A história

Walther Funk


Walther Funk, filho de um empresário, nasceu em Trakehnen, Alemanha, em 18 de agosto de 1890. Depois de estudar economia na universidade, tornou-se jornalista financeiro.

Funk se juntou ao Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP) em 1931. Ele se tornou um conselheiro de Adolf Hitler e o encorajou a se afastar das visões anti-capitalistas radicais de Gregor Strasser e Ernst Roehm.

Após a Noite das Facas Longas, a influência do Funk cresceu e em 1937 ele foi nomeado por Hitler como Ministro da Economia. Dois anos depois, ele sucedeu Hjalmar Schacht como presidente do Reichsbank.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Funk colaborou com Heinrich Himmler no depósito de dinheiro saqueado da comunidade judaica.

No final da guerra, Funk foi capturado pelas tropas aliadas. Considerado culpado de crimes contra a humanidade no Julgamento de Crimes de Guerra de Nuremberg, ele foi condenado à prisão perpétua. Em maio de 1957, Funk foi libertado da prisão por causa de problemas de saúde e morreu em Dusseldorf em 31 de maio de 1960.

Tentei cumprir minha missão deixando claro para o Führer e para o Partido como um todo que a iniciativa privada, a autossuficiência do homem de negócios e os poderes criativos da livre iniciativa deveriam ser reconhecidos como a política econômica básica do Partido. O Führer pessoalmente enfatizou repetidas vezes, durante conversas comigo e com líderes industriais a quem eu o apresentei, que ele era um inimigo da economia estatal e da chamada "economia planejada", e que considerava a livre empresa e a competição como absolutamente necessário para obter a maior produção possível.


Walther Funk - História


Uma breve história da UE e do euro: um guia do cidadão

pelo Dr. Vernon Coleman MB ChB DSc

Em meus livros sobre a União Europeia, descrevi como a União Europeia foi criada pelos nazistas. Fui, inevitavelmente, ridicularizado e abusado por relatar esse fato. Aqueles que apoiam a UE afirmam que é uma criação moderna, concebida após a Segunda Guerra Mundial para garantir que a Europa nunca mais seja dilacerada pela guerra. Existem, por exemplo, apoiantes entusiastas que afirmam que a UE foi fundada por Kohl e Mitterand. Ouvi dizer na BBC que esses dois políticos ficaram tão marcados por suas memórias da Segunda Guerra Mundial que decidiram construir uma nova Europa `onde haveria paz, felicidade e prosperidade para todos .

Este é um conto de fadas de proporções tão Brobdingnagianas que até os Irmãos Grimm e o Barão von Munchausen corariam de vergonha. No entanto, existem muitos cidadãos crédulos que acreditam nisso.

A verdade é que a história da UE remonta muito, muito mais longe do que seus proponentes costumam admitir.

Foi na década de 1930, na Alemanha de Hitler, que a União Europeia foi inventada e projetada. Os toques finais na UE como a conhecemos foram dados durante a Segunda Guerra Mundial por um homem chamado Walther Funk, que era presidente do Reichsbank e diretor do Banco de Compensações Internacionais (BIS). Foi Funk quem previu a chegada da unidade econômica europeia. Ah, quase esqueci, Funk também era o ministro da Economia de Adolf Hitler e seu principal conselheiro de economia. A União Europeia foi projetada pelos nazistas e foi cuidadosamente criada de acordo com o design original.

O BIS, aliás, foi e ainda é a instituição financeira global mais poderosa e secreta do mundo. Durante a Segunda Guerra Mundial, o BIS aceitou o ouro nazista saqueado (manuseando 21,5 toneladas métricas de ouro nazista) e apoiou o desenvolvimento e o lançamento do que, em 2002, se tornaria o euro.

Os fãs da UE gostam de fingir que os pontos mais delicados da organização foram planejados nas décadas de 1980 e 1990. Mas foram Hitler e Funk que projetaram a UE como ela existe hoje. Eles queriam se livrar da desordem de pequenas nações que compunham a Europa e seu plano era bastante simples. A UE era o sonho de Hitler. E foi Funk quem delineou o trabalho prático que precisava ser feito.

Em 1940, Funk preparou um longo memorando chamado `Reorganização Econômica da Europa que foi passado para o Presidente do BIS (que era um americano chamado Thomas McKittrick) em 26 de julho de 1940.

“A nova economia europeia resultará de uma estreita colaboração econômica entre os países alemães e europeus”, escreveu Funk. É importante notar que mesmo então a UE era vista como uma união entre a Alemanha, por um lado, e o resto da Europa, por outro. Nunca houve dúvidas sobre qual nação estaria no comando. Há comentaristas e economistas hoje que observam com surpresa o controle da Alemanha sobre a UE de hoje e que parecem perplexos com o fato de que a Alemanha está crescendo e tem de longe a maior e mais dominante economia da UE. Ninguém deveria estar surpreso. A UE sempre foi planejada dessa forma. A Alemanha está se beneficiando enormemente com a crise do euro, mas Funk sabia que seria o caso. Em 1940, ele teve a ideia do euro e argumentou que mesmo depois da união monetária seria impossível ter um padrão de vida em toda a Europa. Mas ele sabia que a Alemanha sairia por cima. Ele não ficaria nem um pouco surpreso com o fato de que a Alemanha moderna é de longe a maior e mais dominante economia da União Europeia.

Foi Funk quem ajudou a planejar a Comunidade da União Européia (embora quando ela foi estabelecida ele ainda fosse rotulado de criminoso de guerra e residente da Prisão de Spandau em Berlim). Foi Funk quem planejou uma Europa livre de comércio e restrições monetárias. A ideia de uma Europa federal foi apoiada pela América, que queria preservar os interesses militares e geopolíticos da América e, em particular, manter e melhorar os laços que haviam sido estabelecidos com a Alemanha de Hitler antes da Segunda Guerra Mundial.

Em junho de 1942, as autoridades alemãs prepararam um documento intitulado `Elementos básicos de um plano para a Nova Europa , que apelava, entre outras coisas, a um centro de compensação europeu para estabilizar as taxas de câmbio com o objetivo de garantir a união monetária europeia e` a harmonização dos condições de trabalho e bem-estar social .

O plano original era que o Reichsmark fosse a nova moeda europeia, mas Funk nunca viu isso como crucial ou tão importante quanto a liderança econômica da Alemanha. Funk viu a Alemanha como central para a UE planejada, argumentando que isso resultaria em "melhores saídas para produtos alemães nos mercados europeus". Em 1940, foi Funk quem planejou introduzir os Estados Unidos da Europa por meio de uma moeda comum.

Hitler e o resto da liderança nazista receberam bem os planos de Funk e, em 1942, o Ministério das Relações Exteriores alemão fez planos detalhados para uma confederação europeia ser dominada pela Alemanha. No mesmo ano, um grupo de empresários alemães realizou uma conferência em Berlim intitulada `Comunidade Econômica Europeia .

Quando os nazistas perceberam que estavam perdendo a guerra, eles sabiam que precisavam fazer um acordo para preservar o domínio alemão na Europa. Thomas McKittrick, o presidente americano do BIS agiu como intermediário e ajudou a iniciar as negociações. O plano era garantir que a Alemanha dominasse a Europa do pós-guerra. Funk e seus colegas decidiram falar sobre o espírito europeu, liberdade, igualdade, fraternidade e cooperação mundial como base para sua planejada União Europeia. Eles decidiram concordar em compartilhar o poder e até mesmo permitir que outros países assumissem o comando por um tempo. Os nazistas sabiam que tudo o que precisavam fazer era reter homens no poder em cargos cruciais. E isso eles conseguiram fazer.

Os preparativos técnicos para a "economia de grande unidade europeia" dos Funk (agora mais conhecida como zona do euro) começaram em 1947, quando o acordo de Paris sobre pagamentos multilaterais foi assinado, e foram fortalecidos em 1951, quando a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço foi criada como a primeira passo em direção ao desenvolvimento de uma nova nação europeia a ser administrada pela Alemanha, e continuou em 1964, quando o Comitê dos Bancos Centrais Europeus (composto pelos Governadores dos Bancos) se reuniu no BIS para coordenar a política monetária.

O Banco Central Europeu (BCE), (que hoje tem tanto poder sobre os cidadãos europeus) foi projetado e criado pelo Bundesbank alemão, que foi o banco central da Alemanha no pós-guerra. O Bundesbank era filho do Reichsbank, que era o nome do banco central da Alemanha antes e durante a Segunda Guerra Mundial. O presidente do Reichsbank antes e durante a Segunda Guerra Mundial era, é claro, Walter Funk.

Conforme planejado, o BCE não é democraticamente responsável perante ninguém. Na verdade, é proibido seguir conselhos dos governos da zona do euro. O Parlamento Europeu não tem autoridade sobre o BCE. E ninguém sabe como o BCE toma decisões.

Em 1º de janeiro de 1999, onze países lançaram o euro e, em janeiro de 2002, a moeda dos sonhos do Funk finalmente substituiu as moedas nacionais. O sigiloso BIS foi crucial para ajudar a forçar a passagem do euro o primeiro passo em direção ao novo Estado europeu. A verdade é que a introdução do euro nada mais foi do que a última parcela da Segunda Guerra Mundial - a realização do sonho nazista de Adolf Hitler e Walter Funk.

A imprensa mostrou um grande entusiasmo pelo euro. Os comentaristas chamaram a atenção para o fato trivial de que os viajantes agora podiam usar a mesma moeda em grande parte da Europa. Nenhuma atenção foi dada ao fato de que quando os países decidem compartilhar uma moeda, eles estão tomando uma decisão política significativa. Ninguém parecia se importar com o fato de a maioria das pessoas em todos os países que desistiram de suas moedas se opor ao euro. (A UE nunca fingiu ser uma organização democrática.) “Era uma coisa muito peculiar ter um banco central sem governo”, disse Paul Volcker, presidente do Federal Reserve nos EUA. Os políticos franceses acreditavam que a moeda única significava que a Alemanha não seria capaz de iniciar mais guerras. Eles também acreditavam (erroneamente, é claro) que a Alemanha não seria mais capaz de dominar a economia europeia.

Todos os envolvidos na criação do euro sabiam que a nova moeda era fatalmente defeituosa. O objetivo era usar o euro para forçar uma união política, contra a vontade do povo europeu e apesar do custo enorme e inevitável em termos de desemprego e miséria.

Walter Funk previu que unir países com diferentes culturas, histórias e políticas econômicas seria perigoso. Mas ele sabia que a Alemanha sairia por cima.

Os economistas reconheceram desde o início que o euro seria problemático e criaria enormes dificuldades sociais (incluindo níveis terríveis de desemprego), mas os políticos ignoraram todos os avisos. Eles sabiam que a introdução do euro tornaria a criação de uma Europa federal inevitável e imparável.

Os leitores que desejam saber mais sobre a UE podem gostar de ler meus vários livros sobre o assunto (particularmente meu livro mais recente chamado OFPIS). Há mais material sobre a fundação da UE neste site.

Mas, por agora, vou encerrar com uma nota de que o Tribunal de Justiça Europeu já decretou que a comissão da UE pode restringir a dissidência e punir os indivíduos que prejudicam a imagem e reputação da instituição.

Walter Funk e seu amigo de bigode ficariam orgulhosos da moderna União Europeia.

Por favor, incentive seus amigos, parentes e inimigos a ler este artigo.


O desenvolvimento da música funk começou nos Estados Unidos quando um cantor-músico, James Brown, gravou uma música em 1965 - chamada Papa's tem uma bolsa novinha em folha. Essa música foi considerada a primeira música funk já criada. Este novo estilo de Brown influenciou muitos grupos musicais - e o adotou em suas músicas. Desde então, o número de entusiastas do funk começou a crescer.

Em 1967 - Dyke and the Blazers é lançado Broadway funky foi considerado o primeiro registro a ter Funky no título.

Diferentes bandas ganharam destaque e contribuíram para dar reconhecimento ao gênero musical - uma delas foi Obrigado (Falettinme Be Mice Agin) por Sly & amp the Family Stones, que alcançou o primeiro lugar nas paradas em 1970 - e Assunto de família em 1971.

Outro grupo que ficou famoso pelo funk é o The Meters - essa banda definiu o funk em Nova Orleans com seus sucessos, Cissy sofisticada e Cissy Strut, em 1969.


Titulares de cargos semelhantes ou como Walther Funk

Economista alemão e oficial nazista que serviu como Ministro de Assuntos Econômicos do Reich de 1938 a 1945 e foi julgado e condenado como um grande criminoso de guerra pelo Tribunal Militar Internacional de Nuremberg. Wikipedia

O estado alemão entre 1933 e 1945, quando Adolf Hitler e o Partido Nazista controlaram o país que transformaram em uma ditadura. Sob o governo de Hitler & # x27, a Alemanha rapidamente se tornou um estado totalitário onde quase todos os aspectos da vida eram controlados pelo governo. Wikipedia

Líder político e militar alemão e criminoso de guerra condenado. Uma das figuras mais poderosas do Partido Nazista, que governou a Alemanha de 1933 a 1945. Wikipedia

Alto funcionário do governo alemão que serviu como Ministro das Finanças da Alemanha de 1932 a 1945 e Chanceler de facto da Alemanha em maio de 1945. Nomeado para o cargo de Ministro das Finanças por Franz von Papen em 1932. Wikipedia

Proeminente político alemão do Partido Nazista (NSDAP), que serviu como Ministro do Interior do Reich no gabinete de Adolf Hitler & # x27s de 1933 a 1943 e como o último governador do Protetorado da Boêmia e Morávia. Condenado por alta traição. Wikipedia

Político alemão que serviu como Ministro das Relações Exteriores da Alemanha nazista de 1938 a 1945. Ribbentrop notou Adolf Hitler & # x27s pela primeira vez como um homem de negócios viajado com mais conhecimento do mundo exterior do que a maioria dos nazistas seniores e como uma autoridade percebida no exterior romances. Wikipedia

Berthold Konrad Hermann Albert Speer (19 de março de 1905 - 1 de setembro de 1981) serviu como Ministro de Armamentos e Produção de Guerra na Alemanha nazista durante a maior parte da Segunda Guerra Mundial. Condenado nos julgamentos de Nuremberg e sentenciado a 20 anos de prisão. Wikipedia

Oficial do Partido Nazista Alemão e chefe da Chancelaria do Partido Nazista. Ele ganhou imenso poder usando sua posição como secretário particular de Adolf Hitler e # x27 para controlar o fluxo de informações e o acesso a Hitler. Wikipedia

Almirante alemão durante a era nazista, que sucedeu brevemente a Adolf Hitler como chefe de estado alemão em 1945. Como Comandante Supremo da Marinha desde 1943, ele desempenhou um papel importante na história naval da Segunda Guerra Mundial. Wikipedia

Político nazista alemão e ministro da Propaganda da Alemanha nazista de 1933 a 1945. Um dos associados mais próximos e devotados de Adolf Hitler & # x27s, era conhecido por suas habilidades em falar em público e seu anti-semitismo profundamente virulento, que era evidente em sua voz pública Visualizações. Wikipedia

O governo da Alemanha nazista entre 30 de janeiro de 1933 e 30 de abril de 1945 após a nomeação de Adolf Hitler como Chanceler do Reich alemão pelo presidente Paul von Hindenburg. Originalmente planejado pelo político conservador nacional Franz von Papen, que reservou o cargo de vice-chanceler para si mesmo. Wikipedia

Diplomata alemão que serviu como Ministro das Relações Exteriores da Alemanha entre 1932 e 1938. Nascido em uma família nobre da Suábia, Neurath iniciou sua carreira diplomática em 1901. Wikipedia

Economista, banqueiro, político de centro-direita alemão e cofundador do Partido Democrata Alemão em 1918. Ele serviu como Comissário da Moeda e Presidente do Reichsbank durante a República de Weimar. Wikipedia

Político alemão e um dos principais membros do Partido Nazista na Alemanha nazista. Tentativa de negociar a paz com o Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial. Wikipedia

A ditadura é executada de acordo com o Führerprinzip. Como sucessor do governo da República de Weimar, herdou a estrutura e as instituições governamentais do estado anterior. Wikipedia

Político alemão nascido na Áustria que foi ditador da Alemanha de 1933 a 1945. Ele subiu ao poder como líder do Partido Nazista, tornando-se Chanceler em 1933 e depois Führer em 1934. Wikipedia

Líder econômico alemão e ministro da Economia do Reich. O jurista Kurt Schmitt formou-se em 1911 em Munique com a tese & quotO arquivo de informação contínua, em particular a convenção de informação & quot. Wikipedia

Secretário de Estado no Ministério da Justiça do Reich alemão (RMJ), que atuou como ministro da Justiça durante o Terceiro Reich. O réu de mais alta patente no Julgamento dos Juízes & # x27 em Nuremberg. Wikipedia

Advogado do Partido Nazista Alemão, funcionário público e secretário de Estado do Ministério do Interior do Reich durante a era nazista. Nasceu em Wiesbaden, filho de um ferroviário. Wikipedia

General e estadista alemão que liderou o Exército Imperial Alemão durante a Primeira Guerra Mundial e mais tarde se tornou Presidente da Alemanha de 1925 até sua morte em 1934. Durante sua presidência, ele desempenhou um papel fundamental no Machtergreifung nazista em janeiro de 1933, quando, sob pressão de conselheiros , ele nomeou Adolf Hitler como Chanceler da Alemanha. Wikipedia

O nome oficial do estado da entidade política que a Alemanha nazista tentou estabelecer na Europa durante a Segunda Guerra Mundial. As reivindicações territoriais para o Grande Reich germânico flutuaram ao longo do tempo. Wikipedia

Agência de nível ministerial do governo alemão de 1919 a 1945, operando durante a República de Weimar e a Alemanha nazista. Encarregado de regular as ferrovias, rodovias, hidrovias e a indústria da construção na Alemanha - uma espécie de agência de infraestrutura no entendimento de hoje. Wikipedia

O status legal da Alemanha diz respeito à questão da extinção, ou de outra forma, a continuação do estado-nação alemão (ou seja, o Reich alemão criado na unificação de 1871) após a ascensão e queda da Alemanha nazista e o hiato constitucional da ocupação militar de Alemanha pelas quatro potências aliadas de 1945 a 1949. Tornou-se atual mais uma vez quando a República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) juntou-se à República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental) em 1990. Wikipedia

Memórias escritas por Albert Speer, o Ministro dos Armamentos nazista de 1942 a 1945, atuando como arquiteto principal de Adolf Hitler e # x27 antes desse período. Considerada uma das descrições mais detalhadas do funcionamento interno e da liderança da Alemanha nazista, mas é controversa por causa da falta de discussão de Speer sobre as atrocidades nazistas e questões relacionadas ao seu grau de consciência ou envolvimento com elas. Wikipedia

Político monarquista conservador alemão, executivo, economista, funcionário público e adversário do regime nazista. Oposto ao Holocausto. Wikipedia


1960: Walther Funk & # 8211 O Homem que Imprimiu Dinheiro durante o regime de Hitler & # 8217s

O Reichsbank tinha sede em Berlim. Era um grande edifício, que mais tarde serviu como sede do Comitê Central e Politburo do partido governante na Alemanha Oriental.

Walther Funk foi presidente do Reichsbank (em alemão: Reichsbankpräsident ) de 1939 até o final da Segunda Guerra Mundial. Ele também serviu no governo de Hitler & # 8217s como Ministro da Economia do Reich ( Reichswirtschaftsminister ).

Após a Segunda Guerra Mundial, Walther Funk foi preso e julgado nos Julgamentos de Nuremberg. Ele foi acusado de conspiração para cometer crimes de guerra, crimes contra a humanidade e planejar, iniciar e travar guerras de agressão.

Walther Funk foi condenado à prisão perpétua e mantido na prisão de Spandau, perto de Berlim. Ele foi libertado em 1957 devido a problemas de saúde. Funk morreu em Düsseldorf em 1960.


Walther Funk

Imediatamente após o Holocausto, o mundo se deparou com um desafio - como responsabilizar individualmente os líderes alemães responsáveis ​​pela prática de crimes monstruosos contra a humanidade e a paz internacional. O Tribunal Militar Internacional (IMT), realizado em Nuremberg, Alemanha, tentou enfrentar esse imenso desafio. Em 18 de outubro de 1945, os promotores-chefe do IMT apresentaram acusações contra 24 importantes funcionários alemães, entre eles Walther Funk.

Walther Funk (1890–1960) foi Ministro da Economia e Presidente da Reichsbank (banco nacional) na Alemanha. Funk participou dos esforços para tirar os judeus alemães da economia e desempenhou um papel importante na reciclagem de propriedades confiscadas, valores e ativos financeiros das vítimas do Holocausto para a economia de guerra alemã.

Considerado culpado nas acusações dois, três e quatro (crimes contra a paz, crimes de guerra e crimes contra a humanidade), Funk foi condenado à prisão perpétua. Ele foi libertado em 1957 devido a problemas de saúde.

Réu Walther Funk, ex-ministro da Economia nazista e presidente do Reichsbank (banco nacional). - Biblioteca Harry S. Truman


Walther Funk - História

Ο Walther Funk, υπουργός οικονομικών του Γ Ράιχ στο κέντρο.

O discurso de Funk, o ministro da Economia do Reich, teve um efeito sensacional como uma espécie de destilação de longas deliberações sobre a reorganização econômica da Europa. Era considerado uma espécie de plano semi-oficial para todos os países ocupados.

As discussões sobre a estrutura e a organização da economia alemã e europeia após a guerra e sobre os efeitos que a guerra terá sobre a economia mundial têm preenchido cada vez mais as colunas da imprensa alemã e estrangeira nos últimos tempos. Tanto os homens de negócios quanto os teóricos pressionam cada vez mais nos últimos tempos. Tanto os homens de negócios quanto os teóricos estão dando muita atenção a esses problemas e algumas idéias e planos mais ou menos fantásticos surgiram, o que causou considerável confusão. Até mesmo o grande filósofo Hegel foi reivindicado como a fonte de evidências em apoio a certas opiniões. Frases de efeito de todos os tipos são abundantes, sendo a favorita "a grande economia europeia". Qualquer que seja a verdade que possa haver nesta noção, é preciso reconhecer, em primeiro lugar, que esta Grande Europa ainda não existe realmente, que primeiro tem de ser criada e que dentro da sua área ainda há muito atrito. Nessas circunstâncias, sinto que é meu dever fazer uma declaração clara e objetiva que trará a discussão de volta do reino da fantasia e da especulação para o mundo da realidade e dos fatos. Ainda não existe um plano rígido e rápido, mas apenas preparativos para um planejamento abrangente de acordo com as ordens do marechal de campo Hermann Göring, que decidirá sobre a forma final e a execução dos planos. Portanto, devo me limitar a uma declaração dos princípios e métodos básicos. Portanto, apenas indicarei os meios que podem ser usados ​​para atingir nosso objetivo. Além disso, a nova economia europeia deve crescer de forma orgânica.

A política econômica nacional-socialista nunca se permitiu ser governada por rígidos dogmas em seus métodos. Sempre usamos os métodos que pareciam mais convenientes na época. Nem pretendemos no futuro erguer uma estrutura artificial. Da mesma forma, a nova ordem econômica na Europa surgirá das circunstâncias existentes, mais especialmente porque as condições naturais existem para uma cooperação econômica estreita entre a Alemanha e os países europeus. Obviamente, a guerra terá efeitos de longo alcance na economia europeia e mundial. Cooperaremos estreitamente com nossa aliada Itália em todas as esferas e combinaremos as forças econômicas alemãs e italianas com o propósito da reconstrução europeia.

A questão da futura ordem econômica geral na Europa deve, portanto, ser respondida da seguinte forma: após a conclusão vitoriosa da guerra, devemos aplicar os métodos de política econômica que nos conquistaram nossos grandes sucessos econômicos antes da guerra e especialmente em tempo de guerra, e não contemplamos novamente permitir a operação do jogo de forças desregulado que envolveu a economia alemã em grandes dificuldades. Estamos convencidos de que nossos métodos serão uma grande vantagem não só para a economia da Grande Alemanha, mas também para todas as economias europeias que naturalmente mantêm relações comerciais estreitas com a Alemanha.

Em relação à questão da base de uma nova moeda, que recentemente tem sido objeto de um debate particularmente intenso, cabe dizer o seguinte:

A moeda é sempre secundária em relação à política econômica geral. Quando a economia não é sólida, não pode haver moeda estável. Numa economia europeia sã e com uma divisão racional do trabalho entre as economias dos países europeus, a questão monetária resolver-se-á por si mesma, porque então será apenas um problema técnico de gestão monetária. É lógico que o Reichsmark terá uma posição dominante. O grande aumento de poder do Grande Reich alemão inevitavelmente trará em seu rastro a estabilização do Reichsmark. A área monetária do Reichsmark, que ficará livre dos getters de dívidas externas não liquidadas e da prática de múltiplas moedas, deve então aumentar. A partir dos métodos de comércio bilateral já aplicados, haverá um maior desenvolvimento na direção do comércio multilateral e do ajuste das balanças comerciais de cada país, de modo que os diversos países possam estabelecer relações comerciais regulamentadas entre si por meio de uma câmara de compensação. Naturalmente, não haverá dúvidas sobre a abolição do controle cambial e da compensação compulsória de uma só vez. O problema também não é de câmbio livre de moeda estrangeira versus união monetária europeia, mas o próximo passo será desenvolver mais a técnica de compensação para que os pagamentos possam ser operados sem problemas entre os países vinculados à câmara de compensação. Além disso, os pré-requisitos para tal desenvolvimento existem, pois quase todos os países, devidamente posicionados para inclusão em uma central de compensação europeia, já possuem alguma forma de controle cambial. Os pré-requisitos para o funcionamento satisfatório de um sistema de compensação são que os acordos de compensação estabeleçam taxas de câmbio fixas para todos os pagamentos, que as taxas permaneçam estáveis ​​por muito tempo e que os montantes atribuídos para compensação sejam sempre pagos imediatamente.

O pagamento de transferências de compensação "descobertas" naturalmente coloca um problema monetário interno para países individuais. O medo prevalecente em todos os lugares hoje de tais saldos "descobertos" irá, no entanto, desaparecer porque, em primeiro lugar, o renascimento econômico geral que é esperado após a guerra causará um aumento da circulação de dinheiro, mesmo em países que aderiram até agora a uma política ortodoxa política do banco central baseada na teoria da cobertura do ouro e na operação automática do padrão ouro e, em segundo lugar, devido ao controle do governo sobre o balanço de pagamentos, o problema de compensação de saldos desaparecerá gradualmente.

O nível de preços terá de ser ajustado ao da Alemanha. Mas uma união monetária trará um nivelamento gradual dos padrões de vida que mesmo no futuro não será e não deverá ser o mesmo para todos os países vinculados ao sistema de compensação europeu, porque faltam os pré-requisitos econômicos e sociais para isso, e Seria absurdo regular a economia europeia nesta base num futuro previsível. Na Europa, cada país deve desenvolver e expandir suas próprias forças econômicas e cada país deve ser capaz de negociar com qualquer outro, mas os princípios e métodos que regem esse comércio devem, em geral, ser os mesmos. Isso tem a vantagem de que as medidas de controle econômico e compulsão em um sistema geral de moeda e pagamento podem ser amplamente reduzidas porque esses controles e regulamentos detalhados, envolvendo um sistema de preenchimento de formulários que pode impedir enormemente o comércio individual, não serão mais necessários. Quando o tratado de paz tiver esclarecido a situação e estabelecido as funções do sistema de compensação central europeu, será possível eliminar o controle de divisas dentro desta área, primeiro para viagens e negócios fronteiriços de pequena escala e, em seguida, para o comércio exterior no âmbito da importação. quotas, quando a atribuição de quotas pode ser confiada a organizações comerciais que operam em escala adequada nos diversos países. Os bancos comerciais podem, então, assumir a responsabilidade definitiva pelos pagamentos a serem feitos por meio da conta de compensação, especialmente para o financiamento comercial de curto prazo. Mas, para as transferências de capital, a direção e o controle do Estado continuarão sendo indispensáveis.

A questão de saber o que vai faltar na nova economia europeia e que bens estarão disponíveis para exportação deve ser respondida da seguinte forma:

Depende do que está incluído no espaço económico europeu e das outras fontes de abastecimento disponíveis. Certos produtos sempre faltarão na Europa. Não estamos, entretanto, pensando em mudar para uma economia exclusivamente autossuficiente, um sistema como não tentamos alcançar na Alemanha antes ou durante a guerra; pelo contrário, faremos nosso papel natural no comércio mundial da maneira usual maneiras. Portanto, não se trata de autarquia ou exportação, mas de autarquia e exportação, o que requer uma compreensão adequada do termo. Consideraremos importante comercializar nossos produtos industriais de alta qualidade em troca de matérias-primas nos mercados mundiais. Mas aqui fazemos uma reserva. Temos de assegurar que existe uma oferta suficiente no espaço económico europeu de todas as mercadorias que tornam este espaço economicamente independente de outras zonas. Devemos, portanto, garantir sua liberdade econômica. Isso é em grande parte uma questão de padrões de vida. Por exemplo, no futuro, não precisaríamos importar uma única tonelada de petróleo de mercados externos se quiséssemos limitar nosso consumo de produtos petrolíferos por meio de racionamento. Mas se todos devem ser livres para dirigir um carro o quanto quiserem e se o maior número possível de carros for produzido, então não há nada que nos impeça de importar este óleo extra dos mercados mundiais, porque em caso de necessidade de consumo

Bens como café, chá, cacau, etc. Devemos ter cuidado para que, com o tempo, a área econômica da Grande Alemanha não se torne dependente, no que diz respeito ao que ela pode produzir, de forças e poderes sobre os quais não tem controle. A este respeito, devemos lembrar que a situação da matéria-prima da Grande Alemanha melhorou imensamente durante a guerra e que a Alemanha emergirá no final de uma guerra vitoriosa com um volume potencial de exportações como nunca teve antes. No que se refere ao carvão, potássio, ferro, madeira, energia elétrica e também todos os materiais sintéticos desenvolvidos com tanto sucesso pela economia e ciência alemãs e com a ajuda de novos produtos, nos tornaremos ainda mais independentes da economia mundial e, principalmente, do monopólio. produtos do mundo, esse era o caso anteriormente. Isso é verdade para todas as matérias-primas, especialmente produtos agrícolas. No setor de alimentos, um aumento sistemático da produção e um ajuste da produção para atender às necessidades vitais garantirão um maior grau de autossuficiência que já foi o caso na Grande Alemanha. O mercado de grãos europeu centralmente regulado e organizado, entretanto, não será como a velha bolsa especulativa de milho, mas funcionará como o sistema de compensação de moeda como um centro de compensação de grãos. Fundamentalmente, no entanto, laços econômicos com o resto do mundo a fim de elevar os padrões de vida da nação alemã e dos estados industriais altamente desenvolvidos da Europa.

Outra pergunta repetidamente feita é: que entregas de mercadorias a nova Europa espera da Rússia, América, América do Sul e Leste Asiático? E que bens ela fornecerá em troca? In this connection the following should be noted.

We have a very useful trade agreement with Russia. Russia is the natural trade partner for highly developed industrial states. We are of the opinion that, by supplying us with raw materials in exchange for finished German products, Russia will in the future stimulate her own economic development even more than hitherto. The extent to which we trade with the United States of America depends entirely on the Americans themselves. Of course, so long as they discriminate against German goods, such trade is problematical and so long as they adhere to dogma for its own sake our trading with the United States will always come up against difficulties. But if the United States wants to assist in restoring cohesion to world economy, she must abandon her erroneous idea that she can be at the same time the greatest creditor and the greatest exporter. These two things cannot be brought down to a common denominator, because it is impossible for a great creditor nation to encourage exports in every way and systematically obstruct imports. What the Americans will eventually do with their gold, we are not in a position to say. The gold problem is first and foremost a problem for the Unites States of America. In future gold will cease to be the basis for European currency, because the currency will be independent of gold and will depend on the value given to it by the state, or in this case by the state-controlled economic system. The clearing system described above makes gold superfluous for currency and payment purposes within the clearing area. It is a somewhat different question whether gold is to be considered a suitable means of settling the balances not subject to clearing, that is to say for free trade and payments but we shall never pursue a currency policy which makes us in any way dependent on gold, because we cannot tie ourselves to a medium of exchange the value of which we are not in position to determine. If the Americans wished to rid themselves of their gold, which at present lies idle in the cellars of Fort Knox, bearing no interest, they could revalue the dollar, which naturally would involve the American economy in considerable difficulties. But then gold would flow out of America, that is, there would be a ready market in America and thus a flow of goods to America would be set in motion. But this question will depend on the extent to which American domestic policy will permit the carrying through of such measures. Moreover, if all the gold which lies underground in America were to be placed on an island and if this island were to be submerged as a result of a natural catastrophe, the economic life of nations would still go on. The last word on the gold problem has not yet been said.

We have maintained the best of trade relations with South America and East Asia and we are convinced that, as soon as English piracy ceases, trade with South America and East Asia will develop favorably, for we must always bear in mind that the difficulties of world economy and the supplying of Europe in particular, apart from the crazy methods of Versailles, can be attributed firstly to the shrinking of Russia’s huge market, which disposed of her superfluous grain in Europe, and secondly to the adverse effects suffered by the great East Asian market as a result of the unrest in China, and that a different situation would immediately arise if China should again establish stable political and economic relations, which is what Japan desires. Our old-established and well organized trade with South America has been interrupted only by the English blockade. We are convinced that here, too, normal trade will be resumed once the war at sea can no longer prevent it. Nor do we believe that the efforts to make American markets autarkic and to cut them off from trade with the world will be successful. The economic prerequisites for such a policy do not exist, because the United States cannot buy the same volume of products from South America as Europe can. The United States must abandon the idea that she can dictate her own economic terms to Germany or Europe. We do not need North America as an intermediary in trading with South American countries. Either Germany trades with South America on the basis of free agreements with sovereign states, or she does not trade with South America at all. Moreover, the United States actually favors a fundamental economic bilateralism I connection with her policy of commodity agreements for South American products. Technical difficulties do not, however, stand in the way of the normalization and extension of mutual trade relations provided German-American trade is allowed to develop freely. The European clearing system does not in any way exclude the free exchange of foreign currency with countries not included in the system. The Reichsmark will become acceptable in this type of trade after the war. After all, it is not the methods used but the quality of the goods which will be the deciding factor. And in this respect we certainly need not feel any anxiety about German export goods!

Turning from the external to the internal sector, the question, ‘How is this war being financed in Germany?’ is one in which the world shows a lively interest.

The war is financed by work, for we are spending no money which has not been earned by our work. Bills based on labor – drawn by the Reich and discounted by the Reichsbank – are the basis of money. And these bills are of absolutely invariable value because prices and wages are stable, apart, naturally, from those cases where higher prices or higher wages have to be recognized as justified and necessary as a result of definite developments. Where higher production is achieved, higher wages are also paid. The extent of our consolidation of short-term credits is therefore of no importance. Present indebtedness in Germany does not cause concern, chiefly because we have succeeded in reducing the rate of interest for Reich credits in war-time and the public finances are in order.

And now, finally, the last question: How will the war economy be reconverted to a peace-time economy? Will not this changeover cause an economic crisis? The answer is clear and simple.

Since we have guided our economy both before and during the war according to the needs of the state, and since, also, there will be tremendous tasks to be accomplished after the war for the general welfare, the changeover to a peacetime economy will not cause great difficulties, because a great need for money or credit will not arise all of a sudden, more especially because the stocks which have to be replenished can be made available only gradually. Moreover, after the war we shall direct the flow of money and credit into the production of those goods which are most necessary and important for us. A system of priorities, tasks, ad orders will be maintained after the war.

To sum up, the following must be said:

  1. By concluding long-term economic agreements with European countries it will be possible to assign a place for the German market in the long-term production planning of these countries, i.e. as a safe export outlets will be found to exist for German goods in European markets.
  2. By creating stable exchange rates a smooth working system of payments must be assured for the carrying on of trade between individual countries. In so doing we hall link up with the existing payments agreements, which will be expanded to include a greater volume of trade on the basis of stable exchange rates.
  3. By an exchange of experience in the field of agriculture and industry a maximum production of foodstuffs and raw materials must be our aim, and a rational economic division of labor must be achieved in Europe. By the appropriate use of all economic resources available in Europe, the living standards of European nations must be raise, and their safety in face of possible blockade measures from outside Europe must be increased.
  4. A stronger sense of economic community among European nations must be aroused by collaboration in all spheres of economic policy (currency, credit, production, trade, etc.). The economic consolidation of European countries should improve their bargaining position in dealings with other economic groups in the world economy. This united Europe will not submit to political and economic terms dictated to it by any extra-European body. It will trade on the basis of economic equality at all times in the knowledge of the weight which carries in economic matters.

The coming peace-time economy must guarantee for Greater Germany a maximum of economic security and for the German nation a maximum consumption of goods to raise the level of the nation’s well-being. The European economy must be adapted to achieve this aim. Development will proceed by stages and differently in different countries it is still beset with numerous uncertainties, for – we must never forget – we are still at war!


Amarillo Territory

MAJOR CHAMPIONSHIPS:
North American Heavyweight title (1956-1969)
Western States Heavyweight title (1969-1981)
International Heavyweight title (1960-1961, 1974-1981)
Brass Knuckles title (1962-1981)
World Tag Team title (1955-1968)
International Tag Team title (1959-1975)
North American Tag Team title (1963-1967)
Western States Tag Team title (1969-1981)
World Heavyweight title (1962-1963)

PROMOTIONAL HISTORY:

Western States Sports (and its parent company Southwest States Enterprises) was founded in 1946 by Dory Detton and based in Amarillo, TX. While it would eventually expand to include cities in Colorado, Oklahoma and New Mexico, Detton’s group originally promoted professional wrestling throughout the western portion of Texas. A member of the National Wrestling Alliance beginning in 1951, a retiring Detton made the decision to sell his territory to Karl Sarpolis e Dory Funk in 1955. Although it was fairly expansive in geographic terms, the west Texas promotion was not among the highest grossing territories of the era. However, Western States Sports was nevertheless a very influential promotion creatively and Sarpolis himself served as the President of the NWA in 1962.

It was during this time period that Sarpolis and Funk had a falling out with the NWA that resulted in Western States Sports recognizing a World Heavyweight champion not affiliated with the National Wrestling Alliance. At first, Gene Kiniski held the promotion’s version of the World title before losing the championship to Dory Funk, Jr. Things were eventually smoothed over between the two sides, though, and within a year the promotion resumed recognition of the NWA World title. But, on May 28, 1967, Sarpolis passed away unexpectedly due to a heart attack suffered after he was involved in a boating accident. The Funk family then went on to purchase his shares in the promotion from Sarpolis’ widow. In addition to being the full owner of Western States Sports, Dory Funk was also the group’s biggest star and when his two talented sons, Dory, Jr. and Terry, began their careers during the mid-1960s, the Amarillo territory entered its glory days. Expanding into new markets and solidifying a working agreement with Shohei Baba’s All Japan Pro Wrestling, the Western States promotion soon became a hotbed for professional wrestling, culminating in both Dory Funk, Jr. (1969-1973) and Terry Funk (1975-1977) becoming the NWA World Heavyweight champion.

Terry Funk, Dory Funk, Jr., & Dory Funk, Sr.

Following the death of Dory Funk, Sr. in 1973, his sons inherited full ownership of the promotion. However, juggling their individual duties as NWA champion and, later, their frequent tours of Japan and other NWA territories cut into their ability to run the Amarillo promotion full-time. While the 1970s had begun with Western States Sports doing the best business in its history, by the end of the decade the promotion was struggling. Eventually, Dory Funk e Terry Funk saw the writing on the wall and decided that it would be in the best interest of both Western States Sports and themselves to go ahead and sell the promotion to someone who would be able to devote the time and energy needed to run the territory properly. So, in 1980 the duo of Bob Windham (Blackjack Mulligan) e Dick Murdoch purchased Western States Sports from the Funk brothers. The new owners tried their best to revive the failing promotion, however, they were unable to turns things around and, after losing money month after month on te promotional endeavor, they reluctantly shut down Western States Sports in 1981.


Third Reich career [ edit ]

In March 1933, Funk was appointed as a State Secretary (Staatssekretär) at the Ministry of Public Enlightenment and Propaganda (Reichsministerium für Volksaufklärung und Propaganda) Ώ] In the summer of 1936 when Hitler commissioned Albert Speer for the rebuilding of central Berlin, it was Funk who proposed his new title of "Inspector-General of Buildings for the Renovation of the Reich Capital". ΐ] On 5 February 1938, Funk became General Plenipotentiary for Economics (Generalbevollmächtigter für die Wirtschaft), as well as Reichsminister of Economics (Reichswirtschaftsminister) permanently replacing Hjalmar Schacht, who had resigned on 26 November 1937. Schacht had been engaged in a power struggle with Reichsmarschall Hermann Göring, who wanted to tie the ministry more closely to his Four Year Plan Office Α] and who briefly served as Schacht's immediate successor between November 1937 and January 1938.

Between April 1938 and March 1939 Funk was also a Director of the Swiss-based multi-national Bank of International Settlements, Β] and in January 1939, Hitler appointed Funk as President of the Reichsbank. Funk recorded that by 1938 the German state had confiscated Jewish property worth two million marks, using decrees from Hitler and other top Nazis to force German Jews to leave their property and assets to the State if they emigrated, such as the Reich Flight Tax.

On 30 August, immediately prior to the outbreak of the Second World War, Funk was appointed by Hitler to the six-person Council of Ministers for Defense of the Reich which was set up to operate as a "war cabinet". Γ] Throughout the war years, Funk was present at a great many important meetings, including that held in the Great Hall of the [still extant] Air Ministry on 13 February 1942 chaired by Field-Marshal Erhard Milch about the four-year plan, which embraced the entire economy. 30 crucial people were present. Funk sat to the right of Milch, at his request. After much debate Albert Vogler said "there must be one man able to make decisions. Industry did not care who it was." After further discussion Funk stood up and nominated Milch as that man. Speer whispered to Milch this was not a good idea and Milch declined. Five days later Hitler conferred the role on Speer. As he and Funk walked Hitler back to his apartment in the Chancery Funk promised Speer that he would place everything at his disposal and do all in his power to help him. Speer relates that Funk "kept the promise, with minor exceptions." Δ] In September 1943, Funk was appointed as a fourth member of the Central Planning Board, which was charged with managing the raw materials and manpower for the entire war economy. Ε] He subsequently joined Robert Ley, Speer and Goebbels in the struggle against the influence on Hitler by Martin Bormann. Ζ] Funk and Milch were again together for Goering's birthday party on 12 January 1944 when Funk, as he did every year, delivered the birthday speech at the banquet. & # 919 e # 93

Funk stayed in office until nearly the end of the Nazi regime and was named by Hitler in his political testament to continue as Reichsminister for the Economy in the cabinet of Joseph Goebbels. However, after Goebbels' suicide on 1 May 1945, Funk was not named to the cabinet formed by Lutz Graf Schwerin von Krosigk. ⎖] Arrested by American forces on 11 May, he was sent to Camp Ashcan to await trial.


Walther Funk

Walther Emanuel Funk (18. elokuuta 1890 Trakehnen, Itä-Preussi (nyk. Jasnaja Poljana Venäjällä) – 31. toukokuuta 1960 Düsseldorf) oli saksalainen sanomalehtimies ja kansallissosialistinen poliitikko. Hän oli vuodesta 1938 valtiovarainministeri ja 1939 jälkeen myös valtakunnanpankin eli Reichsbankin johtaja.

Funk syntyi kauppiasperheeseen Trakehnenissa Itä-Preussissa. Vuodesta 1908 Hän opiskeli Berliinin ja Leipzigin yliopistoissa oikeustiedettä, kansantaloustiedettä, kirjallisuustiedettä ja musiikkia. Vuonna 1912 hän väitteli oikeustieteen tohtoriksi. Samalla hän hankki lehtimiehen koulutuksen työskentelemällä muiden muassa Berliner National-Zeitungissa. Ensimmäisen maailmansodan aikana hän liittyi armeijaan, mutta hänet kotiutettiin palvelukseen kelpaamattomana vuonna 1916. Sodan jälkeen hän ryhtyi journalistiksi ja vuonna 1922 hänestä tuli oikeistolais-sentristisen talouslehden, Berliner Börsenzeitung, toimittaja. Hän toimi lehden päätoimittajana vuodesta 1922 vuoteen 1930.

Vuonna 1919 Funk meni naimisiin Luise Schmidt-Sieben kanssa. Vuonna 1920 hän julkaisi kirjoituksen pankkien asemasta konsernien muodostumisessa. Tämä tutkimus teki Funkin tunnetuksi talouspiireissä. Sittemmin hän julkaisi useita artikkeleita tieteellisissä julkaisuissa ja esitelmöi usein kansainvälisissä tieteellisissä konferensseissa. Julkaistuaan Saksan valuuttauudistusta käsittelevän kirjasen hän sai tilaisuuden esitellä finanssipoliittisia ajatuksiaan valtiovarainministeri Hans Lutherin ja Hjalmar Schachtin edessä. Vaikka Funk torjuikin vuoden 1924 Dawes-suunnitelman, häntä ei pidetty Weimarin tasavallan vastustajana.

Vuonna 1927 Funkista tuli lehdistöasiain asiantuntijalautakunnan puheenjohtaja Berliinin pörssissä sekä Berliinin teollisuus- ja kauppakamarissa. Vuodesta 1928 vuoteen 1932 hän oli jäsenenä Saksan talous- ja sosiaalipoliittisen seuran johtokunnassa.

Funk tapasi ensi kertaa Adolf Hitlerin vuonna 1931. Hän oli läheisessä kanssakäymisessä Gregor Strasserin kanssa, joka järjesti tapaamisen. Funk oli kertomansa mukaan syvästi vaikuttunut Hitlerin persoonasta. Hän liittyi Saksan kansallissosialistiseen työväenpuolueeseen. Koska Funk tunsi useita Saksan talouselämän ja teollisuuden merkkihenkilöitä, hänestä tuli tärkeä mies puolueen kontaktien solmijana. Hän pystyi järjestämään puolueelle miljoonaluokan lahjoituksia useilta saksalaisilta teollisuusmiehiltä ja yrityksiltä.

Hjalmar Schachtin suosituksesta Hitler kutsui Funkin henkilökohtaiseksi talouspoliittiseksi neuvonantajakseen vuonna 1931. Vuonna 1932 Funk valittiin puolueen talouspoliittisen valtakunnankomitean puheenjohtajaksi. Vuoteen 1933 hän oli myös puolueen keskuskomitean talouspoliittisen komission johtaja.

Maaliskuussa 1933 Funk nimitettiin valtakunnan kansanvalistus- ja propagandaministeriön valtiosihteeriksi, samalla kun Joseph Goebbels nimitettiin kansanvalistus- ja propagandaministeriksi. Goebbels ei suinkaan ollut ihastunut nimityksestä, jonka pääasiallisena tarkoituksena olikin toimia tasapainottavana elementtinä radikaalina pidetyn Goebbelsin vastapainona. Arveltiin, että iäkäs valtakunnanpresidentti Paul von Hindenburg sietäisi paremmin Goebbelsiä, mikäli ministeriössä olisi hänen vastapainonaan porvarillinen ja perinteisen uran tehnyt Funk. Valtiosihteerinä Funk valvoi ennen kaikkea valtakunnan lehdistöä, hänen tittelinsä olikin ”valtakunnanhallituksen lehdistöpäällikkö”. 15. marraskuuta 1933 hänestä tuli myös valtakunnan kulttuurikamarin varapresidentti.

Helmikuussa 1938 Funk nimitettiin virasta eronneen Hjalmar Schachtin tilalle valtakunnantalousministeriksi. Tammikuusta 1939 hän toimi myös Valtakunnanpankin johtajana, elokuusta 1939 hän oli jäsen valtakunnanpuolustuksen ministerineuvostossa, vastuualueenaan talous sotatilan aikana. Valtakunnanministerinä Funk oli myös pääasiallisesti vastuullinen juutalaisten sulkemisesta pois talouselämästä ja heidän omaisuutensa takavarikoinnista. ”Asetus juutalaisten omaisuuden ilmoittamisesta”, joka annettiin 6. heinäkuuta 1938 ja ”Kolmas asetus Valtakunnan kansallisuuslain toimeenpanosta”, joka annettiin 14. kesäkuuta 1938 rajoittivat juutalaisten omistusoikeutta ja ammatinharjoittamista, lopulta ne sulkivat juutalaiset kokonaan pois talouselämästä.

9. elokuuta 1940 Funk kielsi valtakunnantalousministerin ja Valtakunnanpankin pääjohtajan ominaisuudessa juutalaisia käyttämästä heidän pankkeihin ja muihin laitoksiin sijoittamaansa omaisuutta. Vuonna 1942 Funk teki Heinrich Himmlerin kanssa salaisen sopimuksen, jonka mukaan keskitysleireille lähetettyjen juutalaisten arvoesineet toimitettaisiin Valtakunnanpankkiin. Varat talletettiin SS:n hyödyksi erikoistilille, joka oli avattu nimellä ”Max Heiliger”.

4. helmikuuta 1943 Funk kielsi kaiken käsityön ja kaupan, jolla ei ollut merkitystä maan sotaponnistuksille. Samalla hän määräsi kaikki ravitsemus- ja anniskeluliikkeet suljettaviksi, elleivät ne palvelleet armeijaa. Syyskuussa 1943 hänet nimitettiin jäseneksi valtakunnan varusteluministeri Albert Speerin johtamaan suunnittelulautakuntaan. Käytännössä Funkin vaikutusvalta kuitenkin väheni. Yhä useammin kävi ilmi, ettei hän enää ollut tehtäviensä tasalla. Samalla hänen alkoholinkäyttönsä kerrottiin kasvaneen ongelmallisiin mittoihin.

Huonosta terveydentilastaan huolimatta Funk tuomittiin muiden natsijohtajien kanssa Nürnbergin sotarikosoikeudenkäynnissä. Häntä syytettiin rikoksista rauhaa vastaan, sodan suunnittelusta ja sytyttämisestä, sotarikoksista ja rikoksista ihmiskuntaa vastaan. Funk kuitenkin väitti lukuisista titteleistään huolimatta, että hänellä ei ollut todellista valtaa ja Hermann Göring kuvailikin häntä ”merkityksettömäksi alaiseksi”. Lisäksi Funk selitti, ettei hän ollut seurannut Hitleriä vakaumuksesta, vaan mukavuudenhalusta. Funkin sodan aikana kirjoittamaa elämäkertaa käytettiin kuitenkin todisteena häntä vastaan, ja Funk saikin elinkautisen vankeustuomion.

Funkia pidettiin Spandaun vankilassa muiden natsijohtajien kanssa, kunnes hänet heikon terveydentilansa takia vapautettiin 16. toukokuuta 1957. Joulukuussa 1958 berliiniläinen valaoikeus tuomitsi Funkin 10 900 Saksan markan vahingonkorvauksiin. Korvausten oli määrä toimia symbolisen hyvityksenä hänen roolistaan juutalaisten vainoissa. Funk kuoli kolme vuotta myöhemmin, toukokuussa 1960.


Assista o vídeo: NICOLAS WALTER RS X GINE - BATALHA DO COLISEU - EDIÇÃO 84 (Dezembro 2021).