A história

Palos I SeTug - História


Palos

eu

(SeTug: t. 420; 1. 137 '; b. 26'; dr. 9'10 "; v. 10,35 k .; a.
2 armas)

O primeiro Paloe, um rebocador de parafuso de ferro de 4ª classe, foi construído por James Tetlow, Chelsea, Massachusetts, em 1865 e foi colocado em serviço como um

rebocador de jarda no Boston Navy Yard no ano seguinte. Colocado em comum em 1869, o rebocador foi convertido em uma canhoneira e comissionado em 11 de junho de 1870, com o tenente C. H. Roekwell no comando.

Saindo de Boston em 20 de junho para a Estação Asiática, Palos cruzou o Atlântico e o Mediterrâneo, tornando-se o primeiro navio de guerra americano a transitar pelo Canal de Suez de 11 a 12 de agosto, e chegou a Cingapura, via Aden e Ceilão, em 25 de setembro. Após uma breve estada naquele porto, a canhoneira partiu para Hong Kong e pelos próximos 22 anos operou nas costas e águas interiores da China e do Japão protegendo os interesses americanos.

Em maio de 1871, o navio de guerra partiu de Xangai para Nagasaki, Japão, e daí a Coreia como parte do Esquadrão Asiático sob o contra-almirante John Rodgers levando o ministro dos EUA para a China Francis Low em uma missão diplomática ao "Reino Eremita". Enquanto estava envolvida no levantamento do rio Salee em 1º de junho, ela foi alvejada por um forte coreano, dois homens do esquadrão sendo feridos antes que o fogo de retorno parasse o ataque. O almirante Rodgers esperou dez dias por um pedido oficial de desculpas e então ordenou que Palos, a canhoneira Monocacy e um grupo de desembarque de 650 homens entrassem em ação, os dois navios de guerra apoiando um ataque e captura do forte principal coreano em 10 de junho e a tomada de outros quatro no dia seguinte . O esquadrão partiu da costa coreana em 3 de julho sem renovar as negociações, mas a demonstração de força foi útil para abrir o país ao comércio ocidental.

Palos continuou suas operações na Estação Asiática em 1891, percorrendo as costas chinesa e japonesa, visitando os portos abertos do tratado e fazendo viagens ocasionais subindo os rios Yangtze e Canton. De junho a setembro de 1891, revoltas anti-estrangeiras subindo o Yangtze forçaram o navio de guerra a fazer uma longa viagem até Hankow, 600 milhas rio acima em proteção de vidas e propriedades americanas. Parando em cada porto aberto do tratado, a canhoneira cooperou com navios de guerra de outras nações para restaurar a ordem e reparar danos. Ela então operou ao longo da costa norte e central da China e no baixo Yangtze, aliviando as tensões anti-estrangeiras até junho de 1892, quando navegou para Nagasaki, chegando no dia 19.

Palos foi condenado como impróprio para o serviço adicional em 6 de julho e foi descomissionado e vendido em leilão em 25 de janeiro de 1893. Posteriormente, ela foi descartada.


Moradores de Palos Township preparados para fazer história: CARTA

Manifestantes se reúnem em frente ao Palos Township Hall para exigir Tr. Sharon Brannigan & # x27s renúncia por supostos comentários racistas que ela fez sobre os árabes americanos. (Lorraine Swanson / Patch)

PALOS HILLS, IL - A eleição do município de Palos em 6 de abril será histórica porque segue uma campanha de quatro anos na qual a comunidade árabe e seus amigos e aliados no município e nos subúrbios do sudoeste estão se organizando para forçar a renúncia do administrador Sharon Brannigan, em resposta às declarações racistas, anti-árabes e anti-muçulmanas, ela postou em sua página do Facebook.

A comunidade árabe tem protestado contra as reuniões do município todos os meses desde julho de 2017, e esta eleição chega na esteira de uma série de vitórias, incluindo a mobilização de centenas de membros da comunidade em um período de quase quatro anos, incluindo um ano de pandemia.

Para garantir a segurança dos membros da comunidade durante a pandemia, conduzimos protestos de caravanas pelo município e ao redor da casa de Brannigan. Até mesmo seus vizinhos, que vieram nos apoiar durante aquelas caravanas, estão enojados com seu racismo. A pressão que colocamos no Township valeu a pena, forçando o resto do Conselho de Curadores do Township a se livrar de Brannigan. Também é importante observar que, como chefe do comitê de saúde pública do município, Brannigan "não tinha nada a relatar" em 11 das 12 reuniões a que ela compareceu durante a pandemia.


INSCREVA-SE AGORA Notícias de última hora KRON4

SAN FRANCISCO, Califórnia (KRON) & # 8212 A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, abordou brevemente sua controvérsia sobre o cabelo que se desenvolveu depois que ela fez o cabelo em um salão de São Francisco - antes que a cidade permitisse que os salões funcionassem dentro de casa.

Pelosi disse que o salão de cabeleireiro, que ela diz que frequenta há anos, armou para ela. Ela acrescentou que o salão lhe deve um pedido de desculpas.

Vídeo de vigilância que circulou online mostrou Pelosi dentro do Salão “E” na segunda-feira na Union Street.

KRON soube que o vídeo mostra Pelosi com o cabelo molhado dentro do salão, sem usar máscara.

& # 8220Assumo a responsabilidade por confiar na palavra de um salão de beleza do bairro que & # 8217 visitei muitas vezes ao longo dos anos & # 8221, disse ela na quarta-feira, enquanto se dirigia a repórteres na cidade. & # 8220Quando eles disseram que podiam acomodar uma pessoa de cada vez, eu confiei nisso. & # 8221

& # 8220Acontece que & # 8211 foi uma configuração & # 8221 acrescentou. & # 8220Assim, assumo a responsabilidade por cair em uma configuração. & # 8221

O advogado que representa Jonathan DeNardo, cosmetologista de São Francisco que supostamente atendeu Pelosi, divulgou um comunicado na noite de quarta-feira.


Vida pessoal

Pelosi é um membro ativo da comunidade ítalo-americana e atuou como membro do conselho da Organização Nacional da Mulher ítalo-americana. Ela serviu lá por 13 anos como membro do conselho da National Italian American Foundation (NIAF). Ela recebeu um Prêmio de Realização Especial para Advocacia Pública em 2007. Pelosi conheceu seu marido Paul Frank Pelosi quando ela estava cursando a faculdade.

O casal se casou em setembro de 1963. Seu marido é dono de uma empresa de capital de risco, consultoria financeira e imobiliária. Seu marido, Paul, possui grandes participações em empresas como Facebook, Apple, Comcast, Shutterflye Walt Disney Co. Paul Pelosi é um homem rico e também possui alguns prédios de escritórios em San Francisco. Ele também tem muitas propriedades comerciais na Califórnia.


Palos I SeTug - História

Palos Hills foi incorporada como uma cidade em outubro de 1958. Os limites generalizados de Palos Hills na incorporação foram o Canal Calumet-Sag, a 95th Street, a Kean Avenue e a Harlem Avenue.

Você pode clicar no mapa abaixo para uma imagem maior dos limites generalizados de Palos Hills.

Origem do nome de Palos Hills - Incorporação de Palos Hills
(Trecho do artigo quinta-feira, 7 de março de 1974 Jornal regional de Palos)

& quotO nome Palos, como os nomes de muitas vilas e cidades nos Estados Unidos, tem sua origem no Velho Mundo. Palos tem o mesmo nome de Palos de Frontera, o porto do outro lado da costa de cujo porto navegavam o Nina, o Pinta e o Santa Maria.

Quando o município foi organizado pela primeira vez em 1850 a partir de uma parte do antigo distrito de York, foi nomeado Trenton. Logo depois dessa época, no entanto, as autoridades souberam que outro município de Trenton estava localizado nas proximidades.

Supostamente, o nome Palos foi sugerido por Melanchan Powell, um dos primeiros colonos e primeiro postmaster de Palos. Powel, baseando-se na tradição familiar de que um de seus ancestrais fora membro da tripulação de um dos navios comandados por Cristóvão Colombo, sugeriu o nome de Palos. Embora a tradução exata da palavra espanhola & quotPalos & quot seja incerta, pode significar uma árvore alta, o mastro de um navio ou um promontório.

A construção do canal Illinois-Michigan trouxe enxames de colonos da Alemanha, Irlanda e do leste dos Estados Unidos para a área. Logo depois que essas pessoas chegaram, os lenhadores, os fazendeiros e os criadores de gado vieram morar em Palos.

O & quotHills & quot, o & quotPark & ​​quot e o & quotHeights & quot foram adicionados ao nome da Palos por incorporadores imobiliários. & Quot

Palos Hills era predominantemente uma comunidade agrícola até a Segunda Guerra Mundial, quando a Chrysler Corporation construiu uma fábrica de aviões em Ford City e incorporadores imobiliários descobriram a área conhecida então como North Palos. Logo após o fim da guerra, a construção de residências comerciais nas áreas começou, e em 1946 o primeiro Fire House foi erguido. A primeira escola no Distrito 117 de North Palos foi construída em 1940.

Em 1957, tornou-se evidente que Hickory Hills, Worth, Bridgeview e Chicago Ridge estavam gradualmente estendendo seus limites para North Palos. Era hora de alguma ação ser tomada em relação a uma carta constitutiva e o Conselho da Comunidade de North Palos foi formado com Earl Potter escolhido como presidente. Um referendo foi realizado em 25 de outubro de 1958, momento em que os residentes votaram pela incorporação da cidade de Palos Hills. Logo após a aprovação do referendo, Carleton Ihde foi eleito o primeiro prefeito.

Desde então, a cidade cresceu consideravelmente, trazendo para a comunidade a Biblioteca Green Hills, A.A. Stagg High School e Moraine Valley Community College, e várias igrejas e escolas, bem como várias empresas.

No início dos anos 1980 & # 39s, Palos Hills iniciou uma nova administração da cidade sob a liderança de Gerald R. Bennett como prefeito. Muitas melhorias importantes foram feitas desde então, incluindo novas estradas, drenagem, calçadas melhoradas, projetos de iluminação em nossas principais vias e ruas de bairro. Também vimos a adição de um campo de golfe municipal, serviços ampliados de parques e um departamento de recursos comunitários atendendo às necessidades de todas as faixas etárias. Em 1994, foi inaugurada uma nova prefeitura em 10335 South Roberts Road, que abriga os departamentos de Administração, Esgoto e Água, Construção e Licenciamento, Recursos Comunitários e nossa Portaria / Oficial de Controle Animal.

Palos Hills - Uma Pré-História
por William L. Potter
(Todos os direitos reservados - Copyright William L. Potter)
(Trechos reimpressos com permissão do Sr. William L. Potter)

Requiem em Palos Hills

Ela veio com sua família para passar o verão aqui um ano. Enquanto outras pessoas da família caçavam na floresta próxima e pescavam no Sag, ela colhia frutas e ajudava a mãe no jardim. Ela amava isso aqui. O outono veio, sua família mudou-se, mas ela nunca foi embora. Quando ela morreu, eles a enterraram na colina arborizada atrás do jardim. Isso foi há mais de 250 verões. O corpo da menina ainda está intocado e sem ser detectado no quintal de uma casa em Palos Hills. A garota foi uma das primeiras residentes de Palos. Ela era uma índia.

Os pioneiros indianos em Palos

Por milhares de anos, os índios foram atraídos para esta área, estabelecendo acampamentos e pequenos vilarejos ao longo do Pântano Sagaunash. Essa grama sufocante de água e lama se estendia do vale do rio Des Plaines, a oeste, até o que hoje é a Ilha Azul, a leste. O pântano de Sag tinha as características que o homem primitivo procurava: as áreas aquáticas continham um suprimento abundante de peixes, mariscos, pássaros e animais peludos. As margens do Sag (e pântanos próximos) eram pontilhadas com plantas que forneciam numerosas raízes e bagas comestíveis. O solo rico era adequado para o cultivo de milho, feijão e abóbora. As colinas e bosques próximos forneciam caça, como veados e guaxinins. Riachos, riachos intermitentes e nascentes na base dessas colinas forneciam água doce. Resumindo, a área de Sag Swamp foi um dos vários locais na área de Chicago que os índios procuraram enquanto estavam nas proximidades da ponta do Lago Michigan.

A chegada dos europeus

No final do verão de 1673, Louis Joliet e o padre Jacques Marquette remaram em suas canoas pelos rios Illinois e Des Plaines, depois transferiram para o rio Chicago e seguiram para o lago Michigan enquanto retornavam ao Canadá de sua jornada de exploração. E, ao fazer isso, tiraram o país de Illinois de seu status pré-histórico. A história escrita de Illinois havia começado. É possível que outros europeus tenham estado na área antes disso, mas se sim, eles não fizeram nenhuma tentativa de registrar o fato. O Período histórico (1673 a meados de 1830 & # 39s para índios em Illinois) foi a era do contato com os brancos, os exploradores e Voyageurs, os Coureurs de Bois (os franceses & quotrangers of the forest & quot que realizaram um amplo comércio ilegal com os índios ), os Habitantes (colonos franceses que estabeleceram pequenas aldeias no deserto), os soldados da França, Grã-Bretanha, dos Estados Unidos e até (em um caso) da Espanha, e os colonos americanos entraram no país de Illinois e influenciaram o modo de vida indígena da vida. Foi um período de rápida erosão da cultura nativa. Os comerciantes brancos traziam grandes quantidades de itens comerciais, todos muito superiores a quaisquer itens equivalentes produzidos pelos índios, e gradualmente saturaram o estilo de vida indiano a tal ponto que suas habilidades e artesanato nativos caíram em desuso. Machados de ferro substituíram aqueles lascados ou triturados de pedra, potes de latão substituíram a cerâmica nativa, enquanto os finos tecidos europeus substituíram peles de animais e tecidos rústicos tecidos nativos. A pressa em adotar a nova tecnologia disponível para eles e o afastamento de sua própria tecnologia da idade da pedra resultou em uma dependência crescente do índio do homem branco, o que por sua vez resultou em um domínio crescente do índio pelos brancos. Nem todos os índios concordaram com sua crescente subserviência. Revoltas, em Illinois e no meio-oeste, contra a influência branca ocorreram, a mais notável sendo os índios Fox. contra os franceses no início dos anos 1700 & # 39s, a rebelião do Pontiac & # 39s contra os britânicos em 1763 e a Guerra Blackhawk de 1832. Esta última foi mais o produto do medo dos brancos do que da ameaça dos índios, mas selou o destino de todos os índios ainda morando em Illinois: uma legislação foi promulgada para mover as tribos restantes (muitas já tinham ido por conta própria) para o oeste do Mississippi. A principal remoção foi da área de Chicago (onde várias tribos se reuniram para receber doações do governo e aguardar a mudança) em 1835, com grupos residuais sendo removidos até 1839. Assim terminou o período histórico para os índios de Illinois.

Locais indígenas em Palos Hills

Dois sítios indígenas foram escavados em nossa área por arqueólogos. Os locais produziram artefatos que indicam índios de cada um dos períodos acima descritos visitados: aqui, mas os dois locais foram ocupados principalmente por índios do Alto Mississippian e primeiros períodos históricos. Isso não elimina a possibilidade de que locais de aldeias de outros períodos estivessem aqui. Palos Hills e arredores foram pontilhados com sítios arqueológicos ao mesmo tempo. Os fazendeiros nos anos 1900 e 39 muitas vezes batiam em sepulturas com seus arados e coletavam pontas de flechas e outros artefatos literalmente em baldes cheios. Muitos desses sites foram totalmente destruídos pela construção de casas, estradas e esgotos. As informações que poderiam ter sido obtidas nesses locais foram perdidas para sempre. Outros locais foram perturbados ou parcialmente destruídos por construções agrícolas e roubos por "caçadores de maconha", amadores ineptos ou irresponsáveis ​​que cavam descuidadamente em locais para reforçar coleções pessoais, muitas vezes perdendo dados importantes no processo. Esses locais ainda são fontes valiosas de informação (embora um tanto confusas), mas infelizmente são ignorados por arqueólogos profissionais que, em consideração às pequenas quantias de dinheiro disponíveis para escavações, devem seguir para os locais que produzirão a maior parte das informações. Sem dúvida, há vários sites em nossa área que não foram detectados por esse motivo. Você deve relatar quaisquer artefatos que possa encontrar para que sejam registrados. Os dois locais escavados nas proximidades foram o local Knoll Spring perto da Prefeitura de Palos Hills e o local de Palos perto do campo de aeromodelismo na Rota 45. O primeiro foi escavado por Charles M. Slaymaker III do Museu de Antropologia de Treganza no San Francisco State College, o depois, por membros do programa de Antropologia de Verão do Field Museum.

Metodologia Indiana e Hardware

O que encontramos em locais indianos em nossa área? Os itens mais comuns são flocos de sílex e pedras quebradas pelo fogo. Os flocos de sílex eram um subproduto da fabricação de ferramentas de sílex, como pontas de flechas. O primeiro passo era encontrar um nódulo adequado de sílex ou chirt, material de rocha vítrea que se quebrasse em longos flocos quando atingido de maneira adequada. O nódulo seria rompido até que restasse um núcleo, que foi descartado. As melhores peças foram escolhidas para trabalhos posteriores. Desferir um golpe bem colocado no floco maior produziu um menor. Cem outros golpes habilidosos produziriam um artigo útil e centenas de flocos. Um golpe mal colocado produziria um item quebrado que, se não pudesse ser convertido em alguma outra ferramenta, seria descartado. Um modelador de sílex habilidoso poderia produzir uma ponta de projétil ou outro artefato em poucos minutos.

A pedra quebrada pelo fogo era resultado de um método de cozimento usado pelos índios. Uma cova foi cavada e preenchida com madeira e pedras. A madeira foi queimada, fazendo com que as rochas ficassem quase vermelhas. Os carvões e as pedras foram separados peixes, raízes e outros alimentos foram embrulhados em folhas molhadas ou grama e colocados na cova. As pedras foram então empurradas de volta sobre a comida, que foi deixada cozinhar quando necessário. Pedras aquecidas também eram jogadas em couros cheios de água para ferver outros alimentos. As rochas aquecidas geralmente fraturam como resultado desse uso.

Entre os artefatos de sílex mais comuns estão pontas de projéteis para flechas, lanças e lâminas de dardos (sílex com pontas afiadas ou serrilhadas) usadas para cortar carne, couro ou brocas de madeira (semelhantes a pontas de flechas, mas com uma ponta longa e estreita) para fazer furos na pele, madeira e casca e raspadores para vestir as peles antes do curtimento. Enxadas de sílex ou lâminas de ferramentas de escavação são encontradas ocasionalmente, assim como pederneiras de armas.

Itens comuns de pedra que não são de sílex incluem cabeças de machado retificadas, pedras de martelo, pedras de amolar (para moer milho, etc.) e celtas (que podem ter sido uma espécie de ferramenta multiuso para moer e cortar). Ocasionalmente, são encontrados cachimbos de pedra moída. Itens comuns feitos de ossos ou chifres eram enxadas e ferramentas de escavação, pontas de projéteis, furadores e agulhas para esteiras ou tecelagem. Os itens feitos de conchas incluíam enxadas e colheres. A concha foi moída e misturada com argila para fazer certos itens de cerâmica.

Os artefatos encontrados aqui feitos de cobre natural incluem anéis de dedo, contas e tubos de cabelo (tubos longos e finos que foram formados em torno de pontas de cabelo como um penteado comum). O cobre foi preparado batendo os nódulos de cobre com uma pedra de martelo.

A cerâmica era feita de certas argilas às quais vários materiais de têmpera, como conchas ou pedras moídas, eram adicionados para aumentar sua durabilidade. Foi remado e amassado para ter forma, depois disparado a uma temperatura relativamente baixa, o que resultou em recipientes mais próximos da sujeira endurecida do que da cerâmica moderna. Cada cultura tinha seus próprios materiais, formas de acabamento e decorações particulares, juntamente com o fato de que os potes que se quebravam facilmente eram deixados onde se quebraram, tornando-os ferramentas úteis para sites de namoro e identificação de culturas.

Os indicadores do que nossos predecessores indianos comeram enquanto estavam na área de Palos incluem escamas e ossos de peixes, conchas de moluscos, ossos de pássaros, ossos de pequenos animais e ossos de veado. Restos de milho armazenado aparecem ocasionalmente. Os artefatos comerciais do homem branco que foram encontrados na área incluem peças de armas, uma bala, pedaços de chaleiras de latão, pontas de flechas de comércio de ferro, cachimbos de caulim (argila branca), contas de comércio de vidro, facas de ferro, machadinhas de ferro e golpes de aço para iniciar incêndios. Os manifestos comerciais do período histórico indicam que muitos outros itens comerciais estavam disponíveis para os índios, mas não foram ajustados aqui.

Deve-se notar que a lista acima não é de forma alguma completa

A visão geral atual (a partir de dados desenterrados) das Aldeias Índias de Sag é de pequenos grupos de índios, provavelmente totalizando 25 ou menos pessoas, intimamente relacionados à cultura do Alto Mississipio, subcultura da Ilha Azul (uma variação na cultura primeiro reconhecido em um site nessa área próxima). A vila era provavelmente um acampamento de verão, virtualmente todas as culturas indígenas iam para diferentes áreas do Meio-Oeste de acordo com a estação. O alojamento não era substancial o suficiente para deixar moldes de postes abaixo do nível do arado (embora evidências de casas ovais longas e longas tenham sido encontradas em outros locais dessa cultura na área de Chicago). A presença de relativamente poucos itens comerciais europeus mostra algum contato com os brancos, mas não um contato extenso, o que indicaria que os locais escavados provavelmente não foram ocupados durante o período histórico tardio.

As distinções tribais foram feitas pela primeira vez nos escritos dos primeiros exploradores. Seria difícil ou impossível identificar as tribos que ocupam nossa área. No entanto, tribos conhecidas por terem ocupado a área de Chicago em vários momentos durante a primeira metade do período histórico incluem Miami, Wea, Sauk, Fox, Potawatomi (com alguns de seus primos 0jibway e Ottawa), Mascoutah, e o Kickapoo. Os índios Illini, que dão nome a Illinois, não parecem ter residido nesta área durante o período histórico, embora alguns grupos de caça de inverno tenham sido encontrados morrendo de fome na área de Chicago em 1674, e um pequeno grupo pode ter vivido em algum lugar na área em 1676

A Era Marquette

Enquanto o país de Illinois como um todo entrou na luz da história em 1673, a área de Palos permaneceu nas sombras até 1830 & # 39s. Esta área cinzenta histórica provou ser um terreno fértil para lendas e especulações locais que vêm se repetindo como fato que essas lendas merecem alguma discussão.

Uma lenda conta que Marquette e Joliet acamparam ou celebraram missa nas proximidades de Palos em 1673. A base para essa conclusão é provavelmente mais ilusões do que fatos. Infelizmente, os registros e mapas citados como prova dessa lenda são tudo menos conclusivos. As anotações de Joliet feitas durante a expedição de 1673 foram perdidas quando sua canoa desceu; os assim chamados mapas de Joliet foram todos desenhados após o evento e, na verdade, nem todos foram feitos pela mesma pessoa, causando alguma confusão na precisão. O mapa da viagem de Marquette e # 39 praticamente não contém detalhes. Todos os mapas desse período mostram grandes distorções que os tornam inúteis para localizar pontos de referência. O relato de Marquette (escrito depois que a viagem acabou) provavelmente nem foi escrito por ele. Os eventos relatados naquele jornal são, em muitos casos, vagos e sujeitos a ampla interpretação. É interessante notar que muitas cidades usaram as mesmas informações para & quotprovar & quot que Marquette e Joliet permaneceram em suas cidades. Embora haja uma pequena possibilidade de Marquette e / ou Joliet terem estado em Palos, não há como provar para onde foram na área de Chicago a partir dos registros agora disponíveis.

Outra lenda sugere que o Chicago Portage (a rota usada pelos exploradores e viajantes dos séculos 17 e 18 para ir do Lago Michigan ao rio Des Plaines) era através do rio Calumet, Stoney Creek e do pântano Sagaunash. Em 1830, guias indianos de um inspetor do Canal de Illinois Michigan disseram que, em tempos de maré alta, existia uma conexão direta de água entre o lago e Des Plaines pela rota de Sag. No entanto, o Rio Calumet aparece (com algum grau de certeza) em apenas alguns mapas antes dessa época, e o Pântano Sagaunash (também denominado Lago Grassy) não faz aparições regulares nos mapas até 1830 & # 39s, indicando um falta de importância. Além disso, os proponentes da teoria de Sag Portage ocasionalmente basearam suas afirmações na mesma evidência duvidosa usada para colocar Marquette e Joliet em Palos.

A preponderância de evidências indica que o Chicago Portage normal era a rota do rio Chicago, Mud Lake, Des Plaines River (passando em ou perto de Stickney, Forest View e Lyons) geralmente aceita pelos historiadores. No entanto, essa rota, sem dúvida, não foi tão testada e comprovada quanto alguns historiadores gostariam que acreditássemos. A rota real provavelmente variou consideravelmente de acordo com a estação, e não é muito razoável supor que, à luz dos comentários feitos pelos índios aos topógrafos do Canal, o Pântano de Sag pode ter sido usado como uma rota alternativa ocasional. Mas para a maior parte do tráfego dos séculos 17 e 18, o Chicago Portage estava onde deveria estar.

O esqueleto francês

Outra lenda afirma que em 1858, Thomas Kelly da Seção 18, Palos Township, encontrou & quotthe o esqueleto de um homem com uma arma francesa antiga e chifre de pólvora de cobre, com a inscrição `Frary Brinhem & # 39 gravada nele & quot. Não se sabe exatamente como foi determinado que a arma era francesa. É muito improvável que alguém, a não ser um especialista, pudesse examinar um mosquete escavado após décadas de exposição e dizer se era francês. De fato, muitos dos mosquetes militares americanos fabricados até o início de 1800 & # 39s foram copiados de armas francesas anteriores. Alguns soldados franceses tinham frascos de pó de latão, mas o encontrado por Kelly teria que ser comparado com as amostras existentes para produzir qualquer informação significativa de que o frasco poderia facilmente ser de um dos vários períodos de tempo e locais de origem. Infelizmente, os achados de Kelly provavelmente não existem mais ou não estão disponíveis para exame: várias fontes fornecem relatos sobre o Kelly, vaus, o que indica que ele realmente vadeou um esqueleto, uma arma e um frasco de pólvora. O homem provavelmente estava sozinho no momento de sua morte, e possivelmente morreu de causas naturais se ele tivesse estado com companheiros ou tivesse sido morto por hostis, sua arma e pólvora provavelmente não teriam ficado com o corpo. Quem ele era, o que estava fazendo aqui e o ano de sua morte pode nunca ser conhecido.

Uma lenda intimamente relacionada com o anterior é a de esconderijos de moedas francesas e espanholas aparecendo em nossa área, as histórias dizem que essas moedas foram deixadas por soldados, exploradores, etc. deserto, e por que eles os teriam arrastado tão longe para enterrá-los. A explicação mais provável poderia estar em um dos períodos em 1800, quando a moeda estrangeira estava em uso devido à escassez ou desconfiança no dinheiro americano. Outra explicação pode ser os esconderijos deixados por imigrantes que inundaram a área na década de 1840 & # 39s. Claro, a chave do mistério está nas moedas: quando e onde foram cunhadas. As moedas que foram supostamente encontradas não foram produzidas para exame e aparentemente não houve tentativa de registrar ou relatar quaisquer inscrições nelas: talvez algum parente de quem encontrou as moedas ainda as tenha, mas a verificação de sua autenticidade seria um problema nesta data tardia.

Alguns residentes de longa data afirmaram que membros de suas famílias desenterraram espadas & quotFrancesas & quot, lanças & quotFrancesas & quot e armas & quotFrancesas & quot; enquanto aravam nos últimos dias. Por um tempo, ao que parece, cada pedaço de metal enferrujado foi uma coisa & quotFrancês & quot. É possível que eles realmente fossem os itens que afirmavam ser, eles poderiam até mesmo ser franceses. No entanto, nenhum dos itens foi produzido para exame, então sua autenticidade nunca será provada ou refutada, mesmo sua existência deve (pelo menos por agora) ser colocada na categoria & quotlegend & quot.

Todas as lendas acima foram tratadas sob uma luz um tanto pessimista. No entanto, existem algumas moscas neste ungüento histórico, anomalias que criam mais perguntas do que respostas.

Os fortes franceses

Na década de 1830 & # 39, os visitantes desta área encontraram os restos do que aparentemente eram fortificações de terraplenagem nas falésias com vista para o pântano de Sag. Embora haja alguma confusão em algumas das primeiras descrições, aparentemente havia duas fortificações, uma no local da Prefeitura de Palos Hills e da Biblioteca Green Hills ou perto dela, a outra perto da intersecção da 107th com a Kean Ave:

Todos os vestígios da terraplenagem foram destruídos pela agricultura e construção de estradas no início deste século, portanto, contamos com um punhado de descrições feitas perto da virada do século. Uma pessoa escreveu que visitou pela primeira vez um dos locais em 1833 e o revisitou várias vezes antes de escrever em 1883. Ele descreveu a terraplenagem como tendo árvores de pelo menos 100 anos crescendo dentro de seus limites, tornando duvidoso que a fortificação tenha sido construída em 1800 & # 39s. O forte que ele estava descrevendo provavelmente ficava perto da Kean Ave., mas há uma discrepância considerável entre a localização que ele fornece (perto do Model Plane Field na Rt. 45) e a localização fornecida por contemporâneos que estavam reimprimindo sua carta. É interessante notar que ele sugere casualmente que a terraplenagem foi possivelmente obra de exploradores franceses. Essa suposição "envenenou o poço" com escritores posteriores a ele tomando a hipótese como um fato, criando assim uma herança francesa para Palos que pode ou não ser verdadeira.

As balas de canhão de Palos Hills

Pareceria lógico que esses fortes fossem de construção indiana, especialmente considerando sua proximidade com os locais das aldeias indígenas. As fortificações são comuns a várias culturas indígenas. A terraplenagem da Prefeitura foi descrita como quadrada e com cerca de 60 metros de comprimento. Plataformas circulares e quadradas são comuns em fortificações indianas. No entanto, a fortificação supostamente estava próxima ao 107º e Kean foi descrito como triangular, não típico dos fortes indianos, mas comum na construção europeia. Depois, há a questão das balas de canhão: em 1963, as crianças encontraram três balas de canhão embutidas no fundo de uma vala recém-aberta na 87th Avenue e 103rd Street, um quarteirão a oeste de um dos prováveis ​​locais de forte. Outro foi encontrado 1/4 de milha a noroeste de lá, caído no chão. Um quinto veio à luz, supostamente encontrado no "Leste de Willow Springs" cerca de sessenta anos atrás.

Os tamanhos das balas de canhão são 1-17 / 32 ", 1-9 / 16", 2-1 / 8 ", 2-1 / 2" e 2-11 / 16 "de diâmetro. Os dois primeiros correspondem quase exatamente ao tamanho do tiro britânico de 1/2 libra usado em armas giratórias (pequenos canhões frequentemente montados em muralhas e grades de navios). Esse tamanho foi usado por várias nações, incluindo os EUA em seus primeiros dias. O próximo tamanho também está na classe de pistola giratória e é provavelmente uma & quot uma libra e meio & quot. O quarto é um 2 libras próximo (mas não totalmente) às especificações britânicas. Novamente, vários exércitos usaram canhões disparando uma bola deste tamanho. A quinta bala de canhão chega mais perto de corresponder ao tamanho teórico de uma arma francesa de 2 libras. Deve-se notar que os canhões geralmente eram identificados pelo peso da bola de ferro que disparavam. Ao visualizar as informações acima, é importante perceber que havia uma variação considerável no tamanho das balas de canhão para uma arma de calibre único. Essa diferença de tamanho resulta de fundição pobre ou moldes imprecisos, mas era aceitável, desde que o tiro caísse livre e facilmente no orifício da arma. Por causa dessa diferença de tamanho no tiro, por causa do uso comum de canhões de tamanho semelhante por vários países, e por causa da prática de usar armas capturadas, seria muito arriscado basear qualquer conclusão no tamanho das balas de canhão encontradas. No entanto, cada um dos tamanhos encontrados estava obsoleto no período da Guerra Civil.

Essas balas de canhão apresentam mais perguntas do que respostas. Palos. Hills e arredores não têm história militar documentada, ou pelo menos qualquer que tenha vindo à tona. Como as balas de canhão chegaram aqui? Are they related to the fort sites, or is their presence coincidental? Were they all left during the same period of time? If so, how come there are so many different sizes involved? Perhaps there was some sort of military action here that has been overlooked by historians. Is it possible? Several military expeditions, including French, American, and English, are known to have passed through the Chicago area in the 17th and 18th centuries, although it would be difficult to pinpoint their exact routes. If one of these groups were here and built a fort, it would have been a temporary field fortification that was to be occupied for only a short time. But why haven't more military items been found? Could it be the artifacts the old timers were rumored to have found actually were the things they claimed? Why are there so many cannonballs but no bullets? Why was the Sag fortified with not one, but two fortifications? Could it be the legends might inadvertently be true?

Our search for the answers continue, but we need the help of the residents of Palos. If you've found something that may be an artifact of our Indian or European predecessors, please contact the Palos Hills Historical Commission through William Potter, 8811 W. 102nd St. Palos Hills, who will make arrangements to have your find identified. Too much valuable information on our history has been lost forever. Perhaps you have the missing piece that will enable us to finish this chapter in the history of Palos Hills.


Pelosi On SF Salon Visit: "It Was a Setup" And I Fell For It

House Speaker Nancy Pelosi took questions from the media on Wednesday after she was caught on camera going to a closed San Francisco hair salon without a mask for a private appointment. Pelosi would not apologize, however, she told reporters that she takes "responsibility for falling for a setup."

"I take responsibility for trusting the word of the neighborhood salon that I’ve been to over the years many times, and that when they said, 'Well, we’re able to accommodate people one person at a time and that we can set up that time.' I trusted that. As it turns out, it was a setup. So I take responsibility for falling for a setup. And that’s all I’m going to say on that."

San Francisco salon owner Erica Kious denies Nancy Pelosi's claim that she was set up after video surfaced of the House speaker's maskless visit. "This isn't even political," Kious told FOX News host Tucker Carlson. "She's been coming in there . it's the fact that she actually came in, didn't.

NBC SAN FRANCISCO: House Speaker Nancy Pelosi is getting heat over a solo hair salon visit in San Francisco at a time when California businesses are limited by concern over coronavirus. Jean Elle reports. Camera footage:

President Donald Trump cited left-wing activist Michael Moore's concerns about enthusiasm for the president in an interview with FOX News host Laura Ingraham. "Many people said I’m not voting if Trump’s not on the ballot," Trump said in the interview that aired Tuesday. "Watch what happens.

NANCY PELOSI: We passed the bill on May 15th. At that time, Mitch McConnell pressed the pause button. He said there was no reason for us to do anything. Since that time, 4.6 million more people have been infected. Four-and-a-half million more people have been infected, and 96,000 more people have.


Dos Palos’ museum is one of the newest in the county

Like other small museums, it offers unique artifacts and glimpses into history that you won’t see in larger museums that tend to generalize history into broad trends and focus on the best-known and most influential historical characters.

The museum has an especially interesting collection of photos Some of the most interesting images I saw during my recent visit include:

  • Basketball games inside the old gymnasium (no longer standing) at the original Dos Palos High School
  • Steamboats on the San Joaquin River in the early 1900’s
  • Downtown Dos Palos after the 1911 fire
  • Barrels of wine confiscated in a Prohibition-era raid being dumped into the Dos Palos sewer
  • Comparison shots of downtown Dos Palos before and after the installation of streetlights. Nighttime was dark in a small town without them!
  • Ice skating on a frozen canal in 1913

Veterans Memorial - PHOTO BY ADAM BLAUERT


Conteúdo

Native Americans Edit

The peninsula was the homeland of the Tongva-Gabrieliño Native Americans people for thousands of years. In other areas of the Los Angeles Basin archeological sites date back 8,000 years. [4] [5] Their first contact with Europeans occurred in 1542 with João Cabrilho (Juan Cabrillo) Chowigna and Suangna were two Tongva settlements of many in the peninsula area, which was also a departure point for their rancherías on the Channel Islands.

Spanish and Mexican era Edit

In 1846, José Dolores Sepúlveda and José Loreto received a Mexican land grant from Alta California Governor Pío Pico for a parcel from the huge original 1784 Spanish land grant of Rancho San Pedro to Manuel Dominguez. [6] It was named Rancho de los Palos Verdes, or "ranch of the green sticks", which was used primarily as a cattle ranch. [7] It was also briefly used as a whaling station in the mid-19th century.

American era Edit

By 1882, ownership of the land had passed from the Sepulveda family through various mortgage holders to Jotham Bixby of Rancho Los Cerritos, who leased the land to Japanese farmers. [8]

Frank Vanderlip, representing a group of wealthy east coast investors, purchased 25 square miles of land on the Palos Verdes Peninsula in 1913 for $1.5 million. [9] In 1914, Vanderlip vacationed at Palos Verdes in order to recover from an illness, and he was astounded by scenery he compared to "the Sorrentine Peninsula and the Amalfi Drive." He quickly initiated development of Palos Verdes. He hired the Olmsted Brothers, the landscaping firm of John Charles Olmsted and Frederick Law Olmsted Jr., to plan and landscape a new subdivision. [10] The Olmsted Brothers contracted Koebig & Koebig to perform engineering work, including surveying and road planning. [11] However, the project stalled as World War I started, and Vanderlip accepted a chairmanship to the War Savings Committee in Washington, D.C. in 1916.

By 1921, Vanderlip had lost interest in overseeing development of Palos Verdes and enticed Edward Gardner Lewis to take over the project with an option to buy the property for $5 million. Lewis was an experienced developer, but lacked the capital to purchase and develop Palos Verdes. Instead, he established a real estate trust, capitalizing the project through the sale of notes which were convertible to Palos Verdes property. Under the terms of the trust, Lewis sought to raise $30 million for infrastructure improvements, effectively borrowing from investors for both the land and the improvements. He succeeded in attracting $15 million in capital, but far short of the $35 million needed. The trust dissolved and ownership of Palos Verdes reverted to Vanderlip. [12]

Vanderlip established a new real estate trust to purchase 3,200 acres from his land syndicate and establish the subdivision of Palos Verdes Estates. The new trust assumed not just the land, but also the improvements made by Lewis. They were not complete, but they were substantial: improvements included many sewers, water mains, and roads landscaping, parks, and a golf course. They opened Palos Verdes for public inspection in June 1923. [13]

Palos Verdes Estates was organized and landscaped by the Olmsted Brothers and in their planning, they dedicated a quarter of the land area to permanent open undeveloped space. [14]

Areas of commerce include historic Mediterranean Revival style Malaga Cove Plaza and the Promenade on the Peninsula. Smaller shopping centers include the Peninsula Center, Lunada Bay Plaza, and Golden Cove Plaza.

The largest peninsula commercial district is in Rolling Hills Estates, with many shopping centers including The Promenade on the Peninsula with a megaplex movie theater and an ice rink.

The Palos Verdes area has ocean views, coastline views and city light views. [ citação necessária ]

The Peninsula is home to the Promenade on the Peninsula mall, originally an enclosed regional mall with two department store anchors, May Company California and Bullocks Wilshire, as well as the Peninsula Center, which originally had a Buffums department store. [15]

The Palos Verdes Peninsula Transit Authority provides bus service within and to the Palos Verdes Peninsula. [16] The Palos Verdes Peninsula is within 40 minutes of both LAX and Long Beach Airport, which together provide access to most of the United States aboard all major carriers.

The Palos Verdes Peninsula Unified School District has one of the highest rated API scores in California [17] and has one of the highest average SAT scores [18] and one of the highest percentage of students successfully completing the Advanced Placement exams [19] in the county. There are three high schools, Palos Verdes Peninsula High School (formerly called Rolling Hills High School), Palos Verdes High School, and Rancho Del Mar High School (located in Rolling Hills). Marymount California University, a co-ed Roman Catholic four-year college is located in Rancho Palos Verdes. A private K–12 school, Chadwick School, is also located there. Rolling Hills Country Day School, adjacent to the Botanic Garden, offers a private K-8 education. In total, there are 11 elementary schools, 3 intermediate schools, and 3 high schools located on the peninsula.

In the Eastview neighborhood of Rancho Palos Verdes, however, residents have the option to choose either PV schools or the surrounding LAUSD schools (i.e. Dodson Middle School, Dana Middle School, San Pedro High School, etc.).

Libraries Edit

The Peninsula is served by the Palos Verdes Library District, which operates these three libraries:

  • Peninsula Center Library
  • Miraleste Library
  • Malaga Cove Library- on the National Historical Register

The 40 Families Project based at Peninsula Center Library documents the history of the Japanese-American community on Palos Verdes before World War II. [20]

    – 35 hectare (87 acre) landscaped botanical garden, event venue, and arboretum with over 150,000 landscape plants and trees from approximately 140 families, 700 genera, and 2,000 different species. It is a classic example of land recycling by reclaiming a site that was previously a sanitary landfill and open pitdiatomite mine from 1929 until 1956. [21]
  • Point Vicente Park is a popular spot for watching the migration of gray whales to and from their breeding lagoon in Baja California. Military Museum is located near Point Fermin in San Pedro. is a popular spot to hike trail at end of Crenshaw Blvd. is Rancho Palos Verdes's first established park in the city, overlooking a view of nearby island Santa Catalina. Park features include baseball diamond, picnic areas with barbecue, and a community room. [22]

The peninsula is frequented by runners, hikers, horseback riders, bird watchers, surfers, scuba divers, fishermen, and bicyclists. The area is home to several golf courses and country clubs. In addition, nude sunbathers formerly frequented Sacreds Cove (or "Smugglers Cove") until the city of Rancho Palos Verdes enacted a 1994 ordinance that ended such use of that beach.

The infamous Palos Verdes surf spots have been in the spotlight many times over issues of localism. The most notorious surf spot for localism in Palos Verdes is Lunada Bay, which can hold any winter swell and has been known to rival Sunset Beach, Hawaii on a big day. Localism in Palos Verdes reached a turning point in 2001 when a civil rights lawsuit was filed after a particularly violent confrontation with Hermosa Beach surfers. [23] Surveillance cameras were placed in the surfing area but were later removed. [24] In 2016, The Coastal Commission targeted the group after "renewed reports that their unpermitted structure [built along Lunada Bay] was being used as a spot for ongoing bullying and intimidation." On July 12, 2016, City Manager Tony Dahlerbruch recommended the removal of the illegal structure after pressure from the California Coastal Commission. [25]

The Trump National Golf Club is a Donald Trump venture with a golf course on the Ocean Trails cliffs. The 18th hole of the prior golf course fell victim to a landslide caused by a leak in the sanitary pipes underneath it. In the summer of 2006, the golf club erected a 70-foot flagpole for an American flag critics claimed it was illegal, but the golf club was allowed to retain it after a City Council vote. [26]

The Marineland of the Pacific site near Portuguese Bend is currently home of Terranea, a luxury oceanfront resort. [27]

There are numerous nature reserves in Palos Verdes: Palos Verdes Estates Shoreline Preserve, Agua Amarga Reserve, and Portuguese Bend Reserve. The reserves contain coastal sage scrubs habitats, a community of fragrant and drought resistant shrubs and flowering plants. In August 2009, wildfire burned approximately 165-acres of the Portuguese Bend Reserve. As a result, restoration has been done to reinstall native plants and animals to the area. [28]


Speaker Nancy Pelosi says House to move forward with Jan. 6 investigations: ‘We can’t wait any longer’

WASHINGTON — Speaker Nancy Pelosi says the House will move forward with investigations of the Jan. 6 insurrection now that legislation to create an independent commission has stalled in the Senate, saying “we can’t wait any longer” to probe the attack.

Pelosi’s comments came as the House prepared Tuesday to hear testimony from military officials and FBI Director Christopher Wray about what went wrong that day, when hundreds of supporters of former President Donald Trump breached the Capitol and interrupted the certification of President Joe Biden’s win. Pelosi met with several committee chairs before the hearing and said afterward that the final form of the investigations is “to be determined.” She said she will make an announcement soon.

“Whether we have a commission today, tomorrow or the next day over in the Senate, or not, the work of the committees will be very important in what we’re seeking for the American people — the truth,” Pelosi said.

One option under consideration is a select committee on the Jan. 6 attack, a setup that would put majority Democrats in charge. More than three dozen Republicans in the House and seven Senate Republicans wanted to avoid such a partisan probe and supported the legislation to create an independent, bipartisan commission outside Congress.

But those numbers weren’t strong enough to overcome GOP opposition in the Senate, where support from 1O Republicans is needed to pass most bills. Senate Democratic leader Chuck Schumer has said he may hold a second vote after the legislation failed to advance last month, but there’s no indication that Democrats can win the necessary support from three additional Republicans.

“We can’t wait any longer,” Pelosi said. “We will proceed.”

Meanwhile, most Republicans are making clear that they want to move on from the Jan. 6 attack, brushing aside the many unanswered questions about the insurrection, including how the government and law enforcement missed intelligence leading up to the rioting and the role of Trump before and during the attack.

The hearing Tuesday in the House Oversight and Reform Committee will examine “unexplained delays and unanswered questions” about the siege, with public testimony from Wray, Gen. Charles E. Flynn and Lt. Gen. Walter E. Piatt, the director of Army staff.


Conclusion: Vote Out Politicians like Nancy Antoinette

We’ve seen examples of Nancy Pelosi in the past. Remember when she called thousands of dollars of tax cuts for middle-class Americans “crumbs?” Or when, during the mass layoffs of the Chinese Flu shutdown, she took a cringe-inducing video in front of her incredibly expensive refrigerator and talked about eating gelato? So, once you realize that elitism and hypocrisy go hand in hand, the hypocrisy of Nancy Pelosi should come as no surprise. She wants rules and burdens placed on the commoners, not important people like herself.

So, what is the solution? Vote for Donald Trump and kick Nancy Antoinette’s party firmly out of power. We might not be able to unseat her, as her constituents don’t seem to care about her hypocrisy and elitism, but we do have a good chance to win back the House and hold the Senate and Presidency. Republicans can win this, we just need to keep fighting as hard as possible.

To light a fire under those that are not willing to fight for Republicans and President Trump, just show them the hypocrisy of Nancy Pelosi. Show them that the same person who has made their lives so horrible over the past months has no intention of following those same rules herself. She cares about power and hurting President Donald Trump, not helping the average American.

President Trump, on the other hand, cares about helping all Americans. He is the exact opposite of Nancy Antoinette and her ilk. Democrats, as shown by the hypocrisy of Nancy Pelosi, want to burden you with rules but then not follow those rules. Trump wants to cut burdensome regulations. Democrats want to limit your individual freedom. Trump wants to expand your individual liberty. Democrats have disdain for you if you are not in their Ivy League, social justice elite. President Trump cares about all Americans.

If you want a President that cares about America and everyone in it, vote for Trump. If you want to be oppressed by tyrants like Nancy Antoinette, vote Democrat. It is that simple. Doing so will save America.

By: Gen Z Conservative. Follow me on Parler, Gab, and Facebook

If you liked this article on the nickname Nancy Antoinette and the hypocrisy of Nancy Pelosi, please consider leaving a tip through PayPal or Patreon to help support the site and support a young conservative!

The Patreon Donation Link: Become a patron to start asking me questions and giving me topics to write about!

Check out my patriotic T-shirts and accessories shop here: Young Conservative shirts