A história

Rudolf von Senger: Alemanha nazista


Fridolin von Senger nasceu na Alemanha em 4 de setembro de 1891. Depois de frequentar o Eton College, tornou-se um bolsista de Rhodes (1912-14). Ele ingressou no Exército Alemão na eclosão da Primeira Guerra Mundial e foi comissionado como segundo-tenente.

Depois da guerra, ele permaneceu no exército e se juntou à cavalaria a cavalo do Reichswehr. Um equestre de classe mundial, ele ensinou na Hanover Calvary School (1919-21) e depois trabalhou com a inspetoria de cavalaria em Berlim.

Em 1938, Senger tornou-se comandante do 3º Regimento de Cavalaria e no ano seguinte foi promovido ao posto de coronel. Ele liderou o regimento na invasão da Polônia e em 1940 assumiu o comando de uma brigada motorizada durante a Ofensiva Ocidental. Nos dois anos seguintes, foi oficial de ligação chefe da comissão de armistício franco-italiana.

Em setembro de 1941 ele foi promovido a major-general e enviado para a União Soviética para comandar a 17ª Divisão Panzer, onde serviu sob o general Herman Hoth. No ano seguinte, ele participou da campanha na Ucrânia sob o comando do marechal de campo Erich von Manstein.

Promovido a tenente-general, foi enviado para apoiar o Exército italiano na Sicília em maio de 1943. Junto com Hans Hube, ele ajudou a coordenar os esforços contra os Aliados e em outubro substituiu Hube como comandante do 14º Corpo Panzer. Isso incluiu a defesa de Monte Cassino.

Senger foi prisioneiro de guerra de 22 de maio de 1945 a 18 de maio de 1946. Após sua libertação, ele publicou sua autobiografia, Nem medo nem esperança (1960). Fridolin von Senger morreu em 1963.

O alto comando ítalo-alemão considerou, corretamente, o canto sudeste da ilha como a parte mais provável para o desembarque. No entanto, considerou principalmente as planícies costeiras perto de Gda, na costa sul, e Catânia, na costa leste, como as mais ameaçadas pela invasão inimiga. Esses dois planos pareciam ser os únicos para o emprego de formações blindadas, pois prometiam espaço para desdobramento desde o momento do desembarque, ou pelo menos durante o avanço em direção ao centro da ilha. Esta visão dos detalhes estava errada. O desembarque dos Aliados, ocorrido em 10 de julho, estendeu-se por toda a costa sudeste de Siracusa a Licata. Parece que em nenhum lugar ao longo deste trecho os pousos de unidades de tanques puderam ser seriamente controlados pelas forças de defesa da costa. Essas forças eram divisões italianas de segunda ou terceira categoria, mal equipadas e sem o apoio de nenhuma bateria costeira adequada para essa tarefa.

Conseqüentemente, as unidades de tanques aliadas avançaram principalmente nas estradas. Eles poderiam fazer isso rapidamente, desde que fossem apoiados por sua artilharia naval e por suas forças aéreas. Como eram apoiados também por forças aéreas superiores, eles fizeram bons avanços mesmo em estágios posteriores, onde faltou o apoio da artilharia naval e onde as condições de solo eram mais inadequadas para a guerra de tanques móveis. Devido às difíceis condições de solo, no entanto, eles nunca conseguiram romper as linhas de defesa organizadas do Eixo, como costumava ser o caso na Rússia e na África, nem aniquilaram as forças derrotadas do Eixo perseguindo-as - o que poderiam ter feito facilmente em solo mais adequado, como na Rússia ou na África.

O marechal de campo Kesselring dera ordens expressas para que nenhum soldado alemão entrasse no mosteiro, a fim de evitar dar aos Aliados qualquer pretexto para bombardeá-lo ou bombardeá-lo. Não posso testemunhar pessoalmente que esta decisão foi comunicada aos Aliados, mas estou certo de que o Vaticano encontrou meios para o fazer, uma vez que estava tão directamente interessado no destino de Monte Cassino. O marechal de campo Kesselring não apenas proibiu os soldados alemães de entrar no mosteiro, mas também colocou um guarda no portão de entrada para garantir que suas ordens fossem cumpridas.


A família von Senger e Etterlin pertence à nobreza imperial da Alta Francônia e pode se lembrar de uma tradição de soldado de mais de 250 anos. O pai de Ferdinand foi mais tarde o general das forças blindadas Fridolin von Senger e Etterlin. Sua mãe Hilda Margarethe era filha do general prussiano von Kracht. Como a maioria de seus ancestrais, Ferdinand aspirava a uma carreira como soldado profissional. Em 1946 ele se casou com Ebba von Keudell.

Wehrmacht 1940-1945

Ele começou sua carreira em 1º de outubro de 1940 na divisão de substituição do Regimento de Cavalaria 3 de Göttingen, comandado por seu pai. Com a campanha russa em 22 de junho de 1941, seu uso frontal começou na 1ª Divisão de Cavalaria, que foi reclassificada para a 24ª Divisão Panzer em 28 de novembro de 1941. A partir de 23 de agosto de 1942, ele lutou com suas unidades como líder de esquadrão no Volga e testemunhou a queda do 6º Exército. Pouco antes do final da Batalha de Stalingrado, ele foi gravemente ferido e voou para fora. Após a reorganização da 24ª Divisão Panzer, o primeiro tenente e ajudante do regimento von Senger e Etterlin foi realocado para o norte da Itália e, em seguida, implantado novamente na Frente Oriental a partir de outubro de 1943. Em agosto de 1944, ele perdeu seu braço direito durante as batalhas defensivas perto Jasy na Romênia. Rittmeister, então com 21 anos, foi nomeado ajudante pessoal do inspetor de tropas blindadas, General Leo Geyr von Schweppenburg, e transferido para o Alto Comando do Exército (OKH) no outono de 1944. Ele lidou com questões de armamentos, acordos com a indústria de armamentos, questões de substituição de pessoal e reclassificações das forças blindadas. No final da Segunda Guerra Mundial, ele foi feito prisioneiro com alguns funcionários.

Período pós-guerra 1945 - 1956

Após seu cativeiro, von Senger e Etterlin começaram a estudar direito em Göttingen e continuaram em Zurique e Oxford. Em 1951 ele recebeu seu doutorado com sua tese de doutorado O Estado-partido: uma comparação entre a Constituição de Weimar e a Lei Básica de Bonn.

Foi então convocado como dirigente do serviço superior do recém-criado Escritório Federal de Proteção à Constituição e assessorado por sua equipe representada na comissão consultiva do pai.

Bundeswehr 1956-1979

Após sua reativação em março de 1956, von Senger e Etterlin foram implantados no departamento "Questões Básicas de Inteligência Militar e Forças Armadas Estrangeiras do Leste", onde sua experiência de guerra na União Soviética e seu trabalho no OKH foram muito benéficos. Após seu treinamento de estado-maior geral, ele trabalhou como G 3 na Panzerlehrbrigade 9 (Munster). Aqui ele estava envolvido no teste do tanque de batalha "Leopard". Sua próxima tarefa foi colaborar com o Grupo de Estudos do Exército em questões de tática nuclear e planejamento do Exército. Em 1964 ele retornou a Munster como comandante do 94º Batalhão de Treinamento Panzer.

Depois de concluir com sucesso o treinamento no Colégio de Defesa da OTAN em Roma, ele foi empregado na área integrada da OTAN pela primeira vez. Nesta missão de dois anos, foi-lhe confiado o planeamento operacional do quartel-general da OTAN NORTHAG em Mönchengladbach e teve de coordenar o envio de tropas do exército holandês, britânico, belga e alemão.

Depois de servir na Brigada Blindada 20 em Hemer de outubro de 1969 a março de 1970, ele foi nomeado para o estado-maior de comando do Exército em Bonn e promovido a Brigadeiro-General em 30 de setembro de 1970. Posteriormente, em Estugarda, assumiu o cargo de major-general no cargo de comandante da área de defesa V. Neste comando territorial, experimentou as diferentes abordagens em cooperação com autoridades civis, ministérios de Estado e administração das Forças Armadas Federais. Em particular, ele se voltou para as conexões com as grandes unidades aliadas e o exército alemão e impulsionou os planos para uma rápida mobilização de reservistas. Em 1 de julho de 1974, ele voltou ao exército de campo e assumiu o comando da 7ª Divisão Panzer em Unna. Aqui, foi-lhe confiado especialmente o amálgama de diferentes unidades e associações, a fim de implementar as demandas da nova "Estrutura do Exército 4". Ele então conduziu sua divisão por meio de vários exercícios bem-sucedidos em grande escala. Na primavera de 1978, o Dr. von Senger e Etterlin, agora tenente-general, comandante-geral do 1º Corpo de exército em Munster.

Em 1 de outubro de 1979, o General sucedeu ao General Franz-Joseph Schulze, que estava se aposentando, e Comandante-em-Chefe das Forças da OTAN na Europa Central AFCENT em Brunssum (NL). Os eventos político-militares desses anos levaram ao planejamento do "Programa de Defesa de Longo Prazo" em 1980 e incluíram a criação de tropas de reserva europeias adicionais. Apesar deste uso mais político do que militar, o general Senger von Etterlin não esqueceu o contato com as tropas e visitou regularmente associações e grandes unidades do Bundeswehr para monitorar o treinamento tático e relacionado à guerra e, se necessário, para tomar ações corretivas.


Rudolf Hess

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Rudolf Hess, na íntegra Walter Richard Rudolf Hess, (nascido em 26 de abril de 1894, Alexandria, Egito - morreu em 17 de agosto de 1987, Berlim Ocidental, Alemanha Ocidental), Nacional-Socialista Alemão que foi adjunto de Adolf Hitler como líder do partido. Ele criou uma sensação internacional quando, em 1941, voou secretamente para a Grã-Bretanha em uma missão autodenominada abortada para negociar a paz entre a Grã-Bretanha e a Alemanha.

O que Rudolf Hess fez?

Um dos primeiros membros do Partido Nazista, Rudolf Hess participou do abortivo Beer Hall Putsch em Munique (1923), transcreveu e editou o ditado de Adolf Hitler de Mein Kampf enquanto ambos estavam na prisão, serviram como secretário particular de Hitler na década de 1920 e como vice-líder do partido e ministro sem pasta em 1933.

Como Rudolf Hess morreu?

A morte de Rudolf Hess foi oficialmente considerada suicídio. De acordo com um relatório do Departamento de Investigação Especial da Polícia Militar Real, Hess se enforcou com um cabo elétrico dentro de uma casa de verão no terreno da Prisão de Spandau.

Onde Rudolf Hess morreu?

Rudolf Hess morreu na prisão de Spandau, em Berlim Ocidental, onde os oficiais nazistas que haviam sido condenados à prisão nos julgamentos de Nürnberg estavam alojados. De 1966 até sua morte em 1987, Hess foi o único prisioneiro em Spandau.

Por que Rudolf Hess é mais famoso?

Rudolf Hess é mais famoso por realizar um vôo solo secreto da Baviera para a Escócia em maio de 1941 para entregar propostas de paz entre a Alemanha e a Grã-Bretanha. Considerando a missão de Hess como não autorizada e duvidando de sua sanidade, o governo britânico manteve Hess como prisioneiro de guerra até o final da Segunda Guerra Mundial.

Filho de um comerciante, Hess serviu no exército alemão durante a Primeira Guerra Mundial. Após a guerra, ele estudou na Universidade de Munique, onde se engajou na propaganda nacionalista. Hess juntou-se ao incipiente Partido Nazista em 1920 e rapidamente se tornou amigo e confidente de Hitler. Depois de participar do abortivo Putsch em novembro de 1923 em Munique (Beer Hall), ele escapou para a Áustria, mas voltou voluntariamente para a prisão de Landsberg, onde retirou e editou grande parte do ditado de Hitler para Mein Kampf. Promovido a secretário particular de Hitler, Hess foi encarregado de criar uma nova organização centralizada do partido após a deserção dos seguidores esquerdistas de Gregor Strasser (1932). Em abril de 1933, Hess tornou-se vice-líder do partido e em dezembro entrou para o gabinete. Em 1939, Hitler o declarou segundo para Hermann Göring na linha de sucessão.

Hess tinha a reputação de lealdade absoluta a Hitler. Durante o final da década de 1930 e os primeiros anos da Segunda Guerra Mundial, no entanto, quando as forças armadas e a política externa preocuparam Hitler, o poder de Hess diminuiu e sua influência foi ainda mais minada por Martin Bormann e outros líderes nazistas. Hess decidiu, na primavera de 1941, encerrar a luta militar contínua entre a Alemanha e a Grã-Bretanha por meio de um golpe espetacular e, assim, restaurar seu prestígio decadente. Em 10 de maio, ele voou secretamente sozinho de Augsburg e pousou de pára-quedas na Escócia com propostas de paz, exigindo carta branca para a Alemanha na Europa e o retorno das ex-colônias alemãs como compensação pela promessa da Alemanha de respeitar a integridade do Império Britânico. As propostas de Hess não encontraram resposta do governo britânico, que o tratou como um prisioneiro de guerra e o manteve durante a Segunda Guerra Mundial. Sua ação quixotesca foi igualmente rejeitada pelo próprio Hitler, que acusou Hess de sofrer de "delírios pacifistas".

Após a guerra, Hess foi julgado nos julgamentos de crimes de guerra de Nuremberg (Nürnberg), condenado e condenado à prisão perpétua. Cumpriu a pena na prisão de Spandau em Berlim, onde desde 1966 foi o único recluso. Após sua morte em 1987, Hess foi enterrado em Wunsiedel, Baviera, e seu túmulo mais tarde se tornou um local de peregrinação para neonazistas. Em 2011 foi decidido que seu corpo deveria ser movido. Os restos mortais de Hess foram posteriormente cremados e suas cinzas foram espalhadas em um lago não identificado.


O vice de Hitler, Rudolf Hess, salta de pára-quedas na Escócia - arquivo, 1941

A história de Rudolf Hess é uma das coisas mais estranhas da história nazista. Com a divulgação de sua chegada à Escócia, as peças de um episódio extraordinário começam a se encaixar. Desde o início, a surpresa foi que seu desaparecimento não foi representado como um simples acidente de vôo. Em vez disso, as mentes do povo alemão foram confundidas com uma história notável desta grande figura na hierarquia nazista como vítima de alucinações, um louco aparentemente com o hábito de voar sozinho, e que voava com muita frequência, sofrendo um acidente ou cometendo suicídio.

Por que toda essa elaboração? Ninguém, seja na Alemanha ou fora dela, poderia aceitar a versão como um fato. As lembranças ainda são muito frescas das explicações oficiais da “noite das facas compridas” de 30 de junho [1934], quando Hitler expurgou seu partido e permitiu que alguns de seus maiores íntimos fossem assassinados. Talvez tenha sido o destino de Rohm que levou Hess a fazer sua fuga desesperada para a Grã-Bretanha. Qual era o problema interno entre os líderes nazistas, não sabemos - os ladrões ficam em conselho. Hess só poderia estar em perigo imediato de vida. Sem dúvida, a próxima coisa que ouviremos é que um corpo foi encontrado na Alemanha e que o verdadeiro Hess é uma invenção inglesa. Mas a verdade deve chegar até a Alemanha. Esperemos que Hess, que estava tão sensato a ponto de trazer consigo todas as evidências de identidade, também fale. Ele pode valer um Corpo do Exército.

O avião queimado a bordo do qual Rudolf Hess partiu para a Escócia, maio de 1941. Fotografia: Foto 12 / Universal Images Group / Getty Images

De todos os líderes nazistas, Hess parecia o mais dedicado a seu chefe. Embora ele nunca tivesse estado tanto aos olhos do público como Gõring ou Goebbels, ou mesmo Himmler e Ley, e durante a guerra tivesse ficado para trás dos líderes do Serviço, ele ainda estava a um passo do sucessor nomeado de Hitler. Sua lealdade nunca foi questionada, ele nunca foi acusado de egoísmo. Sua associação com Hitler remonta ao início do partido que serviu com ele na prisão e era seu secretário quando Mein Kampf foi escrito. Na verdade, um dos grandes mistérios literários é saber se aquele livro surpreendente não foi mais obra do relativamente bem educado Hess do que do gênio obstinado autodidata Hitler. Hess estava satisfeito em servir seu mestre, em repetir seus sentimentos e em cumprir suas ordens. Ele recebeu alta preferência, tornou-se vice-líder, no controle da organização do partido e sempre foi considerado o amigo mais próximo de Hitler. Certamente nenhum homem era seu companheiro mais constante.


Fridolin von Senger und Etterlin

Fridolin Rudolph von Senger und Etterlin nasceu em 4 de setembro de 1891, em Waldshut, perto da fronteira com a Suíça, membro da pequena aristocracia. Intensamente católico romano, ele herdou de sua mãe profundas convicções religiosas e morais que o guiaram inabalavelmente pela vida. Senger também era profundamente intelectual. Em 1912, ele se tornou um bolsista da Rhodes em Oxford e adquiriu fluência em francês e inglês. A Primeira Guerra Mundial interrompeu sua educação em agosto de 1914, e ele foi contratado como tenente na reserva. Após quatro anos de serviço dedicado, Senger permaneceu no Reichswehr do pós-guerra como oficial de cavalaria. Ele então se tornou um dos poucos oficiais da reserva selecionados para servir com os regulares. Soldado profissional, Senger manteve-se afastado da política e evitou cuidadosamente a crescente onda de nazismo. Alto, olhos caídos e fisicamente pouco atraente, ele se contentou em se concentrar em sua paixão - cavalos - e ganhou renome como um equestre de classe mundial. Senger posteriormente estudou por dois anos na Escola de Cavalaria de Hannover, passou quatro anos com a inspetoria de cavalaria em Berlim e, em 1938, havia ascendido a coronel da Terceira Cavalaria. Este regimento descendia dos orgulhosos Hussardos Zieten, distinguidos desde os dias de Frederico, o Grande, e ele se orgulhava particularmente de utilizar suas grandes chaleiras de prata durante o desfile. Senger havia amadurecido e se tornado um excelente oficial de campo e passou facilmente nos exames de admissão para a Escola Geral de Estado-Maior, mas foi recusado por causa de sua idade. Ele, no entanto, ficou encantado por permanecer com seus cavalos até o advento da Segunda Guerra Mundial. Soldado dedicado, mas cristão devoto, Senger parecia estranhamente deslocado enquanto servia ao Terceiro Reich.

Em setembro de 1939, Senger liderou seu regimento de cavalaria na Polônia e prestou serviço ativo. Lá, ele ficou profundamente chocado com as atrocidades da SS contra civis e se recusou a participar de qualquer folia. & # 8220O que se pode fazer senão ficar em silêncio, & # 8221 confessou. & # 8220 Eles sabem o que estou tentando dizer com meu silêncio? Às vezes, parece-me que os meninos sentem minha dor profunda em meu silêncio. & # 8221 Senger mais tarde comandou uma brigada motorizada durante a campanha pela França em maio de 1940. Ele se destacou no ataque ao canal e capturou Cherbourg logo à frente do Gen Erwin Rommel. Ele permaneceu para trás durante a ocupação, abrigado em um castelo na Normandia e fazendo amizade com a aristocracia rural da França. Por dois anos, Senger também empregou suas habilidades linguísticas como o oficial de ligação alemão chefe em Turim com a comissão de armistício franco-italiana (em virtude de seu conhecimento de latim, ele dominou facilmente o italiano), chegando lá a major-general em setembro de 1941. Um ano mais tarde, Senger foi transferido para a Frente Russa, comandando a fenda da 17ª Divisão Panzer. Nessa posição, ele acompanhou o General Hermann Hoth & # 8217s Quarto Exército Panzer durante sua tentativa malsucedida de aliviar as forças alemãs presas em Stalingrado. O fracasso convenceu Senger de que a Alemanha estava destinada a perder a guerra e, para si mesmo, ele começou a questionar a racionalidade de seu governo.

Ao longo da primavera de 1943, Senger prestou um excelente serviço durante a viagem do Marechal de Campo Erich Manstein & # 8217 pelo sudoeste da Ucrânia, que resgatou o Primeiro Exército Panzer da captura iminente. Em maio daquele ano, ele foi convocado a Berlim para uma audiência pessoal com Adolf Hitler, onde foi promovido a tenente-general. Apesar dessa honra singular, Senger permaneceu impassível. & # 8220Do magnetismo pessoal de Hitler & # 8217s não senti o menor sinal, & # 8221 ele emocionou. & # 8220Pensei apenas com repulsa e horror em todos os infortúnios que esse homem havia causado em meu país. & # 8221 O general erudito foi posteriormente realocado para a Itália como oficial de ligação principal com as forças italianas na Sicília.

Senger estava ativamente envolvido na defesa da Sicília e ajudou a orquestrar a retirada bem-sucedida das forças alemãs e italianas em julho de 1943. Ele então dirigiu a remoção das forças alemãs abandonadas na Córsega e na Sardenha, o que foi realizado com habilidade consumada. No entanto, após a queda do ditador fascista Benito Mussolini e o armistício da Itália com os Aliados em setembro de 1943, Hitler ordenou que todos os oficiais italianos em mãos alemãs fossem executados. Senger então informou secamente a seu superior, o marechal de campo Albert Kesselring, que não obedeceria a essa ordem. Kesselring, por sua vez, não informou Hitler de seu desafio e o assunto passou em silêncio. Em outubro de 1943, Senger assumiu o comando do 14º Corpo Panzer na Itália continental. Ele então estabeleceu sua sede em Roccasecca, local de nascimento de Santo Tomás de Aquino em 1225, em cujos escritos ele se consolou. A essa altura, as forças aliadas sob o comando do general Mark W. Clark haviam desembarcado em Salerno e estavam avançando lentamente pela península. Tornou-se a missão de Senger & # 8217s interromper sua viagem em Roma a qualquer custo.

Em novembro de 1943, Senger assumiu o controle das defesas alemãs em Monte Cassino, nos Apeninos. Isso o colocou de 130 a 90 milhas a sudeste de Roma, em um terreno acidentado e acidentado. E para um homem com formação clássica de Senger & # 8217, provou ser uma área de intenso interesse pessoal. Monte Cassino era o local do famoso mosteiro de São Bento, um tesouro da cristandade antiga que remonta ao ano 529. Este famoso edifício foi a inspiração para centenas de outros retiros católicos romanos, foi considerado uma obra de arte e abrigou incontáveis tesouros de arte para guarda durante a guerra. Ninguém poderia ter apreciado isso mais do que Senger, pois ele cuidadosamente posicionou suas defesas em torno daquele edifício nobre, mas nunca perto dele. Sua posição geral, situada em picos íngremes de 1.700 pés de altura e tripulada pela elite da Primeira Divisão de Pára-quedas, não exigiria seu uso de qualquer maneira. No entanto, ele evacuou cuidadosamente todos os monges e obras de arte por precaução. O general pretendia cumprir seu dever, mas estava igualmente determinado a poupar essa relíquia inestimável das devastações da guerra.

Em dezembro de 1943, uma força anglo-americana combinada sob o comando de Clark e do general britânico Harold Alexander havia alcançado o vale e as encostas antes do Monte Cassino em sua viagem a Roma. Seu avanço foi interrompido imediatamente após encontrar o primeiro cinturão da chamada Linha Gustav, planejado por Kesselring para impedi-los. De sua posição no alto das encostas, os alemães facilmente observaram os movimentos dos Aliados abaixo deles e convocaram um fluxo constante de fogo de artilharia preciso. Cassino provou ser uma posição difícil de atacar, uma realidade ressaltada em 11 de fevereiro de 1944, quando os homens de Senger e # 8217 repeliram facilmente um grande avanço americano. A responsabilidade por romper a linha alemã em seguida passou para o general da Nova Zelândia Sir Bernard C. Freyburg, que acreditava que os alemães usavam a antiga abadia como posto de observação da artilharia. Ele, portanto, insistiu que a posição fosse bombardeada em estrondo antes que outro ataque fosse tentado. Clark e Alexander agonizaram sobre o que fazer a seguir, mas finalmente cederam. Em 15 de fevereiro de 1944, ondas de bombardeiros aliados lançaram 450 toneladas de altos explosivos sobre a antiga abadia, demolindo-a. Cerca de 300 civis que viviam nas aldeias abaixo também foram mortos.

O bombardeio de Monte Cassino gerou condenação de católicos em todo o mundo, incluindo Senger, que havia tomado medidas deliberadas para preservar o artefato. Clark, ele próprio católico, pediu desculpas, mas sentiu que estava de mãos atadas. Posteriormente, paraquedistas alemães ocuparam as ruínas, fortalecendo a posição já formidável dos Senger e # 8217. Os Aliados tiveram ampla prova disso em 11-15 de fevereiro de 1944, quando um segundo grande ataque das tropas da Nova Zelândia e Gurkha foi repelido com grande perda. Senger habilmente mudou suas forças, desdobrou suas armas e repeliu com sangue uma terceira tentativa determinada em 15 a 25 de março. Para quebrar o impasse, Clark ordenou um desembarque anfíbio em grande escala em Anzio, perto de Roma, e Senger retirou os homens de sua linha de frente para contê-lo. Um quarto e último ataque das tropas polonesas em 18 de maio de 1944, finalmente levou Monte Cassino depois de combates ainda mais pesados. As baixas foram terríveis, com alguns batalhões poloneses relatando perdas de 70 por cento! Os alemães então abandonaram sua posição e retiraram-se em boas condições para sua próxima linha defensiva. Ao todo, Monte Cassino foi uma exibição magistral de táticas defensivas de Senger. Sua corajosa resistência deteve uma força numericamente superior que desfrutava de controle completo do ar e infligiu mais de 20.000 baixas a eles.

Senger tinha até então um desempenho excelente, mas sua antipatia por Hitler e os nazistas o colocava sob suspeita. Após a fracassada conspiração de bomba contra Hitler em 20 de julho de 1944, ele se recusou a enviar parabéns ou exibir qualquer manifestação alegre sobre a sobrevivência do Führer & # 8217 e passou a ser vigiado de perto. Roma caiu em agosto de 1944 e as forças de Kesselring & # 8217s ocuparam uma nova posição defensiva chamada Linha Gótica. A próxima performance de Senger e # 8217 - movendo-se obliquamente pelos Apeninos com as forças aliadas em perseguição - foi igualmente brilhante. Por fim, ele chegou a um acordo com Kesselring de que a Linha Gótica não deveria incluir as cidades de Bolonha, Pisa, Lucca e Florença, pois estavam muito carregadas de artefatos históricos e artísticos. Pegando a dica, os Aliados também os contornaram durante seu avanço. Nos seis meses seguintes, Clark e seu sucessor, Lucian K. Truscott, lutaram contra as formidáveis ​​defesas alemãs, sofrendo pesadas perdas e obtendo poucos ganhos. Foi só em abril de 1945 que os Aliados chegaram ao sopé dos Alpes e Senger foi designado para conduzir as negociações de paz. Ele então passou os próximos dois anos como prisioneiro na Inglaterra antes de ser libertado na Holanda.

Após a guerra, Senger trabalhou como professor, jornalista e comentarista militar para a rádio Southwest German em 1952. Posteriormente, ele ajudou a escrever o chamado Relatório Himmeroder, que descreveu o rearmamento alemão e a criação de um novo exército, o Bundeswehr. Dadas suas sólidas credenciais antinazistas, Senger chefiava um conselho militar que examinava ex-funcionários da Wehrmacht para garantir que não fossem contaminados pelo passado. Ele determinou que o novo exército alemão refletiria os valores consagrados pelo tempo de dever, honra e integridade - os mesmos altos padrões que ele seguia. Este aristocrata culto então escreveu um conjunto de memórias, que foram aclamadas como uma obra-prima do gênero. Neles, ele agonizava com o nazismo, os eventos em Cassino e a destruição sem sentido da marca registrada de São Bento e # 8217. O capaz e afável Senger und Etterlin morreu em Freiburg-im-Breisgau em 4 de janeiro de 1963. Desprezando Hitler e os nazistas, ele buscou apenas servir a Deus e ao país com o melhor de suas habilidades.

Bibliografia Barnett, Correlli, ed. Hitler & # 8217s generais. Nova York: Grove Weidenfield, 1989 Deighton, Len. Blitzkrieg: da ascensão de Hitler à queda de Dunquerque. Londres: Jonathan Cape, 1993 Ellis, John. Cassino, the Hollow Victory: The Battle for Rome, Janeiro- June, 1944. New York: McGraw Hill, 1984 Fritz, Stephen G. Frontsoldaten: The German Soldier in World War II. Lexington: University Press of Kentucky, 1995 Graham, Dominick. Cassino. Nova York: Ballantine Books, 1972 Hapgood, David. Monte Cassino: a verdadeira história da batalha mais controversa da Segunda Guerra Mundial. Nova York: Congdon e Weed, 1984 Hunt, Stephen. O Soldado Alemão na Segunda Guerra Mundial. Osceola, WI: MBI, 2000 Lucas, James S. O Último Ano do Exército Alemão, maio de 1944 a maio de 1945. London: Arms and Armor, 1994 Piekalkiewicz, Janusz. Cassino: anatomia de uma batalha. Londres: Orbis, 1980 Senger und Etterlin, Fridolin. & # 8220The Battles of Cassino. & # 8221 Journal of the Royal United Service Institution 103, no. 610 (1958): 208-214 Senger und Etterlin, Fridolin. Nem medo nem esperança. Nova York: E. P. Dutton, 1964.


Biografia [editar]

Fridolin Rudolph von Senger und Etterlin nasceu em 4 de setembro de 1891, em Waldshut, perto da fronteira com a Suíça. Em 1912, ele se tornou um bolsista da Rhodes em Oxford e adquiriu fluência em francês e inglês. A Primeira Guerra Mundial interrompeu sua educação em agosto de 1914, e ele foi contratado como tenente na reserva. Senger permaneceu no Reichswehr do pós-guerra como oficial de cavalaria. Senger estudou por dois anos na Escola de Cavalaria de Hannover, passou quatro anos na inspetoria de cavalaria em Berlim e, em 1938, foi promovido a coronel. & # 91 citação necessária ]

Segunda Guerra Mundial [editar]

Senger participou da Batalha da França em 1940. Em outubro de 1942, ele recebeu o comando da 17ª Divisão Panzer no sul da Rússia. Em junho de 1943, durante a Batalha da Sicília, ele foi oficial de ligação alemão do 6º Exército italiano (General Alfredo Guzzoni) e comandou as unidades alemãs na ilha até 17 de julho de 1943, quando o general Hans-Valentin Hube assumiu o controle de todas as tropas do Eixo em a ilha. Em agosto de 1943, Senger assumiu o comando das forças alemãs nas ilhas da Sardenha e da Córsega. Ele conduziu a evacuação quando as posições alemãs se tornaram insustentáveis. Em 8 de outubro de 1943, ele recebeu o comando do XIV Corpo Panzer na Itália.

Durante a Batalha de Monte Cassino, Senger lutou na Linha Gustav, que incluía Monte Cassino. A posição alemã só foi quebrada pelos Aliados em maio de 1944. & # 911 & # 93

Vida posterior [editar]

Após a guerra, ele escreveu suas memórias, intituladas Krieg na Europa (Guerra na Europa) (que foram traduzidos para o inglês como Nem medo nem esperança), e ele continuou a escrever sobre assuntos militares e teoria. Ele foi convidado para as conferências Königswinter por Lilo Milchsack. Essas conferências anuais ajudaram a curar as más lembranças após o fim da Segunda Guerra Mundial. Na conferência, ele trabalhou com o político Hans von Herwath, o futuro presidente alemão Richard von Weizsäcker e outros importantes tomadores de decisão alemães, bem como com políticos britânicos como Dennis Healey, Richard Crossman e o jornalista Robin Day. & # 912 e # 93

Em 1950, Senger foi um dos autores do memorando de Himmerod que abordou a questão do rearmamento (Wiederbewaffnung) da República Federal da Alemanha após a Segunda Guerra Mundial. & # 91 citação necessária & # 93 Senger foi apresentado por B. H. Liddell Hart ao historiador militar Michael Howard. Howard, que lutou na Itália durante a guerra, lembra-se dele dizendo: "Posso lhe dar um conselho? Da próxima vez que invadir a Itália, não comece por baixo." & # 913 & # 93 Ele era o pai do general da Bundeswehr e do autor militar Ferdinand Maria von Senger und Etterlin (1923–1987).


Na SS, em Nove Batalhas, Feridos Cinco Vezes & # 038 Recebeu o Prêmio Mais Alto da Alemanha Nazista & # 8217s

Joachim von Ribbentrop é conhecido como o diplomata nazista e ministro do exterior que negociou o pacto de não agressão entre a Alemanha e a União Soviética e a aliança com a Itália, ambos em 1939. Seu filho Rudolf é menos conhecido, embora também tenha servido ao Reich.

Nascido em 1921, Rudolf acompanhou seu pai à Grã-Bretanha quando foi nomeado embaixador na Corte de St. James em 1936. Ele passou um ano na Westminster School em Londres. O futuro diplomata britânico Brian Urquhart estudou com ele e mais tarde descreveu Rudolf como um aluno "estúpido, ranzinza e arrogante".

De acordo com Urquhart, Ribbentrop chegava à escola todos os dias em um Mercedes-Benz cor de ameixa, acompanhado por outro, aos gritos de "Heil Hitler", # 8217 gritado pelos motoristas. Embora se comportasse como um membro da nobreza, o Ribbentrop não era de origem aristocrática. O 'von' em seu nome era uma afetação.

Joachim von Ribbentrop, Ministro dos Negócios Estrangeiros do Reich. Por Bundesarchiv & # 8211 CC BY-SA 3.0 de

Peter Ustinov, o futuro ator, também era um colega aluno. Ele foi a causa da remoção apressada de Ribbentrop da escola quando revelou a presença do filho do embaixador ao The Times.

Em 1960, von Ribbentrop casou-se com Ilse-Marie Frein Munchhausen (1914 - 2010). Quando a Segunda Guerra Mundial estourou em setembro de 1939, ele se juntou ao Regimento de Infantaria SS Deutschland em Munique.

In October he was transferred to occupied Czechoslovakia, where he served in the 11th Company of his field regiment. His Company fought in the invasion of France. Von Ribbentrop was wounded in action and was awarded the Iron Cross Second Class. He was promoted to the rank of Sturmmann.

After France, he was trained as an SS platoon leader in Braunschweig. He received a commission as Untersturmfuhrer, in command of a platoon in the 1st Company of the Reconnaissance Battalion ‘Nord.’ Ribbentrop distinguished himself in the Finnish campaign against the Soviet Union and was awarded the Finnish Freedom Cross Fourth Class.

He was wounded in Finland on September 2, 1941. After nearly six months in an SS hospital and some rest at home, he was assigned to the Panzerregiment of the 1st SS Division Leibstandarte SS Adolf Hitler. The regiment had only just been created.

In February 1943 Ribbentrop participated as a tank commander in the Third Battle of Kharkov.

Paul Haussler, the commander of the SS Panzer Corps, was ordered to attack the Soviet spearhead, which threatened to encircle them, from the north.SS Lieutenant Colonel Kurt Meyer attacked with his regiment at the weakest point of the Soviet encirclement, at Nowaja Vololaga.

The 2nd Platoon of the 6th Company of that Regiment, commanded by SS-Lieutenant Erckardt, was caught in a village. Erckardt was killed in the firefight, and Ribbentrop was ordered to assume command of the platoon. Ribbentrop received the news shortly before his tank’s antenna was shot off.

Waffen-SS-Division “LSSAH”. By Bundesarchiv – CC BY-SA 3.0 de

Ribbentrop immediately ordered a high-speed advance, which went relatively unnoticed by the Soviets. Only a few light tanks and anti-air guns were destroyed on the way. This audacious maneuver put Meyer 40 kilometers behind Soviet lines. Having raced through Kharkov and with little resistance, the tanks captured Alexeyevska on February 13. They held out against a fierce Soviet counter-attack.

In that engagement, Ribbentrop was shot through the lung by a sniper. Despite this he continued to rescue wounded soldiers and refused to be taken to a hospital, He was awarded the Iron Cross First Class for his courage. After recovering, he became commander of 7th Company and led it to the recapture of Kharkov on March 15, 1943. The encirclement was broken, and the Soviet advance was temporarily halted.

Ribbentrop then became a Regimental Adjutant. A few weeks later he trained Luftwaffe members of the Leibstandarte SS Adolf Hitler. He returned to the field on June 15 as commander of the 1st Platoon of the 6th Company. He saw action during the retreat from Kharkov in August 1943 and was wounded in the right and left shoulder. On July 20 he received the Knight’s Cross.

Knight’s Cross of the Iron Cross

He was transferred to the 12th SS Panzer Division Hitlerjugend on August 1, 1943, and commanded junior officer training. In November he became commander of 3rd Company I./SS-PzRgt 12. He was wounded yet again on June 3, 1944, when a Spitfire attacked his car returning from a training exercise. But he was back in command only six days later.

Ribbentrop was awarded the German Cross in Gold and the Panzer Assault Badge during the defense of Normandy in June 1944. He was made Regimental Adjutant to SS-Panzer Regiment 12 and fought in Operation Wacht Am Rhein, the last major German offensive (better known by its Allied name, the Battle of the Bulge).

On December 20 he was wounded in defense of Germany and awarded the Wound Badge in Gold. He then commanded I./SS-PzRgt 12. He remained in this command until the German surrender on May 8, 1945. His division gave themselves to the American forces.

After the war, Ribbentrop became a wine merchant. His father was executed for crimes against humanity in 1946. In 2008 he wrote a biography of his father, Joachim von Ribbentrop: Mein Vater: Erlebnisse und Erinnerungen. A translation into English is expected. Rudolf Ribbentrop is still alive at the time of writing, at the age of 96.


Rudolf von Sebottendorf

Rudolf von Sebottendorf was the alias of Adam Alfred Rudolf Glauer who also occasionally used another alias, Erwin Torre. He was an important figure in the activities of the Thule Society, a post-World War I German political organization that was a precursor of the Nazi Party.

Glauer was born in Hoyerswerda, Germany, the son of an engine driver from Dresden. He used the alias Sebottendorf because he claimed that he had been adopted by the Sebottendorf family and had a claim to the title of count. After a career as a merchant seaman, Glauer settled in Turkey in 1901 and became the supervisor of a large estate there.

Glauer was deeply influenced by Sufi mysticism, other Eastern philosophies, and in particular, the writings of Madame Blavatsky. He used Blavatsky's A Doutrina Secreta to launch his own recreation of ancient Germanic myth, positing a coming historical moment in which he theorized that the Aryan race would be restored to prior glories by the appearance of a race of Supermen. Glauer eventually became the prime mover behind the Thule Society, which was one of the most important precursors of the Nazi Party, although the Nazi Party itself, once it had become ascendant, obliterated the Thule Society.

The Thule Society, which espoused ideas of extreme nationalism, race mysticism, virulent anti-Semitism, and the occult, was formed shortly after the end of World War I in Munich by Glauer. It attracted about 250 ardent followers in Munich and about 1500 in greater Bavaria. Members of the Thule Society included Rudolf Hess, Dietrich Eckart, and Alfred Rosenberg. Thule agents infiltrated armed formations of the Communist Party in Munich and plotted to destroy the party, hatching plans to kidnap the party's leader, Kurt Eisner, and launching an attack against Munich's Communist government on April 30, 1919. The Thule Society also started its own newspaper, Müncher Beobachter, in 1918, and eventually approached the organizer Anton Drexler to develop links between the Society and various extreme right workers' organizations in Munich.

Drexler was instrumental in merging the Thule Society with a workers' party that he was involved with. The merged organization became known as the München Deutsche Arbeiterpartei (DAP). It was the DAP that Adolf Hitler was introduced to in 1919. By April 1, 1920, the DAP had been reconstituted as the Nazi Party, and Glauer, who was accused of negligence in allegedly allowing the names of several key Thule Society members to fall into the hands of the Communists, resulting in the execution of seven members after the attack on the Munich government in April 1919, had fled Germany for Switzerland and then Turkey. He returned to Germany in January 1933, but fled again in 1934. He was an agent of the German military in Istanbul during the period 1942� (while apparently also working as a double agent for the British military). Glauer allegedly committed suicide by jumping into the Bosphorus on May 8, 1945.

Fontes: What-Means.Com. This article is availiable under the terms of the GNU Free Documentation License

Baixe nosso aplicativo móvel para acesso móvel à Biblioteca Virtual Judaica


Alemanha nazista

Hitler was appointed Chancellor of Germany by the President of the Weimar Republic Paul von Hindenburg on 30 January 1933. The Nazi Party then began to eliminate all political opposition and consolidate its power. Hindenburg died on 2 August 1934 and Hitler became dictator of Germany by merging the offices and powers of the Chancellery and Presidency. A national referendum held 19 August 1934 confirmed Hitler as sole Führer(leader) of Germany. All power was centralised in Hitler's person and his word became above all laws. The government was not a coordinated, co-operating body, but a collection of factions struggling for power and Hitler's favour. In the midst of the Great Depression, the Nazis restored economic stability and ended mass unemployment using heavy military spending and a mixed economy. Extensive public works were undertaken, including the construction of Autobahnen (motorways). The return to economic stability boosted the regime's popularity.

Racism, especially antisemitism, was a central feature of the regime. The Germanic peoples (the Nordic race) were considered by the Nazis to be the purest branch of the Aryan race and were therefore viewed as the master race. Millions of Jews and other peoples deemed undesirable by the state were murdered in the Holocaust. Opposition to Hitler's rule was ruthlessly suppressed. Members of the liberal, socialist, and communist opposition were killed, imprisoned, or exiled. Christian churches were oppressed, with many leaders imprisoned. Education focused on racial biology, population policy, and fitness for military service. Career and educational opportunities for women were curtailed. Recreation and tourism were organised via the Strength Through Joy program, and the� Summer Olympics showcased the Third Reich on the international stage. Propaganda minister Joseph Goebbels made effective use of film, mass rallies, and Hitler's hypnotic oratory to influence public opinion. The government controlled artistic expression, promoting specific art forms and banning or discouraging others.

Beginning in the late 1930s, Nazi Germany made increasingly aggressive territorial demands, threatening war if they were not met. It seized Austria and Czechoslovakia in 1938 and 1939. Hitler made a non-aggression pactwith Joseph Stalin and invaded Poland in September 1939, launching World War II in Europe. In alliance with Italy and smaller Axis powers, Germany conquered most of Europe by 1940 and threatened the UK. Reichskommissariats took control of conquered areas and a German administration was established in what was left of Poland. Jews and others deemed undesirable were imprisoned, murdered in Nazi concentration camps and extermination camps, or shot.

Following the German invasion of the Soviet Union in 1941, the tide gradually turned against the Nazis, who suffered major military defeats in 1943. Large-scale aerial bombing of Germany escalated in 1944 and the Axis powers were pushed back in Eastern and Southern Europe. Following the Allied invasion of France, Germany was conquered by the Soviet Union from the east and the other Allied powers from the west and capitulated within a year. Hitler's refusal to admit defeat led to massive destruction of German infrastructure and additional war-related deaths in the closing months of the war. The victorious Allies initiated a policy of denazification and put many of the surviving Nazi leadership on trial for war crimes at the Nuremberg trials.


Jogos de vídeo

All Star Battle (PS3)

Stroheim makes his first video game appearance in the PS3 title. Appearing as one of the Campaign Surprise Support Characters, where he shoots the opponent's profile with his machine gun (in the same way he attacked Kars during the events of Parte 2), decreasing their health bar by 40% before the fight.

Stardust Shooters (Android/iOS)

Stroheim appears as one of the several Parte 2 characters who possess a Metal Striker. His FINISH move makes him shooting several bullets of his Torso-Machine Gun at the defeated opponent and his Level 3 special ability allows him to destroy himself after defeat, damaging any Metal Striker near him (enemy or ally).

Eyes of Heaven (PS3/PS4)

Stroheim was one of the first characters confirmed to be playable in the game (alongside Jotaro Kujo, Joseph Joestar, Noriaki Kakyoin, Josuke Higashikata, and Diego Brando).

Stroheim has the exclusive Style fully named My body! It's the pride of the German people, and the prime example of our superior German Science! ( ゲルマン民族の最高知能の結晶 , Geruman Minzoku no Saikō Chinō no Keshō, German's Highest Intelligence Crystallize) , shortened to The Prime Example of Superior German Science.

  • Style Action - Heavy Machine Gun Mode/UV Radiation Mode: Stroheim switches between his Abdominal Machine Gun and shoulder-mounted UV lights. Heavy Machine Gun Mode allows him long-ranged powers and increased speed and agility, while UV Radiation Mode makes use of two bodyguards and his various UV light components. All attacks involving his UV beams will deal increased damage to Vampires and Pillar Men, similar to Ripple Users. However, while in UV Radiation Mode, he loses movement speed and jump power, as well as the ability to grab onto and climb ledges.
  • German Science is the best in the world!: Stroheim stops to strike a pose and perform a very lengthy tirade. Though he is especially vulnerable while performing the skill, he gains a temporarily attack boost that has a duration proportional to how long his tirade lasts before he's attacked, maxing out at him completely finishing it.
  • So long, you filthy Brit!: This skill can only be performed when Stroheim is down. He pulls out the Stielhandgranate he used to sacrifice himself and proceeds to hug it, resulting in a massive explosion. Though Stroheim takes roughly a third of a health bar in damage, any opponent caught will take half a health bar in damage. On the other hand, despite being on the floor, Stroheim is open to attacks during the skill that can interrupt him.
  • Dual Heat Attack - Put an end to you? I'd be delighted!: Starting in UV Radiation Mode, Stroheim and his bodyguards blind and seer their opponent with all three of their UV beams. While their target is stunned, Stroheim proceeds to switch over to Heavy Machine Gun Mode and launch an extended volley of bullets from his Abdominal Machine Gun before taunting his opponent.

While in Heavy Machine Gun Mode:

  • My bullets will cut you down one by one!: Stroheim fires a slew of heavy bullets from his Abdominal Machine Gun. Holding down the activation button will extend the attack, though will increase the cooldown on the ability when it ends.
  • EX - My bullets will cut you down one by one!: The firing time of the skill is extended, and if Stroheim is on the ground, he is able to cancel it with a Sidestep.

While in UV Radiation Mode:

  • Bodyguard Icon: Shows the statuses of Stroheim's two bodyguards. If an icon is glowing, that soldier is readily available If it is dim, they are active and about the stage If there is a red cross over the icon, that soldier has been incapacitated until Stroheim reactivates UV Radiation Mode.
  • My bodyguards will keep you busy!: Stroheim orders his soldiers to attack. If he is locked-on to a target, they will unleash their UV beams on that specific target. If he is not, they will face outward and unleash their UV beams in order to cover Stroheim's blind spots.
  • Ultraviolet Radiation Beam!: Stroheim fires his unblockable UV beam in a wide angle, setting opponent on fire. If his soldiers are available, they will either attack a target if he is locked-on, or simply cover his blind spots if he is not.
  • EX - Ultraviolet Radiation Beam!: Stroheim gains unflinching through the attack and damage dealt is increased.
JoJolities
  • My right leg is still a bit creaky, though!: Stroheim must switch to UV Radiation Mode. (200 Points)
  • We're more than enough to finish you off!: Stroheim must use "My bodyguards will keep you busy!" duas vezes. (200 Points)
  • I can't let you go there alone!: Stroheim must successfully execute 5 Combo Breakers. (300 Points)
  • I have surpassed the entire human race!: Stroheim must use "German Science is the best in the world!" 3 times. (500 Points)
  • I'd be delighted!: Stroheim must Retire an opponent with his Dual Heat Attack. (800 Points)

As in the anime, he's voiced by Atsuhi Imaruoka. Eyes of Heaven also marks the first time Stroheim appears in a video game as a playable character.

In the Western release of the game, Stroheim's default outfit (with his military uniform) was removed, most likely due to sensitivity regarding the display of Nazi symbols.

Tournament

He is paired with Okuyasu Nijimura in the Eyes of Heaven Tournament, but was eliminated in the preliminaries by Mariah and Esidisi.

Diamond Records (Android/iOS)

Stroheim appears in Diamond Records as a playable character. Interestingly enough, it is his original, non-cyborg form that appears in the game. He utilizes a knife and a Stielhandgranate in his special attacks, otherwise unleashing normal punches and kicks.

List of site sources >>>


Assista o vídeo: 1 de março de 2012. Bremen exercito alemão (Janeiro 2022).