Geografia

Antártida e as questões ambientais


Por menor que seja a interferência dos seres humanos no ambiente, sempre existe um impacto provocado pela ocupação da Antártida, seja para pesquisa, seja para turismo.

Fazer com que essa alteração seja a menor possível é a preocupação dos pesquisadores e dos países que fazem parte do Tratado da Antártida, assinado em 1959, instituindo regras para ocupação do continente.

O Tratado, que proíbe qualquer atividade de natureza militar, entrou em vigor em 1961, ratificado por 12 países, incluindo o Brasil. Atualmente são 47 os países signatários (28 membros consultivos e 19 não consultivos).


Localização da Antártida no globo terrestre


Turismo na Antártida


Emblema do Tratado da Antártida

Assim como o Protocolo de Madri, relacionado com questões ambientais, o tratado relativo à Antártida estabelece normas para a realização de pesquisas científicas e expedições turísticas na região. Atualmente, cerca de 29 nações possuem estações de pesquisa estabelecidas na Antártica.

Os países que possuem bases científicas na Antártica são: África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Brasil, Bélgica, Bulgária, Chile, China, Coreia do Sul, Equador, Espanha, Estados Unidos, Federação Russa, Finlândia, França, Índia, Itália, Japão, Nova Zelândia, Noruega, Peru, Polônia, Reino Unido, República Checa, Romênia, Suécia, Ucrânia e Uruguai.


Mapa das bases científicas da Antártica

No que diz respeito às questões ambientais, os norte-americanos possuem um refúgio que funciona como estação, no qual se verifica poluição marinha. A estação chilena conta com uma pista de pouso para aviões e uma vila próxima, que também provoca um impacto ambiental maior.

Na baia do Almirantado, onde se localizava a Estação Comandante Ferraz, do Brasil, destruída em um incêndio em fevereiro de 2012, o desequilíbrio ambiental observado era bem menor, porém os restos de uma base britânica abandonada ainda causam problemas.


Estação Comandante Ferraz, do Brasil, presente há mais de 20 anos na Baía do Almirantado, Antártica

Na madrugada do dia 25 de fevereiro de 2012, ocorreu um incêndio gerado por uma explosão sem causa estimada na Praça das Máquinas, onde ficam os geradores de energia da estação. Por ser anexo ao restante das instalações, o fogo se alastrou, destruindo grande parte da Estação Comandante Ferraz, fazendo duas vítimas fatais.


Fotografia do incêndio que destruiu parte da estação em 2012

Com o crescimento das atividades turísticas na região antártica, a maior preocupação dos especialistas está concentrada na área litorânea, onde existe mais movimento. De acordo com a International Association of Antartic Tour Operator (IAATO), a ilha Rei George é a mais procurada pelos turistas naquela área do planeta.


Localização da ilha Rei George na Antártida

Há projetos de educação ambiental, mas apenas algumas embarcações turísticas possuem cientistas a bordo.


Turismo na Antártida

Até o ano de 2048, nenhum país poderá explorar os recursos minerais do continente antártico. O Protocolo de Madri (Tratado da Antártida) inclui uma cláusula que proíbe essa exploração por 50 anos. O que acontecerá depois disso não se sabe. Entretanto, é notável o desejo de muitas nações para que este tempo passe rápido, para exploração de petróleo e gás.