A história

Como eles foram feitos? Revelando o segredo de 500 anos para esculturas góticas em miniatura de buxo


Um mistério que durou quase cinco séculos foi finalmente resolvido com a ajuda da tecnologia moderna. As magníficas esculturas de buxo em miniatura do século 16 que haviam confundido os espectadores e especialistas com suas representações do céu, do inferno e da vida na Terra, esculpidas em detalhes incríveis, eram um dos maiores mistérios da história da arte ... mas não mais.

Uma introdução às esculturas góticas magníficas de buxo

Se você adora arte sacra e sua evolução ao longo dos séculos, essas pequenas esculturas em miniatura de buxo entalhada, que você pode literalmente colocar dentro da palma da mão, definitivamente vão impressioná-lo. Sua iconografia se inspira em cenas bíblicas (com extensas representações da crucificação). Existem claras influências da literatura contemporânea também. O impacto tenso e inadequado dos objetos, sendo pequenos e extensos ao mesmo tempo, são especialmente convenientes para representações do Céu e do Inferno. Pensa-se que todo o corpo da obra foi criado durante um período de tempo relativamente curto, entre 1500 e 1530, algures na Flandres ou na Holanda. Isso faz todo o sentido se levarmos em conta como, durante o mesmo período, houve um aumento impressionante de uma nova classe social mercantil na Europa que criou uma demanda de mercado por esculturas religiosas portáteis de alta qualidade.

Conta do rosário com entalhes da Visão de São Hubert e São Jorge e o Dragão , Buxo, escultura em miniatura. ( Uso justo )

No entanto, os historiadores da arte sugerem que essas esculturas de buxo foram concebidas como itens de luxo e símbolos de status feitos exclusivamente para membros da elite europeia. Corroborando isso, sabe-se que Henrique VIII da Inglaterra e sua primeira esposa Catarina de Aragão, assim como o Sacro Imperador Romano Carlos VI e Alberto V da Baviera, possuíam tais peças. No entanto, logo a Reforma começou e muitos acessórios relacionados à igreja saíram de moda, incluindo as peças de buxo em miniatura. Uma arte incrível e seu (s) criador (es) estariam perdidos por séculos.

Uma conta de buxo e rosário de prata justapõe imagens de vida e morte. A conta de buxo se abre para revelar entalhes da Morte aparecendo sem aviso prévio em uma refeição sob uma imagem do Juízo Final no hemisfério superior. A inscrição em latim diz: "Fique acordado, pois agora você sabe em que casa seu Senhor virá" (Mateus 24:42). Museu Metropolitano de Arte.

Esculturas de buxo, uma forma de arte única com design incomparável

Com menos de 140 exemplos sobreviventes em todo o mundo hoje, essas lindas esculturas de buxo foram intrigantes para historiadores e outros especialistas por quase cinco séculos. O mistério em torno da criação dessas peças religiosas únicas teve a ver principalmente com sua arte e design incríveis. Aparentemente, eles foram feitos de buxo - o que é particularmente atraente para escultores em miniatura, pois tem uma superfície uniformemente macia e tátil quando polida. O desafio de criar uma arte tão maravilhosa e detalhada em uma escala extremamente pequena, é baseado no fato de que essas peças seriam extremamente difíceis de segurar com segurança no lugar durante sua moldagem e corte.

O nível de detalhe e excelência implica o uso de ampliação, provavelmente com os mesmos instrumentos usados ​​pelos joalheiros modernos para avaliar diamantes. Destacando o nível de detalhe dominado, a historiadora da arte decorada Eve Kahn escreveu no New York Times:

“As obras podem ser tão ricas que penas individuais são visíveis nas asas dos anjos e as peles de dragão são texturizadas com escamas grossas. Barracos em ruínas são mostrados com telhas faltando em seus telhados de duas águas. As túnicas dos santos e os uniformes dos soldados são adornados com representações quase microscópicas de botões e bordados, bem como joias e contas de rosário. "

Retábulo em miniatura; buxo; a seção superior é um tríptico com entalhes de arcos de ogiva, crucificação no centro e numerosas figuras. Asa esquerda: Carregamento da Cruz com o Sacrifício de Isaac à distância; direita: Ressurreição, com o Entombment e outras cenas de fundo; o segundo estágio é um tríptico menor com Agonia no Jardim e, nas folhas, a Traição; esta repousa em arcada semicircular com a Última Ceia; cada lado tem uma escultura de um leão sentado segurando um escudo; base retangular com crianças de luta livre preenchendo os ângulos; todo repousa sobre dois leões reclinados acorrentados a postes; entre eles encontra-se o escudo com um elmo, mantos e crista. (Museu Britânico/ CC BY NC SA 4.0 )

Alexandra Suda, ainda mais impressionada e animada, curadora de arte europeia da Art Gallery of Ontario (AGO) em Toronto, Canadá, disse à CNN: “São objetos que desafiam a compreensão moderna. Por menores que sejam, eles representam o potencial ilimitado para a criatividade humana de uma forma que é universal. "

O mistério dos entalhes de buxo foi parcialmente resolvido

A principal dificuldade com artefatos e objetos dessa escala extremamente pequena é que eles simplesmente não podem ser vistos a olho nu. A fotografia tradicional e digital não conseguiu capturar o nível realista de detalhes, mas o quebra-cabeça foi finalmente resolvido com a ajuda da tecnologia do século XXI. Suda co-liderou um estudo de cinco anos sobre os segredos por trás das esculturas góticas de buxo. Foi uma colaboração internacional entre cientistas, acadêmicos, conservadores e outros especialistas de algumas das instituições mais prestigiadas do mundo, como o Metropolitan Museum of Art em Nova York, o Rijksmuseum em Amsterdã e o Glenn Research Center da NASA. A equipe de Suda digitalizou e analisou trinta das 135 esculturas sobreviventes para descobrir como foram feitas e por quem. Com o uso de micro tomografia computadorizada e software de análise 3D avançado, os cientistas conseguiram provar triunfantemente que retábulos microscópicos, rosários e contas de oração são produzidos a partir de um único fragmento de buxo, incorporando pinos menores do que uma semente de grama que mantêm as peças juntas.

Apesar do imenso sucesso em decodificar o mistério por trás da arte e do design das miniaturas, o quebra-cabeça é apenas parcialmente resolvido - já que os especialistas podem apenas especular sobre os criadores dessas magníficas esculturas de buxo. Devido ao fato de que as esculturas não trazem nenhum sinal ou símbolo que revele a identidade de seus criadores, os especialistas sugerem que as miniaturas foram provavelmente produzidas por entre quatro e seis oficinas diferentes em algum lugar entre a Holanda e Flandres. Com estimativas de que cada workshop levaria em torno de quatro a cinco anos para criá-los, essa parecia a explicação mais racional. No entanto, a incrível uniformidade e consistência no design e na construção que as digitalizações mostraram claramente, indica que havia um único mestre artesão por trás dessas obras-primas. “Isso é produto da visão de um cara - provavelmente com alguns aprendizes e assistentes - que era extraordinariamente talentoso.

Tabernáculo em miniatura; esculpido em buxo aberto com cenas da Vida e Paixão de Cristo; pináculo superado por Pelican em sua piedade, que é removível, liberando assim quatro pétalas em que a parte superior é dividida; estes são deprimidos por uma catraca enquanto a figura da Virgem e o Menino se elevam no centro. (Museu Britânico/ CC BY NC SA 4.0 )

Quando ele morreu, essa prática deixou de existir ", disse Suda à CNN e continuou pasmo,

"Raramente uso o termo gênio, mas diria que essa pessoa, senão um gênio, é certamente uma exceção à norma. O que realmente me conectou foi que quem quer que fosse esse artista, (ele) certamente estava convidando seu original espectador a considerar a possibilidade de tudo isso, e ele teve muito sucesso porque ainda estamos pensando nisso hoje. "

"Small Wonders: Gothic Boxwood Miniatures" foi uma exposição na Art Gallery of Ontario em Toronto, Canadá, até 22 de janeiro de 2017. A exposição viajará para o Met Cloisters e o Rijksmuseum durante 2017.

Uma escultura em madeira de buxo na forma de uma conta de rosário ou noz de oração. Do lado de fora das portas, a Virgem no Templo (à esquerda), Casamento da Virgem (à direita); dentro das mesmas portas, Moisés e a Serpente de Bronze (à esquerda) e o Depoimento (à direita). Dentro da metade superior da noz, a crucificação. A metade inferior da porca de oração é fechada com uma aba articulada que é esculpida em ambos os lados: na frente, A Anunciação com as palavras ditas pela Virgem e por Gabriel dentro da cena como pergaminhos; do outro lado, A Natividade, com cenas menores da Circuncisão, Apresentação no Templo e Cristo entre os doutores. Dentro da metade inferior da porca de oração, está o Carregamento da Cruz. No exterior de ambas as metades, rendilhado gótico e cabeças de flores. (Museu Britânico/ CC BY NC SA 4.0 )


Raros entalhes góticos de buxo do século 16 são tão diminutos que os pesquisadores usaram o raio-X para resolver seus mistérios

Entre 1500 e 1530, artistas em madeira na Flandres e na Holanda criaram das mais requintadas esculturas religiosas em madeira em miniatura já vistas.

Conhecidos como esculturas em caixas de madeira, existem apenas 135 desses artefatos. Essas peças de arte em miniatura são extremamente detalhadas, cujos detalhes só foram verdadeiramente apreciados depois que essas obras de arte em miniatura foram examinadas por varreduras Micro-CT, software de análise 3D avançado, microscópios e raios-X.

As camadas internas dessas esculturas minúsculas são tão bem montadas que as juntas só poderiam ser vistas por meio de microscópios e raios-X. É uma maravilha que os artistas originais dessas obras fossem capazes de criar desejos tão detalhados e envolventes sem o auxílio de equipamentos modernos. Alfinetes, menores do que uma semente de grama, foram usados ​​para prender parte da madeira trabalhada no lugar.

No entanto, apesar do uso de tecnologia moderna, grande parte do processo de produção dessas esculturas permanece um mistério devido aos vestígios de ouro que bloquearam grande parte da "visão" dos raios-X.

Parte do atrativo dessas caixas de madeira maravilhosas é o fato de que muito de como foram feitas permanece um verdadeiro mistério, agregando tanto ao valor intrínseco quanto ao artístico dessas pequenas obras de arte.

Essas esculturas foram criadas a partir de uma demanda por esculturas religiosas portáteis de qualidade na Europa antes do período da reforma. No entanto, uma vez que as tentativas estavam em andamento para reformar tanto a igreja protestante quanto a católica, a necessidade de acessórios em miniatura não era mais alta.


Western desvenda segredos de pequenas maravilhas

Liderada pela Art Gallery of Ontario (AGO), Metropolitan Museum of Art (MMA) em Nova York e Rijksmuseum em Amsterdã, a investigação mais recente do professor de antropologia sobre a construção de arte em miniatura abriu os olhos de Nelson para esses mais de 500 anos. artefatos antigos.

“Eu não sabia nada sobre isso”, disse Nelson, sobre quando ele começou a parceria com a AGO em 2012. “Foi incrível. Tinha que haver devoção absoluta para criar algo assim. Levaria meses para fazer apenas um. ”

Junto com cientistas do Instituto Canadense de Conservação, do Museu de História Natural de Londres (Reino Unido) e da NASA, Nelson ajudou conservadores do AGO e do MMA na investigação da criação de contas de buxo, rosários e retábulos em miniatura do norte da Europa durante o início dos anos 1500.

Essas pequenas obras-primas, pequenas o suficiente para caber na palma da mão, retratam cenas complexas com graça e precisão. Sem falhar, a resposta mais comum ao ver essas obras de arte é: ‘Como uma pessoa poderia tê-las feito?’ É uma pergunta que agora pode ser respondida - graças a Nelson.

O projeto de Arqueologia Sustentável de Nelson e Western é especializado em microCT, uma técnica de imagem para capturar e analisar de forma não destrutiva restos de esqueletos humanos e artefatos arqueológicos. O micro-CT cria modelos 3D que permitem aos pesquisadores visualizar a estrutura interna de um objeto com software 3D a partir de múltiplas perspectivas, incluindo o corte de porções para revelar estruturas internas invisíveis.

“O que eles realmente queriam saber era como foram construídos. Foi basicamente ‘Como eles fizeram isso?’ ”, Disse Nelson, acrescentando que também estavam interessados ​​em descobrir se as peças foram feitas por uma guilda, se todas foram feitas por uma pessoa ou em grupos diferentes.

O trabalho do professor ocidental Andrew Nelson com a Art Gallery of Ontario ajudou a desvendar um mistério de 500 anos em torno da criação de contas de oração em miniatura.

Com o uso do microCT, ele esperava entrar na mente dos artistas, por meio da "desconstrução virtual" de aproximadamente uma dúzia de artefatos, e desvendar o mistério por trás da criação das contas.

A conta tem duas metades, cada metade composta por uma metade externa, que é este desenho gótico que você vê na conta, e uma metade interna que tem todas as figuras esculpidas nela. Na metade superior, a conta representa o Juízo Final e na metade inferior a Coroação da Virgem. A conta é inteiramente esculpida em buxo e suas metades são articuladas com um pino de metal.

“Eles esculpiram a cena pela frente e depois viraram a concha interna e cortaram uma pequena janela na parte de trás, abriram-na e conseguiram esculpir as figuras por trás”, disse ele sobre as maciças massas de madeira. “Então é por isso que você tem detalhes tão incríveis. A menos que você realmente saiba do que está falando, você não vê isso - e nada disso foi adicionado. É tudo uma peça. As paredes, o arco, as figuras são uma só peça. ”

A Coleção Thomson de Arte Europeia no AGO abriga a maior coleção do mundo de esculturas em madeira de buxo do século 16. A próxima exposição, Pequenas maravilhas: miniaturas góticas de buxo, abre em 5 de novembro e, pela primeira vez, reúne mais de 60 esculturas raras em buxo de instituições e coleções particulares em toda a Europa e América do Norte. Alguns deles nunca foram vistos, como o Rosário Chatsworth, originalmente propriedade de Henrique VIII.

Lisa Ellis, conservadora de escultura e artes decorativas do AGO, liderou a investigação científica em andamento sobre esses objetos. Ela está entusiasmada por ter Nelson como parte do desenvolvimento da exposição, que oferece uma nova visão sobre os métodos de produção e o significado cultural dessas obras inspiradoras.

“A varredura por micro-TC revelou estratégias até então desconhecidas e inteligentes usadas pelos escultores para fazer essas incríveis obras de arte”, disse Ellis, cuja parceria com Nelson veio de boca a boca. Um ex-colega e amigo do AGO ouviu falar do projeto e recomendou Nelson como a pessoa certa.

“A colaboração de Andrew foi inestimável, ele é um cara muito especial”, disse Ellis, acrescentando que Nelson não só tem ajudado com as informações técnicas, mas tem sido um grande recurso em termos de encontrar outros especialistas em imagem com quem trabalhar. “Ele tem uma experiência incrível em lidar com todos os tipos de coisas. Além disso, ele tem algumas histórias incríveis e divertidas para contar enquanto você está sentado esperando os exames terminarem - escavações na Síria e Peru e múmias. ”

Nelson, que compartilhará sua pesquisa como parte de um simpósio antes da abertura da exposição neste outono, admitiu que embora tenha sido um trabalho longo e árduo para desvendar o mistério da criação das contas, ele fica emocionado sempre que tem a oportunidade de fazer parte de tal projeto.

“A descoberta nunca para de me surpreender. É por isso que continuo fazendo isso. Eu amo isso ”, disse ele.


O maior pequeno mistério do mundo

Este artigo foi publicado há mais de 4 anos. Algumas informações podem não ser mais atuais.

O mundo dos museus é um lugar minúsculo com ideias gigantescas. Quatro anos atrás, em 2012, para entender como a coleção Thomson de contas de oração em madeira de buxo em miniatura esculpida na Art Gallery of Ontario foi feita - um mistério que desafiou a compreensão humana por mais de 500 anos - a curadora Alexandra Suda e a conservadora Lisa Ellis tomou a medida radical de irradiar uma das peças em um micro-tomógrafo de US $ 800.000. Scanners de tomografia computadorizada radiografam fatias infinitesimalmente finas de um objeto e, em seguida, somam-nas; elas são boas para revelar interiores ocultos.

Os resultados foram tão surpreendentes que Suda e Ellis chamaram Barbara Drake Boehm, uma renomada curadora e medievalista do ainda mais renomado Metropolitan Museum of Art de Nova York, e Pete Dandridge, o principal conservador do Met. Boehm contratou Suda como estudante de pós-graduação em Nova York e, posteriormente, a incentivou a aceitar um emprego no AGO, em parte para descobrir que tesouros medievais a relativamente desconhecida Thomson Collection - em Toronto, entre todos os lugares! - tinha em suas garras. Depois de abordar Frits Scholten, o maior escultor de buxo da Europa no famoso Rijksmuseum em Amsterdã, os cinco começaram a traçar planos.

A Art Gallery of Ontario usou um micro tomógrafo para capturar imagens detalhadas esculpidas nas contas de oração do tamanho de uma bola de golfe

O resultado final é uma exposição internacional, Small Wonders: Gothic Boxwood Miniatures, que estreia sábado em Toronto no AGO, e depois viaja para o Metropolitan Museum of Art e o Rijksmuseum. O buxo de Toronto atingiu o grande momento, baby.

A história continua abaixo do anúncio

Mas as descobertas dizem respeito a muito mais do que técnica. Em um mundo cada vez mais virtual inundado de tecnologia e informação, em uma época em que as máquinas são cada vez mais capazes do que os humanos, o show levanta questões profundas sobre objetos antigos que, ao que parece, podem ser feitos apenas por mãos humanas - tesouros que podemos ver e contemplar e tocar, mas nunca entender completamente, exatamente como seus criadores pretendiam. Isso pode ser uma grande ideia.

'Os relógios Rolex da Idade Média'

Galeria de arte da coleção Thomson (C) de Ontário

Apenas 135 esculturas de buxo em miniatura - contas de oração e retábulos em miniatura incluídos - sobrevivem até hoje. Doze das contas de oração existentes no mundo estão na coleção Thomson no AGO. Eles foram projetados para serem usados ​​como objetos devocionais no final de um rosário que um católico usaria para contar as orações: As esferas se abrem para revelar duas ou mais cenas religiosas da Bíblia. Mas eles eram igualmente importantes como objetos de status - "os relógios Rolex da Idade Média", de acordo com Scholten, que esteve em Toronto esta semana para ver a montagem da exposição. As contas originais foram esculpidas entre 1500 e 1530: depois disso, elas simplesmente desaparecem, possivelmente devido à Reforma séria (que desaprovava os truques religiosos) ou talvez porque o homem que fez a maioria deles havia morrido. Há um consenso geral de que a maioria foi feita em Antuérpia, em Flandres menos consenso de que foram feitas em uma ou duas oficinas e menos consenso ainda de que ambas as oficinas foram dirigidas por um cara chamado Adam Theodorici.

Laço especial dos entalhadores com buxo

O buxo era apreciado, e não apenas por escultores: era usado (com um pouco de repolho) para tingir o cabelo de loiro já no século 11, e era comercializado internacionalmente entre a Europa e o Oriente Médio, junto com pelos de camelo e lápis-lazúli. As esferas vazadas de buxo foram até mesmo objeto de uma disputa comercial entre a Holanda e a Grã-Bretanha. (Algumas coisas nunca mudam.) Os artesãos usaram minúsculas ferramentas de cinco centímetros de comprimento para perfurar, arrancar e veiar as cenas religiosas primorosamente detalhadas dentro das contas - algumas das quais retratam dezenas de personagens em trajes completos e ação, em um espaço de cerca de 2,5 centímetros de largura e 1,5 cm de profundidade. Mas os entalhadores tinham um apego especial ao buxo: tinha um grão consistente, era suficientemente duro para manter a sua forma e pensava-se que era uma das madeiras usadas para fazer a cruz de Cristo.

As varreduras de micro-CT expõem segredos ocultos há muito tempo

Como os escultores trabalharam tantos detalhes inacreditáveis ​​em cenas com camadas tão profundas em espaços tão minúsculos? As varreduras micro-CT do AGO revelam pela primeira vez que eles foram esculpidos em um único pedaço de buxo, mas em partes, como cenários, então mantidos juntos, grãos alinhados, com minúsculos pinos de buxo menores do que uma única semente de grama. "Eles sobrepunham cada disco um ao outro depois de serem esculpidos para obter esse tipo de sensação extraordinária de alívio e profundidade", explica Pete Dandridge, o conservador do Met. Quando os curadores da mostra pediram a Mark Paddison, um mestre entalhador de Toronto com 30 anos de experiência, para recriar uma conta de oração à mão há um ano, ele conseguiu apenas o invólucro externo, que levou uma semana para fazer, mesmo com uma máquina, e depois, apenas em bordo: o buxo era muito duro. “É como perfurar concreto”, diz Paddison.

A história continua abaixo do anúncio

Um ano atrás, com uma tomografia computadorizada precoce como guia, Dandridge desmontou uma conta de oração de 500 anos com a mão, com muito cuidado. (Eles tendem a vender em leilão atualmente por cerca de £ 140.000, ou cerca de US $ 230.000.) "Não havia nenhuma maneira de eu ter pensado em separá-los sem essa informação", diz ele. "Eu literalmente olhei para ele por seis meses, esperando pelo ponto em que me sentisse confortável para dar o primeiro passo."

As cenas de confronto dentro das contas geralmente se dividiam em boas e más notícias. Metade da conta Suda e Ellis escaneada pela primeira vez representa o céu acima do purgatório e o purgatório acima da boca do inferno. Para baixo é para onde você está indo se você for ruim. A outra metade da conta celebra a Anunciação da Virgem, no momento em que Maria descobre que está grávida do filho de Deus. (Os visitantes podem experimentar um tour ampliado de realidade virtual em 3-D desta conta no show do AGO.) O homem minúsculo (quatro milímetros de altura), quase invisível, preso na boca do inferno é uma inserção (Lisa Ellis, a conservadora do AGO, especula que é um autorretrato do artista), assim como a prateleira difícil de ver atrás da boca (da qual dois infelizes cadáveres humanos estão pendurados), o fundo estrelado atrás do purgatório, as figuras ajoelhadas no céu e o telhado e seus raios de luz celestial.

'Você se perde naquele momento bíblico'

Conta de Oração, 1500-1530, Boca do Inferno Boca do Inferno

Detalhes peculiares sem fim transformam as cenas bíblicas conhecidas em histórias que George Saunders poderia ter escrito. Na conta que representa o céu e o inferno, alguém usando uma tiara papal está desaparecendo pelo alçapão do purgatório na boca do inferno. Em outra conta que o Met emprestou para o show do AGO, Pôncio Pilatos (tendo cedido à pressão pública para condenar Cristo à morte) está lavando as mãos, permanentemente, na água que está sendo derramada de um jarro. Ele realmente se parece um pouco com o diretor do FBI James Comey. Abaixo dele, em um degrau, ignorando alegremente o fato de estar sentado ao lado do Filho de Deus e de um macaco preso a uma corrente, um sujeito rechonchudo ajusta os óculos para ler um livro. "É autorreferencial", diz Suda, curador do AGO. "Uma piada interna - um cara lendo um livro com óculos, esculpido por um cara com óculos segurando seu objeto na mesma distância que o cara segura o livro."

Cada personagem em cada cena parece ter um chapéu (os chapéus estavam na moda na Europa Ocidental no início dos anos 1500), cada um é fabuloso à sua maneira, amassado ou com faixas ou abotoado ou franjado. Escudos, freios, selas, amarras, pombos enjaulados (mas em movimento), banderoles, o carrinho de mão ímpar, lanças, lanças facetadas ... todos abundam. Uma esponja de vinagre presa ao comprimento de uma lança na boca de Cristo na cruz apresenta pequenos orifícios de esponja. "É uma questão de detalhe", ressalta Barbara Drake Boehm. "Acho que alimenta aquele aspecto contemplativo. Você se perde naquele momento bíblico. Você pode fazer uma narrativa grande. Mas quando é realmente pequeno assim, você vai em particular para aquele lugar. Você viaja para lá." O tempo, inimigo do homem, está paralisado.

Até Suda e Ellis desenharem o show do AGO, era impossível ver a olho nu tudo o que se passava no rosário, mesmo com a ampliação. (Os óculos se originaram em Veneza no final do século 13, mas até meados de 1600 não ofereciam uma ampliação maior do que 2X.) Essa qualidade de esconde-esconde das contas parece ter sido intencional. O paternoster (a conta principal da oração) do famoso rosário da Chatsworth House que pertenceu a Henrique VIII e Catarina de Aragão (uma das peças centrais da exposição AGO, provavelmente foi dado a Catarina e Henrique como presente de casamento em 1509, parece por tê-lo guardado após o tão esperado divórcio) retrata Henrique e Catarina assistindo à missa. Mas até que a tomografia os revelasse, eles estavam escondidos atrás de um pilar. Da mesma forma, uma minúscula prateleira de humanos esfolados e sangrando é apenas parcialmente visível por trás da feroz, mas minúscula boca do inferno. (A boca parece - sem exagero - um pouco como Donald Trump.) "Eles são infinitamente frustrantes, porque você não pode ver", diz Suda. "Mas então, você não pode ver Deus. E há uma tradição artística disso. O que eu não posso ver é no que tenho que acreditar."

A história continua abaixo do anúncio

'Mesmo com a digitalização, eu não sei nada'

Como as contas não podiam ser totalmente vistas, elas não podiam ser estudadas, e é por isso que têm sido quase sempre esquecidas na história narrativa da arte ocidental.

Para superar o problema, os técnicos do AGO fotografaram cada conta de oração em 60 distâncias focais diferentes. Essas imagens foram então empilhadas em uma única imagem digital com foco perfeito. Os compostos foram amplamente aumentados e montados nas paredes da exposição. (Outro projeto, para criar um cordão de oração em uma impressora 3-D, produzido longe dos detalhes das esculturas originais: "Eles ficavam dizendo, espere mais seis meses, a tecnologia será ainda melhor", lembra Suda. depois de cinco anos, a arte ainda está à frente da tecnologia. Acho isso irônico. ")

A decisão de explodir os detalhes do rosário foi muito debatida. Ellis e Suda temiam que pudessem de alguma forma trair as intenções do (s) artista (s) que tornavam as contas de oração tão difíceis de entender. Mas as contas estão guardando seus segredos de qualquer maneira. Quem os fez? Porque? Quanto tempo eles demoraram? Quanto é que eles custaram? Quem os inventou em primeiro lugar? Todas essas perguntas ainda não foram respondidas. Suda agora admite que não precisava ter se preocupado. "Quando me sinto culpado por comprometer a técnica do artista, percebo que mesmo com a digitalização, não sei de nada."

Ken Thomson e o nascimento de uma coleção

O fato de o AGO ter a maior coleção do mundo de contas de oração em miniatura esculpidas em buxo deu-lhe uma vantagem no comércio de cavalos que prosseguiu (como sempre acontece) na preparação para a exposição. Cada escultura de buxo visitante chega com um curador-assistente da coleção contribuinte, que garante sua passagem segura e exibição cuidadosa. O talão de Henrique VIII está segurado para sua estadia em Toronto, embora, como tudo em Chatsworth House (a residência palaciana dos duques de Devonshire em Derbyshire), seja valioso demais para ser segurado quando estiver em casa. Cada credor tem regras específicas: O Museu Britânico é famoso por sua insistência em caixas de vidro à prova de balas.

A coleção do AGO foi legada pelo falecido empresário e filantropo Ken Thomson. Sua paixão ainda é compartilhada por seu filho David (cuja holding familiar, a Woodbridge, é dona do The Globe and Mail). Ao contrário de muitos outros colecionadores de contas de oração (os Rothschilds, J. Pierpont Morgan), Ken Thomson começou a colecionar modestamente em 1953, quando tinha cerca de 30 anos, muito antes de se tornar um bilionário. Sua primeira compra - por menos de £ 30 que o negociante estava pedindo - foram dois pequenos bustos de marfim feitos pelo escultor vitoriano Benjamin Cheverton em um pantógrafo modificado, um dispositivo que permitiu a Cheverton reproduzir barato imitações em pequena escala de originais maiores e mais famosos .

Eles deram início ao que hoje é a coleção particular mais extensa do mundo de esculturas de marfim e buxo. "Eles parecem bem ... não apenas pelo olho, mas pelo toque", disse Thomson certa vez. Ele era conhecido por ocasionalmente carregar uma conta de buxo no bolso do casaco, para que os visitantes interessados ​​pudessem sentir a emoção de segurá-la. "Não é engraçado", pergunta Suda, "que a primeira reação que as pessoas têm hoje, olhando para as contas, seja provavelmente a mesma primeira reação que as pessoas tiveram quando olharam para elas em 1520?" Você não consegue parar de olhar para eles. Porque?

Objetos que oferecem cenas finitas, mas maravilha infinita

Os museus realizam pesquisas intermináveis ​​com os visitantes para descobrir o que os frequentadores das galerias gostam de ver e o que, portanto, podem pagar para ver. A resposta - que poderia ser uma profecia autorrealizável - geralmente é arte moderna e contemporânea. Dois anos atrás, cerca de 200.000 visitantes do AGO viram a arte promovida de forma extravagante de Michel Basquiat, um protegido de Warhol. O orçamento de publicidade do show de esculturas de buxo, apesar da enorme colaboração internacional, podia pagar alguns anúncios online.

A justificativa é direta: que relevância a arte histórica e religiosa pode ter para as pessoas hoje?

É uma pergunta interessante. Um dia na primavera passada, passei duas horas com Barbara Boehm, Pete Dandridge e Lisa Ellis, olhando alegremente através de lupas e lentes de aumento para três das contas de oração da coleção do Met.

Eventualmente, eu tive que sair. Agradeci aos meus anfitriões e virei para o sul pela Quinta Avenida, e depois à direita novamente no Central Park.

Foi um lindo dia de primavera: tudo estava florescendo. Eu pude ver 20 pessoas passeando pelo parque com uma única olhada. Tendo acabado de passar duas horas olhando para objetos que caberiam na palma da minha mão, fiquei surpreso que cada transeunte estava olhando para as próprias mãos também.

Eles, é claro, estavam olhando para seus celulares.

As informações em um telefone celular, nosso objeto devocional moderno mais comum, mudam incessantemente. Não há fim ou fundo para onde isso pode levar você, daí seu brilho sedutor (a pessoa média passa 90 minutos por dia olhando para o telefone) e por que isso pode deixá-lo impaciente: quando você pode ir a qualquer lugar por meio de tecnologia portátil você pode carregar no bolso, não há fim para os lugares onde você deveria estar, não há fim para o que pode estar faltando. Dedicamos nossa atenção à mudança. Nossos smartphones são a pedra angular desse vício.

Uma conta de oração esculpida em buxo, por outro lado, contém uma quantidade finita de informações. Suas cenas nunca mudam. O cruzado em um cavalo de freio perseguindo um infiel em um camelo tem feito isso e sozinho por 500 anos.

Mas a madeira espera que encontremos seus detalhes rachados, então sentimos que estamos no controle da descoberta. A quantidade de informações que recebemos é limitada apenas por nossa própria curiosidade, pelo que fazemos dela, e não pelo que ela faz de nós. O celular nos obriga a acompanhar seu ritmo, o rosário nos pede para diminuir o ritmo e recompensa a paciência toda vez que alguém olha e se maravilha. Eles fazem uma sugestão radical: talvez estejamos prestando atenção nas coisas erradas.


As esculturas de buxo do século 16 são tão pequenas que os pesquisadores usaram o raio-X para resolver seu mistério

Rokas Laurinavičius
Equipe BoredPanda

Existem apenas 135 esculturas em miniatura de madeira de buxo conhecidas e elas têm intrigado os especialistas em arte em todo o mundo. Recentemente, pesquisadores reuniram algumas dessas minúsculas peças religiosas de museus e coleções particulares para aprofundar o estudo de seus segredos e encontraram algumas respostas muito interessantes.

Pensa-se que estas esculturas de madeira foram feitas durante apenas um breve período de tempo, entre 1500 e 1530, na Flandres ou na Holanda. The rise of a new merchant social class in Europe created a market demand for high-quality portable religious carvings. However, soon the Reformation began and a lot of church-related accessories went out of fashion, including the miniature boxwood pieces.

Using micro-CT scanning and Advanced 3D Analysis Software, researchers found out just how intricate these miniature altars really are. The inner layers are pieced together, hiding the joints so completely, that only a microscope or an X-ray can detect them. The pieces also incorporate pins, smaller than a grass seed. However, much of the production process remains unknown, because traces of gold and other decoration materials conceal the X-ray views.


A 500-year-old mystery has finally been solved

Since the early 1500s, miniature boxwood carvings have been regarded as the ultimate symbol of luxury and status. The wealthiest members of the upper class, clergymen and royalty are known to have these boxwood carvings.

However, in a few decades, they disappeared, leaving no trace behind of who and how they were made.

"They're objects that defy modern comprehension," says Alexandra Suda, a curator of European art at the Art Gallery of Ontario (AGO). "As small as they are, they represent the limitless potential for human creativity in a way that is universal."

Suda is co-leading a five-year international study, seeking to find the secrets behind these boxwood carvings.

The study includes scientists, conservators, curators and academics from world's most prestigious institutions, including the Metropolitan Museum of Art, in New York, the Rijksmuseum, in Amsterdam, and NASA's Glenn Research Center, in Cleveland.

As many as 30 of the 135 surviving carvings were scanned in the study in an attempt to figure out how they were made.

The results are being presented as part of an exhibition, 'Small Wonders: Gothic Boxwood Miniatures', at the AGO.

A lost art

"They have this jigsaw puzzle, Rubik's cube, horror vacui kind of effect on you where you look at them," Suda says. "They're so intricate, and they're stunningly carved that you almost immediately make that [religious] connection, in spite that you may not be a practising Christian."

A generous donation from the late publishing magnate Ken Thompson gave AGO the world's largest collection of boxwood miniatures since 2008.

When Suda first proposed the idea of a large-scale investigation into the works' origins, the plan was to scan as many of the surviving boxwood miniatures as possible.

After shaping a piece of boxwood into a circle, it is bisected and then sliced into thin discs. These discs are then carved into single layers of the recessed final scene, and stacked in a way that they seem concealed from view.

A mystery maker

While this study deciphered the question of how these miniatures were created, there is no established knowledge of who created them.

Although it is largely accepted that the miniatures were produced by four to six different workshops in Flanders, Belgium there is a certain consistency in construction that suggests these may be the works of a single master craftsman.

"That was the thing that really hit us over the head like a frying pan: This is the product of one guy's vision - probably with a few apprentices and assistants - who was extraordinarily gifted. When he died, this practice ceased to exist," Suda says.

"I rarely use the term genius, but I would say that this person if not a genius, is certainly an exception to the norm."

Suda is currently working towards determining the identity and source of this craftsman.

"I'm dying to know where they got all of the imagery. When you start to think yeah, this is amazing that they were able to make these physically, the next logical question is, 'How did they come up will all of these incredibly imaginative images?'" Suda says.

"The thing that really connected with me was that whoever this artist was was certainly inviting their original viewer to consider the possibility of it all, and he was quite successful because we're still thinking about that today."


Rare 16th Century Gothic Boxwood Carvings Are So Miniature Researchers Used X-Ray To Solve Their Mysteries

The team working at the Telloh site believes it was used for feasts, animal sacrifices, and other processions dedicated to Ningirsu – the hero-god of war, hunting, and weather.

New research and cutting-edge scientific imaging have revealed that each carving is an intricate three-dimensional jigsaw puzzle.

Knowing how the carvings were made only raises more questions about what motivated their makers.

Working without electric light or sophisticated magnification, these artists achieved a virtuosic degree of detail.

When first discovering the intricate carvings in prayer beads and altarpieces, viewers most often respond with a sense of wonder.

This effect fulfills, no doubt, part of the artist’s intention, as well as the desire of the original owner.

Fascination is followed by a desire to understand how and by whom these extraordinary and delightful objects were made.

Between 1500 and 1530 wood artists in Flanders and the Netherlands created off of the most exquisite miniature religious wood carvings ever seen.

Known as woodbox carvings there are only 135 of these artifacts known to exist.

These miniature pieces of art are extremely detailed, the details of which were only truly appreciated after these miniature works of arts were examined by Micro-CT scans, advanced 3D analysis software, microscopes, and X-rays.

The inner layers of these tiny carvings are pieced together so well that the joints could only be seen using microscopes and X-rays.

It is a wonder that the original artists of these works were able to craft cravings so finely detailed and involved without the aid of modern equipment.

Pins, smaller than a grass seed were used to hold some of the woodwork in place.

However, despite the use of modern technology much of the production process of these carvings remain a mystery due to traces of gold which blocked much of the X-rays “view.”

Part of the draw of these wonderful wood boxes is the fact that much of how they were made remains a true mystery adding to both the intrinsic and artistic value of these little works of art.

YOU MAY ALSO LIKE: Wooden ‘Big Shigir Idol’ statue believed to be twice as old as Egyptian pyramids

These carvings were created out of a demand for quality portable religious carvings in Europe prior to the reformation period.

However, once attempts were underway to reform both the Protestant and Catholic church the need for miniature accessories were no longer in high demand.

Researchers took these 500-year-old miniature boxwood carvings to the lab to find out their secrets The human eye isn’t able to analyze details this tiny They think these miniatures were made between 1500 and 1530 in Flanders or the Netherlands

So researchers used micro-CT scanning and Advanced 3D Analysis Software They found joints in the inner layers so tiny that only a microscope or an X-ray can detect them And pins, smaller than a grass seed To find out how intricate the pieces really are But even the advanced technology couldn’t see everything The miniatures were a result of a rising new social class in Europe that created a demand for these high-quality portable religious carvings Because traces of gold and other decoration materials conceal the X-ray views

These 16th Century Boxwood Carvings Are So Tiny Researchers Used X-Ray To Study Them

Researchers got these 500-year-old miniature boxwood carvings to their study lab to find out their secrets.

Researchers guess that these wooden carvings were made between 1500 and 1530 either in Flanders or the Netherlands.

The details are intricately small that the human eye isn’t able to analyze them.

Researchers made use of micro-CT scanning and Advanced 3D Analysis Software to discover how intricate the pieces really are

They discovered joints in the inner layers so tiny and the pins are smaller than grass seed which only a microscope or an X-ray can spot.

However, most production process remains unknown.

Traces of gold and other design conceal the X-ray views.

The miniatures were a result of a growing new social class in Europe that called for the creation of these high-quality portable religious carvings.

Soon after the Reformation began, a lot of church-related materials went out of fashion.

Idea Lab: Research at the AGO Investigating Miniature Ivory and Boxwood Carvings

This exhibition invites you to explore ongoing research into five works of art from the Thomson Collection European Art at the AGO. Although each one is more than 500 years old, much remains to be discovered about these rare medieval carvings. Prized for their exceptional skill, craftsmanship and artistry, these mysterious objects inspire a range of questions: Who made it? How was it carved? Who owned it? How was it used?

Constantly seeking answers, AGO curators and conservators closely examine the works, comb through primary documents and travel internationally to scrutinize related objects and research materials. They also deploy scientific technologies, such as X-radiography (X-rays), micro-computed tomography (CT scanning) and radiocarbon dating. New and in-depth research findings lead to a deeper understanding of these works and, consequently, the history of human creativity.

Miniature Boxwood Carving: AGO staff unlock a 500-year mystery.

Research in Action at the AGO: One Work, Two Carvers?

Learn more about the project in this CODART piece by Alexandra Suda and Lisa Ellis.


Exquisite 16th Century Boxwood Carvings

Printed from www.ba-bamail.com

You may also like:

This Incredible Sand Art Is Out of This World!

If you love both nature and art, then you've sure come to the right place, since this beach art is mesmerizing!

Artist Creates Amazing Life-Size Sculptures from Driftwood

Washington native Jeffro Uitto loves the shores of the Pacific Northwest and creates driftwood sculptures as an ode to them.

These Masterpieces of Wood Deserve to Be in Exhibitions!

Woodworking is a craft that is thriving and still contributing to the creation of beautiful masterpieces like this intricately carved DIY works

The Illusions These Shadows Create Are Simply Amazing!

If you love optical illusions, then you've really got to take a look at these awesome shadows.

These People Undoubtedly Have Talent by the Boatload

There's so much talent in the world that it's occasionally hard to fathom. Nevertheless, here are 20 photos that show just how talented people really are.

This Father-and-Daughter Duo Will Leave You in Disbelief!

Sergey and Sasha wow the America's Got Talent judges with their eye-popping performance that involves some casual balancing on Sergey's head.

Funny: The Heart & the Brain Can NEVER Be On the Same Page

These comics, by artist Nick Seluk, also known as The Awkward Yeti, show the eternal struggle between the heart and the brain.

15 Pics That Highlight the Richness of Life in Canada

Experience the uniqueness and beauty of life in Canada through these wonderful pictures.

Quizzes you may like:

Greeting cards you may like to send:

Quizzes

Eye Test: Can You See Dark Colors?

This eye test will check your ability to see dark colors or see in the dark.

The Subconscious Defense Test

How does your subconscious protect you? Find out in this quiz!

Which Event Truly Happened?

Do you know or can you deduct - which event ACTUALLY happened?

Most popular in Art

Check Out the Most Unusual Buildings From Around the World

This video explores some unique and magnificent buildings from all over the world.

How Can These Animal Drawings Look So Incredibly REAL?

Marvel at these ridiculously-good hyperrealistic animal drawings by the talented artist Helen Violet.

Art Collection: The Most Beautiful and Original Wood Art

In this post, we showcase some of our most beautiful posts about wood art.

INTERACTIVE: Play Some Beautiful Pieces on This Piano

Classical music stirs emotion in most of us. That's why we have decided to put together a selection of fantastic classical music posts - so you can enjoy them.

Have You Heard the Truth About the Mona Lisa?

How much do you know about the world's most famous painting?

These Animal Portraits Will Make You Feel Serene

Each animal portraits by artist Raku Inoue is made out of seasonal materials, all natural. The result is peaceful and lovely to look at.

This Artist’s Graffiti Brightens Up South Africa’s Towns

South African artist Falko One turns his surroundings into extraordinary street art, and uses his art to make the world a brighter place.

Architect Transforms Everyday Things into Unique Buildings

Brazilian architect and urban planner Felipe de Castro likes to reimagine everyday items as unusual buildings. Dê uma olhada.

Famous Female Artists Every Art Lover Must Know

To honor this special time of the year, we thought to highlight 10 outstanding female painters from different eras in history.

Drown in the Gorgeous Realist Paintings of Edward Hopper!

Edward Hopper was one of the most prominent artists of the 20th century known for his gorgeous oil paintings like the ones listed here

The Unbelievable Embroidery Skills of 10 Talented Artists

Some would call embroidery a lost art, but the incredible works of these contemporary embroidery artists sure prove otherwise.

Some Lesser Known But Stunning Works of Norman Rockwell

Norman Rockwell was one of the most prolific artists of the 20th century, whose many incredible works appeared on the covers of magazines

Getty Images touches people in a new campaign making use of hundreds of little videos from its image bank.

Learn Some Fascinating Facts in The Most Fun Way Possible

Just Keep Thinking is a project making information about the world accessible and fun through fun colorful illustrations. Scroll to learn something new!

Andre Rieu Plays Kalinka Like You've Never Seen It!

Hope you enjoy this wonderful performance as much as the people in this fantastic crowd did.

Artist Mantra Turns Building Walls Into Butterfly Exhibits

French street artist Mantra specialized in hyper-realistic graffiti, with this series of beautiful butterflies and moth exhibited on display

This Fantastic Bubble Show Will Blow You Away

Bubbles are beautiful, but this fascinating show has taken it to a whole new level!

Comics Fun: The Dogs Have Opened a News Network!

A cute and amusing doggie cartoon by Megan McKay.

Get Lost in the Lovely Impressionist Art of Édouard Manet

Edouard Manet was an artist in 19th Century France that solidified his role in the creation of impressionist and modernist art

This Talented Artist Has Shared Her Secret With Us.

A talented painter displays both her beautiful paintings as well as the tools she used to create them! A stunning series!

It's a Pleasure Watching a Master of a Lost Art at Work

Watch as this master of ancient Korean style pottery practices his beautiful craft.

These Gorgeous Glass Terrariums Have Entire Worlds in Them

The two artists behind these stunning terrariums create entire worlds encapsulated in glass jars, bottles, and other glass vessels

Logs Can Be Turned Into Art If You've Got the Eye for It

These pictures prove that even piling wood can be turned into a work of art.

Classical Music: Enjoy 50 of the Greatest Masterpieces!

This video collected together 50 of the most famous and beautiful classical music pieces in the world.

This 18th-Century Automaton Is a True Art Masterpiece!

Queen Marie Antoinette's Automaton is one of the most intricate and beautiful automaton's in existence! Watch and listen to it play.

Even More Unbelievable Cake Art!

We've seen amazing food art before, but these really take the cake.

When Contemporary Pop Meets Doo-Wop, Our Ears Rejoice!

If you miss the music styles of the 1920's, you will love this astonishing version of a popular contemporary song.

You Won’t Believe This Art Was Created With Ballpoint Pens

New York based artist Nicolas V. Sanchez creates the most realistic ballpoint pen drawings you'll ever see and they're a pleasure to admire!

Choose a Painting, Any Painting.

A good painting can give us much pleasure, so that's why I've collected all of BabaMail's best art posts and put them in one place for you to enjoy.

Thought-Provoking Caricatures By Satiric Artist Agim Sulaj

Agim Sulaj has created numerous beautifully satirical paintings, caricatures and illustrations on a wide variety of subjects, like these

Few of These Famous Stolen Paintings Were Never Seen Again

Many of the most famous artists have works valued at high prices making them items susceptible to theft, like these 25 stolen paintings

These Colorful and Beautiful Mandalas Are Made With Flowers

Using parts of plants, this artist creates wonderful, colorful symbols of mysticism. Enjoy the peaceful beauty of her creations.

The Painter Who Inspired Many Impressionist Artists

Camille Pissarro was a 19th century impressionist artist that inspired and mentored some of the greatest painters of that era.

12 Hyperrealism Paintings by Korean Artist An Jung-hwan

These hyper-realistic landscape paintings by Korean artist An Jung-hwan look unbelievably real. Check them out.

These Picturesque Impressionist Paintings Fit in a Pocket!

This artist creates unbelievably lifelike oil paintings of the American outdoors that could fit in your pocket!

This Girl's Ventriloquism Skills Are Out of This World

12-year-old Darci Lynne went on this year's America Got Talent and wowed the judges with her ventriloquism act. Take a look here!

This Performance Combines Balance, Art and Skill!

Alla Klishta from Odessa astounds judges with her terrific performance.

These Mind-Boggling Sculptures Can Appear and Disappear!

These incredible sculptures will challenge your perception - from one perspective they’re there in full glory, but from another, they vanish before your eyes!

See How This Street Artist Transforms Walls Around the World

Presenting Seth Globepainter - the street artist who's beautifying buildings around the world, with his incredible artistic skills.

The Pre-Raphaelite Movement Created Marvellous Paintings.

The Pre-Raphaelite movement of the 19th Century concerned itself with harking back to the the past, to a time before the Italian masters. See these paintings.

15 of the Most Beautiful Buildings in Art Nouveau Style

Art Nouveau architecture includes some of the most beautiful buildings that ever existed! Here, you will see 15 beautiful Art Nouveau buildings across the world.

List of site sources >>>


Assista o vídeo: LIBROS BOOKS ART IN MINIATURE SCULPTURE IN MINIATURE ARTE EN MINIATURA ESCULTURA EN GIS (Janeiro 2022).