A história

História do Vingador - História

História do Vingador - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Vingador
eu

(SwRam: t. 410; 1. 210'0 "; b. 40'0"; dr. 6'0 "; s. 12 mph .; a. 1 100-pdr. Pr, 1 12-pdr. Pr, 4 24-pdr. Sb.)

Em 7 de dezembro de 1863, o Departamento de Guerra transferiu para a Marinha dois aríetes com casco de madeira e roda lateral que estavam sendo construídos em New Albany, Indiana, para a Brigada de Fuzileiros Navais do Exército do Mississippi. Naquele dia, enquanto relatava ter tomado posse dessas embarcações ainda inacabadas, o contra-almirante David Dixon Porter, que então comandava o esquadrão pi do Mississippi, sugeriu que fossem nomeados Vingador e Vindicador.

Em 19 de dezembro, o navio maior, Avenger, foi designado para o Terceiro Distrito do esquadrão, que era responsável por controlar o Mississippi entre Natchez, Miss., E a foz do Rio Vermelho. Concluído no final de fevereiro de 1864, este carneiro caiu no rio Ohio e foi comissionado no Cairo, Illinois, no dia 29 daquele mês, com o tenente voluntário em exercício Charles A. Wright no comando.

Em 12 de março, despachos de vingadores e uma carga de estoques de munições dirigiram-se rio abaixo para se juntar a uma poderosa força naval que Porter havia recentemente liderado o Rio Vermelho para cooperar com as tropas do Exército que então avançavam pela Louisiana em uma direção geralmente noroeste em direção a Shreveport. Os principais objetivos da campanha do Rio Vermelho eram: o estabelecimento de um ponto de apoio da União no Texas para enfraquecer as forças confederadas a oeste do Mississippi, o impedimento do intervencionismo francês no México e a aquisição de algodão para fábricas de têxteis ociosas no Norte.

No entanto, quando o Vingador alcançou um ponto apenas cerca de seis milhas abaixo do Cairo, ela encontrou um navio mercante que subia cujo piloto tentou ultrapassá-lo no lado errado do rio. As duas embarcações colidiram e Avenger sofreu danos consideráveis ​​a estibordo. Embora ela pudesse continuar por conta própria no Mississippi, o carneiro perdeu quase um dia em Memphis, passando por reparos. Sua viagem rio abaixo também revelou defeitos em seu maquinário que retardaram seu progresso, mas ela finalmente chegou à foz do Rio Vermelho no dia 16. Lá, ordens de Porter aguardavam que a direcionaram a retornar ao Norte com mensagens. Após o carvão, ela partiu no dia 17 e voltou ao Cairo no dia 23.

Lá, o relatório de Wright sobre suas dificuldades de engenharia resultou em uma inspeção do navio. Os inspetores recomendaram a instalação de um conjunto de ventiladores para aumentar a eficiência das caldeiras. Enquanto este trabalho estava sendo executado pelo navio de reparos Samson, foi descoberto que as caldeiras do porto do navio estavam gravemente queimadas e precisavam de reparos. Depois que remédios temporários foram feitos, o Avenger entrou no Rio Vermelho em 2 de abril carregando mensagens rio acima. Dois dias depois, tomou posição na foz do Rio Negro e, no dia 7, entrou em Ouachita em expedição comandada pelo Tenente Comdr. Jaynes P. Foster no aríete da roda lateral Lafayette. Os navios de guerra da União ascenderam a esse afluente até a cidade de Ouachita e confiscaram cerca de 3.000 fardos de algodão; libertou 800 negros; e queimou o tribunal em Monroe, Louisiana, o depósito da ferrovia lá, e uma ponte sobre o riacho. Eles resistiram ao Ouachita no dia 12 e voltaram ao Mississippi quando souberam que o famoso comandante da cavalaria confederada, o general Nathan Bedford Forrest, havia atacado Fort Pillow, Tenn.

Foster, acompanhado por Vingador e Choctaw, subiu o Mississippi para verificar Forrest. No entanto, em Memphis ele aprendeu que, depois de pilhar Fort Pillow, o temido invasor sulista abandonou a fortaleza da União caída e se retirou para o interior. Portanto, o Avenger, que vinha sofrendo de problemas no motor, estava livre para permanecer em Memphis para reparos que duraram até o final de abril.

O carneiro então voltou para a foz do Rio Vermelho, onde foi designado para guardar a barcaça de carvão estacionada lá. Ela foi substituída por Ninfa em 3 de maio e prosseguiu para a foz do Rio Negro com mais barcaças de carvão a reboque. Lá ela foi novamente aliviada e subiu o vapor para se juntar a Forest Rose em patrulha nas proximidades de Fort deRussy. Nesse forte, o Vingador trocou tiros com atiradores de elite do sul em 12 de maio; e ela e sua consorte enfrentaram o inimigo várias vezes enquanto continuavam patrulhando rio acima e rio abaixo durante os cinco dias seguintes.

O carneiro retornou à foz do Rio Vermelho em 17 de maio para o carvão e então continuou rio abaixo até Simmesport para embarcar o Major General Nathaniel P. Banks, o comandante das forças do Exército envolvido na expedição do Rio Vermelho, para passagem para Nova Orleans. O avanço de suas tropas foi contido na Batalha de Pleasant Hill e a falta de munição, suprimentos e água o forçou a se retirar.

Em maio, o Avenger foi estacionado em Morganza, Louisiana, e realizou tarefas de bloqueio entre Morganza e Donaldsonville até novembro, quando foi ordenada a ajudar no patrulhamento do Mississippi entre Vicksburg e Natchez, senhorita.

Em 21 de novembro de 1864, após avistar um esquife cruzando o rio em Bruinsburg, Mississippi, o Avenger bombardeou a área e enviou um grupo de desembarque que encontrou contrabando escondido na vegetação rasteira. A parte de desembarque capturou vários soldados confederados e confiscou 154 rifles com baionetas e vários esquifes e vagões. Ela continuou a operar no Mississippi

e, em março de 1865, foi estacionado perto de Cole's Creek para evitar que as tropas confederadas e suprimentos cruzassem o rio. As patrulhas foram intensificadas no final de abril e início de maio na tentativa de capturar Jefferson Davis, que se acreditava estar tentando escapar pelo Mississippi. Depois que o presidente da Confederação derrotada foi capturado na Geórgia em 10 de maio, as forças navais empregadas em tarefas de bloqueio foram gradualmente reduzidas.

Em julho de 1865, Avenger foi enviada para Mound City, onde foi desativada em 1º de agosto. Vendido em leilão público lá em 29 de novembro de 1865 para a Cutting & Ellis, o ex-carneiro foi documentado como Balize em 16 de abril de 1867 e começou a servir em Nova Orleans como comerciante. O navio continuou a operar comercialmente até 1871.


Segunda Guerra Mundial: Grumman TBF Avenger

O Grumman TBF Avenger foi um torpedo-bombardeiro desenvolvido para a Marinha dos Estados Unidos que prestou serviço extensivo durante a Segunda Guerra Mundial. Capaz de transportar um torpedo Mark 13 ou 2.000 libras de bombas, o Avenger entrou em serviço em 1942. O TBF era a aeronave monomotora mais pesada usada no conflito e possuía um armamento defensivo formidável. O TBF Avenger participou de combates importantes no Pacífico, como as Batalhas do Mar das Filipinas e do Golfo de Leyte, além de se mostrar altamente eficaz contra submarinos japoneses.


Os Vingadores

Um guincho do alto-falante perfura o ar, seguido pela voz prática do despachante: & # 8220 Temos uma chamada de ação. & # 8221

O líder do vôo corre para a linha de vôo, seguido por outros pilotos e tripulantes. Em dois minutos, três Grumman TBM Avengers dispararam e o avião da frente começa a taxiar. Fecho os olhos e ouço o coro crescente e decrescente dos motores radiais Wright R-2600 de 1.950 cavalos. Posso imaginar este rugido no convés de um porta-aviões enquanto o esquadrão se preparava para a batalha no mar das Filipinas, 57 anos atrás. Em breve, esses sons serão apenas uma memória.

Estamos, na verdade, no Aeroporto de Miramichi, uma antiga base da Força Aérea Real Canadense no leste de New Brunswick, perto do Golfo de St. Lawrence. Os Vingadores, perfeitamente pintados em branco e cinza com pontas das asas amarelas, são tanques, os últimos sobreviventes de sua raça. Eles se alinham por grandes tanques de armazenamento na borda da rampa, onde 625 galões americanos de retardador de fogo & # 8212 uma pasta de corante vermelho, fertilizante, argila e água & # 8212 são rapidamente bombeados para os tanques do compartimento de bombas. Um por um, eles decolam, sobem cerca de 1.500 pés e desaparecem no horizonte ao sul em seu caminho para um incêndio florestal recentemente relatado.

Em 15 de dezembro de 1941, o protótipo do Avenger fez seu primeiro vôo bem-sucedido. Os primeiros modelos de produção, saindo da linha no início de 1942, eram TBFs (& # 8220F & # 8221 sendo a Marinha dos EUA & # 8217s designação para Grumman Aircraft, o fabricante). Em 1943, a Eastern Aircraft, uma divisão da General Motors em Trenton, New Jersey, começou a fabricá-los simultaneamente como TBMs. Em 1944, a Eastern assumiu totalmente o controle. Em setembro de 1945, quando a produção cessou, 9.837 Avengers foram entregues.

Construído de acordo com as especificações estritas da Marinha como um bombardeiro torpedeiro para substituir o obsoleto Douglas Devastator, o Avenger carregava uma tripulação de três: piloto, navegador / radiotelegrafista e artilheiro companheiro / torre # 8217s. Seus compartimentos internos podiam carregar bombas de 500 libras ou um torpedo de 2.000 libras.

O Vingador desempenhou um papel importante na derrota da frota japonesa em todas as campanhas no Pacífico Sul. Ao longo das rotas marítimas do Atlântico Norte, os Vingadores operando em navios de escolta partiram para a ofensiva contra os submarinos alemães, tornando o mar mais seguro para os navios mercantes. No final da guerra, os pilotos passaram a apreciar a robustez e a estabilidade do lutador experiente, que poderia receber punições violentas e ainda assim voltar para casa. Entre alguns pilotos, porém, sua aparência desajeitada rendeu-lhe o apelido de & # 8220turquia. & # 8221


A Era dos Celestiais

A poderosa raça conhecida como Celestial nasceu nos primeiros dias do universo. Esses seres foram forjados a partir da chamada "luz viva", que usaram para manipular a própria matéria e criar seus próprios corpos. É possível que tenham sido os seres que "forjaram" as Pedras do Infinito em sua forma atual. Eles certamente tomaram posse da Power Stone, e o Coletor mostrou imagens dos Celestiais usando-a para julgar mundos e civilizações inteiras.

O destino final dos Celestiais não está claro, mas parece provável que outras raças se levantaram para travar uma guerra contra eles. Os Celestiais foram praticamente extintos, com apenas fragmentos de seus corpos deixados para trás, um crânio gigantesco acabaria por se tornar a instalação de mineração Knowhere. Apenas um último Celestial foi deixado, o ser recém-nascido que viria a se chamar de Ego.

De acordo com o Coletor, a Power Stone foi brevemente adquirida por um grupo de seres inferiores, que usaram seu poder por momentos antes de ser consumida. É possível que eles o tenham usado contra os Celestiais, e que esses monstruosos seres alienígenas tenham sido destruídos por suas próprias armas. A Power Stone foi finalmente secretada no planeta Morag.


A História dos Vingadores vs. X-Men


Os Vingadores lutam contra os X-Men desde os dias sagrados da Idade da Prata. Neste artigo, olhamos para trás, para alguns dos confrontos mais memoráveis ​​entre essas equipes, e como essas batalhas impactaram os eventos de Vingadores contra X-Men.

Rodada + 1 + - + A + Primeira + Batalha

Ano: 1968
Como visto em: Avengers Vol. 1 # 53

O final do & # x2760s foi provavelmente o ponto mais baixo de todos os tempos para a franquia X-Men. As vendas estavam caindo, não havia uma equipe criativa regular para falar e os mutantes alegres simplesmente não tinham os seguintes heróis, como o Homem-Aranha e o Quarteto Fantástico.

Você leu The Avengers [1963]?

Então, que melhor maneira de aumentar o interesse em uma equipe em dificuldades do que enfrentá-los contra os Vingadores? O primeiro grande confronto entre essas duas equipes ocorreu em Avengers # 53. O conflito surgiu quando Magneto voltou e forçou seus filhos a desertar dos Vingadores e se juntar a sua Irmandade dos Mutantes do Mal. Ambas as equipes de super-heróis apareceram para lutar contra o Mestre do Magnetismo e, naturalmente, acabaram lutando entre si.

Um confronto entre o elenco completo dos últimos Vingadores do & # x2760s e os X-Men originais teria sido injusto, considerando que o primeiro incluía potências como o Homem de Ferro e Thor e o último consistia em um garoto que jogou bolas de neve e um cara com asas . Felizmente para os X-Men, eles enfrentaram um esquadrão de Vingadores drasticamente reduzido de Pantera Negra, Golias, Vespa e Gavião.

Infelizmente, os X-Men estavam prestes a experimentar a capacidade do Pantera Negra e do Batman de # x27s de destruir totalmente todos os oponentes. Panther reuniu sua equipe e os levou a uma vitória decisiva sobre os X-Men (um resultado raro nesse tipo de equipe). Mas Magneto finalmente conseguiu o que estava por vir, já que ele foi traído por Toad e aparentemente morreu quando sua ilha-fortaleza explodiu.

Vencedora: Os Vingadores

Rodada + 2 + - + The + Avengers + vs. + Magneto

Ano: 1987
Como visto em: The X-Men vs. The Avengers TPB

Que diferença duas décadas podem fazer. Enquanto os X-Men estavam flertando com o cancelamento em 1968, eles agora estavam no topo do grupo de super-heróis quando sua próxima grande briga com os Vingadores aconteceu.

Mais uma vez, Magneto foi a faísca que alimentou o fogo. Durante este período, Magneto havia se tornado líder dos X-Men na ausência de Xavier e estava fazendo uma tentativa séria de reforma. Mas sua já frágil reputação sofreu outra surra quando o Asteróide M começou a desmoronar e causar destruição na Terra. Os EUA e a Rússia mostram um raro momento de cooperação na Guerra Fria e enviam suas respectivas superequipes para puxar Magneto.

A luta que se seguiu foi o suficiente para resolver vários problemas desta vez. Ajudou o fato de todos os lados terem mais poder de fogo do que antes. A equipe de Magneto e # x27s incluiu Rogue, Wolverine, Storm e Havok. Os Vingadores incluíam o Capitão Marvel, o Capitão América, Thor, She-Hulk e o Cavaleiro Negro. Enquanto isso, os russos enviaram um esquadrão incluindo Crimson Dynamo, Darkstar e Ursa Major.

Com inimigos os cercando de ambos os lados, os X-Men nunca tiveram uma chance nessa luta. O objetivo final de Magneto tornou-se escapar de seus agressores e usar um capacete especial que ele recuperou para religar psiquicamente a humanidade e remover seu preconceito contra os mutantes. Mas depois de testá-lo no Capitão América, ele percebeu que A) Cap não tem preconceito contra ninguém além dos nazistas, e B) que & quotA & quot em sua testa não significa, na verdade, & quotFrança & quot.

Diante dessas verdades, Magneto se rendeu e se preparou para ser julgado pela corte mundial. Mas embora tenha sido determinado que seus crimes simplesmente não eram puníveis, esta luta apenas prejudicou ainda mais a posição de Magneto e prejudicou ainda mais as relações humano / mutante.

Vencedora: Os Vingadores

Rodada + 3 + - + Bloodties

Ano: 1993
Como visto em: Vingadores / X-Men: Bloodties TPB

Esse Magneto. Ele é capaz de instigar um conflito entre os X-Men e os Vingadores, mesmo com morte cerebral e coma. Bloodties se desenrolou logo após os eventos do crossover Fatal Attractions. A última oferta de poder de Magneto e # x27 levou à deserção de Colossus, a quase morte de Wolverine e Xavier limpando a mente de seu velho amigo & # x27.

O verdadeiro culpado aqui foi Magneto e o traiçoeiro ex-Acólito Fabian Cortez. Cortez causou a guerra civil na nação insular de Genosha e então sequestrou a neta de Magneto, Luna, na esperança de obter algum seguro contra um homem que não estava exatamente em busca de vingança. Infelizmente para ele, os pais de Luna estavam, e eles recrutaram os X-Men e os Vingadores para resgatá-la.

Bloodties não foi realmente uma batalha entre essas duas equipes, embora a história caótica e as obras de arte possam fazer isso parecer às vezes. O conflito se concentrou principalmente na caça a Luna e na batalha eventual com o Exodus quando Magneto e o arauto de # x27 apareceram para matar Cortez e sua presa. Assim, nenhum dos lados realmente venceu no final, embora os Vingadores tenham piorado depois de perder o apoio da ONU.

Vencedora: Nenhum

Rodada + 4 + - + Ultimate + Guerra

Ano: 2003
Como visto em: Ultimate X-Men Vol. 5 - Ultimate War TPB

Os X-Men e os Vingadores conseguiram manter-se bem para si mesmos após os Bloodties, exceto o time ocasional para a batalha Onslaught e coisas do gênero. O próximo grande confronto ocorreu no Ultimate Universe, em vez do Marvel U regular. Mas, como sempre, Magneto foi o culpado pelas duas equipes que se enfrentaram.

No momento em que o segundo ano de corrida de Mark Millar e # x27s Ultimate X-Men terminou, Magneto recentemente recuperou suas memórias depois de ser apagado por Xavier. Ele imediatamente procurou vingança. Nick Fury queria saber por que Xavier estava mantendo o terrorista mais odiado do mundo escondido.

A maior parte de Ultimate War vê os X-Men iludindo os Ultimates, mas as duas equipes finalmente se enfrentam em uma série de batalhas um-a-um na edição final. Infelizmente para os X-Men, sua juventude e inexperiência mostraram. Até Wolverine foi derrubado por um Capitão América que não tem medo de lutar sujo. Xavier e vários de seus alunos foram capturados no final, com os X-Men restantes para enfrentar Magneto e resgatar seus nomes.

Vencedora: The Ultimates

Rodada + 5 + - + A + Luta + Por + Escarlate + Bruxa

Ano: 2004-2012
Como visto em: Avengers: Disassembled HC, House of M HC, Avengers: The Children & # x27s Crusade HC

Dentro do universo Marvel regular, o próximo grande conflito Vingadores / X-Men veio quando Scarlet Witch enlouqueceu. Isso está certo, se não é Magneto causando problemas entre as duas maiores franquias da Marvel e # x27s, ele é seus filhos irritantes.

O problema começou em Vingadores: Desmontados quando os poderes hex da Scarlet Witch e # x27s ficaram fora de controle e levaram à morte de vários membros da equipe. Magneto apareceu para carregá-la para Genosha, mas na Casa de M, as duas equipes se reuniram para discutir sobre uma solução mais permanente. Eles deveriam matá-la para evitar mais caos e morte? Qual grupo - Vingadores ou mutantes - tem a palavra final sobre seu destino?

Antes que o argumento filosófico pudesse se tornar físico, entretanto, a realidade foi alterada e a Casa de M nasceu. Nesta realidade alternativa, os mutantes eram a espécie dominante, e a família Magneto & # x27s reinava suprema. Os X-Men e os Vingadores se uniram para salvar o dia, mas o resultado final foi Wanda eliminando o gene mutante e desenergizando a grande maioria dos mutantes do mundo & # x27s.

Esse evento tem sido a força motriz nos livros dos X-Men desde então. Mas não foi até Avengers: The Children & # x27s Crusade aparecer que as tensões entre os Vingadores e os X-Men aqueceram novamente. Nessa história recentemente concluída, os Jovens Vingadores se juntaram a Magneto e embarcaram na busca pela bruxa Escarlate desaparecida. Múltiplas facções de X-Men e Vingadores apareceram em cena para batalhar e disputar.

Os heróis encontraram Wanda na Latvéria, entre todos os lugares, e nada menos que comprometidos com o Doutor Destino. Doom emergiu como o bode expiatório por trás dos crimes recentes de Wanda e # x27 e teve outro breve flerte com a onipotência antes de ser derrotado. Os Vingadores e os X-Men finalmente ficaram satisfeitos em deixar Scarlet Witch em paz. Mas Ciclope deu um aviso final - mais uma perda de controle, e os X-Men não hesitariam em matá-la.

Vencedora: Nenhum

Rodada + 6 + - + Escuro + X-Men + and + & lta + class = & # x27autolink & # x27 + href = & # x27https: //comics.ign.com/objects/142/14295016.html'>Dark+Vengers</ a & gt

Ano: 2009
Como visto em: Dark Avengers / Uncanny X-Men: Utopia TPB

Os residentes do Universo Marvel têm uma memória muito curta, o que é a única explicação para o motivo de eles celebrarem a ideia de o Duende Verde assumir o cargo de policial superior da América. Norman Osborn & # x27s & quotDark Reign & quot aumentou um pouco quando decidiu desviar sua atenção dos Vingadores subterrâneos para os X-Men.

Um motim entre os mutantes de San Francisco e # x27s e o grupo militante Humanity Now forneceu uma desculpa perfeita para Osborn enviar as tropas. De repente, os X-Men foram levados para uma batalha contra os impostores Vingadores de Osborn - Venom, Ares, Moonstone, Bullseye e Daken entre eles. Depois de vencer a batalha inicial, Osborn rapidamente decidiu formar seu próprio esquadrão de X-Men oficialmente sancionado, com Emma Frost como sua Rainha Negra.

Mas o Ciclope tinha alguns esquemas próprios. Seu golpe principal envolveu levantar os destroços do Asteróide M do mar e declará-lo uma ilha paraíso para todos os mutantes. Depois que a maioria dos Dark X-Men de Osborn e # x27 o traíram e desertaram para o lado dos Ciclopes # x27, os dois lados tiveram uma batalha real final em Utopia. Percebendo que seus Vingadores estavam no meio de um desastre de relações públicas, Osborn recuou e tentou transformar a luta em uma vitória para a humanidade. Mas, como estabelecemos, as pessoas na Marvel U são burras, então acreditaram nele.

Vencedora: Os Vingadores (de acordo com Osborn)

Rodada + 7 + - + Tudo + Inferno + Quebra + Solto

Ano: 2012
Como visto em: Vingadores x X-Men # 0-12

O último confronto entre as equipes é uma continuação direta do conflito da House of M. Ciclope e seus X-Men colocaram sua fé em um mutante chamado Hope, acreditando que ela é a chave para restaurar a raça mutante. Mas agora o Ciclope descobriu que Hope tem uma conexão direta com a Força Fênix.

Os X-Men e os Vingadores entrarão em conflito quando descobrirem que a Força Fênix está viajando para a Terra para reivindicar Hope como seu novo hospedeiro. O objetivo do Cyclops & # x27 é usar a esperança para cumprir seu destino e salvar a raça mutante. O objetivo do Capitão América é simplesmente acabar com o que ele vê como uma ameaça à Terra. Enquanto isso, Wolverine e seus X-Men são pegos no meio, com Wolverine dividido entre sua lealdade aos Vingadores e seus amigos mutantes.


A questão é se haverá um vencedor final nesta batalha, ou se as duas equipes serão forçadas a deixar de lado suas diferenças e lutar contra um inimigo comum, conforme essas combinações geralmente acontecem.

Avengers vs. X-Men começa amanhã com o lançamento da edição # 0. Os X-Men estão atrasados ​​para uma vitória decisiva contra os Vingadores? Ou Ciclope finalmente precisa de sua punição? Deixe-nos saber quem você está torcendo agora, postando na seção de comentários abaixo.


História do modelo Dodge Avenger

A revelação de carros, caminhões e SUVs totalmente novos e reprojetados dirigidos a uma concessionária perto de você em 2019. Visualize novos modelos específicos para uma visão mais aprofundada do que está por vir ou navegue nas fotos para ver o que será renovado em cada fabricante de automóveis .

O nome Avenger apareceu pela primeira vez em 1995 como um substituto do cupê esportivo para o Dodge Daytona. Baseado na mesma estrutura do sedã Stratus, o cupê de duas portas Dodge Avenger também se distinguia por sua dianteira. Em 1998, o Avenger veio com um motor 2.0 litros e quatro cilindros com baixo consumo de combustível ou um motor V-6 de 2.5 litros e 163 cavalos.

Em 2001, o cupê de duas portas de tamanho médio Dodges foi rebatizado como Stratus, resultando em dormência para a placa de identificação do Vingador por sete anos. Em 2008, a Dodge abandonou o Stratus e ressuscitou o nome Avenger para seu sedan de médio porte redesenhado. Com estilo semelhante ao Dodge Charger, o sedan Avenger 2008 veio nos modelos SE, SXT e R / T.

Os modelos SE e SXT do Dodge Avenger foram oferecidos com uma escolha de um motor de quatro cilindros de 2,4 litros ou um motor V-6 de 2,7 litros. No modelo Avenger R / T de 2008 sob medida, um V-6 de 3,5 litros produzindo 235 cavalos de potência emparelhado com uma transmissão automática de seis velocidades com AutoStick era padrão. O motor de seis cilindros do Dodge Avenger R / T 2008 também forneceu aos compradores a opção de tração nas quatro rodas.

A opção de tração nas quatro rodas foi descontinuada após o ano modelo de 2009. Componentes externos exclusivos e rodas de 18 polegadas fornecem identificação adicional do modelo R / T. Todos os modelos do Dodge Avenger incluem controle de cruzeiro, entrada sem chave, CD player e ar-condicionado. As opções disponíveis no Dodge Avenger incluíam controle automático de temperatura, assento de couro e um porta-luvas refrigerado por zona de resfriamento.

Em 2011, um motor Pentastar V-6 de 3,6 litros com 283 cavalos de potência foi apresentado ao Vingador através do nível de acabamento térmico. Desde sua introdução no mercado, o Dodge Avenger teve uma passagem bem-sucedida na categoria NHRA Pro Stock. O nome Avenger também foi alinhado com o programa de stock car Dodges NASCAR Sprint Cup Series em 2007 durante o lançamento das especificações do veículo de corrida Car of Tomorrow.


[A história do Avenger Field em Sweetwater, Texas]

Artigo sobre a história do Avenger Field, onde as mulheres pilotos do serviço da força aérea treinaram na Segunda Guerra Mundial.

Descrição física

Informação de Criação

Criador: desconhecido. Data de criação: Desconhecida.

Contexto

Esse artigo faz parte da coleção intitulada: National WASP WWII Museum e foi fornecida pelo National WASP WWII Museum para o Portal to Texas History, um repositório digital hospedado pelas Bibliotecas da UNT. Já foi visto 196 vezes, sendo 29 no último mês. Mais informações sobre este artigo podem ser vistas abaixo.

Pessoas e organizações associadas à criação deste artigo ou ao seu conteúdo.

O Criador

Fornecido por

Museu Nacional WASP da segunda guerra mundial

Localizado no Avenger Field em Nolan County Texas, o Museu WASP da Segunda Guerra Mundial se compromete a preservar o legado das Mulheres Pilotos de Serviço da Força Aérea (WASP) da Segunda Guerra Mundial. Como museu de ensino, possui arquivos, exposições e histórias orais que registram um período significativo da história em que as mulheres ousaram quebrar barreiras e contribuir para a vitória.

Entre em contato conosco

Informações descritivas para ajudar a identificar este artigo. Siga os links abaixo para encontrar itens semelhantes no Portal.

Títulos

  • Título principal: [A história do Avenger Field em Sweetwater, Texas]
  • Título da série:Coleção Pioneer County City Museum (PCCM)

Descrição

Artigo sobre a história do Avenger Field, onde as mulheres pilotos do serviço da força aérea treinaram na Segunda Guerra Mundial.

Descrição física

Assuntos

Palavra-chave

Títulos de assuntos da Biblioteca do Congresso

Estrutura de navegação das bibliotecas da University of North Texas

Língua

Tipo de item

Identificador

Números de identificação exclusivos para este artigo no Portal ou em outros sistemas.

  • Nº de adesão ou controle local: WASP_2013-01-867Q-29
  • Chave de recurso de arquivo: ark: / 67531 / metapth1029683

Coleções

Este artigo faz parte das seguintes coleções de materiais relacionados.

Museu Nacional WASP da segunda guerra mundial

Trazendo a história das Mulheres Pilotas do Serviço da Força Aérea, esses arquivos representam o papel da escola de vôo no treinamento de mulheres pilotos para pilotar aviões militares e mostram como os WASPs responderam social e profissionalmente aos novos desafios trazidos pela guerra. Estão incluídos documentos financeiros, fotografias, álbuns de recortes, correspondência, registros dos pilotos e manuais de voo.

Abilene Library Consortium

Apresentando milhares de jornais, fotografias, gravações de som, desenhos técnicos e muito mais, esta coleção diversificada conta a história do Texas por meio da preservação e exibição de recursos valiosos.

Coleção da Segunda Guerra Mundial

Esses materiais se concentram na Segunda Guerra Mundial e no período pós-guerra imediato do final dos anos 1940. Além dos materiais criados durante o período, os materiais podem incluir estudos modernos e obras comemorativas da época.


Grumman Avenger no serviço americano

O Grumman TBF / TBM Avenger foi o único torpedeiro usado pela Marinha dos EUA desde o verão de 1942 até o final da Segunda Guerra Mundial, embora tenha servido como bombardeiro de nível convencional com mais freqüência do que como bombardeiro torpedeiro. Foi utilizado pelos principais porta-aviões, pelos porta-aviões de escolta no Atlântico e no Pacífico e pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos.

Marinha dos EUA no Pacífico

As primeiras aeronaves de produção foram alocadas para VT-8, o esquadrão de torpedos servindo a bordo do USS Hornet (CV-8). A aeronave chegou tarde demais para se juntar ao esquadrão antes do Hornet partiu para o Pacífico, e depois de trabalhar-se, eles fizeram um vôo épico através do Pacífico na tentativa de alcançar seu porta-aviões, alcançando a Ilha Midway pouco antes da batalha. A estreia em combate do Vingador aconteceu durante a batalha de Midway e foi bastante desastrosa. As seis aeronaves partiram para atacar a frota japonesa, mas cinco foram abatidas. A aeronave sobrevivente voltou mancando para Midway com uma roda e as portas do compartimento do torpedo abertas, controles muito limitados, o artilheiro morto e o terceiro tripulante ferido. Nenhum de seus torpedos atingiu um alvo. Felizmente esse desastre inicial não foi causado por nenhuma falha na aeronave, mas por seu uso em pequenos números contra a bem defendida frota japonesa.

O Avenger rapidamente se tornou o único torpedeiro em serviço nos Estados Unidos. A velocidade dessa mudança não foi totalmente intencional, mas as batalhas do Mar de Coral e Midway custaram à Marinha dos Estados Unidos a maior parte de seus TBD-1 Devastators operacionais. Um esquadrão foi perdido com o USS Lexington no Mar de Coral. VT-3, VT-6 e VT-8 participaram da batalha de Midway, encerrando a luta com apenas quatro aeronaves operacionais entre eles. Isso deixou apenas onze TBD-1s no Pacífico e oito no Atlântico.

As unidades devastadas foram reformadas nos EUA e equipadas com novos Vingadores TBF-1. Em agosto, apenas dois meses depois de Midway, todos os esquadrões de torpedos embarcados em um porta-aviões americano no Pacífico estavam equipados com a nova aeronave.

As novas unidades contribuíram para o desembarque em Guadalcanal em 7 de agosto. VT-3 ligado Empreendimento, VT-7 ligado Vespa e VT-8 em Saratoga foram usados ​​para apoiar os pousos, embora aqui eles agissem como bombardeiros de nível convencional em vez de torpedeiros, um sinal do que estava por vir.

O Vingador foi finalmente usado na função pretendida, como um bombardeiro torpedeiro transportado por um porta-aviões, durante a Batalha das Salomões Orientais (24-25 de agosto de 1942). Este viu VT-3 em Empreendimento e a Hornet's Voo de torpedo, operando a partir de Saratoga, choque com três porta-aviões japoneses que faziam parte de uma força que ameaçava as linhas de comunicação com os fuzileiros navais em Guadalcanal. Mesmo aqui, o uso inicial do Vingador foi como um avião de reconhecimento, carregando duas bombas de 500 libras. Em 24 de agosto, duas aeronaves VT-3 encontraram o porta-aviões japonês Ryujo, e fez um ataque de bombardeio sobre ele. Todas as quatro bombas perdidas.

Assim que a notícia deste avistamento chegou à frota americana, uma força de ataque de 28 bombardeiros de mergulho SBD Dauntless e oito Vingadores TBF-1 foi lançada de Saratoga. Sete Vingadores alcançaram seus alvos e cinco atacaram o porta-aviões. Destes, um obteve um acerto confirmado, enquanto outros dois foram possíveis. O porta-aviões japonês também foi atingido por várias bombas e afundou. Durante a batalha, três Vingadores foram perdidos para a ação inimiga, dois ficaram sem combustível e dois foram alijados após sofrer grandes danos.

Após a batalha, o VT-3 relatou que sua nova aeronave foi um grande sucesso e tinha 'inúmeras possibilidades como avião de combate, avião de patrulha aérea interno e intermediário e como bombardeiro planador', embora mais armas fossem solicitadas e apareceriam com o TBF-1C / TMB-1C.

Vinte e nove Vingadores estavam disponíveis durante a batalha das Ilhas de Santa Cruz (26-27 de outubro de 1942), de VT-6 em diante Hornet e VT-10 em Empreendimento. o Empreendimentode Os Vingadores se envolveram em uma batalha de confronto com uma força de ataque de porta-aviões japonesa e sofreram pesadas perdas antes de fazer um ataque malsucedido aos seus alvos. Hornet's Vingadores atacaram o Tom, mas também não conseguiu acertar. A viagem de volta foi difícil - seis foram forçados a abandonar quando ficaram sem combustível e outro foi abatido por caças japoneses que retornavam. O pior estava por vir - o Hornet foi atingido pelos bombardeiros de mergulho D3A 'Val' e pelos torpedeiros B5N 'Kate', e foi afundado, enquanto o Empreendimento também foi danificado.

199 Vingadores em cinco porta-aviões de ataque, cinco porta-aviões leves e oito navios-escolta participaram das invasões de Makin e Tarawa entre 10 de novembro e 10 de dezembro de 1943.

Uma força ainda maior de 247 Vingadores em seis ataques, seis porta-aviões leves e oito escoltas ajudaram a apoiar os ataques a Majuro, Kwajalein e Eniwetok nas Ilhas Marshall entre 29 de janeiro e 23 de fevereiro de 1944.

A escala do esforço de guerra americano ficou clara durante a Batalha do Mar das Filipinas, de 19 a 24 de junho de 1944. Dois anos antes, nas últimas grandes batalhas de porta-aviões, os americanos conseguiram colocar três porta-aviões em campo. Em 13 de junho de 1944, o vice-almirante Marc Mitscher tinha quinze porta-aviões com 900 aeronaves, incluindo sete porta-aviões e sete porta-aviões leves que transportavam Vingadores, para um total de 185 aeronaves operacionais. O Grupo de Trabalho 52, com oito transportadores de escolta, transportou outros 83 Vingadores. A batalha foi desencadeada pela invasão americana de Saipan, e viu nove porta-aviões japoneses atacarem a frota. Os Vingadores não desempenharam nenhum papel no famoso 'Marianas Turkey Shoot' de 19 de junho. Dois porta-aviões japoneses foram afundados por submarinos, deixando sete intactos para tentar escapar para o oeste, embora com seus preciosos grupos aéreos destruídos.

Em 20 de junho, a frota americana dedicou todos os seus esforços para encontrar a frota do almirante Ozawa. Eventualmente, no final do dia, a frota japonesa foi encontrada, e 54 Vingadores junto com 162 F6F Hellcats, SB2C Helldivers e SBD Dauntlesses, foram despachados para atacá-los. Uma feroz batalha aérea desenvolveu-se contra os porta-aviões japoneses, mas os defensores foram derrotados.

Apesar do tamanho da força de ataque americana, os resultados do ataque foram decepcionantes. Os vingadores do VT-24 conseguiram afundar a transportadora Hiyo com torpedos, mas a maioria estava armada com bombas de 500 lb. Chiyoda e Zuikaku foram danificados, eles conseguiram escapar.

This was only a temporary respite for the Japanese. After a few preparatory operations the Americans returned to the Philippines, landing on Leyte. Task Force 38 had nine attack and eight light carriers, with 236 Avengers, although USS Princeton was lost early in the operation. These Avengers were used to make a series of attacks on Okinawa and Formosa on 10-16 October 1944, before moving on to attack Japanese positions on the Philippines on 18-19 October.

The Japanese saw this attack as their last chance to force the decisive fleet battle they had been seeking since Midway. Their plan involved fleets sailing from Singapore and from Japan, with the once-might carrier force demoted to the role of a decoy. This was Admiral Ozawa's Main Force, sailing from Japan with the carriers Chitose, Chiyoda, Zuikaku e Zuiho, but only 100 aircraft. The real damage was to be done by Admiral Kurita's First Striking Force, which contained seven battleships, including the Musashi e Yamato, the two biggest battleships ever built.

The Japanese plan was a partial success. On 24 October the Americans discovered Kurita's fleet and pummelled it. Six carriers were involved in the attacks. o Musashi was hit by nineteen torpedoes from Avengers, and at 7.35pm she sank. Admiral Kurita decided to delay his attack until the night of 24-25 October, and withdrew temporarily. This move was discovered by the Americans, and helped convince Admiral Halsey that this threat had been dealt with.

At 3.40pm the Japanese carrier force was found by US scout planes. The Japanese had shown a very impressive ability to replace lost aircraft in the past and Halsey had no way to know that the carriers posed no real threat. Task Force 38, with the fleet carriers and light carriers, moved north to deal with this potentially very serious threat.

TF 38's Avengers played a major part in the four main attacks launched on 25 October, sinking or helping to sink all four Japanese carriers. o Chitose was sunk during the first attack. o Chiyoda was hit and damaged so badly during the second attack that she was abandoned. o Zuikaku, the last surviving carrier from the force that had attacked Pearl Harbor, was damaged during the first attack and sunk by three torpedoes from Avengers of VT-19 during the third attack. o Zuiho was also damaged during the first attack and sunk during the third.

In theory Task Group 77's eighteen carriers carried a powerful force of 187 Avengers and 292 fighters - the fact that the Avengers were operating from escort carriers rather than fleet carriers had no impact on their performance. However the escort carriers had a limited amount of storage space for ammunition, and they were carrying normal bombs and rockets, intended to support the troops on Leyte, rather than the torpedoes and armour piercing bombs they needed against the Japanese battleships and cruisers.

Kurita had not been expecting to find any aircraft carriers off Leyte, but early on the morning of 25 October his fleet ran into the six escort carriers of Admiral Sprague's Task Unit 77.4.3. Sprague's only option was to head south towards the other two escort groups, while launching every aircraft he had in an attempt to distract the Japanese. Many of his Avengers were launched without bombs or torpedoes loaded, but they managed to convince Kurita that he was facing a much more powerful force than he really was. The aircraft from 'Taffy Three', combined with more from 'Taffy Two' as that second task unit came into range and with the determined attacks of Sprague's destroyer screen, eventually convinced Kurita to abandon the attack. Even so two carriers had been lost - the Gambier Bay to gunfire and the St Lo by a kamikaze, and three destroyers had been sunk. Three of the Japanese light cruisers had been so badly damaged by bombs from the Avengers that they had to be abandoned, although forty-two Avengers were lost.

The next American target was Iwo Jima. Immediately before the invasion of that island Task Force 38, with fourteen fast carriers and 201 Avengers (including new TBM-3s in five squadrons), sailed for Japan, launching a series of raids around Tokyo on 16-17 February 1945. The same carriers then took part in the invasion of Iwo Jima, attacking Japanese positions on the island.

Task Force 58 was also involved in the invasion of Okinawa, and one final battle with a major element of the Japanese surface fleet. This was the giant battleship Yamato, which was dispatched towards Okinawa on 7 April on a suicide mission. She never reached her destination. Instead 300 aircraft from Task Force 58 attacked her while she was still over 200 miles away, scoring 18 torpedo hits on the battleship. Apesar de Yamato was still afloat when the attacks ended, she was mortally wounded and capsized and exploded.

Towards the end of the war the Avengers of Task Force 38 (under Halsey) took part in a series of air strikes on the Japanese Home Islands that lasted from 10 July until the end of the war.

Towards the end of the war the Avenger became increasingly superfluous. The single-seat fighter bombers, in particular the Hellcat and Corsair, were able to carry the same payload of standard bombs or rockets at higher speeds, although over shorter distances, than the Avenger, while the decreasing number of Japanese ships found at sea reduced the need for a torpedo bomber. Indeed the Avenger spent far more time operating as a level bomber than as a torpedo bomber, at least in part because of severe problems with the main American air-launched torpedo. The Helldiver began to replace it in some VT and VA squadrons, and after the end of the war it was quickly phased out as an attack aircraft, in favour of a new generation of single-seat naval attack aircraft.

This didn't end the Avenger's active career. Its large bomb bay proved to be ideal for conversion to a wide range of alternative roles and versions of the Avenger served as both the hunter and killer in anti-submarine warfare (-3W and -3S), and as a transport aircraft designed to carry supplies and personnel onto aircraft carriers at sea (-3R) amongst other things.

Mediterrâneo

Twenty seven TBF-1s took part in Operation Torch, operating with VGS-26 (USS Sangaman), VGS-27 (USS Sawannee) and VGS-29 (USS Santee) Many of the crews were very inexperienced, and the squadrons suffered heavy losses, but they did help to silence several heavy gun batteries and three aircraft from VGS-27 became the first Avengers to sink a submarine when they destroyed a Vichy French submarine.

Escort Carriers - Anti-Submarine Warfare

The Avenger was used extensively from American escort carriers during the Battle of the Atlantic (and briefly by the British, although the Swordfish remained the aircraft of choice on the smaller carriers).

The first US escort carrier to enter the fray was USS Bogue, which formed the centre-piece of an escort group made up of ex-First World War destroyers. o Bogue received Composite Air Wing Nine (VC-9) with twelve Wildcats and eight TBF-1 Avengers, armed with bombs and depth bombs. She entered service in March 1943, and escorted three convoys in March and April, without any success. However this early experience did give the new group some valuable experience. It was realised that more Avengers were needed, and the compliment of aircraft was changed to nine Wildcats and twelve Avengers. A more active search pattern was developed, covering the area to the front and sides of the convoy in an attempt to find U-boats as they were approaching a convoy.

The new tactics paid off in May 1943, when the Bogue was escorted convoy ON-184 heading from the UK to the US. On 21 May U-231 was attacked, and was forced to return to base for repairs. On the following day four submarines were attacked. The third, U-305, was also forced home for repairs, and the fourth, U-569, was scuttled after two damaging attacks. Two more sinkings followed in June, and by the end of the war VC-9 had eight confirmed kills out of the thirty achieved by the composite air wings, making it the most successful of them.

In July VC-9 claimed more kills, while VC-13 on USS Essencial and VC-29 on USS Santee claimed their first victories. Six U-boats were sunk, and the air gap began to be closed. The month also saw the first use of the Mk 24 Fido torpedo, when on 14 July one sank U-160 after homing in on its engines.

The majority of Avenger U-boat kills came during 1943. Only nine was achieved during 1944, ending with the destruction of U-1229 by USS Bogue. The year also saw the only US carrier sunk during the Battle of the Atlantic, when on 29 May the Block Island was sunk by U-549.

The fall in victories during 1944 actually marked the Allied victory in the Atlantic. The wolf packs had been withdrawn by Donitz, and the targets simply weren't there any more. In 1944, with the help of the Avengers, the U-boat threat became more of a nuisance.

Escort carriers carrying Avengers also played a part in the anti-submarine war in the Pacific, with most action coming during 1945. The Japanese used their submarines in a different way to the Germans, focusing on attacks on American warships, so most of the six fleet submarines sunk by escort carriers in the Pacific were sunk during the major battles - in the Philippine Sea, at Iwo Jima and at Okinawa.

Night Fighter

Although the Avenger was not used as a night-fighter in its own right, it was used to control more suitable fighters in the dark. The theory was that a radar-equipped Avenger would operate with two F6F Hellcats. The radar operator in the Avenger would guide the Hellcats onto their targets, and they would complete the interception.

The first test of this idea was fairly disastrous. It involved Edward 'Butch' O'Hare, already a famous fighter ace. In November 1943 he was on the Empreendimentoduring operations in the Gilbert Islands. The carrier was being attacked at night by G4M 'Bettys', and so on 26 November O'Hare, his Wingman and an Avenger took to the air. The first two interceptions demonstrated one problem with the concept - it turned out to be easier for the radar equipped Avenger to shoot down the G4Ms than to put the fighters in the right place. The third fight demonstrated a second, rather more dangerous problem - it was not always possible to be sure who you were shooting at. As the Hellcats returned to the Avenger ready to intercept a new wave of attacks a fire fight broke out between the Avenger and a Betty. O'Hare was caught in the crossfire, probably hit by Japanese bullets and killed.

Night Bomber

The Avenger was more successful as a night bomber. The concept was developed by William I Martin, the commander of VT-10 on the Empreendimentoafter her 1943 refit. The existing airborne radar in the Avenger could detect ships at up to 50 nautical miles, far enough away to be useful. By the start of 1944 Martin was ready to test out his ideas in practise, although a broken elbow prevented him from taking part in the first raid himself. This was a night attack on Truk carried out by twelve Avengers on the night of 16-17 February 1944, each armed with four 500lb bombs. Thirteen Japanese ships were either sunk or so badly damaged that they had to be beached

Three carriers - Independência (CVL-22), Saratoga (CV-3)and Empreendimento (CV-6)- operated either as dedicated night carriers or with a full night squadron onboard. o Independência was first, gaining VT(N)-41 in October 1944 with the TBF/M-1D. These were replaced by TBM-3Ds in February 1945, but soon after this the carrier reverted to day operations. VT(N)-41 did much of its flying during the day, but did gain valuable experience in night operations.

o Saratoga was next to operate at night, with dedicated day and night squadrons allowing her to provide 24-hour support for the troops on Iwo Jima. VT(N)-53 provided the night-time cover, until on 21 February the Saratoga was very badly damaged by four kamikaze aircraft and had to be withdraw.

o Empreendimento stepped in to fill the gap, bringing William Martin back into night operations. He was now commander of VT(N)-90, which had formed in August 1944 with 27 'D' type Avengers, modified for night operations. o Empreendimento also had VF(N)-90, with nineteen F6F-5N night fighters and eleven standard F6F-5s. Together the two squadrons formed Air Group 90(N) on the Empreendimento in January 1945.

In the week after Saratoga was damaged the Empreendimento provided night cover, flying just over half of her sorties after dark. o Empreendimento continued to operate at night until she too was badly damaged by a kamikaze attack in mid-April and forced to return to the United States for repairs.

One more night squadron entered combat before the end of the war, VT(N)-91 on USS Bon Homme Richard, beginning in June 1945 and remaining in service until the end of the war.

US Marine Corps

The Avenger was used by a number of Marine Corps squadrons, both on land and from a number of dedicated aircraft carriers. At first these squadrons were designation as VMSB squadrons (Strike Bombers), but they were soon renamed as VMTB squadrons (Torpedo Bombers). The first to enter combat was VMSB-131 which reached Henderson Field with its TBF-1s just in time to take part in the last major Japanese offensive.

The Marine Avengers achieved their first major success during the Naval Battle of Guadalcanal in mid-November 1942. At this point VMSB-131 was operating alongside VT-10 (normally based on the Empreendimento) and VT-8. On 13 November all three squadrons took part in a series of attacks on the Japanese battleship Hiei, claiming ten torpedo hits from twenty-six launched, and sinking the battleship. Another success came on the next day when aircraft from VT-10 and VMSB-131 sank the cruiser Kinugasa. There were rare examples of Marine Corps Avengers making torpedo attacks - most of the time they used bombs and rockets to support the Marines or depth charges and rockets while on anti-submarine patrols, and they may not have used torpedoes at all after leaving the Solomon Islands.

One year after VMSB-131 made its debut on Guadalcanal, VMTB-143, 232 and 233 took part in the fighting on Bougainville, operating from Torokina air strip. The same three units then took part in the prolonged series of attacks on the Japanese airfields and harbour at Rabaul, allowing that strong Japanese base to be neutralised and leapfrogged.

In July 1944 VMTB-131 and VMTB-242 took part in the fighting in the Mariana Islands, providing air support of Guam and Tinian respectively.

In August 1944 VMTB-134 took part in the invasion of Peleliu, operating from airfields that were virtually on the front line.

In March 1945 VMTB-242 was still based on Tinian, but the war had moved on to Iwo Jima. The squadron took off to make the 800 mile trip to Iwo Jima, planning to land on the island if an airstrip had been secured or on a nearby carrier if not. They were eventually able to land on the island, providing air support for the ground troops. At the end of the campaign they flew anti-submarine patrols from the island, then returned to Tinian, before eventually returning to the US.

The Marine Avengers also played a part in the invasion of Okinawa, where from April 1945 VMTB-131 and VMTB-232 provided air support for the group troops and patrolled the surrounding seas.

Marine Corps Carriers

Four aircraft carriers operated with Marine Corps squadrons embarked. USS Block Island carried VMTB-233 during the battle of Okinawa and for attacks on the Ryukyu Islands. USS Gilbert Island had VMTB-143 during the Okinawa campaign and then took part in the attack on Balikpapan. USS Vella Gulf had VMTB-234, operating in the Central Pacific and attacking Pagan and Rota. Finally USS Cape Gloucester operated VMTB-132 in the East China Sea.

Another four Marine-manned carriers were planned for Operation Olympic - the invasion of Japan - but the end of the war meant that they were not needed.

The Avenger had a very impressive track record during the Second World War. Japan lost 19 aircraft carriers after it entered service, and the Avenger contributed to twelve of them. The Avenger was also involved in the sinking of six of eleven battleships and nineteen of forty-one cruisers lost by the Japanese, as well as twenty five destroyers. The Avenger also carried out numerous attacks on Japanese bases, ground attack missions to support Allied troops and anti-submarine patrols, both in the Pacific and in the Atlantic.


O que Vingador registros de família você vai encontrar?

There are 252 census records available for the last name Avenger. Like a window into their day-to-day life, Avenger census records can tell you where and how your ancestors worked, their level of education, veteran status, and more.

There are 13 immigration records available for the last name Avenger. As listas de passageiros são o seu bilhete para saber quando seus ancestrais chegaram aos EUA e como eles fizeram a viagem - do nome do navio aos portos de chegada e partida.

There are 113 military records available for the last name Avenger. For the veterans among your Avenger ancestors, military collections provide insights into where and when they served, and even physical descriptions.

There are 252 census records available for the last name Avenger. Like a window into their day-to-day life, Avenger census records can tell you where and how your ancestors worked, their level of education, veteran status, and more.

There are 13 immigration records available for the last name Avenger. As listas de passageiros são o seu bilhete para saber quando seus ancestrais chegaram aos EUA e como eles fizeram a viagem - do nome do navio aos portos de chegada e partida.

There are 113 military records available for the last name Avenger. For the veterans among your Avenger ancestors, military collections provide insights into where and when they served, and even physical descriptions.


The Marvel universe

The shared storytelling palette known as the Marvel universe was unveiled in 1961, when Goodman responded to the growing interest in superhero books by commissioning writer Stan Lee and artist Jack Kirby to create the Fantastic Four. With the release of Fantastic Four no. 1 (November 1961), readers were introduced to a superheroic setting that was, nevertheless, rooted in the real world. Lee and Kirby attempted to make their comic book characters more original by allowing them to interact with each other in a realistic fashion, including heroes often fighting or arguing with each other. This trend continued with a flood of other superhero characters introduced by Marvel Comics during the early 1960s, including Spider-Man, the Incredible Hulk, and the X-Men. Lee wrote the majority of Marvel’s books during that time, and Jack Kirby and Steve Ditko were the most important and influential artists.

This more realistic approach to characterizations built up Marvel’s reputation and began to attract university-age readers. Stories also began to deal with social issues such as pollution, race relations, and drug abuse. A Spider-Man story arc from 1971 dealing with drug abuse had to be published without the approval of the Comic Code Authority—the self-regulatory body that had policed comic content since 1954—despite the fact that it was portraying drug use in a negative light. This caused the Comic Code Authority to revise its policy in such matters.

The late 1960s and early 1970s saw a new generation of creative talent emerge at Marvel. In 1967 Jim Steranko began to write and draw stories featuring secret agent Nick Fury in the anthology book Strange Tales. Steranko was influenced in his work by James Bond films and the psychedelic and Op art movements, and the resulting stories melded groundbreaking visuals with equally innovative storytelling techniques. Writer Chris Claremont and artist John Byrne began a long collaboration on The Uncanny X-Men in 1975. The pair revitalized the flagging series with characters such as Wolverine and complex story arcs that soon made the X-Men franchise one of Marvel’s best sellers.

In 1985 Mark Gruenwald started a critically acclaimed 10-year run as the writer of Capitão América. That same year he also began the miniseries Squadron Supreme (1985–86), a deconstructionist take on superheroes that preceded Alan Moore’s graphic novel relojoeiros, published by DC Comics. The 1980s also saw Frank Miller’s stint on Daredevil, which took that book in a darker and grittier direction, reviving sagging sales and making it one of Marvel’s best sellers. In 1988 Todd MacFarlane began a popular run as artist on O incrível Homem Aranha. Four years later MacFarlane and a number of other popular artists, including Jim Lee, Erik Larsen, and Rob Liefeld, left Marvel to found rival Image Comics, a company that allowed creators to retain the copyrights of their characters.

During the 1990s and early 2000s a new wave of writers, including Brian Michael Bendis (Daredevil, Os Vingadores), Jonathan Hickman (Fantastic Four), and Ed Brubaker (Capitão América), became well known for their mature and sometimes controversial takes on Marvel’s characters. The 2010s saw the emergence of another new wave of talent, with writer Matt Fraction and artist David Aja turning in a visually arresting run on Hawkeye, longtime Spider-Man writer Dan Slott teaming with artist Mike Allred for a bold take on a classic character in Silver Surfer, and writer G. Willow Wilson and artist Adrian Alphona breaking new ground with their critically acclaimed Sra. Marvel.


Os Vingadores

A screech from the loudspeaker pierces the air, followed by the matter-of-fact voice of the dispatcher: “ We have an action call .”

The flight leader sprints to the flightline, followed by other pilots and aircrew. Within two minutes, three Grumman TBM Avengers have fired up, and the lead airplane begins to taxi. I close my eyes and listen to the rising and falling chorus of 1,950-horsepower Wright R-2600 radial engines. I can imagine this roar on a carrier deck as the squadron prepared for battle in the Philippine Sea 57 years ago. Soon these sounds will be only a memory.

We are, in fact, at Miramichi Airport, a former Royal Canadian Air Force base in eastern New Brunswick, near the Gulf of St. Lawrence. The Avengers, neatly painted in white and gray with yellow wingtips, are tankers, the last working survivors of their breed. They line up by large storage tanks at the edge of the ramp, where 625 U.S. gallons of fire retardant—a slurry of red dye, fertilizer, clay, and water—are rapidly pumped into bomb bay tanks. One by one they take off, climb to about 1,500 feet, and vanish over the southern horizon on their way to a newly reported forest fire.

On December 15, 1941, the Avenger prototype made its first successful flight. The first production models, coming off the line in early 1942, were TBFs (“F” being the U.S. Navy’s designation for Grumman Aircraft, the manufacturer). In 1943, Eastern Aircraft, a division of General Motors in Trenton, New Jersey, began to manufacture them simultaneously as TBMs. In 1944 Eastern took over entirely. In September 1945, when production ceased, 9,837 Avengers had been delivered.

Built to strict Navy specifications as a torpedo bomber to replace the obsolete Douglas Devastator, the Avenger carried a crew of three: pilot, navigator/radioman, and machinist’s mate/turret gunner. Its internal bays could carry 500-pound bombs or a 2,000-pound torpedo.

The Avenger played a major role in defeating the Japanese fleet in every campaign in the South Pacific. Along North Atlantic shipping lanes, Avengers operating off escort carriers went on the offensive against German U-boats, making the sea safer for merchant ships. By the end of the war, pilots had come to appreciate the ruggedness and stability of the seasoned battler, which could take savage punishment and still make it home. Among some pilots, though, its ungainly appearance earned it the nickname “turkey.”


Assista o vídeo: A História do Vingador Video Curto (Junho 2022).