A história

Nergal Timeline


  • c. 2.900 a.C. - 2.700 a.C.

    Nergal aparece pela primeira vez na religião mesopotâmica como um deus regional de Kutha conhecido como Meslamta.

  • 2047 a.C. - 1750 a.C.

    Meslamtaea torna-se Nergal / Erra durante o Período Ur III da história da Mesopotâmia.

  • 1344 AEC - 1322 AEC

    Nergal como Aplu, o Deus da Peste, citado por trazer a praga durante o reinado do rei hitita Suppiluliuma I.

  • c. 800 AC

    Data provável da composição de A Ira de Erra, descrevendo a destruição da Babilônia por Nergal.

  • c. 626 AEC - 539 AEC

    Cópia mais conhecida de O casamento de Ereshkigal e Nergal, escrita durante o período neobabilônico da história da Mesopotâmia.


Linha do tempo de Nergal - História

Newcastle. Mencione isso para a maioria das pessoas hoje em dia e elas pensarão na cerveja marrom de Newcastle e no time de futebol. Mencione isso a John Constantine, no entanto, e você provavelmente receberá um olhar frio de pedra ou uma resposta amarga e uma rápida mudança de assunto. O que aconteceu em Newcastle mudou para sempre a vida de John e o colocou no caminho que ele ainda anda hoje.

Aconteceu em 1978. Naquela época, John não trabalhava sozinho - um grupo heterogêneo de exorcistas seguiram sua liderança - um curso de ação que acabaria por levá-los à morte. Ouvindo falar de eventos estranhos em Newcastle, John e a equipe decidiram dar uma olhada no Casanova Club. O dono do clube, Alex Logue, era um conhecido 'mágico do sexo e das drogas'. Depois de encontrar uma horda horrível de corpos desmembrados na "Capela" de Alex (uma sala no porão do clube que Alex usava para orgias), John e companhia tropeçaram na filha de Alex, Astra, dançando ao som dos horríveis sons gravados dos infelizes no porão encontrando seu fim.

Ao saber que um elemental do terror é o responsável pela cena no porão, John decide invocar um demônio para matá-lo. Este curso de ação choca seus companheiros de equipe e vários de seus amigos optam por não participar dela. Enquanto discutiam o plano de John, um do grupo - um menino chamado Benjamin (nas palavras de John - "o gênio assustador de doze anos e a enciclopédia dos Arcanos") voltou ao porão para tirar fotos - sozinho ele foi atacado pelo demônio e estuprado (o demônio assumindo a forma de uma grande criatura parecida com um cachorro). Trabalhando em conjunto e com o auxílio de uma espingarda serrada, conseguem evitar que o companheiro de equipa tenha a mesma fé dos anteriores habitantes do clube.

O plano de John de "combater fogo com fogo" fracassou desastrosamente - embora ele tenha convocado um demônio com sucesso, ele o nomeou incorretamente, libertando-o de seu controle (de John). Como resultado desse erro, alguém do grupo de John ficou terrivelmente marcado e a alma de Astra foi enviada para o inferno. O próprio John mal conseguiu escapar com vida - embora mais tarde tenha passado um tempo em Ravenscar, entregue lá pelo que as autoridades acreditaram ser sua parte no assassinato de Astra. O demônio que John invocou era na verdade chamado Nergal. Os dois se encontrariam mais uma vez quando John lutasse contra as forças do Exército Damnation, um culto ao inferno que por acaso era liderado por Nergal.

1978: John Contantine acidentalmente invoca o demônio Nergal em uma tentativa de combater um elemental do terror que assombra o clube Casanova. O erro de Constantine confina a alma do jovem Astra Logue ao inferno e resulta no confinamento de John no hospital psiquiátrico Ravenscar.

1980: Graças aos esforços do chefe do crime do East End, Harry Cooper, John Constantine é libertado de Ravenscar. Harry, é claro, tinha seus próprios planos para o mago inglês.

1985: Quatro daqueles que fugiram do incidente de Newcastle - Ben Cox, Frank North, Judith e Anne-Marie - encontraram seu fim nas mãos da Brujeria, um culto misterioso que buscava causar o fim do mundo. Com a ajuda da Coisa do Pântano e um seleto exército de outros tipos mágicos, Constantino distorceu o plano da Brujeria.

1988: Depois que sua sobrinha é sequestrada, Constantine se envolve na guerra entre o Exército da Danação e a Cruzada da Ressurreição. Com a ajuda do último sobrevivente da "Gangue de Newcastle", Richie Simpson, John destrói o líder do Exército Damnation - Nergal. Richie, por sua vez, se torna um novo tipo de demônio tecnológico que é arrastado para as profundezas do inferno.

1995: John Constantine finalmente consegue libertar a alma de Astra do inferno após um confronto com o demônio Buer.


Thracia 776

Linha do tempo não utilizada

757
& # 8211 Grandbell & # 8217s expedição para Isaac
& # 8211 Cuan parte para Chalphy
Forças & # 8211 Sigurd & # 8217s conquistam Verdane

758
& # 8211 O exército conjunto Chalphy / Lenster invade a Áustria

759
& # 8211 Queda do Reino de Isaac
& # 8211 Celice Baldos Chalphy nasce em Agusty
& # 8211 Queda do Reino da Áustria
& # 8211 Traidores da marca The Empire Chalphy
& # 8211 Sigurd foge para a Silésia
& # 8211 Cuan retorna a Lenster

760
& # 8211 Guerra civil da Silésia
& # 8211 Leaf Faris Claus nasce em Lenster

761
& # 8211 Yied Masscare
& # 8211 Cuan & # 8217s exército é dizimado
& # 8211 Tragédia de Barhara
& # 8211 Sigurd & # 8217s exército é dizimado
& # 8211 O exército trácio invade a Trácia do Norte
& # 8211 Grandbell invade a Silésia

762
& # 8211 Batalha do Rio Noba
& # 8211 Queda da lente
& # 8211 Prince Leaf escapa para Alster
& # 8211 Grandbell derrota a Trácia e um tratado de paz é assinado
& # 8211 Trácia do Norte sob o governo de Grandbell / Freege
& # 8211 Ex-nobres de Lenster planejam assassinar o Rei Blume
& # 8211 Início da Grande Limpeza

776
& # 8211 Leaf lidera a milícia Fiana
& # 8211 Início da guerra de libertação da Trácia

Linha do tempo de obras ilustradas

760
& # 8211 Leaf nasceu em Lenster

761
& # 8211 Lachesis visita Lenster e dá à luz Nanna no ano seguinte

762
& # 8211 Thracia ataca Lenster.
& # 8211 Leaf, Fin, Lachesis e Nanna escapam do castelo

765
& # 8211 Folha se esconde em Alster, sob a proteção da Rainha Etnia
& # 8211 Leaf sai após a descoberta de uma tentativa de assassinato do Rei Blume

768
& # 8211 Leaf se esconde na Cidade Livre de Frest sob a proteção do bispo da cidade & # 8217s
& # 8211 Com medo das consequências, os cidadãos informam o Império, que embosca a cidade.
& # 8211 O bispo fica para trás para dar tempo para os outros fugirem. Ele é mais tarde capturado e executado

771
& # 8211 Seguindo o conselho do bispo & # 8217s, Leaf se escondeu na Cidade Livre de Tahra, sob a proteção do Duque de Tahra.
& # 8211 Lachesis deixa Nanna aos cuidados de Fin & # 8217s e segue para Isaac

776
& # 8211 Leaf foge para uma pequena vila chamada Fiana, governada por uma lutadora de espadas chamada Evayle.

776
& # 8211 Fiana é atacada por Leidrick
Batalha da & # 8211 Leaf & # 8217s começa


Biografia

Há uma grande inconsistência sobre os números conhecidos como Huitzilopochtli, Shaitan, e Nergal. Veja o seguinte para discrepâncias:

Mitos básicos

Nergal, junto com Moloch e a Sem nome, faziam parte de uma tribo de Infernalistas. Eles sacrificaram humanos em um poço no solo. Um Antediluviano os encontrou e, furioso com a imaturidade de sua maldade, procedeu ao massacre da tribo. Ele drenou os três e os lançou em seu próprio poço. Quando o Antediluviano derramou seu sangue no poço, para que alguns sobrevivessem para aprender sua lição, ele foi consumido por Nergal e os outros dois. Depois que o Antediluviano saiu, os três emergiram do poço como vampiros.

Entre seus irmãos, Nergal era o mais hábil em lidar com outros Cainitas. Diz-se que ele serviu como prostituta de Arikel, debateu filosofia com Troile e negociou vice-segredos com o Antediluviano Tzimisce. & # 911 & # 93 Ele construiu para si uma cidade conhecida como Mashkan-shapir no rio Tigre, onde governou como um deus não vivo, com um sacerdócio carniçal que mais tarde formaria a linhagem D'habi Revenant.

Nergal era, no entanto, egocêntrico demais e seguro de sua própria divindade. Ele desejava despertar o Travessas sua antiga tribo continuava dormindo, para ganhar poder divino no plano mortal. Depois que os demônios lhe disseram que embaixo de sua cidade, uma dessas criaturas dormia, ele decidiu invocá-la e aprender seu verdadeiro nome. Para este fim, ele pretendia sacrificar a população de Mashkan-shapir a uma doença virulenta que sacudiria o Dorminhoco de seus sonhos. Seu plano, no entanto, foi aparentemente frustrado por seus próprios sacerdotes, que traíram os planos de Nergal para Moloch, que garantiu que os Cainitas da Segunda Cidade soubessem dos planos de Nergal. No final, as sacerdotisas Lasombra convocaram os mistérios do Abismo esquecidos para mergulhar seu templo na escuridão e Nergal foi considerado destruído.

No entanto, tinha sido um estratagema em nome de Nergal, pois ele alimentou os D'habi com seu sangue e os espalhou pela linhagem, assassinando aqueles que ficariam em seu caminho se possível, enquanto ele próprio retornava ao poço do órgão original que o tinha gerado. Depois de perceber que o local de descanso da besta negra que ele procurava despertar era no norte da Galiléia, ele reapareceu, apresentando-se como Shaitan, o fundador do Clã Baali.

Construindo a fortaleza de Chorazin sobre a tumba de Namtaru, o Portador da Peste, ele conseguiu escavar o corpo adormecido e realocou-o para Cnossos no Mar Egeu, construindo um grande labirinto inspirado por abismos superficiais e canais do cérebro humano. Quando a própria realidade se distorceu ao redor da ilha enquanto Namtaru se tornava mais e mais consciente, outros vampiros ficaram alarmados e atacaram Nergal em sua fortaleza. Juntos, os treze clãs causaram a erupção do vulcão abaixo de Knossos, afundando Namtaru no mar e aparentemente destruindo Nergal para sempre.

Ocasionalmente, espalham-se rumores segundo os quais Nergal sobreviveu e ainda está à solta em algum lugar do Novo Mundo.


Fundo

Nergal é o chefe corporativo do maior fabricante de armas do mundo, por isso tem grande influência política e econômica no mundo, já que aparentemente é o responsável pelo direito constitucional de portar armas que permite que todos na cidade portem armas da família, às empresas, à polícia.

Pior ainda, ele também é um filho de Satanás e busca nada menos do que que o mundo seja lançado no caos total para permitir o retorno de seu pai à Terra, onde Nergal acredita que será recompensado por seu trabalho árduo.

Senhores da Sombra 2

Nergal é atraído para fora do esconderijo pelo sacrifício de Victor Belmont, a quem Nergal usa uma estátua possuída para matar. Tendo completado a escritura, Nergal se retira para sua sede corporativa e é seguido por Drácula pela trilha espectral.

Lá, Drácula tenta confrontá-lo e é aleijado por vários raios de Nergal, com a magia em torno da corporação tornando Drácula mais fraco, enquanto Nergal é muito mais forte, mas ele é capaz de atraí-lo para o castelo onde Drácula pode acessar seu poder total, deixando Nergal incapaz de competir com ele.

Decidindo que ele precisa de alguns músculos extras, Nergal possui um trio de estátuas gigantes e as usa para lutar contra Drácula, no entanto, o Lorde Vampiro destrói as estátuas e mata o acólito esmagando sua cabeça com a bota.


Folha de Personagem

Nergal, o Enfurecido
Atributos Mentais: Inteligência 3, Raciocínio 3, Determinação 3
Atributos físicos: Força 6, Destreza 5, Vigor 4
Atributos Sociais: Presença 5, Manipulação 2, Compostura 2
Habilidades mentais: Investigação (Vigilância) 3, Ocultismo 2
Habilidades físicas: Atletismo 2, Briga (Atacando) 5, Sobrevivência 4
Habilidades sociais: Expressão 1, Intimidação (Alto) 6, Persuasão 1, Subterfúgio 1
Méritos: Esquiva Briga, Reflexos Rápidos 2, Colheita (Sonhos) 2, Vigor de Ferro 3, Dorso Forte
Força de vontade: 5
Virtude: Fortitude
Vice: Fúria
Iniciativa: 8
Defesa: 5
Tamanho: 7
Velocidade: 16
Saúde: 11
Wyrd: 4
Glamour / por turno: 13/4
Contratos: Escuridão 3, Sonho 2, Fumaça 2, Elementos (Eletricidade) 4, Elementos (Água) 3

Fragilidades - Enigmas (maldição menor) não podem surgir quando o sol está no céu (grande tabu).


Conteúdo

As referências da lista de reis que testemunham a sequência dos reis de Sealand estão resumidas abaixo:

Posição Lista King A & # 91i 1 & # 93 Lista King B & # 91i 2 e # 93 Suposto reinado & # 91i 1 & # 93 Contemporâneo
1 Ilima [ii] Ilum-ma-ilī 60 anos Samsu-iluna e Abi-ešuh (Babilônia) & # 91i 3 & # 93
2 Ittili Itti-ili-nībī 56 anos
3 Damqili Damqi-ilišu II 36 anos Adasi (Assíria) & # 91i 4 & # 93
4 Iski Iskibal 15 anos Belu-bāni (Assíria) & # 91i 4 & # 93
5 Šušši, irmão Šušši 24 anos Lubaia (Assíria) & # 91i 4 & # 93
6 Gulki ... Gulkišar 55 anos Sharma-Adad I (Assíria) & # 91i 4 e # 93
6a m DIŠ-U-EN & # 91i 4 & # 93 ? LIK.KUD-Šamaš (Assíria) & # 91i 4 e # 93
7 Peš-gal Pešgaldarameš, & # 91nb 2 & # 93 seu filho, o mesmo 50 anos Bazaia (Assíria) & # 91i 4 & # 93
8 A-a-dàra Ayadaragalama, & # 91nb 3 & # 93 seu filho, o mesmo 28 anos Lullaya (Assíria) & # 91i 4 e # 93
9 Ekurul Akurduana 26 anos Shu-Ninua (Assíria) & # 91i 4 e # 93
10 Melamma Melamkurkurra 7 anos Sharma-Adad II (Assíria) & # 91i 4 e # 93
11 Eaga Ea-gam [il] 9 anos Erishum III (Assíria) & # 91i 4 e # 93

Uma lista de reis adicional & # 91i 5 & # 93 fornece leituras fragmentárias dos primeiros monarcas dinásticos. & # 914 & # 93 O lista de rei A totaliza os reinados para dar uma duração de 368 anos para esta dinastia. o Lista Sincronística de Rei A.117 fornece a sequência de Damqi-ilišu em diante, mas inclui um rei adicional entre Gulkišar e Pešgaldarameš, m DIŠ-U-EN (leitura desconhecida). Esta fonte é considerada confiável a este respeito porque as formas dos nomes de Pešgaldarameš e Ayadaragalama correspondem às das tabuinhas econômicas contemporâneas publicadas recentemente (ver abaixo). & # 915 e # 93


Reforma do calendário

Seu reinado marca a reforma do calendário babilônico, introduzindo meses intercalares calculados regulares, os textos do ciclo de dezoito anos (o Ciclo de Saros de 223 meses, nomeado em homenagem à leitura equivocada de Edmund Halley de uma passagem em Plínio & # 913 & # 93) e talvez até mesmo o zodíaco. & # 914 & # 93: 187,189 Beroso de Kos relatou, em um relato preservado por Sincelo, que foi a partir do reinado de Nabû-nāṣir que os movimentos e a duração das estrelas foram registrados. Ele notou em seu trabalho Babyloniaca que: "Ele reuniu os registros de seus predecessores e os destruiu, garantindo assim que a história dos reis caldeus começasse com ele." & # 915 e # 93

De acordo com Claudius Ptolomeu em seu trabalho Almagest, isso deu origem a uma era que começou ao meio-dia de 26 de fevereiro de 747 aC, quando o Anno Nabonassari começou, mas antes do período helenístico não há vestígios desta era. & # 916 e # 93 The Babylonian Chronicle & # 91i 1 & # 93, cobrindo os anos de 747 a 668 aC, o exemplar mais bem preservado desse gênero, foi possivelmente compilado de diários astronômicos da Babilônia, & # 917 & # 93, embora o primeiro exemplar dessas datas seja de 652 aC. & # 914 & # 93: 188 As listas de fenômenos celestiais & # 91i 6 & # 93 começaram com o eclipse lunar de 747-746 AC & # 918 & # 93 (6 de fevereiro de 746 AC de acordo com Britton & # 913 & # 93: 90 e outros & # 919 & # 93), uma conjunção espetacular da lua e dos planetas que pode ter inspirado o início do registro de observações astronômicas precisas. & # 911 & # 93: 227


II. O Império Neo-Babilônico de 586 a 539 a.C.

A história do Império Neo-Babilônico desde sua fundação por Nabopolassar durante o século 7 a.C. até 586 a.C., ano em que o reino de Judá, com sua capital, Jerusalém, foi destruído.

Nabucodonosor II (605-562 a.C.).& mdashO grande conquistador de Judá e destruidor de Jerusalém, Nabucodonosor dirigiu sua atenção para outras coisas além da guerra. Ele realizou extensas operações de construção. De suas realizações nesta linha, o rei era extremamente orgulhoso, como revelam suas muitas inscrições de construção. Babilônia foi praticamente reconstruída por este rei. Ele ampliou a cidade e a cercou com novas fortificações, fechando ao mesmo tempo um novo palácio que ele havia construído a mais de uma milha ao norte do bairro do antigo palácio. O grande templo de Marduk, chamado Esagila, foi embelezado e a torre do templo Etemenanki, que estava em ruínas na época em que seu pai assumiu o trono, foi concluída. Numerosos outros templos foram reconstruídos ou recentemente erguidos na Babilônia e em outros lugares durante o reinado de Nabucodonosor e rsquos, que teve mais atividades de construção do que qualquer outro período da história da Mesopotâmia.

Pouco se sabe sobre a atividade militar de Nabucodonosor e rsquos após a campanha da Judéia, pois não há nada após seu 11º ano nas crônicas babilônicas existentes, que relatam muitas campanhas militares de Nabopolassar e Nabucodonosor, e uma de Nergal-shar-usur. No entanto, existem informações que indicam que Nabucodonosor lutou por 13 anos contra Tiro (585-573 a.C.). Esse orgulhoso poder marítimo, confiando em sua posição de ilha inexpugnável, recusou-se a se curvar ao monarca babilônico e, portanto, atraiu a ira de Nabucodonosor sobre si mesmo. Um ano antes do início da campanha de Nabucodonosor contra Tiro, o profeta Ezequiel predisse o destino da rica cidade mercantil, que compreendia grandes seções residenciais no continente e armazéns, arsenais, fábricas e estaleiros localizados com segurança em uma pequena ilha rochosa na costa. As forças de Nabucodonosor e rsquos conquistaram e destruíram Tiro continental, à qual se aplicam as profecias de Ezequiel e rsquos, mas sitiaram a ilha em vão por muitos anos. Tiro finalmente cedeu e se rendeu sob a condição de reter seu rei, embora tivesse que aceitar um alto comissário babilônico, que mantinha um olhar atento sobre os assuntos externos e internos de Tiro e se preocupava em salvaguardar os interesses da Babilônia.

Durante este período, uma campanha contra elementos indisciplinados entre os antigos vizinhos de Judá e Rsquos, Síria, Amon, Moabe e também contra o Egito, deve ter ocorrido, como afirma Josefo, no 23º ano de reinado de Nabucodonosor (582 a.C.). Também judeus que haviam sido deixados no país após o desastre de 586 a.C. parecem ter participado da atividade anti-babilônica, e essa atividade resultou na ação punitiva de Nabucodonosor, pela qual mais 745 judeus foram levados para a Babilônia como cativos, de acordo com Jeremias 52:30.

Embora o cerco de Tiro não tenha fracassado, os caldeus ficaram desapontados e consideraram as realizações não compatíveis com os esforços de um cerco de 13 anos, como revelam as palavras de Ezequiel (capítulo 29: 18-20). O profeta, porém, previu que eles encontrariam um rico butim no Egito. Pouco se sabe sobre a campanha egípcia de Nabucodonosor e rsquos predita nesta profecia. Um único fragmento de tablete no Museu Britânico fala da guerra de Nabucodonosor e rsquos contra Amasis do Egito no 37º ano de reinado do antigo rei (568 a.C.). Que não podemos esperar encontrar registros egípcios a respeito desta guerra com seus resultados aparentemente desastrosos para o Egito é compreensível, mas é uma pena que não existam registros babilônicos que nos permitam ver como a profecia de Ezequiel e rsquos foi cumprida. Visto que Amasis continuou a reinar sobre o Egito após esta campanha, Nabucodonosor pode tê-lo perdoado e reintegrado no trono.

Sobre o grande rei e rsquos nos últimos sete anos, nada se sabe de fontes seculares. O livro de Daniel fala de uma loucura de sete anos de Nabucodonosor, que aparentemente foi seguida, provavelmente logo após sua recuperação, por sua morte (Daniel 4). Aparentemente, isso não está registrado nos registros contemporâneos, que ocultam diligentemente as deficiências de seus governantes.

Amel-Marduk, Nergal-shar-usur e Labashi-Marduk (562-556 a.C.).& mdashQuando Nabucodonosor, um dos governantes mais brilhantes da antiguidade, morreu perto do início de outubro de 562 aC, após um reinado de 43 anos, seu filho Amel-Marduk, o Mal-Merodaque da Bíblia, subiu ao trono (562- 560 AC]). Os antigos historiadores o conhecem apenas como um homem que levou uma vida ímpia e desenfreada, mas a Bíblia nos informa que ele perdoou Joaquim, o rei dos judeus preso, e concedeu-lhe honras reais (Jeremias 52: 31-34), no 37º ano após ter sido deportado de Jerusalém por Nabucodonosor.

Amel-Marduk não demonstrou a força de seu pai e, após um reinado de menos de dois anos, foi assassinado por revolucionários, que colocaram um dos seus no trono, Nergal-shar-usur (grego: Neriglissar), que não foi apenas um dos cortesãos mais honrados de Nabucodonosor & rsquos (Jeremias 39: 3, 13), mas também seu genro, daí o cunhado de Amel-Marduk & rsquos. Nergal-shar-usur (560-556 a.C.) fez uma incursão na Cilícia em 557/56, registrada na crônica. Ele alegou ter construído templos e palácios, destruído inimigos e queimado até a morte seus antagonistas.

Desde que ele subiu ao trono como um homem relativamente velho, ele morreu após um curto reinado de menos de quatro anos. Seu filho Labashi-Marduk o sucedeu por provavelmente menos de dois meses, reinando por algum tempo durante os meses de maio e junho de 556 a.C. Então, uma gangue de conspiradores o torturou até a morte e fez de Nabonido, um de seu próprio grupo, rei da Babilônia.

Nabonidus (556-539 a.C.).& mdashA ancestralidade do novo governante não foi definitivamente estabelecida, mas parece que seu pai tinha sido um príncipe de Harã com o nome de Nab & ucirc & ndashbal & acirc & # 7789su & ndashiqbi, e sua mãe provavelmente era Shum & ucirca & ndashdamqa, uma sacerdotisa de Sin (o deus-lua), que, de acordo com um monumento pensado a ser erguido em sua homenagem, ocupava esse cargo no templo de Sin, em Harã, desde a época de Assurbanipal. Uma opinião é que quando Harã foi conquistada pelos medos e babilônios em 610 aC, ela e seu filho podem ter sido levados cativos para a Babilônia, e que ela foi levada para o harém de Nabucodonosor, surgindo lá no decorrer do tempo da concubina para uma esposa favorita. Favores reais também foram concedidos a seu filho Nabonido, que se tornou um oficial influente na administração do império, como vemos pelo fato de que ele provavelmente foi escolhido em 585 a.C. por Nabucodonosor para atuar como mediador na guerra entre os medos e os lídios. É provável que ele fosse casado com uma das filhas de Nabucodonosor & rsquos e, portanto, se tornou o genro do rei & rsquos, razão pela qual Daniel poderia chamar Nabucodonosor Belsazar & rsquos de pai, ou seja, de acordo com o uso hebraico & ldquoancestor & rdquo ou & ldquograndfather & rdquo11 neste caso . O seguinte esboço genealógico mostrará a relação entre os vários governantes do Império Neo-Babilônico, que são numerados em sequência de Nabopolassar a Nabonido.

Na época em que Nabonido subiu ao trono, um governante forte era necessário. Os medos tornaram-se ousados ​​sob os fracos governantes anteriores da Babilônia e anexaram a região de Harã. Este foi um ato de agressão que, se não controlado, poderia servir de incentivo para novas invasões. Nabonido, portanto, durante seus primeiros anos de reinado, considerou seu primeiro dever reconquistar Harã. Ao fazer isso, ele prometeu se tornar um governante forte e determinado. No entanto, essa expectativa não foi atendida, porque o rei parecia ter interesses muito amplos e planos de longo alcance. Ele gostava da adoração do deus lua Sin e reconstruiu o templo Sin de Harã, que estava em ruínas desde 610 a.C. Ele também ergueu edifícios sagrados em Ur, onde fez sua filha sacerdotisa de Sin, estava profundamente interessado na história antiga de sua nação e desenterrou registros antigos. No entanto, ele parece ter reconhecido os perigos que se aproximavam do leste e tomou medidas para enfrentá-los, entre as quais está contada sua campanha contra a Arábia, a ser mencionada a seguir.

Em 553 a.C., enquanto fazia campanha no leste da Palestina, ele adoeceu e foi para o Líbano para se recuperar. Ele imediatamente convocou seu filho Belsazar e confiou-lhe a realeza, ato pelo qual ele tentou garantir a perpetuidade de sua casa real e, assim, certificar-se de que nenhum usurpador seria colocado no trono da Babilônia durante sua ausência. Desta forma, ele ficou livre para realizar novos planos de expansão do império. Nesse ínterim, Belsazar voltou para a Babilônia e no início de 552 (provavelmente) governou as províncias em nome de seu pai como co-regente. Isso explica porque, quando ele quis honrar Daniel de maneira especial, ele poderia oferecer-lhe apenas o terceiro lugar no reino, o mais alto que estava em seu poder dar, já que ele mesmo ocupava o segundo lugar (Daniel 5:16 )

Assim que Nabonido se recuperou de sua doença, ele começou uma invasão do noroeste da Arábia e conquistou o oásis de Tema, que se tornaria sua residência por muitos anos, e onde ele construiu grandes palácios. O verdadeiro motivo dessa conquista não é conhecido. Alguns historiadores pensaram que Nabonido foi para a Arábia a fim de ter uma capital mais segura no caso da Mesopotâmia ser perdida para os medos e persas iranianos, ou porque ele estava mentalmente doente e precisava desse lugar de reclusão. Qualquer que tenha sido o motivo, Nabonido permaneceu em Tema pelo menos até seu 11º ano de reinado, 545 a.C., e durante esse tempo realizou vários ataques bem-sucedidos contra tribos do sul da Arábia.

Nesse ínterim, ele se distanciou completamente dos principais elementos da Babilônia, especialmente dos sacerdotes. Sua longa ausência da capital causou a omissão de várias festas de Ano Novo, que normalmente forneciam muito lucro lucrativo para os templos, e seu favoritismo por Sin resultou em um sacerdócio Marduk hostil. A má gestão administrativa dos assuntos domésticos por Belsazar pode ter aprofundado o desejo de muitos babilônios de ter uma mudança de administração. Os dois governantes parecem, no entanto, ter as rédeas do governo tão seguramente em suas mãos que nenhuma revolta foi tentada. Se foi tentado, podemos concluir razoavelmente que falhou, uma vez que não temos registros disso.

Durante os primeiros anos do reinado de Nabonidus & rsquo, uma nova estrela surgiu no céu político oriental, Cyrus, um rei vassalo dos medos, conhecido como governante das tribos persas e que se autodenominava & ldquoking de Anshan. & Rdquo Ele se rebelou contra seu senhor Medo Astyages e, após ter tomado a capital Ecbátana, depôs seu rei em 553 aC (ou de acordo com outras fontes em 550), mais ou menos na época em que Nabonido nomeou Belsazar como co-regente. O perigo das tribos orientais era agora considerado mais real do que antes, e quando Creso de Sardis, o rei da Lídia, propôs uma aliança ao rei Amasis do Egito e a Nabonido contra a nova potência oriental, Nabonido aceitou de bom grado.

Seguindo a máxima de que um ataque é a melhor defesa, Creso invadiu o território persa em 547 a.C., mas julgando mal sua força, perdeu capital e reino antes que seus aliados tivessem tempo de se organizar e ajudá-lo contra Ciro.

Nos anos seguintes, Ciro consolidou seu poder no império, que agora se estendia do planalto iraniano até a costa ocidental da Ásia Menor. Quando finalmente, em 539 aC, após mais anos de preparação, Ciro sentiu que havia chegado a hora de marchar contra o fraco império de Nabonido, caiu sobre ele sem qualquer esforço a rica província oriental de Gutium, que fazia fronteira com o território de Ciro e rsquo e que formava o baluarte à Muralha Mediana construída por Nabucodonosor para proteger seu império contra uma possível invasão do leste. Nabonidus ficou naturalmente alarmado. Talvez para sua proteção ou para privar Ciro da ajuda dos deuses locais no caso de uma invasão, ele mudou as estátuas de vários deuses da cidade para a Babilônia durante a primavera e o verão de 539. Assim, ele amargurou cada vez mais as populações locais e os sacerdotes , que sentiu que ele estava roubando seus deuses. Seu ato também antagonizou os sacerdotes da Babilônia ao aumentar a competição religiosa na capital, que era considerada principalmente o domínio do deus Marduk.

Quando Ciro estava pronto para marchar contra a Babilônia, Belsazar reuniu suas forças em Opis, no Tigre, para enfrentar a ameaça de invasão e negar a Ciro a travessia do rio. Na batalha que se seguiu, os babilônios sofreram uma derrota desastrosa, e os persas conseguiram avançar imediatamente até Sippar, no Eufrates, sem encontrar qualquer resistência. Cyrus capturou esta cidade sem luta em 10 de outubro de 539 a.C. O próprio Nabonido fugiu em direção ao sul. Belsazar voltou para a Babilônia, cerca de 35 milhas ao sul de Sippar, e confiando em suas fortes fortificações, permaneceu na cidade. Foi aqui que, com um espírito de orgulho e arrogância e um sentimento de segurança temerário, ele passou sua última noite com suas concubinas e amigos em bebedeiras, usando os vasos sagrados do Templo de Salomão e Rsquos (Daniel 1: 5). Em 12 de outubro, a Babilônia caiu para as forças de Ciro & rsquo, que, de acordo com Heródoto, haviam desviado o Eufrates, que normalmente fluía pela cidade, e marcharam sem oposição. Belsazar foi morto. Nabonido, que havia fugido para o sul, aparentemente encontrou seus caminhos de fuga já bloqueados e, portanto, voltou para a Babilônia e se entregou à misericórdia de seu inimigo vitorioso. De acordo com um relatório grego, sua vida foi poupada pelo generoso Ciro, e ele foi colocado como governante vassalo da distante Carmânia.

O império dos caldeus, portanto, chegou a um fim inglório após uma existência de menos de um século. Fundado por um governante forte, Nabopolassar, e ampliado e consolidado por seu igualmente forte filho Nabucodonosor, o império rapidamente se desintegrou após a morte deste último sob uma sucessão de governantes fracos. O Império Neo-Babilônico havia revelado uma glória em riqueza material que raramente, ou nunca, existiu antes. Por esta razão, ele é comparado a uma & ldquohead de ouro & rdquo na imagem profética do sonho de Nabucodonosor & rsquos (Daniel 2:38). No entanto, ele sempre possuía as seguintes fraquezas inerentes, que ajudaram materialmente e aceleraram sua queda:

1. A nação babilônica estava envelhecida e fora sujeita por tantos séculos pelos amorreus, cassitas, assírios e agora pelos caldeus arameus, que faltavam alguns dos traços de caráter que tornavam uma nação politicamente forte e saudável. 2. Não havia interesses comuns e laços que ligassem as diferentes nações do império à dinastia caldéia, mesmo os próprios babilônios sendo estranhos étnicos para os caldeus, que formavam apenas a classe dominante. Quando essas fraquezas foram compensadas pela força do governante, como, por exemplo, Nabucodonosor, o império parecia forte e saudável. No entanto, sob um governante fraco como Nabonido, que se ausentou por muitos anos de sua capital, que estava mais interessado nas antiguidades de seu país do que em suas necessidades atuais, e que favorecia uma divindade provincial mais do que o deus patrono nacional, além de cometer outros atos tolos e erros políticos, o sintético Império Babilônico não poderia permanecer intacto.


& # 8220The Earth Chronicles & # 8221 (gráficos de tempo)

& # 8220Zecharia Sitchin foi criado na Palestina, onde adquiriu um profundo conhecimento do hebraico moderno e antigo, outras línguas semíticas e europeias, o Antigo Testamento e a história e arqueologia do Oriente Próximo. Ele frequentou a London School of Economics and Political Science e se formou na University of London, com especialização em história econômica. Jornalista e editor líder em Israel por muitos anos, ele agora mora e escreve em Nova York. Um dos poucos estudiosos capazes de ler e compreender os sumérios, Sitchin baseou The Earth Chronicles, sua recente série de livros que tratam das histórias e pré-histórias da Terra & # 8217s e do homem & # 8217s, nas informações e textos escritos em tabuletas de argila pelos antigos civilizações do Oriente Próximo. Seus livros foram amplamente traduzidos, reimpressos em edições de bolso e convertidos em Braille para cegos. & # 8221

I. Eventos antes do dilúvio, anos atrás

  • 450.000 AC & # 8211 Em Nibiru, um membro distante de nosso sistema solar, a vida enfrenta uma lenta extinção enquanto a atmosfera do planeta & # 8217s sofre erosão. Deposto por Anu, o governante Alalu foge em uma nave espacial e encontra refúgio na Terra. Ele descobre que a Terra possui ouro que pode ser usado para proteger a atmosfera de Nibiru.
  • 445,000 BC – Led by Enki, a son of Anu, the Anunnaki land on Earth, establish Eridu – Earth Station I – for extracting gold from the waters of the Persian Gulf.
  • 430,000 BC – Earth’s climate mellows. More Anunnaki arrive on Earth, among them Enki’s half-sister Ninhursag, Chief Medical Officer.
  • 416,000 BC – As gold production falters, Anu arrives on Earth with Enlil, the heir apparent. Decide-se obter o ouro vital minerando-o no sul da África. Tirando a sorte, Enlil ganha o comando da Missão Terrestre Enki é relegado para a África. On departing Earth, Anu is challenged by Alalu’s grandson.
  • 400,000 BC – Seven functional settlements in southern Mesopotamia include a Spaceport (Sippar), Mission Control Center (Nippur), a metallurgical center (Shuruppak). Os minérios chegam em navios da África e o metal refinado é enviado para as órbitas tripuladas por Igigi e, em seguida, transferido para espaçonaves que chegam periodicamente de Nibiru.
  • 380,000 BC – Gaining the support of the Igigi, Alalu’s grandson attempts to seize mastery over Earth. Os Enlilitas vencem a Guerra dos Deuses Antigos.
  • 300,000 BC – The Anunnaki toiling in the gold mines mutiny. Enki e Ninhursag criam Trabalhadores Primitivos por meio da manipulação genética da mulher Macaca, eles assumem as tarefas manuais dos Anunnaki. Enlil invade as minas, traz os Trabalhadores Primitivos para o Edin na Mesopotâmia. Given the ability to procreate, Homo Sapiens begins to
    multiply.
  • 200,000 BC – Life on Earth regresses during a new glacial period.
  • 100,000 BC – Climate warms again. The Anunnaki (the biblical Nefilim), to Enlil’s growing annoyance marry the daughters of Man.
  • 75,000 BC – The “accursation of Earth” – a new Ice Age-begins. Tipos regressivos de Homem vagam pela Terra. O homem de Cro-Magnon sobreviveu.
  • 49,000 BC – Enki and Ninhursag elevate humans of Anunnaki parentage to rule in Shuruppak. Enlil, enraged, plots Mankind’s demise.
  • 13,000 BC – Realizing that the passage of Nibiru in Earth’s proximity will trigger an immense tidal wave, Enlil makes the Anunnaki swear to keep the impending calamity a secret from Mankind.

II. Events After the Deluge B.C.

  • 11,000 BC – Enki breaks the oath, instructs Ziusudra/Noah to build a submersible ship. O Dilúvio varre a Terra e os Anunnaki testemunham a destruição total de sua espaçonave em órbita.
  • Enlil concorda em conceder aos remanescentes implementos e sementes da Humanidade que a agricultura começa nas terras altas. Enki domestica animais.
  • 10,500 BC – The descendants of Noah are allotted three regions. Ninurta, Enlil’s foremost son, dams the mountains and drains the rivers to make Mesopotamia habitable Enki reclaims the Nile valley. The Sinai peninsula is retained by the Anunnaki for a post-diluvial spaceport a control center is established on Mount Moriah (the future Jerusalem).
  • 9780 BC – Ra/Marduk, Enki’s firstborn son, divides dominion over Egypt between Osiris and Seth.
  • 9330 BC – Seth seizes and dismembers Osiris, assumes sole rule over the Nile Valley.
  • 8970 BC – Horus avenges his father Osiris by launching the First Pyramid War. Seth foge para a Ásia, apreende a península do Sinai e Canaã.
  • 8670 BC – Opposed to the resulting control of all the space facilities by Enki’s descendants, the Enlilites launch the Second Pyramid War. O vitorioso Ninurta esvazia a Grande Pirâmide de seu equipamento.
  • Ninhursag, meia-irmã de Enki e Enlil, convoca uma conferência de paz. A divisão da Terra é reafirmada. O governo do Egito foi transferido da dinastia Rá / Marduk para a de Thoth. Heliópolis foi construída como uma cidade-farol substituta.
  • 8500 BC – The Anunnaki establish outposts at the gateway to the space facilities Jericho is one of them.
  • 7400 BC – As the era of peace continues, the Anunnaki grant Mankind new advances the Neolithic period begins. Demigods rule over Egypt.
  • 3800 BC – Urban civilization begins in Sumer as the Anunnaki reestablish there the Olden Cities, beginning with Eridu and Nippur.
  • Anu vem à Terra para uma visita espetacular. Uma nova cidade, Uruk (Erech), é construída em sua homenagem, ele faz de seu templo a morada de sua amada neta Inanna / Ishtar.
  • 3760 BC – Mankind granted kingship. Kish é a primeira capital sob a égide de Ninurta. O calendário começou em Nippur. A civilização floresce na Suméria (a Primeira Região).
  • 3450 BC – Primacy in Sumer transferred to Nannar/Sin. Marduk proclaims Babylon “Gateway of the Gods.” The “Tower of Babel” incident. The Anunnaki confuse Mankind’s languages.
  • Frustrado com seu golpe, Marduk / Ra retorna ao Egito, depõe Thoth, captura seu irmão mais novo, Dumuzi, que havia se casado com Inanna. Dumuzi matou acidentalmente Marduk preso vivo na Grande Pirâmide. Libertado por um poço de emergência, ele vai para o exílio.
  • 3100 BC – 350 years of chaos end with installation of first Egyptian Pharaoh in Memphis. A civilização chega à segunda região.
  • 2900 BC – Kingship in Sumer transferred to Erech. Inanna, dado o domínio sobre a Terceira Região, começa a Civilização do Vale do Indo.
  • 2650 BC – Sumer’s royal capital shifts about. A realeza se deteriora. Enlil perde a paciência com as multidões humanas indisciplinadas.
  • 2371 BC – Inanna falls in love with Sharru-Kin (Sargon). Ele estabelece uma nova capital. Agade (Akkad). Lançado o império acadiano.
  • 2316 BC – Aiming to rule the four regions, Sargon removes sacred soil from Babylon. O conflito Marduk-Inanna irrompe novamente. It ends when Nergal, Marduk’s brother,
    journeys from south Africa to Babylon and persuades Marduk to leave Mesopotamia.
  • 2291 BC – Naram-Sin ascends the throne of Akkad. Dirigido pela guerreira Inanna, ele penetra na península do Sinai, invade o Egito.
  • 2255 BC – Inanna usurps the power in Mesopotamia Naram-Sin defies Nippur. Os Grandes Anunnaki destruíram Agade. Inanna foge. Suméria e Akkad ocupadas por tropas estrangeiras leais a Enlil e Ninurta.
  • 2220 BC – Sumerian civilization rises to new heights under enlightened rulers of Lagash. Thoth ajuda seu rei Gudea a construir um templo-zigurate para Ninurta.
  • 2193 BC – Terah, Abraham’s father, born in Nippur into a priestly-royal family.
  • 2180 BC – Egypt divided followers of Ra/Marduk retain the south Pharaohs opposed to him gain the throne of lower Egypt.
  • 2130 BC – As Enlil and Ninurta are increasingly away, central authority also deteriorates in Mesopotamia. Inanna’s attempts to regain the kingship for Erech does not last.
  • 2123 BC – Abraham born in Nippur.
  • 2113 BC – Enlil entrusts the Lands of Shem to Nannar Ur declared capital of new empire. Ur-Nammmu ascende ao trono e é nomeado Protetor de Nippur. A Nippurian priest-Terah, Abraham’s father – comes to Ur to liaison with its royal court.
  • 2096 BC – Ur-Nammu dies in battle. O povo considera sua morte prematura uma traição de Anu e Enlil. Terah parte com sua família para Harran.
  • 2095 BC – Shulgi ascends the throne of Ur, strengthens imperial ties. À medida que o império prospera, Shulgi cai nos encantos de Inanna e se torna seu amante. Concede Larsa aos Elamitas em troca de servir como sua Legião Estrangeira.
  • 2080 BC – Theban princes loyal to Ra/Marduk press northward under Mentuhotep I. Nabu, Marduk’s son, gains adherents for his father in Western
    Ásia.
  • 2055 BC – On Nannar’s orders, Shulgi sends Elamite troops to suppress unrest in Canaanite cities. Elamites reach the gateway to the Sinai peninsula and its
    Spaceport.
  • 2048 BC – Shulgi dies. Marduk muda-se para a Terra dos Hititas. Abraão ordenou ao sul de Canaã com um corpo de cavalaria de elite.
  • 2047 BC – Amar-Sin (the biblical Amraphel) becomes king of Ur. Abraão vai para o Egito, fica cinco anos e retorna com mais tropas.
  • 2041 BC – Guided by Inanna, Amar-Sin forms a coalition of Kings of the East, launches military expedition to Canaan and the Sinai. Its leader is the Elamite Khedor-la’omer. Abraham bloqueia o avanço no portal do espaçoporto.
  • 2038 BC – Shu-Sin replaces Amar-Sin on throne of Ur as the empire disintegrates.
  • 2029 BC – Ibbi-Sin replaces Shu-Sin. As províncias ocidentais cada vez mais para Marduk. Liderando seus seguidores, Marduk marcha sobre a Suméria, entroniza-se na Babilônia. A luta se espalha para a Mesopotâmia central. Nippur’s Holy of Holies is defiled. Enlil exige punição por Marduk e Nabu Enki se opõe, mas seu filho Nergal fica do lado de Enlil.
  • Enquanto Nabu comanda seus seguidores cananeus para capturar o espaçoporto, os Grandes Anunnaki aprovam o uso de armas nucleares. Nergal and Ninurta destroy
    the Spaceport and the errant Canaanite cities.
  • 2023 BC – The winds carry the radioactive cloud to Sumer. Pessoas morrem de uma morte terrível, animais morrem, a água é envenenada, o solo torna-se estéril. A Suméria e sua grande civilização estão prostradas. Its legacy passes to Abraham’s seed as he begets -at age 100- a legitimate heir: Isaac.

Velon ET (Anunnaki Human Origin Myth) by Chris Thomas

Egyptian/Atlantean (and Mayan) perspectives as revealed by Earth’s indigenous tribes to Drunvalo Melchizedek

Michael Wynn’s “The Soul Travelers”

Spirit Science’s Animated Hidden History of Earth

Secret History of the Human Race by Klaus Donahttp://worldmysteries.tv/ Klaus Dona has traveled the world in search of unique and unexplained findings. Intrepid and unrelenting, he is on a mission to bring to the eye of the public such finds as giant bones, crystal skulls, carvings and sculptures in forms that do not fit into the contemporary view of our timeline.

Origins of the Reptilian Race, Atlanteans, Humans & the Montauk Project by Stewart Swerdlow

Author Stewart Swerdlow spoke about a Reptilian race which lives underground and first came here over 800,000 years ago. This information was imparted to him, he claimed, during the 13 years he served as an experimental subject in a government-sponsored mind control project in Montauk, NY. Between 200,000 to 300,000 people were experimented on in Montauk, and most of them did not survive, he said. Now, mind control can be employed worldwide via satellites, he noted.

Among the details Swerdlow shared about the Reptilians: They originated in the Draco star system, and arrived in our solar system via hollowed-out asteroids. They colonized a Pacific content called Lemuria and later battled with the Atlanteans. Eventually they formed a hybrid race with the Atlanteans. It is from this group that the Illuminati or ruling families descended. There are seven different species in the Draco empire. One type has white segmented skin, cat-like eyes, wings, and a pronounced jaw and teeth.

The Illuminati are planning a “staged alien invasion” to trick people into forming a one-world government and they’ll use holographic technology to project imaginary battles, Swerdlow warned. Ultimately, they seek to send millions of people out to colonize habitable moons of Jupiter and Saturn, he added.

Biografia
A gifted medical intuitive, Stewart Swerdlow is a clairvoyant who has the ability to see auric fields and personal archetypes as well as read DNA sequences and mind-patterns. His great-uncle, Yakov Sverdlov, was the first president of the Soviet Union, and his grandfather helped form the Communist Party in the United States in the 1930s. To ensure that his loyalties stayed with the US government, he was “recruited” for specific government mind-control experiments which enhanced his natural abilities.

He spent years in service to various US and foreign government agencies and special interest groups. His mind and body were used for genetic and mind-control experiments which led to severe illness, broken relationships, and premature Kundalini activation. After several years of deep self-analysis, Stewart merged with higher levels of his multidimensional self, which saved his life. Stewart has authored and co-authored with his wife, Janet, several books and lectures worldwide for a variety of groups, organizations, and large corporations.

Wikipedia
The Montauk Project was alleged to be a series of secret United States government projects conducted at Camp Hero or Montauk Air Force Station on Montauk, Long Island for the purpose of developing psychological warfare techniques and exotic research including time travel. Jacques Vallée describes allegations of the Montauk Project as an outgrowth of stories about the Philadelphia Experiment.

Michael Cremo is interviewed about his archeological discoveries and the cover up of the scientific community. Cremo gives several examples of archeological evidence that has been suppressed by the establishment in the name of “scientific conformity”. His books include ‘The Hidden History Of The Human Race’ and ‘Forbidden Archeology’. Richard Thompson is credited by Michael Cremo as a valuable partner in his research.

Publisher and producer Michael Tellinger discussed his study of ancient ruins at the southern tip of Africa, which he believes were associated with a vanished civilization that ET visitors, the Anunnaki, brought together over 200,000 years ago, when they came here to mine gold. The ruins, which he’s investigated along with Johan Heine, consist of thousands of stone structures over a large area. The structures show evidence of their extreme antiquity through erosion and patina growth, he detailed. One of the most important ruins he referred to as “Adam’s Calendar,” a monolithic stone calendar that could mark time out by the day.

The Anunnaki tinkered with human genetics to make their mine workers, Tellinger said, referencing the work of Zecharia Sitchin. Among the ruins are hexagonal shapes clustered together like honeycombs, which he speculated could have been used as cloning tanks. Further, he suggested that many of the structures, made out of stones that contain quartz, were used as energy devices to power the large settlements.

By studying the area using aerial maps, Tellinger determined there were three great cities, some 60 x 60 miles each, one of which included Great Zimbabwe. Among the ruins, the first pyramids can be found, and details carved into some of the rocks include the Ankh symbol– thousands of years before the Egyptian civilization used it, he reported.

Youtube description using Google Translate (from Chinese):

StarCraft squares: each square grid represents a sense of license, visually represent different frequency energy, which depicts the different civilizations. In essence, you could say they are like a phone number, linked to a particular dimension in the field, a particular civilization.

StarCraft squared: This is just a small square of nine three rows and three columns of the matrix in a big box of them and each represents a square grid of consciousness comes to our previous permission visually represent different frequencies of energy, They depict different civilizations. In essence, you could say they are like a phone number, linked to a particular dimension in the field, a particular civilization.

It is a frequency, if you focus on it, facing it meditation, looking at it, and represents the kind of energy flow, the kind of sense of the scope of the image remains the same, it will, as a sense of permission to assist you in a more stable linked to the frequency of that particular reality, and allows you to link a little easier, joint, receives exist in this particular grid of nine squares in the matrix or information.

Note that this symbol to see the most central, the vibration of the phone number that your planet (Earth), began as a black box: This represents the space around your planet, blue waters, green represents the land, the white represents the sky atmospheric clouds and your world, especially squares represent the four corners of the world is yours, it gives you the opportunity to connect to the squares of the other symbols, you can use their energy, the use of their information to the best way to serve you complete this transition in your life, will focus on these vibration such as phone numbers like symbols, connected to the vibration of their special dimension which, you will be able to download their information and energy needed to help you concentrate, you can use it all, applying all these frequencies, using all of these dimensions apply to contact all of these genes, the use of all of these relationships to correct straightforward and genuine, like a compass to guide you to the best of the same fate.

Youtube description:
Published on Apr 27, 2015
Garnet recounts how his life changed dramatically one day in 2007 (while still practicing law) when he was confronted on the street by a homeless man named Albert (who was actually a wise spirit in disguise–an emissary from the spirit world). This seemingly chance encounter launched a provocative dialogue with Albert who disclosed startling new truths about all of life’s big questions, including our true nature as eternal souls, the cycle of reincarnation on Earth, and how we create our own reality through free-will choices. He wrote DANCING ON A STAMP at Albert’s request so that these revelations would be available to everyone.

Capricorn Radio in Partnership with Dolores Cannon Quantum Healing Hypnosis Therapy Academy. World’s Most Advance Professional Hypnosis Therapy Training Academy. Exclusive 5% discount on QHHT Online Class Level 1

Some topics covered: Life Plans and Free Will Overcoming Evil Sex Taboos Karma The Illusion of Time The Law of Attraction

Garnet’s second book, DANCING FOREVER WITH SPIRIT, describes his most recent adventures with Albert who appeared in his bedroom room one night to guide him on a series of out-of-body adventures to explore the wonders of the universe, including the Akashic Records, distant planets with fascinating life forms, and a human civilization that made the shift to the New Earth. Albert’s goal was to encourage humans to stop their abuse of Mother Earth and all of her inhabitants by casting aside their negative emotions and in favor of love and compassion.
———————————————————————————–
Back to Top^


Assista o vídeo: kl 4 Oś czasu (Dezembro 2021).