A história

Nixon e Dean discutem renúncias de Watergate

Nixon e Dean discutem renúncias de Watergate



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em uma conversa gravada secretamente em 16 de abril de 1973, o presidente Richard Nixon discute com seu assessor John Dean a necessidade de ter as demissões de Dean, H.R. Haldeman e John Ehrlichman "prontas" após o escândalo de Watergate.


O Escândalo Watergate e Atribuição de Richard M. Nixon

Posteriormente, discutirei os eventos relacionados à descoberta das fitas e os problemas envolvidos na tentativa de obtê-las. E o que significava os 18 1/1 minutos de silêncio e também uma personalidade e seu envolvimento e eu escolhi John Dean. Em 9 de agosto de 1974, Richard M. Nixon ainda era o Presidente dos Estados Unidos. Ele foi o primeiro e único presidente que renunciou ao cargo, ele entregou seu segurança. Um guarda de segurança com o nome de Frank Willis alertou que houve um assalto ao Comitê Nacional do Partido Democrata em 17 de junho de 1972.

A irrupção e o escândalo em Washington afetaram o Senado, o vice-presidente e todas as partes dos partidos. O pode não ter nunca explodido. A investigação foi fortemente influenciada pela mídia por dois repórteres do Washington Post que realmente se espalharam para fazer o presidente Nixon parecer tão culpado que quase o arruinou mental e fisicamente. Nixon ficou tão frustrado com isso que não teve outra escolha a não ser desistir de seu direito como presidente.

Não perca seu tempo!
Solicite sua tarefa!

Quem tomou seu lugar foi o vice-presidente e era Gerald Ford, ele refez Nixon e se tornou o 38º presidente dos Estados Unidos quando Nixon renunciou em 9 de agosto de 1974. Ele foi o primeiro vice-presidente e presidente de ascender a ambos os cargos sem ser eleito. John Dean literalmente acusou Nixon de ter participado da invasão e também testemunhou que Nixon era culpado e queria que ele fosse acusado de impeachment por causa do Watergate. Em seguida, ele também implicou que muitos funcionários administrativos, incluindo ele mesmo, estavam em conexão. Mais tarde, John Dean foi acusado de obstrução de injustiça e passou quatro meses na prisão. , realmente sinto que Nixon não deveria ter sofrido impeachment.


1972-1974: Watergate

Howard Zinn & # 039s história do escândalo que forçou a renúncia do presidente Nixon depois que ele foi pego espionando o partido democrata.

Fundo
O Survey Research Center da University of Michigan estava fazendo a seguinte pergunta: & ldquoO governo é dirigido por alguns grandes interesses que cuidam de si mesmos? & Rdquo A resposta em 1964 foi & ldquoyes & rdquo de 26 por cento dos entrevistados em 1972 a resposta foi & ldquoyes & rdquo from 53 por cento dos entrevistados. Um artigo na American Political Science Review de Arthur H. Miller, relatando a extensa pesquisa feita pelo Survey Research Center, disse que as pesquisas mostraram "descontentamento básico e alienação política generalizado", acrescentou ele (os cientistas políticos muitas vezes assumem as preocupações do sistema): & ldquoO que é surpreendente e um tanto alarmante é o rápido grau de mudança nesta atitude básica em um período de apenas seis anos. & rdquo

Mais eleitores do que nunca se recusaram a se identificar como democratas ou republicanos. Em 1940, 20% dos entrevistados se autodenominavam & ldquoindependents. & Rdquo Em 1974, 34% se autodenominavam & ldquoindependents. & Rdquo

Os tribunais, os júris e até os juízes não estavam se comportando como de costume. Os júris absolviam radicais: Angela Davis, negra e reconhecida comunista, foi absolvida por um júri totalmente branco na Costa Oeste. Os Panteras Negras, que o governo tentou de todas as maneiras difamar e destruir, foram libertados por júris em vários julgamentos. Um juiz no oeste de Massachusetts arquivou o processo contra um jovem ativista, Sam Lovejoy, que derrubou uma torre de 15 metros erguida por uma empresa de serviços públicos que tentava instalar uma usina nuclear. Em Washington, D.C., em agosto de 1973, um juiz da Corte Superior se recusou a condenar seis homens acusados ​​de entrada ilegal que haviam saído de uma linha de turnê da Casa Branca para protestar contra o bombardeio do Camboja.

Sem dúvida, muito desse clima nacional de hostilidade ao governo e às empresas veio da guerra do Vietnã, suas 55.000 baixas, sua vergonha moral, sua exposição às mentiras e atrocidades do governo. Além disso, veio a desgraça política do governo Nixon nos escândalos que passaram a ser conhecidos pelo rótulo de uma palavra & ldquoWatergate & rdquo e que levaram à histórica renúncia da presidência & mdash a primeira na história americana & mdashof Richard Nixon em agosto de 1974.

Roubo
Tudo começou durante a campanha presidencial em junho de 1972, quando cinco ladrões, carregando escuta telefônica e equipamento fotográfico, foram pegos no ato de invadir os escritórios do Comitê Nacional Democrata, no complexo de apartamentos Watergate de Washington, DC Um dos cinco James McCord, Jr., trabalhou para a campanha de Nixon, ele era o oficial de & ldquosecurity & rdquo do Comitê para Reeleger o Presidente (CREEP). Outro dos cinco tinha um gancho de endereço no qual estava listado o nome de E. Howard Hunt, e o endereço de hunt & rsquos estava listado como Casa Branca. Ele era assistente de Charles Colson, que era conselheiro especial do Presidente Nixon.

Tanto McCord quanto Hunt trabalharam por muitos anos para a CIA. Hunt fora o homem da CIA responsável pela invasão de Cuba em 1961, e três dos ladrões de Watergate eram veteranos da invasão. McCord, como segurança do CREEP, trabalhou para o chefe do CREEP, John Mitchell, o procurador-geral dos Estados Unidos.

Assim, devido a uma prisão imprevista pela polícia sem conhecimento das conexões de alto nível dos ladrões, a informação foi divulgada ao público antes que alguém pudesse detê-la, ligando os ladrões a funcionários importantes no comitê de campanha de Nixon & rsquos, à CIA e a Nixon & rsquos Procurador-Geral. Mitchell negou qualquer conexão com o roubo e Nixon, em uma coletiva de imprensa cinco dias após o evento, disse & ldquothe White House não teve qualquer envolvimento neste incidente em particular. & Rdquo

Investigação
O que se seguiu no ano seguinte, depois que um grande júri em setembro indiciou os ladrões de Watergate & mdashplus Howard Hunt e G. Gordon Liddy & mdash foi que, um após o outro, funcionários menores do governo Nixon, temendo um processo, começaram a falar. Prestaram informações em processos judiciais, a uma comissão de investigação do Senado e à imprensa. Eles implicaram não apenas John Mitchell, mas Robert Haldeman e John Ehrlichman, os mais altos assessores da Casa Branca de Nixon e, finalmente, o próprio Richard Nixon & mdashin não apenas nos roubos de Watergate, mas em toda uma série de ações ilegais contra oponentes políticos e ativistas anti-guerra. Nixon e seus assessores mentiram repetidamente enquanto tentavam encobrir seu envolvimento. Esses fatos surgiram nos vários depoimentos:

1. O procurador-geral John Mitchell controlava um fundo secreto de $ 350.000 a $ 700.000 & mdash para ser usado contra o partido democrata & mdash para falsificar cartas, vazar notícias falsas para a imprensa, roubar arquivos de campanha.

2. Gulf Oil Corporation, ITT (International Telephone and Telegraph), American Airlines e outras grandes corporações americanas fizeram contribuições ilegais, chegando a milhões de dólares, para a campanha de Nixon.

3. Em setembro de 1971, logo após o New York Times imprimir a Daniel Ellsherg & rsquos cópias dos documentos ultrassecretos do Pentágono, a administração planejou e executou & mdashHoward Hunt e Gordon Liddy eles mesmos fazendo & mdash o roubo do escritório do psiquiatra de Ellsberg & rsquos, procurando registros de Ellsberg & rsquos .

4. Depois que os ladrões de Watergate foram presos, Nixon secretamente prometeu dar-lhes clemência executiva se eles fossem presos e sugeriu que até um milhão de dólares fossem dados a eles para mantê-los. Na verdade, $ 450.000 foram dados a eles, por ordem de Erlichman e rsquos.

5. O nomeado de Nixon & rsquos para chefe do FBI (J. Edgar Hoover tinha morrido recentemente), L. Patrick Gray, revelou que entregou os registros do FBI em sua investigação do roubo de Watergate para o assistente legal de Nixon & rsquos, John Dean, e que O procurador-geral Richard Kleindienst (Mitchell acabara de renunciar, dizendo que queria prosseguir com sua vida privada) ordenou que ele não discutisse Watergate com o Comitê Judiciário do Senado.

6. Dois ex-membros do gabinete Nixon & rsquos & mdashJohn Mitchell e Maurice Stans & mdash foram acusados ​​de receber $ 250.000 de um financista chamado Robert Vesco em troca de sua ajuda com uma investigação da Comissão de Valores Mobiliários sobre as atividades da Vesco & rsquos.

7. Descobriu-se que certo material havia desaparecido dos arquivos do FBI & material mdash de uma série de grampos ilegais encomendados por Henry Kissinger, colocados nos telefones de quatro jornalistas e treze funcionários do governo & mdashand estava no cofre da Casa Branca do conselheiro de Nixon & rsquos John Erlichman.

8. Um dos ladrões de Watergate, Bernard Barker, disse ao comitê do Senado que também esteve envolvido em um plano para atacar fisicamente Daniel Ellsberg enquanto Ellsberg falava em um comício anti-guerra em Washington.

9. Um vice-diretor da CIA testemunhou que Haldeman e Ehrlichman lhe disseram que era o desejo de Nixon & rsquos que a CIA dissesse ao FBI para não prosseguir com sua investigação além do roubo de Watergate.

10. Quase por acidente, uma testemunha disse ao comitê do Senado que o presidente Nixon tinha fitas de todas as conversas pessoais e telefônicas na Casa Branca. Nixon a princípio se recusou a entregar as fitas e, quando finalmente o fez, elas haviam sido adulteradas: dezoito minutos e meio de uma fita haviam sido apagados.

11. Em meio a tudo isso, Nixon & rsquos vice-presidente, Spiro Agnew, foi indiciado em Maryland por receber subornos de empreiteiros de Maryland em troca de favores políticos e renunciou à vice-presidência em outubro de 1973. Nixon nomeou o congressista Gerald Ford para pegue o lugar de Agnew & rsquos.

12. Mais de $ 10 milhões em dinheiro do governo foram usados ​​por Nixon em suas casas particulares em San Clemente e Key Biscayne em razão de & ldquosecurity & rdquo e ele havia ilegalmente tomado & mdash com a ajuda de um pouco de falsificação & mdasha $ 576.000 de dedução de impostos de $ 576.000 para alguns de seus papéis.

13. Foi divulgado que por mais de um ano em 1969 & mdash1970 os EUA se envolveram em um bombardeio massivo e secreto do Camboja, que ocultou do público americano e até do Congresso.

Renúncia
Foi uma queda rápida e repentina. Na eleição presidencial de novembro de 1972, Nixon e Agnew conquistaram 60% do voto popular e venceram todos os estados, exceto Massachusetts, derrotando um candidato anti-guerra, o senador George McGovern. Em junho de 1973, uma pesquisa Gallup mostrou que 67% dos entrevistados pensavam que Nixon estava envolvido na invasão de Watergate ou mentiu para encobrir.

No outono de 1973, oito resoluções diferentes foram apresentadas na Câmara dos Representantes para o impeachment do presidente Nixon. No ano seguinte, um comitê da Câmara redigiu um projeto de impeachment para apresentá-lo ao plenário. Os conselheiros de Nixon & rsquos lhe disseram que seria aprovado pela Câmara com a maioria exigida e então o Senado votaria a maioria de dois terços necessária para destituí-lo do cargo. Em 8 de agosto de 1974, Nixon renunciou.

Seis meses antes de Nixon renunciar, a revista de negócios Dun's Review publicou uma pesquisa com trezentos executivos de corporações. Quase todos votaram em Nixon em 1972, mas agora a maioria disse que ele deveria renunciar. "Agora, 90% de Wall Street aplaudiria se Nixon renunciasse", disse um vice-presidente da Merrill Lynch Government Securities. Quando o fez, houve alívio em todos os setores do Estabelecimento.

Recuperação
Gerald Ford, assumindo o cargo de Nixon, disse: & ldquoNosso longo pesadelo nacional acabou. & Rdquo Os jornais, fossem a favor ou contra Nixon, liberais ou conservadores, celebraram o culminar pacífico e bem-sucedido da crise de Watergate. "O sistema está funcionando", disse um crítico de longa data da guerra do Vietnã, o colunista do New York Times Anthony Lewis. Os dois jornalistas que tiveram muito a ver com a investigação e a denúncia de Nixon, Carl Bernstein e Bob Woodward, do Washington Post, escreveram que, com a partida de Nixon & rsquos, poderia haver & ldquorestoramento & rdquo. Tudo isso foi um clima de alívio, de gratidão.

Nenhum jornal americano respeitável disse o que foi dito por Claude Julien, editor do Le Monde Diplomatique em setembro de 1974. & ldquoA eliminação do Sr. Richard Nixon deixa intactos todos os mecanismos e todos os falsos valores que permitiram o escândalo de Watergate. & Rdquo Julien notou que o secretário de Nixon & rsquos de Estado, Henry Kissinger, permaneceria em seu posto - em outras palavras, que a política externa de Nixon & rsquos continuaria. & ldquoIsso quer dizer, & rdquo Julien escreveu, & ldquothat Washington continuará a apoiar o general Pinochet no Chile, o general Geisel no Brasil, o general Stroessner no Paraguai, etc. & rdquo

Meses depois de Julien escrever isso, foi divulgado que os principais líderes democratas e republicanos na Câmara dos Representantes haviam dado garantia secreta a Nixon de que, se ele renunciasse, não apoiariam processos criminais contra ele. Um deles, o republicano graduado do Comitê Judiciário, disse: & ldquoTemos todos tremendo sobre o que duas semanas de debates na televisão sobre impeachment fariam, como isso separaria o país e afetaria a política externa. & Rdquo Artigos do New York Times & rsquos que relatou a esperança de Wall Street pela renúncia de Nixon, citou um financista de Wall Street dizendo que se Nixon renunciasse: & quotO que teremos será a mesma jogada com jogadores diferentes & rdquo.

Quando Gerald Ford, um republicano conservador que apoiou todas as políticas de Nixon & rsquos, foi nomeado para presidente, um senador liberal da Califórnia, Alan Cranston, falou por ele no plenário, dizendo que havia pesquisado muitas pessoas, republicanos e democratas, e encontrado & ldquoan quase surpreendente consenso de conciliação que está se desenvolvendo em torno dele. & rdquo Quando Nixon renunciou e Ford se tornou presidente, o New York Times disse: & ldquoA partir do desespero de Watergate surgiu uma nova e inspiradora demonstração da singularidade e força da democracia americana. & rdquo A poucos dias depois, o Times escreveu com alegria que a & ldquopacéfala transferência de poder & rdquo trouxe & ldquoa sensação de alívio ao povo americano. & rdquo

Nas acusações apresentadas pela Comissão de Impeachment da Câmara contra Nixon, parecia claro que a comissão não queria enfatizar aqueles elementos em seu comportamento que foram encontrados em outros presidentes e que poderiam ser repetidos no futuro. Ficou longe das negociações de Nixon & rsquos com corporações poderosas, mas não mencionou o bombardeio do Camboja. Concentrou-se em coisas peculiares a Nixon, não em políticas fundamentais contínuas entre os presidentes americanos, em casa e no exterior.

A palavra estava espalhada: livre-se de Nixon, mas mantenha o sistema. Theodore Sorensen, que havia sido conselheiro do presidente Kennedy, escreveu na época de Watergate: & ldquoAs causas subjacentes da grave má conduta em nosso sistema de aplicação da lei que agora está sendo revelada são em grande parte pessoais, não institucionais. Algumas mudanças estruturais são necessárias. Todas as maçãs podres devem ser jogadas fora. Mas salve o barril. & Rdquo

Na verdade, o barril foi salvo. A política externa de Nixon permaneceu. As conexões do governo e rsquos com os interesses corporativos permaneceram. Os amigos mais próximos da Ford em Washington eram lobistas corporativos.

Perdão
Alexander Haig, que tinha sido um dos conselheiros mais próximos de Nixon & rsquos, que ajudou no & ldquoprocessamento & rdquo as fitas antes de entregá-las ao público, e que deu ao público desinformação sobre as fitas, foi nomeado pelo presidente Ford para chefiar as forças armadas de Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Um dos primeiros atos da Ford foi perdoar Nixon, salvando-o de possíveis processos criminais e permitindo que ele se aposentasse com uma enorme pensão na Califórnia.

O Estabelecimento havia se purificado de membros do clube que haviam quebrado as regras & mdash, mas teve o cuidado de não tratá-los com muita severidade. Os poucos que receberam sentenças de prisão receberam penas curtas, foram enviados para as instituições federais mais descontraídas disponíveis e receberam privilégios especiais não concedidos a prisioneiros comuns. Richard Kleindienst se confessou culpado, recebeu uma multa de US $ 100 e um mês de prisão, que foi suspensa.

Que Nixon iria embora, mas que o poder do presidente de fazer qualquer coisa que quisesse em nome da & ldquo segurança quonacional & rdquo permaneceria & mdashthis foi sublinhado por uma decisão da Suprema Corte em julho de 1974. O Tribunal disse que Nixon teve que entregar suas fitas da Casa Branca ao promotor especial de Watergate. Mas, ao mesmo tempo, afirmou & ldquothe confidencialidade das comunicações presidenciais & rdquo, que não pôde manter no caso de Nixon & rsquos, mas que permaneceu como um princípio geral quando o presidente fez uma & ldquocla da necessidade de proteger segredos militares, diplomáticos ou confidenciais de segurança nacional. & Rdquo

As audiências televisionadas do Comitê do Senado sobre Watergate pararam repentinamente antes que o assunto das conexões corporativas fosse abordado. Era típico da cobertura seletiva de eventos importantes pela indústria da televisão: travessuras bizarras como o roubo de Watergate receberam tratamento completo, enquanto ocorrências de prática contínua - o massacre de My Lai no Vietnã, o bombardeio secreto do Camboja, o trabalho do FBI e da CIA & mdash receberam a atenção mais fugaz. Truques sujos contra o Partido Socialista dos Trabalhadores, os Panteras Negras e outros grupos radicais tiveram que ser pesquisados ​​em alguns jornais. Toda a nação ouviu os detalhes da rápida invasão do apartamento de Watergate; nunca houve uma audiência semelhante na televisão sobre a invasão de longo prazo no Vietnã.

Este artigo foi retirado de Howard Zinn & rsquos, excelente A People's History of the United States. Recomendamos vivamente que compre agora A People's History of the United States. OCR feito por Linda Towlson e ligeiramente editado pela libcom - ortografia dos EUA para o Reino Unido, detalhes adicionais, esclarecimentos e links adicionados


Joelle McKenna Blog da história dos EUA

1. Como os "encanadores" estavam ligados ao Presidente Nixon?
Os encanadores estavam ligados ao presidente Nixon porque eram os ladrões contratados pelo presidente Nixon para invadir o DNC. A casa branca, com o consentimento do presidente Nixon, tentou de tudo para se livrar das provas. Eles instaram o FBI a interromper a investigação do roubo por motivos de segurança nacional. Além disso, o CRP pagou aos "encanadores" 450.000 dólares para se calarem depois de serem indiciados em setembro de 1972.

2. Quem foi o juiz? Por que ele distribuiu sentenças máximas?
O juiz foi John Sirca. Ele proferiu sentenças máximas por acreditar que os ladrões não agiram por conta própria, ele indicou que eles mentiram sob juramento.

3. Como Mitchell e Dean foram conectados a Nixon?
Mitchell e Dean estavam ligados a Nixon porque Nixon dispensou o advogado da Casa Branca John Dean e anunciou a renúncia de Haldeman, Ehrlichman e do procurador-geral Richard Kleindienst, que havia recentemente substituído John Mitchell. Nixon foi visto tentando encobrir o roubo.

4. Como Haldeman e Erlichman foram conectados a Nixon?
Haldeman e Erlichman estavam ligados a Nixon porque ele havia anunciado sua renúncia da Casa Branca, o que foi visto como um encobrimento feito pelo presidente Nixon.

5. O que os seguintes homens disseram ao Senado sobre Nixon?

uma. Dean: Dean afirmou que o presidente Nixon esteve profundamente envolvido no encobrimento. Ele até disse que ele e Nixon, junto com vários conselheiros, discutiram estratégias para continuar o engano.

b. Butterfield: Butterfield disse ao tribunal que o presidente Nixon havia gravado praticamente todas as conversas na Casa Branca. Ele afirmou que o sistema de gravação foi usado por Nixon para "ajudar Nixon a escrever suas memórias". No entanto, para o Comitê do Senado, essa fita foi a chave para revelar o que Nixon sabia e quando ele sabia.

6. Quem foi demitido ou forçado a renunciar no "massacre"?
O presidente Nixon ordenou que o procurador-geral Richardson demitisse Cox (que havia nomeado para investigar o caso.) Recusou-se a demitir Cox e renunciou. Em seguida, o procurador-geral adjunto também recusou a ordem de Nixon e foi demitido. E, finalmente, Cox foi demitido pelo General Robert Bork.

7. Por que os investigadores não ficaram satisfeitos com as transcrições?
Os investigadores ficaram satisfeitos com as transcrições porque exigiram as fitas não editadas, uma vez que Nixon havia enviado algumas editadas em vez de fitas não alteradas.

8. O que as fitas revelam?
As fitas revelaram que o presidente Nixon sabia sobre o papel dos administradores no roubo e que aprovou o plano para distrair ou tirar a investigação do FBI. Também revelou a conversa de dezoito minutos entre Haldeman e Nixon, que acabou revelando a investigação por completo.

9. Por que o vice-presidente Spiro Agnew renunciou?
O vice-presidente Spiro Agnew renunciou porque foi revelado que ele aceitou suborno de firmas de engenharia enquanto era governador de Maryland, e ele pensou que seria impedido porque achava que não tinha chance de ganhar o julgamento.

10. O que o Comitê Judiciário da Câmara acusou o presidente Nixon?
O Comitê Judiciário da Câmara acusou o presidente Nixon de crimes graves e contravenções. Eles chegaram à conclusão de que o impeachment do presidente deveria ser cassado por causa do escândalo, que os crimes e desvios do escândalo levaram a comissão a discutir e decidir se o presidente Nixon deveria ser cassado ou não. Além disso, eles o condenaram por obstrução da justiça, abuso de poder e desacato ao Congresso por não obedecer para liberar as fitas para o Congresso depois que lhe disseram para fazê-lo.

11. Como o escândalo Watergate criou uma crise constitucional?
O escândalo Watergate criou uma crise constitucional porque o Congresso teve que revisar a constituição e fixar quanto poder o presidente poderia ter e fixar as diretrizes para as razões pelas quais um presidente deveria ser considerado ou ter seu impeachment.


Referências

Anderson, D. (2006). Watergate: Escândalo na Casa Branca. New York, NY: Capstone.

Burch, D. (1974). Em defesa de Richard Nixon. Rede.

Finney, D. P. (2012). O escândalo de Watergate mudou o cenário político para sempre. Rede.

Olson, K. W. (2003). Watergate: o escândalo presidencial que abalou a América. New York, NY: University Press of Kansas.

Watergate: o negócio inacabado. (1973). Rede.

Zelizer, J. (2014). Americanos desconfiados ainda vivem na era de Watergate. Rede.


Um homem realmente conhece a verdade sobre Nixon e Watergate?

Sábado, 9 de agosto marca o quadragésimo aniversário da renúncia do presidente Richard Nixon & # 8217 por causa do escândalo conhecido como Watergate. É difícil de acreditar, mas 40 anos após a renúncia de Nixon, o público americano ainda não sabe quem ordenou a invasão do Watergate, o que os ladrões estavam procurando e por que o fizeram.

A narrativa da grande mídia sobre Watergate é uma distorção grotesca e fantástica do fato histórico.

Ninguém procurou controlar esta narrativa mais do que o ex-conselheiro da Casa Branca John Dean. Através de seus livros, entrevistas, discursos pagos, ações judiciais e litígios, Dean criou o mito de que ele era um jovem ingênuo e ambicioso sugado para o encobrimento de Watergate pelo mal Nixon e seus homens.

Agora Dean está de volta com um novo livro, & # 8220Nixon & # 8217s Defense: What He Knew and When He Knew It & # 8221, no qual ele procura escrever a narrativa & # 8220authoritative & # 8221 de Nixon e Watergate.

Dean afirma que seu livro é baseado em 1.000 horas de fitas que só ele transcreveu. O que faltou na resenha do livro feita pelo historiador presidencial Robert Dallek no New York Times de 27 de julho está o fato de Dean se recusar a enviar essas transcrições para uma revisão independente.

Embora Dean diga que seu objetivo de & # 8220 reconstruir a história completa do escândalo & # 8221, seu livro é tudo menos a história completa ou completa.

De fato, Dean saiu de cena, embora essas fitas mostrem claramente Dean persuadindo Nixon a encobrir e treinando-o nos pontos de discussão de suas mentiras planejadas.

Que tipo de advogado incentiva seu cliente a cometer crimes?

O que Dean quis dizer quando encerrou a conversa com Nixon em 16 de março de 1973 dizendo & # 8220nós venceremos & # 8221?

Ao omitir qualquer informação sobre as gravações nessas datas, Dean na verdade obscureceu o que o presidente sabia e quando ele sabia, em vez de revelá-lo.

Vale a pena ler o artigo inteiro. Há cada vez menos relatos em primeira mão, então parece que os que sobraram têm sua própria agenda. Parece que a verdade sempre fica em segundo plano nas vendas de livros.


Perguntas de revisão

O acordo que Gerald Ford assinou com o líder da União Soviética que encerrou as questões territoriais remanescentes da Segunda Guerra Mundial foi ________.

  1. o Comunicado de Moscou
  2. o Tratado de Pequim
  3. o Protocolo da Islândia
  4. os acordos de Helsinque

Dessas figuras, quem era não indiciado após a invasão e encobrimento do Watergate?

Em que tipos de atividades antiéticas e ilegais os encanadores da Casa Branca e o esquadrão de “truques sujos” se envolveram?

Os encanadores da Casa Branca espionaram os oponentes políticos de Nixon e criaram maneiras de embaraçá-los. Eles tentaram localizar informações para desacreditar Daniel Ellsberg roubando arquivos do escritório de seu psiquiatra e invadiram a sede do DNC no complexo Watergate com a intenção de grampear os telefones.


Crime e Ambição: Richard Nixon e Watergate

Quando se examina a presidência de Richard Nixon, não podemos deixar de nos lembrar do escândalo Watergate, o maior escândalo político da história americana. Watergate fez com que o público americano perdesse a fé na presidência e examinasse o cargo como nunca havia sido examinado antes. Enquanto os americanos iam às urnas para eleger futuros presidentes, as memórias de Watergate os acompanhavam e os faziam se perguntar se tais ações seriam repetidas. A ambição de Richard Nixon lhe rendeu o cargo mais alto da nação, mas uma reviravolta do destino fez com que a mesma ambição o tirasse dele apenas seis anos depois.

A carreira política de Richard Nixon começou em 1946, quando ele foi eleito para a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. Ele se tornou senador em 1950, em meio ao destaque nacional que conquistou no caso Alger Hiss. Ele serviu como vice-presidente de Dwight Eisenhower por oito anos, mas foi derrotado em sua candidatura à presidência em 1960 por John Kennedy. A perseverança e ambição de Nixon foram recompensadas em 1968, quando ele foi eleito presidente, derrotando Hubert Humphrey por pouco.

O escândalo Watergate atingiu o governo Nixon no início de 1973. Em 1972, o Comitê para Reeleger o Presidente (CREEP), liderado pelo ex-procurador-geral John Mitchell, iniciou uma campanha massiva de arrecadação de fundos com o objetivo de coletar o máximo de dinheiro possível antes que as contribuições de relatório se tornassem obrigatórias sob uma nova lei, e o dinheiro pudesse ser usado para qualquer finalidade. 2

No início de 1972, G. Gordon Liddy e E. Howard Hunt, dois dos assessores de Nixon, arquitetaram um esquema elaborado para grampear os telefones de vários democratas e atrapalhar seus planos. Mitchell se recusou a aprovar o plano duas vezes, dizendo que era muito caro e arriscado. Ele finalmente aprovou uma versão modificada do plano em que os telefones do Comitê Nacional Democrata, incluindo o telefone de seu presidente, Lawrence O’Brien, seriam grampeados.

O escândalo herdou o nome do complexo de apartamentos e escritórios Watergate em Washington, D.C., onde cinco homens foram presos por invadir a sede nacional do Partido Democrata, localizada ali. Um dos ladrões era James W. McCord, Jr., chefe de segurança do CREEP. A polícia encontrou fotografias sofisticadas e equipamento de espionagem, bem como $ 2.300 em dinheiro em sua posse. 'truques sujos' & quot.5

O Federal Bureau of Investigation eventualmente rastreou o dinheiro transportado pelos ladrões até o CREEP, e então Nixon ordenou que a Agência Central de Inteligência cancelasse o FBI da investigação, dizendo que a segurança nacional estava em jogo. Embora Nixon não tenha se envolvido no planejamento do roubo, essa ação o fez parte do encobrimento. Com o passar do tempo, Nixon autorizou o pagamento de & quothush money & quot para Hunt e os outros ... 6

Uma investigação conduzida pelos repórteres do Washington Post Carl Bernstein e Bob Woodward encontrou evidências de que assessores da Casa Branca ajudaram a financiar operações de sabotagem e espionagem contra candidatos presidenciais democratas de 1972. Evidências adicionais foram reveladas que ligavam os principais assessores da Casa Branca, incluindo o Chefe do Conselho Doméstico John Ehrlichman e o Chefe de Gabinete da Casa Branca H.R. Haldeman, aos planos de roubo e ocultação de evidências que envolviam membros da administração Nixon.

Em 30 de abril de 1973, Nixon forçou Haldeman e Ehrlichman a renunciar e demitiu John Dean, outro assessor. Ele aceitou a responsabilidade por Watergate e disse que um promotor especial seria nomeado para cuidar do caso. Em maio de 1973, o Departamento de Justiça nomeou Archibald Cox para ocupar o cargo, e o Comitê Seleto do Senado sobre Atividades de Campanha Presidencial iniciou audiências sobre Watergate, chefiado pelo senador Sam Ervin, da Carolina do Norte. John Dean se tornou o principal acusador de Nixon, afirmando que ele desempenhou um papel importante no encobrimento, com o conhecimento de Nixon.

A revelação mais surpreendente de todas veio em 16 de julho de 1973, quando a existência de um sistema de gravação da Casa Branca foi revelada ao comitê pelo assessor da Casa Branca Alexander Butterfield. Nixon afirmou que usou o sistema de gravação para gravar conversas que preservariam um registro preciso de sua gestão. 9

Cox e o comitê acreditaram que as fitas poderiam responder a questões importantes levantadas na investigação. Nixon foi convidado a fornecer certas fitas, mas ele recusou, alegando privilégio executivo. Cox e o comitê então processaram Nixon para obter as fitas. O juiz do Tribunal Distrital dos Estados Unidos, John Sirica, ordenou que Nixon entregasse as fitas. Nixon apelou da ordem, mas um tribunal de apelações dos EUA apoiou a decisão de Sirica..10

Em outubro de 1973, Nixon se ofereceu para fornecer a Cox resumos das fitas. Cox recusou a oferta, dizendo que resumos seriam inaceitáveis ​​como prova em tribunal. Nixon então ordenou que o procurador-geral Elliot Richardson demitisse Cox, mas Richardson se recusou a obedecer e renunciou. O procurador-geral adjunto William Ruckelshaus fez o mesmo depois de receber a mesma ordem. O procurador-geral Robert Bork foi nomeado procurador-geral interino e cumpriu a ordem de Nixon. Leon Jaworski assumiu o cargo de promotor especial após a demissão de Cox. 11

Also in October of 1973, Vice-President Spiro Agnew resigned his office under charges that he had accepted bribes as Baltimore County Executive in Maryland, Governor of Maryland, and Vice-President. Although Agnew maintained his innocence, he pleaded no contest to one count of tax evasion under an agreement with the Department of Justice. Agnew was later issued a court order to repay $268,482, which was the amount the state contended Agnew had accepted, plus interest, and he complied..12

Nixon became the first president to nominate a Vice-President under the procedures outlined in the twenty-fifth amendment to the Constitution. His choice was House minority leader Gerald Ford, who took office after being confirmed by Congress on December 6, 1973..13

The Nixon administration suffered further damage later that month when several members of the House of Representatives initiated steps to impeach Nixon. When Nixon finally decided to supply Sirica with the tapes, it was discovered that three important conversations were missing. The White House said that the taping system had malfunctioned during two of the conversations, and that the third had accidentally been erased..14

Attorneys learned on November 14, 1973 that there was a gap of almost nineteen minutes in the tape of a conversation between Nixon and Haldeman on June20, 1972. On January 15, 1974 a group of technical experts determined that the gap was the result of five separate manual erasures, but it was never known who had performed them..15

Jaworski served Nixon with a subpoena in April of 1974 to furnish tape recordings and documents pertaining to sixty-four White House conversations, stating that evidence in the cover-up case was contained within the materials. At the end of April Nixon released 1254 pages of edited materials, saying that they told the entire Watergate story. However, Jaworski insisted that Nixon supply him with the original materials he had requested. Nixon claimed executive privilege again and refused. This forced Jaworski to sue Nixon in federal court. The case made it all the way to the Supreme Court in July of 1974, and the Supreme Court ordered Nixon to supply Jaworski with the materials, ruling unanimously that a president cannot withhold evidence in a criminal case..16

Late in July 1974, the House Judiciary Committee voted to impeach Nixon on the grounds of obstruction of justice, abuse of power, and refusal to obey a congressional subpoena ordering him to release the tapes. On August 5, 1974, Nixon obeyed the Supreme Court ruling and released the tapes. The tapes proved that Nixon had authorized the cover-up as early as June 23, 1972. The Watergate debacle came to an end on August 9, 1974, when Nixon became the first president to resign from office..17

Vice-President Gerald Ford assumed the presidency that same day, but he had never planned to be President. Ford found himself in the ironic position of attempting to restore national confidence through presidential authority during a time when the abuse of presidential power had caused the problem to begin with. Ford weakened his support when he pardoned Nixon on September 8, 1974. Haldeman, Ehrlichman, Mitchell, Dean, and other officials faced indictment, trial, and imprisonment for their respective roles in the Watergate scandal, but Nixon was free from all prosecution for any crimes he may have committed as President. Ford had hoped that his benevolent gesture would heal the nation’s wounds, but he only succeeded in raising public doubt about his judgment..18

Ford felt the heat of public scrutiny more than any President that succeeded Nixon. After all, he was the only man to become both Vice-President and President without having been elected to either office. Also, he had been Vice-President while facts about Watergate were still being discovered. The American public’s faith in the government had been reduced to its lowest level in years because of Watergate, and the work of many federal agencies had been disrupted by the Nixon impeachment crisis..19

Many reasons for thinking behind the Watergate scandal have been discussed over the years. In retrospect, the burglary seemed unnecessary because Nixon defeated George McGovern by a huge margin in his reelection bid. One obvious reason behind the scandal is that Nixon was faced with Democratic majorities in both houses of Congress, and he was unable to make any legislative progress as a result. He wanted to end the gridlock by being reelected and establishing Republican majorities in both houses of Congress..20

James McCord and H.R. Haldeman have offered interesting insights into the Watergate scandal. McCord believes that Mitchell’s and Haldeman’s objective was to have doubts about Nixon’s reelection, so they authorized the espionage against the Democratic National Committee and the Democratic presidential hopefuls. "And I believe that Nixon wanted to win by the largest possible margin, in order to go down in history as having the largest mandate from the people. I believe that for these reasons, the Watergate operation was approved.".21

"Had Watergate been handled through the usual White House staff system, and been manage by Nixon in his usual fashion, it would never have happened in the first place. And even if it had happened, it would have been handled in such a way as to avoid the disaster it eventually became.".22 Haldeman and Jaworski share the belief that if Nixon had destroyed the tapes after their existence was revealed by Butterfield, claiming to protect national security, the American public would have believed him, and he would not have been forced to resign under the threat of impeachment..23

The burglary itself did not hurt Nixon, because he had not been personally involved in its planning, but the resulting cover-up was the contributing factor in his downfall. "The Watergate break-in eventually diminished in importance as the nation discovered what John Dean labeled the "White House horrors" and the clear patterns of presidential abuses of power. The subsequent attempts by the White House to obstruct the investigation of the Watergate affair-the "cover-up," which itself led to more abuses of power-further detracted from the significance of the break-in.".24

All in all, the Watergate scandal proved that despite the recent growth in the power of the executive branch, Americans were no more ready to tolerate such abuses of power than they had been in the days of the colonists..25 Richard Nixon’s desire for an accurate place in history led to his fall from power. His actions during the Watergate scandal succeeded in assuring him of a much less favorable place in history than what he imagined. Richard Nixon became the victim of his own ambition, just like Julius Caesar had centuries ago. Nixon’s refusal to cooperate during the Watergate investigation virtually proved that he had something to hide. By failing to disclose his Watergate materials, Nixon practically admitted his guilt and began the impeachment proceedings himself.

The Watergate scandal shocked the American people as a whole, and forced them to reevaluate the government and the individuals that elect to run it. Nixon’s actions were an unprecedented threat to the American constitution, and a blatant disregard for the principles of truth and justice that he had been elected to preserve. Justifiably, poetic justice was done when fate turned the tables on Richard Nixon and forced him to resign the office that he had worked his whole life to hold.

It is the hope of all Americans that Watergate will teach a valuable lesson to the individuals who will occupy the Oval Office in the future, and it is a lesson that will not soon be forgotten.


Kaitlin Doherty's U.S. History Blog

The "plumbers" or burglars that were hired by President Nixon to break into the DNC, are connected to President Nixon because he paid them about $450,000 to keep them silent and all the photographs or documents they took or photographed were shredded so that there wouldn't be any evidence that they took anything from DNC. Woodward and Bernstein looked into the Watergate burglary while no one else did, so they made the connections with the burglars or Watergate to the President and his administration. For example, they made links to many members of the adminstration to the burglary.

2. Who was the judge? Why did he hand out maximum sentences?

The judge was John Sirica. He handed out maximum sentences because he believed that the burglars didn't act by themselves, that they had outside help.

3. How were Mitchell and Dean connected to Nixon?

Mitchell and Dean were connected to Nixon by Nixon being accused of trying to cover-up the burglary. Nixon "dismissed" Dean from office and replaced Mitchell with Kleindienst, which was seen as an attempt at covering up the scandal by Nixon.

4. How were Haldeman and Erlichman connected to Nixon?

Haldeman and Erlichman were connected to Nixon because he had announced their resignition from the White House, and after President Nixon released the real tapes there were conversations between Nixon and Haldemen (and probably Erlichman) where they discussed strategies for covering up the burglary and scandal.

5. What did the following men tell the Senate about Nixon?

uma. Dean told the Senate what the president knew, when he knew it, and that he, the president, and a couple other advisors had a meeting discussing the strategies to continue the deceit.

b. Butterfield told the Senate that President Nixon had taped all of his meetings and discussions, which some were about the deceit and scandal. He also said that the recordings and tapes were made so that it would be easier for President Nixon to write his memoirs.

6. Who was fired or forced to resign in the "massacre"?

Attorney General Richardson and the deputy attorney general resigned after refusing to fire Archibald Cox. Then General Robert Bork finally fired Cox, however Cox's replacement (Leon Jaworski) was just as determined to get the tapes from Nixon.

7. Why weren't investigators satisified with the transcripts?

The investigators weren't satisfied with the transcripts because they were edited and there was one section where about eighteen minutes nobody talked or said anything, it was expunged so that the investigators wouldn't know what Nixon and Haldeman had said. The secretary said that she accidentally deleted them.

8. What did the tapes reveal?

The tapes revealed that President Nixon new about the role of the administrators in the burglary and that he approved the plan to distract or take the investigation away from the FBI. Also, it revealed the eighteen minute conversation between Haldeman and Nixon which ended up disclosing the investigation completely, in other words the investigation and trial came to a conclusion.

9. Why did Vice President Spiro Agnew resign?

Vice President Spiro Agnew resigned because it was revealed that he took bribery from engineering firms while he was the governor of Maryland, and he thought that he'd be impeached because he thought he had no chance in winning the trial. He probably thought this because of the trial and testimonies of Nixon's scandal, he saw that the President was going down in flames and probably wanted to resign or leave with some dignity and didn't want everyone to take the time to go through trials and etcetera when he knew that he would lose.

10. What did the House Judiciary Committee charge President Nixon with?

The House Judiciary Committee charged President Nixon with high crimes and misdameanors. They decided that the president should be impeached because of the scandal, which the crimes and misdameanors of the scandal made the committee discuss and decide wheither or not President Nixon should be impeached. Also, they convicted him with obstruction of justice, abuse of power, and contempt of Congress for not obeying to release the tapes to Congress after they told him to.

11. How did the Watergate scandal create a constitutional crisis?

The Watergate scandal created a constitutional crisis by Congress having to revisit the constitution. They had to fix how much power the President could have and fix the guidelines for the reasons why a president should be considered or should be impeached.


Lesson Plans

August 8, 2019, marks the 45 th anniversary of the resignation of President Richard Nixon from the Oval Office. Nixon remains the only president in U.S. history to resign. The world had been closely watching the nationally televised Senate committee hearings about the break-in at the Democratic National Committee offices at the Watergate hotel in Washington, D.C. The hearings revealed that the break-in had been part of a political spying campaign perpetrated by President Richard Nixon’s reelection campaign, and eventually led to Nixon’s resignation.

Assuntos

Social Studies, U.S. History, U.S. Government

Grades

Estimated time

One 45-minute class period

Objective

To gain an understanding of the events of the Watergate scandal and its impact on the American presidency.


Assista o vídeo: 1972 - Escândalo Watergate. (Agosto 2022).