A história

GENERAL LOUIS TREZEVANT WIGFALL, CSA - História


Louis Trezevant Wigfall nasceu em 21 de abril de 1816, perto de Edgefield, Carolina do Sul. Ele freqüentou a Universidade da Virgínia por um ano, depois se formou no South Carolina College em 1837. Wigfall tornou-se advogado que, em 1844, abraçou a causa separatista. Ele se mudou para Marshall, Texas em 1848, e foi eleito para os dois ramos da legislatura do Texas. Wigfall tornou-se senador dos Estados Unidos em 1859, cargo em que liderou defensores dos direitos dos estados do sul e promoveu leis federais para proteger a escravidão e os proprietários de escravos. Um oponente do compromisso, ele escreveu o Manifesto do Sul em dezembro de 1860. Ele se juntou a cinco outros senadores do sul ao se recusar a votar no Compromisso Crittenden em janeiro de 1861, fazendo com que o compromisso fosse derrotado. Ele foi um dos defensores mais expressivos da Confederação, embora não tenha sido expulso do Senado até julho de 1861. Wigfall tornou-se ajudante-de-ordens do Brig. Gen. P. G. T. Beauregard e foi nomeado para o Congresso Provisório da Confederação. Em agosto de 1861, foi comissionado coronel da 1ª Infantaria do Texas; e o presidente confederado Jefferson Davis o promoveu a general de brigada por causa de sua lealdade à Confederação. Seu serviço de campo terminou em fevereiro de 1862, quando ele renunciou para retornar à sua cadeira no Senado Confederado. Wigfall apoiou as propostas impopulares de recrutamento, impressão, a suspensão do habeas corpus e a tomada do governo das ferrovias. Ele se opôs a qualquer violação dos direitos dos Estados confederados, bem como ao estabelecimento de uma Suprema Corte Confederada. Wigfall foi um crítico severo das políticas militares de Davis e procurou removê-lo do comando das Forças Armadas Confederadas. Sua influência política foi em grande parte responsável por ter pressionado Davis a nomear o general Robert E. Lee general-em-chefe das forças confederadas. Quando a Confederação caiu, Wigfall fugiu para o Texas, na esperança de continuar a guerra lá. A tropa do Texas já havia se dispersado, no entanto, ele se escondeu da perseguição às autoridades federais. Fugindo para a Inglaterra por volta de março de 1866, ele permaneceu no exterior por seis anos, então retornou quando soube que não seria preso. A esposa de Wigfall voltou primeiro, obtendo uma casa em Baltimore perto de sua filha, e o próprio Wigfall a seguiu logo depois. Ele se mudou para Galveston, Texas, mas morreu dentro de algumas semanas, em 17 de fevereiro de 1874.


Charlotte Maria Cross Wigfall

Charlotte Wigfall, esposa do 1º Regimento do Texas e Coronel # 8217, transformou seu vestido de casamento em uma Bandeira da Estrela Solitária para o Regimento e apresentou esta bandeira que ela havia costurado à mão para o regimento no verão de 1861. Carregada pelo 1º Texas Infantaria do General John Bell Hood e Brigada # 8217s, a bandeira foi capturada durante a Batalha de Sharpsburg - 17 de setembro de 1862 - após nove dos homens que a carregavam terem caído.

Imagem:Sra. Wigfall & # 8217s Vestido de Noiva por Dale Gallon

Charlotte Maria Cross nasceu em 1818 e não há mais informações sobre seus primeiros anos. Louis Trezevant Wigfall nasceu em 21 de abril de 1816, em uma plantação perto de Edgefield, Carolina do Sul, filho de Levi Durant e Eliza Thomson Wigfall, um casal abastado socialmente. Seu pai, que morreu em 1818, era um comerciante bem-sucedido de Charleston antes de se mudar para Edgefield.

A mãe de Wigfall era da família francesa Huguenote Trezavant e morreu quando o jovem Luís tinha 13 anos. Ele foi criado em uma sociedade privilegiada e extremamente consciente de suas classes. Ele mergulhou na cultura agrária da região e se dedicou a preservá-la e expandi-la. Tutelado por um tutor até 1834, Louis passou um ano na Rice Creek Springs School, uma academia militar perto de Columbia, Carolina do Sul, para filhos de aristocratas de elite. Ele frequentou o departamento de direito da Universidade da Virgínia em Charlottesville. A percepção de um insulto por outro aluno levou ao primeiro de muitos desafios de duelo que ele faria.

Em 1836, ele ingressou no South Carolina College para concluir seus estudos e se formou em 1837. A maior parte de seu tempo era gasto em tabernas fora do campus, em vez de estudar. Durante este tempo, ele abandonou os acadêmicos por três meses para lutar na Guerra Seminole na Flórida, alcançando o posto de tenente dos voluntários.

Em 1839, Wigfall foi admitido na ordem dos advogados, voltou para Edgefield e assumiu o escritório de advocacia de seu irmão. Tendo esbanjado sua herança e com tendência para beber e jogar, ele acumulou dívidas. Ele pediu dinheiro emprestado a amigos para manter um estilo de vida livre, incluindo de sua prima em segundo grau e futura noiva, Charlotte Maria Cross, de Rhode Island, com quem se casou em 1841.

Os negócios como advogado do interior não combinavam com seu temperamento e senso de propósito, nem provaram ser tão lucrativos quanto ele esperava. Wigfall acreditava em uma sociedade liderada pela classe dos proprietários e baseada na escravidão e no código de cavalaria. Freqüentemente, ele negligenciava sua prática jurídica por causa de políticas contenciosas.

Em um período de cinco meses em 1840, Wigfall conseguiu entrar em uma briga e dois duelos, três quase duelos, e foi acusado, mas não indiciado, por matar um homem. Essa orgia de violência culminou em 1840 em uma ilha no rio Savannah, onde ele levou uma bala nas duas coxas enquanto duelava com o futuro congressista Preston Brooks. Sua reputação de duelista, muitas vezes exagerada, o acompanhou por toda a vida, embora ele tenha desistido totalmente da prática após o casamento.

Sua incursão inicial na política e o caso Brooks destruíram sua prática jurídica. Ele foi eleito delegado à Convenção Democrática da Carolina do Sul em 1844, mas seu temperamento violento e intromissão nos bastidores já haviam condenado suas ambições políticas juvenis. Ele acumulou contas médicas de um filho doente que acabou morrendo. As vendas do xerife seguiram, engolindo sua propriedade em Edgefield.

Wigfall testemunhou a disputa da Carolina do Sul & # 8217s com o governo federal sobre tarifas e tornou-se um defensor vitalício dos direitos dos estados. Ele carregou suas duas crenças fundamentais & # 8211 no romance do Velho Sul e a soberania de estados individuais & # 8211 com ele para o Texas em 1848.

Depois que o Texas ingressou nos Estados Unidos em 1846, dezenas de milhares de imigrantes cruzaram suas fronteiras em busca de terras baratas e novas vidas. A maioria veio do Sul dos Estados Unidos, que então havia desenvolvido uma cultura distinta baseada no algodão e na escravidão.

Um primo do Texas, James Hamilton Jr., ex-governador da Carolina do Sul, arranjou um novo começo para Wigfall e uma parceria jurídica. Chegando em Galveston em 1848, mudou-se com Charlotte e seus três filhos para Nacogdoches, onde foi advogado de Thomas J. Jennings e William B. Ochiltree. Logo Wigfall abriu seu próprio escritório de advocacia em Marshall.

Wigfall foi ativo na política do Texas desde o momento em que chegou, alertando os texanos sobre os perigos da abolição e a crescente influência dos Estados não escravistas no Congresso dos Estados Unidos. Ele rapidamente se estabeleceu como um dos mais ardentes e vocais devoradores de fogo da comunidade, um nome dado aos sulistas que apoiavam meios radicais de defender a escravidão e os direitos dos estados.

Na convenção democrata do condado de Galveston em 1848, Wigfall condenou os esforços do Congresso para proibir a expansão da escravidão nos territórios e expressou pesar pelo Texas não tomar a iniciativa de se opor a tais ações inconstitucionais.

Wigfall serviu na Câmara dos Representantes do Texas de 1849 a 1850 e no Senado do Texas de 1857 a 1860. Ele desempenhou um papel importante na organização dos democratas do Texas e na luta contra o partido americano (Know-Nothing) em 1855-56.

Quando o senador Sam Houston concorreu a governador em 1857, Wigfall o seguiu na campanha, atacando seu recorde no congresso em cada uma das paradas de Houston e # 8217 e acusando Houston de ser um covarde e traidor do Texas e do sul. Wigfall alegou que Houston tinha ambições de uma nomeação presidencial e cortejou o apoio dos abolicionistas do Norte. Wigfall foi um dos poucos homens na oposição de Houston & # 8217s que rivalizou com ele como palestrante e foi amplamente creditado pela derrota de Houston para o governo em 1857.

Em 1858, Wigfall tinha uma voz forte na convenção democrata estadual que adotou uma plataforma de direitos estaduais & # 8217. Com a dissolução do Partido Know Nothing, muitos moderados voltaram para o Partido Democrata e parecia que o radicalismo de Wigfall & # 8217 foi repudiado. Mas ele capitalizou o medo que o ataque de John Brown & # 8217s à Harper & # 8217s Ferry causou nos estados escravistas.

Em 1859, Wigfall foi selecionado pela legislatura para representar o Texas no Senado dos Estados Unidos, preenchendo a vaga causada pela morte de J. Pinckney Henderson e serviu de 5 de dezembro de 1859 até 23 de março de 1861. Como & # 8220, o mais violento partidário no estado, & # 8221 de acordo com um contemporâneo, Wigfall foi uma escolha natural para um estado que apoiava cada vez mais a posição política do Deep South.

No Senado, ele se tornou um líder no esforço de assegurar aos proprietários de escravos do sul a liberdade de se estabelecerem nos territórios com seus escravos. Ele continuou suas diatribes já familiares contra os poderes federais e a intrusão do norte na vida sulista. Ele raramente se preocupava com o Texas, mas identificava-se intimamente com sua Carolina do Sul natal.

Wigfall estava entre um grupo de separatistas conhecidos como Comensais do Fogo. Ele ganhou a reputação de eloqüência, debate acérrimo e prontidão para o encontro. Ele continuou sua luta pela escravidão e pelos direitos dos estados e contra a expansão do poder do governo nacional. Sua reputação de orador e beberrão, junto com uma natureza combativa e nobre senso de honra pessoal, fizeram dele uma das figuras políticas mais imponentes de seu tempo.

Um dos mais vociferantes defensores da secessão, e uma das pessoas mais responsáveis ​​por amarrar a sorte do Estado da Estrela Solitária à Confederação, foi Louis T. Wigfall. O Texas havia se tornado parte do Velho Sul e, quando os estados do sul começaram a deixar a União em 1860, o Texas fez o mesmo. Em 1860, Wigfall foi fundamental para fragmentar o Partido Democrata, na esperança de eliminar qualquer possibilidade de compromisso entre o norte e o sul.

Insistindo que a plataforma do Partido Democrata de 1860 exigia que o governo federal garantisse a proteção da escravidão nos territórios, ele foi fundamental para a divisão do Partido Democrata e a subsequente eleição de Abraham Lincoln como presidente.

Wigfall foi coautor do Manifesto do Sul, declarando que qualquer esperança de alívio na União se foi, e que a honra e a independência do Sul exigiam a organização de uma Confederação do Sul. Wigfall ajudou a frustrar os esforços de compromisso para salvar a União e instou todos os Estados escravos a se separarem. Quando a Carolina do Sul liderou o desfile de estados do sul para fora da União, Wigfall se alegrou.

Wigfall juntou-se à delegação do Texas à Conferência de Montgomery no Alabama, que formou o governo provisório da Confederação e que escolheu Jefferson Davis como seu presidente. Em Washington, Wigfall continuou a manter sua cadeira por 6 dias depois que o Texas se separou em 1º de março de 1861, exortando a justiça da causa do Sul e repreendendo seus colegas do Norte no plenário do Senado e nos salões do Capitólio.

Durante esse tempo em Washington, ele espionou os preparativos federais para o conflito que se aproximava, garantiu armas para entrega ao sul e foi para Baltimore, Maryland, e recrutou soldados para a nova Confederação antes de viajar para a capital confederada em Richmond, Virgínia. Ele foi um dos dez senadores do sul que foram expulsos à revelia em 11 de julho de 1861.

Ele foi admitido no Congresso Confederado Provisório em 29 de abril de 1861, onde serviu na Comissão de Relações Exteriores. Wigfall estava em Fort Sumter em abril de 1861, quando a Guerra Civil começou, exigindo alegremente a rendição do posto federal. Entre abril e julho de 1861, ele foi membro do Congresso Provisório da Confederação e serviu como assessor do Presidente Confederado Jefferson Davis.

Wigfall continuou seu serviço à Confederação como comandante militar & # 8211 sem grande distinção, pois, de acordo com muitos relatos, ele costumava estar embriagado. Ele foi comissionado coronel da Primeira Infantaria do Texas em 28 de agosto de 1861, e em 21 de novembro Davis o nomeou brigadeiro-general no Exército Provisório, movimento posteriormente confirmado pelo Congresso Confederado.

Wigfall comandou a Brigada do Texas do Exército da Virgínia do Norte (Hood & # 8217s Texas Brigade) até 20 de fevereiro de 1862, quando renunciou para assumir uma cadeira no Senado Confederado e representou o Estado do Texas pelo resto da guerra. Apesar de sua defesa pública dos direitos dos estados e # 8217, Wigfall fez pouco pelo Texas. No Senado, ele trabalhou pelo poderio militar em detrimento dos direitos estaduais e individuais.

Homem arrogante, Wigfall entrou em conflito com o presidente Davis. Depois que o executivo-chefe vetou o projeto de lei de Wigfall & # 8217s para elevar os cargos no exército e limitar a seleção presidencial, Wigfall levou sua luta aos círculos sociais, chegando ao ponto de se recusar a se levantar quando Davis entrou na sala. Embora amigo e apoiador dos militares confederados, ele também foi um obstrucionista ao se opor às indicações de Davis e # 8217.

Quando Richmond caiu, Wigfall fugiu da Virgínia. Ele foi para casa no Texas por quase um ano. Na primavera de 1866, ele se mudou para a Inglaterra e passou seis anos no exílio auto-imposto. Ele exerceu a advocacia na Inglaterra, mas retornou aos Estados Unidos em 1872, residindo primeiro em Baltimore, MD.

Louis Trezevant Wigfall voltou ao Texas, pousando em Galveston em janeiro de 1874. Ele pretendia reviver sua prática jurídica há muito adormecida, mas morreu inesperadamente em 18 de fevereiro de 1874 e foi enterrado no cemitério da Igreja Episcopal Trinity em Galveston. Não encontrei nenhum registro da morte de Charlotte Maria Cross Wigfall.


Louis Trezevant Wigfall

Caroliniano do Sul nativo, Sargento na Guerra Seminole, advogado, membro da Legislatura do Texas, um ardente secessionista como senador dos Estados Unidos de 1859 a 1861, visitou Fort Sumter com pedido de rendição como assessor do General Beauregard, membro do Congresso Provisório dos Estados Confederados, Coronel do 1º Confederado do Texas Infantaria, Brigadeiro-General do Exército Confederado, membro do Senado dos Estados Confederados.

Erguido pelo Estado do Texas em 1963

Erguido em 1963 pelo Estado do Texas. (Número do marcador 11593.)

Tópicos Este marcador histórico está listado nestas listas de tópicos: Governo e Política & Bull War, Civil dos EUA.

Localização. 29 e 17.59 e # 8242 N, 94 e 48.694 e # 8242 W. Marker está em Galveston, Texas, no condado de Galveston. O Marker pode ser alcançado a partir do cruzamento da Avenue K com a 40th Street. Marker está localizado no Cemitério Episcopal da Trindade de Galveston. Toque para ver o mapa. O marcador está neste endereço postal ou próximo a este: 4002 Avenue K, Galveston TX 77550, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. Samuel May Williams (aqui, próximo a este marcador) Thomas Joseph (a uma distância de grito deste marcador) Nahor Biggs Yard (a uma distância de grito deste marcador) Tenente Comandante Edward Lea (a uma distância de grito deste marcador) Lent Munson Hitchcock Anúncio pago

(a uma distância de grito deste marcador) George Campbell Childress (a uma distância de grito deste marcador) Capitão William S. Fisher (a uma distância de grito deste marcador) Major John M. Allen (a uma distância de grito deste marcador). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores em Galveston.

Veja também . . . Wigfall, Louis Trezevant - The Handbook of Texas Online. Texas State Historical Association (TSHA) (Enviado em 17 de dezembro de 2018, por Brian Anderson de Kingwood, Texas.)

Créditos. Esta página foi revisada pela última vez em 20 de dezembro de 2018. Ela foi enviada originalmente em 17 de dezembro de 2018, por Brian Anderson de Kingwood, Texas. Esta página foi vista 98 ​​vezes desde então e 3 vezes este ano. foto 1. submetido em 17 de dezembro de 2018, por Brian Anderson de Kingwood, Texas.

Editor & lista de desejos para este marcador. Grande plano do marcador e seus arredores. & touro Você pode ajudar?


Louis Trezevant Wigfall (1816-1874)

Louis Trezevant Wigfall nasceu perto de Edgefield, Carolina do Sul, em 21 de abril de 1816. Ele foi educado na University of Virginia e no South Carolina College, graduando-se nesta última em 1837. Ele foi admitido na ordem em 1839. Um separatista intransigente desde cedo como 1844, mudou-se para Marshall, Texas, em 1848 serviu em ambas as casas da legislatura estadual e em dezembro de 1859 foi eleito para o Senado dos Estados Unidos. Aqui, ele lançou desafio no rosto de seus adversários do Norte e foi fundamental na derrota do compromisso Crittenden. Em todos os momentos, ele defendeu a retirada dos estados do sul e a formação de uma Confederação. Ele acabou sendo expulso do Senado em 11 de julho de 1861. Nesse ínterim, esteve presente no bombardeio de Sumter, servindo como assessor do General Beauregard. Na época, sua visita ao forte para exigir sua rendição o anunciava como uma espécie de herói militar. Já membro do Congresso Provisório, foi comissionado coronel da 1ª Infantaria do Texas em 28 de agosto de 1861. Em 21 de outubro seguinte, o presidente Davis o nomeou general de brigada no Exército Provisório. No comando por um tempo da Brigada do Texas, o General Wigfall renunciou em 20 de fevereiro de 1862, para ocupar uma cadeira no Senado Confederado, onde permaneceu até o fim da guerra. Um partidário violento de Joseph E. Johnston e adversário ferrenho da conduta do presidente na guerra, ele trabalhou incessantemente para minar os poderes do chefe do executivo. Ele foi o grande responsável pela aprovação do projeto de lei que tornou Lee o General em Chefe dos exércitos da Confederação nas últimas semanas. Escapando para a Inglaterra em 1865, ele retornou aos Estados Unidos em 1872 e fixou residência em Baltimore. Dois anos depois, ele se mudou novamente para Galveston, Texas, onde morreu em 18 de fevereiro de 1874, um mês após sua chegada. Ele está enterrado no Cemitério Episcopal de Galveston.

Ref: Generals in Gray, Lives of the Confederate Commanders por Ezra J. Warner. Impresso pela Louisiana State University Press, Baton Rouge e Londres.


O seguinte, adaptado do Chicago Manual of Style, 15ª edição, é a citação preferida para esta entrada.

Alvy L. King, & ldquoWigfall, Louis Trezevant & rdquo Manual do Texas Online, acessado em 19 de junho de 2021, https://www.tshaonline.org/handbook/entries/wigfall-louis-trezevant.

Publicado pela Texas State Historical Association.

Todos os materiais protegidos por direitos autorais incluídos no Manual do Texas Online estão de acordo com o Título 17 U.S.C. Seção 107 relacionada a direitos autorais e & ldquoFair Use & rdquo para instituições educacionais sem fins lucrativos, que permite que a Texas State Historical Association (TSHA) utilize materiais protegidos por direitos autorais para promover bolsa de estudos, educação e informar o público. A TSHA faz todos os esforços para estar em conformidade com os princípios de uso justo e com a lei de direitos autorais.

Se você deseja usar material protegido por direitos autorais deste site para fins próprios que vão além do uso justo, você deve obter permissão do proprietário dos direitos autorais.


-> Wigfall, Louis Trezevant

Louis Trezevant Wigfall (1816-1874), educado no South Carolina College e na University of Virginia, envolveu-se em polêmicas discussões políticas, culminando com a morte de outro homem.

Ele e sua família se mudaram para Galveston em 1846 e depois para Nacogdoches, onde trabalhou em um escritório de advocacia com Thomas J. Jennings e William B. Ochiltree. Ele se mudou mais uma vez para Marshall para abrir seu próprio escritório de advocacia.

Um secessionista e crente convicto da escravidão e do código cavalheiresco, Wigfall foi ativo na política do Texas, participando da convenção democrática do condado de Galveston em 1848 e servindo na Câmara dos Representantes do Texas, 1850-1857.

Ele era mais conhecido por sua oposição vocal a Sam Houston e pode ter desempenhado um papel importante na derrota de Houston na corrida para governador de 1857. Também em 1857 Wigfall foi eleito para o Senado do Texas e um ano depois teve um papel ativo na convenção democrata que enfatizava os direitos dos estados. Em 1859, ele se tornou membro do Senado dos Estados Unidos, onde apoiou a escravidão, os direitos dos estados e a limitação do poder do governo nacional.

Wigfall ajudou a escrever o Manifesto do Sul, insistindo na necessidade de secessão dos estados escravistas e na criação de uma Confederação do Sul.

Após a secessão do Texas, ele permaneceu em sua posição no Senado, espionando a União, levantando tropas para enviar à Carolina do Sul e fornecendo armas aos confederados do Texas. Ele atuou como assessor do presidente Jefferson Davis e foi membro do Congresso Provisório da Confederação antes de ser formalmente expulso do Senado dos Estados Unidos em julho de 1861. Após a queda da Confederação, Wigfall voltou ao Texas por um tempo antes de se mudar para a Inglaterra em 1866 para tentar provocar uma guerra entre a Inglaterra e os Estados Unidos, pensando que também poderia reiniciar uma Guerra Civil dos EUA. Ele voltou aos Estados Unidos, fixando residência em Baltimore em 1872 por dois anos antes de se mudar novamente para o Texas, onde morreu em 1874.

Da descrição de Wigfall, Louis Trezevant Papers, 1833-1874 (Bibliotecas da Universidade do Texas). ID de registro do WorldCat: 776248569


Wigfall, Louis Trezevant

Senador dos EUA. Lewis Trezevant Wigfall nasceu no distrito de Edgefield em 21 de abril de 1816, filho de Levi Durand Wigfall e Eliza Thompson. Órfão aos treze anos, ele frequentou as academias locais e a Universidade da Virgínia antes de terminar seus estudos no South Carolina College. Rebelde, Wigfall costumava faltar às aulas, mas se destacou nos debates da Sociedade Eufradiana da faculdade, absorvendo a ardente nulificação da escola e a filosofia dos direitos dos Estados Unidos. Ele deixou a escola brevemente em 1836 para se voluntariar para a Guerra Seminole, alcançando o posto de tenente.

Graduando-se em 1837, Wigfall estudou direito em Edgefield, passando a barra em 1839. Financeiramente irresponsável, ele desperdiçou sua herança moderada em jogos de azar, bebidas alcoólicas e prostitutas. A política logo atraiu seu interesse e lhe deu uma arena para suas habilidades oratórias. Ele rapidamente ganhou o controle do Edgefield Advertiser e, apesar de suas próprias tendências de anulação, usou-o para apoiar o sindicalista John P. Richardson para governador em 1840. Wigfall & rsquos ataques estridentes e diferenças pessoais com seus oponentes levaram a várias disputas, incluindo um duelo que deixou Wigfall e Preston Brooks gravemente feridos. O casamento com Charlotte Cross em novembro de 1841 trouxe alguma estabilidade à sua vida e acabou gerando cinco filhos.

Proponente da expansão da escravidão e oponente das tarifas, Wigfall via a secessão como um meio de resolver diferenças setoriais. Seu extremismo inicial o impediu de alcançar cargos políticos. Dificuldades financeiras continuaram a atormentar Wigfall, e em 1846 ele perdeu sua casa e propriedade em um leilão do xerife. Naquele mesmo ano, o filho mais velho de Wigfall e rsquos morreu e a família mudou-se para o Texas para recomeçar, incluindo a alteração da grafia de seu primeiro nome para Louis.

Estabelecendo-se em Marshall, Wigfall serviu na Câmara do Texas de 1849 a 1850 e no Senado do Texas de 1857 a 1859. Sua vigorosa oposição à política sindicalista então prevalente no Texas poliu sua reputação de comedor de fogo. A reação ao ataque de John Brown impulsionou Wigfall ao Senado dos EUA em 1859, onde lutou ativamente contra propostas para aliviar a crise política.

Apesar da secessão do Texas em fevereiro de 1861, Wigfall permaneceu em Washington, reunindo informações e abrindo uma estação de recrutamento da Confederação em Baltimore. Ele viajou para Charleston em abril, onde visitou imprudentemente Fort Sumter durante o bombardeio em uma tentativa não autorizada de negociar sua rendição. Ele representou o Texas no Senado Provisório Confederado, serviu como assessor militar do presidente Confederado Jefferson Davis e aceitou uma comissão como general de brigada em dezembro de 1861. Ele renunciou em 1862, antes de assumir seu assento no Senado Confederado, onde propôs o primeira lei de recrutamento na história americana. Ele entrou em confronto com o presidente Davis por causa da política militar e se tornou um dos principais oponentes do governo, o que mitigou sua influência pelo resto da guerra.

Após Appomattox, ele fugiu para o Texas e depois para Londres, onde viveu no exílio até 1872. Ele viveu brevemente em Baltimore antes de retornar ao Texas em 1874 com planos de reabrir seu escritório de advocacia. Ele morreu em Galveston, Texas, em 18 de fevereiro de 1874, e foi enterrado naquele cemitério episcopal da cidade.

King, Alvy L. Louis T. Wigfall: Southern Fire-Eater. Baton Rouge: Louisiana State University Press, 1970.

Lord, C. W. & ldquoYoung Louis Wigfall: Político e Duelista da Carolina do Sul. & Rdquo Revista Histórica da Carolina do Sul 59 (abril de 1958): 96 & ndash112.

Walther, Eric H. Os Devoradores de Fogo. Baton Rouge: Louisiana State University Press, 1992.


Ближайшие родственники

Sobre Louis Trezevant Wigfall, senador dos EUA

Louis Trezevant Wigfall (21 de abril de 1816 & # x2013 18 de fevereiro de 1874) foi um político americano do Texas que serviu como membro da Legislatura do Texas, do Senado dos Estados Unidos e do Senado Confederado. Wigfall estava entre um grupo de líderes separatistas conhecido como Fire-Eaters, defendendo a preservação e expansão de uma sociedade agrícola aristocrática baseada no trabalho escravo. Ele serviu por um breve período como Brigadeiro-General Confederado da Brigada do Texas no início da Guerra Civil Americana antes de tomar seu assento no Senado Confederado. A reputação de Wigfall como orador e beberrão, junto com uma natureza combativa e nobre senso de honra pessoal, fizeram dele uma das figuras políticas mais imponentes de seu tempo.

Wigfall nasceu em uma plantação perto de Edgefield, Carolina do Sul, filho de Levi Durant e Eliza Thomson Wigfall. Seu pai, que morreu em 1818, era um comerciante bem-sucedido de Charleston antes de se mudar para Edgefield. Sua mãe era da família francesa Huguenote Trezavant. Ela morreu quando o jovem Louis tinha 13 anos. Um irmão mais velho, Hamden, foi morto em um duelo. Outro, Arthur, tornou-se bispo na Igreja Episcopal.

Tutelado por um tutor até 1834, ele então passou um ano na Rice Creek Springs School, uma academia militar perto de Columbia, Carolina do Sul, para filhos de aristocratas de elite. Ele então entrou na Universidade da Virgínia. A percepção de um insulto por outro estudante levou ao primeiro de muitos desafios de duelo que ele faria, mas o caso foi resolvido pacificamente.

Em 1836, ele entrou no South Carolina College (agora Universidade da Carolina do Sul) para completar seus estudos, mas sua frequência era irregular. Ele desenvolveu um interesse pela lei, participou de clubes de debates e escreveu epístolas sobre os direitos dos estudantes. A maior parte de seu tempo, entretanto, era gasto em tavernas fora do campus, e não em seus estudos. Ele abandonou os acadêmicos por três meses para lutar na Terceira Guerra Seminole na Flórida, alcançando o posto de tenente dos voluntários. Apesar dessas distrações, ele conseguiu se formar em 1837. Um colega graduado considerado seu amigo mais próximo foi John Lawrence Manning, que mais tarde se tornaria governador da Carolina do Sul.

Em 1839, Wigfall voltou para Edgefield e assumiu o escritório de advocacia de seu irmão. Tendo esbanjado sua herança e com tendência para beber e jogar, ele acumulou dívidas. Ele pediu emprestado a amigos para manter um estilo de vida livre, incluindo de sua prima em segundo grau e futura noiva, Charlotte Maria Cross de Rhode Island, com quem se casou em 1841. Mas "apenas um escritório" como advogado do interior não combinava com seu temperamento e propósito, nem provar ser tão lucrativo quanto ele esperava.

Na eleição para governador da Carolina do Sul em 1840, Wigfall apoiou ativamente a candidatura de John Peter Richardson sobre o mais radical James Henry Hammond, o que levou a trocas públicas de argumentos e insultos. Em um período de cinco meses, Wigfall conseguiu entrar em uma briga, dois duelos, três quase duelos, e foi acusado, mas não indiciado, por matar um homem. Este surto de violência política culminou em 1840 em uma ilha no rio Savannah perto de Augusta, Geórgia, onde Wigfall levou uma bala nas duas coxas enquanto duelava com o futuro congressista Preston Brooks. Embora Hammond tenha perdido a disputa para governador, ele tentou mediar a disputa entre os dois jovens de cabeça quente. Wigfall recebeu um ajudante de campo e tenente-coronelcy na equipe do governador Richardson, mas nunca ficou completamente satisfeito com o resultado do caso Brooks.

Essa incursão inicial na política e no caso Brooks destruiu sua prática jurídica. Ele foi eleito delegado à convenção democrata da Carolina do Sul em 1844, mas seu temperamento violento e intromissão nos bastidores já haviam condenado suas ambições políticas juvenis. Ele acumulou contas médicas de um filho doente que acabou morrendo. As vendas do xerife seguiram, engolindo sua propriedade em Edgefield. Um primo do Texas, James Hamilton Jr., ex-governador da Carolina do Sul, arranjou para ele um novo começo e uma parceria jurídica.

A reputação de Wigfall como duelista, muitas vezes exagerada, o acompanhou por toda a vida, embora ele tenha desistido totalmente da prática após o casamento. No entanto, ele continuaria a afirmar que o código duelo foi um & quotfator importante na melhoria da moral e dos modos da comunidade. & Quot

Chegando ao Texas em 1848, Wigfall ingressou no escritório de advocacia de William B. Ochiltree em Nacogdoches, Texas, e então se estabeleceu em Marshall, Texas. Ele rapidamente mergulhou de volta na política, servindo na Câmara dos Representantes do Texas de 1849 a 1850, e no Senado do Texas de 1857 a 1860. Ele se tornou um ferrenho oponente político de Sam Houston. Quando Houston concorreu a governador em 1857, Wigfall o seguiu na campanha, atacando seu recorde no Congresso em cada uma das paradas de Houston e acusando Houston de ser um traidor do sul. Ele alegou que Houston tinha ambições de uma nomeação presidencial e cortejou o apoio dos abolicionistas do Norte.

Ele organizou os democratas estaduais para resistir ao partido Know Nothing, mas com sua derrota suas opiniões radicais caíram na avaliação dos moderados democratas. O Raid on Harpers Ferry de John Brown impulsionou ele e suas visões radicais de volta à proeminência no estado.

A legislatura do Texas elegeu Wigfall para o Senado dos Estados Unidos em 1859 como um democrata para o 36º Congresso dos Estados Unidos para preencher a vaga causada pela morte de James Pinckney Henderson. Matthias Ward foi nomeado para o Senado após a morte de Henderson e serviu de 27 de setembro de 1858 até Wigfall ser eleito e empossado em 5 de dezembro de 1859. Wigfall serviu até 23 de março de 1861, quando se retirou. Ele foi expulso do Senado em 11 de julho de 1861 por apoiar a rebelião. Ele também serviu como membro da delegação do Texas ao Congresso Confederado Provisório, que formou o governo provisório da Confederação, e que selecionou Jefferson Davis como seu presidente. Wigfall continuou a manter sua cadeira depois que o Texas se separou em 1º de fevereiro de 1861 e foi admitido no Congresso Confederado Provisório em 2 de março de 1861, exortando a justiça da causa do Sul e repreendendo seus colegas do Norte, tanto no plenário do Senado quanto nos salões do Capitólio. Durante esse tempo em Washington, ele espionou os preparativos federais para o conflito que se aproximava, garantiu armas para entrega ao sul e, após a expulsão por seus colegas senadores, foi para Baltimore, Maryland e recrutou soldados para a nova Confederação antes de viajar para a capital confederada em Richmond, Virgínia.

Nos dias que antecederam o início das hostilidades, Wigfall defendeu um ataque ao Fort Sumter e ao Fort Pickens na Flórida para levar a Virgínia e outros estados do sul a aderir à Confederação.

Ele chegou em Charleston, Carolina do Sul, quando o cerco de Fort Sumter começou. According to diarist Mary Chesnut, he was the only "thoroughly happy person I see." While serving as an aide to General Beauregard during the bombardment of Fort Sumter, and without authorization, he rowed a skiff out to the island fort and demanded its surrender from Major Robert Anderson. The incident was widely reported in the newspapers furthering his celebrity, but the story redacted the important detail that Wigfall had not spoken to Beauregard in two days. When the authorized emissaries arrived at the fort, they were dismayed upon learning that Wigfall had granted terms to Anderson which Beauregard had already rejected.

With his new found celebrity Wigfall secured an appointment to full Colonel of the 1st Texas Infantry Regiment, and a rapid promotion thereafter to Brigadier General of the "Texas Brigade" in the Confederate Army. He took up residence near his encamped troops in a tavern at Dumfries, Virginia, during the winter of 1861�, where he would frequently call the men to arms at midnight, imagining a Federal invasion. His nervousness was blamed on his fondness for whiskey and hard cider. He appeared visibly drunk, on and off-duty, in the presence of his men on more than one occasion. He resigned his commission in February 1862 to take a seat in the Confederate Senate, and was replaced by John Bell Hood.

Confederate States Senator

At the beginning of the war Wigfall was a close friend of Confederate President Jefferson Davis. Like political alliances throughout his career, he would first support then split with Davis as the war progressed. Davis supported an increasingly strong national government, while Wigfall, forever an advocate of states rights, moved to block the creation of the Confederate Supreme Court, fearing Davis' appointments would rule against the states. Wigfall also challenged Davis, a West Point graduate and former United States Secretary of War, on many of his military-related policies, ridiculously citing his own military experience in the Seminole Wars. Wigfall was a close friend of Confederate General Joseph E. Johnston and frequently proposed legislation on the general's behalf. He was also an early proponent of making Robert E. Lee commander of all Confederate armies.

At the conclusion of hostilities, Wigfall escaped back to Texas in the company of Texas troops with a forged parole, then went to London, England, in 1866 as an exile where he intrigued to foment trouble between Britain and the United States. He bought a mine in Clear Creek, Colorado, returning to the United States in 1870. He lived for a while in Baltimore, Maryland, and was in Galveston, Texas, in January, 1874. He died a month later of "apoplexy" and is buried there in the Episcopal cemetery.

Louis Trezevant Wigfall (April 21, 1816 – February 18, 1874) was an American politician from Texas who served as a member of the Texas Legislature, United States Senate, and Confederate Senate. Wigfall was among a group of leading secessionists known as Fire-Eaters, advocating the preservation and expansion of an aristocratic agricultural society based on slave labor. He briefly served as a Confederate Brigadier General of the Texas Brigade at the outset of the American Civil War before taking his seat in the Confederate Senate. Wigfall's reputation for oratory and hard-drinking, along with a combative nature and high-minded sense of personal honor, made him one of the more imposing political figures of his time.

Wigfall was born on a plantation near Edgefield, South Carolina, to Levi Durant and Eliza Thomson Wigfall. His father, who died in 1818, was a successful Charleston merchant before moving to Edgefield. His mother was of the French Huguenot Trezavant family. She died when young Louis was 13. An older brother, Hamden, was killed in a duel. Another, Arthur, became a bishop in the Episcopal Church.

n 1839 Wigfall returned to Edgefield and took over his brother's law practice. Having squandered his inheritance, and with a proclivity for drinking and gambling,[5] he accumulated debts.[4] He borrowed from friends to maintain a freewheeling lifestyle, including from his second cousin and future bride, Charlotte Maria Cross, whom he married in 1841. She was the daughter of the prominent Charlestown lawyer and former South Carolina State Controller Col. George Warren Cross. But "mere office business" as an upcountry lawyer did not suit his temperament and sense of purpose, nor prove to be as profitable as he had hoped.

The Texas legislature elected Wigfall to the United States Senate in 1859 as a Democrat to the 36th United States Congress to fill the vacancy caused by the death of James Pinckney Henderson. Matthias Ward was appointed to the Senate following Henderson's death and served from September 27, 1858 until Wigfall was elected and sworn in on December 5, 1859.[12] Wigfall served until March 23, 1861, when he withdrew. He was expelled from the Senate on July 11, 1861 for support of the rebellion.[13] He also served as a member of the Texas delegation to the Provisional Confederate Congress, which formed the provisional government of the Confederacy, and which selected Jefferson Davis as its president. Wigfall had continued to hold his seat after Texas had seceded on February 1, 1861 and was admitted to the Provisional Confederate Congress on March 2, 1861, exhorting the rightness of the Southern cause and berating his Northern colleagues whether on the floor of the Senate or in Capitol Hill saloons. During this time in Washington, he spied on Federal preparations for the coming conflict, secured weapons for delivery south, and upon expulsion by his fellow Senators, he went to Baltimore, Maryland and recruited soldiers for the new Confederacy before traveling to the Confederate capital at Richmond, Virginia.


Louis Wigfall

Senator Louis Trezevant Wigfall

Library of Congress's Prints and Photographs Division

Louis Trezevant Wigfall, a Texas politician and briefly an officer in the Confederate States Army, advocated for slavery and secession. His rhetoric earned him a place with other leading Fire-Eaters: William Lowndes Yancey, William Porcher Miles, and Roger Atkinson Pryor. He witnessed the Confederate bombardment of Fort Sumter from Morris Island while serving as an aide to General P.G.T. Beauregard. Wigfall also played a role in securing the Union’s evacuation of Fort Sumter.

Wigfall was born on a plantation near Edgefield, South Carolina. Wigfall bounced between different universities for his degree and at one time abandoned academics entirely to fight in the Third Seminole War in Florida. After his graduation from the South Carolina College (now University of South Carolina), Wigfall pursued a career in law. His interest in politics later overshadowed his law career.

In 1848, Wigfall left South Carolina for Texas, leaving behind political battles that had escalated into fighting in duels. In Texas, Wigfall became a staunch opponent of Governor Sam Houston for his Unionist views and became an important Democratic leader in the state. Wigfall was elected to the US Senate by the Texas legislature in 1859 and served until March 1861.

Wigfall, addressing the Senate in December 1860, outlined his views on the relationship of the states with the Union and criticized the Northern freedom of press.

“You shall not publish newspapers and pamphlets to excite the non-slaveholders against the slaveholders, or the slaveholders against the non-slaveholders. We will have peace and if you do not offer it to us, we will quietly, and as we have the right under the constitutional compact to do, withdraw from the Union and establish a government for ourselves and if you then persist in your aggressions, we will leave it to the ultimo ratio regum (a resort to arms), and the sovereign States will settle that question. And when you laugh at these impotent threats, as you regard them, I tell you that cotton is king.”

Wigfall traveled to Charleston, South Carolina as the Confederacy verged upon open warfare with Major Anderson’s Union garrison at Fort Sumter. He secured a position as an aide to General Beauregard. On the second day of the battle, the flag above Fort Sumter fell, and Confederates wondered if Anderson wished to surrender. Wigfall, on his own initiative and without orders, commandeered a rowboat on Morris Island and had Private Gourdin Young of the Palmetto Guard and two slaves take him out to Fort Sumter. Upon arrival, he sought an audience with Major Anderson and climbed into the fort through an open embrasure.

“Your flag is down, you are on fire,” Wigfall told the Federals, “and you are not firing your guns. General Beauregard wants to stop this.”

Wigfall succeeded in ending hostilities and granted generous evacuation terms, but the arrival of aides directly from General Beauregard with different information enraged Anderson who felt he had been misled and lied to by Wigfall. Eventually negotiations succeeded in calming the situation and securing an end to the first battle of the Civil War.

Wigfall followed this bizarre role in the opening acts of the war as an ineffective and often drunk brigadier general until February 1862 when he resigned his commission to take a seat in the Confederate Senate. Similar to his time in the US Senate, he advocated for states’ rights and loudly disagreed with President Jefferson Davis’ strong national government approach.

At the end of the war, Wigfall returned to Texas and then sailed to Great Britain in exile where he attempted to create conflict between Great Britain and the United States. He returned to his native country in 1870 and finally died in Galveston, Texas in 1874.


--> Wigfall, Louis T. (Louis Trezevant), 1816-1874

U.S. Senator and brigadier general in the Confederate Army.

From the description of Letter, 1862. (Duke University Library). WorldCat record id: 39522013

Louis Trezevant Wigfall (1816-1874), educated at South Carolina College and the University of Virginia, became involved in controversial political arguments, culminating in his killing of another man. He and his family moved to Galveston in 1846 and then to Nacogdoches, where he worked in a law firm with Thomas J. Jennings and William B. Ochiltree. He relocated once more to Marshall to open his own law practice.

A secessionist and staunch believer in slavery and the chivalric code, Wigfall was active in Texas politics, taking part in the Galveston County Democratic convention, 1848, and serving in the Texas House of Representatives, 1850-1857. He was best known for his vocal opposition to Sam Houston and may have played an important role in Houston’s loss in the gubernatorial race of 1857. Also in 1857 Wigfall was elected to the Texas Senate and one year later took an active role in the Democratic convention that stressed states’ rights. In 1859 he became a member of the United States Senate, where he supported slavery, states’ rights, and limiting the power of the national government.

Wigfall helped author the Southern Manifesto, urging the need for the secession of the slave states and the creation of a Southern Confederacy. After Texas’s secession, he remained in his position in the Senate, spying on the Union, raising troops to send to South Carolina, and providing arms to Texas Confederates. He acted as an aide to President Jefferson Davis and was a member of the Provisional Congress of the Confederacy before being formally expelled from the U.S. Senate in July 1861. Later that year he became a colonel in the First Texas Infantry and a brigadier general in the Provisional Army. Additionally, he led the Texas Brigade of the Army of Northern Virginia until 1862 when he resigned to join the Confederate Congress. He eventually withdrew his support for President Davis and conspired to strip Davis of his power. After the Confederacy fell, Wigfall returned to Texas for a time before moving to England in 1866 to try to stir up a war between England and the United States, thinking it could also restart a U.S. Civil War. He returned to the states, settling in Baltimore in 1872 for two years before moving once more to Texas, where he died in 1874.

"Wigfall, Louis Trezevant," Handbook of Texas Online. Accessed August 4, 2010. http://www.tshaonline.org/handbook/online/articles/WW/fwi4.html.

From the guide to the Wigfall (Louis Trezevant) Papers 1934 1935., 1839-1874, (Dolph Briscoe Center for American History, The University of Texas at Austin)

List of site sources >>>


Assista o vídeo: Occupation of Troyon Sector Lorraine, Sept. 16 - Oct. 8, 1918 - 26th Division (Janeiro 2022).