Nos anos posteriores, ele passaria muito tempo lá.


10 coisas que você pode não saber sobre Winston Churchill - HISTÓRIA

2. Mesmo sendo conhecido por sua notável habilidade de fazer discursos emocionantes, ele realmente sofria de um problema de fala que fazia um grande esforço para esconder.

3. Em sua casa em Kent, Inglaterra, ele estocou entre 3.000 e 4.000 charutos cubanos por vez.

4. Churchill adquiriu seu gosto por charutos durante sua visita a Cuba em 1895. Ele viajou para lá porque o levante cubano contra o império espanhol era, para ele, a única guerra interessante acontecendo na época.

5. Enquanto lutava na guerra Anglo-Boer em 1899, ele foi capturado pelos Boers e jogado em um campo de prisioneiros de guerra. Uma noite, ele conseguiu fazer uma fuga dramática saltando as paredes da prisão. Uma vez fora, ele roubou comida e pegou carona até que finalmente chegou a um lugar seguro em Moçambique.

6. Em 1904, durante seu primeiro mandato no Parlamento Britânico, Churchill ajudou a redigir um texto legislativo que exigia a esterilização daqueles que eram chamados na época como "débeis mentais". Ele estava agindo de acordo com o que havia dito anos antes para seu primo: “O aprimoramento da raça britânica é o meu objetivo na vida”.

7. Ele sofria de crises intensas de depressão, que chamava de períodos de “Cachorro Preto”. Agora, acredita-se que ele tinha transtorno bipolar.

8. Ao justificar seu apoio à União Soviética, Churchill disse a famosa frase: “Se Hitler invadisse o inferno, eu faria pelo menos uma referência favorável ao diabo na Câmara dos Comuns”. Ele estava expressando sua crença de que o inimigo de seu inimigo é seu amigo.

9. Em 1953, Churchill recebeu o Prêmio Nobel de Literatura e foi nomeado cavaleiro pela Rainha Elizabeth II para se tornar Sir Winston Leonard Spencer-Churchill. No mesmo ano, ele teve um derrame. Planos de funeral foram feitos e chamados Operação Esperança Não.

10. Após a morte de Churchill em 1965, seu funeral viu a maior reunião de membros do público e estadistas desde 1852, quando o duque de Wellington foi enterrado.


Nunca se entregue: dez coisas que você pode não saber sobre Sir Winston Churchill

Talvez uma das figuras mais conceituadas da história britânica, Sir Winston Churchill nasceu em uma família nobre e passou muito tempo no serviço militar e na política. Apesar de ter caído em desgraça após a desastrosa Campanha de Gallipoli durante a Primeira Guerra Mundial, Churchill voltou como Chanceler do Tesouro, o mesmo cargo que seu pai ocupara no governo. Antes da Segunda Guerra Mundial, ele fazia parte de uma minoria de membros do governo que se opunham ao apaziguamento de Adolf Hitler e, como resultado, ele rapidamente ascendeu à posição de líder do partido e primeiro-ministro após a renúncia de Neville Chamberlain. Ele então liderou a Grã-Bretanha durante a guerra e, após um breve período fora do poder novamente, voltou para liderar a Grã-Bretanha durante o início da Guerra Fria com a Rússia Soviética. Então, o que você não sabe sobre Sir Winston Churchill?

Restam apenas 48 horas para comprar nossa camiseta exclusiva de Churchill: Never Surrender. Disponível no deslumbrante Royal Blue para homens & # 8217s, mulheres & # 8217s, decote em V, manga comprida, moletom com capuz e moletom a partir de $ 16,99 e frete para todo o mundo. $ 1 da venda de cada camisa será doado ao Churchill Center, que mantém seu legado.

Meio americano

Talvez parte do motivo pelo qual ele se dava tão bem com o presidente americano Franklin D. Roosevelt era que o próprio “Bulldog Britânico” era meio americano. A mãe de Churchill, Jeanette Jerome, nasceu no Brooklyn e se casou com Lord Randolph Churchill em 1874. Segundo a lenda, ela é a responsável pela invenção do coquetel de Manhattan. Churchill também foi nomeado um “Cidadão Honorário dos Estados Unidos” em 1963 e foi a primeira pessoa a ser homenageada.

Ele tem um Prêmio Nobel - de Literatura

Churchill ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1953 "por seu domínio da descrição histórica e biográfica, bem como por sua oratória brilhante na defesa de valores humanos elevados". Suas obras incluem um romance, duas biografias, três memórias e vários relatos históricos, muitos dos quais ainda hoje são publicados.

Linguagem colorida

Existem inúmeras citações atribuídas a Churchill, algumas verdadeiras, outras não. Um exemplo de uma citação verdadeira foi que, depois que os Estados Unidos aprovaram uma emenda à Constituição dos EUA proibindo a venda de álcool, Churchill afirmou que a proibição era "uma afronta a toda a história da humanidade". Outra citação atribuída a ele dizia respeito ao rival do Partido Trabalhista Clement Atlee e dizia: “Um táxi vazio parou no Parlamento e Clement Atlee saiu”. Churchill negou veementemente ter feito essa citação, pois tinha um grande respeito por Atlee, já que Atlee serviu sob o governo de Churchill como parte do governo de coalizão durante a Segunda Guerra Mundial. Uma das citações mais famosas atribuídas a ele afirma que Lady Astor ou Bessie Braddock o abordaram em uma festa para ridicularizar sua embriaguez e Churchill supostamente respondeu: “Senhora, pela manhã estarei sóbrio, mas você ainda será feia”.

A grande fuga

Em um ponto de sua carreira militar, Churchill foi um prisioneiro de guerra durante a Guerra dos bôeres. Como um jovem correspondente de guerra em 1899, Churchill conseguiu escapar da prisão e recebeu uma recompensa de £ 25. Sem um plano de fuga real, ele conseguiu encontrar um proprietário de uma mina britânico que o escondeu por três dias e então ele voltou para casa como um herói.

Charlie o papagaio

Em 2004, Peter Oram afirmou que sua arara de estimação tinha 105 anos e já foi propriedade de Churchill. Ele afirmou que a chance do pássaro de amaldiçoar os nazistas (e Hitler em particular) foi um hábito adquirido do primeiro-ministro. Os administradores da casa de Churchill, Chartwell, rejeitaram as alegações do Sr. Oram, embora não esteja claro se isso é porque Churchill nunca foi dono de Charlie ou os administradores preferem não confessar um papagaio maldito.

Cortina de Ferro

Churchill na verdade inventou o termo “Cortina de Ferro” para descrever a ascensão do comunismo em vários países do Leste Europeu após a Segunda Guerra Mundial. Em um discurso no Westminster College em março de 1946, ele afirmou que "uma cortina de ferro desceu pelo continente". A frase foi escolhida como uma referência às nações soviéticas e é considerada um dos pontos iniciais da Guerra Fria.

A primeira abreviatura de SMS foi enviada a ele

Mais especificamente, ele está associado à criação do OMG, que significa "Oh meu Deus!" O almirante John Arbuthnot “Jacky” Fisher enviou a Churchill uma carta na qual Fisher afirmava ter ouvido falar de uma nova ordem de cavaleiros conhecida como “O.M.G. (Oh! Meu Deus!) ”E sugeriu que fosse dado ao Almirantado.

Guerra de palavras

Com Lady Astor, de qualquer maneira. Além do suposto comentário sobre embriaguez, Lady Astor uma vez supostamente disse a Churchill que, se ele fosse seu marido, ela envenenaria seu chá. A resposta de Churchill foi "Senhora, se eu fosse seu marido, beberia". Quando Lady Astor ingressou no Parlamento depois de assumir a cadeira de seu marido (já que ele havia sido promovido à Câmara dos Lordes), tornando-se a primeira mulher a ocupar um lugar no corpo legislativo, Churchill afirmou que ter uma mulher no Parlamento era o mesmo que ter uma “ intrometer-se ”em você no banheiro. Lady Astor respondeu: "Você não é bonito o suficiente para ter tais medos."

Relacionamento especial

Churchill e Franklin Roosevelt são creditados com a responsabilidade pela “relação muito especial” entre o Reino Unido e os Estados Unidos formada em resposta à ameaça da Alemanha nazista. Falando em entrar em um no banheiro, em um ponto quando Churchill estava hospedado na Casa Branca, Roosevelt entrou em seu quarto animadamente para discutir algo enquanto Churchill estava saindo do banho. Embora Roosevelt estivesse obviamente envergonhado, Churchill supostamente respondeu: "Veja, senhor presidente, não tenho nada a esconder de você".

Seis Monarcas

Durante seu tempo no Parlamento, Churchill teve a distinção de servir sob seis diferentes realezas. Sua carreira começou em 1900, quando a Rainha Vitória ainda reinava e durou cinquenta e cinco anos, o que significa que ele serviu não apenas a ela, mas também a: Eduardo VII, Jorge V, Eduardo VIII, Jorge VI e Elizabeth II.

Restam apenas 48 horas para comprar nossa camiseta exclusiva de Churchill: Never Surrender. Disponível em homens & # 8217s, mulheres & # 8217s, decote em V, manga comprida, capuz e moletom a partir de $ 16,99 e frete para todo o mundo. $ 1 da venda de cada camisa será doado ao Churchill Center, que mantém seu legado.


Winston Churchill: 10 coisas que você provavelmente não sabia sobre o líder do tempo de guerra da Grã-Bretanha

Veja a galeria

Sir Winston Churchill é mais famoso por seus discursos inspiradores e liderança lendária enquanto a Grã-Bretanha lutava pela sobrevivência contra o poderio militar da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

Com seu chapéu-coco de marca registrada, gravata-borboleta e charuto - Churchill veio a simbolizar o espírito & aposbulldog & apos do povo britânico, durante a Batalha da Grã-Bretanha em 1940 até a vitória final em 1945.

Mas são suas peculiaridades menos conhecidas - de seu amor por roupas íntimas de seda rosa ao seu gosto por pedreiro - que provam que o homem eleito o "maior britânico" de todos os tempos era tão enigmático quanto brilhante.

Enquanto a Grã-Bretanha comemora o 50º aniversário de sua morte, compilamos uma lista das dez principais coisas que você pode não saber sobre Sir Winston Churchill:

1. Propenso a acidentes

Quando jovem, Churchill estava continuamente tendo acidentes bizarros.

Isso variou de sofrer uma concussão e romper um rim após se jogar de brincadeira de uma ponte até bater um avião enquanto aprendia a voar.

Ele também quase se afogou em um lago suíço e foi atropelado por um carro durante uma visita a Nova York.


10 coisas que você pode não saber sobre Winston Churchill

Tenente coronel Charlie Brown

1. A mãe de Winston Churchill era americana.
No final do século 19, era bastante comum que aristocratas britânicos se casassem com herdeiras dos EUA. Um desses relacionamentos combinava com Lord Randolph Churchill, o terceiro filho do sétimo duque de Marlborough, com Jennie Jerome, filha de um rico financista, nascida no Brooklyn. O casal teve dois filhos: Winston em 1874 e Jack em 1880. No entanto, o relacionamento supostamente azedou e Jennie estava frequentemente ausente. Ela permaneceu na Inglaterra após a morte de Lord Randolph em 1895 e se casaria mais duas vezes, em ambos os casos com homens duas décadas mais jovens.

LEIA MAIS: Conheça a mulher por trás de Winston Churchill

2. Churchill quase não conseguiu entrar na escola militar.
Como estudante, Churchill teve um desempenho ruim em praticamente todas as matérias, exceto história e redação em inglês. Ele era particularmente inepto em línguas estrangeiras. Em um livro de memórias, ele descreveu uma prova de latim de duas horas que deixou completamente em branco, exceto pelo nome e o número da primeira pergunta, junto com "um borrão e várias manchas". Seu plano de frequentar o Royal Military College em Sandhurst sofreu um revés quando ele falhou duas vezes nos exames de admissão. Com a ajuda de um tutor militar, ele finalmente se classificou pela terceira vez, mas apenas para a classe de cavalaria, que tinha padrões inferiores aos da infantaria.

3. Uma fuga ousada do campo de prisioneiros rendeu-lhe fama instantânea.
Depois de se formar em Sandhurst, Churchill se despediu do exército e viajou para Cuba, onde noticiou um levante para um jornal londrino. Posteriormente, ele serviu como correspondente de guerra e oficial militar, um papel duplo então permitido, na Índia, Sudão e África do Sul. Ao chegar à África do Sul em 1899, seu trem blindado foi emboscado por bôeres, descendentes de colonos holandeses que lutavam contra os britânicos na época. Churchill foi capturado e levado para um campo de prisioneiros, do qual ele logo escapou escalando um muro à noite, mesmo quando dois de seus companheiros reclusos voltaram. Sem um plano preciso, Churchill felizmente topou com a casa de um gerente de mina de carvão britânico, que o escondeu em uma mina por três dias e depois o mandou em um caminhão de lã para Moçambique. De lá, Churchill pegou um navio de volta à África do Sul e correu para o front como um herói recém-descoberto.

4. Ele organizou um ataque maciço da Primeira Guerra Mundial que falhou espetacularmente.
A carreira política de Churchill começou em 1900, quando ele foi eleito para o Parlamento, cargo que ocupou por mais de 60 anos. Ele garantiu seu primeiro cargo no gabinete em 1908 e, em 1911, havia avançado para se tornar o primeiro lorde do Almirantado (o equivalente britânico do secretário da Marinha dos Estados Unidos). Nessa posição, ele preparou um ataque anfíbio durante a Primeira Guerra Mundial contra o Império Otomano em ruínas. Churchill acreditava que tal ação permitiria aos britânicos se unirem a seus aliados russos, aumentar a pressão sobre a frente oriental da Alemanha e possivelmente até fazer pender a balança de todo o conflito. Mas quando os navios de guerra Aliados entraram no estreito de Dardanelos, localizado perto da atual Istambul, em março de 1915, o fogo otomano afundou três deles, danificou gravemente três outros e mandou os restantes em retirada. As tropas aliadas também não conseguiram ganhar terreno durante os meses de combate na adjacente Península de Gallipoli, sofrendo mais de 250.000 baixas no processo. Embora Churchill tenha perdido seu posto no almirantado como resultado do fracasso, ele finalmente conseguiu reabilitar sua reputação.

LEIA MAIS: Winston Churchill & # x27s World War Disaster

5. Churchill não era fã de Gandhi.
Durante grande parte de sua vida, Churchill se opôs a qualquer forma de autonomia para a Índia. Ele reservou uma antipatia particular para o líder não violento da independência Mohandas Gandhi, a certa altura o chamando de "um advogado sedicioso do Templo Médio agora se passando por um faquir de um tipo bem conhecido no Oriente", e ele até favoreceu deixar Gandhi morrer durante uma greve de fome. A atitude imperialista de Churchill também se manifestou em relação a outras colônias britânicas. Certa vez, ele afirmou, por exemplo, que zulus, afegãos e dervixes eram "povos selvagens e bárbaros".

6. A maioria de seus famosos discursos veio com alguns meses de intervalo.
Churchill assumiu o cargo de primeiro-ministro em maio de 1940, após um início desastroso da Segunda Guerra Mundial, na qual a Alemanha nazista conquistou grande parte da Europa. Um mestre orador, ele fez o seu melhor para unir a nação em face de um ataque quase certo, fazendo seis discursos importantes em quatro meses. Durante o primeiro deles, ele disse ao Parlamento que não tinha "nada a oferecer além de sangue, trabalho árduo, lágrimas e suor". Em 4 de junho, ele declarou da mesma forma: “Devemos defender nossa ilha, custe o que custar. Devemos lutar nas praias, devemos lutar nos campos de desembarque, devemos lutar nos campos e nas ruas, devemos lutar nas colinas. Jamais nos renderemos. ” E em 18 de junho, enquanto a França se preparava para se submeter aos nazistas, ele disse a seus compatriotas para "nos apoiarmos em nossos deveres e, portanto, assumirmos que se o Império Britânico e sua Comunidade durarem mil anos, os homens ainda dirão:" Este foi seu melhor momento. '”

7. Churchill foi eleito destituído do cargo antes do final da Segunda Guerra Mundial.
Em julho de 1945, depois que a Alemanha se rendeu, mas não o Japão, a Grã-Bretanha realizou sua primeira eleição geral em uma década. Para surpresa de muitos, o Partido Conservador de Churchill perdeu em um deslizamento de terra, tendo sido retratado com sucesso pelo Partido Trabalhista como anti-trabalhador e anti-bem-estar. “Eles têm todo o direito de nos expulsar”, disse ele ao ouvir a notícia. “Isso é democracia. That is what we have been fighting for.” He returned to the premiership in 1951, remaining there until ill health induced him to resign three-and-a-half years later.

8. Churchill popularized the term “iron curtain.”
Despite his misgivings about communism, Churchill gladly allied himself with the Soviet Union during World War II. Afterwards, however, he began to harbor serious misgivings about the Soviet Union’s aims. In a March 1946 speech, he spoke of “an iron curtain [that] has descended across the continent.” “Behind that line,” he said, countries are subject “to a very high and, in many cases, increasing measure of control from Moscow.” From that point forward, Western officials continuously mentioned the “iron curtain” when talking about the USSR.

WATCH NOW: Winston Churchill's Iron Curtain Speech

9. He was an award-winning author.
Churchill wrote volumes of books over the course of his life, the first of which detailed his army experiences in India, Sudan and South Africa. He later penned a biography of his father, a biography of the first Duke of Marlborough, numerous volumes on World War I and World War II, a history of English-speaking peoples and one novel that he urged his friends not to read. In 1953, while serving his second term as prime minister, he received the Nobel Prize in Literature for “his mastery of historical and biographical description as well as for brilliant oratory in defending exalted human values.”

10. Churchill was extremely accident-prone.
As a youth, Churchill once suffered a concussion and ruptured a kidney while playfully throwing himself off a bridge. Later on, he nearly drowned in a Swiss lake, fell several times from horses, dislocated his shoulder while disembarking from a ship in India, crashed a plane while learning to fly and was hit by a car when he looked the wrong way to cross New York’s Fifth Avenue. None of these incidents left him debilitated. He lived until age 90 before finally succumbing to a stroke.


How effective was Churchill as a war time leader?

On the same day, Winston Churchill became prime minister on 10 May 1940, German forces poured into Belgium, Luxembourg, the Netherlands and France. By 21 May, encircled British and French troops had fallen back to the beaches near the port of Dunkirk. All seemed lost as the bulk of the British Army lay at the mercy of the German Army. However, Hitler ordered his troops not to attack and a fleet of boats and ships was able to ferry 338,000 soldiers back to Britain and safety. Victory of a sort was snatched from the jaws of defeat. It was an event that would help cement Winston Churchill’s reputation as an extremely effective war leader. Indeed, the first few months of his premiership allowed the prime minister to display many of the qualities that singled him out as one of the greatest war leaders of all time.

The seven longest-serving British Prime Ministers

Luck was very much on Churchill’s side when it came to Dunkirk. Indeed, catching a lucky break played a significant part throughout Churchill’s years as leader. He had the good luck to have at his disposal the brave pilots of the RAF, and he would need them when the Battle of Britain began. Luck was very much on his side when Hitler gave up on the idea of invading England and turned his attention to the Soviet Union instead. The Japanese attack on Pearl Harbor may have been terrible news for the Americans, but it was a stroke of luck for a prime minister who had been trying to turn the United States away from isolationism ever since he took up office. And, of course, Churchill also had the very good fortune of leading an island nation. Islands are devilishly hard places to invade and much easier to defend.

But luck can only get you so far in war and it was Dunkirk that allowed Churchill to bring another of his great qualities into play, one that singled him out as such an effective war leader – the power of his oratory. As the little ships whisked British and French troops away from danger, Churchill arrived in the Commons to deliver a speech that would become one of the most famous pieces of oratory of all time.

Read more about: Colonialism

If it wasn't for WW2, how would we remember Churchill's legacy?

'We shall go on to the end, we shall fight in France, we shall fight on the seas and oceans, we shall fight with growing confidence and growing strength in the air, we shall defend our Island, whatever the cost may be, we shall fight on the beaches, we shall fight on the landing grounds, we shall fight in the fields and in the streets, we shall fight in the hills we shall never surrender.'

The speech was just the sort of inspiring, sabre-rattling stuff that put a spring in the nation’s step – especially a nation that liked to see itself as being at its best when it was up against it. The speech also helped turn Dunkirk from a disaster into a triumph in the public’s imagination. Inspiring the nation through the extraordinary power of his words would be something Churchill could rely on throughout his war leadership.

French resistance to the Nazis would last a further twenty-one more days after Churchill made his rousing speech in the House of Commons on 4 June 1940. Great Britain would soon find itself alone in Europe with no hope its vast overseas empire would ride to the rescue anytime soon.

Read more about: WW2

How the Battle of Britain was won

With the bulk of the British Army’s armaments lying abandoned on the beaches of Normandy, only the RAF and the Home Fleet stood in the way of a full-scale invasion. The country truly had its back to the wall. To stand any hope of success, Britain would need a combination of strong leadership and incredible bravery to see it through the challenge ahead. Luckily, the country would prove to have both in spades.

'The whole fury and might of the enemy must very soon be turned on us.' Churchill told the Commons on the 18th of June. 'Hitler knows that he will have to break us in this island or lose the war. If we can stand up to him, all Europe may be free and the life of the world may move forward into broad, sunlit uplands. But if we fail, then the whole world, including the United States, including all that we have known and cared for, will sink into the abyss of a new Dark Age made more sinister, and perhaps more protracted, by the lights of perverted science. Let us therefore brace ourselves to our duties, and so bear ourselves that, if the British Empire and its Commonwealth last for a thousand years, men will still say, “This was their finest hour”.'

Read more about: British History

10 things you didn't know about Winston Churchill

Above the skies of southern England during that long hot summer of 1940, fighter aircraft of the Royal Air Force fought off wave after wave of Luftwaffe attacks. At stake were air supremacy and the fate of the nation. Against tremendous odds, Britain emerged victoriously and Operation Sealion – the plan to invade Britain – was put on permanent hiatus. On summing up the Battle of Britain, Churchill yet again rose to the occasion.
'The gratitude of every home in our Island, in our Empire, and indeed throughout the world, except in the abodes of the guilty, goes out to the British airmen who, undaunted by odds, unwearied in their constant challenge and mortal danger, are turning the tide of the world war by their prowess and by their devotion. Never in the field of human conflict was so much owed by so many to so few.'

Churchill had been in office just five months when he delivered that speech, and in that short period, he had already displayed many of the characteristics that would single him out as a great war leader – courage, defiance, determination, luck and an ability to inspire others. To that tally would be added a workaholic’s energy, an optimist’s unshakable belief in victory, a diplomat’s ability to butter up his allies, a populist’s persuasive skills and an old warhorse’s empathy for what civilians and soldiers were going through. Though it has to be noted that that empathy was in pretty short supply when it came to the unfortunate subjects of Bengal in 1943.

Read more about: Colonialism

Churchill and Gandhi's epic rivalry

Through bad times and good, Churchill steered his nation towards victory armed with a set of traits that made him uniquely suited to the job. Of course, he also had his flaws. He could also be difficult, infuriating, impulsive and even reckless, but the worst aspects of his character were, for the most part, reined in by his War Cabinet, by his military and civilian advisors and by his ferociously loyal wife Clementine. She was always on hand to knock her egotistical husband down a peg or two when the need arose – something that could not be said for Churchill’s opposite number in Berlin. They say that behind every great man is a great woman, and this was most certainly the case when it came to Clementine Churchill.

The U-Boat commander who almost killed Churchill

By the end of the war, Britain had been reduced to a junior partner to the United States. The country would never again be a big hitter on the world stage in the same way it had been in its imperial heyday. His country may have been diminished, but Churchill would emerge from the war a colossus. Through a combination of courage, luck, tenacity, determination, defiance, empathy, energy and an ability to inspire others, he had gained a global reputation as one of the greatest war leaders of all time. He had, to borrow an American phrase, 'the right stuff', and he had all the characteristics to be a great war leader at the exact moment his nation needed him the most. Whatever his faults – and there were many – there is simply no denying that without Winston Churchill the world would now be a very different place.


Facts You May Not Know About Winston Churchill

Winston Churchill is one of those historical figures who had a long list of accomplishments over decades yet is mostly known for just one specific time period, and Winston's time will forever be World War II.

But prior to the World Wars Churchill was already on the road to becoming a larger-than-life figure, having escaped from a Boer prison camp in South Africa in 1899:

After graduating from Sandhurst, Churchill took leave from the army and traveled to Cuba, where he reported on an uprising for a London newspaper. He subsequently served as a war correspondent and military officer, a dual role then permitted, in India, Sudan and South Africa. Upon arriving in South Africa in 1899, his armored train was ambushed by Boers, the descendants of Dutch settlers who were fighting the British at the time. Churchill was captured and marched to a prison camp, which he soon escaped from by scaling a wall at night, even as two of his fellow prisoners turned back. With no precise plan, Churchill luckily stumbled upon the house of a British coal mine manager, who hid him in a mineshaft for three days and then sent him on a wool-filled rail truck into Mozambique. From there, Churchill caught a ship back to South Africa and rushed to the front a newfound hero.

However, Winston's star almost fell instead of rising when he organized an amphibious assault during World War I that failed spectacularly:


Copy the link below

To share this on Facebook click on the link below.

In his 90 years as a soldier, journalist, prolific author, politician and statesman during the first half of the 20th century, Winston Churchill had many opportunities to influence world events, and while opinions on his various successes and failures can be steeply divided, his was a hard-won wisdom, which he expressed with great pith and wit.

Being a natural statesman, and a great writer to boot, he was very good at putting that wisdom to use, and there are so many quotable examples from his various speeches and public comments that it’s easy to compile a list of his most inspirational thoughts, the ones that would apply to a multitude of situations, to be issued on Winston Churchill Day (which is April 9).

In fact, the tricky bit is choosing which ones to leave out. Although this first one is almost too apt:

• “It is a good thing for an uneducated man to read books of quotations.”

• “There are a terrible lot of lies going about the world, and the worst of it is that half of them are true.”

• “To build may have to be the slow and laborious task of years. To destroy can be the thoughtless act of a single day.”

• “To improve is to change, so to be perfect is to change often.”

• “The farther backward you can look, the farther forward you are likely to see.”

• “The price of greatness is responsibility.”

• “Men occasionally stumble over the truth, but most of them pick themselves up and hurry off as if nothing ever happened.”

• “Never hold discussions with the monkey when the organ grinder is in the room.”

• “One ought never to turn one’s back on a threatened danger and try to run away from it. Se você fizer isso, você dobrará o perigo. But if you meet it promptly and without flinching, you will reduce the danger by half.”

• “Personally I’m always ready to learn, although I do not always like being taught.”

• “Success is the ability to go from one failure to another with no loss of enthusiasm.”

• “Broadly speaking short words are best and the old words when short, are best of all.”

• “Courage is rightly esteemed the first of human qualities because it has been said, it is the quality which guarantees all others.”

• “Every day you may make progress. Cada passo pode ser frutífero. No entanto, se estenderá diante de você um caminho cada vez mais longo, cada vez mais ascendente e cada vez mais aprimorado. Você sabe que nunca chegará ao fim da jornada. But this, so far from discouraging, only adds to the joy and glory of the climb.”

• “History will be kind to me for I intend to write it.”

• “Attitude is a little thing that makes a BIG difference.”

• “Success is not final, failure is not fatal, it is the courage to continue that counts.”

• “If you’re going through hell, keep going.”

• “Everyone has his day, and some days last longer than others.”

• “You have enemies? Good. It means you’ve stood up for something, sometime in your life.”

• “Politics is the ability to foretell what is going to happen tomorrow, next week, next month and next year. And to have the ability afterwards to explain why it didn’t happen.”

• “Writing a book is an adventure. Para começar, é um brinquedo e depois uma diversão. Then it becomes a mistress, and then it becomes a master, and then it becomes a tyrant and, in the last stage, just as you are about to be reconciled to your servitude, you kill the monster and fling him to the public.”

• “Those who can win a war well can rarely make a good peace, and those who could make a good peace would never have won the war.”

• “If you will not fight for right when you can easily win without blood shed if you will not fight when your victory is sure and not too costly you may come to the moment when you will have to fight with all the odds against you and only a precarious chance of survival. Pode até haver um caso pior. You may have to fight when there is no hope of victory, because it is better to perish than to live as slaves.”

• “Never, never, never believe any war will be smooth and easy, or that anyone who embarks on the strange voyage can measure the tides and hurricanes he will encounter. The statesman who yields to war fever must realize that once the signal is given, he is no longer the master of policy but the slave of unforeseeable and uncontrollable events.”

• “We shape our dwellings, and afterwards our dwellings shape us.”

• “We shall not fail or falter. Não devemos enfraquecer ou nos cansar. Nem o choque repentino da batalha, nem as longas provas de vigilância e esforço vão nos cansar. Give us the tools and we will finish the job.”

• “What is adequacy? Adequacy is no standard at all.”

• “There is always much to be said for not attempting more than you can do and for making a certainty of what you try. But this principle, like others in life and war, has it exceptions.”

• “There is only one duty, only one safe course, and that is to try to be right and not to fear to do or say what you believe to be right.”

Sir Winston Churchill in 1929 (Pic: Fox Photos/Getty Images)

• “In the course of my life I have often had to eat my words, and I must confess that I have always found it a wholesome diet.”

• “Every man should ask himself each day whether he is not too readily accepting negative solutions.”

• “It is wonderful what great strides can be made when there is a resolute purpose behind them.”

• “The first duty of the university is to teach wisdom, not a trade character, not technicalities. We want a lot of engineers in the modern world, but we do not want a world of engineers.”

• “In finance, everything that is agreeable is unsound and everything that is sound is disagreeable.”

• “All I can say is that I have taken more out of alcohol than alcohol has taken out of me.”

• “This is the lesson: never give in, never give in, never, never, never, never — in nothing, great or small, large or petty — never give in except to convictions of honour and good sense. Never yield to force never yield to the apparently overwhelming might of the enemy.”

• “The greatest lesson in life is to know that even fools are right sometimes.”

• “All the greatest things are simple, and many can be expressed in a single word: freedom justice honour duty mercy hope.”

• “The whole history of the world is summed up in the fact that when nations are strong they are not always just, and when they wish to be just, they are often no longer strong.”

• “I like pigs. Os cães nos admiram. Os gatos nos desprezam. Pigs treat us as equals.”

• “If we open a quarrel between the past and the present we shall find that we have lost the future.”

• “It is a mistake to try to look too far ahead. The chain of destiny can only be grasped one link at a time.”

• “It’s not enough that we do our best sometimes we have to do what’s required.”

• “The problems of victory are more agreeable than those of defeat, but they are no less difficult.”

• “When the eagles are silent, the parrots begin to jabber.”

• “Out of intense complexities, intense simplicities emerge.”

• “Courage is what it takes to stand up and speak, it’s also what it takes to sit down and listen.”

• “Continuous effort – not strength or intelligence – is the key to unlocking our potential.”

• “If you have an important point to make, don’t try to be subtle or clever. Use um bate-estacas. Acerte o ponto uma vez. Então volte e bata nisso novamente. Then hit it a third time-a tremendous whack.”


50 Sir Winston Churchill Quotes to Live By

In his 90 years as a soldier, journalist, prolific author, politician and statesman during the first half of the 20th century, Winston Churchill had many opportunities to influence world events, and while opinions on his various successes and failures can be steeply divided, his was a hard-won wisdom, which he expressed with great pith and wit.

Being a natural statesman, and a great writer to boot, he was very good at putting that wisdom to use, and there are so many quotable examples from his various speeches and public comments that it's easy to compile a list of his most inspirational thoughts, the ones that would apply to a multitude of situations, to be issued on Winston Churchill Day (which is April 9).

In fact, the tricky bit is choosing which ones to leave out. Although this first one is almost too apt:

• "It is a good thing for an uneducated man to read books of quotations."

• "There are a terrible lot of lies going about the world, and the worst of it is that half of them are true."

• "To build may have to be the slow and laborious task of years. To destroy can be the thoughtless act of a single day."

• "To improve is to change, so to be perfect is to change often."

• "The farther backward you can look, the farther forward you are likely to see."

• "The price of greatness is responsibility."

• "Men occasionally stumble over the truth, but most of them pick themselves up and hurry off as if nothing ever happened."

• "Never hold discussions with the monkey when the organ grinder is in the room."

• "One ought never to turn one's back on a threatened danger and try to run away from it. If you do that, you will double the danger. But if you meet it promptly and without flinching, you will reduce the danger by half."

• "Personally I'm always ready to learn, although I do not always like being taught."

• "Success is the ability to go from one failure to another with no loss of enthusiasm."

• "Broadly speaking short words are best and the old words when short, are best of all."

• "Courage is rightly esteemed the first of human qualities because it has been said, it is the quality which guarantees all others."

• "Every day you may make progress. Every step may be fruitful. Yet there will stretch out before you an ever-lengthening, ever-ascending, ever-improving path. You know you will never get to the end of the journey. But this, so far from discouraging, only adds to the joy and glory of the climb."

• "History will be kind to me for I intend to write it."

• “Attitude is a little thing that makes a BIG difference.”

• “Success is not final, failure is not fatal, it is the courage to continue that counts.”

• “If you’re going through hell, keep going.”

• "Everyone has his day, and some days last longer than others."

• “You have enemies? Good. It means you’ve stood up for something, sometime in your life.”

• "Politics is the ability to foretell what is going to happen tomorrow, next week, next month and next year. And to have the ability afterwards to explain why it didn't happen."

• "Writing a book is an adventure. To begin with it is a toy then an amusement. Then it becomes a mistress, and then it becomes a master, and then it becomes a tyrant and, in the last stage, just as you are about to be reconciled to your servitude, you kill the monster and fling him to the public."

• "Those who can win a war well can rarely make a good peace, and those who could make a good peace would never have won the war."

• "If you will not fight for right when you can easily win without blood shed if you will not fight when your victory is sure and not too costly you may come to the moment when you will have to fight with all the odds against you and only a precarious chance of survival. There may even be a worse case. You may have to fight when there is no hope of victory, because it is better to perish than to live as slaves."

• "Never, never, never believe any war will be smooth and easy, or that anyone who embarks on the strange voyage can measure the tides and hurricanes he will encounter. The statesman who yields to war fever must realize that once the signal is given, he is no longer the master of policy but the slave of unforeseeable and uncontrollable events."

• "We shape our dwellings, and afterwards our dwellings shape us."

• "We shall not fail or falter. We shall not weaken or tire. Neither the sudden shock of battle nor the long-drawn trials of vigilance and exertion will wear us down. Give us the tools and we will finish the job."

• "What is adequacy? Adequacy is no standard at all."

• "There is always much to be said for not attempting more than you can do and for making a certainty of what you try. But this principle, like others in life and war, has it exceptions."

• "There is only one duty, only one safe course, and that is to try to be right and not to fear to do or say what you believe to be right."

• "In the course of my life I have often had to eat my words, and I must confess that I have always found it a wholesome diet."

• "Every man should ask himself each day whether he is not too readily accepting negative solutions."

• "It is wonderful what great strides can be made when there is a resolute purpose behind them."

• "The first duty of the university is to teach wisdom, not a trade character, not technicalities. We want a lot of engineers in the modern world, but we do not want a world of engineers."

• "In finance, everything that is agreeable is unsound and everything that is sound is disagreeable."

• "All I can say is that I have taken more out of alcohol than alcohol has taken out of me."

• "This is the lesson: never give in, never give in, never, never, never, never -- in nothing, great or small, large or petty -- never give in except to convictions of honour and good sense. Never yield to force never yield to the apparently overwhelming might of the enemy."

• "The greatest lesson in life is to know that even fools are right sometimes."

• "All the greatest things are simple, and many can be expressed in a single word: freedom justice honour duty mercy hope."

• "The whole history of the world is summed up in the fact that when nations are strong they are not always just, and when they wish to be just, they are often no longer strong."

• "I like pigs. Dogs look up to us. Cats look down on us. Pigs treat us as equals."

• "If we open a quarrel between the past and the present we shall find that we have lost the future."

• "It is a mistake to try to look too far ahead. The chain of destiny can only be grasped one link at a time."

• "It's not enough that we do our best sometimes we have to do what's required."

• "The problems of victory are more agreeable than those of defeat, but they are no less difficult."

• “When the eagles are silent, the parrots begin to jabber.”

• “Out of intense complexities, intense simplicities emerge.”

• “Courage is what it takes to stand up and speak, it’s also what it takes to sit down and listen.”

• “Continuous effort – not strength or intelligence – is the key to unlocking our potential.”

• “If you have an important point to make, don’t try to be subtle or clever. Use um bate-estacas. Acerte o ponto uma vez. Então volte e bata nisso novamente. Then hit it a third time-a tremendous whack.”

List of site sources >>>


Assista o vídeo: 10 COISAS que VOCÊ NÃO PERCEBEU em ROUND 6 (Janeiro 2022).