A história

Mussolini questiona os planos de Hitler


Uma mensagem de Benito Mussolini é encaminhada para Adolf Hitler. Mussolini perguntou se era realmente necessário “arriscar tudo - inclusive o regime - e sacrificar a flor das gerações alemãs”.

A mensagem de Mussolini foi mais do que um pouco hipócrita. Na época, Mussolini tinha seus próprios motivos para não querer que a Alemanha espalhasse a guerra pelo continente europeu: a Itália não estava preparada para se juntar ao esforço, e a Alemanha receberia toda a glória e provavelmente eclipsaria o ditador da Itália. A Alemanha já havia conquistado os Sudetos e a Polônia; se Hitler tomasse a França e intimidasse a Grã-Bretanha à neutralidade - ou pior, a derrotasse em batalha - a Alemanha governaria a Europa. Mussolini assumiu as rédeas do poder na Itália muito antes de Hitler assumir o controle da Alemanha e, ao fazê-lo, Mussolini se gabou de remodelar um novo Império Romano a partir de uma Itália que ainda era economicamente atrasada e militarmente fraca. Ele não queria ser ofuscado pelo arrivista Hitler.

E então o Duce esperava parar o motor de guerra da Alemanha até que ele pudesse descobrir seu próximo movimento. O embaixador italiano em Berlim entregou a mensagem de Mussolini a Hitler pessoalmente. Mussolini acreditava que as “grandes democracias… devem necessariamente cair e ser colhidas por nós, que representamos as novas forças da Europa”. Eles carregavam “dentro de si as sementes de sua decadência”. Em suma, eles se destruiriam, então recue.

Hitler o ignorou e avançou com planos para conquistar a Holanda, Bélgica, Luxemburgo e França. Mussolini, em vez de amarrar a fortuna da Itália à da Alemanha - o que necessariamente significaria dividir os holofotes e os despojos de qualquer vitória - começou a olhar para o leste. Mussolini invadiu a Iugoslávia e, em um movimento estratégico desastroso, a Grécia.


Hitler e Mussolini

O aliado político e militar óbvio da Alemanha nazista na Europa era a Itália. Os italianos foram governados por um regime fascista sob Benito Mussolini desde 1925. O fascismo italiano era o irmão mais velho do nazismo, um fato que o próprio Hitler reconheceu. No entanto, apesar de todas as suas semelhanças ideológicas, a relação entre Hitler e Mussolini era acidentada e complexa. O alinhamento de seus dois países, conseqüentemente, não foi tão firme quanto muitos esperavam. No final da década de 1930, Alemanha e Itália tornaram-se aliados militares. Suas prioridades, entretanto, residem em seus próprios interesses nacionais, ao invés de apoiar os interesses ou ambições de outro país. A união entre a Alemanha nazista e a Itália fascista tornou-se um casamento de conveniência e conveniência, em vez de uma aliança firme de Estados irmãos.

Em seus primeiros anos à frente do NSDAP, Hitler foi um grande admirador de Mussolini. O líder nazista ficou particularmente fascinado com Mussolini & # 8217s & # 8216march on Rome & # 8217 & # 8211 um protesto de 1922 onde milhares de fascistas e simpatizantes fascistas invadiram a capital italiana, o que levou à nomeação de Mussolini & # 8217s como primeiro-ministro. Em 1923, Hitler escreveu ao seu homólogo italiano sobre a & # 8216marcha sobre Roma & # 8217, o golpe de Munique foi a tentativa de Hitler de replicá-lo. A partir do final da década de 1920, Mussolini forneceu algum apoio financeiro ao partido nazista em ascensão e também permitiu que homens da SA e da SS treinassem com sua própria brigada paramilitar, os camisas negras. A ascensão de Hitler ao poder em 1933 foi elogiada publicamente por Mussolini, que a saudou como uma vitória de sua própria ideologia fascista.

Em particular, entretanto, Mussolini desprezava Hitler e seu partido. O líder italiano descreveu Mein Kampf como & # 8220 entediante & # 8221 e as idéias e teorias de Hitler & # 8217s eram & # 8220 grosseiras & # 8221 e & # 8220simplísticas & # 8221. Mussolini, que era propenso à egomania, também tinha uma opinião negativa sobre a elevação de Hitler ao poder, que ele considerava menos gloriosa do que a sua. O primeiro encontro entre os dois, realizado em Veneza em junho de 1934, foi desastroso. Mussolini falava um pouco de alemão e recusou-se a usar um tradutor & # 8211, mas teve grande dificuldade em entender o áspero sotaque austríaco de Hitler & # 8217. O italiano foi submetido a alguns dos longos monólogos de Hitler, que o entediaram muito. Os dois homens emergiram da cúpula de Veneza pensando muito menos um no outro. Apesar disso, a propaganda nazista e fascista italiana dos anos 1930 sugeria uma estreita relação de trabalho e até mesmo uma amizade entre os dois líderes.

Outro ponto importante de diferença entre os dois era sua visão racial. Mussolini, como Hitler, considerava os europeus brancos os arquitetos da civilização e da cultura & # 8211, mas suas opiniões sobre raça não se estendiam ao odioso anti-semitismo ou à eugenia. Mussolini foi um nacionalista italiano que muitas vezes relembrou a glória e os triunfos da Roma Antiga. Ele desdenhava, portanto, das arengas de Hitler sobre a supremacia ariana. Em um discurso, o líder italiano expressou & # 8220piedade & # 8221 pelas visões raciais expressas pelos nazistas & # 8220 os descendentes daqueles que eram analfabetos quando Roma teve César, Virgílio e Augusto. & # 8221

Apesar de suas diferenças pessoais, Hitler e Mussolini conseguiram um certo grau de cooperação. A Alemanha ofereceu apoio a Roma durante e após a crise da Abissínia em meados da década de 1930. Mussolini teve visões grandiosas de construir um novo império italiano, para reproduzir as glórias da Roma antiga. Seu primeiro alvo foi a Abissínia (atual Etiópia), um dos poucos reinos africanos que ainda não estavam sob controle europeu. Em outubro de 1935, as tropas italianas invadiram e ocuparam grande parte da Abissínia. A Itália foi fortemente criticada na Liga das Nações, no entanto, Hitler & # 8211, que tirou a Alemanha da Liga em 1933 & # 8211, apoiou a ação de Mussolini & # 8217. As relações germano-italianas foram posteriormente impulsionadas pelo envolvimento conjunto na Guerra Civil Espanhola em 1936.

Em setembro de 1937, Mussolini fez uma visita oficial à Alemanha, onde se deparou com um longo desfile de tropas, artilharia e equipamento militar. Essas demonstrações de força foram obviamente convocadas para impressionar o líder italiano, e funcionou. Dois meses depois, a Itália juntou-se à Alemanha e ao Japão no Pacto Anti-Comintern: um acordo para resistir à expansão da União Soviética e impedir a propagação do comunismo. A influência de Hitler & # 8217s em Mussolini tornou-se evidente no Manifesto de Raça do líder italiano & # 8217s (julho de 1938). Este decreto, que se mostrou muito impopular na Itália, privou os judeus italianos de sua cidadania e os removeu das ocupações governamentais. Em setembro de 1938, Mussolini participou da cúpula de quatro nações sobre a crise da Tchecoslováquia e foi signatário do Acordo de Munique.

Em maio de 1939, a aliança nazi-fascista foi ampliada ainda mais, com a assinatura do Pacto de Amizade e Aliança entre a Alemanha e a Itália. Informalmente chamado de & # 8216Pacto de Aço & # 8217, esse acordo de dez anos comprometeu Roma e Berlim a fornecer ajuda militar e econômica caso uma das nações se encontrasse em guerra. O pacto também continha discussões e protocolos secretos em que a Alemanha e a Itália concordaram em se preparar para uma futura guerra europeia. Os negociadores prometeram um rápido aumento no comércio alemão-italiano e na cooperação militar, enquanto ambas as nações concordavam secretamente em evitar guerras sem a outra até 1943.

Hitler ignorou esse compromisso quando ordenou que as tropas alemãs invadissem a Polônia em setembro de 1939. Mussolini havia recebido o conselho de que a Itália não estaria pronta para a guerra até o final de 1942, por causa do lento crescimento industrial e da produção militar. O líder italiano acatou esse conselho, adiando a declaração de guerra até junho de 1940, quando a conquista alemã da Europa ocidental estava quase completa. O principal objetivo da guerra de Mussolini era tomar o controle das colônias britânicas e francesas no norte da África. A campanha foi desastrosa: no final de 1941, a maioria das tropas italianas na África havia sido derrotada. Os Aliados invadiram a Itália em julho de 1943 Mussolini foi logo expulso do poder e o novo governo rendeu-se aos Aliados em setembro. O ex-ditador fascista foi capturado por guerrilheiros e executado em abril de 1945, dois dias antes do suicídio de Hitler em Berlim. O corpo de Il Duce & # 8211 uma vez que o & # 8216saviour da Itália & # 8217 & # 8211 foi suspenso em ganchos de carne e atingido por pedras.

Visão de um historiador:
& # 8220O relacionamento deles evoluiu gradualmente ao longo dos anos em que se conheceram. No início, Hitler cedeu ao Duce e parecia ter uma admiração genuína pelo ditador mais antigo. Mais tarde, e especialmente depois que Mussolini começou a jogar o segundo violino para Hitler como líder de guerra, as reuniões de cúpula entre os dois homens consistiram principalmente de longos monólogos de Hitler, com Mussolini mal conseguindo dizer uma palavra. Em uma reunião memorável em 1942, Hitler falou por uma hora e quarenta minutos enquanto o General Jodl cochilava e Mussolini ficava olhando para o relógio. & # 8221
Ray Moseley

1. Benito Mussolini era o líder fascista da Itália, nomeado primeiro-ministro após sua & # 8216marcha sobre Roma & # 8217 em 1922.

2. O fascismo italiano era uma ideologia nacionalista de direita que muitos, incluindo Hitler, consideravam o & # 8216 grande irmão & # 8217 do nazismo.

3. Mussolini, entretanto, tinha pouca consideração por Hitler e pelo nazismo, acreditando que eles eram incultos e simplistas.

4. Apesar disso, os dois desenvolveram uma aliança cautelosa, reunindo-se várias vezes e assinando o Pacto de Aço em 1939.

5. Quando Hitler invadiu a Polônia em setembro de 1939, anos antes do previsto, Mussolini recusou-se a apoiar seu aliado, alegando que a indústria italiana e a produção militar ainda não estavam prontas.


AS - Hitler e Mussolini, Lista de possíveis questões dissertativas?

- até que ponto a Itália foi unificada em 1914?
- até que ponto a Primeira Guerra Mundial causou o colapso do governo liberal?
Até que ponto você concorda que o terror e a violência desempenharam um papel menor no poder de Muss em 1922-38?
Até que ponto você concorda que a educação foi a principal ferramenta da propaganda fascista?

itália e nazista alemanha têm tantos temas semelhantes que às vezes é difícil diferenciar!

(Postagem original de andrew.P)
Não sei realmente, apenas os ensaios iv feitos sobre o muss até agora são:

- até que ponto a Itália foi unida em 1914?
- até que ponto a Primeira Guerra Mundial causou o colapso do governo liberal?

Até que ponto você concorda que o terror e a violência desempenharam um papel menor no poder de Muss em 1922-38?
Até que ponto você concorda que a educação foi a principal ferramenta da propaganda fascista?

itália e nazista alemanha têm tantos temas semelhantes que às vezes é difícil diferenciar!

Lol eu deveria fazer isso. estou apenas aprendendo os fatos-chave deles, então, por exemplo,

Por que a Alemanha foi derrotada na 2ª Guerra Mundial?
- Erros estratégicos (Ataque à URSS)
-A força de Allies (Grã-Bretanha e França)
-Faith foi perdida no regime nazista
-Economy não estava preparado para uma guerra (a Alemanha começou a guerra antes do planejado também, o que não ajudou)

Então, no exame se "Até que ponto os fatores econômicos foram a causa da derrota do alemão na 2ª Guerra Mundial?"
Vou apenas escolher esses 4 pontos e explicar!

(Postagem original de Awesome Lawson)
Lol eu deveria fazer isso. estou apenas aprendendo os fatos-chave deles, então, por exemplo,

Por que a Alemanha foi derrotada na 2ª Guerra Mundial?
- Erros estratégicos (Ataque à URSS)
-A força de Allies (Grã-Bretanha e França)
-Faith foi perdida no regime nazista
-Economy não estava preparado para uma guerra (a Alemanha começou a guerra antes do planejado também, o que não ajudou)

Então, no exame se "Até que ponto os fatores econômicos foram a causa da derrota do alemão na 2ª Guerra Mundial?"
Vou apenas escolher esses 4 pontos e explicar!


Os ditadores governam mais de 70 países no mundo. Esta forma de governo é caracterizada pelo poder absoluto, detido por uma pessoa. Para descobrir o que é um ditador, como os ditadores chegam ao poder e como as ditaduras acabam, explore as páginas deste artigo. Comece sua lição com uma introdução às ditaduras, que discute o papel dos ditadores atuais e recentes. Outros tópicos explicam a história das ditaduras, características das ditaduras e as dificuldades de acabar com uma forma de governo ditatorial.
Tópico: Ditadores, Ditadura Idioma: Inglês Lexile: 1100 http://people.howstuffworks.com

Aprenda sobre a longa história das ditaduras e como esse método de governo assumiu um significado bastante sinistro ao longo do século XX. Uma discussão introdutória explica as origens das ditaduras, onde uma pessoa detém o poder absoluto sobre um país. Depois de ler sobre as origens antigas das ditaduras, continue lendo para descobrir a ascensão de ditadores notáveis ​​durante a Segunda Guerra Mundial, desde Hitler a Mao Zedong. Após esta curta lição de história, role para baixo para aprender os conceitos-chave do totalitarismo, um conceito separado, mas intimamente identificado com a ditadura.
Tópico: Ditadores, Ditadura Idioma: Inglês Lexile: 1510 http://www.history-ontheweb.co.us

Os eventos históricos envolvendo Adolf Hitler levaram ao início da Segunda Guerra Mundial e este texto explica o papel de Hitler nas práticas anti-semitas que se tornaram parte integrante de seu programa político. A carreira política de Hitler remonta a 1919, quando ele se juntou a um partido que hoje é conhecido como nazista. O texto leva você aos dias da ditadura de Hitler e descreve como ele transformou a Alemanha e o governo como um todo.
Tópico: Segunda Guerra Mundial - Causas, Hitler, Adolf Idioma: Inglês Lexile: 1160 http://www.digitalhistory.uh.edu

Adolf Hitler liderou a Alemanha na Segunda Guerra Mundial e é responsável por ordenar o assassinato de milhões de homens, mulheres e crianças. Muitos se perguntam como esse homem foi capaz de garantir tanto poder e confiança com o povo alemão. Este site procura fornecer algumas respostas e descrever o poder de persuasão de Hitler. Você começará a entender como o fracasso econômico ocorrido na Alemanha, aliado à frustração do povo, abriu as portas para as idéias difundidas por Hitler.
Tópico: Hitler, Adolf, - 1889-1945 Idioma: Inglês Lexile: 1130 Biografia http://www.bbc.co.uk

Embora Hitler esteja intimamente associado à Segunda Guerra Mundial, sua ascensão ao poder começou na década de 1920. Explore as ideologias que alimentaram ditaduras durante o período entre a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. Visões gerais do fascismo e do comunismo abrangem as duas primeiras páginas deste artigo. Páginas adicionais descrevem a carreira de Adolf Hitler e as vidas dos cidadãos europeus sob seu governo. Nessas quatro páginas, encontre ilustrações interessantes, que vão desde desenhos políticos a fotografias íntimas.
Tópico: Fascismo Idioma: Inglês Lexile: 920
http://www.lermuseum.org

Adolf Hitler nasceu na Áustria em 1889. Hitler abandonou a escola aos 16 anos para seguir sua carreira de pintor. Ele se alistou no exército alemão durante a Primeira Guerra Mundial. Ele se tornou o líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães em 1921. Em 1923, Hitler escreveu seu livro de muito sucesso Mein Kampf enquanto estava na prisão por liderar um levante. Em 1933, Hitler se tornou o Chanceler da Alemanha. Em setembro de 1939, Hitler invadiu a Polônia e iniciou a Segunda Guerra Mundial. Ele cometeu suicídio em abril de 1945.
Tópico: Hitler, Adolf Idioma: Inglês Lexile: 1020 Biografia http://www.bbc.co.uk

Quando criança, Hitler sonhava em ser um artista, mas outros não se impressionavam com seus talentos artísticos. Quando adolescente sozinho, ele ficou obcecado em odiar o povo judeu. Destruir o povo judeu deu-lhe uma sensação de vitória, embora tenha perdido a guerra. Ele sonhava com uma gloriosa Alemanha para substituir o Império Austro-Húngaro. Hitler sobreviveu por quatro anos como um corredor na Primeira Guerra Mundial, um trabalho que muitas vezes tinha uma expectativa de vida de dias. Ele sobreviveu a pelo menos dezoito tentativas de assassinato. O medo do comunismo, da destruição econômica e da guerra civil catapultou Hitler ao poder.
Tópico: Hitler, Adolf Idioma: Inglês Lexile: 1060 http://www.jewishhistory.org

Como Hitler chegou ao poder? - Alex Gendler e Anthony Hazard


Mussolini questiona os planos de Hitler - HISTÓRIA

  1. Por que estavam lá dois revoluções na Rússia em 1917?
  2. Como e por que a Primeira Guerra Mundial trouxe mudanças sociais e econômicas em qualquer 1 País europeu?
  3. Quais foram as principais críticas à Liga das Nações e em que medida foram justificadas?
  4. Até que ponto é verdade dizer que a República de Weimar foi um fracasso completo?
  5. Compare e contraste as políticas internas de Hitler e Mussolini até 1939.
  6. Quais foram as principais causas e resultados da Guerra Civil Espanhola?
  7. O que você entende pelo termo apaziguamento? Até que ponto o apaziguamento foi responsável pela eclosão da guerra em 1939?
  8. Avalie as políticas interna e externa de Khrushchev.
  9. Examine o impacto da Guerra Fria na Europa Ocidental entre 1945 e 1965.
  10. Compare e contraste as políticas e a importância para seus países de Adenauer e De Gaulle.
  11. Analise os principais desenvolvimentos na educação em qualquer país europeu no século XX.
  12. Quais foram os principais problemas econômicos enfrentados pelo bloco soviético (excluindo a URSS) entre 1950 e 1990?
  1. Avalie a importância relativa do imperialismo, da corrida armamentista e do fracasso da diplomacia em causar a Primeira Guerra Mundial.
  2. Compare e contraste os papéis de Lenin e Trotsky no estabelecimento da URSS até 1924.
  3. Até que ponto é verdade dizer que a República de Weimar estava condenada desde a sua fundação?
  4. & # 8220Sua carranca logo será mais temida do que as armas de uma nação & # 8217. & # 8221 Por que este comentário sobre a Liga das Nações, feito em 1929, provou ser incorreto?
  5. Compare e contraste as políticas externas até a eclosão da Segunda Guerra Mundial de Mussolini e Hitler.
  6. Analisar as causas e resultados da Guerra Civil Espanhola.
  7. Avalie o impacto de Hitler e da Segunda Guerra Mundial em um país escandinavo.
  8. Como e por que a Segunda Guerra Mundial trouxe mudanças sociais e econômicas em um país europeu, exceto a Escandinávia?
  9. Por que e com que resultados para a Europa a URSS se envolveu na Guerra Fria até a morte de Stalin?
  10. Explique quem você considera que teve mais sucesso em seu próprio país, Adenauer ou de Gaulle?
  11. Analise a história interna de um país do Leste Europeu, excluindo a URSS, de 1953 a 1990.
  12. Como a Europa do século XX foi afetada por dois dos seguintes fatores: o aumento das oportunidades de lazer pressiona os movimentos pela paz?
  1. Analise o papel desempenhado pelo fracasso do czarismo em causar a Revolução de fevereiro / março na Rússia em 1917.
  2. & # 8220Em 1914, a Europa chegou a um ponto em que cada país temia o presente e a Alemanha tinha medo do futuro. & # 8221 O que você entende por este comentário e até que ponto concorda com ele?
  3. Compare e contraste os objetivos econômicos e políticas de Lenin (1917 a 1924) e Stalin (1928 a 1941).
  4. Como e por que Hitler conseguiu se tornar ditador da Alemanha?
  5. Por que a Liga das Nações foi ignorada nas crises do pré-guerra de 1938 a 1939?
  6. Com que justificativa pode o termo & # 8220total war & # 8221 ser aplicado à Segunda Guerra Mundial?
  7. Compare e contraste os desenvolvimentos políticos e econômicos sob Adenauer na Alemanha e de Gaulle na França.
  8. Como, por que e com que sucesso Tito seguiu políticas independentes na Iugoslávia entre 1945 e 1980?
  9. & # 8220Politicamente Khrushchev trouxe uma nova esperança para a URSS e para a Europa, economicamente ele foi um desastre. & # 8221 Quão justificado é este comentário de Khrushchev como líder da União Soviética de 1953 a 1964?
  10. Explique de que forma e em que medida a Espanha ou Portugal se afastaram da ditadura na década de 1970.
  11. Avalie a importância das mudanças nos meios de comunicação ou nas condições e padrões de trabalho na Europa do século XX.
  1. & # 8220Uma nova França emergiu da revolução. A conquista de Napoleão Bonaparte & # 8217 foi organizá-la. & # 8221 Em que medida você concorda com essa afirmação?
  2. Analise os sucessos e fracassos do Congresso de Viena (1814 & # 82111815).
  3. Avalie a contribuição para a unificação italiana de Cavour ou Garibaldi.
  4. Por que a Alemanha foi unificada sob a Prússia em 1871?
  5. Avalie o sucesso de Muhammad Ali na modernização do Egito ou de Abdul Hamid no fortalecimento do Império Otomano.
  6. Analise as causas e consequências da Guerra da Crimeia (1854 & # 82111856).
  7. Compare e contraste duas das crises enfrentadas pela Terceira República Francesa entre 1875 e 1914.
  8. Em 1867, Disraeli disse: & # 8220A mudança é inevitável em um país progressista. & # 8221 Que mudanças Disraeli introduziu na Grã-Bretanha até 1880?
  9. De que maneiras, e com que sucesso, Alexandre II tentou modernizar a Rússia e preservar o poder imperial?
  10. Analise o impacto da Primeira Guerra Mundial na Rússia entre 1914 e 1924.
  11. Discuta a importância de dois dos seguintes itens na diplomacia europeia entre 1870 e 1914: a rivalidade colonial global do Sistema de Aliança alterando o equilíbrio do nacionalismo de poder.
  12. Avalie os fatores que levaram à derrota das Potências Centrais na Primeira Guerra Mundial.
  13. Analise o papel da religião na Arábia Saudita entre 1932 e 1949.
  14. Por que razões, e com que sucesso, foram feitas tentativas de modernizar a Turquia ou o Irã na primeira metade do século XX?
  15. Por que as tentativas de cooperação na Europa entre 1919 e 1939 terminaram em fracasso?
  16. & # 8220A Guerra Civil Espanhola foi essencialmente um assunto doméstico que rapidamente se tornou um problema internacional. & # 8221 Em que medida você concorda com esta declaração?
  17. Em que medida o culto à personalidade contribuiu para a manutenção do poder de Stalin?
  18. Compare e contraste as políticas externas de Khrushchev e Brezhnev.
  19. Compare e contraste os problemas pós-Segunda Guerra Mundial e a recuperação em dois estados da Europa Ocidental.
  20. Por que a Alemanha foi dividida em 1945, mas reunificada em 1990?
  21. Analise as mudanças nas relações entre Israel e o mundo árabe entre 1967 e 2000.
  22. Avalie os sucessos e fracassos de Nasser no Egito entre 1954 e 1970.
  23. De que forma e em que medida as questões de gênero mudaram no período de cinquenta anos que você estudou?
  24. Analise o impacto da tecnologia em uma sociedade no período de cinquenta anos que você estudou.

Seção 12 Rússia Imperial, revolução e estabelecimento da União Soviética (1855 & # 82111924)
23. Com referência ao período até 1914, discuta os desenvolvimentos econômicos que ocorreram na Rússia durante os reinados de Alexandre III e Nicolau II.
24. Avalie o papel do terror e da coerção na consolidação do estado soviético entre 1917 e 1924.
Seção 13 Europa e a Primeira Guerra Mundial (1871 & # 82111918)
25. Com referência ao período até 1914, examine o impacto da política externa do Kaiser Wilhelm II & # 8217 na Grã-Bretanha, França, Rússia e Áustria-Hungria.
26. & # 8220A instabilidade doméstica foi o principal fator para a Alemanha solicitar um armistício em 1918. & # 8221 Discuta.
Seção 14 Estados europeus nos anos entre guerras (1918 e # 82111939)
27. & # 8220A oposição ao regime nazista foi limitada e malsucedida entre 1933 e 1939. & # 8221 Até que ponto você concorda com essa afirmação?
28. Discuta as razões da polarização política na Espanha entre 1931 e 1936.
Seção 15 Versalhes a Berlim: Diplomacia na Europa (1919 e # 82111945)
29. & # 8220A política de apaziguamento foi necessária porque, em meados da década de 1930, a segurança coletiva havia falhado. & # 8221 Até que ponto você concorda com essa afirmação?
30. Examine o impacto da Segunda Guerra Mundial nas populações civis de dois países da Europa entre 1939 e 1945.
Seção 16 A União Soviética e a Rússia pós-soviética (1924 & # 82112000)
31. Avalie a importância da propaganda para a manutenção do poder de Stalin & # 8217s entre 1929 e 1945.
32. Até que ponto Yeltsin estabeleceu a democracia na Rússia entre 1991 e 1999?
Seção 17 Pós-guerra da Europa Ocidental e do Norte (1945 & # 82112000)
33. Discuta o papel de de Gaulle na estabilização da França entre 1958 e 1969.
34. Em que medida houve mudança social e cultural na Alemanha Ocidental entre 1949 e 1989?
Seção 18 Europa Central e Oriental do pós-guerra (1945 e # 82112000)
35. Avalie o desafio da Iugoslávia ao controle soviético sob Tito.
36. Entre 1945 e 1968, até que ponto houve apoio ao controle soviético em dois dos seguintes países: Alemanha Oriental Polônia Hungria Tchecoslováquia?

Novembro de 2017

Seção 12 Rússia Imperial, revolução e estabelecimento da União Soviética (1855 & # 82111924)
23. & # 8220As reformas de Alexandre II visavam principalmente preservar a autocracia russa. & # 8221 Discuta.
24. Discuta a opinião de que o Governo Provisório ruiu por causa do poder dos soviéticos.
Seção 13 Europa e a Primeira Guerra Mundial (1871 & # 82111918)
25. & # 8220O Congresso de Berlim (1878) foi a maior conquista da diplomacia europeia entre
1871 e 1914. & # 8221 Até que ponto você concorda com esta afirmação?
26. & # 8220O fracasso em gerenciar a crise internacional de julho de 1914 levou à eclosão da Primeira Guerra Mundial. & # 8221 Em que medida você concorda com essa afirmação?
Seção 14 Estados europeus nos anos entre guerras (1918 e # 82111939)
27. Até que ponto você concorda que Hitler foi capaz de consolidar seu poder em agosto de 1934 porque teve o apoio do povo alemão?
28. Avalie os sucessos e fracassos do governo de Primo de Rivera & # 8217s entre 1923 e 1930.
Seção 15 Versalhes a Berlim: Diplomacia na Europa (1919 e # 82111945)
29. & # 8220A política externa italiana foi inconsistente no período entre 1922 e 1940. & # 8221 Em que medida você concorda com esta afirmação?
30. Avalie as razões da derrota das potências do Eixo na Europa na Segunda Guerra Mundial.
Seção 16 A União Soviética e a Rússia pós-soviética (1924 & # 82112000)
31. & # 8220Stalin & # 8217s Os planos quinquenais e a política de coletivização não conseguiram melhorar a economia soviética em 1941. & # 8221 Discuta.
32. & # 8220Khrushchev & # 8217s política externa causou confusão e incerteza. & # 8221 Até que ponto você concorda com esta afirmação?
Seção 17 Pós-guerra da Europa Ocidental e do Norte (1945 & # 82112000)
33. Avalie as razões para o surgimento da Guerra Fria em 1949.
34. & # 8220 & # 8217s apoio de Kohl à rápida reunificação da Alemanha foi motivado pelo oportunismo político. & # 8221 Em que medida você concorda com esta declaração?
Seção 18 Pós-guerra da Europa Central e Oriental (1945 & # 82112000)
35. Avalie o impacto do COMECON e do Pacto de Varsóvia nos estados dominados pela União Soviética.
36. Avalie a evolução de um país da Europa Central ou Oriental, excluindo a Rússia, após o colapso do controle soviético.

Maio de 2018

Seção 12: Rússia Imperial, revolução e o estabelecimento da União Soviética (1855 & # 82111924)
23. & # 8220Russia & # 8217s participação na Primeira Guerra Mundial foi a principal causa da Revolução de fevereiro / março de 1917. & # 8221 Em que medida você concorda com esta afirmação?
24. & # 8220Lenin & # 8217s relações externas foram motivadas por questões práticas e não ideológicas. & # 8221 Discuta.
Seção 13: Europa e a Primeira Guerra Mundial (1871 & # 82111918)
25. Até que ponto o nacionalismo balcânico foi uma causa significativa da Primeira Guerra Mundial?
26. Com referência ao período até 1918, discuta as razões e o impacto da entrada dos Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial.
Seção 14: Estados europeus nos anos entre guerras (1918 e # 82111939)
27. & # 8220Hitler & # 8217s a consolidação do poder entre janeiro de 1933 e agosto de 1934 foi uma revolução política. & # 8221
Até que ponto você concorda com esta afirmação?
28. Avalie a importância dos problemas econômicos e políticos para permitir que Mussolini ganhasse o poder na Itália em 1922.
Seção 15: Versalhes a Berlim: Diplomacia na Europa (1919 e # 82111945)
29. & # 8220O Tratado de Versalhes foi uma paz dura e injusta. & # 8221 Em que medida você concorda com esta declaração?
30. Discuta as razões do fracasso da Liga das Nações em 1938.
Seção 16: A União Soviética e a Rússia pós-soviética (1924 & # 82112000)
31. Discuta as causas e consequências dos expurgos de Stalin & # 8217s até 1953.
32. Compare e contraste as políticas internas de Khrushchev e Brezhnev.
Seção 17: oeste e norte da Europa pós-guerra (1945 e # 82112000)
33. Com referência ao período até 1949, avalie a contribuição dos fatores econômicos para a divisão da Alemanha.
34. Discuta a extensão da mudança política em um país da Europa ocidental ou do norte (exceto a França, a República Federal da Alemanha e a Espanha) entre 1945 e 2000.
Seção 18: Europa central e oriental pós-guerra (1945 e # 82112000)
35. & # 8220Protestos contra o domínio soviético na Europa Central e Oriental não tiveram sucesso até 1980. & # 8221 Com referência à Alemanha Oriental e Polônia ou Hungria e Tchecoslováquia, até que ponto você concorda com esta declaração?
36. Compare e contraste o papel de Walesa na Polônia e Havel na Tchecoslováquia.

Novembro de 2018

Seção 12: Rússia Imperial, revolução e o estabelecimento da União Soviética (1855 & # 82111924)
23. Discuta as causas e consequências da Revolução de 1905 na Rússia.
24. & # 8220Lenin teve o papel mais significativo na consolidação do novo estado soviético. & # 8221 Discuta.
Seção 13: Europa e a Primeira Guerra Mundial (1871 & # 82111918)
25. Avalie a importância das causas de longo e curto prazo da Primeira Guerra Mundial.
26. Até que ponto a entrada dos Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial contribuiu para a vitória dos Aliados?
Seção 14: Estados europeus nos anos entre guerras (1918 e # 82111939)
27. Discuta as razões da ascensão de Mussolini ao poder. 28. Avalie os desenvolvimentos sociais em um país europeu (exceto Alemanha, Itália ou Espanha) nos anos entre guerras.
Seção 15: Versalhes a Berlim: Diplomacia na Europa (1919 e # 82111945)
29. Discuta as razões e os resultados da política de apaziguamento.
30. & # 8220A Segunda Guerra Mundial teve um impacto devastador sobre a população civil. & # 8221 Discuta com referência a quaisquer dois países europeus.
Seção 16: A União Soviética e a Rússia pós-soviética (1924 & # 82112000)
31. Discuta os desenvolvimentos políticos e econômicos na União Soviética entre 1945 e 1953.
32. & # 8220 Em 1991, as políticas de Gorbachev & # 8217s alcançaram seus objetivos. & # 8221 Até que ponto você concorda com essa afirmação?
Seção 17: oeste e norte da Europa pós-guerra (1945 e # 82112000)
33. Avalie o papel da Adenauer na recuperação econômica da Alemanha e # 8217.
34. Examine o papel de Juan Carlos na transição pacífica para a democracia na Espanha.
Seção 18: Europa central e oriental pós-guerra (1945 e # 82112000)
35. Discuta as medidas políticas e econômicas tomadas pela União Soviética para dominar a Europa Central e Oriental entre 1945 e 1955.
36. Discuta as razões e os resultados do levante na Tchecoslováquia (1968).

Maio de 2019
Seção 12: Rússia Imperial, revolução e o estabelecimento da União Soviética (1855 & # 82111924)
23. Até que ponto as reformas de Alexandre II mudaram a sociedade russa em 1881?
24. Compare e contraste as causas de fevereiro / março e outubro / novembro
Revoluções em 1917.
Seção 13: Europa e a Primeira Guerra Mundial (1871 & # 82111918)
25. & # 8220A política externa alemã não levou à eclosão da Primeira Guerra Mundial. & # 8221 Discuta.
26. Discuta os fatores que levaram à derrota da Alemanha e das outras potências centrais na Primeira Guerra Mundial.
Seção 14: Estados europeus nos anos entre guerras (1918 e # 82111939)
27. & # 8220A Alemanha experimentou uma & # 8216Golden Era & # 8217 durante os anos de Stresemann (1924 & # 82111929). & # 8221 Em que medida você concorda com esta afirmação?
28. Evaluate the successes and failures of Mussolini’s domestic policies between 1922 and 1939.
Section 15: Versailles to Berlin: Diplomacy in Europe (1919�)
29. “In the 1920s, the League of Nations was successful in Europe.” Discuss.
30. Examine the contribution of economic and strategic factors to the Allied victory in 1945.
Section 16: The Soviet Union and post-Soviet Russia (1924�)
31. “Stalin’s control of the Communist Party was the main reason for his victory in the struggle for power (1924�).” Discuss.
32. To what extent were Gorbachev’s policies responsible for improved East-West relations between 1985 and 1991?

November 2019
Section 12: Imperial Russia, revolution and the establishment of the Soviet Union (1855�)
23. Discuss the reasons for the final crisis of autocracy in February/March 1917.
24. Compare and contrast the roles of Lenin and Trotsky in Russia between 1917 and 1924.
Section 13: Europe and the First World War (1871�)
25. Evaluate the impact of the Congress of Berlin on the European Alliance system.
26. Compare and contrast the impact of the First World War on the civilian populations in two countries up to 1918.
Section 14: European states in the inter-war years (1918�)
27. Evaluate domestic resistance to the Nazis.
28. Discuss the impact of political polarization during the Second Spanish Republic.
Section 15: Versailles to Berlin: Diplomacy in Europe (1919�)
29. To what extent was German foreign policy successful between 1919 and 1933?
30. Evaluate the importance of the wartime alliance (1941�) to the defeat of the Axis powers in Europe.
Section 16: The Soviet Union and post-Soviet Russia (1924�)
31. Evaluate the impact of Stalin’s economic and political policies in the Soviet Union between 1945 and 1953.
32. “Brezhnev’s foreign policy was successful in reducing Cold War tensions in Europe.” To what extent do you agree with this statement?


Compare and Contrast Hitler's and Mussolini's Domestic Policies

Initially, both Benito Mussolini and Adolf Hitler had the same desire to make their nation a respected and economically solid Great Power. Mussolini wanted to return Italy to its glory days of the ancient Roman Empire. A strong economy and a united state were necessary for both countries in case of the outbreak of another war. WWI left both Germany and Italy with severe economic problems, which soon turned into social problems such as high unemployment and inflation - issues which had to be dealt with domestically.

Mussolini was very ambitious about his domestic policies. In a speech to the Italian Senate in 1923 Mussolini said “I want to make the people of Italy strong, prosperous and free.” Italians were expecting a lot from their new “Duce”, especially with the social and economic problems Italy was going through during the post-war years. As the new leader of Italy, Mussolini knew he had to solve these problems, one way or another, so that this success would bring more popularity to him and the fascists.

Mussolini's main economic aim was to bring Italy’s economy to a somehow same level as France and Britain to threaten them and the other great industrial powers. After 1925, he launched a series of “Battles”. The battle for grain doubled grain production between 1925-1929. The battle for land controlled migration. The battle for Lira revalued the Lira, however exports became expensive resulting in a decrease in income. The economy became severely depressed.

Mussolini reformed Italy’s transport system. The building of bridges, canals, and major road systems improved communication throughout the country. Mussolini’s government educational standards were high. The school leaving age was raised, new schools were built. Between 1922 and 1939, the number of secondary schools increased by 120%.

All the policies Hitler enacted on the German people were of a totalitarian government. The secret police force, called the Gestapo, enforced everything. 1.


Bibliography: Pearce, Robert. Fascism and Nazism (Access to History). Hodder Arnold H&S, 1997.
Boxer, Andrew. Hitler 's Domestic Policy. Collins Educational, 1997.
Sassoon, Donald. Mussolini and the Rise of Fascism. HarperPress, 2008.
Bosworth, Richard. Mussolini 's Italy: Life Under the Dictatorship 1915-1945. Allen Lane, 2005.


50 Short Questions and Answers on Nazism and the Rise of Hitler

Fascism was first propagated by Benito Mussolini. Under the Fascist system power of the state is vested in one person or a group of persons.

The two fascist powers were Germany and Italy.

2. Give the name of the book written by Hitler. Mention two ideas expressed by Hitler in the book.

Name: ‘Mein Kampf Hair’ Ideas:

(i) The book expressed Hitler’s belief in the superiority of the Aryan race.

(iii) His desire to once more make Germany a powerful nation.

3. How did the US help Germany to overcome the 1923 financial crisis?

‘German bonds’ were sold to private American investors which helped Germany pay its reparations to Britain and France.

4. Name the four countries included in the Allied Powers in World War II.

England, France, Russia and USA were included in the Allied Powers.

5. Which countries were known as Axis Powers in World War II?

Germany, Italy and Japan were known as Axis Powers.

6. List the single most factor for the victory of the Allies in World War I.

The single most important factor for the victory of the Allies in World War I was the entry of USA in 1917. The Allies were strengthened by US entry.

7. What factors enabled the recast of Germany’s Political System after World War I?

The factors which enabled the recast of German policy after World War I were the defeat which Imperial Germany suffered in World War I and the abdication of the German Emperor.

8. What was the German Parliament called?

The German Parliament was called Reichstag.

9. How were the deputies of the Reichstag appointed?

The deputies of the Reichstag were elected on the basis of universal adult franchise including women.

10. How did the Republic of Germany get its name?

The Republic of Germany was named Weimar after the name of the town where the constituent assembly had met and framed the new Constitution.

11. Why was the Weimar Republic not well received by the people of Germany?

The Weimar Republic was not well received by the people because many in Germany held the Republic responsible not only for the defeat in World War I but also for the humiliating terms of the Treaty of Versailles.

12. Who were called the ‘November Criminals’?

Supporters of the Weimar Republic, mainly Socialists, Catholics and Democrats were mockingly called the ‘November Criminals’.

13. Mention two most important clauses of the Treaty of Versailles.

The two important clauses of the Treaty of Versailles were:

(i) German area of the Rhine Valley was to be demilitarised.

(ii) Germany was to pay war reparation for loss and damages suffered by the Allies during the war.

14, when and between whom was the Treaty of Versailles signed?

Treaty of Versailles was signed on June 28, 1919 between Germany and Britain, France and USA.

15. What does the term Great Economic Depression signify?

Great Economic Depression (1929-1934) signified the collapse of US economy which began with the crash of the Wall Street Exchange in 1929. It had repercussion all over the world and led to sustained large scale unemployment.

16. The Nazi Party was renamed after which organisation?

The Nazi Party was renamed after the National Socialist German Workers Party.

17. What was the significance of the Enabling Act?

The Enabling Act enabled Hitler to sideline the Parliament and rule by decree.

18. What were the provisions and significance of the Fire Decree (Feb. 28, 1933)?

Provisions of the Fire Decree enabled indefinite suspension of civic rights like freedom of speech, press and assembly that had been guaranteed by the Weimar Republic. It was significant because it enabled Hitler to acquire power and dismantle the democratic structure.

19. How did Hitler propose to bring about economic recovery in Germany?

Hitler proposed to bring about economic recovery by aiming at full production and full employment through state funded work creation programmes.

Secondly he sought to accumulate resources through expansion of territory.

20. Which concept of Hitler’s ideology revealed his desire for an extended empire?

The geopolitical concept or concept of living space revealed his desire for an extended empire.

21. What was the Nazi argument for their imperialist ambitions?

The Nazi argument for their imperialist ambitions was, the strongest race would survive and the weak perish. To retain purity of the Aryan race they had to dominate the world.

22. Who were the supporters of the Nazi ideology?

Nazi ideas found support in the army and the class of big landlords. They received the full backing of the industrialists who were alarmed at the growth of the socialist and communist parties.

23. Give two steps taken by the Weimar Republic in 1923, to acquire political stability in Germany.

To acquire political stability in Germany, the Weimar Republic:

(i) Introduced a new currency called Rentenmark. This considerably strengthened Germany’s monetary system.

(ii) A new method was negotiated between Germany and the Allies for payment of separation dues. Thereby the French Army withdrew from the Ruhr region.

24. What is meant by the term appeasement? Who adopted it towards whom?

Appeasement means a policy of conciliating an aggressive power at the expense of some other country.

The Western powers namely Britain and France adopted a policy of appeasement towards Germany and Italy.

25. What was the reason behind the Western powers following a policy of appeasement towards Germany in the years before World War II?

The only reason behind the appeasement policy of the western powers towards Germany was to ensure that German aggression remained directed against Communist Russia.

26. What marked the beginning of World War II?

The invasion of Poland by German>’ on September 1, 1933 marked the beginning of the World War II.

27. Who were the signatories of the 1940 Tripartite Pact?

Germany, Italy and Japan were the signatories of the 1940 Tripartite Pact.

28. Why Hitler’s attack on Soviet Union is in 1941 regarded ‘a historic blunder’?

Hitler’s attack on Soviet Union in 1941 is regarded as a historic blunder because henceforth German armies had to simultaneously fight on two fronts. While Germans were fighting the aerial bombings of the British on the western front, the eastern front remained exposed to the powerful Soviet armies.

29. Name some countries which became victims of Hitler’s aggressive policy.

Some countries which became victims of Hitler’s aggressive policy were-Poland, Austria, Czechoslovakia, Holland, Belgium, France, North Africa and Russia.

30. What was the immediate cause for American entry in World War 11?

Both US and Japan were competing for domination in the Pacific. The immediate cause for American entry in World War II was the sudden bombing by Japan on the American naval base at Pearl Harbour in Hawaii, destroying American ships and aircraiXs.

31. Mention the msyor events of 1941 that turned the war into a global war.

The German invasion of Soviet Union, the Japanese attack on Pearl Harbour and United States entry in the war turned the war into a truly global war.

32. Which country used atomic bombs during World War II?

USA used atomic bombs during World War II against Japanese cities of Hiroshima and Nagasaki.

33. What event brought the end of World War II?

Hitler’s defeat and the US bombing of Hiroshima in Japan brought the end of World War II in 1945.

34. Hitler’s ideas on racialism were based on which thinkers?

Hitler’s ideas on racialism borrowed heavily from thinkers like Charles Darwin and Herbert Spencer.

35. Who according to Hitler topped the racial hierarchy? Who formed the lowest rung of the hierarchy?

The Nordic German Aryans were at the top while the Jews were located at the lowest rung of the racial hierarchy.

36. Who according to the Nazis were ‘desirables’?

Pure and healthy Nordic Aryans alone were considered ‘desirables’ by the Nazis.

37. Who were regarded and treated as ‘undesirables’ during the Nazi regime?

Jews, many Gypsies, blacks living in Nazi Germany, Poles and Russian civilians belonging to German occupied territory, were treated as ‘undesirables’. Even Germans who were seen as impure or abnormal were classed as ‘undesirables’.

38. How did the common people react to Nazi behaviour and propaganda of Jews?

Many common people reacted with anger and hatred towards Jews, others remained passive onlookers scared to protest, many others protested braving even death.

39. What does the term ‘Holocaust’ refer to?

The term Holocaust refers to the atrocities and sufferings endured by Jews during Nazi killing operations.

40. What was Hitler’s World View?

As per Hitler’s World View there was no equality between people, only racial hierarchy.

41. (a) What does the term ‘Genocidial War’ refer to?

(b) List the three stages leading to the extermination of Jews.

(a) The term Genocidial War refers to the mass murder of selected groups of innocent civilians in Europe by Germany, during World War II.

(b) The three stages in the extermination of Jews were exclusion, ghettoisation and annihilation.

42. For what was Auschwitz notorious during the Nazi period?

Auschwitz was notorious for mass scale gassing chambers used for mass human killing.

43. What did Nazis fear most after the fall and death of Hitler?

Nazis feared revenge from the Allies after the fall and death of Hitler.

44. Where and when did Hitler and his propaganda minister Goebbels commit suicide?

Hitler and Goebbels committed suicide collectively in the Berlin bunker in April, 1945.

45. (i) Why did Germany attack Poland? (ii) What were its consequences?

(i) Poland’s refusal to return Danzig, and a rail road corridor through Poland linking East Prussia with the rest of Germany led Germany to attack Poland. (September 1, 1939). (ii) This led Britain and France to deliver a joint ultimatum to Germany demanding a cessation of hostilities and immediate withdrawal of German forces from Poland. When Germany refused to comply both the countries declared war on Germany, leading to the start of the Second World War.

46. Why did Germany want Sudentenland?

Germany wanted Sudentenland because:

(i) It had a substantial German population.

(ii) This area also formed l/5th of Czechoslovakia.

(iii) Had the largest ammunition factories in the world.

47. When did the Second World War end in Europe?

After the Soviet armies entered Berlin and Hitler committed suicide, Germany surrendered unconditionally on May 7, 1945. All hostilities ended on May 9, 1945.

48. Why was the International Military Tribunal set up in Nuremberg and for what did it prosecute the Nazi’s?

Germany’s conduct during the war raised serious moral and ethical questions and invited worldwide condemnation. Therefore, the International Military Tribunal was set up in Nuremberg to prosecute Nazi War Criminals.

The Tribunal prosecuted the Nazi’s for Crimes against Peace, for War Crimes and Crimes against Humanity.

49. How did the Jews feel in Nazi Germany?

So thorough was Nazi propaganda that many Jews started believing in the Nazi stereotypes about themselves. The images haunted them. Jews died many deaths even before they reached the gas chambers. Even then many a Jews lived on to tell their story.

50. The retribution meted out to the Nazis after World War fl was far short in extent of their crimes. Porque?

The retribution of the Nazis was far short of the brutality and extent of their crimes because the Allies did not want to be harsh on defeated Germany as they had been after World War I. They came to feel the rise of Nazi Germany could be partly traced back to the German experience at the end of World War I.


Why didn't Hitler tell Mussolini about his plans to invade the USSR?

I saw this on a documentary today. It was a total surprise to Mussolini. I thought the Italians were in it from the start. Why didn't Hitler tell him and when did the Italians get into the USSR war?

This one is kind of complex.

Operation Barbarossa was the operation the Axis had planned to invade the Soviet Union. Nazi Germany had started to amass troops and equipment and had a pretty substantial force at the border in February of 1941. The original plan for the operation was to take place in May of 1941. There really was no shock, Stalin knew of the amassing of German troops and was warned by Soviet military leaders of an impending attack.

Mussolini and the Italian Military were fighting the Greco-Italian War in Greece and making no headway. This is considered the start of the Balkan Campaign. The stalling of Italy in Greece lead to Hitler start Operation Marita which was the German invasion of Greece, which coincided with the Italian invasion of Greece, which had stalled. Hitler had no intentions of invading Greece at this point, but was forced into action by Mussolini.

To sum it up quickly at this point. Italy tried to invade Greece from Albania, without Hitler and a lot of other important Italian leaders knowing, and failed. Greece actually pushed back and started taking ground in Albania. Hitler pushed forward with Italy to invade and defeat Greece.

The failure of Italy to defeat Greece on their own meant that some of the troops and materials for Operation Barbarossa were used in The Balkan Campaign. Which, with some other weather related issues lead to Operation Barbarossa being delayed. The delays are questionable at this point, there is some speculation that the Operation could have continued, even with the Germany military being deployed in Greece.

Prior to the entire Greek campaign, Italian forces under Mussolini had dealt with setbacks in the North African Campaign. Which lead to Rommel being deployed to Africa to aid the Italians in that campaign.

The relationship between Hitler and Mussolini was complex and stressed. Mussolini never felt like an equal and the invasion of Greece was not advised by Hitler, rather performed by Mussolini to impress Hitler. Which basically lead to Hitler having to bail him out. Hitler commonly didn't communicate with Mussolini, so not knowing about the invasion of the USSR isn't odd.

So to answer your first question. Mussolini already had his hands full with the Greco-Italian war. Aiding Hitler at the border of the USSR would have been near impossible. Hitler delayed Operation Barbarossa to aid Mussolini in Greece.

Anecdotally, I would assume that there was some irritation on Hitler's part with Mussolini. From everything I have read about the relationship between Hitler and Mussolini, Hitler never viewed Mussolini as an equal and Mussolini never felt like an equal. Even prior to any invasions.

So while both Italy and Germany had signed the Pact of Steel, both countries had trouble with meeting the obligations of the pact.

As to when did the Italians get into the USSR? The Italian Expeditionary Corps were deployed to the USSR in July of 1941. Later the expeditionary corps were upscaled to a full sized army unit in July of 1942

Operation Barbarossa had started in June of 1941, so the assistance of the Italian military had come less than a month after the campaign started.

Then you get into the whole invasion of Northern Italy. Hitler had basically set up a puppet government and put Mussolini in charge of Northern Italy after Southern Italy was retaken by the Allied forces. Mussolini and his mistress trying to escape to the Swiss border, being captured by allied Italian fighters, both of them being shot and then their bodies were hung in a park in Milan and defaced by many, many Italian citizens.


Mussolini questions Hitler’s plans - HISTORY

Access these resources as a member - it's free!

Lesson Plan: Dictatorships and Totalitarian Governments

Francisco Franco as a Totalitarian Leader

Spanish Dictator Francisco Franco's rule over Spain is discussed. The clip includes footage of one of his speeches and describes his efforts to control the Spanish people.

Descrição

Dictatorships and totalitarian government are types of government that rule their people by force and threat. These rulers share common characteristics in how they exert control and how they limit the rights of their people. Historic examples of these rulers include Benito Mussolini, Adolf Hitler, Stalin. More contemporary examples include Kim Jong Un, Moammar Qaddafi and Robert Mugabe. This lesson introduces dictatorships and totalitarian governments by looking at common characteristics using examples from the past 100 years.

Procedimentos

As a class, have the students discuss the following questions:

What do you know about dictatorships?

Go over the following terms with the class:

Dictatorship- Form of government in which one person or a small group possesses absolute power without effective constitutional limitations.

As a class, brainstorm characteristics of dictatorships and totalitarian governments. Pass out the handout below and review the characteristics that are listed to ensure students understand the vocabulary listed.

Show each clip to the class. Have the students complete the chart by providing examples of the characteristics from the clips.

Video Clip 6: Kim Jong un (1:41)

Video Clip 7: Who was Benito Mussolini? (1:38)

Video Clip 8: Mussolini's Use of Power (1:06)

Video Clip 9: Moammar Qaddafi Remarks (2:29)

After viewing the videos, discuss and review the examples as a class.

To demonstrate learning, have the students answer the following question:

ALTERNATIVE PROCEDURES:

After reviewing the terms, show the clips to the students. While viewing the clips, have the students take notes.

After the clips are shown, students will come up with characteristics of dictatorships and totalitarian government on their own.

Students will present the characteristics that they came up with.

EXTENSION ACTIVITIES:

Essay Assignment- Using evidence from the clips, evaluate how well totalitarian leaders maintain power?

Reflective Writing Assignment- Imagine you live in a totalitarian government where the government controls all aspects of your life. Explain how your daily life would be different in that situation.


1 Ernst von Weizsäcker, Die Weizsäcker-Papiere, 1933–1950, ed. Leonidas E. Hill (Frankfurt am Main, 1974), pp. 117–18.

2 Renzo De Felice, Mussolini il duce, ii: Lo Stato totalitario, 1936–1940 (Turin, 1981), pp. 414–15 Gerhard Weinberg, The foreign policy of Nazi Germany: starting World War II (Chicago, IL, 1980), p. 281 R. J. B. Bosworth, Mussolini (London, 2002), p. 329 Robert Mallett, Mussolini and the origins of the Second World War, 1933–1940 (Basingstoke, 2003), pp. 146–7 idem, ‘ Fascist foreign policy and official Italian views of Anthony Eden in the 1930s’ , Historical Journal , 43 ( 2000 ), pp. 157 –87CrossRefGoogle Scholar .

3 Wolfgang Benz, ‘Die Inszenierung der Akklamation – Mussolini in Berlin 1937’, in Michael Grüttner, Rüdiger Hachtmann, and Heinz-Gerhard Haupt, eds., Geschichte und Emanzipation: Festschrift für Reinhard Rürup (Frankfurt am Main, 1999), pp. 401–17 Wenke Nitz, Führer und Duce: Politische Machtinszenierungen im nationalsozialistischen Deutschland und im faschistischen Italien (Cologne, 2013), pp. 326–7 on the importance of rituals, see Emilio Gentile, The sacralization of politics in Fascist Italy (Cambridge, MA, 1996).

4 Wolfgang Schieder, Faschistische Diktaturen: Studien zu Italien und Deutschland (Göttingen, 2008) Bernhard , Patrick , ‘ Borrowing from Mussolini: Nazi Germany's colonial aspirations in the shadow of Italian expansionism’ , Journal of Imperial and Commonwealth History , 41 ( 2013 ), pp. 617 –43CrossRefGoogle Scholar for older work, see Watt , D. C. , ‘ The Rome–Berlin Axis, 1936–1940: myth and reality’ , Review of Politics , 22 ( 1960 ), pp. 519 –43CrossRefGoogle Scholar for an influential English account, see MacGregor Knox, Common destiny: dictatorship, foreign policy, and war in Fascist Italy and Nazi Germany (Cambridge, 2000) for a review of recent work, see Christian Goeschel , ‘ Italia docet? The relationship between Italian Fascism and Nazism revisited’ , European History Quarterly , 42 ( 2012 ), pp. 480 –92Google Scholar .

5 Work includes Patricia Clavin, Securing the world economy: the reinvention of the League of Nations, 1920–1946 (Oxford, 2013) Mark Mazower, Governing the world: the history of an idea (London, 2012) Glenda Sluga, Internationalism in the age of nationalism (Philadelphia, PA, 2013) Susan Pedersen, The Guardians: The League of Nations and the crisis of empire (Oxford, 2015).

6 Clifford Geertz, ‘Thick description: toward an interpretive theory of culture’, in idem, The interpretation of cultures: selected essays (New York, NY, 1973), pp. 3–30.

7 Johannes Paulmann, Pomp und Politik: Monarchenbegegnungen in Europa zwischen Ancien Régime und Erstem Weltkrieg (Paderborn, 2000) David Cannadine, ‘The context, perfomance and meaning of ritual: the British monarchy and the “invention of tradition”, c. 1820–1977’, in Eric Hobsbawm and Terence Ranger, eds., The invention of tradition (pbk edn, Cambridge, 1992), pp. 101–64 on the organization, see Massimo Magistrati, L'Italia a Berlino (1937–1939) (Milan, 1956), p. 57

8 See Ian Kershaw, The ‘Hitler myth’: image and reality in the Third Reich (Oxford, 1987) Stephen Gundle, Christopher Duggan, and Giuliana Pieri, eds., The cult of the Duce: Mussolini and the Italians (Manchester, 2013).

9 For a perceptive comment, see Magistrati, L'Italia a Berlino, p. 59 on the history of emotions, see Jan Plamper, The history of emotions: an introduction (Oxford, 2015) recent literature on friendship includes Bernadette Descharmes, Eric Anton Heuser, Caroline Krüger, and Thomas Loy, eds., Varieties of friendship: interdisciplinary perspectives on social relationships (Göttingen, 2011).

10 Febvre , Lucien , ‘ Sur la doctrine nationale-socialiste: un conflit de tendances’ , Annales d'histoire sociale , 1 ( 1939 ), pp. 426 –8CrossRefGoogle Scholar Plamper, The history of emotions, pp. 42–3.

11 William M. Reddy, The navigation of feeling: a framework for the history of emotions (Cambridge, 2001), pp. 63–111 Sluga, Internationalism in the age of nationalism.

12 See Paulmann, Pomp und Politik, passim.

13 Shimazu , Naoko , ‘ Diplomacy as theatre: staging the Bandung Conference of 1955’ , Modern Asian Studies , 48 ( 2014 ), pp. 225 –52CrossRefGoogle Scholar Roosen , William , ‘ Early modern diplomatic ceremonial: a systems approach’ , Journal of Modern History , 52 ( 1980 ), pp. 452 –76CrossRefGoogle Scholar Markus Mösslang and Torsten Riotte, eds., The diplomats' world: a cultural history of diplomacy, 1815–1914 (Oxford, 2007).

14 Jeffrey C. Alexander, ‘Cultural pragmatics: social performance between ritual and strategy’, in Jeffrey C. Alexander, Bernhard Giesen, and Jason L. Mast, eds., Social performance: symbolic action, cultural pragmatics, and ritual (Cambridge, 2006), pp. 29–90.

15 On context, see Jens Petersen, Hitler–Mussolini: Die Entstehung der Achse Berlin-Rom, 1933–1936 (Tübingen, 1973) on the Venice meeting, see Poesio , Camilla , ‘ Venezia. Italia. L'immagine della città e la visita di Hitler (1934)’ , Memoria e Ricera , 43 ( 2013 ), pp. 145 –66CrossRefGoogle Scholar .

16 On context, see Simone Derix, Bebilderte Politik: Staatsbesuche in der Bundesrepublik Deutschland (Göttingen, 2009), p. 40 Michael Meyer, Symbolarme Republik? Das politische Zeremoniell der Weimarer Republik in den Staatsbesuchen zwischen 1920 und 1933 (Frankfurt am Main, 2014).

17 Telespresso R. Consolato Generale al R. Ministero degli Affari Esteri, 4 Sept. 1937, Rome, Archivio storico del Ministero degli Affari Esteri (ASMAE), SP Germania 1931–45, b. 40

18 Karen Peter, ed., NS-Presseanweisungen der Vorkriegszeit (7 vols., Munich, 1998), v /3, pp. 766–75.

19 Dr Walther Schmitt, ‘Benito Mussolini: Mann und Werk’, Völkischer Beobachter (VB), no. 268, 25 Sept. 1937, on Italo-German perceptions, see Klaus Heitmann, Das italienische Deutschlandbild in seiner Geschichte (3 vols. so far, Heidelberg, 2003–12).

20 Schmitt, ‘Benito Mussolini’ on racial policy in Italy, see Robertson , Esmonde , ‘ Race as a factor in Mussolini's policy in Africa and Europe’ , Journal of Contemporary History , 23 ( 1988 ), pp. 37 – 58 CrossRefGoogle Scholar Michele Sarfatti, Gli ebrei nell'Italia fascista: vicende, identita, persecuzione (Turin, 2000) Meir Michaelis, Mussolini and the Jews: German–Italian relations and the Jewish Question in Italy, 1922–1945 (Oxford, 1978) for a recent survey, see Frauke Wildvang, Der Feind von nebenan: Judenverfolgung im faschistischen Italien, 1936–1945 (Cologne, 2008), pp. 9–16 de Donno , Fabrizio , ‘ La Razza Ario Mediterranea: ideas of race and citizenship in colonial and Fascist Italy’ , Interventions: International Journal of Postcolonial Studies , 8 ( 2006 ), pp. 394 – 412 CrossRefGoogle Scholar .

21 One of the most recent contributions to this debate is Geoff Eley, Nazism as Fascism: violence, ideology and the ground of consent in Germany, 1930–1945 (London, 2013) see also Tim Mason, ‘Whatever happened to “Fascism”?’, in idem, Nazism, Fascism and the working class, ed. Jane Caplan (Cambridge 1995), pp. 323–31 Ernst Nolte, Three faces of Fascism: Action Française, Italian Fascism, National Socialism, trans. Leila Vennewitz (New York, NY, 1969).

22 On context, see Kevin Passmore, Fascism: a very short introduction (new edn, Oxford, 2014), pp. 17–21 Michel Dobry, ‘Le thèse immunitaire face aux fascismes: pour une critique de la logique classificatoire’, in idem, ed., Le mythe d'allergie française du fascisme (Paris, 2003), pp. 17–67.

23 Programm für den Besuch des italienischen Regierungschefs Benito Mussolini, Sept. 1937, Berlin, Politisches Archiv des Auswärtigen Amts (PA AA), Botschaft Rom (Quirinal), 695B.

24 Hence the title of Fred G. Willis, Mussolini in Deutschland: Eine Volkskundgebung für den Frieden in den Tagen vom 25. bis 29. September 1937 (Berlin, 1937) cf. Nitz, Führer und Duce, pp. 359–77.

25 Sowerby , Tracey A. , ‘ “A memorial and a pledge of faith”: portraiture and early modern diplomatic culture’ , English Historical Review , 129 ( 2014 ), pp. 296 – 331 CrossRefGoogle Scholar .

26 Wolfgang Schieder, ‘Duce und Führer: Fotografische Inszenierungen’, in idem, Faschistische Diktaturen, pp. 417–63, at p. 437 on Chamberlain's visit, see Stafford , Paul , ‘ The Chamberlain–Halifax visit to Rome: a reappraisal’ , English Historical Review , 98 ( 1983 ), pp. 61 – 100 CrossRefGoogle Scholar .

27 On the Triple Alliance, see Holger Afflerbach, Der Dreibund: Europäische Großmacht- und Allianzpolitik vor dem Ersten Weltkrieg (Vienna, 2002), pp. 229–89 on Crispi, see Christopher Duggan, Francesco Crispi, 1818–1901: from nation to nationalism (Oxford, 2002), pp. 495–531 on the cultivation of Bismarck as a precursor to Hitler, see Robert Gerwarth, The Bismarck myth: Weimar Germany and the legacy of the Iron Chancellor (Oxford, 2005).

28 Willis, Mussolini in Deutschland, pp. 6–7 on Willis, see Wolfgang Schieder, Mythos Mussolini: Deutsche in Audienz beim Duce (Munich, 2013), p. 168 on Hoffmann, see Rudolf Herz, Hoffmann & Hitler: Fotografie als Medium des Führer-Mythos (Munich, 1994).

29 Il Popolo d'Italia, não. 246, 4 Sept. 1937 ibid., no. 264, 22 Sept. 1937 for the same tenor, see also Il Duce in Germania. Con prefazione di Gherardo Casini (Milan, 1937).

30 Marks , Sally , ‘ Mussolini and Locarno: Fascist foreign policy in microcosm’ , Journal of Contemporary History , 14 ( 1979 ), pp. 423 –39CrossRefGoogle Scholar .

31 Magistrati, L'Italia a Berlino, p. 55 on Mussolini's showmanship, see still Luigi Barzini, The Italians (Harmondsworth, 1968), pp. 155–79.

32 On public radio transmissions, see Stephen Gundle, ‘Mass culture and the cult of personality’, in Gundle, Duggan, and Pieri, eds., The cult of the Duce, pp. 72–90 Simonetta Falasca-Zamponi, Fascist spectacle: the aesthetics of power in Mussolini's Italy (Berkeley, CA, 2000), pp. 84–8.

33 Il Popolo d'Italia, não. 267, 25 Sept. 1937 for the organization of the farewell ceremony, see Il Sottosegretario di stato, 23 Sept. 1937, Rome, Archivio centrale dello stato (ACS), PCM 1941–3 20/2/13100, viaggio del Duce in Germania, sf. 1 on the organization of Fascist rallies, see Paul Corner, The Fascist party and popular opinion in Mussolini's Italy (Oxford, 2012), pp. 192–200.

34 Ministero della Cultura Popolare, appunto per l'On Gabinetto di SE Il Ministro, 9 Sept. 1937, ACS, MinCulPop, Gabinetto, b. 37, sf. 2 see ibid. for a list of instructions ‘Alla Delegazione Italiana Servizio Stampa’, undated.

35 Kleiderordnung anläßlich des Besuchs Seiner Exzellenz des Italienischen Regierungschefs in Deutschland, PA AA, R 269004, fo. 53

36 Gundle, ‘Mussolini's appearances in the regions’, in Gundle, Duggan, and Pieri, eds., The cult of the Duce, pp. 129–43.

37 For the most up-to-date work on South Tyrol in English, see Roberta Pergher, ‘A tale of two borders: settlement and national transformation in Libya and South Tyrol under Fascism’ (Ph.D. thesis, Michigan, 2007), pp. 49–82 see also Jens Petersen, ‘Deutschland, Italien und Südtirol 1938–1940’, in Klaus Eisterer and Rolf Steininger, eds., Die Option: Südtirol zwischen Faschismus und Nationalsozialismus (Innsbruck, 1989), pp. 127–50.

38 ‘Nel treno del Duce da Roma a Monaco di Baviera’, Il Popolo d'Italia, não. 268, 26 Sept. 1937 New York Times, 26 Sept. 1937.

39 Peter, ed., NS-Presseanweisungen der Vorkriegszeit, v /3, pp. 771–2.


Mussolini questions Hitler’s plans - HISTORY

Benito Mussolini's Italy posed another threat to world peace. Mussolini, Italy's ruler from 1922 to 1943, promised to restore his country's martial glory. Surrounded by storm troopers dressed in black shirts, Mussolini delivered impassioned speeches from balconies, while crowds chanted, "Duce! Duce!"

His opponents mocked him as the "Sawdust Caesar," but for a time his admirers included Winston Churchill and Will Rogers, the humorist. Cole Porter, the popular songwriter, referred to the Italian leader in a line in one of his smash hits. "You're the top," he wrote, "you're Mussolini."

Mussolini invented a political philosophy known as fascism, extolling it as an alternative to socialist radicalism and parliamentary inaction. Fascism, he promised, would end political corruption and labor strife while maintaining capitalism and private property. It would make trains run on time. Like Hitler's Germany, fascist Italy adopted anti-Semitic laws banning marriages between Christian and Jewish Italians, restricting Jews' right to own property, and removing Jews from positions in government, education, and banking.

One of Mussolini's goals was to create an Italian empire in North Africa. In 1912 and 1913, Italy had conquered Libya. In 1935, he provoked war with Ethiopia, conquering the country in eight months. Two years later, Mussolini sent 70,000 Italian troops to Spain to help Francisco Franco defeat the republican government in the Spanish Civil War. His slogan was "Believe! Obey! Fight!"