A história

57º Grupo de Caças (USAAF)


57º Grupo de Caças (USAAF)

História - Livros - Aeronave - Linha do tempo - Comandantes - Bases principais - Unidades de componentes - Atribuído a

História

O 57º Grupo de Caças apoiou o Oitavo Exército britânico de El Alamein à Tunísia e à Sicília e Itália, onde participou na longa campanha na Itália e na invasão do sul da França.

O grupo foi constituído como 57º Grupo de Perseguição (Interceptor) em 20 de novembro de 1940 e ativado em 15 de janeiro de 1941. Treinou com o P-40, e após a entrada dos EUA na Segunda Guerra Mundial passou a fazer parte das forças de defesa dos EUA Costa leste.

Em julho-agosto de 1942, o grupo mudou-se para o Oriente Médio para apoiar o Oitavo Exército britânico, que foi pressionado de volta para o interior do Egito. As 72 aeronaves do grupo cruzaram o Atlântico no porta-aviões USS guarda-florestal, saindo da Quonset em 1º de julho. O porta-aviões levou-os até 100 milhas da costa africana, e a aeronave decolou em lotes de 18 no início da longa jornada ao longo da rota de balsa transafricana. Algumas das aeronaves estavam em serviço um mês após sua chegada à África, com o grupo se juntando às unidades RAF existentes para acelerar sua entrada em combate.

O grupo participou da batalha defensiva de Alam Halfa, voando mais de 150 surtidas. Durante a batalha vitoriosa de El Alamein, o grupo operou com o No.239 Wing e o No.212 Group. Em 26 de outubro, o grupo conquistou quatro Macchi C.202s, ganhando confiança à medida que ganhava experiência.

O grupo também participou do longo avanço do Oitavo Exército pela Líbia e pela Tunísia. Foi usado como um grupo de escolta de bombardeiros e para ataques ao solo e missões de bombardeio de mergulho contra alvos alemães e italianos. O grupo recebeu uma Menção de Unidade Distinta por sua parte em uma batalha aérea no Golfo de Túnis em 18 de abril de 1943, quando cerca de 70 aviões de combate e transporte inimigos foram reclamados (parte do 'massacre do Domingo de Ramos'). Além de voar em suas próprias missões de combate, o grupo também recebeu a função de apoiar os grupos recém-chegados quando eles entraram em combate. Quase todos os oficiais superiores do 79º Grupo de Caças serviram com o 57º por um período antes do 79º começar suas operações em 14 de março.

Durante este período, e através da invasão da Itália, o grupo serviu sob a Força Aérea Tática do Noroeste da África, apesar de ser oficialmente parte da Nona Força Aérea dos Estados Unidos.

O grupo participou do ataque aéreo massivo a Pantelleria (maio-junho de 1943), a única ocasião em que os ataques aéreos por si só forçaram a rendição de uma guarnição inimiga de tamanho considerável.

O grupo também participou da Operação Husky, a invasão da Sicília (julho-agosto de 1943), novamente apoiando o Oitavo Exército. O grupo recebeu outro DUC por apoiar o Oitavo Exército entre El Alamein e o fim dos combates na Sicília.

Em agosto de 1943, o grupo ingressou na Décima Segunda Força Aérea. Durante a Operação Avalanche, nos desembarques de Salerno, o grupo foi usado para proteger comboios aliados na costa sul e leste da Itália. Foi usado para apoiar o desembarque do Oitavo Exército em Termoli durante o avanço pela costa do Adriático da Itália (participando de um esforço total para proteger a cabeça de praia vulnerável em 5-6 de outubro) e, em seguida, apoiou o Oitavo Exército mais uma vez até Fevereiro de 1944.

No início de 1944, o grupo se converteu no P-47 Thunderbolt. Usou a sua nova aeronave para ataques a alvos terrestres, em particular ligações de transporte, e foi premiado com um terceiro DUC para ataques a ligações de transporte em torno de Florença e Arezzo em 14 de abril de 1944.

Em março de 1944, o grupo mudou-se para a Córsega, com ordens de atacar as comunicações ferroviárias e rodoviárias ao sul da linha Pisa-Pontassieve e a oeste de uma linha de Arezzo a Chiusi, junto com uma faixa ao longo da costa de Spezia a Montalto di Castro. Isso fazia parte da Operação Strangle, a tentativa de isolar a linha de frente alemã. Em um dia durante esta campanha, o grupo derrubou seis pontes.

Em junho de 1944, o grupo apoiou a invasão francesa de Elba, na costa oeste da Itália.

Em agosto de 1944, o grupo deixou brevemente a campanha italiana para apoiar a Operação Dragão, a invasão do sul da França. Em 9 de agosto, participou de um ataque aos canhões antiaéreos ao redor do campo de aviação de Bergamo-Seriate, para se preparar para um ataque de 99 bombardeiros médios B-26, nenhum dos quais foi perdido durante o ataque.

No final de agosto, os exércitos que avançavam na França haviam ultrapassado o alcance das aeronaves baseadas na Córsega e, de setembro de 1944 até o final da guerra, o grupo atacou alvos no norte da Itália. Entre seus alvos estavam as ligações ferroviárias através dos Alpes e, em 6 de novembro, ajudou a derrubar as estações de Domegliara, Ala e Trento.

O grupo retornou aos Estados Unidos em agosto de 1945 e foi desativado em 7 de novembro de 1945.

Livros

Pendente

Aeronave

1941-1944: Curtiss P-40 Warhawk
1944-1945: República P-47 Thunderbolt

Linha do tempo

20 de novembro de 1940Constituído como 57º Grupo de Perseguição (Interceptador)
15 de janeiro de 1941ativado
Maio de 1942Redesignado como 57º Grupo de Caças
Julho a agosto de 1942Para o Oriente Médio e a Nona Força Aérea
Agosto de 1943Para a Décima Segunda Força Aérea
Agosto de 1945Para os Estados Unidos
7 de novembro de 1945Inativado

Comandantes (com data de nomeação)

Maj Reuben C Moffat: c. 15 de janeiro de 1941
Maj Clayton B Hughes: desconhecido
Maj Minthorne W Reed: 12 de dezembro de 1941
Tenente-coronel Frank H Mears: 1942
ColArthur G Salisbury: 20 de dezembro de 1942
ColArchibald J Knight: 23 de abril de 1944
Tenente ColWilliam J Yates: 23 de maio 1g45-unkn

Bases Principais

Mitchel Field, NY: 15 de janeiro de 1941
Windsor Locks, Conn: 19 de agosto de 1941
Boston, Massachusetts: 8 de dezembro de 1941-c.1 de julho de 1942
Muqeibile, Palestina: c. 20 de julho de 1942
Egito: 16 de setembro de 1942
Líbia: 12 de novembro de 1942
Tunísia: março de 1943
Malta: junho de 1943
Sicília: julho de 1943
Sul da Itália: setembro de 1943
Gioia Airfield, Itália: c. 25 de setembro de 1943
Foggia, Itália: outubro 1943
Amendola, Itália: c. 27 de outubro de 1943
Cercola, Itália: março de 1944
Córsega: Mar 1944
Campo de aviação de Ombrone, Itália: setembro de 1944
Grosseto, Ita! Y: setembro de 1944
Villafranca diVerona: Itália, 29 de abril de 1945
Grosseto, Itália: 7 de maio de 1945
Bagnoli, Itália: 15 de julho a 5 de agosto de 1945
Drew Field, Flórida: 21 de agosto a 7 de novembro de 1945

Unidades de componente

64º: 1941-1945
65º: 1941-1945
66º: 1941-1945

Atribuído a

1 de novembro de 1943 a 1 de janeiro de 1944: destacada da 57ª Ala de Bombardeio; XII Comando Tático; Décima Segunda Força Aérea
1944: 87a Asa de Caça; XII Comando Aéreo Tático; Décima Segunda Força Aérea
1944: 87a Asa de Caça; Comando de Caça XII; Décima Segunda Força Aérea


57º Grupo de Caças

Dedicado à memória dos oficiais e aviadores que pagaram o sacrifício supremo servindo seu país como membros do 57º Grupo de Caças no Egito, Líbia, Tunísia, Malta, Sicília, Córsega e Itália durante o período da Segunda Guerra Mundial - agosto de 1942 a agosto de 1945 ..

[Emblemas dos 64º, 65º e 66º Esquadrões de Caça]
[Emblema da Força Aérea do Deserto]

Dedicado à memória do
oficiais e aviadores que pagaram o sacrifício supremo
enquanto serviam seu país como membros do
57º Grupo de Caças no Egito, Líbia, Tunísia,
Malta, Sicília, Córsega e Itália durante
o período da Segunda Guerra Mundial - agosto de 1942 a agosto de 1945.

Localização. 39 & deg 0.979 & # 8242 N, 104 & deg 51.31 & # 8242 W. Marker está localizado na United States Air Force Academy, Colorado, no condado de El Paso. Marker está no cemitério da Academia da Força Aérea dos Estados Unidos, no Parade Loop a oeste do Stadium Boulevard, à direita ao viajar para o oeste. Toque para ver o mapa. O marcador está nesta área dos correios: USAF Academy CO 80840, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. 379º Grupo de Bombardeio (H) (aqui, próximo a este marcador) Pilotos de planadores da Segunda Guerra Mundial (aqui, próximo a este marcador) 306º Grupo de Bombardeio (H) (aqui, próximo a este marcador) 95 º Grupo de Bombas H (aqui, próximo a este marcador) 492º Grupo de Bombas (H) e 801º Grupo de Bombas (P) (aqui, próximo a este marcador) 416º Grupo de Bombardeio (L)

(aqui, próximo a este marcador) 20º Grupo de Caças (aqui, próximo a este marcador) 344º Grupo de Bombas (M) AAF (aqui, próximo a este marcador). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores na Academia da Força Aérea dos Estados Unidos.

Mais sobre este marcador. Deve ter um documento de identidade válido para entrar no terreno da Academia USAF.

Veja também . . .
1. 57ª Associação do Grupo de Caças. Site da Associação (Enviado em 25 de fevereiro de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)

2. 57º Grupo de Caças. Biblioteca e Museu da Força Aérea do Exército (Enviado em 25 de fevereiro de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)

3. 57º Grupo de Caças (USAAF). Artigo de História da Guerra (Enviado em 25 de fevereiro de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)

4. 57º Grupo de Caças. Entrada do American Air Museum na Grã-Bretanha (Enviado em 25 de fevereiro de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)


Descrição do registro do English Heritage

Unidades

57º Grupo de Caças

Grupo
O grupo foi ativado pela primeira vez como o 57º Grupo de Perseguição em janeiro de 1941, voando P-40 Warhawks como parte do Setor de Defesa do Nordeste do Corpo de Ar do Exército (posteriormente designado para o Comando de Caça I) no Campo de Mitchel, Nova York. Treinou na Nova Inglaterra e.

Pessoas

Marshall Cordell

Militar | Sargento (Técnico de Quarta Série) | Mecânico de tripulação terrestre | 57º Grupo de Caças

James Curl

Militar | Major | de caça piloto-1055 monomotor / comandante de esquadrão | 52º Grupo de Caças
CO 66º FS 57º FG e 2º FS 52º FG recebeu DSO britânico pelo Marechal do Ar Sir William Sholto Douglas KIA 18 de março de 1945 MACR 13066

Frank Mears

Militar | Coronel | Piloto de caça - Comandante do grupo | 57º Grupo de Caças
“Se formos olhar para os primeiros, o 57º Grupo de Caças é um, o primeiro Grupo de Caças americano a ser usado na função de operações aéreas táticas. Com a ativação da 9ª Força Aérea, o 57º FG foi seu primeiro grupo de caças designado Por sua vez.

Lyman Middleditch

Militar | Capitão | Piloto de caça | 57º Grupo de Caças

Peter Mitchell

Militar | Capitão | Piloto de caça | 57º Grupo de Caças

Jack Saux

Militar | Primeiro Tenente | Piloto de caça | 57º Grupo de Caças

Número Ainda não conhecido Conhecido como Ainda não conhecido Data de construção Ainda não conhecido USAAF da data de 20 de julho de 1942 da USAAF até a data de 16 de setembro de 1942 Data de fechamento Ainda não conhecido


Comentários IPMS / USA

Muitas vezes esquecido em relatos históricos das operações de caça dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, o 57º Grupo de Caça (FG) serviu com distinção durante quase três anos de combate contínuo no Teatro de Operações Mediterrâneo. Ativado em janeiro de 1941, o então 57º Grupo de Perseguição implantado no Norte da África em julho de 1942, lançando seus Curtiss P-40 Warhawks do convés dos EUA guarda-florestal, e no processo, tornando-se a primeira unidade da Força Aérea do Exército dos EUA (USAAF) a implantar em grupo a partir do convés de um porta-aviões. O 57º FG juntou-se aos britânicos em "The Blue", gíria da Força Aérea do Deserto da Força Aérea Real para o deserto do Norte da África que se estende a oeste do Cairo, ganhando a distinção de ser a primeira USAAF a lutar no Norte da África. Durante a campanha terrestre dos Aliados contra os Afrika Korps, o 57º FG foi pioneiro em operações de caça-bombardeiro no teatro de operações que também afetaram Luftwaffe e Regia Aeronautica aeronaves, culminando no "Massacre do Domingo de Ramos" de abril de 1943, no qual o grupo foi creditado por abater nada menos que 74 aeronaves durante um combate de 20 minutos sobre o Golfo de Túnis.

Com a captura do Norte da África concluída em maio de 1943, o 57º FG se juntou à 12ª Força Aérea apoiando a invasão da primeira Sicília - por sua vez, tornando-se o primeiro grupo de caças da USAAF a lutar na Sicília - e depois na Itália. A partir de novembro de 1943, o 57º FG iniciou uma transição gradual para o P-47 Thunderbolt. Enquanto o 57º FG considerava o P-47 um caça ar-ar competente, eles acharam necessário realizar uma modificação de campo significativa da aeronave para torná-la um caça-bombardeiro melhor: o 57º FG levou o P -47 de Thunderbolt para "Thunderbomber." O 57º FG também foi o pioneiro no lançamento de bombas de 1000 libras do P-47, tornando-se o primeiro grupo a carregar duas bombas de 1000 libras na aeronave. Quando o avanço dos exércitos Aliados paralisou na Itália, o 57º FG desempenhou um papel importante na Operação Estrangular, a primeira campanha de interdição planejada em grande escala da Segunda Guerra Mundial. O 57º FG continuou a golpear as forças do Eixo em retirada na Itália até o final da guerra na Europa, tornando-se no processo o primeiro FG da USAAF a completar 4000 missões contra o inimigo. No final da guerra, o 57º FG ganhou três Distinguished Unit Citations e destruiu 184 aeronaves inimigas e milhares de tanques, caminhões e outros materiais inimigos.

Carl Molesworth tenta compilar uma história de combate cronológica detalhada do famoso 57º FG. Sua narrativa segue um padrão distinto, primeiro narrando um evento de combate e, em seguida, imediatamente seguindo com um relato em primeira mão retirado dos arquivos e / ou sua correspondência pessoal com veteranos. As descrições de eventos de combate individuais são frequentemente acompanhadas por fotografias em preto e branco do período e, em geral, o livro é bem ilustrado com mais de 110 fotografias. Molesworth usa sua técnica de contar histórias em geral com bons resultados, muitas vezes capturando vinhetas de "um dia na vida" tanto de pilotos quanto de pessoal de manutenção / suporte que frequentemente viviam em condições muito austeras e difíceis, especialmente no Norte da África. Seu padrão, no entanto, torna-se repetitivo às vezes e em alguns lugares a história se atola em detalhes.

Existem 31 placas coloridas de alta qualidade de vários P-40s e P-47s (bem como um único SM.79 capturado nas marcações dos EUA) voadas pelo 57º Grupo de Caças durante o período de agosto de 1941 até a primavera de 1945. Uma discussão concisa é fornecida no apêndice da história de cada aeronave representada e os atributos exclusivos de suas marcações. Uma página adicional fornece gráficos da heráldica da unidade para incluir os emblemas do esquadrão do grupo e seus esquadrões constituintes (ou seja, o 64º FS, 65º FS e 66º FS). Quatro fotografias coloridas de período de P-47s são fornecidas em duas páginas também.

Gostaria de agradecer ao IPMS / USA e à Osprey Publishing pela oportunidade de revisar este livro.


Obtenha uma cópia


Etiqueta: 57th Fighter Group

Como os jornais militares americanos da Primeira e Segunda Guerras Mundiais foram resumidos pela Estrelas e listras & # 8211 que continua em publicação hoje & # 8211 então, naturalmente, outras nações forneceram notícias para seus próprios militares. Um exemplo da Segunda Guerra Mundial foi a Inglaterra & # 8217s Parada revista, que serviu aos militares britânicos no Norte da África, Oriente Médio e na área do Mediterrâneo como um todo.

Lançado pela primeira vez em meados de agosto de 1940, Parada (editado por A.W. Parsons e Captain D.H. Flockhart) foi publicado pela “Direcção de Publicações Inter-Serviços para o Conselho Conjunto de Publicações”. A revista foi impressa no Cairo pela empresa Al Hilal, que era - de acordo com o cabeçalho - a revista & # 8217s “Distribuidor único para o Egito, Sudão, Síria, Palestina e Chipre”. Conforme indicado por sua distribuição pretendida, Desfile A cobertura noticiosa se concentrou na atividade militar britânica no Teatro Mediterrâneo, mas com o tempo, a revista expandiu seu escopo para cobrir notícias de outros cinemas da ação militar britânica. Um aspecto central da revista era a abundância de seus ensaios fotográficos sobre os muitos grupos nacionais, étnicos e religiosos do Oriente Médio, bem como notícias militares, culturais e sociais das Ilhas Britânicas. E (!), A última página de muitas edições apresentava uma pin-up de página inteira de uma atriz de cinema britânico proeminente (ou não tão proeminente ?!).

No entanto Desfile e # 8217s A cobertura de notícias militares naturalmente centrada nas atividades militares da Grã-Bretanha & # 8217, dado o vasto escopo do esforço de guerra multinacional dos Aliados no Norte da África e no Oriente Médio, era natural que a revista também cobrisse atividades militares e militares de outros Aliados nações.

Um exemplo, & # 8211, o curiosamente intitulado ensaio fotográfico & # 8220Pancakes for Breakfast & # 8221, sobre um esquadrão de caças americano P-40 no Norte da África & # 8211 apareceu na revista & # 8217s edição de 3 de julho de 1943.

O autor anônimo inicialmente se concentrou nas rações fornecidas às tropas americanas no contexto do esquadrão de caça americano e, em seguida, discutiu as condições gerais de vida dos pilotos & # 8217, mencionando especificamente a reticência do esquadrão & # 8217s (anônimo) liderando (7 vitórias) ás sobre discutindo suas experiências aéreas. Com base em uma revisão das vitórias aéreas do 65º Esquadrão de Caça, este capitão sem nome era provavelmente Roy E. Whittaker (0-431582), que obteve duas vitórias em 26 de outubro de 1942, uma vitória em 27 de outubro e quatro vitórias em 18 de abril de 1943.

Embora as fotos no artigo (infelizmente!) Não tenham legendas, uma fotografia fornece & # 8220a & # 8221 pista central sobre o esquadrão & # 8217s identidade: uma imagem da barra do esquadrão mostra um cartaz decorado com suásticas (designando vitórias aéreas), pilotos e # 8217 sobrenomes e, principalmente, uma pintura muito distinta de gamecock de desenho animado: A insígnia do 65º Esquadrão de Caça (Flying Cocks) do 57º Grupo de Caça.

Embora o repórter itinerante não tenha especificado a data em que visitou os Gamecocks, duas pistas nas fotos revelam o período de tempo de sua visita.

Uma foto mostra um jornal descartado de Buffalo, Nova York (em meio a um monte do que provavelmente são bombas de aeronaves britânicas de 50 libras Mark I) com a manchete fragmentária & # 8220Nazis em Tunis & # 8230 & # 8221 Dado que a resistência do Eixo cessou em Tunis ocorreu em maio 13 de abril de 1943, isso indica um período de tempo do final de abril ao início de maio daquele ano.

Outra foto inclui uma vista da edição de 23 de abril de 1943 da Estrelas e listras, com o título & # 8220Nazi Air Convoy Smashed & # 8221. Isso se refere ao que é comumente conhecido como & # 8220Palm Sunday Massacre & # 8221 de 18 de abril de 1943, no qual os três esquadrões do 57º Grupo de Caças são creditados com 49 vitórias aéreas.

Muito mais informações sobre essa batalha aérea estão disponíveis no 57th Fighter Group, enquanto a primeira página dessa mesma edição do Estrelas e listras (do site do 57th Fighter Group) é mostrado abaixo:

Na época, com base no mapa do Movimento do 57º, o grupo de lutadores estava baseado em Hani & # 8211 ou & # 8220Sidi El Hani & # 8221 & # 8211 Tunísia, que é o local número 15 no mapa abaixo (também da 57º FG):

E então, aqui estão o artigo e as fotos & # 8230

PANQUECAS PARA O PEQUENO ALMOÇO

Como as forças americanas diferem das britânicas na maneira como passam o tempo livre, nas coisas que comem? Um repórter da & # 8220Parade & # 8221 visitou uma unidade da Força Aérea dos EUA, descreve as diferenças que percebeu

Foi nossa primeira visita à Força Aérea Americana, a qualquer ianque em campo, em qualquer lugar. Houve semelhanças e diferenças comparando-as com o R.A.F. A semelhança parecia brotar da identidade completa de trabalho: eles tinham a mesma modéstia e tipo de exclusividade involuntária que o aviador adquire, sendo seu elemento operacional outro. As muitas diferenças eram superficiais. A comida, por exemplo. No café da manhã, suco de tomate, aveia (não é o mesmo que mingau) ou panquecas com calda, ovos desidratados, manteiga de amendoim e café. O menu do almoço era "Spam" (bolo de carne), farinha de rosca, uma espécie de batata, a inevitável manteiga de amendoim e cacau. Para o jantar hambúrgueres, vegetais e biscoitos (os nossos scones). Tem o refeitório dos oficiais, onde você come, e o clube onde você se senta e lê Life, the American Parada, Estrelas e listras, inúmeras edições com capa brilhante da Pocket Editions Incorporated, nas quais você escreve cartas e joga pôquer, mas muito raramente bebe qualquer coisa, exceto, talvez, água gelada (muitas dessas bagunças têm geladeiras). Os ianques são viciados em doces (os doces são fornecidos em suas rações).

Existe e não existe cerimonial. Não se fazem muitas saudações, e os oficiais costumam usar suas barras de metal, folhas de carvalho e outras insígnias de posição escondidas sob os colarinhos de suas jaquetas. O sargento-refeitório é um homem de prestígio mais formidável do que conosco. Você chega um minuto atrasado para uma refeição e ele deixa você comer. "Ele fala alegremente com os policiais, um charuto saindo do canto da boca, uma fatia de bolo na mão. Ele parece um homem atrás de uma barra de refrigerante de sorvete talkie.

A conversa sobre a bagunça é praticamente a mesma em todo o mundo. Uma diferença entre os americanos, porém, é o ardor que transparece em suas vozes quando falam sobre automóveis e automóveis # 8211 com eles. O Cadillac conversível é um nome que eles invocam de fato. A ambição de todos no pós-guerra.

Os aviadores americanos não contam ao mundo suas façanhas. O capitão com quem falei que era o "ás" de seu esquadrão, com sete suásticas ao lado de seu lutador P.40, me fez sentir um inquisidor. Ele estava esperando para decolar em sua segunda patrulha naquele dia. Ele deve ter sido um dos oficiais mais jovens da Ala. Nem um pouco parecido com o piloto de um filme americano. Não mais do que os jornalistas americanos são fiéis aos seus tipos de filme. Ele estava quieto, quase modesto. Estas fotos do desfile mostram um dia normal em um campo de pouso avançado. É um dia monótono, pontuado por períodos de excitação de 1 hora e meia, talvez um, talvez dois, talvez três. Fora de serviço, não há muito a fazer, exceto ler e jogar cartas. O principal item humorístico é ouvir a dose diária de palavras sob os auspícios do Dr. Gobbels, uma espécie de conversa ao pé da lareira para americanos no Norte da África, um discurso lisonjeiro. Os aviadores americanos tiveram sua melhor oportunidade de responder quando ajudaram a tirar feno daqueles Messerschmitts sobre Pantelleria.

As fotos que acompanham o artigo aparecem abaixo.

Essas três fotos mostram pilotos do 65º. Infelizmente (e sem surpresa!) Nenhum nome é fornecido.

& # 8220Quatro pilotos vivem em uma tenda. Esses três eram amigos em sua cidade natal antes da guerra, então uma carta de casa & # 8211 bem, a maior parte dela de qualquer maneira & # 8211 é lida para os outros dois ouvirem todas as notícias enquanto estavam fora do serviço. & # 8221

______________________________

Essas imagens são duas vistas diferentes do interior da tenda de recreação do esquadrão & # 8217s, que também inclui a barra do esquadrão.

Esta & # 8220primeira & # 8221 imagem mostra um piloto parecendo realizar algum tipo de trabalho de planejamento de missão. Ao lado dele, a edição acima mencionada (23 de abril) da Estrelas e listras, com o título claramente visível. Observe a montagem da cauda de uma bomba alemã, à esquerda da mesa, que agora serve como uma lata de lixo.

& # 8220Entre as saídas, eles escrevem cartas para casa, lêem uma grande variedade de revistas e jornais & # 8211 & # 8220Life, & # 8221 & # 8220New Yorker, & # 8221 & # 8220Reader & # 8217s Digest & # 8221 são favoritos de casa & # 8211 com inúmeras edições brilhantes da Pocket Editions Incorporated. & # 8221

______________________________

Para este próximo mago, o repórter entrou ainda mais na tenda. A montagem da cauda de um avião-bomba alemão ainda maior serve de suporte para um rádio (provavelmente de fabricação britânica ou alemã (capturada)) que está atraindo a atenção de um dos pilotos.

Consertar o rádio é um hobby de todos. É um super-heteródino de oito válvulas, mas geralmente está fora de serviço. Quando funciona, eles entram em sintonia para ver as risadas que Goebells pode oferecer. O bar serve água gelada genuína, sua bebida favorita. & # 8221

______________________________

& # 8220Eles descansam, lêem o jornal. As botas de crepe são preferíveis às anteriores. & # 8221

______________________________

Agora chegamos à barra do esquadrão, que é vagamente visível no centro superior da foto anterior. A insígnia do 65º Esquadrão de Caça Fighting Cocks é claramente visível, embora um dos pilotos tenha se posicionado cuidadosamente para esconder o logotipo do esquadrão! Os nomes dos pilotos aparecem na parte superior do quadro, embora não sejam realmente legíveis nesta imagem. Infelizmente (deliberadamente? & # 8211 acidentalmente?) Os nomes dos pilotos & # 8217 não estão legíveis.

& # 8220Swastikas significa que a placa inferior da aeronave alemã estava presente da R.A.F. & # 8221

______________________________

Um jornal de Buffalo descartado, em meio a algumas bombas de aeronaves Mark I britânicas de 50 libras.

& # 8220Este era o jornal da cidade natal de um dos aviadores americanos, lido ansiosamente quando chegou, agora esquecido, rasgado e abandonado em meio ao matagal áspero. & # 8221

______________________________

Em 11 de dezembro de 1942, os jornais americanos publicaram a seguinte fotografia, que mostra uma versão anterior da barra Fighting Gamecocks & # 8217. A imagem não atribuída (é & # 8217s não uma fotografia da Força Aérea do Exército & # 8211 que verifiquei Fold3 e escrevi para NARA!) tem a legenda:

& # 8220OASIS & # 8211 Oficiais americanos baseados no oeste do Egito retratados enquanto relaxam entre os ataques às bases do Eixo. Sentados da esquerda para a direita estão: Tenente C.F. Costanzo, de Manchester, N.H. Tenente J.L. Morris, de Silver City, N.C. e Tenente A.D. Jaqua, de South Bend, In. Atrás do bar, da esquerda para a direita estão: Tenente H.M. Cohn, de Springfield, Ma. Tenente D.F. Smith, do Tenente Walter Reed de Nova York, de Reading, Pa. Tenente Clair D. Knopp, Meadville, Pa. & # 8221

Aqui está a imagem, digitalizada em microfilme de 35 mm a 300 dpi.

Um pouco mais de informações sobre os homens da foto. Eles são:

Costanzo, Charles F., 2 Lt., 0-791285 1 Victory, 11 de janeiro de 1943
Jaqua, Arnold D., 1 Lt., 0-440839 2 Victories 8 de dezembro de 1942 KIA 29 de março de 1943 & # 8211 No MACR

Cohn, Herbert M., 2Lt., 0-791283 KIA 13 de dezembro de 1942, P-40 # 93 - Sem MACR
Reed, Walter H, 1 Lt., 0-441017 1 Vitória, 18 de abril de 1943

E & # 8230 & # 8221Knopp& # 8221 é na verdade & # 8220Knapp& # 8220, Clair D., Lt

A resolução da imagem impressa original é muito boa, de modo que muitos dos sobrenomes dos pilotos e # 8217 na barra são legíveis. Os nomes indicam:

__?__
Thomas (Gordon F. ou Herbert M.) (Se “Gordon F.”, então ele era um Major, 0-397559 1 Vitória em 18 de abril de 1943)
Clark (Thomas W., capitão, 0-406233 4 vitórias)
Sneed (Marshall M., Capt., 0-427779 1 Victory 20 de janeiro de 1943 KIA 27 de fevereiro de 1943 - Sem MACR)
Margoliana (Leon B., Capt., 0-420749 POW 10 de dezembro de 1942 P-40 # 54 “Tiger Lil”- Sem MACR)
Whittaker (Roy E., Capt., 0-431582 7 Victories & # 8211 veja acima)
Wymond (Gilbert O., Jr., 1 tenente, 0-431591 3 vitórias)
O’Neill (William W., Jr.)
Mitchell (Delbert V., 1 Lt., 0421007 1 Victory, 7 de novembro de 1942)

Jaqua (Arnold D., 1 Ten., 0-440839 2 Vitórias 8 de dezembro de 1942 - KIA 29 de março de 1943 - Sem MACR)
Stanford (Harry H. Jr., 1 tenente, 0-442298 3 vitórias em 18 de abril de 1943)
Tecelão (Edwin R., 1 tenente, 0-441053 2 vitórias em 18 de abril de 1943)
Reed (Walter H., 1 tenente, 0-441017 1 vitória, 18 de abril de 1943
Superar (Harold C., Jr. - KIA?)
Metcalf (Robert L., 1 Lt., 0-442290 1 Victory, 26 de outubro de 1942)
Kimball (Richard W., 2 Lt., 0-442139 1 Victory, 31 de outubro de 1942)
Paulsen (Richard B.)

Duncan (Harold)
Goldcamp (Robert J.)
Knapp (Clair D., Lt. & # 8211 veja acima)
Migell” – (McGill, William F.?)
__?__
Randall (William J., 1 Lt., 0-727543 - KIA 18 de abril de 1943)
Richie” (Ritchie, Dudley W.)
Loughran (Fred J.)
Grogan (Charles E., tenente-coronel, 0-22355 1 vitória em 79º FG, 10 de junho de 1943)

Flickenor (George J., Jr.)

Dada a presença de Cohn e Jaqua na imagem, e a data de publicação da foto & # 8217s, a foto provavelmente foi tirada na Líbia entre o início e meados de dezembro de 1942, o mais tardar. Nesse caso, o esquadrão & # 8217s, então, a localização teria sido na Líbia, em Martuba (de 16 de novembro a 6 de dezembro) ou em Belandah (de 2 de dezembro de 1942 a 9 de janeiro de 1943).

Créditos da USAF para a Destruição de Aeronaves Inimigas, Segunda Guerra Mundial & # 8211 Estudo Histórico da USAF No. 85, Centro de Pesquisa Histórica Albert F. Simpson, Air University, 1978

Maurer, Maurer, Esquadrões de Combate da Força Aérea e # 8211 Segunda Guerra Mundial,


57º Grupo de Caças - Primeiro na Revisão do Livro Azul

O 57º Grupo de Caças foi uma das unidades de caça da USAAF que mais tempo serviu na Segunda Guerra Mundial, com sua entrada em operações de combate no Norte da África em agosto de 1942 e continuando pela Itália até o fim da guerra. O 57º FG foi ativado no início de 1941 quando as nuvens da guerra estavam sendo sentidas nos EUA e esta unidade operou o P-40 Warhawk em 1942 e a maior parte de 1943 antes de fazer a transição para o P-47 Thunderbolt.

O 57º conduziu muitas operações de combate aéreo e vários ases emergiram dessa experiência. Além disso, o P-40 e o P-47 se adaptaram bem a missões de caça-bombardeiro e o 57º foi um dos primeiros a entrar nessa arena de combate, conduzindo varreduras por todo o 9º teatro da Força Aérea de El Alamein, passando pela Sicília e chegando à Itália .

Este título compila a história de combate deste famoso grupo de caças completo com relatos em primeira mão retirados dos arquivos para fornecer uma linha do tempo e detalhes do combate inicial contra a Luftwaffe e as potências aéreas do eixo e construir através do empurrão das forças alemãs para fora do Norte da África , Sicília e Itália. O título é bem ilustrado com fotografias em preto e branco de época, bem como algumas fotos coloridas de época.

A cobertura deste título inclui:

O título tem uma bela seção transversal de perfis de cores ilustrando as cores e marcações de 31 aeronaves P-40 e P-47, bem como um esquadrão SM.79 hack.

Dado que o 57º Grupo de Caças é uma das unidades da USAAF mais populares / modeladas na Segunda Guerra Mundial, este título fornecerá um recurso útil para modeladores, bem como historiadores da aviação que examinam as operações aéreas no Mediterrâneo e ao redor dele.


57º Grupo de Caças (USAAF) - História

Depois que o 57º Grupo de Caças e seus 3 esquadrões foram desativados em 1945, eles foram reativados na Ilha de Shemya na Cadeia das Aleutas em 1946.

Projetado originalmente por Sgt. Howard W Galipeau, durante 1941 eles pensaram que iriam para a Islândia então ele apareceu com um corpo de pinguim, (país frio), garras de falcão (pássaro superior muito rápido e agressivo), luvas de boxe (um lutador justo), chapéu para trás (desafiador), um toco de charuto (procurando alguém para arrancá-lo da boca). Esse cara de aparência atraente era simplesmente chamado de & quotOscar & quot, o X foi adicionado no Norte da África e o grupo ficou conhecido como

Após a Segunda Guerra Mundial, o 66º Esquadrão de Caça foi transferido para o Comando Aéreo do Alasca como uma unidade de defesa aérea. Permaneceu lá até 1957 quando foi desativado. Enquanto atribuída ao Alasca, a unidade passou por várias aeronaves para incluir o P-51, F-80, F-94 e o F-89.

Códigos de identificação de avião:

Constituído como 57º Grupo de Perseguição (Interceptador) em 20 de novembro de 1940. Ativado em 15 de janeiro de 1941. Treinado com P-40. Serviu como parte da força de defesa na costa leste após o ataque japonês a Pearl Harbor. O 57º Grupo de Caças foi redesignado em maio de 1942. Mudou-se para o Oriente Médio, julho-agosto de 1942. Treinado na RAF. 57º Grupo de Caças USAAF (todas as unidades destacadas da RAF)

Harry Albright French nasceu em Harrisburg, Arkansas, em 1915. Ele frequentou as escolas locais em Harrisburg e se formou na Harrisburg High School em 1932. Depois de passar dois anos e meio no Arkansas State College, e meio ano como escriturário -cursor em Administração de Obras Públicas, ingressou na Academia Militar dos Estados Unidos.

Ele recebeu sua comissão em West Point como segundo-tenente em 11 de junho de 1940, e foi designado para o Corpo de Engenheiros com funções na escola de aviação primária em Tuscaloosa, Alabama. Ele se formou como piloto em Maxwell em março de 1941 e foi transferido para o Corpo de Aviação do Exército no 8º Grupo de Perseguição no Campo de Mitchel.

Em maio de 1941, ele foi designado para o QG do 57º Grupo de Caças e em setembro mudou-se para Bradley Field, Connecticut. No início da Segunda Guerra Mundial, ele se mudou com o 57º Grupo para o Aeroporto Logan, Boston, Massachusetts, e se classificou como controlador-chefe do Boston Defense Center.

De Boston, em julho de 1942 como capitão, ele se mudou com o 57º para Palastine voando em um P-40 do porta-aviões da Marinha dos EUA & quotRanger, & quot off-shore em Accra, Gold Coast, África, e depois ao longo da rota de balsa de aeronaves para Cairo, Egito. Ele foi designado para o IX Comando de Caças e, em outubro de 1943, como tenente-coronel, mudou-se com ele para a Inglaterra.

O 57º Grupo de Caças chegou ao Oriente Médio em Muqueibila, Palestina, sob o comando do Coronel Frank Mears, durante julho de 1942. As unidades aéreas começaram então o treinamento intensivo enquanto o pessoal de terra ainda estava a caminho. O pessoal de terra chegou em 17 de agosto, tornando o 57º Grupo de Caças totalmente operacional com setenta e dois P-40F Warhawks em três esquadrões, o 64º, o 65º e o 66º Esquadrão de Caça.

Assim que o Grupo chegou ao Oriente Médio, seus pilotos de caça foram integrados às unidades de caça da RAF da região. Durante este período, a RAF treinou os pilotos da USAAF em táticas e operações no deserto. This gave the U.S pilots valuable operational training without delaying combat. The 57th Fighter Group were also dependant on the RAF for intelligence, briefing, airfield facilities and servicing. Brigadier-General Auby C. Strickland (CO of IX Fighter Command) commented that the success of the U.S fighter units in North Africa was largely due to the excellent training and experience of the British fighter units.

On 9 August, 1942, the 57th flew it's first mission. Five days later came the first combat when six P-40s escorted 12 Baltimores and 11 Bostons to bomb El Fuka airport. When the formation was attacked by five Bf-109s, the P-40s turned into the attack and Lt. William O'Neil shot down two Bf-109s before being shot down himself. He was rescued later in the sea.

Through August and September 57th Fighter Group continued training with the RAF where they learnt formation and combat tactics over the desert. On 16 September the Group came under operational control of Air Officer Commanding, Western Desert. The 64th and 65th FS became a separate wing in RAF 211 Group while 66th FS was transferred to RAF 239 Wing on 6 October.

It would stay this way until the activation of U.S Desert Air Task Force on 22 October, 1942.

Began operations as a Fighter Group, Oct 1942. Took part in the Battle of El Alamein and, as part of Ninth AF, supported British Eighth Army's drive across Egypt and Libya, escorting bombers and flying strafing and dive-bombing missions against airfields, communications, and troop concentrations until the defeat of Axis forces in Tunisia in May 1943. Received a DUC for performance on 18 Apr 1943 when the group destroyed more than 70 of the enemy's transport and fighter planes in an aerial battle over the Gulf of Tunis.

Participated in the reduction of Pantelleria (May-Jun 1943) and the conquest of Sicily (Jul-Aug 1943). Received another DUC for front-line operations in direct support of British Eighth Army from the Battle of El Alamein to the capitulation of enemy forces in Sicily. Assigned to Twelfth AF in Aug 1943 and continued operations in the Mediterranean theater until the end of the war.

Supported British Eighth Army's landing at Termoli and subsequent operations in Italy (Oct 1943-Feb 1944) by flying dive-bombing, strafing, patrol, and escort missions. Converted to P-47's early in 1944 and used the new aircraft for interdictory operations in Italy, receiving a DUC for a series of devastating attacks on rail lines, trains, motor vehicles, bridges, and other targets in the Florence-Arezzo area on 14 Apr 1944. Participated in the French campaign against Elba in Jun 1944 and in the invasion of Southern France in Aug. Engaged in interdictory and support operations in northern Italy from Sep 1944toMay1945. Returned to the US in Aug 1945. Inactivated on 7 Nov 1945.

Activated in Alaska on 15 Aug 1946. Assigned to Alaskan Air Command. Redesignated 57th Fighter-Interceptor Group in Jan1950.Equipped successively with P-38, P-51, F-80, and F-94 aircraft. Inactivated in Alaska on 13 Apr 1953.

Esquadrões. 64th: 1941-1945 1946-1953. 65th: 1941-1945 1946-1953. 66th: 1941-1945 1946-1953.

Estações. Mitchel Field, NY, 15 Jan 1941 Windsor Locks, Conn, 19 Aug 1941

Boston, Mass, 8 Dec 1941-. 1 de julho de 1942

FRIDAY, 10 JULY 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: 57th Fighter Group, enroute from the US, is assigned to USAMEAF.

Muqeibile, Palestine, c. 20 de julho de 1942

MONDAY, 20 JULY 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: Hal Bombardment Squadron and 9th Bombardment Squadron (Heavy) with 19 B-24s and 9 B-17s are organized as the 1st Provisional Group under Colonel Harry A Halverson's command at Lydda, Palestine. HQ 57th Fighter Group arrives at Muqueibile, Palestine from the US.

WEDNESDAY, 29 JULY 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: 65th Fighter Squadron, 57th Fighter Group, arrives at Muqueibile, Palestine from the US with P-40s first mission is 7 Oct.

WEDNESDAY, 5 AUGUST 1942, MTO (USAMEAF): Lieutenant General Lewis H Brereton, in his first strategic estimate of the Middle Eastern war, indicates that the 3 major objectives for the Allied Air Forces are to assist in the destruction of General Erwin Rommel's Afrika Korps by support to ground troops, secure sea and air communications on and over the Mediterranean, and carry out a sustained air offensive against Italy and against oil installations at Ploesti, Rumania and in the Caucasus, if the latter should fall under Axis control. Unit moves: 65th Fighter Squadron, 57th Fighter Group, from Muqueibile, Palestine to Cyprus with P-40s 345th Bombardment Squadron (Heavy) arrives at Ramat David, Palestine from the US with B-24s first mission is 12 Aug.

SUNDAY, 16 AUGUST 1942, MTO (USAMEAF): Personnel strength is greatly increased and supply and maintenance prospects are much improved by the arrival of ground echelons of the 57th Fighter Group, 12th Bombardment Group (Medium), 98th Bombardment Group (Heavy) and 323d Service Group.

MONDAY, 17 AUGUST 1942, MTO (USAMEAF): B-25s of the 81st Bombardment Squadron (Medium) hit stores, depot and tank repair shops at Matruh, Egypt. This marks the debut of the B-25s of the 12th Bombardment Group (Medium) in the Middle East.

WEDNESDAY, 19 AUGUST 1942, MTO (USAMEAF): 64th and 66th Fighter Squadrons, 57th Fighter Group, arrive at Muqueibile and Beit Daras, Palestine respectively from the US with P-40s first mission is 7 Oct.

SATURDAY, 29 AUGUST 1942, MTO (USAMEAF): B-24s fail to locate shipping near Crete and return without bombing. B-25s bomb a landing ground during the night of 29/30 Aug. 65th Fighter Squadron, 57th Fighter Group, moves from Cyprus to Muqueibile, Palestine with P-40s first mission is 7 Oct.

MONDAY 31 AUGUST 1942, MTO (USAMEAF): B-25s attack aircraft on a landing ground, and B-24s raid the harbor at Tobruk, Libya. P-40s of the 66th Fighter Squadron, 57th Fighter Group, escort RAF bombers during raid on Maryut, Egypt. B-25s, in conjunction with RAF Bostons, attack troop concentrations and military vehicles as the battle of Alam-el-Halfa begins along the El Alamein line.

TUESDAY, 1 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s attack the harbor at Candia, Crete, scoring several direct hits on 1 vessel and hitting others. 2 squadrons of the 57th Fighter Group fly escort missions and sweeps with the Royal Air Force (Probably RAF112 Squadron (The Sharkmouthed P-40 Squadron)). B-25s, in conjunction with RAF light bombers, hit trucks and tanks in the battle area of Alam-el-Halfa, Egypt.

WEDNESDAY, 2 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s hit docks and jetties at Tobruk, Libya B-25s bomb aircraft and a landing ground and, with the RAF, attack troops and vehicles in the battle area around Alamel-Halfa, Egypt ridge P-40s fly escort and sweep missions over the battle area in conjunction with the RAF. (57th FG only USAAF P-40 unit in MTO at this time)

THURSDAY, 3 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s attack a convoy at sea B-25s hit troop concentrations, vehicles, and airfield installations in the battle area of Alam-el-Halfa, Egypt and behind enemy lines P-40s, mostly operating with the RAF, escort bombers and engage fighters in combat, claiming at least 1 shot down.

FRIDAY, 4 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s, in conjunction with the RAF and the Royal Navy (RN), attack a convoy at sea 2 merchant ships are reported sunk and 1 left burning. B-25s and RAF Bostons, repelling counterattacks during the Alam-el- Halfa, Egypt battle, hit troop concentrations and vehicles, while P-40s, operating with the RAF, escort bombers and engage in combat over the battle area, claiming 1 fighter destroye d.

SATURDAY, 5 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s strike shipping and dock area in Candia Bay, Crete. In Egypt, P-40s escort RAF bombers over the the battle area SE of Alam-el-Halfa ridge near Rayil Dayr Ar Depression as the enemy offensive falters and is pushed back.

SUNDAY, 6 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: In Egypt, P-40s fly an offensive sweep over the battle area near the Rayil Dayr Ar Depression, claiming 3 Ju 87s shot down P-40s also escort RAF bombers and fly 2 interceptor missions.

FRIDAY, 11 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: P-40s fly an uneventful sweep with the RAF during a lull after the Battle of Alam-el-Halfa, Egypt.

SATURDAY, 12 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: P-40s fly 3 uneventful scramble missions along the frontlines.

MONDAY, 14 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s attack shipping at Suda Bay, Crete, setting 1 vessel afire, while other B-24s hit Tobruk, Libya P-40s fly a sweep with the RAF over the frontlines.

TUESDAY, 15 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: A lone B-24 drops 1 bomb on a tanker in Suda Bay, Crete. B-24s bomb behind the enemy lines while P-40s, with the RAF, fly escort and carry out a scramble missions over the area W of El Alamein, Egypt.

FRIDAY, 23 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-17s and B-24s sent to attack Candia, Crete and Bengasi, Libya turn back short of the target due to bad weather. The El Alamein, Egypt offensive by the British Eighth Army begins at 2140 hours local with an artillery barrage by 1,000+ guns aimed at enemy batteries at 2200 hours, the barrage switches to the enemy forward positions as British troops move forward heavy fighting continues during the night of 23/24 Oct.

SATURDAY, 24 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: In Egypt, B-25s support the British Eighth Army Offensive W of El Alamein between the Mediterranean Sea and the Qattara Depression as 30 Corps, with 4 divisions in assault, secures 2 corridors through enemy minefields on the British N flank, while 13 Corps on the S flank breaks through minefields N of Himeimat and establishes a small bridgehead the B-25s hit troop concentrations, tent areas, gun emplacements, and vehicles P-40s, working with the RAF and South African Air Force (SAAF), escort medium and light bombers and hit motor transports and tanks

SUNDAY, 25 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: The Battle of El Alamein continues as General Bernard L Montgomery decides to make the main effort on the N flank of 30 Corps the Australian 9 Division drives N toward the coastal road to Rahman B-25s disperse motor transport and other targets in support of ground forces P-40s on escort attack vehicles and other targets fighters claim several airplanes destroyed in combat and B-24s sent to bomb the harbor at Bengasi, Libya and a convoy at sea fail to reach targets as bad weather prevails.

MONDAY, 26 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: The momentum of the British drive decreases in the El Alamein, Egypt battle 30 Corps takes Kidney Ridge, and General Bernard L Montgomery decides to regroup for a break-out assault Allied aircraft continue strong support to ground forces and disperse enemy concentrations preparing for an attack B-25s hit transport, troop concentrations, and tanks P-40s fly sweeps over the El Daba area, Egypt and attack motor transport and other targets enemy air action increases and considerable aerial combat ensues US fighters claim 4 airplanes shot down. 30+ B-17s and B-24s attack shipping off the coast of Libya.

On the 26th the Axis counter-attacked the British infantry on the ground, and counter-attacked the Allied air forces in the skies over the desert. 12th Bomb Group flew 18 sorties on this day, while 57th Fighter Group flew 72. In the air the Axis lost six Bf 109s, eight MC 202s and three Ju 87 'Stukas'. Four Allied fighters failed to return. Also on this day the heavy bombers made an appearance over Tobruk to hit convoys.

On the 27th the 57th Fighter Group used a new tactic in attacking German airfields. Taking off in darkness, the P-40s attacked Fuka at low-altitude and strafed the airfield destroying several planes, trucks and tents. 65th and 64th squadron P-40s engaged in heavy combat later in the day when, while on a fighter-bomber mission, encountered twenty CR-42s, twenty Ju 87s and twenty Bf 109s. The P-40s turned into the enemy claiming seven destroyed, three probably destroyed and three damaged without loss.

WEDNESDAY, 28 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-17s, dispatched to attack a convoy at sea, fail to locate the target but attack cruisers in Pylos Bay, Greece B-25s attack tanks, motor transports, and landing grounds P-40s fly medium and light bomber escort, bomb and strafe landing grounds and other targets, and engage aircraft in combat, mostly in the area between El Alamein and El Daba, Egypt fighters claim 3 Bf 109s destroyed attacks by US and RAF aircraft cause the enemy to abandon a plan for a counterattack on Kidney Ridge.

On the 28th Allied fighters claimed nine enemy fighters destroyed, four of these were claimed by 57th Fighter Group. The second phase of the British offensive began on this night aimed to drive into the enemy flank and cut his supply. The Allied air forces kept pressure on the Axis air forces and ate away at their supplies.

WEDNESDAY, 16 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: Major General Lewis H Brereton is officially assigned to the Middle East as a result of pressure from Major General Clayton L Bissell, new Commanding General Tenth Air Force, for clarification of the status of Brereton and other key staff officers and combat crews who had gone from India to the Middle East in Jun and Jul 42. HQ 57th Fighter Group and the 64th, 65th and 66th Fighter Squadrons move from Muqeibile and Beit Daras, Palestine to Landing Ground 174, Egypt with P-40s.

THURSDAY, 17 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: During the night of 16/17 Sep, B-24s bomb Bengasi, Libya harbor during the day, targets for B-24s are in Greece: shipping in Pylos Bay and shipping and piers near Sphakia, and in Khalones and Pylos Island. P-40s make an offensive sweep with the RAF over the front lines.

TUESDAY, 29 SEPTEMBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s hit harbor installations at Suda Bay, Crete. P-40s fly an offensive sweep over the battle area, and carry out an interception mission against Ju 87s over the frontline near El Alamein, Egypt. The 434th Bombardment Squadron (Medium), 12th Bombardment Group (Medium), moves from Ismailia to Landing Ground 88, Egypt with B-25s

WEDNESDAY, 7 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s score 7 direct hits on a tanker and 8 on fuel installations at Suda Bay, Crete. 66 P-40s escort bombers over the battle area W of El Alamein, Egypt. (First combat patrol as the 57th Fighter Group)

FRIDAY, 9 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s strike shipping and harbor facilities at Bengasi, Libya P-40s fly escort and strafe a landing ground W of El Daba, Egypt and emplacements in the battle area W of El Alamein, Egypt.

TUESDAY, 13 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: P-40s fly a fighter sweep, patrol, and interception missions W of El Alamein, Egypt fighters claim 2 Bf 109s destroyed and 1 damaged.

WEDNESDAY, 14 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-17s hit shipping at Tobruk, Libya, scoring 2 direct hits on a large vessel and demolishing a smaller ship moored alongside P-40s fly patrols, reconnaissance and interception missions between El Alamein and Burg el Arab, Egypt.

THURSDAY, 22 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: Advance US Air HQ, previously attached to the RAF Advanced Air HQ, Western Desert, to gain field experience, becomes HQ of Desert Air Task Force (DATF), located at Burg el Arab, Egypt, with Lieutenant General Lewis H Brereton as Commanding General and Major General Elmer E Adler attached with advance HQ of Air Service Command the Chief of Staff of the DATF is Brigadier General Auby C Strickland. B-25s bomb dispersed aircraft. In Egypt, P-40s escort bombers, attack tent areas and motor transport along the coastal road near El Hammam, fly reconnaissance and fighter sweeps W of El Daba, and bomb artillery positions P-40s claim 2 fighters destroyed. B-17s sent to hit Candia, Crete abort because of weather.

THURSDAY, 29 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-24s and B-17s strike Maleme Airfield, Crete. In Egypt, B-25s bomb landing grounds, motor transports, and tanks P-40s fly escort, then bomb and strafe road E of El Daba, and attack troop concentration and vehicles in view of the strong German reinforcements on his N flank near the coast, General Bernard L Montgomery alters the breakout plan instead of pushing W along coast, he decides to shift the point of advance S in order to attack against Italian troops.

FRIDAY, 30 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: In Crete, B-24s bomb Maleme Airfield and 1 B-24 bombs the main jetty in Suda Bay. In Egypt, B-25s attack landing grounds at Fuka-Bagush and El Daba P-40s fly escort the British Eighth Army sends 9 Australian Division N to the sea and then E, trapping a large force in a pocket, as Allied aircraft provide excellent support enemy tanks breaking through from the W, however, enable most of the surrounded force to escape.

SATURDAY, 31 OCTOBER 1942, MEDITERRANEAN THEATER OF OPERATIONS [MTO, US Army, Middle East Air Force (USAMEAF)]: B-25s hit a landing ground they claim 1 fighter shot down while P-40s flying escort claim 3 B-24s sent to bomb the Maleme dispersal area on Crete fail to locate the target because of overcast. HQ 376th Bombardment Group (Heavy) and the 512th, 513th, 514th and 515th Bombardment Squadrons are activated at Lydda, Palestine with B-24s replacing the 1st Provisional Group the 376th is intended to become part of an Anglo-American air force to be sent to the Caucasus area to aid the USSR, but the plan falls through and the 376th remains in the Middle East.

THURSDAY, 12 NOVEMBER 1942, HQ 57th Fighter Group and the 65th Fighter Squadron move from Egypt to Libya with P-40s

FRIDAY, 13 NOVEMBER 1942, NE AFRICA (Ninth Air Force): Tobruk, Libya falls to 10 Corps of the British Eighth Army. The 64th and 66th Fighter Squadrons, 57th Fighter Group, move from Egypt to Libya with P-40s.

SUNDAY, 15 NOVEMBER 1942, NE AFRICA (Ninth Air Force): In Libya, B-24s from 2 groups are sent to bomb Tripoli, but unfavorable weather prevents them from reaching the target 1 group bombs a motor convoy, as well as an airfield and crowded roads in the Bengasi area P-40s fly sweeps and fighter-bomber missions against the retreating enemy W of Martuba Martuba Airfields are captured by British 10 Corps and are soon occupied by the 57th Fighter Group.

THURSDAY, 10 DECEMBER 42, EASTERN MEDITERRANEAN (Ninth Air Force) P-40s of the 57th Fighter Group claim one enemy aircraft destroyed.

SUNDAY, 13 DECEMBER 1942, EASTERN MEDITERRANEAN (Ninth Air Force) In Libya, aircraft of the Western Desert Air Force, including more than 100 P-40s, fly strafing and bombing missions against ground forces which begin withdrawing from El Agheila during the early morning. The 57th Fighter Group claims two Bf 109s for the loss of one P-40. The British 51 Division penetrates the eastern defenses of El Agheila.

MONDAY, 14 DECEMBER 1942, EASTERN MEDITERRANEAN (Ninth Air Force) In Libya, P-40s continue to pound retreating German forces east of El Agheila. The 57th Fighter Group claims one enemy aircraft destroyed. As the British 7 Armored and 51 Infantry Divisions push west, the New Zealand 2 Division pushes southwest and rounds the enemy's right flank, then heads northwest towards the coast to cut off their retreat.

FRIDAY, 5 MARCH 1943, The 66th Fighter Squadron, 57th Fighter Group with P-40s transfers from Libya to Tunisia

TUESDAY, 9 MARCH 1943, HQ 57th Fighter Group and it's 65th Fighter Squadron with P-40's transfer from Libya to Tunisia.

WEDNESDAY, 10 MARCH 1943, The 64th Fighter Squadron, 57th Fighter Group with P-40's transfers from Libya to Tunisia.

SATURDAY, 13 MARCH 1943, In Tunisia, 34 P-40s of the 57th Fighter Group fly top cover and fighter sweep, and engage about 25 Bf 109 fighters in combat we claim 4 destroyed we lose 4 including 3 pilots.

SUNDAY, 27 JUNE 1943, EASTERN MEDITERRANEAN (Ninth Air Force), HQ 57th Fighter Group and it's 64th, 65th and 66th Fighter Squadrons transfer with P-40's from Tunisia to Malta.

Sicily, Jul 1943 Southern Italy,

MONDAY, 19 JULY 1943, EASTERN MEDITERRANEAN (Ninth Air Force), The 64th, 65th and 66th Fighter Squadrons, 57th Fighter Group, transfer with P-40's from Malta to Sicily. (Pachino (Sicily), RAF Servicing Commandos, On the 19th Kittyhawks of No. 239 Wing were looked after as they landed and the same thing was done on the following day for Warhawk aircraft of the 57th Pursuit Group, United States Air Force. In both cases the aircraft were followed on the same evening by the advanced parties of their own ground crews. http://www.bbc.co.uk/dna/ww2/A7713443)

Sep 1943 Gioia Airfield, Italy, c. 25 Sep 1943 Foggia, Italy, Oct 1943 Amendola, Italy, c. 27 Oct 1943 Cercola, Italy, Mar 1944 Corsica, Mar 1944 Ombrone Airfield, Italy, Sep 1944 Grosseto, Italy, Sep 1944 Villafranca di Verona, Italy, 29 Apr 1945 Grosseto, Italy, 7 May 1945 Bagnoli, Italy, Jul-5 Aug 1945 Drew Field, Fla, 21 Aug-7 Nov 1945. Shemya, Alaska, 15 Aug 1946 Elmendorf AFB, Alaska, Mar 1947-13 Apr 1953.

Commanders. Maj Reuben C Moffat, c. 15 Jan 1941 Maj Clayton B Hughes, unkn Maj Minthorne W Reed, 12 Dec 1941 Lt Col Frank H Mears, 1942 Col Arthur G Salisbury, 20 Dec 1942 Col Archibald J Knight, 23 Apr 1944 Lt Col William J Yates, 23 May 1945-unkn. Maj Benjamin H King, 15 Aug 1946 Lt Col Gilmore V Norris, 26 Dec 1946 Lt Col Harry L Downing Jr, 10 Jan 1947 Col Morton D Magoffin, 14 Nov 1947 Col Bingham T Kleine, 22 Jan 1949 Col John W Mitchell, c. Nov 1950 Lt Col Ollie O Simpson, 19 Nov 1951 Col Thomas H Beeson, 21 Nov 1951 unkn, 1 Jul 1952-13 Apr 1953.

Campaigns. Air Combat, EAME Theater Egypt-Libya Tunisia Sicily Naples-Foggia Rome-Arno Southern France North Apennines Po Valley.

Decorações. Distinguished Unit Citations: North Africa and Sicily, 24 Oct 1942-17 Aug 1943 Tunis and Cape Bon Area, 18 Apr 1943 Italy, 14 Apr 1944.

Insigne. Shield: Azure, on a chevron embattled or, between three pyramids of the last, as many mullets gules. Motto: First In The Blue. (Approved 2 Feb 1950.)


Assista o vídeo: Finalmente A China Ativa Seus Radares Contra F-35C Dos EUA (Dezembro 2021).